Larissa Lacerda

Analista de Marketing de Conteúdo na Rock Content.

Aspirante a publicitária, apaixonada por marketing digital e amante de suculentas.
13 publicações feitas.



Google+ vai acabar

Depois de 7 anos, Google+ chega ao seu fim

De acordo com o que foi relatado no blog post oficial, a empresa está passando por um processo de revisão das políticas internas de acesso de dados chamado Project Strobe.

A partir dessa análise, o time responsável pelo aplicativo finalmente compreendeu uma verdade que já estava clara para alguns: o Google+ não é um sucesso entre os usuários — muito pelo contrário.

Os níveis de uso e engajamento do aplicativo são extremamente baixos, cerca de 90% das sessões no Google+ duram menos de 5 segundos.

Fora isso, eles observaram também que todo o conjunto de API’s do Google + eram extremamente desafiadores para serem desenvolvidos e mantidos pela empresa.

Mas isso não é tudo, quer conhecer qual outro motivo que fez desse pronunciamento a mais nova polêmica da web? Então continue com a gente!

Qual a polêmica por trás do fim do Google+?

Apesar das reflexões que foram trazidas pelo Google como as justificativas principais por trás do cancelamento do aplicativo, existe uma ainda mais preocupante: o vazamento de dados de quase meio milhão de usuários.

Por conta de um bug, cerca de 496.951 usuários tiveram seus dados pessoais como: nome, sobrenome, email, idade, gênero e outros expostos desde 2015.

A falha permitia que programadores externos ao software (de apps integrados a ele) tivessem acesso aos dados privados dos perfis.

Tudo isso foi descoberto pelo Google em março deste ano, mas após um reunião da administração, ficou decidido que não seria levado a público de imediato, evitando a ação dos órgãos reguladores que estavam já em alerta com o caso de vazamento de dados do Facebook.

CTA de download para o kit: Domine o Google

Como será o fim do Google +?

Para tentar tranquilizar os usuários da rede, o Google anunciou também que não foram expostos quaisquer dados de postagens ou mensagens pessoais.

Além disso, quem possui uma conta no Google+ terá até agosto de 2019 para resgatar seus dados e se desconectar por completo do sistema.

Outro ponto que foi comentado no blog post da empresa foi que apenas o Google+ para usuários será desativado, mas não a sua versão corporativa, que aparentemente vêm apresentando melhores resultados.

Tem interesse em saber mais informações sobre o universo do Google? Então não deixe de conferir essas novidades que selecionamos para você:

CONTEÚDOS RECOMENDADOS
👉 Google atualiza seu algoritmo e afeta o desempenho de sites YMYL
👉 Como funciona a nova correspondência exata de palavras-chave do Google?
👉 Como serão as pesquisas do futuro? Google celebra 20 anos e divulga próximas atualizações
👉 SEO Internacional: conquiste o Google do Mundo inteiro com o seu site/blog

google_palavras_chave

Como funciona a nova correspondência exata de palavras-chave do Google?

De tempos em tempos, são feitas pequenas mudanças nos motores de busca, mas que produzem mudanças consideráveis.

O que para os negócios pode ser sinônimo de catástrofe, para os porta-vozes do Google é uma forma de melhorar a experiência do usuário na plataforma, por isso aconselham as empresas a atualizarem e melhorarem constantemente seus conteúdos.

E em meio a isso tudo, vemos páginas que estavam nas primeiras posições caírem e outras páginas, antes mal posicionadas, subirem rapidamente.

Se você quer entender melhor do que se trata essa atualização e, de que modo ela pode impactar nos seus anúncios nesse mecanismo de busca, continue com a gente!

Como funciona a correspondência de palavras-chave?

Assim como já revelamos, a nova alteração de posicionamento tem a ver com a leitura das palavras-chave por parte do algoritmo do Google, o Googlebot.

Como se sabe, existem vários tipos de palavras-chave e, ao configurar sua campanha, você tem a opção de escolher entre a correspondência exata ou a ampla, de acordo com o que interessa ao seu objetivo de marketing.

Caso tenha se perguntado qual a diferença entre ambas, saiba que quando são utilizadas as palavras-chave amplas, aceita-se a exibição de diferentes variações na SERP, independentemente da intenção da frase.

Para facilitar, aqui está um quadro de exemplo disponibilizado pelo próprio buscador:

correspondência ampla

Já no caso da correspondência exata, eram exibidos resultados muito mais próximos da palavra-chave inicial, tendo um pequeno grau de variação, como erros ortográficos e formas no plural.

Veja também o exemplo dado pelo Google:

correspondência exata

Porém, essa explicação não é mais 100% válida atualmente, por isso, confira exatamente o que mudou:

Quais foram as mudanças nas palavras-chave exatas?

Com certeza você percebeu o como as palavras exatas abrangem muito pouco. E, por isso, existem poucas empresas que se beneficiam de buscas restritas a um único termo.

Isso porque as variações aumentam as chances de uma empresa atingir seu público e, consequentemente, as conversões serem feitas.

Pensando nisso, o grande pronunciamento do Google foi sobre como as palavras-chave exatas deixarão de funcionar como o único gatilho para para mostrar seus anúncios.

Portanto, se o algoritmo considera que o resultado é o mais adequado para a intenção de busca, ele o posicionará nas SERPs, mesmo que a palavra não seja exata.

Veja como funcionará agora:

nova correspondência exata

E vale lembrar que mesmo com essa mudança, ainda existem distinções entre correspondência ampla e exata, afinal a ampla não leva em conta a intenção, apenas uma relação de palavras-chave que poderiam ser relevantes para a busca.

E o qual o motivo dessa mudança? Podemos afirmar que existem dois que se destacam:

  1. priorizar a tendência de criar uma rede mais ampla de resultados e depois o usuário eliminar o que não lhe serve, ao invés de criar uma rede muito restrita que pode ser insuficiente.
  2. a correspondência exata está bloqueando o Machine Learning.

Parece até um filme de ficção científica, mas o algoritmo quer diversidade e, em sua evolução, a inteligência artificial já consegue interpretar a intenção de busca.

O que você nos diz sobre o mundo emocionante do Google? Sem dúvida, um universo que nos motiva a estudar mais e mais.

Então, se você quiser saber tudo sobre esta pesquisa, baixe o nosso e-book Domine Google para estar sempre nas primeiras posições!

Kit Domine o Google

Como serão as pesquisas do futuro? Google celebra 20 anos e divulga próximas atualizações

Ontem, dia 24 de setembro de 2018, foi comemorado em São Francisco o aniversário de 20 anos do Google.

Aproveitando o momento de reflexão sobre a maturidade da empresa, foram apresentados os planos da gigante para os próximos 20 anos, e, de acordo com Ben Gomes, vice presidente de buscas, serão feitas mudanças drásticas na forma como o buscador funciona.

Essas alterações levarão em conta 3 conceitos-base voltados para tornar as informações mais acessíveis para todas as pessoas, sendo elas:

  1. mudança de respostas para a criação de jornadas;
  2. alteração de pesquisas para descobertas;
  3. preferência por conteúdos visuais.

Quer saber o que cada um desses conceitos significam e quais são as mudanças já anunciadas? Então continue com a gente!

Mudança de respostas para a criação de jornadas

Esse novo direcionamento da empresa é resultado da constatação de que grande parte das buscas não são avulsas, ou seja, elas fazem parte de um processo mais longo de pesquisas relacionadas.

Pensando nisso, o objetivo aqui é realmente criar uma jornada da experiência do usuário dentro da ferramenta, de modo a abranger aquelas pesquisas que continuam em curso, como o estudo para uma prova, por exemplo.

A partir disso, foram anunciadas 3 principais novidades:

Activity Cards

A ideia dos cartões de atividade seria auxiliar o usuário a retomar suas buscas passadas por meio de uma ferramenta que refaz o passo a passo das pesquisas anteriores.

Esses cartões serão segmentados com base em temas semelhantes e aparecerão apenas em algumas situações específicas, além de poderem ser retirados completamente da página se for o desejo do usuário.

Essa feature estará disponível ainda no final deste ano.

Search Collections

Outra ferramenta bem relacionada aos cartões de atividade é a de Coleções, na qual o próprio usuário poderá selecionar e armazenar conteúdos que ele considera mais úteis e que planeja revisitar no futuro.

Além de tudo isso, o Google também indicará conteúdos complementares para cada coleção, o que poderá ser muito útil para alguém que está planejando alguma atividade ou até mesmo uma estratégia.

Topic Layer

Dentro dos já conhecidos knowledge graphs, ou diagramas de conhecimento, serão criados novos subtópicos para facilitar a busca por conteúdos relacionados para que a pessoa possa encontrar suas respostas sem precisar rolar a página para baixo.

Esses subtópicos serão criados a partir de uma identificação de quais são os temas mais relevantes, de modo a identificar conteúdos evergreen e que melhor solucionam as dúvidas do usuário.

Alteração de pesquisas para descobertas

Uma ideia que foi reafirmada diversas vezes ao longo do discurso do VP no evento de aniversário e no texto publicado por ele no blog do Google, foi de superar o status de uma ferramenta de pesquisas e passar transmitir experiências.

Com base nisso, foram criadas novas features e atualizadas algumas outras, como é o caso do feed do Google:

Discover

Você deve estar estranhando o fato de termos falado de feed mas usarmos o título Discover, não é mesmo? O que acontece é que uma das mudanças comunicadas é a transformação do conhecido feed em um portal de descobertas.

Além do nome, o design foi completamente repaginado pensando no uso de imagens interativas e disponibilização de diferentes tipos de conteúdos, principalmentes os vídeos.

Nele, será possível entrar em contato com conteúdos recomendados de acordo com os seus interesses, além de poder alterar o idioma de diferentes temas. Assim, você pode ler notícias em inglês e textos sobre lazer em português.

Essa nova feature também estará disponível na versão mobile nos próximos meses.

Preferência por conteúdos visuais

Por fim, o último pilar das mudanças é o enfoque em conteúdos visuais, partindo da compreensão de que as pessoas buscam cada vez mais por conteúdos de fácil consumo e que sejam, ao mesmo tempo, altamente atrativos.

As duas novidades anunciadas nesse sentido foram:

AMP Stories

Inspirados no sucesso do Snapchat e do Instagram Stories, foi anunciado que será investido ainda mais no formato stories do Google, que foi lançado em fevereiro.

A princípio esse formato será destinado aos vídeos de celebridades e atletas, mas a ideia que é no futuro ele também esteja disponível para o público em geral.

Featured Videos

Agora com o foco em formatos em vídeos, serão disponibilizados também materiais audiovisuais relacionados aos tópicos e subtópicos das buscas, algo bem próximo aos famosos featured snippets.

Depois de ficar por dentro de todas essas novidades, você deve estar se perguntando sobre como monetizar a partir dessas ferramentas, certo?

Por enquanto, não foi mencionado nada sobre a inserção de anúncios ou coisas do tipo, mas já podemos esperar isso daqui a alguns meses, partindo da ideia de que algumas dessas features teriam alto potencial de conversão, como é o caso dos stories.

Gostou de conhecer como serão as pesquisas do futuro? Então aproveite para aprender ainda mais sobre o assunto com o nosso guia completo de SEO 2.0!

o que é seo

funcoes-de-compra-instagram

Conheça as novas funções de compra do Instagram!

Mais de 90 milhões de usuários clicam mensalmente em posts do Instagram para revelar as etiquetas interativas com os preços de produtos presentes nas imagens.

Esse é um número impressionante, não é mesmo? Ele significa que cada vez mais pessoas têm se engajado com os anúncios e ofertas veiculados na rede social, além de comprovar o seu grande potencial como marketplace.

Pensando nesse cenário promissor, o Instagram revelou essa semana o lançamento de duas novidades em relação ao universo das compras pelo aplicativo:

Botão de compra no Stories

Pensando nos 400 milhões de usuários que acessam o stories todos os dias, e o fato de que 1/3 dos stories mais visualizados da rede social são de páginas comerciais, o Instagram decidiu inserir os ícones de compra também nos stories.

E o que os expanding shopping stories significam? Basicamente, enquanto se diverte visualizando as fotos e vídeos de suas marcas preferidas, você poderá clicar em um produto que gostou para saber mais sobre ele, incluindo preço e descrição detalhada.

Essa nova feature começou a ser testada em Junho de 2018 em mais de 46 países ao redor do mundo e promete gerar uma experiência de compra mais fácil e agradável ao usuário.

Caso você seja um anunciante e tenha interesse em inserir botões de compra em seus stories, basta fazer um post no stories com seus produtos e clicar na opção de incluir descrição e o link para o seu ecommerce.

kit do instagram

Instagram Shopping no Explorar

Como uma novidade não foi o bastante para o gigante Instagram, foi anunciado também a inserção de um canal de compra na janela “explorar” da plataforma.

Agora, será possível visualizar em um local específico posts de produtos das marcas que você já segue ou que podem ser do seu interesse.

Vale lembrar também que esses canais em tópicos foram lançados recentemente, em junho deste ano, com o objetivo de facilitar as buscas por interesse dentro do aplicativo, assim como ampliar o contato entre as pessoas e os novos conteúdos da rede.

Gostou de conhecer ainda mais sobre as novas funções de compra do Instagram? Então confira também nossos conteúdos recomendados sobre o assunto!

CONTEÚDOS RECOMENDADOS
👉 21 dicas para Instagram Stories: descubra como engajar, converter e vender nessa ferramenta
👉 7 ferramentas para fazer um relatório de Instagram impecável
👉 Engajamento do Instagram: 6 dicas para aumentar o seu agora mesmo!
👉 IGTV: um guia da nova plataforma de vídeos no Instagram [e 4 ideias para aplicar em sua estratégia]

Facebook Ads Placement

Facebook irá lançar oferta de anúncios em stories

As tendências como o mobile first e a busca por conteúdos imersivos em vídeo têm inspirado o gigante das redes sociais a investir ainda mais no formato stories. Agora, a grande novidade são os Facebook Stories Ads!

A nova oferta de anúncios da rede social será incluída na ferramenta de vídeos e fotos temporárias e já está em fase de testes nos Estados Unidos, México e até mesmo no Brasil. Por isso, existe alguma possibilidade de você já ter visto um desses por aí.

Se ainda não viu, muita calma, de acordo com o próprio Facebook, o lançamento dos anúncios em stories ainda não tem data definida, mas a certeza é de que será em breve.

Achou a proposta dos anúncios para stories interessante? Então continue com a gente e descubra mais sobre esses ads!

Como funcionarão os Facebook Stories Ads?

Se você faz parte de um dos 400 milhões de usuários diários dos stories do Instagram, já sabe como são os anúncios nesse formato, e a boa notícia é que poderá esperar por algo bem parecido no Facebook.

Caso você não esteja entre essas pessoas, imagine algo como anúncios em vídeos de no máximo 15 segundos de duração, imagens de 5 s e Carousel de fotos com o total de 45 segundos.

Promissor, não? Agora pense na possibilidade de poder redirecionar as peças nessas diferentes plataformas, alcançando um público ainda maior, além de poder contar também com a integração com o stories do Messenger, com seus 70 milhões de usuários, e com o status do Whatsapp, com 450 milhões.

O que esperar dos Stories Ads?

Com base em algumas declarações do gerente de produto da companhia, Chris Cox, a expectativa é que os conteúdos compartilhados na ferramenta stories tenham cada vez mais compartilhamento que os conteúdos do próprio feed.

Simon Lejeune, gerente de aquisição de usuários, também aposta no sucesso dos stories ads. Segundo ele, os usuários respondem melhor quando anúncios são inseridos em novas features, porque além do fator novidade, eles ainda não se cansaram dos ads.

Ficou animado com a chegada dos anúncios em stories do Facebook? Nós também!

Agora que que está por dentro da novidade, que tal aprofundar seus conhecimentos sobre Marketing no Facebook com o nosso ebook gratuito?

Marketing no Facebook

Vimeo Stock: Vimeo lança banco de vídeos

Vimeo anuncia a criação de banco de vídeos royalty free!

O Vimeo, plataforma de hospedagem e compartilhamento de vídeos, tem investido pesado nos últimos meses em sua estratégia de diversificação de ofertas para continuar conquistando a comunidade criativa ao redor do mundo.
 
Se não bastasse a introdução do live-streaming no site em abril deste ano, por meio da criação do serviço Vimeo OTT, a empresa anunciou essa semana a criação de um marketplace de vídeos próprio, o Vimeo Stock.

Como funciona o Vimeo Stock?

Seguindo o modelo já consolidado de bancos de imagem, a oferta Vimeo Stock disponibiliza o direito do uso de vídeos a partir do pagamento de royalties.

As filmagens anunciadas são categorizadas em dois tipos:

  1. clipes on demand: vídeos personalizados por projeto;
  2. clipes não exclusivos: vídeos já prontos na plataforma e disponíveis para qualquer um adquirir.

Além disso, é possível filtrar pela duração dos clipes, qualidade, temas, se são otimizados ou não para 360 e qual tipo de licença Creative Commons eles possuem.

Qual o preço do Vimeo Stock?

Você deve estar se perguntando: quanto custa um vídeo royalty free do Vimeo?
 
De acordo com o que foi anunciado pela empresa, os preços levam em conta tanto as duas categorias citadas acima quanto a qualidade das filmagens. Por exemplo:
 
Clipes não exclusivos em HD custam $79, enquanto os em formato 4K custam exatos $199 dólares. Já os conteúdos exclusivos, possuem um preço um pouquinho mais salgado, $299 em HD e $499 em 4K.
 
Vale lembrar que quem já é membro da comunidade do site tem direito a 20% de desconto em todas as compras no banco, além de poderem contar com os direitos livres para uso comercial desses conteúdos visuais.
 
Ainda falando de valores, como os vídeos são produzidos por profissionais freelancers, é bem legal mencionar também que esses contribuidores receberão cerca de 60 a 70% dos lucros gerados pela venda dos clipes, uma média bem superior se comparada ao que é pago aos produtores de outros bancos, que ficam com mais ou menos com 30%.

Quais os diferenciais desse banco?

 
Além de um retorno bem mais interessante para os freelancers, outro grande diferencial do Vimeo Stock é a quantidade de conteúdos diferenciados do que geralmente é disponibilizado nos demais bancos já existentes, fugindo bastante da estética que vemos por aí.
 
Na página de lançamento do marketplace, foram anunciadas algumas coletâneas bem interessantes, que vão desde um estilo mais comercial, como:

Outras categorias mais inusitadas e experimentais como essas aqui:

O que achou dessa novidade? Acha que o Vimeo Stock vai fazer sucesso? Conte para a gente!
E se ainda tiver interesse em saber mais sobre produção de vídeos para a web, confira o nosso material completo sobre Marketing em Vídeo:

marketing em video

Google Ads atualiza o tamanho dos anúncios de texto expandidos

Os primeiros anúncios de texto expandidos foram anunciados pelo Google em 2016 e desde então, muita coisa mudou. As pessoas têm procurado por cada vez mais informação online e, se naquela época 170 caracteres era o bastante, hoje as coisas são bem diferentes.

Muito além da sede dos usuários por mais dados e explicações, essa atualização também está muito relacionada a tendência do desenvolvimento de celulares com telas cada vez maiores, permitindo a visualização de mais elementos por página.

Por isso, se você anuncia no Google, vai ficar bem animado com essa novidade, confira!

O que muda com os anúncios de texto expandidos?

Foram feitas 3 grandes alterações do tamanho dos anúncios, são elas:

  • a adição de um terceiro título;
  • criação de um segunda descrição;
  • aumento do número de caracteres da descrição para 90.

E o que isso significa?

Agora, você pode utilizar de 3 títulos com até 30 caracteres para chamar a atenção do usuário. Dessa forma, pode incluir mais informações a respeito da sua proposta. É importante entender que esse novo título é facultativo, ou seja, caso o leitor tenha um celular menor, por exemplo, esse terceiro título não aparecerá para ele.

Além disso, agora é possível criar mais uma descrição de até 90 caracteres, ampliando ainda mais o espaço para a adição de informações valiosas que podem ajudar — e muito — na conversão do usuário.

Lembra que lá em cima mencionamos sobre os 170 caracteres totais? Contando com todas essas modificações, o anunciante pode utilizar até 300 caracteres para aproveitar de uma forma que gere mais resultados para a estratégia de mídia paga!

Quais são os benefícios de adotar esses anúncios?

Achou legal, mas não entendeu o alvoroço em torno disso? Separamos alguns benefícios dos anúncios de texto expandidos para você conhecer e se interessar usar agora mesmo:

Mais espaço

Com essa atualização, os anúncios serão 2 vezes maiores, ou seja, aumenta a visibilidade e cresce o espaço para usar um argumento capaz de convencer o seu público. Fora isso, esse espaço extra significa oportunidade de dialogar de forma mais humanizada com seu público, utilizando de frases mais completas e com maior correspondência com o estilo do seu negócio.

Ads otimizados para mobile

Os anúncios expandidos são 100% otimizados para mobile, por isso, para que você possa saber como eles ficarão dispostos na tela, será disponibilizado uma prévia da versão nos celulares e em desktops.

Assim, não precisará ficar se preocupando caso o terceiro título que criou ou a segunda descrição que você levou um tempinho para pensar a respeito aparecerão para o usuário.

Aumento do CTR

Depois das mudanças de 2016 com a expansão de texto para ads, os anunciantes viram um aumento de 20% no percentual de CTR ( click-through rate).

Viu como os anúncios expandidos podem ser grandes aliados na sua estratégia online? E se você deseja dominar ainda mais o ambiente online confira também o nosso guia completo do Google Ads!

Guia Completo do Google Adwords

Marketing de Conteúdo Visual

Marketing de Conteúdo Visual: o que é e qual a sua importância em uma estratégia de conteúdo?

O ambiente digital é um terreno fértil. Tão fértil que atualmente produzimos muito mais informação do que somos capazes de consumir.

Comprove você mesmo: basta abrir uma de suas redes sociais preferidas para perceber que nem metade do que se encontra lá você é capaz de absorver.

É muito provável também que o pouco que foi absorvido em alguns minutos será simplesmente esquecido.

Em um cenário como esse de sobrecarga de informações, parece ser uma missão quase impossível produzir conteúdos que engajem ou que sejam pelo menos lidos.

Mas o real  objetivo deste texto não é torná-lo pessimista, e sim mostrar que em meio a essa quantidade absurda de conteúdo criou-se uma nova tendência, uma forma mais rápida e eficaz de se absorver informação e passá-la adiante.

Estamos nos referindo ao uso de conteúdos visuais, que conquistaram o status de queridinhos do momento, e não é atoa. São modalidades com alto potencial de engajamento e fácil compreensão.

Quer entender mais sobre essa estratégia? Continue a leitura!

O que é Marketing de Conteúdo Visual?

Trata-se de utilizar diferentes formatos visuais  com o objetivo de transmitir informações aos leitores de maneira mais eficiente, portanto, com maior probabilidade de conversão.

O cerne dessa estratégia reside no fato de que, a partir do momento em que se possui uma oferta muito grande de informação, é preciso se sobressair. E a melhor forma para isso é se comunicar de maneira simples, rápida e atrativa.

Sim, atrativa. Uma característica importantíssima dos recursos visuais é a sua capacidade de despertar a atenção do público por ser dinâmico e interessante ao olhar.

Eles são capazes também de despertar emoções, resumir ideias e fazer da sua comunicação memorável!

Grandes blocos de texto, por exemplo, não possuem o mesmo carisma que um infográfico e podem até vir a cansar o leitor por parecerem longos demais ou simplesmente difíceis de ler.

E qual a importância dessa estratégia?

Já parou para observar a quantidade de redes sociais que incluíram alguma nova funcionalidade relacionada ao visual nos últimos anos?

Tivemos o Facebook e Instagram investindo em live vídeos e nos Stories, assim como o Google e o desenvolvimento da sua ferramenta de busca por imagem. O Twitter também faz parte desse movimento e já anunciou melhorias na experiência com vídeos  para seus usuários em 2018.

Fora isso, acompanhamos também o investimento de grandes veículos de informação na criação de vídeos para complementar seus produtos jornalísticos, como é o caso do The New York Times.

Do mesmo modo, tantas outras empresas têm apostado nessa tendência, cerca de 74% dos profissionais da área de marketing já fazem uso dela em suas redes sociais. 

E o retorno é inacreditável: posts com imagens ganham aproximadamente 2.3 vezes mais engajamento no Facebook e no Twitter recebem 150% mais tweets.

Nesse momento surge a seguinte dúvida: mas por que materiais visuais são tão eficazes?

O primeiro motivo é que grande parte da comunicação humana não é verbal e sim visual. Gestos, expressões comportamentais, postura, pinturas, são todos tipos de comunicação naturais ao ser humano, os quais precedem historicamente a linguagem textual.

Em seguida, tem-se o fato de que conteúdos de origem visual são universais, podendo ser compreendidos por um grande número de pessoas de diferentes origens e bagagens culturais.

Quais os principais tipos de conteúdo visual?

O marketing de conteúdo visual é multifacetado, podendo se desdobrar em inúmeros formatos diferentes.

Para ajudar ainda mais na sua imersão no mundo dos tipos visuais, iremos apresentar suas principais variações, comentando suas especificidades e mostrando seus benefícios.

Imagens

A manifestação mais comum — e, ainda assim, extremamente efetiva — é o uso de  imagens, sejam fotografias ou imagens vetoriais (ilustrações).

Entramos em contato com elas diariamente em blog posts, redes sociais e nos buscadores. Elas são um verdadeiro alívio aos olhos — quando bem selecionadas, é claro.

Além disso, são extremamente fáceis de adquirir por meio de bancos de imagens gratuitos ou pagos, bem como podem ser produzidas. Afinal, câmeras e editores de imagem são comuns, até mesmo em smartphones.

Estudos apontam que usuários que seguem instruções contidas em um mix de texto e ilustrações tem uma performance 323% vezes melhor que nos casos sem as imagens.

Fora que utilizá-la intercaladas em seus posts auxilia na permanência de leitor em sua página, uma vez que é convencido pela imagem a continuar a sua leitura.

Vídeos

O atual preferido das grandes empresas é também a promessa dos próximos anos. Estimativas apontam que, até 2019,  80% do tráfego na internet será composto por vídeos.

E não para por aí: o engajamento orgânico no Facebook aumenta cerca de 8.7 vezes quando os posts contém vídeos.

E não se engane pensando que é um recurso exclusivo de empresas de grande porte! Os vídeos tem o grande potencial de melhorar a reputação da marca, aproximá-la dos usuários, aumentar o engajamento e ainda potencializam novas oportunidades de gerar receita. Não dá para desperdiçar esse potencial, certo?

Quer saber como fazer uma estratégia de marketing utilizando vídeos? Baixe nosso ebook Marketing em Vídeos.

marketing em vídeos

Infográficos

Os infográficos são, basicamente, a fusão perfeita entre texto e ilustração. O equilíbrio entre informações, dados estatísticos e o design.

Essa combinação faz bastante sucesso e por um bom motivo: é atraente e fácil de ser compreendida.

Estudos de acompanhamento ocular mostraram que leitores de meios digitais prestam mais atenção e gastam mais tempo em imagens que possuem informação do que quando leem um texto simples na mesma página.

GIF’s

Os GIF’s são pequenas animações. Eles são uma forma diferente e divertida de passar uma mensagem visual, além de possuírem grande impacto quando utilizados de forma sábia, com o timing e adequação à marca corretos.

São muito úteis quando a comunicação da empresa visa por um formato mais leve e que possua um potencial altamente engajante. Eles também são um formato excelente para engajar nas redes sociais!

Memes

A febre dos memes também chegou ao mundo do marketing e tem resultados bem interessantes.

Apesar de gerarem muito engajamento e serem populares, eles devem ser usados com cautela e nos meios adequados, para evitar mal entendidos e ambiguidades.

Os memes podem aparecer no formato de vídeo, imagem ou gif, e são uma forma descontraída de comunicar com sua persona. O mais importante é que eles devem fazer parte do universo daquela pessoa e devem combinar com o momento, já que eles geralmente são temporais e engajam por um limite de tempo.

E é essa informalidade que é tão encantadora nos memes. Já parou para pensar que maravilhoso seria se relacionar com seu público com a mesma linguagem que ele utiliza para se relacionar com um amigo próximo?

Screenshots

Os uso de screenshots, ou captura de tela, é um grande aliado para uma comunicação mais clara.

Quer entender o motivo? Basta pensar em alguma situação em que precisou de um tutorial para solucionar um problema em alguma ferramenta do seu computador.

Um texto pode tornar mais difícil de compreender a mensagem. A linguagem técnica, os vários passos e a falta do visual podem comprometer o processo. Porém, um screenshot apresentará exatamente as informações que você precisa saber de maneira simples, rápida e intuitiva.

4 exemplos de marcas que usam o conteúdo visual de forma estratégica

Agora que já entendeu os fundamentos e principais tipos, que tal conhecer algumas marcas que arrasam nas estratégias de marketing de conteúdo visual?

Nubank

Instagram da Nubank Brasil

O trabalho de identidade visual da Nubank é de impressionar e, obviamente, não iam se descuidar com os demais conteúdos visuais da marca.

Todas as fotografias utilizadas em seu website e em suas redes sociais são impecáveis e transmitem exatamente o espírito jovial e inovador da empresa.

São imagens de alta qualidade e que possuem uma identidade comum muito proeminente, destacada no uso da cor roxa que já virou marca registrada.

Helpscout

Blog Helpscout

O Helpscout é um software norte-americano para equipes de suporte e help desk utilizado em todo mundo.

Mas o que interessa mesmo é o motivo de estar em nossa lista: seu blog. É de encantar qualquer um! Nele são utilizadas apenas imagens vetoriais feitas especificamente para eles por um designer interno.

Netflix

Promocional Black Mirror na Netflix

A principal empresa de streaming do mundo não poderia ficar de fora da nossa lista. Mas não estamos aqui para falar sobre séries, e sim sobre virais.

A Netflix consegue utilizar memes em vídeos promocionais de séries e em suas redes sociais de modo sem igual!

E o resultado disso? A geração de um vínculo muito forte e bem construído com o seu público e o status de uma das empresas mais divertidas da internet.

Dominos

A Dominos Pizza é uma marca já consagrada por sua comunicação nas mídias sociais. Eles sabem muito bem como utilizar fotografias e vetores capazes de instigar nossos sentidos.

E ainda tem mais! Em uma campanha da empresa em 2015 eles inovaram ao lançar um emoji de pizza, que, quando tuitado, já fazia um pedido automático de pizza.

Ou seja, até mesmo um emoji pode ser considerado um tipo de conteúdo visual e pode ter grande repercussão, como foi o caso da campanha citada.

Compreendeu como o Marketing de Conteúdo Visual pode te ajudar nas suas estratégias digitais? Que tal aprofundar seus conhecimentos sobre visitando o nosso artigo sobre Geração de leads por meio de infográficos.

como fazer um infográfico

Aprenda como fazer um Infográfico incrível!

A criação de infográficos pode parecer um desafio e tanto. Afinal, é necessário mesclar um design atrativo com um conteúdo de qualidade. Mas não se preocupe, pois é muito mais simples do que aparenta Não acredita nisso? Então confira o nosso passo a passo detalhado de como fazer um infográfico incrível!

Bom, para que você seja capaz de desvendar os mistérios por trás da criação de infográficos, é preciso primeiramente compreender porque eles eles se tornaram uma tendência mundial.

O uso e veiculação destes materiais cresceu exponencialmente nos últimos anos, mais precisamente, a partir do ano de 2011, quando as buscas pelo tema aumentaram cerca de 800%.

O motivo para que isso acontecesse, foi a percepção de que, em ambientes digitais, destacam-se os conteúdos mais precisos e fáceis de serem absorvidos.

E você sabe quais são eles?

Basicamente, os que possuem algum tipo de elemento visual que seja chamativo e capaz de sintetizar as informações. Coincidência — ou não — essa poderia ser facilmente a descrição perfeita de um infográfico.

Após essa descoberta, a produção destes materiais tornou-se prioridade em muitas estratégias de marketing digital. A propósito, infográficos são 30 vezes mais aptos a serem lidos comparados a textos corridos.

Sensacional, não é mesmo?

Agora que compreendeu o contexto da ascensão dos infográficos, que tal conhecer melhor o que são e quais seus elementos básicos?

O que é um infográfico?

Os infográficos são conteúdos visuais que utilizam tanto de textos verbais, quanto não verbais — que podem variar entre imagens, ilustrações, pictogramas etc.

Trata-se de uma mistura perfeita entre texto, recursos visuais e design, na qual um complementa o outro, com o objetivo de sempre melhorar a compreensão do leitor.

Por isso, não pense que apenas a informação textual é responsável por transmitir o conhecimento, uma vez que estamos nos referindo a um trabalho em conjunto desses elementos.

Quais são os benefícios de apostar em infográficos?

Já mencionamos aqui que se tratam de uma tendência e que são conteúdos altamente atrativos, certo?

Se ainda precisa de mais razões para adotar infográficos, confira só essa lista:

  • Infográficos representam dados estatísticos de maneira mais intuitiva e fácil de ser consumida, uma vez que traduzem ou expõem números de um modo mais agradável, até por que nada mais intimidador que linhas e mais linhas de dados e gráficos incompreensíveis;
  • Têm um potencial absurdo de se tornarem virais em vista da sua atratividade e facilidade de compartilhamento;
  • Por se tratar de sua natureza viral, número maior de pessoas irá ser redirecionado para a sua página, garantindo maiores oportunidades de atingir posições mais altas nos buscadores;
  • A disposição dos elementos nesse tipo de material facilita uma leitura mais dinâmica, pois cada informação possui seu determinado espaço na peça, sendo mais fácil de ser encontrada;
  • Os infográficos podem aumentar o tráfego do seu site em 12%;
  • Podem, também, ser ótimas ferramentas de branding, uma vez que você pode — e deve — usá-los para reforçar a identidade da sua marca.

Passo a passo para um infográfico incrível

Agora que você já se inteirou sobre o maravilhoso mundo dos infográficos, chegou a tão aguardada hora de conhecer o nosso passo a passo!

1. Defina seus objetivos

Já percebeu que quando não estabelecemos um objetivo, seja em qualquer situação, tendemos a não sair do lugar?

Isso não só serve para a vida em geral, mas como também para a criação de infográficos, pois é essencial saber quais resultados pretende-se obter e, talvez ainda mais importante: por que e para quem produzir um material como esse?

Para encontrar a resposta desta pergunta, é necessário, ainda, obter as seguintes respostas:

Quem é a minha persona?

A definição da persona que deverá entrar em contato com o seu infográfico deve ser prioridade, afinal, esse dado determinará o tipo de abordagem, a linguagem a ser utilizada, o estilo visual e muito mais.

Aprenda como criar sua persona agora mesmo com o Guia para Criação de Personas:

O guia para geração de Personas

Qual dúvida meu conteúdo pretende sanar?

Em seguida, entender qual problema você gostaria de solucionar é uma das bases para desenvolver o restante do material, pois só assim saberá sobre o que escrever e, melhor ainda, poderá refletir se o tema do conteúdo é, de fato, relevante para sua persona.

Nada mais frustrante do que gastar tempo desenvolvendo um infográfico incrível que simplesmente não interessa a ninguém, concorda?

Qual retorno quero obter com esse material?

Esse questionamento vai até mesmo além da criação do conteúdo, uma vez que ele se relaciona a toda a sua estratégia de marketing digital.

Portanto, não se preocupe em passar um tempinho a mais pensando na resposta e definindo os objetivos visados com o infográfico, pois é essencial que ele esteja bem alinhado com a sua proposta e negócio.

Onde ele será veiculado?

A resposta para essa pergunta está intrinsecamente relacionada a sua estratégia e a sua persona.

Por meio dela, você definirá as plataformas mais propícias para veicular seu material, a fim de ganhar engajamento por parte do público e, também, para determinar o formato do seu infográfico.

2. Colete dados, muitos deles

Os infográficos são considerados como materiais ricos, portanto é preciso que eles contenham informações e dados interessantes, atuais e, principalmente, confiáveis.

Assim, o próximo passo é sair em busca destas informações pela web. Consulte sites que são referência no tema proposto, pesquisas — como as produzidas pela Inteligência Rock Content — e também não deixe de extrair dados de sites estrangeiros.

Nesse momento, sinta-se livre para pegar quantas informações quiser, encher páginas e páginas de referências e favoritar milhares de sites, pois isso só vai te ajudar a ter uma compreensão ainda mais ampla sobre o assunto, além de facilitar o cruzamento de dados e a verificação de informações duvidosas.

Dica: não se esqueça de sempre deixar anotado quais são as fontes de cada informação, muitos infográficos expõem suas fontes de pesquisa no rodapé, conferindo credibilidade à peça e a sua marca.

3. Selecione e redija

Chegou a hora de desapegar!

Você se lembra de todos aqueles dados e números incríveis?

Então, é preciso selecionar entre eles os melhores, com base em quais se adequam a sua proposta e quais são mais interessantes para a sua persona.

Elimine também dados muitos parecidos, os menos atuais e os que não causam tanto impacto já que nosso objetivo com o infográfico é chamar a atenção.

Feito isso, prepare-se para encaixar tais informações em pequenos blocos de texto, além de criar um título memorável.

Aposte em palavras que transmitam a ideia de algo inédito, surpreendente.

4. Faça um esboço

Como qualquer artista, antes de pegar o pincel — ou o mouse — é preciso fazer um esboço de sua arte final.

Dessa forma, defina o lugar onde cada informação e elemento visual se encaixará. Se preferir, faça até mesmo variações e veja qual mais o agrada.

Trata-se de uma passo importantíssimo, pois poderá definir com antecedência a hierarquia das informações, disposição de alguns elementos, o estilo e muitas outras particularidades do seu material.

Para além disso, você conseguirá planejar com mais cuidado cada detalhe da peça, evitando errinhos bobos e garantindo a assertividade do seu conteúdo.

5. Crie seu infográfico! (finalmente)

Chegou o momento de dar vida ao seu infográfico! Mas antes deve escolher de que modo quer fazê-lo.

Existem duas opções: (1) utilizar softwares de design gráfico, como os da Adobe, ou (2) usar ferramentas de edição gratuitas.

Independente de que modo você decida prosseguir, deverá definir algumas características de design do seu material, como:

  • Layout: No caso dos templates não há muito o que fazer quanto ao layout. Mas para quem optar por construir seu o layout do zero, é preciso pensar em um fluxo natural de informação, que seja intuitivo e claro para o leitor. Para ajudar nessa missão, uma boa saída é usar grids.
  • Uso das cores: É importante que você siga a paleta de cores institucionais, a fim de garantir uma coesão entre seu conteúdo e a sua marca.
  • Tipografia: Selecione uma fonte que possua boa legibilidade e que se relacione bem com o estilo do infográfico. Ou seja, caso seu material siga por um caminho mais despojado, por que não investir em uma fonte que represente essa mesma ideia?
  • Tamanho: Esse elemento dependerá de onde irá divulgar sua peça — no Facebook ou seu próprio blog, por exemplo —. Por isso, atente-se aos tamanhos mais utilizados nesse meios e os que garantem maior legibilidade.
  • Ilustrações: Agora que já tem uma visualização de como seria seu infográfico, pense em quais tipos de elemento visuais gostaria nele. Você pode usar pictogramas, ícones, ilustrações vetoriais, fotografias e, também, GIF’s!
  • Respiro: A área de respiro no design parte da ideia de deixar alguns espaços em branco ou sem elementos, de modo que exista uma distância adequada entre cada um deles. Isso permite que a informação salte ao olhar mais facilmente.

6. Revise e faça testes

Já na reta final do processo de criação temos a etapa de revisão e testes. Muitas vezes ignorada, trata-se de uma fase essencial para o sucesso de todo e qualquer conteúdo. Afinal, pensar que não cometemos erros é o primeiro deles, concorda?

Por isso, leia e releia quantas vezes for necessário, confira se todos os textos e dados estão corretos, se as fontes de pesquisa foram inseridas, se é agradável aos olhos e se o infográfico apresenta um bom desempenho em diferentes dispositivos.

7. Gere tráfego e leads

Finalizados todos os passos anteriores, faltará apenas inserir um call to action — ou chamada para ação — direcionando sua persona ao que ela deverá fazer em seguida.

Seria ler um blog post? Baixar um eBook? Compartilhar o material nas redes sociais?

Você definirá isso de acordo com os objetivos da sua estratégia, traçados na primeira etapa deste guia.

Crie muitas oportunidades de vendas!

Confira O Guia da Geração de Leads e aprenda como criar oportunidades de vendas para seu negócio!



 

A, e não se esqueça, divulgue e promova seu infográfico nas redes sociais. O engajamento do seu público ao compartilhar o material pode alavancar seus resultados e surpreender!

Gostou do nosso passo a passo?Então confira também o nosso infográfico metalinguístico de como fazer um infográfico:
 

Me convenceu, e agora?

Para te dar um reforço ao longo desse processo todo, selecionamos algumas dicas bônus para te auxiliar a produzir o melhor infográfico possível. Confira:

  • Não existe um formato padrão para infográficos. Ao mesmo tempo, para que a peça se adeque melhor a diversas mídias, o ideal é que ela tenha, no máximo, 700 pixels de largura.
  • Na hora de buscar ícones e pictogramas para inserir no seu material, você pode utilizar o Freepik. E o melhor: ele é gratuito!
  • Utilize embed codes para que seu infográfico seja incorporado automaticamente ao seu blog. Dessa forma, você poderá divulgar também a rede social em o conteúdo foi postado e, ainda por cima, evita de ficar postando várias vezes o mesmo material em diferentes plataformas.

6 ferramentas para ajudar na criação de infográficos

Assim como falamos no passo número 5, você pode fazer seus infográficos com ajuda de ferramentas online gratuitas, por exemplo:

Para utilizar qualquer uma delas basta se cadastrar, selecionar um layout que mais tenha a ver com o seu conteúdo e inserir as informações. Depois disso, é só ir adequando às suas preferências e voilá!