Maria Luiza Corrêa

Consultora de Automação de Marketing na Rock Content.

Faço parte do time de Consultoria e Serviços da Rock Content, atuando especialmente com estratégias de automação de marketing. Gosto de soluções simples que resolvem problemas complicados.
6 publicações feitas.



Smarketing na prática: como é o dia a dia de uma empresa com os times de marketing e vendas alinhados!

Durante muito tempo, os times de marketing e vendas foram vistos como opostos (e, em alguns casos, até como inimigos!), e não é nada raro ver essas duas equipes em conflito.

Mas, no final do time, todo mundo está no mesmo barco, não é mesmo?

Pesquisas indicam que empresas que percebem isso e promovem a integração entre esses dois departamentos apresentam resultados muito melhores. E fazer isso é o que é conhecido como smarketing (ou vendarketing).

O objetivo deste post não é apresentar o conceito de smarketing (você encontra uma explicação muito completa aqui), mas sim apresentar algumas técnicas práticas de rotina para implementá-lo em sua empresa.

Continue a leitura e saiba como alinhar de vez suas equipes de marketing e vendas!

A base de um smarketing de qualidade

Toda empresa (sim, toda!) pode se beneficiar de um bom alinhamento entre vendas e marketing, independente das particularidades do mercado e do produto ou serviço vendido.

Fazer isso não é fácil e nem acontece do dia pra noite. Mas, para começar, é certo que seus times de marketing e vendas possuam os seguintes pré-requisitos:

Sejam “data driven”

Esse é um pré-requisito não só para as equipes de marketing e vendas, mas para toda a empresa. Uma cultura orientada a dados torna o trabalho de todos mais objetivo e possibilita análises realistas que identificam problemas, oportunidades de melhoria e tendências.

Evite deixar metas “muito abertas” como “gerar mais oportunidades” ou “aumentar a receita”. Quantos leads o marketing precisa gerar mês a mês? E vendas, quantos prospects precisam ser abordados por dia? Quantos precisam ser fechados? Tudo isso precisa estar muito claro para todos se você quer que seus objetivos sejam alcançados.

Respeitem o trabalho do outro

Esse item pode parecer bobo mas é fundamental mencioná-lo devido à sua importância para um smarketing de qualidade.

Além de aceitar que “todo mundo está no mesmo barco”, tanto marketing quanto vendas precisam respeitar o trabalho do outro time, entendendo o papel de cada um e também suas limitações.

Isso torna todo o trabalho não só mais produtivo, como também mais agradável.

Falem a “mesma língua”

Você já viajou para algum país em que não dominava o idioma e se sentiu completamente perdido?

O mesmo pode acontecer quando seus colaboradores de marketing e vendas não trabalham com os mesmos conceitos chave. Infelizmente, isso ainda é muito comum em empresas no Brasil e é um dos principais motivos que levam à desentendimentos entre esses dois departamentos.

Para evitar que isso aconteça, garanta não apenas que todos trabalhem com um mesmo framework mas que também usem as mesmas definições que tangem o trabalho em equipe. Sua buyer persona não deverá ser diferente para sua equipe de venda e marketing, nem sua definição de lead ou oportunidade, por exemplo.

Os objetivos e metas das duas equipes deverão ser atrelados de forma objetiva, além de seguir conceitos em comum. Seu time de vendas precisa de 50 leads para bater a meta? Garanta que o marketing siga a mesma definição do que é um lead e tenha uma meta diretamente relacionada à sua geração.

Trabalhem com um mesmo funil

É comum que o time de marketing trabalhe com um funil e o de vendas com outro. Porém, unificá-los é padrão no smarketing.

Por quê? Entenda que a jornada de compras de um lead está diretamente relacionada ao seu ciclo médio de vendas. O segredo está em entender como integrar os trabalhos de marketing e vendas ao longo de todo o processo.

Tenham uma definição clara de SLA

Esse termo significa Service Level Agreement, que pode ser traduzido como nível de acordo de serviço.

Na prática, seu SLA deve deixar bem claro quais são as responsabilidades de cada time para viabilizar um trabalho alinhado e resultados mais significativos. Ele também pontua até onde cada equipe vai no processo de aquisição de clientes.

Você pode, por exemplo, definir que seu time de marketing é responsável por entregar 100  SQLs por mês e que vendas deverá entrar em contato com cada um em até 24 horas e dar um feedback para o marketing no mesmo dia.

Para mais informações sobre como criar um SLA para sua empresa, acesse este post completo.

Entendam com clareza e estão de acordo com as estratégias propostas

Quem trabalha com vendas raramente entende as campanhas do marketing, e quem trabalha com marketing tende a não se informar muito sobre os processos de negociação de vendas.

Trabalhar dessa forma não apenas aumenta o distanciamento entre as equipes mas também impede que os dois times contribuam para o trabalho um do outro.

Tente ao máximo garantir que todos entendem e concordam com as estratégias antes de colocá-las em prática. Um vendedor, por estar em contato próximo com a persona, pode dar insights valiosos sobre a abordagem de uma campanha, por exemplo.

Melhores práticas de uma empresa que domina o smarketing

Na teoria, o smarketing é incrível: todos no mesmo barco, falando a mesma língua, em busca dos mesmos objetivos.

Mas com a correria do dia a dia e com as diferenças entre o trabalho das duas equipes, pode ser complicado garantir esse alinhamento.

Por isso, é recomendado adotar algumas políticas específicas para que todos não se esqueçam da importância do trabalho alinhado. Algumas delas são:

Canais abertos de comunicação e compartilhamento de informações entre equipes

Depois de garantir que vendas e marketing falam a mesma língua, incentive que os dois times se falem de fato! Como? Bom, comece promovendo uma cultura de feedbacks diretos e constantes e use ao máximo da tecnologia ao seu favor.

Emails e telefonemas são boas opções, mas já existem sistemas específicos de comunicação entre times, como o Slack, que podem podem facilitar (e muito!) essa interação.

Além disso, é uma boa prática centralizar todas as informações e disponibilizá-las para ambos os times (se possível, em tempo real — pense nos grandes painéis de Wall Street).

Reuniões recorrentes

Por mais que os canais acima sejam importantes para ter um time alinhado e em constante comunicação, emails e mensagens não são o suficiente para garantir que todos estão na mesma página.

Deixar reuniões agendadas (e torná-las obrigatórias) é fundamental para o smarketing. É indicado que elas sejam frequentes mas com objetivos distintos, como mostra o exemplo abaixo:

  • Mensais: análise dos resultados, identificação dos pontos de melhoria e elaboração de um novo plano de ação.
  • Semanais: acompanhamento mais prático do que está sendo feito, atualização do andamento das ações propostas, feedbacks específicos para correções pontuais.

Metas e incentivos compartilhados

Se todos têm os mesmos objetivos, porque não compartilhar também metas?

Você pode potencializar ainda mais um trabalho em equipe se a avaliação da performance depender de ações de ambos os lados. Feche com chave de ouro promovendo incentivos (como bônus ou prêmios) para o atingimento dessas metas.

Softwares integrados

Lembre-se: o smarketing precisa de uma cultura orientada a dados para funcionar. Por isso, a grande cereja do bolo é integrar não apenas as ações dos dois times como também os números.

Hoje em dia, o uso de uma plataforma de automação é quase indispensável para o marketing: esse tipo de sistema permite centralizar todas as ações e acompanhar (em tempo real) seus resultados, como geração de tráfego, leads etc.

Quando estamos falando em vendas, a solução ideal é o CRM (Customer Relationship Management), que auxilia todo o processo de vendas.

Integrar os dois simplifica a visualização de todo o processo e otimiza o trabalho das duas equipes. Quer um exemplo? Alguém preencheu um formulário de contato em seu site. Seu vendedor pode ser notificado instantaneamente e ter acesso à todas as informações que o marketing já reuniu daquele lead.

Sua análise de campanhas e performance ganha bastante também. Dependendo dos sistemas escolhidos, você pode gerar relatórios complexos em minutos!

Conclusão

Não adianta mentir: integrar seus times de vendas e marketing não vai ser fácil, e os resultados não serão vistos imediatamente. O importante é entender que o smarketing é fundamental para garantir resultados melhores em sua empresa, além de um crescimento mais sustentável e previsível.

Comece com a implantação das ações propostas acima e não desista ao se deparar com obstáculos; o processo pode ser demorado mas certamente valerá a pena no final.

Ainda não se convenceu? Baixe o nosso eBook gratuito e saiba como usar os conhecimentos de Marketing para escalar vendas!

Como usar o marketing para escalar vendas ebook

Chatbots e Marketing

Chatbots vão acabar com o atendimento humano?


(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post! Deixe nos comentários o que achou.)

Chatbots parecem despontar como a próxima grande inovação no relacionamento entre empresas e consumidores. A necessidade de uma comunicação mais rápida, personalizada e unificada abre espaço para esta tecnologia, que literalmente não para de se desenvolver.

Conceitualmente, você pode dizer que chatbots são programas de computador respondendo mensagens de usuários. Mas isso não passa toda a ideia do que eles podem fazer por sua empresa!

Integrar o atendimento em vias que seus clientes realmente usam no dia-a-dia, otimizar o atendimento com respostas imediatas e segmentadas, gerar vendas de maneira prática e automatizada, aprender com cada atendimento e melhorar as respostas ao longo do tempo.

Todas são funções que os Chatbots vem mostrando serem capazes de fazer com qualidade, e do ponto de vista tecnológico várias opções impressionantes já são possíveis.

Mas afinal, com todas estas possibilidades, é possível que o atendimento humano se torne obsoleto? Os chatbots tem potencial de tomar conta do setor de atendimento das empresas por completo?

Se você está lendo por que pretender substituir todos os responsáveis por atendimento da sua empresa por um Chatbot, lamento te informar que não vai funcionar.

Para te explicar por que é importante explicar como o Chatbot funciona dentro do fluxo de comunicação de uma empresa.

Como funciona um Chatbot

Chatbots funcionam em cima de como seu cliente se comunica com sua empresa. Ao clicar no chat, o usuário pode querer solicitar um orçamento, saber mais sobre seu produto, fazer uma compra, deixar um feedback, entre várias possibilidades.

O que o Chatbot faz é similar ao que fazem as linhas automáticas de atendimento telefônico. Você pode clicar ‘1’ para consultar seu saldo, ‘2’ para ouvir suas mensagens, ‘3’ para apagar mensagens, assim por diante.

Não é muito diferente com Chatbots: são apresentadas opções e você segue um caminho pré-determinado em um fluxograma. A grande diferença é que são sistemas inteligentes, que são programados para assimilar relações mais complexas e aprender em cima das experiências anteriores.

Um Chatbot pode ser programado para reagir de acordo com o estágio de funil de um cliente, entregando materiais que sejam relevantes para ele com base em informações que você já possui, como quais páginas do seu site ele já visitou e quais materiais ele já baixou.

Pode também ajudar a marcar leads como qualificados ou não, de acordo com informações que você já possui sobre suas personas, leads, MQLs e clientes. Tudo de forma automatizada e imediata, poupando tempo da sua equipe de Marketing e Vendas.

Chatbots funcionam em cima do conceito de Machine Learning. Isto quer dizer que além de desempenhar as funções pré-programadas, eles são desenvolvidos para entender falhas e padrões e se corrigir.

Então por que o atendimento humano ainda será necessário?

Por que qualquer ferramenta tecnológica de comunicação deve sempre ser vista como complementar, principalmente quando o assunto são negócios.

Nem todas as solicitações dos seus clientes podem ser atendidas de forma imediata por um sistema pré-programado, mesmo que o Chatbot aprenda a solucionar este problema após algumas ocorrências.

Se uma pessoa entra no chat, mas deseja fazer algo que não está entre as possibilidades do Chatbot, é preciso ter pessoas preparadas para atendê-la naquele momento.

Usando o Chatbot de maneira correta, o seu time de atendimento e vendas pode entrar em ação nos casos que realmente necessitam de um serviço personalizado, economizando o tempo gasto em ações que podem ser automatizadas.

Sim, o conceito do Chatbot passa pela ideia de reduzir custos com equipes menores, mas nunca de acabar com um setor inteiro.

Pegue a automação de marketing como exemplo. Hoje os profissionais de marketing usam ferramentas que reduzem o trabalho manual, e consequentemente podem trabalhar com times menores.

Estas ferramentas ajudam a aumentar a eficiência do time e diminuir o tempo gasto com cada tarefa. E isso significa um processo mais eficiente e lucrativo.

Funciona da mesma forma. Sua equipe, não desaparecerá, ao contrário, ela terá uma ferramenta valiosa de poupar tempo e gerar oportunidades. O tempo poupado vai ser melhor utilizado para atender casos específicos e otimizar os processos do time.

Chatbots ainda são novidades, mas mostram que tem potencial enorme e que provavelmente vieram para ficar. Por isso, preparamos um material completo, com tudo que você precisa saber sobre Chatbots, além de um case de uma empresa que já tem sucesso utilizando esta ferramenta. Vale muito a pena conferir!

Chatbots e Marketing ebook

Automação de marketing e conteúdo

Entenda por que a automação de marketing é essencial para a sua estratégia de conteúdo

Independente do segmento ou tamanho do seu negócio, ter uma presença online e uma estratégia de marketing digital bem estruturada já não é mais uma opção.

E, quando estamos falando sobre marketing digital, é quase impossível não pensar em automação de marketing, que é ainda mais fundamental para quem pretende gerar leads e oportunidades de negócio na internet.

Mas qual é a relação disso com minha estratégia de conteúdo? Como alinhar essas duas frentes para ter mais resultados?

Continue a leitura abaixo para tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto!

Afinal, o que é automação de marketing?

Para entender de vez o que é automação de marketing, considere a seguinte analogia:

Suas páginas na internet são como pequenas lojas em um grande shopping. As pessoas entram na loja atraídas pela sua vitrine (que podem ser vistas aqui como o título da sua página e a sua meta description) e ficam lá durante um certo tempo.

Até aí, tudo bem. Mas aí surgem dois desafios: fazer com que as pessoas comprem algo e garantir com que todas elas sejam devidamente atendidas — afinal, você não pode atender os visitantes de uma página um a um, não é mesmo?

Bom, a automação de marketing nada mais é do que o conjunto de softwares e sistemas que vão te ajudar a transformar seus visitantes em leads e a trabalhá-los de forma estratégica (e automatizada) até que eles se tornem clientes de fato.

Pense na automação como uma atendente da sua loja que consegue atender a todo mundo ao mesmo tempo e de forma personalizada, otimizando (e muito!) seus esforços em marketing.

Mas o que o conteúdo tem a ver com isso?

Ainda considerando a automação de marketing como a super atendente da sua loja, tente pensar no melhor atendimento que você já teve ao comprar algo.

Na maioria das vezes, o que realmente diferencia um bom vendedor de outro qualquer é o quanto ele realmente entende suas necessidades e, mais importante, o quanto ele consegue relacioná-las ao produto que está vendendo.

No cenário digital, a automação de marketing só consegue oferecer esse tipo de atendimento com a ajuda do conteúdo, que vai servir como insumo educativo de apoio na jornada de compras de sua persona. Em linhas gerais, você pode considerar que a automação é o carro e o conteúdo é o combustível.

Como isso funciona na prática?

Essa é uma pergunta difícil pois existem inúmeros cenários e aplicações da automação de marketing. Mas, para você entender o potencial disso tudo, utilizaremos um cenário básico de uso.

O momento de conversão

A automação de marketing começa a partir do momento em que você converte um contato: antes dessa conversão, um visitante não é nada mais do que um endereço de IP no seu site ou no seu blog. E sejamos sinceros: é muito difícil conversar com alguém que você não sabe nada sobre, certo?

Bom, uma conversão é basicamente todo momento em que você pede uma informação de um visitante em troca de algo de valor para ele, e isso pode ocorrer de diversas formas.

Você pode colocar uma caixa de newsletter no seu blog, por exemplo.

Caixa para assinar newsletter no blog

Ou então colocar um pop-up com uma oferta imperdível:

Oferta por meio de Hello Bar

Com o uso de um conteúdo bem orientado para a sua persona, você também pode usar landing pages, que são páginas de conversão com formulários específicos para gerar leads qualificados:

Exemplo de Landing Pages

A parte legal de usar conteúdo e landing pages é que você pode perguntar coisas que sua empresa precisa saber sobre esses contatos para entender se seu produto ou serviço pode realmente ajudá-los.

Depois da conversão: onde a mágica acontece

Você colocou vários pontos de conversão estratégicos em seu site e blog, disponibilizou vários e-books e materiais ricos em landing pages e agora tem um monte de contatos.

E agora?

O momento pós-conversão é onde a mágica da automação de marketing realmente acontece: agora que você já tem os dados desses leads, é hora de nutri-los!

A chamada nutrição de leads é o processo no qual você vai educar ainda mais seus contatos e assim reforçar seu relacionamento com eles.

Nessa nutrição, o seu insumo (ou alimento) educativo é justamente o que? Seu conteúdo!

Uma boa ferramenta de automação permite que você utilize fluxos de nutrição automáticos para fornecer mais conteúdos para o seu contato e de forma personalizada. E digo de forma personalizada pois é possível criar um fluxo para diferentes grupos de contatos que você tiver, dependendo das informações que você possui.

Por exemplo: se você perguntou em um formulário se seu contato prefere bolos de chocolate ou de baunilha, você pode criar um fluxo diferente para cada um deles com base na resposta fornecida. O grande segredo da automação é, portanto, saber exatamente o que perguntar para seus leads e construir a partir disso uma boa segmentação.

Automação para muito mais do que nutrição de leads

Se estamos considerando automação de marketing como tudo aquilo que simplifica e automatiza sua estratégia, vale notar que as possibilidades vão muito além da segmentação, qualificação e nutrição de leads!

De email marketing a chat bots, o que não faltam são ferramentas para automatizar seu processo e ajudar você a gerar leads mais qualificados.

As possibilidades são infinitas e o desafio, portanto, é entender quais delas vão realmente simplificar seus processos.

A partir de qual momento eu preciso pensar nisso?

A resposta mais simples é depende.

Você pode começar uma estratégia de automação a qualquer momento mas, para garantir um melhor retorno do investimento, é preciso entender a maturidade e o seu momento no marketing digital.

Para quem usa a metodologia de conteúdo da Rock Content, o estágio 2 registra o momento em que você precisa começar a pensar nisso: quando seu blog já está no ar e equipado com mecanismo de capturas de email, logo logo será necessário contar com uma ferramenta para gerir melhor seus contatos e nutri-los de forma estratégica.

No estágio 3 — conhecido como máquina de leads —, a automação de marketing já é indispensável. Afinal, é aqui que você vai trabalhar com um volume de contatos e vai precisar de uma mãozinha para entender quais deles realmente estão qualificados e aptos e se tornarem clientes.

Por mais que a automação sirva para simplificar seus processos, é preciso ter em mente que montar uma boa estratégia demanda tempo e dinheiro: não adianta nada criar um fluxo de nutrição e deixá-lo para lá.

Bons resultados são provenientes de uma rotina de monitoramento, análise e otimização. Portanto, antes de embarcar nessa, tenha em mente que será preciso investir em ferramentas e ter braço para geri-las estrategicamente.

Para saber mais sobre como usar o conteúdo estrategicamente em sua automação, baixe o nosso e-book gratuito sobre o assunto.

automação de marketing e vendas

 

chatbot e marketing

[Ebook] Chatbots e Marketing: como usar essa estratégia para melhorar seus resultados

Não é novidade para ninguém que o mobile trouxe inúmeras possibilidades de comunicação para as pessoas.

Mas você já parou para pensar em como ele também está mudando a maneira que nos comunicamos?

A praticidade oferecida pelas transformações digitais está fazendo com que as pessoas prefiram, cada vez mais, formas de interação diretas e rápidas.

Assim como vários aplicativos que nos ajudam a fazer diversas tarefas, desde solicitar uma carona até pedir comida, é cada vez menos comum que as pessoas esperem por um e-mail ou uma ligação — muito menos se for um telefonema de venda de algum produto ou serviço.

Portanto, se a sua empresa está online para gerar oportunidades de negócio e/ou prestar suporte aos seus clientes, saiba que se adaptar a este novo cenário não é mais uma opção.

Neste ebook, você vai conhecer a fundo os chatbots, uma das principais ferramentas usadas nesse contexto para otimizar a comunicação e o atendimento a clientes no mundo digital.

Mas as vantagens não param por aí: baixe nosso ebook e entenda todo o potencial desses softwares para o seu negócio, principalmente na sua estratégia de Marketing!

Boa leitura!

chatbots e marketing

Rock my Business Unyleya

Rock My Business: como a Faculdade Unyleya acelerou seu processo de captação de alunos com a ajuda da Rock Content

Você sabe quantas Instituições de Ensino Superior — IES  existem no Brasil hoje?

Em 2016, de acordo com o MEC e o INEP, esse número já passava de 2.407.

Parece muito?

Então você ficará surpreso em saber que, apenas em graduação, estão disponíveis cerca de 34.366 cursos diferentes — com mais de 10 milhões de vagas ofertadas.

A moral da história, para quem trabalha com educação superior no Brasil, é que ter uma estratégia de marketing consistente não é mais uma opção; é uma necessidade.

Hoje você vai ver como a Faculdade Unyleya, em parceria com a Rock Content, está usando o marketing de conteúdo como ferramenta para:

  • Se diferenciar no mercado de IES;
  • Construir autoridade no segmento educacional;
  • Construir um novo processo inbound de captação de alunos.

A Faculdade Unyleya

A holding Unyleya Educacional é uma multinacional especializada em soluções de Educação para todos os países de língua portuguesa no mundo.

No Brasil, a Faculdade Unyleya, uma das iniciativas da Unyleya Educacional no país, já tem 11 anos de tradição e é uma das pioneiras em educação a distância acessível e de qualidade: são 11 cursos  em nível de Graduação e mais de 500 em Pós-Graduação.

O grupo já havia iniciado seus trabalhos de marketing digital em 2014 pois viam no ambiente online uma chance de concorrer de forma mais justa com seus competidores. Afinal, no mundo offline quem tem mais dinheiro é mais visto, certo?

Até o ano de 2017, no entanto, seus esforços de divulgação ainda eram predominantemente pagos, com investimentos significativos em mídia de performance.

O problema em trabalhar dessa forma? Com a crescente concorrência, os custos de anúncios foram se tornando cada vez mais altos.

Diante desse cenário, a Faculdade Unyleya começou a pesquisar sobre estratégias de marketing digital que oferecessem um ROI melhor, e foi aí que eles encontraram a Rock Content.

Por que inbound e marketing de conteúdo para IES?

Antes de falarmos mais sobre a parceria da Rock com a Faculdade Unyleya, é importante parar e refletir sobre porque essas estratégias dão certo para instituições de ensino superior.

Toda essa história de inbound marketing e a premissa de educar seu consumidor em vez de convencê-lo é novidade para o mercado educacional no Brasil.  Até pouco tempo atrás, um anúncio na TV e alguns outdoors já eram o suficiente para garantir a cota de novos alunos no ano.

Mas o que mudou?

Além do volume crescente de IES no Brasil, o aluno agora tem o poder da informação nas suas mãos: antes de tomar qualquer decisão para o seu futuro, ele pode sanar todas as suas dúvidas com apenas um clique.

Uma simples pesquisa no Google permite que ele descubra o que o mercado procura, qual tipo de curso tem a ver com ele e até mesmo o que é preciso saber antes de escolher uma instituição.

Bom, se você não pode mais convencê-los, por que não educá-los?

Ao utilizar o marketing de conteúdo em sua estratégia, você pode participar de toda a jornada de compras de seu aluno fornecendo as informações que ele precisa para tomar sua decisão.

E quando isso é feito corretamente, ele mesmo percebe que a melhor escolha é você.

Um outro benefício em utilizar essa abordagem é criar um relacionamento com seus alunos antes que eles comecem a estudar, o que ajuda na retenção dos mesmos ao longo de seus cursos.

Por que a Rock Content?

Ao pesquisar por novas estratégias de marketing, a Faculdade Unyleya percebeu o potencial do inbound e do conteúdo para:

  • Ter um ROI melhor no digital, ao produzir orgânicos que gerassem visibilidade online de forma previsível;
  • Criar um relacionamento direto e duradouro com sua persona, ao fornecer o conteúdo que ela busca no momento que ela precisa;
  • Diminuir o ciclo de venda de seus cursos, utilizando o conteúdo para gerar pré-inscritos mais maduros e educados.

Até aí, tudo bem.  Mas como produzir conteúdo em escala e de forma estratégica?

Foi essa demanda que levou a Faculdade Unyleya à procurar a Rock Content.

Guilherme Pessina, diretor de marketing da Unyleya Educacional, viu na Rock Content o parceiro ideal para criar uma estratégia, pois oferecia a produção escalada de conteúdo de qualidade para a persona e o know-how necessário para utilizar esse conteúdo na captação de alunos.

A elaboração da estratégia

A parceria da Rock com a Unyleya começou com um plano personalizado e agressivo.

O estudo completo da persona indicou a necessidade de um pacote de conteúdo com diferentes formatos de acordo com os estágios da jornada de compras.

Para aumentar a visibilidade online orgânica da Faculdade e a autoridade do domínio, a estratégia de conteúdos no blog trabalhava com posts mais extensos e focados em palavras-chave estratégicas.

No entanto, o apoio na produção de conteúdo não era o suficiente para gerar mais matrículas via inbound marketing para a Faculdade.

Dessa forma, a consultoria intensiva em inbound da Rock Content trouxe ao projeto o conhecimento e o acompanhamento necessário para criar um novo processo de captação de aluno, utilizando a automação de marketing como meio e o conteúdo como combustível.

Com reuniões quinzenais, a Rock e a Unyleya desenvolveram ao longo do último ano estratégias para:

  • Direcionar o conteúdo de forma apropriada à persona;
  • Converter o visitante em pontos estratégicos do site e do blog, de acordo com o seu estágio da jornada de compras;
  • Usar o conteúdo para nutrir os leads e levá-los até os momentos de conversão-chave (pré-matrícula e matrícula).

Utilizando a Hubspot como ferramenta de automação de marketing, foi possível:

  • Acompanhar toda a jornada de compras do aluno, desde o primeiro contato no site até sua matrícula;
  • Conhecer melhor o comportamento do usuário e utilizar essas informações para produzir conteúdos mais estratégicos;
  • Nutrir os leads de forma segmentada e personalizada;
  • Gerar relatórios completos de resultados, tornando possível calcular o ROI de cada ação e o impacto do inbound na estratégia de captação da universidade.

Lições aprendidas

Com 10 meses de parceria, tudo o que aprendemos sobre estratégias de conteúdo para IES está voltado a um fator-chave: segmentação.

Percebemos que as ações mais bem-sucedidas de toda a estratégia foram aquelas que eram extremamente direcionadas ao momento da persona.

A produção de conteúdos de topo foi (e continua sendo) muito importante para a geração de tráfego contínuo para o blog, mas aprendemos que materiais de consideração tendem a converter melhor visitantes em leads.

A automação de marketing foi fundamental nesse aspecto. Definimos um conjunto de informações básicas que permitiriam personalizar a mensagem ao aluno e, a partir delas, foi possível criar pontos de conversão estratégicos e campanhas de nutrição segmentadas de acordo com o interesse que gerou a conversão do lead.

Pode até parecer inexpressivo, mas uma dessas ações (apenas uma) gerou 286 alunos para a Unyleya em menos de 10 meses.

Sim, um simples pop-up pode trazer excelentes resultados para a sua instituição, desde que feito de forma estratégica.

Todo esse trabalho de segmentação foi fundamental no começo e é ainda mais importante no ongoing: a Rock e a Unyleya acompanham mensalmente o resultado das campanhas já realizadas e traçam juntas novas ações para personalizar mais e mais a mensagem para os alunos.

Além disso, o domínio do uso da Hubspot permite a geração de insights valiosos que influenciam desde a temática dos conteúdos produzidos até a escolha de canais que devem receber mais investimento.

Os resultados

Como resultado da consultoria da Rock Content e a execução do time da Unyleya, a empresa conseguiu montar uma estratégia concisa para aquisição de novos alunos, com um saldo extremamente positivo.

Se considerarmos somente o impacto dos materiais ricos produzidos pela Rock, que são utilizados no processo de nutrição de alunos, o retorno do valor investido já é de 310%.

Mas não para por aí!

Ao vermos as ações como um todo e analisarmos a quantidade novos estudantes captados pela estratégia inbound que foram impactados pelas ações da parceria, podemos constatar que o investimento realizado obteve um retorno incrível de 881%.

Os próximos desafios

Esse case é a prova de que o inbound Marketing funciona (de verdade!) para instituições de ensino. No entanto, a Unyleya sabe muito bem que esse é apenas o começo.

Como todo carro, a máquina de captação de alunos da instituição precisa de um cuidado próximo e de manutenções periódicas.

Por mais que a estratégia vigente já tenha se comprovado eficaz, a nossa parceria hoje é focada na identificação de novas oportunidades e pontos de melhoria.

No que diz respeito ao conteúdo, a produção não pode parar: para garantir a autoridade do domínio e aumentar a velocidade de indexação de novas palavras-chave, continuamos trabalhando com um volume alto de materiais.

Agora, o foco é produzir conteúdos cada vez mais segmentados para as etapas mais importantes na jornada de compras do aluno.

Tudo isso só é possível com um trabalho à quatro mãos: a Unyleya e a Rock continuam trabalhando juntas para aumentar o ROI das ações no digital e gerar cada vez mais leads maduros e mais preparados para fazer a matrícula.

Quer uma avaliação de como a Rock pode ajudar a sua empresa de forma personalizada a conquistar resultados exponenciais? Converse com um de nossos consultores.

 

 

planejadores de palavra-chave

8 ferramentas de palavra-chave que você precisa conhecer

A sinergia entre a tecnologia e o marketing digital produz uma série de ferramentas que auxiliam os profissionais da área a executarem melhor o seu trabalho.

Nesse sentido, uma das soluções mais úteis são as ferramentas de palavra-chave.

Afinal, a pesquisa pelos termos ideais para utilizar em suas campanhas de links patrocinados, de SEO ou de marketing de conteúdo é fundamental, pois permitem que você invista seus esforços em criação de conteúdo de qualidade da melhor forma possível.

Esses planejadores servem, basicamente, para identificar oportunidades de palavras-chave. Para isso, eles analisam a concorrência e a relevância dessas palavras, sugerem termos relacionados e espionam as keywords utilizadas pelos sites concorrentes.

No mais, essas ferramentas baseiam-se em dados para entender como o público pesquisa pelas soluções para os seus problemas.

Após essa explanação inicial sobre a função e a importância das ferramentas de palavra-chave, vamos listar as 8 principais que você precisa conhecer e te ensinar a usá-las desde já. Acompanhe!

O Guia de SEO da Rock Content

Aprenda com a empresa especialista do mercado a fazer uma boa estratégia de SEO.


1. Google Keyword Planner (gratuito)

O Keyword Planner é uma das ferramentas mais conhecidas e completas desse segmento. Ela é fornecida gratuitamente pelo Google e seu uso é obrigatório para qualquer profissional de SEO e marketing de digital.

Pontos positivos

Por ser uma ferramenta do Google, o Keyword Planner é reconhecido e se destaca por gerar dados de uma das fontes mais confiáveis do mundo.

Além disso, como muitas das estratégias de SEO e links patrocinados são voltadas para o Google, essa plataforma cai como uma verdadeira luva pois permite identificar oportunidades de termos que são muito concorridos em mídia paga, destacando o quanto você vai poder economizar se gerar um conteúdo de qualidade para responder àquele termo de busca.

Pontos negativos

Apesar de ser do Google, ser gratuito e possuir diversas funções úteis, esse planejador também conta com algumas desvantagens.

Uma delas é a falta de especificidade no volume médio de pesquisas: nesse dado, a plataforma exibe apenas uma faixa relativa de acessos, como de 1 mil – 10 mil, 100 mil – 1 mi etc.

Outra é que ainda não é possível analisar os dados dos concorrentes devido à falta de exposição das informações de outros competidores.

Como funciona

Utilizar o Keyword planner é bem simples e demora poucos segundos para começar.

Basicamente, você deve acessar a página inicial da ferramenta e clicar em “encontrar palavras-chave”:

Tutorial Keyword Planner

Depois de preencher o seu termo de pesquisa, você verá uma tela que mostra os dados dos termos buscados, dos grupos de anúncio e das palavras-chave sugeridas.

São informações sobre concorrência, volume médio de pesquisas mensais e valor de lance indicado.

tutorial kewyord planner

(Gostou? Este post explica direitinho como configurar o Keyword Planner e ainda te dá dicas sobre como usá-lo estrategicamente.)

2. SEMrush (planos gratuitos e pagos)

Uma plataforma mais completa do que a do Google é o SEMrush.

Ela é a preferida de muitos profissionais de marketing pelo mundo, e você entenderá o porquê.

Ela possui as principais funções e informações do Keyword Planner, como indicar o volume de buscas (aqui, essa informação vem em números absolutos), termos relacionados de pesquisa e o CPC médio das palavras-chave.

Pontos positivos

O SEMRush mostra a competitividade dos termos buscados por meio de um sistema de pontuação, exibe uma tendência de pesquisas para as palavras-chave em questão (função do Google Trends) e indica as páginas e domínios que melhor estão ranqueando organicamente para os termos pesquisados.

Outra funcionalidade super bacana do SEMrush é o seu campo de busca para analisar os concorrentes.

Para fazer isso, basta colocar os domínios que você quer avaliar para verificar, por exemplo, as palavras-chave que melhor ranqueiam os sites desses competidores e os backlinks dessas páginas.

Pontos negativos

Sabe aquela história de que nada bom é de graça?

Pois é: esse é o grande problema do SEMRush. Embora ele possua uma versão gratuita, ela é bastante limitada pois só permite que o usuário faça uma quantidade máxima de pesquisas diárias e um número limitado de palavras-chave relacionadas exibidas.

A versão premium também não tem um preço lá muito em conta (a partir de $99 por mês), mas quem paga também tem um arsenal de informações à disposição.

Como funciona

Depois de criar sua conta inicial no site, utilizar o SEMRush é bem simples e direto.

Já na página inicial, você pode digitar o termo de busca que pretende analisar (e escolher o idioma do termo):  

tutorial semrush

Na página que abrir, você encontrará várias informações relevantes sobre o termo em análise, como o volume de pesquisas mensais, número de páginas que ranqueam para aquela palavra-chave:

tutorial semrush (2)

Descendo um pouco mais, você verá variáveis daquele mesmo termo e ainda palavras-chave relacionadas (para inspirar mais sua estratégia e te dar insights sobre como as pessoas procuram informações sobre aquele assunto).

tutorial semrush (3)

Se você quer tirar o máximo do SEMRush e entender como fazer pesquisas por domínio e como usar o painel de ferramentas SEO, não deixe de conferir nosso tutorial completo.

3. Keywordtool.io (planos gratuitos e pagos)

Se você ainda está começando a aprender SEO e pesquisa de palavras-chave ou não quer nada muito complicado, você precisa conhecer o Keywordtool.io um dos planejadores de palavra-chave que se destaca pela sua interface fácil de usar.

Ele funciona como o “auto complete” do Google, em que você digita uma palavra-chave e a ferramenta oferece uma série de sugestões com base no termo pesquisado.

Pontos positivos

Ela é muito útil para quem busca por palavras-chave do tipo long tail (termos e expressões mais longas, porém mais segmentadas e melhores para conversão).

Além do mais, ela permite fazer análises com base nos buscadores do Bing, YouTube, Amazon e App Store.

Pontos negativos

Mais uma vez, o problema aqui é que se você quiser ter acesso aos dados de volume de pesquisa, CPC médio e concorrência, precisará utilizar a versão premium da plataforma (com planos que começam em 48 dólares/mês).

Como funciona

Como disse acima, o Keywordtool.io dá um show em simplicidade e praticidade.

Para usá-lo, basta acessar sua homepage e digitar o termo de busca em questão, assim como o idioma/país em questão:

tutorial keywordtool.io

Você encontrará as palavras-chave únicas encontradas para aquele buscador em questão de segundos.

tutorial keywordtool.io (2)

Infelizmente, para tirar o máximo da ferramenta, você vai precisar do plano premium.

4. Ahrefs (planos pagos)

Queridinho de todo profissional de SEO mais experiente, o Ahrefs possui um funcionamento parecido com o do Keyword Planner, mas ele trabalha com dados mais precisos e específicos.

A ferramenta exibe o volume de pesquisa, a quantidade de resultados exibidos, o CPC médio e uma pontuação de dificuldade por palavra-chave buscada e seus diferentes tipos de correspondência (exata, combinação de frase, etc.).

Pontos positivos

Por ser tão preciso e específico, o Ahrefs é muito usado em estratégias de link  building: ele ajuda a encontrar possíveis parceiros para termos competitivos de forma precisa.

Além disso, ele também fornece ideias de termos relacionados e suas respectivas informações de pesquisa.

Pontos negativos

A desvantagem fica por conta de ter que pagar para usá-la desde o início (1 dólar por dia na primeira semana e depois 99 dólares/mês).. Entretanto, mesmo que você cancele o plano antes de ser cobrado, você ainda poderá usar a plataforma por mais algum tempo.

Como funciona

Justamente por causa dessa limitação de uso gratuito, o próprio Ahrefs disponibiliza diversos tutoriais práticos sua página do YouTube para mostrar exatamente porque vale a pena investir nele.

No vídeo abaixo, aprenda na prática como usar a ferramenta para fazer análises de palavra-chave que vão muito além do volume de busca.

 

5. Moz Keyword Explorer (planos gratuitos e pagos)

Quem já trabalha com marketing digital há pelo menos 3 anos, com toda a certeza já ouviu falar de Rand Fishkin, o saudoso “mago da Moz”.

Fishkin já não está mais na equipe da Moz mas foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso da empresa (lembram-se do Whiteboard Friday?) e da popularização do Moz Keyword Explorer.  

O Keyword Explorer é uma das extensões da suíte de ferramentas da Moz para SEO. Ela não se difere muito de outras opções já citadas aqui no texto, especialmente do SEMrush.

São funções muito parecidas, como a indicação de termos relacionados, dados de concorrência e volume de buscas e pontuação de dificuldade para pesquisas orgânicas para as palavras-chave.

Pontos positivos

Essa questão da pontuação é o grande diferencial da ferramenta da Moz e é o que a torna uma das mais confiáveis no mercado.

Ela pontua um termo em uma escala de 0 a 100, sendo que quanto maior o número, maior a dificuldade para ranquear bem para aquela palavra-chave.

A ferramenta também exibe uma pontuação de 0 a 100 para oportunidade e potencial para as palavras-chave pesquisadas. Além disso, ela exibe o Domain e o Page Authority das páginas mais bem ranqueadas por palavra-chave.

Pontos negativos

A desvantagem novamente é que seu plano gratuito se limita a duas pesquisas diárias por usuário. No entanto, também é possível ter acesso aos recursos completos na versão gratuita de testes por 30 dias. Já a versão paga está longe de ser das mais baratas (149 dólares mensais).

Como funciona

Também muito intuitiva, usar essa ferramenta começa na homepage do site, onde você já digita o termo que você quer pesquisar. Note que você vai precisar fazer um login para começar:

tutorial moz keyword explorer

Depois de ativar sua conta clicando em um link de verificação enviado para o seu e-mail, você já pode começar a usar uma das suas 20 pesquisas gratuitas do mês.

tutorial moz keyword explorer (2)

É interessante notar que essa ferramenta nem sempre vai ter muitos dados para pesquisas em português no Brasil, por ainda estar começando a ser vendida por aqui.

De qualquer forma, assim como o Ahrefs, o Moz Keyword Explorer conta com um super tutorial desenvolvido pela própria ferramenta que te mostra, em detalhes, como tirar o máximo de seu uso.

6. Übersuggest (gratuito)

Voltando as ferramentas com foco em sugestões de palavras-chave, chegamos ao Übersuggest.

Essa ferramenta, assim como o Keywordtool.io, também se destaca pelo seu visual limpo e bem intuitivo.

O que era bom ficou ainda melhor no começo de 2018, quando o expert do Marketing Digital Neil Patel anunciou a compra da ferramenta e decidiu otimizá-la, trazendo recursos específicos para mídia paga.

Pontos positivos

Além de ser ótima para pesquisar palavras-chave mais específicas de cauda longa, a Ubersuggest ela é valiosa por mostrar sugestões de palavras-chave para buscas nas abas do Google Imagens, Notícias, Vídeos e Shopping.

As sugestões de palavras relacionadas aparecem em ordem alfabética, o que facilita bastante a busca. Além disso, você pode fazer um download de uma planilha com os resultados exibidos.

Ah, e precisa falar? A melhor parte é que essa sim é 100% gratuita!

Pontos negativos

Ao contrário de outras ferramentas analisamos neste post, a Ubersuggest não conta com funcionalidades muito completas de competitividade entre domínios e nem de autoridade de página.

Suas funções são exclusivamente as listadas acima.

Como funciona

Na minha opinião, a Ubersuggest ganha de todas no quesito facilidade de uso e experiência de usuário.

Ao acessar a homepage, você encontrará uma tela bem simples:

tutorial ubersuggest

O que você encontra ao clicar em “look up” é uma página de resultados bem objetivos com tudo que você precisa para otimizar seus esforços em conteúdo para aquele termo de busca:

tutorial ubersuggest 2tutorial ubersuggest 3

Ao final da página, você encontra um botão para exportar em CSV todos os resultados.

Tudo isso sem login, cadastro nem cartão de crédito.

7. Keyword Eye (pago)

O Keyword Eye é mais uma ferramenta voltada para a indicação de palavras-chave relacionadas, análise de competidores e avaliação de dados de pesquisa e concorrência.

Mas porque ela merece entrar nessa lista, se suas funcionalidades não se diferem muito das demais?

Pontos positivos

O que destaca o Keyword Eye é que ela é uma plataforma extremamente visual e lúdica. Quando você faz uma pesquisa por um termo ou um domínio de um site nela, a ferramenta exibe as palavras-chave em uma nuvem.

Nessa nuvem, as sugestões aparecem em diferentes cores e tamanhos, que servem para diferenciar os volumes de busca e a competitividade pelas palavras-chave.

Isso é ótimo para fazer apresentações para os clientes menos acostumados com esse universo de SEO e palavras-chave.

Pontos negativos

Como nem tudo que é bom vem facilmente assim, esse planejador só pode ser usado em sua versão paga, que não é tão caro assim (17 dólares por mês).

Como funciona

Sem assinar um pacote, não é possível tirar nem uma casquinha do potencial da ferramenta.

Mas não desanime: se você precisa provar o ROI de uma estratégia de SEO e apresentá-la para pessoas que não entendem muito do assunto, vale a pena investir na Keyword Eye.

Nesse post você encontra um tutorial que vai te mostrar na prática toda essa questão visual da ferramenta.

8. Google Search Console (gratuito)

Começamos por uma ferramenta do Google e terminaremos com mais uma.

O Search Console é a plataforma que substituiu o antigo Webmaster Tools.

Atualmente, ela possui uma função bem específica no que se refere ao planejamento de palavras-chave. Ela permite o que eu gosto de chamar de “um olhar para dentro”.

Pontos positivos

Além de ser gratuita e confiável (por ser do Google), no Search Console

você poderá verificar as palavras-chave que estão trazendo mais resultados para o seu site ou blog.

É possível analisar as palavras-chave que mais geram cliques, impressões, taxa de cliques e as mais bem posicionadas no Google. Isso além de conferir os períodos em que elas tiveram uma melhor ou pior performance.

Esses dados ajudarão a mostrar quais palavras-chave devem continuar recebendo um investimento e quais precisam ser revistas.

Enfim, é uma ferramenta bem útil para planejar palavras-chave com estratégias de marketing de conteúdo e SEO já em pleno funcionamento.

Pontos negativos

Não é muito o objetivo da ferramenta permitir uma análise externa então ela não é a melhor para se analisar a concorrência.

Inclusive, você pode aprender mais sobre o Search Console com nosso guia completo da ferramenta!

Guia do Google Search Console

Como funciona

Hoje em dia, o Search Console é muito mais do que uma ferramenta para palavras-chave e, por isso, entendê-lo por completo demanda um pouco mais de pesquisa. A boa notícia é que nosso guia definitivo pode te tornar um expert na ferramenta em menos de uma hora.

Mas para começar a usar o seu Search Console no quesito palavras-chave, você deve se logar na plataforma, ir até a aba “Search Analytics” e filtrar as pesquisas por “Consultas”.

Se seguir esses dois passos, você vai ver um painel assim:

Google Search Console para pesqiusa de palavra-chave

Nele você já terá muitos insights sobre o comportamento de pesquisa da sua persona dentro do seu site.

Você também conseguirá ver coisas como links que levam para o seu site, links internos que levam à outras páginas e muito mais.

Conclusão

Ao final dessa lista, uma coisa precisa ficar clara: você não precisará aprender a mexer em todas elas!

A ideia foi mostrar os prós e contras de cada uma e, com isso, facilitar sua vida na hora de escolher as ferramentas que mais se encaixem com suas demandas.

Faça alguns testes com esses planejadores de palavra-chave e veja qual você se acostuma a mexer melhor com o tempo.

No máximo, você deverá combinar duas, três ou quatros ferramentas, desde que elas complementem funções que as outras não possam cumprir.

Por exemplo, o Keyword Planner pode ajudar com o planejamento inicial, o Moz ou o SEMrush com a análise da concorrência e o Keywordtool.io com a busca por palavras-chave mais longas.

Assim, você terá acesso a uma base de dados mais ampla e completa para embasar suas decisões sobre a escolha de palavras-chave para as suas campanhas.

Fazer uma boa pesquisa de palavras-chave é um dos principais fatores para dominar as SERPs. Quer saber os outros? Confira nosso ebook Segredos do Tráfego Orgânico e entenda o que nós fazemos!