Laura Ribeiro

Redatora na Rock Content.

Formada em Comunicação Social com complemento em História, e especializada em criação narrativa para redes sociais. Isso quer dizer que costuro, jogo e leio algum livro enquanto posto no Twitter.
27 publicações feitas.



Como ganhar seguidores no Instagram

[Infográfico] Como ganhar muitos seguidores no Instagram: descubra com essas 27 dicas infalíveis

Quer aprender a receita do sucesso no Instagram? Confira nosso infográfico que vai te ensinar 27 dicas para ter mais seguidores engajados!

O Instagram é hoje uma das redes sociais de maior expressão no mundo online e garantir o território da sua empresa é uma jogada inteligente na busca por novas leads.

Você já sabe como funciona o Instagram, não é mesmo?

A rede cresceu de maneira impressionante nos últimos anos, alcançando a marca de mais de 600 milhões de usuários ativos, superando o Twitter, Pinterest e o queridinho Snapchat.

Saber se comunicar com seu público por esse meio garante uma boa vantagem para sua empresa.

Mas antes disso é preciso saber como conquistar seguidores que engajem com suas postagens.

Foi pensando nisso que separamos aqui hoje 27 maneiras de conquistar novos seguidores no Instagram para sua marca. Continue lendo para descobrir mais!

Tamanho de imagem nas redes sociais

Por que investir no Instagram?

Se o número de mais de 600 milhões de usuários ativos na rede não lhe convenceu, talvez saber que o uso de imagens no marketing de conteúdo traz resultados expressivos para qualquer tipo de negócio ajude a convencê-lo. Você sabia que 90% da informação enviada ao cérebro é visual?

Além disso, o Instagram tem hoje mais de 60% de usuários totais logados diariamente, com uma média de compartilhamento de 95 milhões de fotos por dia.

Se sua persona interage no Instagram, não existem desculpas para não estar online também nessa rede, aproveitando do canal de comunicação para criar vínculos cada vez mais próximos com o seu público.

Investir no Instagram não demanda muita coisa: atenção com as tendências, cuidado com o tom da conversa, postagem frequente e interação online já garantem um bom primeiro passo.

Portanto, não perca mais tempo e vá agora criar seu perfil na rede!

E se eu quiser… comprar seguidores?

Se você ainda acredita que comprar pacotes de seguidores é a melhor alternativa para seu negócio, é melhor parar e repensar sua estratégia de marketing (e o mesmo vale para a compra de listas de email!)

Comprar usuários no Instagram significa que você está adicionando, de maneira não orgânica, uma enorme quantidade de números que logo se tornarão enfeite no seu perfil.

Essas adições incluem uma boa quantidade de perfis fakes, usuários inativos e, o pior de tudo, usuários ativos que não estão nem aí para seu nicho.

Lembre-se sempre de que números, por si, não garantem venda nem popularidade. É preciso que você leve em consideração engajamento, conversões e outras métricas que não sejam apenas de vaidade.

MATERIAIS COMPLEMENTARES PARA TER UM PERFIL DE DAR INVEJA NO INSTAGRAM!
Marketing no Instagram: Como ter um perfil de sucesso (Ebook COMPLETO)
Como melhorar o seu alcance orgânico no Instagram: Alcance mais pessoas, aumente o engajamento e tenha melhores resultados!

27 dicas para ganhar mais seguidores no Instagram

ganhar seguidores no instagram
Para inserir o infográfico no seu site, copie o código abaixo:

<a href="https://rockcontent.com/blog/como-ganhar-seguidores-no-instagram/" target="_blank"><img title="Infográfico Instagram Rock Content" src="https://rockcontent.com/blog/wp-content/uploads/2016/10/como-ganhar-seguidores-no-instagram-1.png" alt="Infográfico Instagram Rock Content" width="700" height="5818" /></a>

1. Conecte seu Instagram às outras redes sociais

Para divulgar seu perfil e aumentar o número de seguidores, a primeira coisa que você precisa fazer é conectar sua conta às suas outras redes sociais.

Para isso, acesse a área de opções do aplicativo, escolha “contas vinculadas” em Configurações e então selecione as alternativas de sua preferência.

como-ganhar-seguidores-no-instagram

Você ainda pode compartilhar suas imagens em outras plataformas, como o Facebook, Twitter, Flickr, Tumblr, Swarm, VKontakte, Ameba e OK.ru, aumentando o alcance de suas publicações e as chances de ser visto e descoberto por outros usuários.

2. Saiba como usar as Hashtags

Uma hashtag é feita da junção do símbolo da cerquilha (#) com alguma palavra que você queira apresentar como descrição daquela postagem.

Você já deve ter visto por aí algumas super populares como #lookdodia ou #instafood em postagens no Instagram, Twitter ou mesmo no Facebook. O uso adequado desse recurso permite que os usuários encontrem o seu negócio com muito mais facilidade, além de permitir a organização de seu conteúdo por categorias dentro da rede.

Tente sempre utilizar hashtags que tenham relação direta com a sua imagem e evite o flood.

Por mais que isso aumente o alcance do seu negócio, atrapalha, e muito, a experiência do usuário que já acompanha suas postagens.

Caso queira, porém, é possível utilizar a área de comentários da sua postagem para colocar as hashtags sem poluir a timeline alheia.

3. Busque fotos interessantes de verdade

Outro fator que faz toda a diferença no engajamento dos usuários do Instagram é a qualidade das fotos que você posta.

Não tenha medo de ousar nos ângulos, em experimentar uma boa iluminação ou optar pela boa qualidade na hora de tirar suas fotos. Esse diferencial pode garantir umas boas curtidas e chamar a atenção de quem estiver passeando pela timeline.

Também é fundamental a definição de uma identidade visual específica para seu negócio, assim você tem muito mais chances de ter uma foto reconhecida como sua em qualquer lugar da rede.

Quer um exemplo?

Confira a conta da @RockContent e repare como as fotos, vídeos e imagens têm um padrão bem definido. Isso ajuda a estabelecer um vínculo muito mais forte com o usuário.

Lembre-se também que é fundamental entender o que faz sucesso com a sua persona. Experimentar é a chave para o alinhamento da sua marca com os interesses do público, e esse é um passo importante na hora de garantir o seu engajamento.

4. Esteja presente na rede

A sua presença nas redes sociais é importantíssima na hora de manter o público interessado no seu conteúdo. De nada adianta você seguir todas as dicas, postar fotos incríveis, fazer os melhores comentários e só abrir o Instagram uma vez por semana.

Para aumentar as taxas de engajamento, você precisa ser um heavy user da rede social.

Não economize nas curtidas nas fotos de outros usuários, comente quando tiver algo relevante a dizer (sem propaganda disfarçada de comentário!) e mantenha um bom ritmo de postagem.

Também vale recompartilhar de imagens de outras contas de influência na sua área de atuação. Quem sabe isso até não garante uma menção com link para seu perfil?

5. Alimente o engajamento na sua conta

Suas postagens não receberão interações se você não tomar a iniciativa.

Portanto, dê o primeiro passo e estimule esses novos contatos. Curta, comente e marque as fotos mais legais que encontrar, sempre optando por postagens que tenham relação com o seu negócio ou de pessoas influentes na área.

Uma boa alternativa é começar conversas com os usuários em suas próprias postagens, ou mesmo saber responder quem dedica um tempo para comentar nas suas fotos. Assim você mostra que está ativo e se importa com os visitantes.

Quer avaliar o engajamento do seu perfil? Acesse nossa ferramenta gratuita:

“>Ferramenta Instagram Analytics

6. Aproveite da alternativa de posts patrocinados

Assim como nos anúncios pelo Facebook, o uso de posts patrocinados pelo Instagram permite a segmentação do público de interesse, o que otimiza – e muito – os resultados de suas campanhas.

Aproveite das possibilidades abertas pela inserção de postagens patrocinadas para divulgar eventos, oferecer vantagens e chamar a atenção do público que ainda não segue o seu negócio, garantindo assim, que mais usuários tenham acesso às suas novidades.

Não se esqueça, porém, que essa alternativa demanda um investimento proporcional ao sucesso de sua campanha, e precisa ser muito bem planejada para gerar os resultados desejados.

7. Varie no conteúdo

Experimente variar no formato de suas postagens, valendo-se das alternativas de vídeo e imagens que podem ser subidas pelo Instagram.

Quando bem pensados, os vídeos possuem uma taxa de engajamento três vezes mais alta que as imagens, então faça bom uso da ferramenta e capriche na edição para que os usuários interajam com a marca.

Vale de tudo aqui: demonstração de produtos, making of, entrevistas, preview de lançamentos e tudo mais que sua marca puder produzir. O importante é ser consistente com a sua proposta de marketing.

8. Aprenda com a concorrência

Sabe aquela ação super descolada que seu concorrente fez e gerou um ótimo resultado? Você pode – e deve – aprender com ela e aplicar o que puder absorver no seu próprio negócio.

Mas e as ações que falharam?

Essas também precisam ser analisadas e, acredite ou não, podem acabar ensinando muito mais do que o sucesso da concorrência.

Isso porque esse tipo de análise será fundamental para você entender melhor o público com o qual a sua concorrência lida e que, em algum momento, pode acabar se tornando o seu próprio.

Por isso, siga a concorrência e mantenha-se atento para toda e qualquer interação na rede. Comentários, curtidas, postagens e ações diferenciadas precisam ser monitoradas o tempo todo para você não ficar para trás.

9. Saiba gerenciar suas contas

Existem vários aplicativos que auxiliam, e muito, na gestão das suas contas no Instagram. Com múltiplas contas ativas fica muito mais fácil manter a frequência de postagens, além do acompanhamento da performance de cada uma.

Apps como o Bume, Latergram, Instamizer, TakeOff, Machinegram e o Schedugram, por exemplo, ajudam nesse processo de monitoramento e podem, inclusive, garantir algumas funções extras como o agendamento de postagens.

Há ainda uma enorme diversidade de aplicativos que podem ser úteis, como o InstaCommentor, que monitora e gerencia os comentários; o InstaFollow, que revela quem deixou de seguir a marca. Cabe ao responsável pela página descobrir quais são as melhores ferramentas disponíveis para o seu negócio.

ebook marketing nas redes sociais

10. Desenvolva um calendário editorial

A organização é a chave para o sucesso em qualquer estratégia de marketing digital, e um calendário editorial pode economizar tempo e garantir uma boa distribuição de conteúdo ao longo do ano e, principalmente, em datas sazonais, como o Natal, a Páscoa ou o aniversário da empresa.

É claro que existem postagens de momento, mas é extremamente importante ter definido o conteúdo a ser postado previamente.

Afinal, uma boa estratégia exige tempo para ser planejada e, com um bom calendário desenvolvido, você pode alterar o roteiro em qualquer situação incomum.

11. Encontre o tom da sua marca

Não adianta tentar repetir a fórmula: cada negócio tem um tom específico para tratar com seu público, e isso depende tanto da maneira como você se posiciona diante de sua persona quanto da maneira como ela consome e interpreta a sua marca.

Por isso, é preciso adaptar a maneira como você se comunica com base na idade, no nicho e no tipo de produto oferecido para garantir que ela possa criar um senso de identificação no receptor.

A informalidade e o uso de gírias podem não ser ideais para todos os segmentos, daí vale experimentar e ver o que realmente funciona com o seu negócio.

12. Apoie causas sociais

Não tenha medo de aderir a algum movimento interessante pelas redes. Vale avaliar o posicionamento ideológico de sua empresa e então mostrar-se empático nas lutas por melhorias sociais.

Sua empresa atua no ramo de Pet Shops? Considere promover campanhas de adoção de animais e produzir conteúdo de conscientização. Seu negócio está envolvido com a produção de eventos? Planeje ações beneficentes para entidades reconhecidas.

O posicionamento inteligente ajuda no engajamento e comunicação com seu público, além de, é claro, promover ações por um mundo muito melhor.

13. Interaja com outras marcas

Os seguidores não são o único público de uma empresa B2C.

A interação com outros stakeholders, como os parceiros de negócios, fornecedores e até mesmo concorrentes pode ser uma excelente estratégia para expandir as possibilidades comerciais e ajudar na promoção de sua marca.

Existem diversos exemplos de cases de interação entre marcas nas redes sociais envolvendo grandes empresas. Comentários, citações e hashtags são sempre bem-vindas nesses casos e podem até trazer algumas parcerias e guestposts interessantes no Instagram.

14. Entenda como funciona a rede

Saber os dados e principais estatísticas do Instagram ajudam, e muito, na hora de planejar o seu roteiro pela rede.

Claro que essa familiaridade só virá com o hábito constante de postagem e interação, mas você pode pegar um atalho e aproveitar de algumas informações valiosas para quem está chegando agora no Instagram:

  • “50% dos textos do Instagram são acompanhados por algum Emoji.” Via SproutSocial
  • Fotos que mostram algum rosto têm 38% mais likes que os outros tipos de fotos.” Via Gatech
  • Imagens com espaço negativo grande geram 29% mais curtidas que aquelas com pouco espaço livre.” Via SproutSocial
  • Posts que usem tanto de Hashtags, quanto da localização definida no mapa, geram muito mais engajamento que as outras.” Via Simplymeasured
  • Um estudo de 55 marcas ativas no Instagram registrou que a média de postagem é de um post e meio por dia” Via UnionMetrics
  • Os usuários perdem, em média, 70% do que é postado diariamente pelas contas que segue.” Via Instagram

Claro que isso é apenas uma introdução básica. Com o tempo você entenderá melhor como o seu público se porta e terá muito mais material para planejar as suas estratégias de marketing na rede social.

15. Promova sorteios exclusivos

Uma das maneiras mais simples de se conseguir novos seguidores é por meio da realização de sorteios que peçam o compartilhamento de conteúdo. Pelo Facebook e Twitter essa ação é simples, mas pelo Instagram pode acabar pedindo um pouco mais de adequação ao formato da rede.

Você pode sugerir, por exemplo, que os interessados na promoção sigam sua conta e compartilhem uma foto específica por meio do Regrann, um app específico para isso.

Caso prefira, porém, é possível aproveitar da imersão das redes sociais e solicitar, como uma das condições de participação da promoção, que a pessoa compartilhe sua foto do Instagram pelo Facebook, utilizando alguma hashtag própria para o evento.

O ideal aqui é saber como sua persona se comporta a fim de conseguir os melhores resultados. Caso um formato de sorteio não tenha gerado o engajamento esperado, experimente alternar o prêmio, as redes integradas, o prazo para o sorteio, as condições de participação etc.

16. Monitore e analise resultados constantemente

A análise dos resultados é uma estratégia extremamente eficiente em qualquer tipo de mídia no meio digital. E é claro que isso não seria diferente pelo Instagram. Existem várias ferramentas que auxiliam na coleta de dados da plataforma, como o Bume, Iconosquare, SimpleMeasured, InstaFollow, Union Metrics e Crowdfire.

Definir metas e métricas é um dos principais passos na formulação da sua estratégia online, e elas serão essenciais para o acompanhamento de resultados e visualização da necessidade de mudanças de posicionamento.

Por isso, foque em construir metas realistas a curto e longo prazo, de modo que seja possível observar a evolução do seu negócio sem deixar de garantir espaço para reformulações de emergência.

Guia do IGTV para Empresas

17. Não tenha medo dos testes

Com o suporte oferecido pela coleta de dados, métricas e outras informações, a realização de testes para a readequação da estratégia online fica muito mais fácil.

Faça postagens semelhantes em horários ou dias diferentes e observe qual tem o melhor desempenho.

Analise o tamanho do texto, linguagem, qualidade das imagens, mix de conteúdo, utilização de hashtags etc. e descubra quais possuem melhores índices de engajamento.

Anote os resultados e descubra como sua persona se comporta diante de sua marca, e não tenha medo de arriscar.

Se os resultados não estiverem variando, vale também considerar fazer uma pesquisa com seu público para saber, diretamente dele, quais os pontos fortes e fracos da sua estratégia no Instagram.

18. Personalize o seu perfil

O espaço destinado ao preenchimento da Bio no Instagram pode ser utilizado por sua empresa de maneira inteligente e estratégica.

Aproveite dessa área para listar os principais links do seu negócio, priorizando o website, blogs e, por fim, redes sociais como o Facebook, por exemplo.

19. Encontre o timing ideal para suas postagens

O timing é outro favor que deve ser considerado na hora de postar qualquer novo conteúdo. Aproveite dos momentos de pico e distribua suas postagens de modo a maximizar as chances de visualização.

O timing também vale para datas comemorativas, campanhas de conscientização e datas comerciais como o Black Friday e Cyber Monday, por exemplo. Portanto, esteja atento e não desperdice a oportunidade de postar algo bem alinhado.

20. Descubra os aplicativos satélites do Instagram

O Instagram possui dois aplicativos satélites: O Layout, utilizado para reorganizar mais de uma foto dentro de um mesmo quadro, e o Boomerang, utilizado para criar pequenas animações em loops com os seus vídeos.

Ambos permitem que você exporte o conteúdo para o instagram e disponibilize-o na sua timeline, criando postagens diferenciadas que podem ajudar na taxa de engajamento.

21. Aproveite das funções de geotagging da rede

As informações geográficas podem ser extremamente interessantes para um negócio, mas principalmente para produtos e serviços que possuem pontos específicos de venda ou promoção de eventos.

Portanto, sempre que postar uma foto, mostre aos seus seguidores onde ela foi feita e não tenha medo de marcar no seu mapa.

Muitos usuários fazem buscas por locais próximos, e essa pode ser uma ótima oportunidade de conseguir mais visualizações. Além disso, você também usar essa alternativa para filtrar os usuários e saber quem está nas proximidades do seu negócio.

22. Utilize mais de um canal para promover o seu perfil no Instagram

Se sua empresa tem outras redes sociais (e é importante que tenha) você pode aproveitar do seu alcance para divulgar o perfil do Instagram. Sempre que compartilhar uma foto, por exemplo, tente colocar o link para o Insta, distribuir algumas hashtags ou indicar um atalho nos perfis das redes.

Se você possui um mailing, convide os seus contatos para o seguirem também no Instagram.

O mesmo vale para o blog, site oficial e material gráfico, como banners, outdoors e flyers. Mesclar as estratégias online o offline do seu negócio pode ser a chave para o sucesso na conquista de mais seguidores no Instagram.

23. Use as postagens em modelo carrossel

O modelo carrossel do Instagram permite que várias fotos sejam inseridas em uma única postagem.

Ele é interessante para agregar conteúdo comum, fazer postagens que tenham continuidade ou até mesmo que contem uma história (abuse do Storytelling!).

Esse formato, além de evitar o flood no feed, gera valor e aumenta o tempo de interação entre o usuário e suas postagens.

24. Explore do potencial do Instagram Stories

O Instagram Stories foi a última atualização de peso na rede, e você precisa estar presente se quiser engajar com sua marca.

Essa alternativa permite que você, assim como no Snapchat, grave vídeos pequenos ou tire fotos com o diferencial do tempo de expiração de 24 horas. Ou seja, todo conteúdo que você subir para a linha Stories do Instagram expirará dentro de um dia, ficando inacessível para outros usuários da rede.

Com o Stories você pode investir em cupons com data de validade, conteúdo exclusivo por trás das câmeras e, claro, adotar um tom bem mais informal para suas postagens.

Ebook Instagram Stories

25. Faça Guest Posts

Isso mesmo que você leu. Pelo Instagram também vale a regra do Guest Post, e essa pode ser uma ótima alternativa para criar novas relações de trabalho e garantir mais seguidores para seu perfil.

Experimente fotografar o produto da empresa parceira juntamente do seu, e invista em uma legenda criativa. Você pode até sugerir alguma brincadeira entre as duas marcas, integrando as postagens e adotando um tom mais informal.

A vantagem do Guest Post é que ele é uma forma gratuita de divulgação que trará benefícios para todos os participantes.

26. Escreva legendas interessantes

Muitas empresas acabam negligenciando as legendas em detrimento da foto, mas esquecem-se que o conteúdo engloba tudo aquilo que sua empresa coloca na rede, independente de ser texto, imagem e, até mesmo, emojis.

Experimente fazer textos interessantes ou que inspirem o seu público. Vale também considerar perguntas para aumentar o engajamento ou mesmo CTAs que convidem o público a comentar com alguma história interessante.

O importante aqui é não deixar a legenda para o final. Ela precisa estar condizente com sua imagem e é ainda uma poderosa ferramenta de engajamento

27. Saiba usar CTAs nas suas postagens

CTAs, ou Call-to-actions, são aquelas pequenas chamadas que colocamos ao final de um conteúdo convidando o leitor a tomar alguma ação.

No Instagram você pode aproveitar da área de legenda para inserir CTAs que intriguem sua persona e a leve a descobrir mais sobre seu negócio.

Considere um CTA com link para suas outras redes sociais, CTAs que chamem o usuário a comentar na sua postagem ou a compartilhar alguma experiência. Vale sugerir download de material rico, curtir suas fotos, se tornar um seguidor, conhecer alguma campanha, visitar o seu blog, se inscrever na newsletter etc.

Lembre-se apenas de adequar o CTA ao tom de conversa com a persona e à imagem postada. Coerência é tudo no Instagram.

Todas essas dicas podem ajudar na construção de uma legião de fãs para seu Instagram, mas não se esqueça de que o mais importante é você saber se comunicar e manter uma consistência no tom de voz da sua empresa.

Uma boa identidade visual, conhecimento aprimorado da persona e o conteúdo de relevância podem fazer maravilhas para qualquer estratégia de marketing digital, e o mesmo vale para o Instagram.

Lembre-se que as pessoas estão nessa rede para compartilhar bons momentos, portanto, pergunte-se o que sua empresa pode fazer para contribuir nesse sentido.

Enquanto isso, aproveite para estudar mais e não deixe de baixar nosso ebook completo sobre marketing no Instagram!

Baixe o ebook Marketing no Instagram

live video

Live vídeo: descubra como transmissões ao vivo podem ser úteis para sua estratégia de marketing

Transmissões ao vivo já têm espaço cativo nas estratégias de grandes empresas como Starbucks, Chevrolet, Buzzfeed, Sephora e Snickers.

Esse formato de vídeo ganhou espaço nas redes sociais e vem cada vez mais para mostrar que existe alternativa de programação para além da mídia tradicional. 

Você quer se aproximar do seu público?

Quer formar laços de confiança?

Quer deixar sua marca mais forte?

Quer mostrar o lado humano de sua empresa?

Então já passou da hora de investir nas transmissões ao vivo.

Continue lendo o texto de hoje e descubra como aproveitar de todo o potencial do Live Vídeo na sua estratégia de marketing.

Transmissões ao vivo: como elas se aplicam ao marketing?

Hoje em dia não é mais possível pensar em uma estratégia completa de marketing sem a integração de conteúdos em vídeo.

Seja uma palestra, uma propaganda ou até mesmo uma animação, a verdade é que o seu negócio precisa estar preparado para lidar com as transformações nas demandas do público, e isso inclui um formato que permita cada vez mais interação com a persona.

É nesse cenário que surge o Live Stream.

Esse formato de transmissão engloba uma série de valores que fazem toda a diferença na gestão de seu público e suas mídias sociais, tais como:

  • Imediatismo: Uma transmissão ao vivo só existe na condição de “ao vivo” naquele instante imediato em que ela é produzida. Mesmo que um usuário tenha acesso posterior à gravação, a experiência jamais será a mesma daquela proporcionada pelo Live Vídeo.
  • Singularidade: Cada transmissão é única. Não adianta ensaiar e tentar reproduzir um vídeo ao vivo, isso é impossível. A interação com o público, a escolha de palavras, o contexto e tom de vozes não podem ser replicados, e é isso que as torna tão desejáveis.
  • Interatividade: Aqui está o ponto chave da transmissão ao vivo. As possibilidades de interação com os seus usuários fazem com que eles entendam a importância que têm para a empresa. Não só isso, uma transmissão ao vivo abre espaço para a coleta de feedbacks em tempo real e solução de dúvidas pontuais sobre o serviço ou produto oferecido.

O que uma transmissão ao vivo realmente oferece ao público é esse contato humanizado que pode ser estabelecido em favor de sua marca.

Você pode preparar bate papos, jogos, exposição de novos produtos, bastidores, coleta de feedback, sessão de perguntas e respostas, transmissão de eventos, shows e palestras na empresa, cotidiano de seus colaboradores e tudo mais que couber nas demandas da sua persona.

Com as transmissões ao vivo o seu negócio sobe para um patamar diferenciado no que diz respeito à interatividade com o público, que só tem a ganhar desse novo canal de comunicação.

Quais os empecilhos?

E se as transmissões ao vivo são tão benéficas, por que poucas empresas brasileiras apostam nessa alternativa?

A resposta é simples: medo.

Medo de errar, medo de comprometer o nome da empresa, medo de colocar uma palavra fora do lugar e, principalmente, medo de não fazer sucesso.

As limitações de aparelhagem também ficam no caminho de diversos empreendedores, mas, na era dos celulares de alta performance, isso é o de menos.

O que mais pesa, ainda hoje, é a ideia de que toda apresentação ao vivo precisa ser impecável, e que cada palavra precisa antes ser ensaiada.

Esqueça essa ideia.

O que mais conta na apresentação ao vivo é a fluidez com que você consegue transmitir as ideias que preparou.

Nada de memorizar suas falas. Aproveite de ferramentas como slides, por exemplo, para não perder o ritmo da apresentação, e concentre-se em ser agradável e se comunicar com o seu espectador.

Treinar a voz, assistir a vídeos da concorrência e separar os assuntos que devem ser abordados em tópicos são algumas estratégias que podem ser adotadas para ajudar na hora de apresentar o seu vídeo ao vivo.

Como fazer uma transmissão ao vivo?

YouTube

Quando o assunto é vídeo, é natural que o Youtube seja a nossa primeira opção.

A rede social está entre as mais importantes para os brasileiros, e já conta com mais de 6 bilhões de horas de vídeos assistidos mensalmente.

Na hora de transmitir seus vídeos online, porém, é preciso atenção: a rede oferece duas opções diferentes de formatação do conteúdo (“transmitir agora” e “eventos”) para além da alternativa mobile.

A principal diferença entre elas está nas suas opções de controle da transmissão.

Se você começar o seu live vídeo por meio da alternativa “Transmitir agora”, o Youtube tratará de detectar automaticamente o frame e resolução da transmissão. Assim, quando estiver online, a rede fará uma redução dos dados de modo a permitir que usuários que dependam de resoluções mais baixas também tenham acesso ao conteúdo.

Para a opção de “Eventos”, porém, você tem muito mais liberdade na criação de sua transmissão ao vivo, podendo definir horário de início, múltiplos canais de stream, privacidade e até mesmo testar com antecedência para checar o equipamento

Mas lembre-se de que, antes de tudo, é preciso ter atualizado no seu computador o software de codificação utilizado pela rede.

Pelo smartphone, basta acessar o app e depois clicar no ícone de câmera que fica na barra superior.

Transmissão ao vivo no Youtube

Foto: Helito Bijora

Caso deseje, você pode adicionar um título, usar filtros e conferir comentários e acessos instantâneos.

Uma das maiores vantagens do Youtube Live está no seu Analytics que, além dos dados de acesso, mostram também informações como sexo e localidade dos espectadores. Caso queira, um relatório completo fica disponível para download após o final da transmissão.

Facebook

Dentre todas as opções de transmissão ao vivo, a mais popular ainda é a do Facebook.

Ter a exibição de vídeos atrelada à sua fanpage é uma vantagem e tanto, portanto, é fundamental entender como funciona essa ferramenta na rede social mais popular do mundo.

Para começar, abra a página do Facebook no seu navegador e clique na área “No que estou pensando?” no topo do feed de notícias.

Em seguida, selecione a opção “Vídeo ao vivo” e, caso queira, adicione uma descrição.

live no facebook

Por fim, clique em “Transmitir ao vivo” e pronto, seu vídeo será exibido para seus seguidores depois de uma contagem de três segundos.

Durante toda a transmissão é possível acompanhar quem está assistindo, comentários, compartilhamentos, alcance e reações deixadas por seu público.

Cada Live Video pode durar até 4 horas e, pelo Facebook, é possível selecionar uma audiência específica que terá acesso ao conteúdo.

Essa é uma vantagem para quem trabalha com diferentes púbicos segmentados, além de ajudar no controle do tipo de conteúdo que chega a cada uma de suas personas.

Por fim, a transmissão ao vivo pelo Facebook garante que os usuários que mais interagem com sua marca recebam uma notificação a respeito do seu vídeo – que rankeará melhor que conteúdos em texto e imagens estáticas na rede.

Instagram

O Instagram Live oferece uma plataforma um pouco mais intuitiva na hora de gravar os seus vídeos, com a diferença de que cada transmissão ao vivo ficará disponível por apenas mais 24h após a exibição.

Essa alternativa faz parte do polêmico Stories, que hoje é um segmento importantíssimo para o Instagram, com mais de 100 milhões de usuários ativos diariamente.

Graças ao clima de imediatismo do Instagram Stories (quando comparamos com outras redes como o Twitter ou Facebook) o ideal é fazer uso da alternativa de Live Video apenas para questões mais casuais.

Bate papos e demonstrações rápidas de produtos encaixam bem com a dinâmica do Instagram, ao contrário de longas palestras e shows, que ficam melhor no formato do Facebook.

Para usar o modo ao vivo é bem simples:

  • Abra o aplicativo;
  • Selecione a opção de Stories no canto superior esquerdo;
  • Arraste a tela para a esquerda para selecionar a opção “ao vivo”;
  • E pronto.

Cada transmissão pode ter a duração máxima de 1h, usuários ao vivo ganham uma marcação ao redor de seu avatar no Stories e ainda podem aparecer na aba de “descobertas” do Instagram.

Assim como no Facebook, pelo instagram Live é possível acompanhar quem visualiza sua transmissão, comentários, reações etc. Caso seja necessário, é possível também banir algum usuário tóxico daquele vídeo.

 Twitter

A alternativa de vídeos ao vivo pelo Twitter não é tão popular hoje em dia, mas para empresas que têm forte presença na rede, pode ser uma boa opção.

A funcionalidade de transmissão ao vivo foi implementada em meados de 2016, quando a rede decidiu que seria uma boa ideia herdar algumas características do antigo Periscope.

Para fazer sua transmissão, basta selecionar a opção “Ao vivo” que aparece no app assim que você pede para compor uma nova mensagem.

Live vídeo no Twitter

Durante a transmissão você terá acesso aos comentários, número de espectadores e curtidas.

Depois da exibição o seu vídeo pode ficar disponível para visualização na timeline do Twitter, e será automaticamente enviado ao Periscope, mesmo que você não tenha uma conta por lá.

Caso queira outras opções de plataforma para Live Stream, considere também redes como:

  • UStream
  • Justin.Tv
  • LiveStream
  • Twitch
  • Veetle

4 marcas que já usam de transmissões ao vivo no marketing

Se você ainda tem dúvidas a respeito da efetividade de uma estratégia que contemple o uso de transmissões ao vivo, é bom conferir essa lista que preparamos com 4 empresas incríveis que já uniram essa alternativa com os seus esforços no marketing digital.

Dunkin Donuts

A Dunkin Donuts é uma empresa especializada em – adivinhe – donuts. Sua sede americana tem lojas em vários estados no Brasil, e é bem conhecida pelo apelo visual de suas propagandas e produtos.

Em fevereiro de 2016 eles decidiram fazer uma live (a primeira de sua página no Facebook) mostrando a confecção de um bolo gigante de donuts.

A postagem rendeu uma média de 44 mil visualizações – não muito, se considerarmos a popularidade da marca – mas foi um buzz e tanto nas redes, o que ajudou na divulgação do nome e inspirou uma série de usuários a testar em casa a receita do bolo.

Sephora

A Sephora é uma rede mundial de cosméticos fundada na França e, para aumentar o índice de engajamento com seu público pelo Facebook, decidiu aproveitar do recurso de Live Vídeo para promover uma sessão de perguntas e respostas.

Para essa campanha, a empresa líder na área de beleza convidou especialistas do mercado para responder às perguntas dos espectadores durante 30 minutos, além de apresentar bate papos sobre tendências, cabelos e dicas de moda.

Com um clima casual, os apresentadores da Live aproveitavam para indicar produtos da própria loja para usuários que enviavam perguntas, o que colaborou – e muito – para o aumento das vendas e circulação nas suas lojas online.

Starbucks

O Starbucks foi mais uma empresa que decidiu fazer bom uso da ferramenta de Live Vídeo do Facebook.

Em 2016 a empresa, conhecida mundialmente pela rede de cafeterias que começou nos Estados Unidos, aproveitou do evento de cadastro de votantes para fazer sua primeira transmissão ao vivo, aproveitando do engajamento da comunidade para mostrar que a empresa também se preocupava com as questões cotidianas da sociedade.

A campanha ajudou na divulgação do nome Starbucks e, claro, no estreitamento das relações da marca com seu público.

Buzzfeed

Ao contrário das outras marcas aqui citadas, o Buzzfeed não tem um produto ou um serviço específico à venda. Todo o seu faturamento vem de conteúdos patrocinados e anúncios em sua página.

Em uma de suas primeiras transmissões ao vivo, a rede, especializada em conteúdo, decidiu lançar um desafio: quantos elásticos posso colocar em uma melancia antes que ela exploda?

Com essa premissa eles conseguiram mais de 800 mil espectadores para acompanhar a transmissão de aproximados 45 minutos.

Consegue imaginar esses números para sua empresa? Com 800 mil usuários ligados na sua marca, o potencial de engajamento e alcance do seu conteúdo são altíssimos!

O recurso de Live Vídeo traz infinitas possibilidades de promoção do seu negócio, e não pode ser deixado de lado na hora de montar uma boa estratégia de marketing digital.

Quer saber mais? Aproveite então para conhecer nossa seleção de materiais ricos e prepare-se para conseguir resultados cada vez melhores!

Tendências de marketing digital

As 7 maiores tendências de marketing digital que você precisa conhecer

O acesso à internet no país cresceu 22% desde 2012, e hoje 36.7 milhões de lares já possuem conexão direta à rede.

Isso significa que o número de pessoas que podem ser atingidas por uma boa estratégia de marketing digital também cresce e, junto disso, vem a necessidade de inovar.

Quer descobrir o que há de melhor no mercado?

Para ajudar, preparamos esse texto com as tendências de marketing digital mais badaladas de 2017 e, claro, previsões para o que ainda vem em 2018.

Continue lendo e não deixe de tomar nota:

1. Gestão de comunidades

A noção de nutrição de uma comunidade em torno de marcas, hobbies e influenciadores já é bastante popular em mercados como o da moda e de jogos digitais.

Hoje em dia, porém, é fundamental que todo negócio, independente do nicho, esteja ciente do potencial da gestão de uma comunidade para a construção de uma marca verdadeiramente forte.

Estudar a persona, identificar grupos, escolher uma plataforma, entregar conteúdo exclusivo e, claro, abrir espaço para interação, são os passos fundamentais na hora de montar uma comunidade engajada para seu negócio.

Grandes redes como o Facebook e LinkedIn, por exemplo, já oferecem o ambiente ideal para a proliferação desses grupos, e garantem a oportunidade de troca direta de experiências com sua persona.

Responder dúvidas, mostrar novidades, encontrar influenciadores, acessar conteúdos gerados pelos usuários e pedir feedback em tempo real são apenas algumas das vantagens de se ter uma comunidade ativa ao redor do seu negócio.

Com uma boa gestão é possível ganhar a confiança do seu público e estabelecer um relacionamento saudável entre o negócio e seus consumidores, abrindo ainda mais portas para a entrega de valor juntamente de seu produto ou serviço.

Para os próximos anos essa será uma das principais tendências de marketing digital que poderá revolucionar a relação entre marca e consumidores.

2. Marketing de Conteúdo

Segundo a pesquisa Content Trends, da Rock Content, cerca de 70% das empresas no Brasil já utilizam o Marketing de Conteúdo.

Essa ferramenta, que vem conquistando cada vez mais espaço nas tendências do marketing digital, não pode ser deixada de fora quando o objetivo é melhorar suas conversões e aumentar as vendas.

Para aqueles que já investem no marketing de conteúdo, esse é um bom momento para reavaliar as estratégias utilizadas e diagnosticar pontos que precisam ser otimizados.

Cada vez mais se faz necessário investir em conteúdo personalizado para seu negócio, variando, principalmente, na oferta de formatos e apresentação das informações.

Textos, vídeos, animações, podcasts, materiais ricos, infográficos e aplicativos precisam ser feitos com foco na possibilidade de se agregar mais valor à rotina das personas.

Em tempos de crise e recessão econômica, uma das grandes vantagens do Marketing de Conteúdo, e que o coloca como uma das principais tendências do marketing digital, está na possibilidade de se reduzir gastos com anúncios e propagandas nos meios tradicionais em troca de resultados cada vez mais precisos para sua empresa.

Quer saber mais sobre o marketing de conteúdo? Aproveite então para conferir nosso e-book com os primeiros passos para sua estratégia digital!

3. Campanhas em vídeo

O vídeo é o presente e o futuro do marketing digital e de conteúdo.

Segundo pesquisa do Moovly, conteúdos com vídeos incorporados te dão 53 vezes mais chances de ranquear bem no Google quando comparado com textos tradicionais (o que aumenta, e muito, as chances do seu negócio ser encontrado!).

No Facebook, por exemplo, a média de engajamento com conteúdos em formato de vídeo é aproximadamente 135% maior do que o engajamento com fotos.

Isso significa que, se as imagens postadas em sua página têm em média 100 likes, o vídeo terá, pelo menos, 235 likes.

Essa é uma diferença exorbitante dentro de qualquer estratégia nas redes sociais.

Não se esqueça de que, para fazer efeito, uma estratégia de marketing com vídeos precisa ser cuidadosamente bem planejada.

Abaixo vão algumas dicas para quem quer se aventurar nesse formato de conteúdo:

  • Comece sempre por um bom estudo de persona. Você precisará entender os seus hábitos de consumo, os formatos preferidos, a linguagem adequada, os conteúdos de interesse e até mesmo o tamanho ideal para cada vídeo;
  • Foque sempre na possibilidade de se contar uma boa história nos seus conteúdos. O storytelling é uma reconhecida estratégia de engajamento que ajuda na identificação da persona com sua marca;
  • Não se esqueça de incorporar o conteúdo em vídeo com seu blog, website e redes sociais! Quanto mais divulgação, melhor;
  • Foque nos três primeiros segundos do seu vídeo. Eles serão essenciais para assegurar a atenção do espectador até o fim da transmissão;
  • Aproveite dos recursos de sua plataforma favorita para incluir também CTAs que levem aos seus outros formatos, links e redes sociais. Pelo Youtube, por exemplo, você pode criar anotações sobre o vídeo ou incrementar na descrição do conteúdo;
  • Monitore resultados e não economize na hora de otimizar o seu conteúdo. Pode ser que você precise fazer vídeos mais curtos, ou mudar a linguagem para atrair melhor a sua persona. Por isso, esteja atento às métricas de visualização do conteúdo e faça os ajustes (e testes) necessários!

Aproveite também para ler 11 dicas de nossos especialistas para a criação de conteúdos em vídeo para sua estratégia!

4. Big Data

A integração de Big Data à gestão de suas estratégias de marketing é apenas mais uma das tendências do marketing digital que devem crescer nos próximos meses.

Essa noção está fortemente ligada à sua capacidade de análise de dados e transformação desses resultados em material para a otimização das estratégias de sua empresa.

Um bom exemplo é a prática do data-driven marketing, ou marketing de dados, como ficou conhecido no Brasil.

Em resumo, as vantagens do Big Data para sua empresa incluem:

  • Diferencial competitivo;
  • Facilidade para identificar problemas e pontos carentes de otimização;
  • Identificação de padrões nos seus canais de comunicação;
  • Melhoria na gestão de métricas.

Para melhor entendimento das noções de Big Data, sugiro a leitura desse texto completíssimo de nosso portal.

5. Mobile Marketing

Segundo uma pesquisa do IBGE, mais de 80% das casas brasileiras já contam com pelo menos um aparelho smartphone com acesso à internet.

Não só isso, fica cada vez mais visível como essa alternativa tem se tornado a favorita dos usuários na hora de navegar pela web, não só pela praticidade, mas também por um longo processo de mudança de hábitos que vem acontecendo na sociedade.

Pensar em estratégias de marketing adaptadas para o mobile é hoje fundamental para que o seu negócio sobreviva às demandas do mercado.

Esteja atento para construir um blog e website 100% responsivo para o seu negócio, e assegure-se de que os formatos de vídeos, fotos e texto estejam adaptados às telas de diferentes smartphones.

Lembre-se de que a chance de um usuário retornar a um site que lhe causou transtornos no acesso é bem pequena, o que pode comprometer suas vendas.

Então, se sua empresa ainda não adotou um design responsivo, se ainda não têm estratégias específicas para acessos mobile ou ainda não oferece suporte para acesso por diferentes sistemas operacionais, é hora de começar a trabalhar para não ficar de fora de uma das maiores tendências do marketing digital.

6. Otimização da taxa de conversão (CRO)

Você já sabe que otimizar é preciso, mas sabe também que é possível fazer esse tipo de alteração com foco especial para resultados?

Pois é isso mesmo que o CRO oferece para uma estratégia de marketing digital: a oportunidade de diagnosticar problemas e melhorar a performance de um site, blog ou conteúdo em plataforma externa tendo em vista o aumento das conversões.

Por meio da segmentação do público, análise de dados e realização de testes, fica muito mais fácil entender como as conversões do seu site podem ser melhoradas.

Outra maneira de ampliar os resultados por meio do CRO é ficar atento a alguns pontos, como:

  • Velocidade do site;
  • Certificado de segurança;
  • Provas sociais.

Aproveite para unir essa tendência a outras alternativas já apresentadas aqui, como o marketing de conteúdo ou o vídeo marketing, por exemplo.

7. Outras tendências que você pode acompanhar

Apesar de não terem tanto destaque para esse ano quanto as tendências já citadas, pode ser uma boa ideia acompanhar essas novidades do marketing e, quem sabe, incorporá-las à estratégia de sua empresa:

  1. Wearables: Relógios, bolsas e canetas inteligentes entram nessa categoria alinhada com as inovações tecnológicas dos últimos anos. O maior exemplo de wearable no mercado, hoje, é o Apple Watch.
  2. Mídia Digital Out of Home: Todo tipo de publicidade que vise atingir a persona enquanto ela está fora de sua casa pode se encaixar nessa categoria. Alguns exemplos incluem monitores de LCD pela cidade, propaganda dentro de ônibus etc.
  3. Internet das coisas: A internet das coisas já é tendência desde o início dessa década, mas é bem verdade que sua relevância não pode ser ignorada, principalmente dentro do marketing. Incorporar seu produto a uma rede de conexões com certeza é um diferencial no mercado atual.

Gostou? Quer aprender mais sobre marketing e todas as tendências que podem impulsionar o seu negócio?

Então aproveite para conhecer nossos e-books gratuitos! São mais de 50 materiais preparados pelos maiores especialistas em marketing do Brasil.

Como criar um canal no Youtube

Aprenda como criar um canal no Youtube e dar os primeiros passos!

Mais de um bilhão de usuários cadastrados. 400 horas de vídeos adicionados por minuto. 1 bilhão de horas consumidas por dia em sua plataforma. Já sabe de quem estou falando?

Isso mesmo, do gigante Youtube.

A rede social, que já ocupa a 4ª posição no ranking das mais populares no Brasil, tem pelo menos 21% da população do país ativa em sua plataforma, e vem se tornando uma alternativa cada vez mais interessante para donos de empresas.

Quer aprender como fazer seu marketing no Youtube?

Então continue lendo porque no texto de hoje ensinaremos como criar um canal no Youtube do zero!

Eu devo investir no Youtube?

O Youtube é uma rede social em constante expansão, e suas estatísticas apenas reforçam a importância que ela desempenha no mercado atualmente.

Segundo uma pesquisa da Content Trends 2016, o Youtube é a 3ª rede social mais utilizada (42,4%) entre as empresas. Já nos Estados Unidos esse valor sobe para 61% de utilização.

Metade dos acessos vem de plataformas mobile, e cada sessão dura uma média de 40 minutos dentro da rede.

Não só isso, o Youtube oferece integração com várias outras plataformas, como o WordPress, Facebook, Twitter, Blogger, Tumblr etc.

Antes de clicar no botão de criação do canal, porém, é fundamental entender sua persona e o seu modelo de negócios.

Seu público está no Youtube? Ele consome vídeos? Empresas do seu ramo também produzem conteúdo em vídeo?

Se a resposta for sim para todas as perguntas, então pronto, você pode partir para a criação de sua conta.

Caso ela tenha sido negativa, porém, é hora de estudar alternativas diferenciadas para uma estratégia de marketing com vídeo.

Não descarte o Youtube de primeira. Pode ser que seu público ainda esteja carente da produção audiovisual, ou que ninguém em sua área tenha arriscado subir um vídeo na rede.

Vale aqui uma pesquisa aprofundada sobre o tema e, de todo modo, o Youtube ainda é uma ótima alternativa para trabalhar palavras chave e garantir a integração de diferentes formatos para suas redes sociais.

Como criar um canal no Youtube?

O primeiro passo para criar um canal no Youtube é ter uma conta Google.

Caso você ainda não tenha a sua, acesse a página de criação de contas do Google e preencha o formulário com os seus dados (ou da sua empresa).

Crie sua conta no Google

Lembre-se de que essas informações serão usadas para todos os produtos ligados ao Google, como Gmail, Blogger, Adwords e, claro, o Youtube.

Agora que você já tem uma conta do Google, basta acessar a página inicial em www.youtube.com e clicar em “Fazer login” no canto superior direito.

Login no Youtube

Após o seu primeiro login você será levado à página de configurações de conta. Uma vez nessa tela, selecione a opção “Criar um novo canal” na parte inferior.

Visão geral da conta no Youtube

Logo então a página de criação de marcas se abrirá para você.

Criando uma conta de marca no Youtube

A diferença desse tipo de conta para uma conta tradicional do Google está na possibilidade de se ter múltiplos proprietários com acesso ao canal. Por conta disso, essa é uma alternativa altamente sugerida se você trabalha com uma equipe de marketing, por exemplo.

Para além do Youtube, contas de marca podem também sincronizar com o Google+, Google Meu Negócio e o Google Fotos.

Enfim, escolhido o nome de sua conta de marca, clique no botão “criar” e sigamos para a próxima tela.

Página de conta no Youtube

Assim que a página terminar de carregar você terá o seu primeiro canal pronto para uso!

Mas é claro que o trabalho não termina aí.

Agora é hora de customizar o seu canal e torná-lo apresentável para seu público.

Comece clicando na opção “adicionar arte do canal” no banner superior. Na tela seguinte você poderá escolher entre fazer o upload de uma foto ou buscar algo da galeria vinculada à sua conta.

O tamanho recomendado é de 2560 x 1440 pixels para esse banner superior, e não se esqueça de que ele também deve estar alinhado com as diretrizes da identicidade visual definida para seu negócio.

Não escolha e maneira aleatória!

O banner é a primeira coisa que o usuário encontra ao acessar o seu canal, e por isso é fundamental que ele traduza sua marca e crie expectativas reais sobre o conteúdo postado.

Escolhida a imagem, você poderá alterar o corte dela em cada dispositivo.

Arte do canal em diferentes formatos

O próximo passo agora é o de adicionar uma descrição ao seu canal. Clique no botão “adicionar descrição” e uma tela se abrirá com espaço para texto.

Esse campo é ideal para que você apresente aos usuários uma visão geral do que será postado em seu canal. Você poderá escrever um texto de até mil caracteres, incluindo links.

Descreva os tipos de conteúdo, a frequência de envio, as redes sociais que sua empresa tem e, caso queira, um pouco sobre a história do seu negócio.

Descrição do canal no Youtube

Por fim, carregue um avatar (uma simplificação do logo de sua empresa, por exemplo) e sua conta já estará personalizada e pronta para uso.

Nada como criar um canal no Youtube e deixá-lo a cara do seu negócio!

E como excluir um canal no Youtube?

Se, por alguma razão, você decidir excluir o seu canal do Youtube, lembre-se sempre de que é possível apenas ocultá-lo temporariamente.

Essa funcionalidade permite que você esconda o conteúdo do seu canal para reativá-lo mais tarde, evitando a perda de dados e envios importantes para seu negócio.

Ao ocultá-lo, porém, todos os comentários e respostas feitas por sua conta serão excluídos permanentemente da rede.

A boa notícia é que informações como o nome, vídeos, curtidas, inscrições e inscritos do seu canal se manterão, caso você decida retornar.

Essa alternativa é altamente recomendada, já que a exclusão é 100% irreversível, enquanto que o ocultamento pode ser revertido caso os planos de sua empresa mudem no futuro.

Para ocultar ou excluir o canal, basta acessar as configurações avançadas da conta. Em seguida, clique na opção “excluir canal” no canto inferior de sua tela.

Excluindo canal no Youtube

Você será convidado a fazer um novo login e as seguintes opções ficarão visíveis:

Opções de excluir canal no Youtube

A partir daí é só selecionar a alternativa desejada e prosseguir com a exclusão ou ocultamento.

Caso você tenha optado por apenas ocultar o canal temporariamente, poderá reativá-lo pela tela de criação de contas do Youtube. Depois de preenchido o formulário, seu antigo canal estará de volta e pronto para ser usado.

11 dicas para quem está apenas começando

Agora que você já sabe como criar um canal no Youtube, é hora e torná-lo ainda mais interessante para o seu público.

Separamos abaixo 11 dicas práticas que podem ajudar na hora da customização:

  1. Escolha um nome fácil de ser lembrado (e digitado!);
  2. Invista em uma identidade visual que seja capaz de traduzir o seu negócio, e lembre-se de combiná-la com suas outras redes e blogs;
  3. Faça análises constantes no seu canal. Métricas como visualizações, curtidas, taxa de abandono, comentários etc. são fundamentais para que você entenda o que o seu público realmente quer no canal.
  4. Não economize na hora de editar e garanta equipamentos de qualidade para seu canal. Esse pode ser o diferencial do seu conteúdo;
  5. Assista canais de sucesso e estude sua fórmula. Opte por negócios que tenham um público próximo do seu, assim fica muito mais fácil entender o que dá certo ou não no Youtube;
  6. Construa relações duradouras dentro da rede social. Você pode até conseguir parcerias com canais e influenciadores para seus vídeos, basta procurar e se mostrar aberto a parcerias;
  7. Considere a monetização do seu canal levando em conta a persona. De nada adianta colocar anúncios em seus vídeos se a taxa de abandono se multiplicar. Avalie bem o comportamento do seu público e invista em diferentes frentes de monetização. Vale até vídeo patrocinado no seu canal;
  8. Storytelling pode ser a sua melhor aposta no Youtube, afinal de contas, quem não quer ouvir uma boa história? Considere sua persona, seus gostos pessoais, e então invista em maneiras interessantes de prender sua intenção com um conteúdo criativo e inovador;
  9. Entenda como as tags funcionam na rede. Elas têm um papel fundamental na categorização de seu vídeo dentro dos mecanismos de buscas do Youtube. Aproveite do potencial do Google Adwords para entender as melhores oportunidades de tags;
  10. SEO é sempre uma boa opção, e quanto a isso não há o que discutir. Otimize títulos, descrições, imagens, tags, meta e tudo mais o que for possível dentro do seu canal do Youtube. Esse tipo de cuidado garantirá acessos orgânicos e melhores posições nos buscadores;
  11. Integre seu canal a outras mídias sociais. Aproveite da função de “incorporar” do Youtube para integrar o seu conteúdo a outras redes, como twitter, por exemplo. Se o seu blog está hospedado no WordPress, há a possibilidade de incorporar vídeos pela opção de inserção de mídia.

Gostou? Então aproveite para conhecer nosso conteúdo completo sobre Marketing no Youtube!

Aproveite que já está aqui e dê também uma passadinha por nossos guias definitivos. Você com certeza encontrará o suporte necessário para que sua estratégia de marketing digital dê certo!

como aumentar o engajamento no facebook

9 dicas para aumentar o engajamento da sua página no Facebook

Muito se fala sobre a importância do engajamento para as estratégias em redes sociais, mas você sabe o que realmente significa ter uma Fan Page com muito engajamento?

O Facebook é hoje a rede social mais utilizada no país: 45% da população já está online, totalizando uma média de 111 milhões de usuários ativos todos os meses.

Com esses números, a chance da sua persona estar presente nessa plataforma é muito alta, daí a importância de entender e dominar funções, ferramentas e termos relativos à rede.

Quer saber como aumentar o engajamento no Facebook?

Quer ter mais resultados com suas campanhas de marketing nas redes sociais?

Então o texto de hoje é perfeito para você.

Aproveite para conhecer alguns dados dessa mídia, experimentar com novas técnicas e, claro, entender a fundo o conceito de engajamento nas redes sociais.

Continue lendo e, ao final, você já estará pronto para revisar técnicas e otimizar suas ações.

Baixe o nosso Kit gratuito de Marketing nas Redes Sociais

Aprenda tudo o que você precisa saber para marcar presença no Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube!


Entendendo o conceito de Engajamento no Facebook

Ao contrário do que muitos pensam, engajamento está longe de ser uma via de mão única.

Acreditar que esse termo se resume apenas à contabilização das interações de seu público com sua empresa pode ser o primeiro passo para a derrota de sua estratégia nas redes sociais.

Engajamento precisa ser entendido como todo o processo de fornecimento da melhor experiência possível ao consumidor e, em resposta, sua interação, comentários, likes, compartilhamentos, dúvidas etc.

Esquecer da primeira etapa: a de preparação do ambiente e geração de conteúdo de qualidade, compromete todo o processo de mensuração do engajamento de seu público, já que assume que a responsabilidade da resposta está apenas na sua persona.

Por isso, é fundamental que as empresas foquem na geração contínua de conteúdo alinhado com as perspectivas da persona, de modo a incentivá-la a participar ativamente de suas redes.

Para ajudar nesse processo, o Buzzsumo fez uma pesquisa em 2016 a respeito do tipo de conteúdo que mais gerava engajamento na rede.

Foram analisados mais de 800 milhões de posts no ano, tudo com o único propósito de responder à pergunta: Como obter o máximo de engajamento no Facebook?

Os resultados você confere abaixo:

  • Dentre todos os tipos de conteúdo, perguntas, imagens e vídeos foram os mais convidativos, e os vídeos foram os que mais receberam compartilhamentos;
  • O dia com o maior índice de engajamento foi segunda-feira;
  • O nível de engajamento era inversamente proporcional ao volume de conteúdo postado na mesma hora. Ou seja, em horários como a madrugada, por exemplo, em que boa parte das páginas não está mais postando, os posts novos ganhavam maior interação do público.
  • Posts com menos de 50 palavras traziam maiores índices de engajamento que posts maiores;
  • Posts linkando para textos fora da rede recebiam maior engajamento quando o texto em questão tinha entre 1000 e 3000 palavras.
  • Imagens postadas do Instagram para o Facebook mostravam índices menores de interação quando comparadas às imagens postadas diretamente na rede.

Apesar desses dados fornecerem uma visão bastante ampla de como é possível moldar sua estratégia de modo a otimizar a participação da persona, é fundamental lembrar que cada negócio opera de maneira particular.

Realizar testes para medir, em primeira mão, como o SEU negócio funciona é a chave para que suas estratégias nas redes sociais comecem a dar certo.

Experimente postar nas segundas-feiras e observe o resultado.

Agora poste nas terças e estabeleça uma comparação.

Essa é a melhor maneira de ter certeza de que você está adotando ações relevantes e adaptadas para as necessidades da sua persona.

Se você quer entender outras importantes características da rede, confira nosso ebook com tudo o que você precisa saber sobre o Facebook!

ebook marketing no facebook

Como medir o engajamento?

Cada rede social possui uma maneira particular de medir o engajamento em suas contas.

O Twitter, por exemplo, usa de impressões, retweets, curtidas e respostas.

Já o Facebook usará interações como curtidas, reações, compartilhamentos e comentários.

É fundamental que você entenda exatamente o que cada termo significa, e como ele impacta nos resultados de suas campanhas.

Um bom exemplo é que, recentemente, o Facebook publicou uma nota a respeito do uso de reações, comentando como elas contribuem muito mais para o rankeamento de um conteúdo dentro da rede do que simples curtidas, por exemplo.

Daí, montar conteúdos que incentivem reações positivas ou negativas é uma estratégia que hoje vale para subir seu post na timeline dos usuários.

Mas como medir, efetivamente, o nível de engajamento em uma página no Facebook?

O primeiro passo é definir uma meta.

Analise seus resultados hoje e registre-os em uma planilha ou software para esse fim.

Agora pense mais longe (2 meses, 6 meses etc.) e calcule até onde você quer chegar com os números de curtidas, comentários ou compartilhamentos.

A partir daí, comece a montar conteúdos e a experimentar a resposta de sua persona.

Lembre-se que você pode preparar diferentes frentes de mensuração para seu negócio, como, por exemplo, a partir do estabelecimento de uma hashtag especifica para alguma campanha, monitoramento de cliques para conteúdos externos, comentários de aprovação ou reprovação dentro dos seus conteúdos etc.

O importante é você identificar o que é relevante para sua persona e a partir daí unir esforços para que o resultado seja cada vez mais positivo tanto para você quanto para seu público.

9 dicas de como aumentar o engajamento no Facebook

Agora que você já sabe sobre a importância do monitoramento e sobre o estabelecimento de metas, é hora de passar para a parte prática.

Afinal, como aumentar o engajamento no Facebook?

Separamos abaixo uma lista com as melhores técnicas para a rede que podem ajudar a dar uma guinada no seu negócio!

1. Faça perguntas

Convidar sua persona a interagir com seu conteúdo é a melhor maneira de começar a estimular o engajamento na sua página.

Para isso, prepare posts que lancem questionamentos, sempre relacionando o conteúdo aos serviços de sua empresa.

Se o seu negócio está inserido no campo da moda, por exemplo, você pode perguntar a respeito dos estilistas favoritos de sua persona, sobre o look dos sonhos, peças e materiais que estão em moda etc.

Caso esteja na área de marketing, sinta-se à vontade para perguntar sobre as redes sociais favoritas, sobre especulações e novos lançamentos, sobre sugestões para um marketing mais inclusivo etc.

O importante é encontrar um assunto que converse diretamente com o seu serviço e, claro, instigue a persona a discutir e a colaborar com seu ponto de vista.

2. Não perca o timing

Ter um bom timing é essencial para resultados positivos em sua estratégia de marketing nas redes sociais.

A pesquisa do Buzzsumo, mostrada no início desse texto, discute exatamente a relação do timing com o índice de engajamento por parte da persona.

É muito importante que seu negócio realize testes e experimentos próprios com o fim de descobrir os melhores horários para postagem, qual o dia da semana mais relevante para a persona e quando a concorrência está deixando mais brechas no conteúdo.

Com isso em mãos fica bem mais fácil planejar o momento ideal para a postagem de cada nova peça produzida, levando em consideração o quanto de interação é esperado para cada etapa da semana.

Caso queira uma ferramenta para ajudar nesse processo, a versão gratuita do Buffer pode oferecer o básico para quem está começando.

3. Promova concursos

Esse é um recurso muito importante na geração de engajamento, mas igualmente perigoso.

Hoje em dia é fundamental que todos os concursos, sorteios e promoções realizados na rede estejam de acordo com a lei 5.768 .

Caso contrário, você correrá sérios riscos de ser penalizado, podendo, inclusive, perder a página no Facebook e receber multa pelo deslize.

Estando tudo nos conformes, a realização de sorteios é uma maneira ótima de promover o seu negócio, ganhar visibilidade e aumentar (e muito!) o alcance de seu conteúdo.

Considere sortear produtos de lançamento, eleger frases ou respostas criativas e até mesmo convidar o público a contribuir com a produção de conteúdo.

Lembre-se de ser irreverente e prezar pela criatividade. Uma ação bem elaborada é garantia de novos seguidores para sua página!

4. Combine imagens com outras formas de interação

Imagens e vídeos estão no topo da cadeia da geração de engajamento, e vale a pena experimentar um tanto mais com essas duas modalidades

Uma maneira simples de começar é criar colagens com diferentes tipos de imagens e convidar sua persona a participar escolhendo a sua favorita, por exemplo.

Você pode fazer o mesmo e designar para cada imagem uma reação diferente, chamando o público para reagir de acordo com o post.

Assim você garante participação e ainda leva uns pontinhos extras na hora de ranquear na rede.

Tente combinar também imagens com compartilhamentos, aproveitando das funções de gif, vídeo e 360° que hoje o Facebook suporta.

O principal aqui é manter tudo condizente com o seu tipo de negócio e, claro, tomar cuidado para não exagerar no flood.

5. Avalie a frequência de postagem

Um estudo da Buddy Media constatou que páginas que faziam uma a duas postagens diárias tinham um índice de engajamento muito superior quando comparadas às páginas com mais de uma postagem por dia.

Essa relação pode estar atrelada à questão de qualidade e, claro, variará de acordo com o seu tipo de negócio.

Faça testes frequentes com o seu conteúdo e certifique-se de que sua página tem priorizado a experiência do consumidor. Em algumas semanas será possível observar melhores resultados de visualização e engajamento.

6. Não se esqueça dos CTAs

Apesar de estar no bê-á-bá do marketing digital, é muito comum que os CTAs sejam deixados de lado na hora de construir um bom conteúdo para as redes sociais.

Convidar o leitor a participar faz maravilhas para o índice de engajamento, principalmente no Facebook.

Você com certeza já viu aquelas postagens de “Compartilha se concorda e curta se discorda”, não é mesmo?

Esse tipo de conteúdo é um chamariz e tanto para a interação, e pode ser um bom aliado quando usado com sabedoria.

Priorize CTAs que convidem o leitor a interagir, curtir, compartilhar e comentar no seu post, e não deixe de mensurar as mudanças nos índices de engajamento.

Compare para descobrir quais são as chamadas com mais resultado e foque no seu uso!

7. Converse com seu público

Lembra-se de quando disse que engajamento não pode ser uma via de mão única?

Essa informação se torna ainda mais importante quando levamos em conta o diferencial de uma página que responde aos seus fãs.

Avalie empresas como a Netflix, por exemplo, que desenvolvem o trabalho de social media interagindo com boa parte dos comentários, e principalmente às perguntas e reclamações dos usuários.

Responder aos comentários ajuda na criação de um elo de confiança com a sua empresa, além de colaborar com o processo de SAC.

Considere ter um profissional preparado especificamente para esse tipo de interação, e trabalhe na voz e posicionamentos da empresa no mundo virtual.

Guia para criação de personas

8. Compartilhe conteúdos em primeira mão

Nada melhor que uma novidade quentíssima postada antes de todo mundo.

Invista na produção de conteúdo exclusivo e não deixe de compartilhar outros textos que abranjam o seu mercado de atuação, afinal de contas, seu público está interessado em mais do que apenas o seu produto.

Quanto mais você se mostrar relevante no Facebook, maiores as chances de conseguir motivar o engajamento para seu conteúdo.

9. Recicle conteúdos antigos

Sabe aquele post que bombou no mês passado? Não deixe que ele acumule poeira no canto da sua página.

Aproveite sempre para repostar conteúdos, garantindo que mais pessoas tenham acesso ao seu link e que ele alcance um maior número de visualizações.

Lembre-se de considerar uma boa descrição para a repostagem. Tente valorizar o conteúdo e mostre à sua audiência que ele está de volta porque é relevante mais uma vez.

Engajamento, como já foi dito, precisa ser entendido como uma via de mão dupla.

Forneça bons conteúdos e um ambiente focado na experiência do consumidor que logo seus resultados virão de maneira natural.

Com um bom engajamento fica muito mais fácil estar próximo da persona e acompanhar as mudanças que ocorrem em seu meio.

Curtiu? Quer saber mais? Então aproveite para conferir nosso conteúdo completo sobre como postar imagens no Facebook, e domine mais esse recurso para o aumento do engajamento na sua página!

imagens para postar no facebook

Imagens para postar no Facebook: acerte na comunicação da sua empresa!

O Facebook, hoje, é a rede social mais popular no Brasil e no mundo, e já conta com uma infinidade de formatos aceitos para suas postagens.

Um bom social media precisa saber articular textos, imagens, vídeos, gifs, enquetes, emojis, links incorporados e tudo mais que a rede for abrindo de possibilidade de geração de conteúdo.

E, se realmente quisermos que o leitor retenha a informação passada, uma imagem é mais do que fundamental nesse processo. Não só isso, usuários tendem a engajar 2.3x mais em um conteúdo com imagem do que aqueles com apenas textos.

Mais do que apenas pegar uma figura de bancos gratuitos, saber articular elementos visuais com significado é algo fundamental para o sucesso de qualquer estratégia de conteúdo hoje em dia.

Mas, por onde começar? E como acertar na formatação e escolha da imagem?

No texto de hoje separamos uma série de informações para ajudar na hora de utilizar recursos visuais no seu Facebook. Fique atento e anote as principais dicas sobre imagens para postar no Facebook!

Baixe o nosso Kit gratuito de Marketing nas Redes Sociais

Aprenda tudo o que você precisa saber para marcar presença no Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube!


Qual o formato ideal e como acertar na escolhe das imagens para postar no Facebook?

Se você já tem uma página ou perfil na rede, já sabe como as imagens são importantes na apresentação de um negócio online. Por isso, é mais do que necessário que você esteja atento às principais formatações aceitas e, claro, às nossas dicas de como tirar o melhor proveito dessa funcionalidade do Facebook.

imagens para postar no facebook

A seguir, separamos os principais usos de imagem no Facebook para você conferir:

Imagem de Capa

A imagem de capa, como o próprio nome indica, é aquela imagem retangular que fica na parte superior de sua página. Juntamente do avatar, essa é a primeira coisa que qualquer visitante repara ao entrar no seu link, portanto, precisa ser muito bem avaliada antes de ir para o ar.

O formato ideal para a imagem de capa deve ser 828 x 315 pixels. Aproveite dessas dimensões para criar algo divertido e informativo para seu público.

Na capa você pode colocar os dados de contato de seu negócio, passar algum comunicado temporário, avisar sobre promoções, interagir com a imagem de perfil, indicar CTAs etc. O importante é sempre buscar algo criativo e que dialogue com seu negócio.

Logo abaixo você encontra três diferentes exemplos de capas criativas para você se inspirar:

imagens para postar no facebook

imagens para postar no facebook

imagens para postar no facebook

Imagem de perfil

A imagem de perfil, ou avatar, é aquele pequeno quadrado em que as pessoas costumam colocar uma foto do próprio rosto. Sua função principal é a de identificação da página ou perfil e, junto de seu nome, funcionará como uma assinatura para comentários ou interações realizadas fora de seu perfil.

Na hora de montar uma página para seu negócio, preste bastante atenção na hora de escolher seu avatar. O ideal é que ele tenha a proporção de 180 x 180 pixels, mas você também pode utilizar imagens que tenham valores equivalentes, como 360 x 360 ou 900 x 900, por exemplo.

O mais importante é que a imagem seja legível e, claro, traduza bem o tipo de conteúdo que virá na sua página.

Uma dica que muitas empresas seguem é a de colocar o logotipo do negócio no lugar da imagem de perfil. Enquanto essa pode sim parecer a melhor opção, é bom estar atento para que a imagem continue identificável mesmo quando reduzida para 36 x 36 (tamanho padrão para comentários).

Aqui vão algumas dicas para você considerar na hora de decidir sua imagem de perfil:

  • Opte por imagens que tenham uma cor dominante. Assim fica muito mais fácil identificar o seu usuário em grupos e comentários;
  • Esteja atento para a identidade visual do seu negócio. É fundamental que ela seja respeitada mesmo na escolha do avatar, já que esse também é um elemento de identificação de sua marca;
  • Considere utilizar o logotipo de sua empresa e, caso ele não caiba na imagem, opte por um formato simplificado já previsto em seu manual de identidade visual;
  • Brinque com sua foto! Algumas empresas costumam trocar o avatar em épocas temáticas como o outubro rosa, Natal etc., valorizando cores e símbolos sem perder a identificação de sua marca. Essa é uma boa maneira de interagir com o público e demonstrar o posicionamento do seu negócio.

Postagem na página

O mais importante na hora de compartilhar imagens em sua timeline deve ser, acima de tudo, o cuidado com a preservação da identidade visual do seu negócio.

O tom, as cores, as fontes utilizadas e toda a iconografia da imagem precisa estar alinhada com sua empresa, facilitando a rápida identificação do seu conteúdo como sendo de sua autoria.

São infinitos os usos para imagens no Facebook. Você pode usá-las para contar histórias, demonstrar produtos, chamar para algum link, conversar com o usuário, tratar de CTAs do seu negócio, demonstrar dados e pesquisas e mais uma variedade imensurável de opções.

O formato recomendado é de 1200 x 630 pixels, mas é bom que você saiba que a largura máxima para exibição na linha do tempo (sem que a imagem esteja selecionada) é de 504 pixels.

Considere o público e, claro, o objetivo da imagem na hora de fazer qualquer postagem.

Quer mais algumas dicas? Aqui vão três pontos que devem ser lembrados antes de postar qualquer imagem na sua página:

  • Confira sempre se você possui os direitos de uso da imagem selecionada. Opte por algo produzido internamente caso você não tenha certeza na hora de postar.
  • Cuidado para a dupla interpretação! Opte por imagens claras e mostre para mais de uma pessoa antes de postar. Esse tipo de erro pode trazer uma série de consequências irreversíveis para sua empresa.
  • Atente-se para a resolução da imagem. Fotos esticadas ou muito pixeladas prejudicam a experiência de consumo dos seus visitantes.

Upload de vídeos

Com a possibilidade de adicionar vídeos diretamente em sua linha do tempo, em lugar de utilizar um intermediário como o Vimeo ou Youtube, você expande ainda mais suas possibilidades de publicação e interação com sua persona.

O tamanho mínimo, e também recomendado, para seus vídeos, é de 504 x 283 pixels. Tente não colocar arquivos muito grandes e atente-se para a qualidade da imagem.

O ideal é que você encontre o meio termo entre um arquivo leve e de boa qualidade, de modo que os usuários do Facebook possam assisti-lo mesmo usando o 3G, por exemplo.

Vídeos longos demais também não costumam chamar a atenção, portanto, realize testes e cheque diretamente com o seu público sobre o formato e duração que mais lhe atende.

Lembre-se de que as regras de direitos de uso também se aplicam a todo o material utilizado em sua produção audiovisual. Imagens, músicas e efeitos precisam estar licenciados antes de irem para o seu conteúdo.

Lembre-se de adequar o tom, cores e fontes também à sua identidade visual. Os vídeos postados e imagens criadas para seu Facebook precisam conversar dentro de sua fan page.

Tamanho de imagem nas redes sociais

Onde encontrar imagens para postar no Facebook?

Agora que você já sabe COMO formatar suas imagens para postar no Facebook, que tal descobrir ONDE encontrá-las?

Muita gente chega nas redes sociais acreditando que, para encontrar a imagem ideal, é só jogar no Google Imagens e salvar o primeiro resultado.

Não.

Além de ineficaz, esse tipo de ação pode configurar crime virtual e colocar todo o seu negócio a perder.

Antes de usar QUALQUER imagem na internet é preciso que você tenha certeza de que o seu autor permite a reprodução, uso ou edição da imagem. Caso contrário, será preciso que você adquira esses direitos entrando em contato com o proprietário do conteúdo e negocie com ele a melhor forma de incorporar a imagem escolhida aos seus negócios.

A melhor opção para quem está inseguro quanto a isso é buscar um banco de imagens ou você mesmo produzir suas fotos, desenhos ou montagens.

Produzir internamente, apesar de garantir exclusividade em todas as suas postagens, demanda tempo e uma equipe interna própria para isso – coisa que muito negócio não pode dispor imediatamente.

Para esses casos, o bando de imagens (pago ou gratuito) é sua melhor saída. Alguns dos mais populares incluem:

  • Picjumbo: Criado em 2013, é recheado de fotografias bem tiradas e, o melhor de tudo, gratuitas. Possui a alternativa de assinatura de um pacote premium.
  • Getty Images: Funcionando desde 1995, a Getty Images é uma das alternativas pagas mais populares da internet. Seu forte são as fotografias e opções variadíssimas, e hoje já conta com uma versão brasileira.
  • Free Pik: Mais uma opção gratuita. O forte do Free Pik são as imagens vetorizadas e decorações para fotografias. Para começar a usar essa alternativa você precisará apenas de um rápido cadastro usando sua conta do Facebook.
  • Shutterstock: Outra opção paga, o Shutterstock também é bastante popular no mundo virtual, contando com um acerto de mais de 100 milhões de fotos, imagens vetorizadas, ilustrações, vídeos e muito mais.

Avalie suas opções e lembre-se sempre de enquadrar as imagens escolhidas com a identidade visual do seu negócio. Se possível, lembre-se de que manter o padrão de cores, formas e estilos em suas imagens ajuda também na criação de um padrão de reconhecimento de sua marca no mundo virtual.

Produzindo conteúdo internamente

Mas, e se você quiser produzir suas peças gráficas internamente?

Considere o que cabe melhor para sua marca: ilustradores, imagens vetorizadas ou fotografias? Claro que essas não são as únicas opções, mas você precisa começar de algum lugar, não é mesmo?

Escolha algo que tenha a cara de seu negócio, mas não se deixe limitar pelo que você já viu outras empresas fazerem: ousar é a chave para um conteúdo autêntico de verdade e, a longo prazo, ajuda na diferenciação de sua marca no mercado.

Mas, quais programas são os mais indicados? E qual a maneira mais fácil e rápida de começar a postar suas produções visuais?

O Pacote Adobe (incluindo Photoshop, Illustrator etc.) é, sem sombra de dúvidas, uma das alternativas mais indicadas para a edição de imagens, mas o preço do software pode acabar assustando.

Para esses casos, o GIMP, Pixlr e Fotor podem ser boas alternativas ou, pelo menos, “quebra galhos” até que você consiga um software pago para sua empresa.

Caso prefira, o Canva também é uma alternativa bastante popular nos dias de hoje.

Essa plataforma freemium (gratuita, com algumas compras internas) permite que você crie designs elaborados com muita facilidade, uma vez que já traz templates de produtos, imagens de sua galeria, fontes e cores prontas para uso.

De exemplo, duas imagens criadas 100% com o Canva:

imagens para postar no facebook

imagens para postar no facebook

No Canva você também tem a opção de usar fotos e ilustrações importadas de autores online pelo preço único de um dólar!

Essa é uma alternativa muito barata e fácil de usar, além de trazer um resultado polido e bastante particular para seu negócio.

Além do Canva, você também pode testar suas habilidades como designer no Stencil e também o Desygner, ambos gratuitos e online.

Claro que, para ter sua identidade visual bem elaborada, logo e website, o ideal é que você tenha um profissional especializado nesse tipo de trabalho. Mas, para soluções dinâmicas e imediatas, esses softwares e plataformas podem ajudar bastante no seu dia a dia na empresa!

6 Dicas para trabalhar com imagens

Por fim, listamos aqui algumas dicas para quem quer trabalhar com imagens no Facebook. Confira agora nossas 6 dicas de hoje:

  • Certifique-se de que toda postagem tenha algum apelo visual. Seja em vídeos, links incorporados ou apenas texto. O uso de imagem nas redes sociais é algo fundamental;
  • Faça testes contínuos para saber quais tipos de imagem são mais valorizadas por seu público. Eles preferem cores quentes ou frias? Fotografias ou ilustrações?
  • Varie nas imagens e tente não repeti-las para diferentes propósitos;
  • Seja criativo! Experimente efeitos em suas imagens, faça colagens, tente texturas diferentes e pense fora da caixa. Quanto mais original, melhor;
  • Convide seus leitores a contribuírem também com suas artes e fotografias. Assim você terá material para utilizar e, de quebra, ainda divulga o trabalho de algum fã;
  • Dê mais sentido às suas imagens e não as limite a ilustrações para seus textos. Com um pouco de criatividade é possível fazer infográficos, tabelas e exposição de dados com imagens interessantes e bem planejadas!

Curtiu? Encontrar imagens para postar no Facebook pode parecer tarefa complicada, mas sabendo exatamente onde procurar e, mais do que isso, como aproveitá-la ao máximo, só trará bons resultados para seu negócio.

Saiba como otimizar ainda mais sua página no Facebook e trazer mais resultados através da rede com nosso ebook completo de Marketing no Facebook!

ebook marketing no facebook

Viver de blog

É possível viver de blog? Aprenda a alcançar o emprego dos seus sonhos!

Você com certeza já ouviu falar sobre pessoas que lucram milhares de reais todos os meses apenas com blogs.

Trabalhar de casa, produzir conteúdos interessantes, atuar na sua área de expertise e ser dono do próprio negócio…

Parece um sonho, não é mesmo?

Pois saiba que esse tipo de situação tem se tornado cada vez mais comum, e você também pode alcançar renda própria trabalhando apenas com blog.

Quer descobrir como tornar esse sonho em realidade? Então aproveite que separamos aqui tudo o que você precisa saber para dar o primeiro passo!

O que está esperando? Continue lendo e comece agora a viver de blog!

Por que investir em blogs?

Talvez você ainda não saiba, mas empresas que usam blogs no processo de vendas B2B conseguem 67% mais leads que aquelas que não aproveitam desse recurso.

Os blogs são ferramentas ultra flexíveis dentro de uma estratégia de marketing, e servem para praticamente todos os modelos de negócio da atualidade.

Você tem um infoproduto? Quer ganhar dinheiro com visitas? Ou sua empresa presta algum serviço local? Você pretende vender livros ou divulgar um projeto de assinatura de conteúdo?

Todas essas alternativas podem tirar grande proveito de um blog, principalmente se pensarmos em todo o processo de divulgação e construção da autoridade da marca.

Blogs ajudam a contar a história do seu negócio, e são um recurso rápido e muito prático para trazer soluções diárias para as pessoas.

Hoje em dia eles já são considerados a 5ª opção mais confiável na hora de buscar informações sobre um produto ou serviço.

Não só isso, você também tem a oportunidade de usar esse tipo de plataforma para a geração de renda, facilitando ainda mais o sonho de viver de blog.

guia definitivo do blog corporativo

E como faço para ganhar dinheiro com blogs?

Para começar a ganhar dinheiro com seus blogs, você precisará seguir esses 6 simples passos:

  1. Comece um blog;
  2. Crie conteúdos relevantes;
  3. Aproxime-se de seu público e entenda seus anseios;
  4. Construa um nome e nutra sua marca;
  5. Escolha a metodologia de venda ideal para seu público;
  6. Poste!

Olhando assim parece algo relativamente fácil de se fazer, não é mesmo?

A verdade é que ganhar dinheiro com blog é algo muito menos complexo do que as pessoas fazem parecer.

O grande desafio está em encontrar estabilidade para que o seu blog não pare de render e força o suficiente para que ele não pare de crescer.

Sabendo equilibrar bem esses dois fatores você já poderá dizer que, oficialmente, você vive de blog.

Mas, como fazer para chegar nesse nível?

Vamos cobrir agora as 6 etapas fundamentais para quem quer viver de blog:

Comece um Blog

Começar um blog é muito mais do que simplesmente se cadastrar em um site e escolher o seu endereço.

Essa etapa precisa de dedicação e cuidado especial com todos os detalhes, principalmente com a escolha do servidor e definição do design.

Esses dois fatores afetam diretamente na maneira como o consumidor lê sua marca e, mais do que isso, na sua vontade de retornar ao blog.

Pesquise bastante e opte por servidores que atendam às necessidades do seu negócio.

Avalie segurança, preços, condições de hospedagem do blog e recursos disponíveis, e não deixe de procurar a avaliação de outros usuários para entender os contras de cada escolha.

Já para o design, é fundamental levar em conta os dados de comportamento da sua persona, e colocar isso em pauta na hora de decidir a disposição dos elementos na página, cores utilizadas, linguagem do conteúdo, presença de recursos visuais etc.

O foco deve ser o de proporcionar a melhor experiência possível para o leitor dentro do seu blog, de modo que ele se sinta confortável para compartilhar o conteúdo e retornar quando uma nova dúvida surgir.

Para aprender como criar rapidamente seu blog corporativo, veja esse vídeo do nosso Profeçanha!

Crie conteúdos relevantes

Criar conteúdos relevantes significa que você produzirá textos, imagens, vídeos etc. com foco na educação ou resolução de problemas da sua persona, permitindo que eles sejam facilmente acessados no momento em que elas precisarem.

Confira nosso guia de como produzir bons conteúdos para blogs!

Nessa etapa é fundamental definir uma estratégia de marketing bem delineada, caso contrário você transformará o seu blog em um enorme depósito de textos que nunca serão acessados.

Estude SEO, busque serviços que ajudem na implantação de uma estratégia de marketing de conteúdo e entenda sua persona.

Você precisará construir conteúdos que atendam todas as fases do funil de vendas, indo do topo ao fundo de modo a levá-la ao processo de conversão.

Entenda tendências, estude novidades do mercado e adapte sua linguagem para à buscada por sua persona.

Foque na qualidade do conteúdo antes de sua quantidade, e entenda a importância que esse tipo de material tem no processo de monetização do seu blog.

Por fim, estabeleça frequência de postagens e estude a possibilidade de trocar conteúdos com outros negócios. Quem sabe você não consegue expandir o seu nicho e atrair mais visitas?

marketing de conteudo primeiros passos

Aproxime-se de seu público e entenda seus anseios

Entender o que seu público precisa é fundamental para a construção de conteúdos cada vez mais relevantes, e isso pode ser alcançado por meio de um bom estudo de personas e monitoramento das redes sociais.

Aproveite do potencial das redes para estar em contato direto com quem lê o seu blog, e use dessa ferramenta para extrair informações sobre hábitos, interesses e influenciadores do nicho.

Construa um nome e nutra sua marca

Divulgar o seu nome e construir uma impressão forte ao redor de sua marca também é um passo fundamental para quem quer viver de blog.

É preciso que o seu negócio transpareça autoridade, e isso só é conquistado com a constante reafirmação de sua expertise na área.

Aproveite da produção de conteúdos para trazer posts informativos, e mostre sempre como o seu negócio está atualizado com as exigências do mercado.

Escolha a metodologia de venda ideal para seu público

Esse é um dos pontos mais sensíveis na sua trajetória para viver de blog.

Não existe uma metodologia ideal para ganhar dinheiro, tudo vai depender do tipo de produto ou serviço que você pretende anunciar, do seu público e da maneira como você pretende levar a sua estratégia de marketing digital.

Existem, porém, alguns caminhos mais comuns de serem trilhados na hora de ganhar dinheiro com blogs.

Listaremos abaixo os mais usados:

  • Adsense / Anúncios pagos no blog: Essa é uma das modalidades mais populares, mas que precisa de cautela quando usada. Anúncios em blog podem atrapalhar a experiência do usuário e comprometer a reputação do seu negócio, por isso, avalie bem esse modelo antes de torná-lo protagonista na sua estratégia.
  • Programa de Afiliados: Esse é outro modelo bastante popular e com menos problemas que o modelo de Adsense tradicional. No programa de afiliados você ganha dinheiro toda vez que alguém realizar uma compra por meio de links disponibilizados pelo seu blog.
  • Venda de infoprodutos: Infoprodutos compreendem os famosos e-books, audiobooks, podcasts, video aula etc. É possível monetizar todo o seu blog com base apenas nesse tipo de produto, oferecendo, por exemplo, infoprodutos de entrada com preços mais acessíveis e então infoprodutos completos, com o preço total.
  • Avaliação de produtos: Algumas empresas têm programas próprios de avaliação, e oferecem dinheiro em troca de conteúdos postados a respeito de seus produtos. Para isso, você precisará ter uma boa audiência e um conteúdo voltado para a temática do produto.
  • Conteúdo patrocinado: Esse é outro modelo de monetização que vai depender da audiência do seu blog. No conteúdo patrocinado uma empresa oferece dinheiro para postar algo (texto, vídeo, imagem etc.) a respeito dos seus produtos e serviços, aproveitando-se do espaço do seu blog e da audiência que você influencia.
  • Serviço de assinatura de conteúdo: Essa alternativa está ficando cada vez mais popular, valendo-se da ascensão de plataformas como o Padrin no Brasil. Aqui você disponibiliza conteúdos exclusivos para usuários que paguem determinado valor (que pode ser mensal, anual etc.). Podem ser cursos, artigos específicos, pesquisas etc. O que vale é providenciar exclusividade e atualizações constantes, agregando cada vez mais valor na assinatura.

Poste!

Se você chegou até aqui, postar será o menor dos seus problemas.

Estabeleça um cronograma de postagem e varie entre textos e outros formatos midiáticos para seu público.

Lembre-se de que cada conteúdo deve estar alinhado dentro do funil de vendas, de modo a conduzir sua lead para a conversão.

Agora é só equilibrar o processo de vendas com a manutenção do blog, sem deixar, é claro, de investir nas novidades que forem aparecendo!

Kit Planejamento do Funil de Vendas

6 estatísticas que você precisa conhecer para viver de blog!

Agora que você já sabe como dar o primeiro passo para viver de blog, é hora de começar a entender melhor como funcionam as relações entre sites, conteúdos e visitantes.

Separamos abaixo 6 estatísticas que podem ajudar na hora de montar o seu blog e otimizar o resultado.

Aproveite desses dados e trabalhe também em cima das informações que você já tem sobre o seu público, assim você garante uma solução personalizada e em dia com as demandas do mercado.

  • Mais de 70% das empresas que já trabalham com produção de conteúdo pretendem aumentar o volume de publicação nesse ano.

Se você quiser manter o seu negócio na frente, é bom começar a considerar novas formas de conteúdo e avaliar a sua frequência de postagem para não perder a vantagem competitiva!

  • Segundo a Orbit Media, conteúdos para blogs corporativos em 2016 mantinham uma média de 1054 palavras. 167 a mais do que o ano retrasado. Para 2017 a previsão é de que esse número cresça.

Viver de blog

Fonte: Orbit Media Blog

Posts maiores costumam trazer resultados melhores, por isso, saia das 500 palavras por post e comece a investir em conteúdos mais extensos e com diversidade de formato!

Lembre-se disso na hora de monetizar o seu blog: conteúdos educacionais e com detalhes importantes têm mais chance de agregar valor para sua persona e, claro, facilitar a sua conversão.

  • Mais de 200 milhões de pessoas no mundo usam o ad-blocker.

Esse provavelmente é um dos dados mais relevantes para você pensar na hora de montar sua estratégia para viver de blog.

A cada ano as pessoas se tornam mais e mais sensíveis à exibição indesejada de ofertas na rede, e isso pode jogar por terra toda uma estratégia de monetização em anúncios.

Considere outras formas de trazer renda para seu blog, e lembre-se de que é fundamental entender o comportamento da persona principalmente nesse tipo de assunto.

  • Empresas que priorizam blogs tem 13 vezes mais chances de alcançar um ROI positivo com seu marketing.

É inegável o papel relevante que os Blogs ocupam dentro de uma estratégia de marketing digital e, atentando-se para o correto monitoramento de tráfego, fica ainda mais fácil realizar o cálculo do ROI (Retorno sobre Investimento).

Mas, como isso ajuda?

Com um ROI preciso é possível estabelecer novas estratégias internas para seu conteúdo, adaptando-as e otimizando todo o seu planejamento de modo a obter o máximo de retorno possível.

Não só isso, blogs ajudam na geração de tráfego orgânico e nutrição de leads, garantindo ainda mais vendas para o seu negócio.

  • 47% dos consumidores tendem a acessar de 3 a 5 conteúdos diferentes antes de fechar uma compra.

Se o seu objetivo é viver de blog pela venda de produtos, incentive o seu público a fazer reviews e a compartilhar opiniões sobre seu negócio.

Esse tipo de conteúdo pode ser decisivo na hora da compra, além de servir de termômetro para sua empresa.

Valorize também conteúdos dentro de todas as etapas dentro do funil, garantindo que sua lead esteja devidamente preparada e com todas as dúvidas sanadas na hora de sua conversão.

kit de geração de leads

  • 94% das pessoas que compartilham conteúdos o fazem por acreditar que essa ação poderá ajudar alguém.

Esse dado é fundamental para você entender melhor o tipo de abordagem que seus conteúdos precisam ter.

Posts estratégicos são informacionais, e ajudam a persona trazendo uma solução específica na hora exata em que ela a procura.

Esteja atento para que todo o seu conteúdo seja, de fato, relevante, garantindo assim, mais chances de receber compartilhamentos e visitas orgânicas.

Como montar uma boa estratégia para viver de blog?

Independente da alternativa escolhida para a monetização do seu blog, uma coisa é fato: você precisa de conteúdo!

E, para isso, nada melhor do que se apoiar nos preceitos do marketing de conteúdo.

Com ele você garante uma alimentação periódica do seu blog, além de permitir uma maior interação do público com sua marca, nutrir a base de leads, melhorar a experiência de pós venda e garantir a autoridade da empresa.

O primeiro passo você já sabe: conheça sua persona.

Construa um mapeamento preciso do seu cliente ideal, e experimente cruzar essas informações com os dados de venda e acesso colhidos diariamente no seu blog.

Sabendo exatamente com quem falar você já dá o primeiro passo em uma estratégia de marketing de conteúdo que funcionará para o seu blog.

Com esses dados em mãos, é hora de criar a jornada de compra dessa persona, dividindo nas três etapas principais do funil:

  • atração;
  • consideração;
  • conversão.

Tendo em mente os comportamentos e aspirações da persona em cada uma dessas fases, você poderá estabelecer um fluxo de nutrição adequado para o seu modelo de trabalho.

Lembre-se de que a proporção precisa obedecer a certas regras: de nada adianta ter 10 posts de “conversão” se a “atração” não estiver bem estabelecida.

Com o conteúdo criado e otimizado para sua persona, é hora de pensar na divulgação.

Pagar anúncios pode ser uma saída fácil, mas lembre-se de que o objetivo aqui é conseguir o máximo de cliques orgânicos na sua página.

Experimente unir esforços com outras frentes de marketing, como o e-mail marketing, redes sociais, um site próprio e mídias pagas (como televisão, rádio, jornais etc.).

Conhecer sua persona auxiliará nesse momento de decisão, já que é necessário que ela consuma algum desses produtos para que sua divulgação chegue até ela.

Não se esqueça também de definir um time específico para a promoção de conteúdos e manutenção do seu blog, incluindo especialistas em SEO, redatores capacitados, analistas de marketing etc.

Por fim, organize uma agenda de postagem do material e mantenha em dia suas otimizações em SEO.

Quanto mais preparado o seu blog estiver, maiores as chances de ele figurar entre os primeiros resultados dos buscadores online, garantindo assim, mais visitas orgânicas e menos gastos com anúncios.

A melhor estratégia deverá vir personalizada para o seu modelo de blog e monetização, portanto, invista no monitoramento constante da sua persona, garantindo que o seu negócio esteja sempre atualizado com as últimas demandas do mercado.

15 dicas para quem quer monetizar um blog!

Agora que você já sabe todo o processo, que tal conferir algumas dicas? Aproveite para avaliar o que daria mais certo com sua persona e comece hoje mesmo a experimentar!

1. No início, foque na construção de uma audiência fiel para seu conteúdo. Assim ficará muito mais fácil trabalhar com as alternativas de marketing de afiliados e conteúdo patrocinado.

Como construir defensores para sua marca

2. Estabeleça relações com grandes marcas e invista na troca de links e conteúdos patrocinados. Desse modo, quando o seu blog já estiver melhor estabelecido, será muito mais fácil fechar acordos.

3. Construa redes de relacionamento e faça contato com outros produtores de conteúdo para blogs. Quanto mais ampla essa rede, melhor para a troca de links e divulgação.

4. Aproveite do potencial das redes sociais para divulgar o seu negócio e estabelecer uma relação de proximidade com sua persona. Essa alternativa também garante acesso a insights valiosos sobre o seu público.

5. Jamais dependa apenas de adsense no seu site, e lembre-se sempre de conferir se a exibição de anúncios não atrapalha a experiência de consumo do seu visitante.

6. Blogs hoje em dia têm boa parte dos acessos originários de dispositivos mobile, por isso, considere sempre um layout flexível e capaz de se adaptar a diferentes formatos de telas.

7 Construa Landing Pages otimizadas dentro do seu blog na hora de vender algum infoproduto. Assim fica muito mais fácil de entender a sua persona e conseguir dados para nutri-las no e-mail marketing, por exemplo.

8. Dependendo do seu modelo de negócios, considere também abrir uma área de doação no site. Em alguns casos, é possível estabelecer recompensas únicas para os doadores, bem no estilo de sites de apadrinhamento.

9. Se esse é o seu primeiro blog, experimente fazer algo sobre um hobby ou interesse genuíno em você. Desse modo você ganhará mais familiaridade com os processos enquanto aprende e escreve sobre algo interessante.

10. Considere assuntos que geralmente não são cobertos pela mídia tradicional, assim você garante mais um espaço de exclusividade no seu conteúdo.

11. Lembre-se de que o seu blog precisará de muito mais que apenas textos. Fotografias incríveis, ilustrações interessantes e vídeos diferenciados impactam a persona e dão mais valor para o conteúdo. Na hora de pensar o formato, não tema medo de ousar!

12. Ficou sem ideias para conteúdos? Considere pesquisar palavras-chaves populares para o seu nicho e visitar páginas e redes sociais usadas por sua persona. Às vezes o conteúdo mais criativo está escondido nos comentários de um post no Facebook!

13. Não está tendo tempo para escrever? É sempre possível contratar um freelancer para fazer esse trabalho. Essa alternativa pode ajudar na hora de escalar o seu negócio e otimizar a produção diária de conteúdo.

14. Lembre-se de que uma das vantagens do blog é justamente a perenidade dos conteúdos. Em redes sociais, por exemplo, a relevância de um texto costuma durar algumas poucas horas e, com sorte, dias.

15. Apesar de parecer o emprego dos sonhos, é fundamental que você estabeleça uma rotina de trabalho, postagem e verificação dos conteúdos. Esse cuidado será a melhor garantia de que o seu blog se manterá ativo pelos próximos meses.

Não se esqueça de que, acima de tudo, viver de blog exige muita dedicação.

Postar conteúdos relevantes, entender o mercado, acompanhar as flutuações da persona e monitorar resultados são fundamentais para que seu negócio online não se torne obsoleto.

Quer saber mais sobre o assunto? Então aproveite para ler nosso texto sobre monetização de conteúdos e tenha certeza de que é possível viver de blog.

Como usar o marketing para escalar vendas ebook

o snapchat morreu

O Snapchat morreu? O que esperar do futuro dessa rede social?

Seu Snapchat está morto?

Sua persona não quer mais saber de Snaps, só quer Stories?

Acha que algum outro app tem o necessário para esmagar o Snapchat?

Bem, parece que o caso é um pouquinho mais complicado que isso…

Com a recente adição do Messenger Day, no Facebook, o Status, no Whatsapp, o Story, do Snow, e o já clássico caso do homônimo Stories, no Instagram, o declínio de acessos no Snapchat parece cada vez mais evidente.

Milhares de usuários vêm abandonando a rede para retornar para aplicativos mais simples, mais leves ou já integrados com a sua rede de contatos.

Cerca de 82% do crescimento do app foi minado pelo surgimento das alternativas para sua funcionalidade principal: a publicação de mensagens (combinando vídeo, texto e imagem) com tempo de expiração de 24h.

Mas, mesmo com todos esses pontos negativos, o lançamento da oferta pública inicial da empresa do Snapchat causou algum rebuliço no mercado.

E, de acordo com o relatório lançado pela própria Snap Inc., as coisas não vão tãaaao mal assim.

Será que o app está mesmo morto? Será que hoje o Instagram ainda sairia vitorioso em uma disputa direta contra o Snapchat?

No texto de hoje vamos explorar mais sobre o assunto e tentar descobrir se, de fato, as chuteiras do Snapchat já podem ser penduradas.

Um breve histórico do Snapchat

Antes de saltarmos para uma conclusão precipitada, é fundamental entender todo o percurso do Snapchat no mercado.

Separamos abaixo alguns dados relevantes sobre o crescimento do aplicativo e a adição de novas funcionalidades desde 2011, quando sua primeira versão foi lançada:

  • O app começou em meados de 2011 com o nome de Picaboo, uma ferramenta de troca de mensagens por imagens no iOS. No mesmo ano o aplicativo foi renomeado para Snapchat e já alcançava a marca de mil usuários ativos diariamente.
  • Em 2012 o app ganhou sua versão para Android, e dali em diante passou a ter uma média de um milhão de usuários ativos todos os dias, incluindo também a funcionalidade de gravar e enviar vídeos juntamente de fotografias.
  • Foi em 2013 que a aclamada (e tantas vezes replicada) função Stories surgiu no aplicativo, permitindo que você visualizasse a linha do tempo de um contato. As alternativas de replay e filtros inteligentes surgiu bem no final desse período, tornando o app bem mais dinâmico.
  • A marca dos 50 milhões de usuários ativos diariamente chegou em 2014, logo após a implementação da funcionalidade de chat, Live Stories, Geofiltros e, por fim, propagandas.
  • Em 2015 o app começou a fazer mais dinheiro, lançando a alternativa Discover para grandes nomes do mercado, o recurso Lenses e alcançando a marca de 100 milhões de usuários ativos diariamente, o que acabou culminando na abertura de um escritório internacional para o aplicativo.
  • No ano de 2016 o app se reinventou: Geofiltros sob demanda, Chat 2.0, integração com o Bitmoji, área de Memories, Chat em grupo e o Spectacles foram lançados, levando o app a ganhar mais 50 milhões de usuários ativos, totalizando 150 milhões de acessos diários e superando o Twitter.

Entendendo dados dos últimos anos

Em cinco anos de história o aplicativo mudou – e muito – na maneira como lida com a privacidade dos usuários e com os anunciantes na rede.

Como podemos observar no histórico acima, o crescimento de usuários ativos diariamente teve seu maior boom de 2014 para 2016, somando uma média de 50 milhões a cada ano.

A maior queda, porém, veio nesse mesmo período.

No primeiro trimestre de 2016 a rede teve um crescimento registrado de 21 milhões de usuários ativos, mas, já no último trimestre, acabou apresentando a assustadora marca de apenas 5 milhões em uma data que coincidia com o lançamento do modo Stories do Instagram.

A concorrência acirrada que começava a surgir, tanto com o lançamento do modo Stories, quanto com a crescente popularidade do aplicativo Snow, no oriente, acabou afetando de maneira drástica a incrível escalada que o Snapchat vinha experimentando até então.

Usuários do Android, principalmente, acabaram optando pelo modo Stories, que é bem mais leve e tem reduzido consumo de bateria e memória quando comparado ao Snapchat.

Todas essas mudanças afetaram os dados demográficos do aplicativo, que, até então, reinava entre os adolescentes e jovens adultos.

Desde o final de 2016 pode-se observar um aumento dobrado de usuários com mais de 25 anos quando comparado com os usuários abaixo dessa faixa etária, o que, sem dúvidas, muda um tanto a dinâmica para empresas e influenciadores da rede que trabalhavam com outro espectro demográfico.

Apesar disso, ainda é notável a quantidade de vezes que o app é aberto diariamente: um usuário comum abre o aplicativo, em média, 18 vezes ao dia, mantendo-se conectado pelo tempo de 25 a 30 minutos em cada sessão.

60% desses usuários gasta esse tempo criando novos snaps e aproveitando da função de chat da plataforma.

Ou seja, apesar da redução do crescimento, os usuários que se mantiveram fiéis ainda garantem um bom engajamento para a rede, que mantém uma surpreendente média de criação de 400 milhões de snaps todos os dias.

O Snapchat está morto? E a culpa é de quem?

Apesar da evidente redução no crescimento de usuários ativos no app, está bem claro que ele ainda não morreu.

Mas, a culpa desse declínio é de quem?

Os golpes vieram de todos os lados: Mark Zuckeberg (CEO do Facebook) vinha tentando comprar o app desde 2012 e, desde o primeiro “não” recebido dos responsáveis pelo Snapchat, investiu em quatro ou cinco tentativas de copiar seus principais atributos.

O app Poke (encerrado em 2014), Instagram Direct e o Slingshot, no Facebook, foram os primeiros passos nessa tentativa que culminou no surgimento do modo Stories do Instagram.

Já em setembro de 2015, o Snow, versão sul-coreana do Snapchat, começou a tomar a fatia asiática do mercado do app, totalizando mais de 70 milhões de downloads apenas nessa região – e, como se não bastasse, o Snow tem permissão para funcionar na China, justamente onde o Snapchat é proibido pelo governo.

Agora, com o lançamento do Messenger Day no Facebook, mais um clone chega ao mercado, dificultando ainda mais para o lado do Snapchat.

Outro ponto muito levantado é o fato de empresas acabarem preferindo a alternativa do Instagram Stories para fazer seus anúncios, principalmente por conta da possibilidade de ser organicamente encontrada e a dificuldade de adaptação ao ambiente do aplicativo da Snap Inc.

A falta de métricas mensuráveis também atrapalha o negócio de quem prefere moldar a estratégia com base em dados, e daí o Instagram parece oferecer um melhor suporte às empresas.

A vantagem do Snapchat, porém, está na sua capacidade de atingir um público bem específico e ainda gozar de muita privacidade quando comparado com outros aplicativos que já copiam suas funcionalidades.

O que esperar do futuro do Snapchat?

Então, se o Snapchat não está morto, o que podemos esperar para 2017?

Como a própria empresa disse no documento oficial para o IPO, “a principal estratégia da Snap Inc. é focar em inovações e arriscar na melhoria de seus produtos”.

A insistência em se afirmar como uma empresa de câmera, e não de aplicativos, também pode ser um indicativo do que vem por aí.

No final do ano passado a empresa anunciou o lançamento do Spectacles, o primeiro hardware a levar o nome da Snap Inc. para o mercado.

Esse produto consiste em um par de óculos escuros dotados de câmeras laterais que gravam e enviam todo o conteúdo diretamente para o Snapchat via Bluetooth.

É inegável o impacto que a popularização de produtos como o Spectacles traz na maneira como o conteúdo é criado – principalmente pelos nomes de destaque nas redes sociais. Mas, em termos de mercado, ainda é difícil prever o impacto que esse tipo de produto terá na economia da Snap Inc., e se isso bastará para salvar o Snapchat do esquecimento.

A súbita redução de usuários na rede sinaliza a necessidade de mudanças, e superar seus concorrentes torna-se mais do que fundamental para que o Snapchat continue no mercado.

Para os próximos anos podemos esperar mudanças consistentes na rede social e, de preferência, de funcionalidades que não sejam replicáveis por outros aplicativos.

A adição de novos componentes, apesar dos constantes problemas técnicos gerados no passado, são uma boa alternativa para que o Snapchat continue no mercado reconquistando seus usuários “perdidos”.

Mas, para manter o crescimento de 50 milhões de usuários ativos ao ano de maneira rentável, a rede social precisará encontrar muito mais que o simples equilíbrio entre a privacidade oferecida pelo seu sistem, novas opções de engajamento e a possibilidade de manter anúncios de maneira saudável para o usuário.

Agora resta saber se o Snapchat encontrará a medida certa para a inovação, sem prejudicar toda a personalidade já criada no ecossistema do aplicativo.

E você? Está pronto para uma revolução na rede social? Aproveite então para desbravar algumas dicas incríveis para gerenciar o Snapchat do seu negócio. Se o app cumprir o que promete, é bom estar pronto para o seu triunfal retorno.

facebook messenger chatbot

Aprenda a criar um chatbot no Facebook Messenger para a sua empresa!

Já sonhou com um atendimento otimizado, rápido e gratuito em todas as suas redes sociais? Bem, ainda não existe suporte para todas elas, mas nas mais importantes, como o Facebook, você já pode começar a implantar!

A integração do Messenger com os Chatbots representa mais um passo na otimização da gestão de suas redes sociais, e pode ser muitíssimo vantajoso para seu negócio.

Segunda a pesquisa Social Media Trends 2017, o Facebook é a rede social mais utilizada pelas empresas (97,6%) e apresenta nota 7/10 em eficácia para ações de marketing quando comparamos com as demais. Vale a pena investir em ferramentas dessa plataforma para entrar em contato com o público.

Quer saber mais sobre essa alternativa? No texto de hoje ensinaremos o passo a passo para criar sua primeira mensagem automatizada. Confira agora!

O que é o Chatbot?

Um ChatBot, ou robô de conversação, é uma tecnologia capaz de simular diálogos com seres humanos por meio de uma série de comando pré-definidos.

No Facebook, o principal objetivo dessa ferramenta é auxiliar no processo de atendimento de seus clientes, contribuindo para a experiência do usuário e trazendo soluções cada vez mais imediatas para os problemas.

Apesar de parecer super revolucionária, essa tecnologia não é tão nova assim. Em meados de 1995 já existiam programas específicos para a conversação artificial online, a exemplo do Verbot.

Mas, e hoje em dia? Como os Chatbots vêm sendo usados na gestão de redes sociais? A empresa Motoboy.com, especializada no serviço de entrega e coleta personalizada, é um bom exemplo de como essa tecnologia pode ser incorporada ao Facebook.

Para acessar o Chatbot da Motoboy.com, basta clicar no botão de “mensagem” na página oficial da empresa, e então seguir com as opções que serão disponibilizadas na tela de chat.

facebook messenger chatbot

A palavra para iniciar a conversação aqui é “Get Started” (Começar), que pode tanto ser digitada quanto clicada na área inferior da tela. Assim que você selecionar essa alternativa, o bot será ativado e as primeiras mensagens automáticas chegarão.

facebook messenger chatbot

Nesse caso, a Motoboy.com apresentou outros dois desmembramentos do diálogo, permitindo que eu selecione a opção de “Sou Motoboy” e “Chamar motoboy”. Para o exemplo, foi selecionada a opção de chamar o motoboy, o que trouxe mais três novas linhas de conversação:

facebook messenger chatbot

Para essa alternativa o bot sugere também que acessemos o site oficial para finalizar o pedido ou contornar qualquer problema que não tenha encontrado solução.

Caso o diálogo fosse continuado, a opção de chamar um motoboy seria levada até que o pedido fosse finalizado ou cancelado.

Quanto mais sofisticado for o Chatbot, mais humanas serão as interações proporcionadas pela ferramenta, que analisará as principais palavras de suas mensagens para definir uma resposta que atenda aos critérios de sua pergunta. O caminho é oferecer conversações reais e que soem naturais a todos os clientes.

Por que considerar um Chatbot para sua empresa?

O Chatbot é uma das melhores alternativas para garantir atendimento rápido aos seus clientes, otimizando todo o processo de interação.

Por meio dele é possível acelerar a compra de produtos, reserva de mesas, quartos ou lugares, descobrir o endereço ou outras formas de contato e, principalmente, ter perguntas respondidas sem que seja necessária a intervenção de um de seus funcionários.

Seu bot pode tanto responder a perguntas pontuais, blocos de texto ou, como é bastante comum, indicar endereços para que a pessoa busque novas informações, seja na sua base de conhecimento ou em conteúdos já publicados em seu blog.

O Facebook permite também que conversações sejam iniciadas com usuários que já tenham se inscrito em sua lista de e-mails, facilitando a interação e ajudando caso você não queira ter de esperar pelo primeiro contato do cliente – mas esteja atento para as taxas cobradas por esse tipo de serviço e para não virar spam!

Chatbots e Marketing ebook

Passo a passo para criar o seu Chatbot

O próprio Facebook disponibiliza a documentação completa para entender melhor sobre essa tecnologia e sua incorporação ao Messenger, mas hoje ensinaremos como customizar seu próprio bot por meio do ChatFuel, um serviço gratuito e de fácil acesso.

Primeiro, acesse chatfuel.com e clique em no botão central de registro escrito “Get Started for Free”. Você será redirecionado para o Facebook, onde poderá finalizar o seu cadastro e ceder acesso ao seu nome e e-mail pessoal.

facebook messenger chatbot

Na tela seguinte, marque a primeira opção e desmarque a segunda, caso não queira receber newsletter do ChatFuel. Em seguida, pressione o botão vermelho “Ok, let me in” para seguir com o cadastro.

Na página seguinte você será convidado a fornecer permissões de acesso à sua página do Facebook. Para seguir, clique no botão vermelho “Give Permissions”. Na próxima tela você poderá tanto criar uma nova página quanto atrelar o Chatbot a uma já existente.

facebook messenger chatbot

Após a sua seleção, você será levado à dashboard do Chatbot. Aqui é possível tomar o tutorial oferecido pela própria plataforma ou navegar pela página e explorar suas funcionalidades.

Na área de menu na esquerda, selecione a primeira opção, “Build” e, em seguida, selecione “Welcome Message” na barra central.

facebook messenger chatbot

Aqui você poderá customizar a mensagem de entrada para a comunicação com sua página. Substitua o texto que aparece na área direita por algo gentil e relacionado com o clima e personalidade de sua página.

Em seguida, clique no botão inferior “+ Add Button” para adicionar opções de clique, como aquelas utilizadas na página do Motoboy.com.

facebook messenger chatbot

Preencha o botão selecionando o texto que será exibido e, em seguida, nomeando o bloco de texto que será utilizado para responder o seu cliente.

Observe que no menu central, logo abaixo de “Welcome Message”, surgirão os blocos recém-criados. Para esse tutorial, criei “Rastrear” e “Orçamento”.

Clicando no primeiro bloco criado, você terá a opção de customizar agora toda a linha de atendimento que se seguirá a partir dessa escolha.

facebook messenger chatbot

Para isso, clique em “Add card” no menu central. Ali existem as opções de galeria, texto, imagem, resposta rápida e plugin.

Para customizar um Chatbot simples, você pode focar no Text Card por enquanto.

Aqui, faça exatamente como você fez para customizar a mensagem de Welcome na sua página. Clique em Text Card, adicione o texto e clique em “Add button” para selecionar a opção que virá após a exibição do primeiro texto.

facebook messenger chatbot

Você pode sugerir um link, colocar ligação para um próximo bloco ou indicar um número de chamada de telefone.

Para o exemplo, assim que a primeira mensagem for exibida, o cliente receberá um link clicável para conferir a respeito do suposto pedido.

Logo em seguida outros dois textos serão exibidos (clique em Text card sempre que quiser adicionar novas informações para esse bloco de texto) e o cliente será convidado a enviar um e-mail para solucionar suas outras dúvidas.

Assim que terminar sua primeira configuração, clique no botão “Test Chatbot” no canto superior direito e aproveite para experimentar todas as opções de conversa.

facebook messenger chatbot

Pronto, sua primeira linha de conversa está pronta! Agora adicione a opção de contatar sua empresa pelo Messenger para facilitar o acesso do público à sua caixa de entrada.

Dedique um tempo para explorar ainda mais as possibilidades do Chatbot e, quem sabe, até integrá-lo com plug-ins feitos sob medida para seu negócio.

Lembre-se: quanto mais natural forem os seus diálogos, melhores os resultados obtidos com a ferramenta.

Curtiu? Com um Chatbot fica muito mais fácil manter a qualidade no atendimento e proporcionar a melhor experiência de consumo para seus clientes. Aproveite também para entender como fazer marketing no Facebook e torne-se um mestre nessa rede social: baixe o ebook!

ebook marketing no facebook

algoritmo do facebook

Algoritmo do Facebook: como ele funciona e como aumentar o seu tráfego orgânico

O Facebook, rede social líder em número de usuários ativos diariamente, é ainda uma das mais importantes ferramentas para o marketing digital.

Com seus mais de 1,18 bilhões de acessos únicos por dia, a rede já conta com 85,6 milhões de usuários apenas no Brasil.

Consegue imaginar isso? As chances de seu público estar conectado no Facebook nesse exato momento são altíssimas!

Por isso, é fundamental entender como funciona a dinâmica dessa rede, principalmente se você for partidário da busca por acessos orgânicos, ou seja, acessos que não dependam de anúncios ou pagamentos por fora para a rede, mas apenas do interesse dos usuários e do seu conhecimento sobre a rede.

Aqui no país, o Facebook está em primeiro lugar no ranking de redes sociais mais usadas e, ao que tudo indica, ainda está longe de ser desbancado pelo Whatsapp ou Youtube, considerados ávidos concorrentes pela tela do seu smartphone.

Mas, você sabe como manter as suas postagens na rede em primeiro lugar para que, pelo menos uma parcela desses 85,6 milhões de usuários no país, possa encontrá-la?

Dominar os segredos do Facebook é o diferencial de um profissional de social media, e pode ser o que faltava para que sua próxima estratégia digital dê certo!

O outro passo é saber exatamente como fazer marketing e posicionar sua marca nessa rede. Tem dúvidas sobre o assunto? Confira este material completo sobre Marketing no Facebook:

ebook marketing no facebook

Ficou curioso? Continue lendo porque hoje ensinaremos tudo o que há para saber sobre os algoritmos do Facebook.

O que é o algoritmo do Facebook?

O algoritmo do Facebook é um recurso utilizado para, principalmente, determinar o que é posto em primeiro no seu feed da tela principal.

Estima-se que um usuário médio tenha acesso a, pelo menos, 1500 posts diários, mas que, no final, presta atenção em apenas 20% disso.

Para entender o que realmente lhe interessa, a rede utiliza uma série de fatores individuais (mais de 100.000!) que tentam traduzir o que esses 20% tinham de diferente de todo o restante, e com os dados coletados, ele passa a buscar combinações, definindo o que deve, ou não, vir a figurar na sua tela inicial.

Boa parte desses fatores leva em conta não apenas os interesses do usuário, mas o seu comportamento na rede, quanto tempo permanece em determinado tipo de postagem, o uso dos recursos disponíveis (como reações, compartilhamentos, denúncias etc.) e na interação com seus amigos.

Basicamente, são 4 fatores que servem como introdução à possibilidade do conteúdo ser ou não apresentado ao usuário em um primeiro momento:

Quem postou

Já percebeu que depois de stalkear um usuário é comum que ele esteja no topo de seu feed? Não precisa fingir que não sabe do que estou falando.

O Facebook leva em consideração o nível de interações entre usuários, e isso conta quantas vezes você o pesquisou na rede, quantas vezes vocês trocaram mensagens, curtiram postagens um do outro etc.

Quando postou

Quanto mais recente a postagem, maiores as chances dela aparecer no seu feed. Mas lembre-se que a rede leva ainda em conta a última vez que você conferiu as últimas atualizações.

Tipo de conteúdo

O que você prefere ver no seu feed? Você costuma curtir mais fotos, vídeos ou textões?

O Facebook se lembrará disso na hora de organizar o seu feed, colocando em primeiro o tipo de conteúdo com o qual você mais interage.

Engajamento com o post

Como sua rede de amigos interagiu com uma postagem? Eles curtiram, comentaram ou compartilharam algo de maneira massiva? Então as chances desse post subir no seu feed são grandes.

5 regras de categorização

Além desses 4, porém, existem ainda uma série de fatores como base para a categorização das postagens, o Facebook preserva 5 regras para decidir o que é ou não importante para o usuário na hora do rankeamento.

Para entender melhor, imagine um usuário que chegou ao Facebook pela primeira vez. Sua única ação, até agora, foi aceitar solicitações de amizades.

Como o Facebook fará para organizar o seu feed?

Essas 5 regras abaixo devem ajudar nesse primeiro momento em que os dados de interação do usuário ainda não estão disponíveis para análise:

1. Família e amigos têm prioridade: Uma das prioridades da rede, acredite ou não, é de manter o contato dos usuários com pessoas que compartilhem os seus interesses, por isso, postagens de familiares e amigos (nessa ordem) sempre terão espaço antes das postagens de páginas e empresas curtidas.

2. Informação: A postagem é informativa? Se sim, ela deve vir antes. Esse recurso é otimizado mais tarde com os dados de interação, que ajudarão o Facebook a entender em que tipo de notícia o usuário tem mais interesse.

3. Entretenimento: mas é claro que não só de notícias é feito o Facebook. Para organizar o seu feed, a rede também levará em conta uma boa parte de postagens voltadas para o entretenimento, sejam elas fotos de artistas ou vídeos que seus amigos já curtiram.

4. Multiplicidade de ideais: Uma das maneiras encontradas para organizar o feed é a de justamente conectar usuários que compartilhem de pontos de vista semelhantes, principalmente quando falamos de ideais políticos ou religiosos. Assim, a rede observa as tendências de interação do usuário (e de seus contatos) e prioriza postagens que reflitam algo no qual você também acredita.

5. Autenticidade: A rede também leva em consideração a existência de conteúdos autênticos, que sejam capazes de se comunicar verdadeiramente com os usuários na hora de estabelecer os critérios de organização do feed. Isso significa que conteúdos considerados Spam, falsos, boatos ou sensacionalistas tendem a descer no ranking quando identificados.

Linha do tempo do algoritmo do Facebook

Linha do tempo do algoritmo do Facebook

Insira este infográfico no seu site:

<a href="https://rockcontent.com/blog/algoritmo-do-facebook/" target="_blank"><img title="Algoritmo do Facebook: como ele funciona e como aumentar o seu tráfego orgânico - Rock Content" src="https://rockcontent.com/blog/wp-content/uploads/2016/12/infografico-facebook-1-787x6020.png" alt="Algoritmo do Facebook: como ele funciona e como aumentar o seu tráfego orgânico - Rock Content" /></a>

Qual a importância do algoritmo para sua estratégia de marketing?

Entender como funciona o algoritmo do Facebook é o primeiro passo para a otimização do conteúdo disponibilizado pela sua empresa, garantindo que ele permaneça por muito mais tempo no topo e tenha chance de ser encontrado por seu público.

Você não quer ter uma página recheada de postagens que levam 1 a 2 likes cada, não é?

À medida que a rede cresce, cresce também a competição por um espaço no feed de cada usuário. Portanto, é seu papel estar ciente do que pode levá-lo ao topo e garantir mais acesso sem que seja necessário depender de anúncios ou mais dinheiro investido em propaganda.

Esse tipo de conhecimento também garante uma ótima vantagem competitiva na hora de fazer os seus posts, que precisam disputar não apenas com a concorrência, mas também com os amigos das suas personas e seus outros interesses na rede.

Lembre-se de que páginas ativas, e com bom conteúdo, têm um lugarzinho reservado no feed de todo mundo.

Estar ativo, porém, não significa floodar o Facebook com seu conteúdo. Se você quer estar em primeiro, mas sem perder a classe, entender os algoritmos da rede é o seu melhor atalho.

3 dicas rápidas para manter suas postagens sempre no topo

Foque na qualidade

Já falamos isso por aqui, mas nunca é demais reforçar: Qualidade, qualidade e qualidade! É nisso que você precisa pensar antes de montar qualquer tipo de novo conteúdo, independentemente do formato desejado.

Não pense, porém, que qualidade significa ter o último modelo de máquina fotográfica ou câmera filmadora.

Apesar de isso fazer muita diferença, o seu foco deve estar mais na qualidade do conteúdo e menos na sua forma.

Os textos, imagens, vídeos e áudios que você produz são realmente relevantes para sua persona?

Você pode descobrir isso não apenas observando o comportamento dela diante do seu conteúdo, mas entendendo se o que você disponibiliza é realmente capaz de responder a uma dúvida no momento exato em que o seu público precisa tê-la sanada.

Conteúdos capazes de informar, inspirar e servir à persona no momento em que ela necessita ter acesso àquilo têm muito mais chances de ficar no topo do feed de qualquer usuário.

Considere usar anúncios

Hoje o Facebook Ads é a principal plataforma de anúncios para redes sociais, sendo o principal faturamento da rede.

Os anúncios são importantes por vários motivos. Eles aumentam o alcance, permitem uma segmentação cuidadosa para que você atinja o público certo com o melhor conteúdo possível e ainda podem trazer resultados globais para sua página, “levantando” suas outras postagens.

Quer descobrir tudo sobre Facebook Ads e como criar bons anúncios? Confira o material abaixo:

Guia Prático do Facebook Ads

Aprenda a criar anúncios incríveis e gerar mais resultados nas redes sociais!


Fuja do spam

Postar continuamente a respeito de um assunto pode causar problemas para a exibição do seu conteúdo.

Isso porque o Facebook tem recursos para encontrar e identificar conteúdos que possam ser considerados spam na rede, e daí a chance de retornar ao topo é bem pequena.

Para não ser categorizado como spam, esteja atento ao critério de relevância daquele conteúdo.

Clickbait, por exemplo, precisa ser evitado a todo custo. Bem como títulos sensacionalistas e conteúdos que prometem demais no título e incapazes de cumprir com a expectativa levantada.

Evite fazer postagens que peçam para o usuário curtir ou compartilhar, por exemplo. É permitido sim esse tipo de conteúdo, mas em demasia logo acaba sendo penalizado pelo Facebook.

Esteja atento à melhor configuração de cada postagem

Monitorar o seu conteúdo é a chave para melhorar os resultados na sua página no Facebook. Acompanhe a performance de suas postagens e observe quais os horários com maior índice de engajamento e alcance.

Entenda que formato de conteúdo seu público mais gosta, e saiba construir CTAs adequados à sua persona.

Evite posts apenas com texto. Integrar com imagens, vídeos ou links sempre ajuda a dar um boost para o seu conteúdo e colocá-lo mais alto no feed dos usuários.

Outra dica importante é a de utilizar links encurtados nas suas postagens para fins de monitoramento. Assim você consegue dados precisos sobre o engajamento de sua persona e de onde está vindo o tráfego para o seu conteúdo.

O segredo para permanecer no topo está, justamente, em conhecer e dominar as ferramentas dadas pelo próprio Facebook.

Aprenda mais sobre redes sociais e como elas podem ser valiosas para a estratégia da sua marca:

Marketing nas redes sociais