Rafael Coffee

Motion Graphics Designer


6 publicações feitas.



Saiba como gerenciar canal do Youtube

Do planejamento à execução: como gerenciar o seu canal do Youtube com maestria

O gerenciamento bem-sucedido do seu canal no YouTube passa por uma série de ações, ferramentas e métricas para monitorar o desempenho dos conteúdos. Fique por dentro dos detalhes que envolvem as etapas desse processo.

(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post!)

Já não é mais novidade que os conteúdos em vídeo estão crescendo em uma velocidade imensa. Em 2019, 80% do tráfego da internet será composto por vídeos.

Impressionante, não? Mais incrível ainda é o fato de que o YouTube tem em seus registros mais de 500 milhões de horas de vídeos consumidos diariamente.

Isso significa que essa plataforma não perde em nada para os tradicionais canais de TV. Mais do que isso, o YouTube é um dos grandes fenômenos na chamada revolução digital. E quem está por dentro das inovações tecnológicas cresce lado a lado com todas essas tendências.

E você? Tem curiosidade em saber um pouco mais sobre o universo do YouTube e como iniciar um belo trabalho utilizando essa ferramenta?

Então, nos acompanhe ao longo deste post!

Qual a importância do YouTube na estratégia de Marketing Digital?

Não é mais possível falar de uma estratégia de Marketing Digital sem pensar na participação dos vídeos. O audiovisual mostra um conteúdo muito mais vivo e dinâmico do que um simples texto na página.

Mas você sabe quais são os principais benefícios em apostar nessa estratégia? A gente mostra logo abaixo!

Ranqueamento nas buscas

SEO é o termo para essa ação. Aplicação correta de palavras-chave, meta description, legendas e anotações ajudam a elevar o seu vídeo nos canais de buscas, gerando um tráfego maior e mais orgânico.

É um detalhe do qual muita gente se esquece, mas de extrema importância para o sucesso.

Aprenda tudo sobre SEO

Controle e otimização

Se você já utilizou ferramentas como o Google Analytics, sabe muito bem do valor em poder verificar detalhes sobre o número de acessos em sua página, o tempo de permanência e o controle regional.

O YouTube disponibiliza uma análise semelhante, que possibilita otimizar e mostrar pontos de melhoria em seus vídeos. Assim, fica mais fácil criar um plano de ação para manter o que já está bom e melhorar o que deixou a desejar.

Ajuda com o público-alvo

Com uma seleção dos principais interesses, faixa etária e outras características, o YouTube pode definir um público-alvo e direcionar palavras-chave para ele.

É algo que vai muito além das mídias tradicionais, em que esse processo nem mesmo chegaria perto de ser automatizado dessa forma. É um ótimo exemplo da inovação do marketing.

Aumento da autoridade

Todo produtor de conteúdo almeja se tornar uma referência no assunto que aborda. Ao criar vídeos de qualidade e devidamente configurados para ranqueamento, a sua reputação ou a de seu produto só tende a crescer, ajudando a se tornar uma autoridade com seguidores fiéis que confiam no seu conhecimento.

Como gerenciar o canal no YouTube com maestria?

Agora que você já entendeu as diversas vantagens de se tornar um especialista em vídeos no YouTube, está na hora de conhecer dicas valiosas para gerenciar um canal como um mestre.

Então, vamos lá!

1. Planejamento

Defina objetivos e KPI’s

KPI é um termo muito utilizado em Marketing Digital e, basicamente, significa uma forma de mensurar objetivos e ações que estão funcionando corretamente em seus vídeos.

Um bom exemplo de KPI no YouTube seria o número de visualizações para cada vídeo e o número total de visualizações no canal, o que te ajuda a estabelecer um caminho muito mais claro da maneira de produzir e postar vídeos, indicando quais horários e quais dias são mais favoráveis.

Isso também ajuda a definir o estilo do seu canal, pois você pode visualizar quais vídeos chamaram mais atenção e os motivos que colaboraram para tanto, como os títulos, as thumbnails e o próprio conteúdo.

Pesquise sobre o comportamento da sua persona

Publicar vídeos no YouTube sem saber nada sobre as preferências da sua persona por lá é tão seguro quanto tentar adivinhar seu futuro olhando para uma bola de cristal (ou seja, a não ser que você seja supersticioso, provavelmente não vai funcionar, concorda?).

Sendo assim, não deixe de fazer uma pesquisa para entender questões como:

  • a duração média ideal do vídeo para a persona;
  • o tipo de vídeo que mais a atrai (com desenhos e narração, estilo talkshow, com números e dados, apenas uma pessoa falando diante da câmera, etc.);
  • a frequência e período em que ela costuma acessar o YouTube;
  • e o tipo de conteúdo que gosta de consumir por ali (informativo, do tipo videoaula, de entretenimento, tutorial, entrevistas, etc.).
Guia para criação de personas

Faça pesquisas de palavras-chave

Depois de entender melhor que tipo de conteúdo sua persona gostaria de ver no YouTube, é hora de descobrir quais assuntos estão em alta para atraí-la até o seu canal, e nessa hora nada mais eficiente do que uma boa pesquisa de palavras-chave.

A partir disso, vai ficar mais fácil distribuir os assuntos a serem abordados na sua estratégia — e a forma/profundidade com a qual serão tratados — por todos os seus canais de conteúdo, do blog ao YouTube.

Integre o conteúdo produzido pela empresa

Além de dividir os temas abordados nos seus conteúdos, vale a pena, ainda, integrar toda a estratégia para aumentar seu engajamento em todos os canais.

Isso quer dizer que você vai poder, por exemplo, tratar do mesmo assunto de formas diferentes no blog, nas redes sociais e no YouTube, e linkar esses conteúdos uns nos outros.

Por exemplo: ao publicar um vídeo com uma receita culinária, digamos, você pode postar a lista completa dos ingredientes e medidas no blog.

Do mesmo modo, pode criar um post com um passo a passo escrito e, depois, fazer um vídeo para mostrar como as instruções acontecem na prática.

Outra integração importante é divulgar seus vídeos nas redes sociais, linká-los nos posts do blog sempre que possível, e convidar seu público no YouTube a acompanhar seu trabalho nas outras redes sociais que a empresa participa.

Engaje por meio da frequência de postagens.

É observado que postagens realizadas mais de uma vez por semana geram mais visualizações, indicações como vídeos relacionados e chances de aparecerem na página inicial do YouTube.

Tudo isso também colabora para o engajamento do seu público, que passa a acompanhar as novidades do canal, por já conhecer a sua frequência e qualidade de postagens.

Não é por acaso que, atualmente, vemos cada vez mais canais que postam vídeos diariamente.

Se você está começando uma carreira como youtuber, é interessante pensar na possibilidade de criar uma grande quantidade de conteúdos, com assuntos relacionados entre si e procurar fazer ligações entre eles, direcionando os usuários ao final de cada vídeo para que assistam o próximo.

Isso vai ajudar muito o desempenho do seu canal no algoritmo da plataforma, além de aumentar o seu tempo de exibição e manter um número maior de usuários por mais tempo..

Mas avalie com calma a sua capacidade de produção,  se você leva muito tempo para produzir um único vídeo, essa regularidade não acontece e o seu canal perde a força.

Atente para o visual

É fato que um vídeo com um visual bonito chama a atenção e ajuda a aumentar as chances de entreter o usuário.

Portanto, considere investir nesse quesito, aprendendo mais sobre edição de vídeos,storytelling, e a própria captura das imagens e do áudio.

Mas criar um vídeo impressionante visualmente não significa garantia de sucesso.

Mais do que fazer vídeos cinematográficos, é importante não deixar o seu público na mão e lembrar de fixar horários para atualização. Sendo assim, limite o visual ao que você dê conta de produzir em um curto tempo e procure otimizar o fluxo de produção.

Se tiver a oportunidade, invista em uma pequena equipe e um pequeno espaço que ajude com todo esse trabalho. O equilíbrio sempre trará bons frutos.

Seja objetivo

Não existe nada pior no YouTube do que aqueles vídeos que te enrolam por minutos antes de iniciar o conteúdo de fato. Muitos espectadores da plataforma desistem de um vídeo após os primeiros 10 segundos, caso não tenha nada que os interesse.

Sabendo disso, é importante ser muito objetivo e sucinto nos títulos e apresentações. Não demore para apresentar o conteúdo e procure sempre iniciar com algo que prenda a atenção, como uma pergunta, um tema intrigante ou uma frase misteriosa, por exemplo.

2. Execução

Para otimizar a execução dos vídeos, existe um grande leque de ferramentas e apps que podem ajudar nessa produção, principalmente, quando você ainda está no início e não tem uma equipe de apoio.

Logo abaixo, estão alguns deles.

YouTube Creator Studio

O YouTube Creator Studio é uma ferramenta para Android e iOS que ajuda a gerenciar seus canais de uma forma bem fácil. Ele exibe todas as informações necessárias, incluindo os gráficos de visualizações e popularidade por tempo de vídeo assistido.

Ele também oferece recursos para interagir com o público, como visualizar, responder ou até mesmo apagar comentários de forma intuitiva, além da possibilidade de editar as informações diretamente no celular.

As informações chegam por notificações e também podem ser desligadas, caso não deseje ser alertado o tempo todo.

Se você administra mais de um canal, é possível fazer a troca dessa administração, possibilitando manter vários canais atualizados sem muitas preocupações.

TubeBuddy

Diferente do YouTube Creator Studio, o TubeBuddy é um aplicativo utilizado nos navegadores de computador.

É um excelente recurso para se otimizar o SEO dos seus vídeos, usando ferramentas diretamente do próprio YouTube, mas de uma maneira mais intuitiva e que permite uma maior organização.

Isso acontece pela facilidade em automatizar procedimentos e processamentos extensos e cansativos, como inserir descrições e anotações em vários vídeos de uma vez só.

Ele também permite a pesquisa de palavras-chave que auxiliem no direcionamento dos seus conteúdos, gerando melhores resultados.

ScreenFlow e Camtasia

O ScreenFlow e o Camtasia são ferramentas semelhantes para a criação e edição de vídeos. O primeiro é um excelente recurso para usuários do Mac e o segundo é uma poderosa ferramenta que também pode ser usada no Windows.

Ambos são ótimos para criação de vídeos por meio de capturas de tela ou mesmo filmagens. Eles permitem incluir transições, animações e músicas de uma maneira muito intuitiva.

Editar partes do vídeo que podem ser chatas para o espectador, como pausas longas e mudanças de assunto, ou, simplesmente, melhorar o ritmo, são detalhes que vão fazer toda a diferença para a qualidade do seu material.

No início, pode parecer um pouco confuso, devido à grande quantidade de recursos que eles apresentam, mas nada que uma pequena dedicação ao aprendizado não resolva.

Canva

Outra boa plataforma para ajudar na criação de bons conteúdos é o popular Canva.

Ele permite que você crie imagens com um design profissional sem precisar ser um designer para isso.

Com um editor muito simples, a criação se torna fácil e rápida com um sistema de arrastar e soltar, sem burocracia ou a necessidade de técnicas avançadas. A ferramenta também disponibiliza um amplo banco de imagens, ilustrações e fotos para complementar a sua criação.

Mesmo não sendo um editor de vídeos ou um gerenciador, criar essas imagens é um diferencial para inserir miniaturas atrativas em seus vídeos, conquistando, assim,  mais cliques e visualizações.

Também é bem útil para a criação de telas finais de seus vídeos, usadas para direcionar o espectador para outros conteúdos de seu próprio canal.

Se antes, você pensava que seria necessário ter habilidades de um designer ou ilustrador para isso, o Canva veio para mostrar que não.

Transcrição do vídeo

Não se trata de uma ferramenta, mas sim de uma ação que colabora bastante para uma execução eficiente.

Transcrever todo o conteúdo do seu vídeo pode parecer cansativo, mas é um bom uso do seu tempo quando você tem a certeza de que as pessoas podem consumir o seu material mesmo sem assistir ao vídeo, seja porque estão em um local público sem fones de ouvido, ou porque dispõem de uma internet lenta.

Basta inserir a transcrição na descrição do seu vídeo ou mesmo como uma legenda, o que também o deixará acessível para deficientes auditivos.

Manual do uso de Vídeos no MKT Conteúdo

3. Análise

Outra ação que não pode faltar na sua produção de vídeos é a utilização de ferramentas como o YouTube Analytics para o acompanhamento de métricas.

Afinal, quanto mais você souber sobre todo o andamento nos bastidores, melhor você poderá agir e promover a evolução do seu trabalho.

YouTube Analytics

Visualizar o tempo médio assistido em seus vídeos e de todo o canal, visualizações a partir de vídeos sugeridos, entre outras vantagens.

O YouTube Analytics proporciona isso tudo, permitindo que você tenha total controle sobre a performance dos conteúdos, identificando o que precisa ser melhorado e o que pode ser mantido.

Aumentar o tempo médio de visualizações de seus espectadores é algo fundamental para o algoritmo de ranqueamento da plataforma. Por isso, é recomendado que você inclua essa tarefa no seu dia a dia.

Tudo entendido até aqui, certo? Mas uma dúvida que pode surgir é: como saber de onde o seu público vem e como eles tomaram conhecimento de seus vídeos?

Com o próprio YouTube Analytics, é possível analisar cada vídeo individualmente e verificar a partir de onde ele foi acessado e qual vídeo está recebendo visitas por meio de outros conteúdos relacionados.

Isso também ajuda a descobrir o caminho e o estilo que seu conteúdo deve assumir. Dessa forma, você não se desvia do seu público.

Dicas para fazer seu canal bombar

E aí, canal pronto, estratégia montada, então vamos partir para a ação e gerar resultados?.

Confira como:

Conquiste o espectador nos primeiros segundos

Assim como a arte de manter um leitor grudado nos posts do seu blog até o finalzinho está em conquistá-lo logo na introdução, nos seus vídeos, o ideal é capturar a atenção do público já nos primeiros 10 segundos da gravação.

Ou seja: economize no tamanho da sua abertura (se houver) e não fique enrolando demais antes de ir direto ao ponto.

De preferência, inclua logo no início algum atrativo para incentivar a audiência a continuar assistindo, seja uma pergunta intrigante que você vai responder, um sneak peek do que os espera no final ou apenas um CTA mesmo.

Não subestime o poder do CTA

Por falar neles, os CTA (ou calls to action) também devem estar presentes no YouTube, de fato, em vários locais:

  • no começo, informando de cara sobre o que aquele vídeo vai ser e chamando o espectador para continuar vendo;
  • durante o vídeo (se couber e não for ficar forçado), chamando a pessoa para outros conteúdos (que podem ser linkados na descrição ou aparecer em hyperlinks no próprio vídeo);
  • e, ao final, chamando a audiência a interagir com o vídeo pelos comentários e/ou compartilhando-os com os amigos;
  • bônus: convide o pessoal a se inscrever no canal, assim como nas suas outras redes sociais (mantenha os links sempre disponíveis na descrição de todos os vídeos).

Faça parcerias com outros canais

No mundo dos blogs, os Guest Posts são um ótimo jeito de fazer seu número de leitores crescer aproveitando o público de um parceiro, e vice-versa.

No YouTube, também é possível que dois canais se ajudem por meio de vídeos em conjunto, que são depois publicados em versões diferentes nos dois canais, com chamadas para que o público visite e inscreva-se no canal do parceiro.

Aproveite as suas parcerias com outras empresas fora do YouTube para estender seu sucesso mútuo aos vídeos!

Crie seções e séries engajadoras

Uma das vantagens daquela configuração opcional que mostramos ali em cima, na última parte do nosso passo a passo, é que ele permite separar seus vídeos por seções e playlists.

Além das listas que você pode fazer automaticamente com o próprio YouTube (como uma seção só com os envios mais populares, outra com as transmissões ao vivo futuras e passadas), dá para ir montando uma série que dá continuidade a um mesmo tema.

No canal da Rock, por exemplo, temos o RockHacks, uma série com vídeos bem curtinhos (com cerca de 1 minuto) e dicas rápidas para serem consumidas “em doses homeopáticas”.

Já a sessão dedicada às videoaulas sobre Conteúdo e Marketing tem gravações mais longas e completas, formando quase um curso mesmo, que vai se completando a cada envio.

Com o número de aficionados por séries crescendo por aí, nem precisa dizer que organizar seus vídeos dessa forma vai aumentar seu número de visualizações e assinaturas, não é?

Aprenda com os maiores youtubers da web

Tem jeito melhor de ficar por dentro do que está bombando no YouTube do que acompanhar de perto o trabalho dos mestres na arte do conteúdo audiovisual?

Então fica aqui nossa recomendação para que você siga de perto os maiores youtubers do mundo para conhecer seus segredos e fazer como eles:

  • preze pela qualidade do seu conteúdo acima de tudo;
  • crie sorteios e premiações periódicas para os assinantes do canal;
  • interaja com o público respondendo aos seus comentários e peça sua opinião sempre que puder;
  • e não subestime o poder do design visual para agregar valor ao seu conteúdo, seja na arte do seu canal, nas thumbnails ou mesmo nos próprios vídeos.

Outra dica importante é ficar antenado, também, nas empresas que estão fazendo bonito no YouTube para seguir seu exemplo.

Como faturar com seu canal no YouTube

Finalmente, com seu canal nos trilhos e caminhando rumo ao sucesso, chegou o momento de pensar no retorno que todo esse investimento vai dar para a empresa: como fazer as visualizações se transformarem em cifrões?

Existem, basicamente, três formas de fazer sua fama no YouTube virar zeros à direita na conta bancária:

YouTube Ads

Sabe aquelas propagandas que às vezes passam logo antes do seu vídeo começar?

Pois é, trata-se do Youtube Ads, uma opção para fazer com que cada visualização renda ao dono do canal alguns centavos, que quando multiplicados por milhões — ou até bilhões, no caso de virais —, representam uma quantia bastante respeitável.

Patrocínio externo

Outra estratégia usada por muitos youtubers para aumentar o faturamento dos vídeos é conseguir o patrocínio de alguma empresa, que paga para que seus produtos ou serviços sejam promovidos nos conteúdos daquele canal.

Inbound Marketing

Embora os dois últimos pontos sejam muito legítimos se o seu canal tiver mesmo por objetivo ser uma fonte de renda, no caso de uma empresa que está usando o YouTube como parte da estratégia de Inbound Marketing, esse provavelmente não é o melhor jeito de proceder.

Além de ficarem meio irritados com a publicidade dos patrocinadores e os ads, vale lembrar que fazer com que sua audiência se engaje com a empresa aos poucos, percorrendo o funil de vendas até se tornarem clientes é o verdadeiro objetivo do seu canal.

Diante disso, não adianta esquentar a cabeça.

Alie toda a sua estratégia com cuidado para fazer suas personas caminharem pelo funil, preze pela qualidade dos seus envios e não tema: o Marketing de Conteúdo com certeza será muito mais sustentável do que as campanhas pagas.

Os 4 erros mais comuns dos youtubers iniciantes

Para quem não está ligado no universo “por trás das câmeras” do YouTube, expectativa e realidade da produção de vídeos podem estar a quilômetros de distância.

Pensando nisso, que tal conferir de uma vez os principais erros cometidos pelos novatos para evitar cair nessas armadilhas antes mesmos que elas apareçam na sua frente?

Anote aí:

Achar que produzir conteúdo em vídeo é caro e complicado

Como explicado pelo professor Peçanha nesta videoaula sobre videoaulas, fazer conteúdo para colocar no YouTube, na verdade, não é nenhum bicho de sete cabeças.

O importante é colocar a mão na massa e fazê-los!

Nem equipe de produção especializada nem mesmo equipamentos caros são necessários.

Com uma câmera de celular, hoje em dia, já dá para gravar imagens de alta qualidade.

Não dar atenção às tags e thumbnail do vídeo

Você já deve saber o quanto o SEO é importante no Marketing Digital para garantir que as suas páginas sejam encontradas pelo internauta, certo?

Pois no YouTube, a coisa não é muito diferente, só que aquilo que vai aumentar suas taxas de visualização e fazer com que seu vídeo suba no ranking das buscas são informações fora do conteúdo em si: as tags (ou marcações) e a thumbnail do vídeo.

Kit Calendarios de Marketing

Não manter o canal em atividade constante

Como foi falado,  manter uma frequência regular e alta de publicação no YouTube é essencial para o seu sucesso: de nada adianta criar o canal e deixá-lo às moscas.

Além de engajar os usuários a cada nova publicação, a frequência incentiva um passeio dos inscritos pelos seus outros vídeos e playlists, aumentando suas visualizações como um todo e, em última instância, a própria autoridade do seu canal.

Para isso, o ideal é incluir o YouTube no seu calendário editorial para alinhá-lo com todo o resto da sua estratégia, e é disso mesmo que vamos falar a seguir!

Vamos começar?

E então, agora que você tem boas dicas sobre como gerenciar o seu canal, que tal produzir?

Os dois principais pontos que você precisa ter em mente quando criar um canal são os espectadores e o algoritmo da plataforma. Tendo conhecimento sobre isso, seu gerenciamento se torna mais simples.

Uma boa dica também é procurar postar nativamente em outras plataformas de redes sociais. Por exemplo, se você criar uma página no Facebook, é recomendado que você edite uma versão curta de seu vídeo, como um teaser, e faça um post inserindo o link que vai direcionar para o vídeo completo hospedado no YouTube.

É uma ótima maneira de atrair um público que não esteja necessariamente assistindo a outros vídeos antes de chegar até os seus. Isso também vale para o Twitter e Instagram.

Você também pode incorporar seus vídeos em blogs e sites parceiros, ou em seu próprio blog, completando um blog post.

Lembre-se de que, para gerenciar o canal do YouTube, é importante ser criativo e inovador, além de transmitir boas informações e otimizar o seu fluxo de trabalho.

Se você quer saber um pouco mais para se tornar um expert no assunto, baixe agora o nosso e-book gratuito sobre Marketing no Youtube!

como ganhar inscritos no youtube
conteúdo em vídeo: como aplicar essa estratégia

Conteúdo em vídeo: entenda o porquê dessa febre e como aplicar em sua estratégia

O mundo em que vivemos está em constante mudança, evoluindo e se reinventando. Isso vale para todos os âmbitos! A seta do tempo aponta para o futuro, e isso não é diferente com o modo de fazer negócios e de criar conteúdos nunca antes vistos.

O uso de conteúdo em vídeo, nas estratégias de marketing digital, já é uma das iniciativas diretamente responsáveis por fomentar as novas tecnologias e se alinhar aos usuários, consistindo em uma das principais ferramentas na busca por conhecimento, entretenimento, serviços e produtos.

Para mostrar isso, vamos lembrar alguns dados importantes:

Diante desses dados, percebemos o quanto essa tendência é evidente. Para também ter acesso a esses benefícios, siga a leitura e veja como tirar proveito dos vídeos em suas ações!

O que é o marketing em vídeo?

Os vídeos são líderes quando falamos sobre inovação de conteúdo, pois representam uma maneira muito mais confortável para o usuário absorver informações, levando em conta o ritmo cada vez mais acelerado que levamos neste mundo futurista.

Melhor do que parar para ler ou ver imagens é poder assistir a um vídeo com todas as informações das quais você precisa sendo exibidas de maneira clara, objetiva e divertida, gerando uma perspectiva diferente e um engajamento mais eficiente.

Não por acaso, a sensação é de que aquela empresa está falando diretamente para você, quase como uma conversa. Isso sem contar na facilidade de consumir esse conteúdo, já que é possível assistir a um vídeo em momentos e lugares onde não seria possível ler.

Assim, a estratégia de marketing em vídeo envolve a produção e utilização tanto de vídeos curtos quanto mais longos, dependendo da necessidade para determinado serviço.

Por isso, é uma ação que atinge todas as fases do funil de vendas, desde o topo (atração), passando pelo meio (conversão), até o fundo (venda). Também funciona na retenção de clientes, fortalecendo a marca em suas campanhas publicitárias e vídeos educacionais.

Quais são os benefícios do conteúdo em vídeo?

Como podemos ver, grande parte das empresas de todo o planeta já utiliza vídeos em sua estratégia e sabe o quanto isso gera ótimos resultados, e em pouco tempo. Mas e você, já conhece os principais benefícios?

Aqui, vamos explicar quais são eles, e os motivos pelos quais realmente farão seu negócio crescer de forma sólida e eficaz!

Gera mais engajamento

Já se sabe que 60% dos internautas sempre vai preferir ver o vídeo de um conteúdo do que ler um texto, se tiver a oportunidade para isso.

E isso vai além do gosto ou não pela leitura. Mesmo as pessoas que são leitoras assíduas tendem a clicar em um vídeo que tenha as informações de que ela precisa. É uma forma mais imediata de resolver um problema ou tomar uma decisão, e o tempo poupado com isso é valiosíssimo.

Impulsiona ainda mais o ranqueamento

O Google valoriza cada dia mais a relevância dos conteúdos criados para os internautas. Sendo assim, por meio de constantes aperfeiçoamentos nos algoritmos, ele vem identificando os vídeos de qualidade, impulsionando-os para o topo.

Isso acontece, especialmente, se o seu vídeo gerar engajamento com a marca e com o produto. Inevitavelmente, isso vai ajudar no tráfego orgânico e a utilização dos vídeos vai ser tornar ainda mais imprescindível.

Converte melhor

Os vídeos envolvem uma técnica poderosíssima, que funciona muito bem no quesito convencimento: o storytelling.

Ele é usado por meio de imagens, personagens, locuções e trilha sonora para contar uma bela história, que crie uma identificação muito mais profunda do que um texto faria.

A conversão não se faz sozinha e, por isso, é de extrema importância atentar para a narrativa trazida no conteúdo. Um vídeo animado, por exemplo, permite uma infinidade de possibilidades para a elaboração de algo fantástico.

Tudo depende da sua imaginação. A conversão depende de uma habilidade indispensável para qualquer ação de marketing e vendas: a persuasão. E não é difícil imaginar como os vídeos se saem nesse quesito.

Uma ótima dica são os vídeos explicativos, seja sobre um produto, seja sobre a empresa, e até mesmo sobre o próprio conteúdo apresentado em um blog post.

Educa melhor o cliente

Educação é a palavra-chave quando se trata de marketing digital. Um usuário pode realizar uma conversão se for devidamente educado a compreender o seu serviço e, naturalmente, passa a se interessar de uma forma verdadeira.

Isso pode (e acontece bastante) criar um promotor para o seu produto e marca, mostrando que uma versão atualizada do bom e velho marketing boca a boca ainda tem sua utilidade.

Agora, imagine acessar um site sobre um assunto sobre o qual você deseja aprender e se deparar com um vídeo logo no início, prontinho para dar play e apresentar tudo aquilo que você busca. Eficaz, não é? É quase certo que você vai passar mais tempo nessa página do que faria se precisasse ler um texto enorme.

O ROI será maior

Já citamos no início do post que o marketing em vídeo gera um ótimo ROI para as empresas e pontuamos aqui para reforçar isso.

E por quê? Porque você pode se questionar sobre o custo da produção de um vídeo, que nem sempre envolvem preços baixos, já que exigem profissionais bastante qualificados e processos minuciosos, bem executados e bem escritos.

A dúvida sobre o investimento e o retorno disso pode surgir nesse momento, mas é válido lembrar: mais de 80% das empresas afirmam que os vídeos geram um bom retorno sobre o investimento feito.

Se isso ainda não for o suficiente para convencer você, também vale esclarecer que, apesar da enorme importância de produzir um vídeo de alta qualidade, isso não é uma obrigação.

Também há a possibilidade de utilizar alguns softwares de edição online para recortar, colar, inserir som e finalizar um vídeo para postagem.

No final das contas, o conteúdo como um todo é o que fará a diferença. Se a sua mensagem for passada de forma clara e criativa, mesmo que não esteja excepcional, os resultados chegarão.

Quais os tipos de conteúdo em vídeo existentes?

Ok, chegamos em um ponto-chave da estratégia de marketing em vídeo: qual é o tipo de vídeo ideal para o meu conteúdo?

Falamos acima sobre criatividade e o quanto ela é importante na produção de um vídeo. Isso engloba também o tipo ou estilo de vídeo que será feito. Não existe uma barra que defina qual estilo chamará mais atenção e gerará mais engajamento.

Porém, nem sempre é fácil decidir por onde ir, mesmo com toda essa abertura. Isso acontece especialmente quando você já está acostumado a produzir textos, em que o conteúdo em si muda a cada nova postagem, mas o layout e o design da página continuam os mesmos.

Nos vídeos, o apelo visual é muito maior e, por isso, a variedade entre um vídeo e outro também é um diferencial.

Pensando nisso, separamos os tipos de vídeos mais populares e falamos um pouco sobre cada um deles a seguir!

1. Vlogs

Você provavelmente já percebeu que vlogger é uma profissão recente e de enorme sucesso, certo? Isso não é por acaso — os vlogs são produtos que fazem parte dos novos meios de comunicação.

Por meio deles, é possível ver notícias e atualidades em geral, aprender desde coisas básicas até extremamente complexas, se entreter, e muito mais. Para o produtor, é um trabalho de custo relativamente baixo e de enorme alcance, traduzindo um ótimo investimento para quem encara.

Você pode, por exemplo, gravar uma série inteira de episódios curtos no mesmo dia, que poderão render várias semanas de postagens, e isso pode ser feito em uma sala simples, com uma câmera razoável.

Mas lembre-se sempre: o conteúdo é a sua pedra preciosa que precisa ser lapidada com maestria.

2. Webinars

Há pouco tempo, o Skype era a ferramenta mais conhecida para fazer reuniões e conferências remotamente, em tempo real.

Isso mudou com a chegada do excelente Google Hangouts, uma maneira mais simples de realizar essas mesmas reuniões, porém, integrado a todos os outros serviços da Google.

Uma das facilidades que ganhou de vez a preferência da maioria dos usuários é a possibilidade de gravar e armazenar aulas, seminários, tutoriais, guias em vídeos e disponibilizá-los para todos os seguidores ou clientes.

Até mesmo congressos importantíssimos que, antes, seriam feitos somente em um lugar físico, agora, estão disponíveis para qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo e ao vivo.

Se os vlogs são baratos, os webinars são mais ainda. Muitas vezes, não é necessário nenhum tipo de edição, roteiro ou encenação.

É algo mais semelhante a uma reunião ou uma aula e, em alguns casos, com interação direta entre os participantes, possibilitando entrevistas e resolução de dúvidas, sem necessitar de espera.

3. Tutoriais

Praticamente todo consumidor de conteúdos em vídeo já viu pelo menos um tutorial. É quase certo que você mesmo tenha assistido a alguns e, quem sabe, até feito algum curso completo, totalmente por meio de vídeos.

É algo que, há alguns anos, só seria possível aprender procurando alguma boa escola, muitas vezes de alto valor.

Existem diversos vloggers que iniciaram produzindo tutoriais e que, atualmente, têm uma grande empresa em sua própria área e isso é simples de entender.

Afinal, você evita uma leitura extensa e, algumas vezes, sem nenhuma imagem sobre o que se estuda, para assistir a um vídeo que mostra o passo a passo exato, que, seguido à risca, dificilmente, dará errado.

Isso também ajuda a construir algo que toda empresa almeja: se tornar uma autoridade e uma referência no segmento.

Mas a questão não é simplesmente fazer um passo a passo, como em um livro de receitas. Os consumidores vão esperar de você um contato mais direto e pessoal, uma comunicação cativante que os guie de forma confortável.

Nunca deixe a entender que você não se importa o suficiente com o sucesso do usuário naquela tarefa.

4. Depoimentos

Depois de certo tempo criando conteúdos relevantes para sua persona, é esperado que alguns cases de sucesso comecem a surgir. É uma ótima oportunidade para coletar esses depoimentos e usá-los para mostrar aos novos visitantes o quanto o seu produto é importante.

Nesse sentido, criar vídeos que mostrem quem são as pessoas por trás desses cases de sucesso é algo que vai agregar muito valor. Isso se torna um elogio e uma promoção espontânea para a sua empresa.

Porém, não deixe de prestar atenção nas boas práticas com os seus clientes. Não seja invasivo, pois muitos não têm interesse em ser gravados ou exibidos. É preciso respeitar isso completamente.

Um modo de facilitar a entrega desses depoimentos é a realização de eventos que promovam a participação desses clientes. Isso aumenta as chances de se sentirem mais à vontade para fazerem declarações, mesmo que curtas, mas, ainda assim, capazes de causar grande impacto.

Oferecer descontos nos serviços para os clientes satisfeitos que disponibilizarem depoimentos, ou promover algum tipo de concurso para que relatem o motivo pelo qual recomendam o seu serviço são maneiras interessantes para viabilizar essa coleta.

5. Animações

São os preferidos de muita gente, pelo simples motivo de deixarem os usuários mais motivados com grandes paletas de cores e personagens divertidos que geram bem-estar.

São mais baratos de se produzir do que os vídeos com pessoas reais e, inclusive, muitas vezes, produzidos por uma equipe muito pequena.

exemplo de vídeo animado

Nesse universo animado, existem vários estilos de vídeos que podem ser usados, como as animações em quadro branco, em colagem, 3D, e um dos mais usados na estratégia de conteúdo em vídeo: o Motion Graphics

Em sua maior parte, o Motion Graphics é caracterizado por animações 2D, e é um ótimo estilo para a criação de vídeos explicativos e institucionais, como no exemplo abaixo:

Quais os principais cases de sucesso?

Qual a melhor maneira de compreender o sucesso que conteúdos em vídeo podem proporcionar, se não mostrando exemplos reais de empresas bem-sucedidas?

Uma boa amostra é o caso da Headspace, um aplicativo desenvolvido para ensinar, auxiliar e guiar a meditação. O uso de vídeos deu tão certo que passou a produzir séries com episódios curtos, dando dicas de como meditar melhor.

Em 2013, a Volkswagen teve a difícil missão de anunciar o fim da fabricação da Kombi. Em um vídeo marketing genial, foi narrada a história do veículo, e o que talvez pudesse desvalorizar a marca acabou se tornando um viral que venceu vários prêmios no Festival de Cannes.

Por sua vez, a YumYum Vídeos é uma empresa que se tornou um sucesso ao usar a estratégia, produzindo conteúdo em vídeo para eles mesmos e para várias grandes empresas, como Fox, DocuSign, Red Bull, American Express, entre outras.

As estratégias de marketing em vídeo não são mais apenas uma tendência. Para ver os seus números aumentarem, não deixe de apostar na estratégia.

Está preparado para iniciar a sua estratégia utilizando conteúdo em vídeo, mas ainda quer aprender sobre as estratégias de marketing de vídeo? Então não deixe de ler nosso guia sobre o assunto!

marketing em video

Vídeos corporativos: como usar esse recurso a favor do seu negócio?

Vídeos corporativos: como usar esse recurso a favor do seu negócio?

Uma boa empresa está sempre à procura de modos de se reinventar e de usufruir as novidades tecnológicas que vão surgindo rapidamente. Mas, com o tempo, inúmeras outras empresas vão pelo mesmo caminho. Como se destacar no meio disso tudo? Os vídeos corporativos podem ser a resposta!

A evolução tecnológica nos possibilita muitas facilidades no dia a dia, desde um simples pagamento até o contato profissional com alguém do outro lado do mundo.

Os vídeos já eram comuns há quase um século, quando o cinema começou a se popularizar e se espalhar por todo o planeta. Acompanhando essa evolução em plena era da transformação digital, se tornou uma parte essencial nos negócios de grandes, médias, pequenas e microempresas.

Isso porque o vídeo é uma ótima maneira de divulgar esse mundo tecnológico e de apresentar seu produto sem uma limitação regional, comum há algumas décadas.

Por isso mesmo, hoje, você é bombardeado por vídeos durante a maior parte do seu dia. Eles chegam pelo computador, pelo tablet, pelo celular, por televisores em transporte coletivo, bancos, hospitais e diversos outros estabelecimentos.

Parece irresistível apostar nisso, certo? Apesar disso, ainda existem muitas empresas atrasadas nesse assunto, na maioria das vezes, por falta de conhecimento e informação.

Sua empresa já passou ou ainda passa por isso? E, mesmo que já tenha passado, você ainda fica um pouco perdido sobre qual caminho começar a trilhar no mundo dos vídeos?

Então, descubra a seguir algumas boas práticas no uso desse recurso!

O que é um vídeo corporativo?

Pode existir uma pequena dúvida sobre os vídeos corporativos. Eles são a mesma coisa que um vídeo publicitário, por exemplo? São a mesma coisa que um vídeo institucional?

Saiba que não são, viu? Cada um desses representa um estilo de vídeo diferente, com distintos objetivos.

Na publicidade, por exemplo, um vídeo é construído para ter informações mais diretas do produto, mostrar o seu valor e a necessidade do cliente em adquiri-lo. A mensagem é criada com o objetivo de prender o espectador logo nos primeiros segundos de um vídeo curto, que terá entre 15 e 30 segundos.

Já o vídeo institucional é focado na apresentação da empresa, sua trajetória, sua visão de mundo e de mercado.

Um vídeo corporativo, por sua vez, tem como principal característica divulgar trabalhos já realizados, mostrar o potencial do seu serviço e apresentar um produto.

Além de ser direcionado a um público externo, também pode ser exibido dentro da própria empresa, procurando aumentar o engajamento de seus colaboradores, parceiros e sócios.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS

👉 5 opções de câmera para gravar vídeos corporativos

👉 Vídeos para empresas B2B: entenda os melhores formatos de vídeo para apostar em sua estratégia!

👉 Vídeos animados para empresas: como você ainda não adotou essa solução?

Qual estilo de vídeo corporativo devo adotar?

Não existe uma regra quanto a isso, mas uma coisa que tem enorme valor ao criar um vídeo corporativo é a criatividade.

Buscar ser bem-humorado, mesclar estilos visuais diferentes e passar uma mensagem positiva são alguns elementos primordiais que sempre devem receber uma atenção especial nesse tipo de produção.

No entanto, vale estar atento ao que a marca pede. E, nesse aspecto, é possível recorrer a algumas dicas que podem facilitar um brainstorm e um briefing.

Recorra a técnicas de animação

Já mostramos aqui no blog como o Motion Graphics é uma verdadeira febre entre os vídeos corporativos e institucionais, pelo seu visual fluido e atrativo, além da sua semelhança e influência com o Design Gráfico.

Também existem diversas outras técnicas de animação que são amplamente utilizadas em vídeos corporativos como estratégia de marketing e de engajamento da própria empresa. É o caso da animação em recortes, animação em quadro branco, animação 3D, entre outros.

Mais do que o seu visual bonito e chamativo, o ponto principal em uma animação sempre será a mensagem. Para uma mensagem forte fazer parte disso, é preciso:

  • escrever um bom roteiro;
  • planejar um storyboard;
  • o ritmo da própria animação deve ajudar a contar a sua história, e não atrapalhar, com ações que não se encaixam no que é dito ou no objetivo central.

Não pense que, por ser animação, um vídeo corporativo corre o risco de ganhar um tom infantilizado.

Tudo depende da maneira como o planejamento acontece. Um vídeo como esse pode passar uma mensagem de seriedade mesmo com personagens caricatos e com algum tom de descontração em pontos específicos.

Utilize capturas de imagem

Aqui, a produção é bem diferente de uma animação, em alguns pontos. Para filmagens, é necessário muito mais do que apenas um computador e um ótimo software. O ideal é contar com boas câmeras, uma boa locação e atores que saibam o que estão interpretando, para dar naturalidade ao projeto.

Caso não utilize atores e sim um colaborador da própria empresa, vale buscar a maior afinidade possível com a mensagem, o que não é tão difícil, pois ninguém sabe tanto sobre o seu negócio quanto você mesmo. Portanto, é importante demonstrar autoridade no assunto.

Embora uma captura de imagem possa parecer algo extremamente trabalhoso, nem sempre precisa ser assim. Muitas agências trabalham com uma alta demanda e isso exige um maior senso de urgência nessas produções.

Uma boa produção pode ser realizada em um único dia. Basta saber aproveitar o que você tem disponível naquele momento.

Isso pode colaborar para uma visão mais crua do seu negócio, algo que se aproxima mais do seu público, especialmente, pela identificação que se cria ao conhecer visualmente um membro da empresa.

Por que eu deveria investir em vídeos corporativos?

Como mencionado no início deste post, o vídeo é um recurso extremamente importante para as empresas que querem se manter atualizadas e alinhadas ao seu público.

Isso significa que, a cada dia, mais empresas adotam esse tipo de estratégia e a concorrência fica cada vez mais competitiva. Não é nada interessante sua empresa ficar para trás, não é mesmo?

A vantagem é que muitas empresas que já utilizam vídeos ainda não experimentaram os efeitos de um vídeo corporativo. Algumas pensam que focar a publicidade é o suficiente ou que vídeos institucionais já englobam os corporativos.

Mas a verdade é que o vídeo corporativo tem o papel de acrescentar um degrau a mais na escada que o levará a um destaque certeiro.

Ele ajuda a consolidar a sua autoridade sobre determinado assunto ou produto, inserindo o consumidor dentro do seu negócio. Ele passa a se sentir mais parte disso tudo e você cria oportunidades para mostrar o grande diferencial frente ao tradicional e até mesmo frente ao que já é novidade.

Sua empresa gera mais valor e mais confiança. Consequentemente, receberá mais conversões, mais clientes e mais promotores.

Como começar?

Quer mais algumas dicas? Então, veja só quais aspectos você deve levar em consideração.

Conheça a sua persona

Uma das ações que pode gerar mais resultados para os seus projetos e estratégias envolvendo vídeos é estudar muito bem quem é a sua persona e qual será a sua comunicação com ela.

Saber o que ela pensa, o que espera, o que consome e quais são suas dores: tudo isso te proporciona um entendimento muito maior de como moldar a sua empresa com o foco certo, sem precisar atirar para todos os lados.

Isso poupa tempo, investimento e, assim, gera um retorno maior e mais rápido. Então, não deixe de aplicar esse conhecimento aos vídeos.

Guia para criação de personas

Saiba a sensação que você deseja passar

Uma das consequências em conhecer bem a persona para sua empresa é que isso ajuda a lançar uma luz sobre os trilhos que você deve seguir. Reflita sobre a imagem que você quer passar para o espectador, mais especificamente, a imagem da sua empresa, se tratando de um vídeo corporativo.

É recomendado definir o seu tom para passar as mensagens. Lembre-se de que você pode recorrer à seriedade ou à descontração, bastando entender o que se encaixa melhor no seu propósito.

Lembre-se do storytelling

Storytelling nada mais é do que a destreza em contar uma história envolvente, mesmo que seja curta. Se o seu projeto tem uma narrativa que desperte um grande interesse no usuário, significa que você está aplicando essa técnica.

Imagens bonitas podem chamar atenção em um primeiro olhar, mas apenas isso não vai reter seu público se a mensagem não aflorar o desejo em continuar assistindo e saber mais sobre o que você está apresentando.

Demonstrar a possibilidade de uma recompensa após adquirir o seu produto e descobrir coisas novas ao consumir o seu conteúdo em vídeo são alguns pontos que uma persona sempre vai buscar, independentemente de qual seja.

Defina com clareza aonde deseja chegar

Fixar esse ponto pode ajudar um público que ainda tenha dúvidas quanto a tomar uma decisão de compra, por exemplo. Isso é possível quando seu vídeo corporativo tem um objetivo bem traçado, passa clareza e firmeza, e aumenta a confiança do usuário.

Isso passa pela definição de qual é a linha de chegada, para que tipo de persona ele vai ser direcionado, qual é a repercussão que deseja fomentar etc.

Pegar todas as peças do quebra-cabeça e montar uma bela imagem do que você almeja com o seu negócio só tende a apresentar ótimos resultados.

Procure explicitar o seu diferencial

Com esse enorme sucesso e utilidade dos vídeos na estratégia de marketing digital, não é fácil se destacar apenas criando conteúdos padrões.

Aposte sempre em se diferenciar do que você já conhece. Se destaque nesse meio por meio de uma mescla de coisas que você consumiu durante a vida e crie algo novo, mas que tenha a sua identidade.

Assim, a sua marca se tornará inconfundível e permanecerá por mais tempo na cabeça do público. Este é o grande objetivo de toda grande empresa: estar sempre presente na vida de sua persona.

Não se esqueça de que a forma como se produz o vídeo é um ponto de valor para explorar a sua singularidade. Seja experimental sem se tornar abstrato para quem assiste, pois a clareza da mensagem ainda é o foco.

E então, pronto para investir na produção dos vídeos corporativos de sua empresa e alavancar o negócio? Aplique essas dicas e descubra como situações que antes eram burocráticas e chatas podem se tornar uma produção divertida e com ótimos resultados.

E, se você quer entender mais de estratégias de marketing em vídeo, não deixe de baixar nosso e-book gratuito sobre o assunto.

marketing em video

Storyboard: por que ele é essencial para a sua estratégia de Marketing Digital?

Você já sabe que vídeos são uma parte muito importante da estratégia de Marketing Digital, não é mesmo?

Atualmente, 72% dos consumidores já preferem assistir a um vídeo para aprender sobre determinado serviço ou mercadoria, ao invés de ler um texto.

Para 2019, espera-se que 80% de todo tráfego online seja dedicado a vídeos.

E os números não param por aí!

  • 90% dos compradores na internet afirmam que vídeos ajudam na decisão de compra;
  • De todo o tempo que as pessoas ficam online, 1/3 é gasto assistindo vídeos.

Ou seja, não existem mais motivos para subestimar o poder que um vídeo tem na estratégia de Marketing Digital.

Mas não pense que conseguir um ótimo resultado é fácil. É preciso investir no processo de produção.

Nesse contexto, uma das etapas de maior importância e que nem todos conhecem é o storyboard, uma espécie de rascunho, quadro a quadro, que auxilia na construção da narrativa, na edição e também ajuda no planejamento do design e na composição das cenas.

Quer entender melhor como essa ferramenta funciona e como ela pode tornar a sua estratégia em vídeo muito mais eficaz?

Então, continue a leitura!

O que é um storyboard?

O storyboard é uma sequência de desenhos quadro a quadro com o esboço das diversas cenas pensadas para um conteúdo em vídeo.

O visual desse esboço é semelhante ao de uma história em quadrinhos e o objetivo é elaborar e detalhar a sequência da narrativa.

Essa ferramenta é originalmente utilizada em animações, filmes e jogos, mas com o passar do tempo, tornou-se muito aplicada também em projetos gráficos para publicidade e marketing.

Ou seja, devido à sua versatilidade, o storyboard pode ser usado para compor a movimentação de um filme, a cinemática de um jogo ou mesmo para demonstrar como acontece a navegação de um usuário em um site ou app.

Nas empresas, essa etapa do projeto de vídeo geralmente é de responsabilidade das equipes de criação.

A produção da etapa dos projetos deve ser totalmente focada na persona, independentemente de qual for o tipo de conteúdo em vídeo a ser produzido.

Ou seja, o objetivo é desenvolver uma sequência de ações da forma mais divertida, instigante e confortável visualmente possível, de forma a otimizar o engajamento do público.

Exemplos de storyboard

Sabe aquele filme que você viu e que gostou tanto a ponto de querer que todos os seus amigos e familiares também assistissem e assim pudessem conversar sobre aquela história?

Esse desenho esquemático é responsável por uma boa parte do sentimento que esse filme de causou em você.

Isso já existe há muito tempo no cinema. E para te provar isso, confira este exemplo de storyboard da famosa cena do chuveiro em “Psicose”, de 1960:

Veja como o desenhista criou a narrativa visual e como essa narrativa foi seguida na cena final:

Um outro exemplo de como certos enquadramentos e composições são extremamente importantes na produção dos quadros, podendo criar cenas impactantes, é o filme “Corra!”, de 2017:

Além disso, esse desenho esquemático também é utilizado para definir o ritmo e tempo de um vídeo.

Utiliza-se uma versão beta do áudio que será produzido para o vídeo final, ou mesmo o próprio áudio final, já editado.

Nesse caso, é realizada uma edição, sincronizando a narrativa estática do storyboard com o som, criando assim um rascunho em movimento, chamado de animático.

Nesta cena do filme “Viva – a vida é uma festa” de 2018, podemos ver claramente como esse tipo de storyboard auxiliou na animação final:

Perceba que neste momento não existe a necessidade de que os desenhos estejam finalizados. É a narrativa que precisa estar clara e muito bem definida.

As indicações de movimentação na cena, por qual lado o personagem entra e por onde ele sai, qual é a trajetória que determinado objeto fará, o ângulo de câmera, cortes, duração de cada tomada, dentre outros detalhes que possam facilitar a edição.

Desenhos rígidos podem atrapalhar nessa fluidez, principalmente se o seu vídeo apresenta um teor mais dinâmico.

Um ponto que gera um grande questionamento é: eu preciso saber desenhar?

A resposta é que se você tem alguma base para desenho ou criação, certamente o seu projeto será melhor desenvolvido, pois o storyboard é uma indicação do que o diretor, animador ou designer vai seguir visualmente.

Caso não tenha esse embasamento, mas preze pela melhor qualidade possível, é recomendado a contratação dos serviços de um animador ou desenhista que tenha conhecimento em narrativa cinematográfica.

Porém, é possível criar storyboard para certos projetos sem uma grande habilidade para desenho, como esse exemplo, usado para desenvolver layout para um site:

Storyboard de layout de site

Fonte: Playitaway

Onde o Marketing Digital entra nessa história?

Com o crescimento de busca por vídeos na internet e a iminente questão de que os vídeos irão dominar cada vez mais o mercado, aqueles que desenvolverem conhecimento sobre a produção com certeza sairão na frente.

No Marketing Digital e, principalmente, no Marketing de Conteúdo, os vídeos já estão sendo utilizados de várias formas, seja como uma apresentação de um produto, um anúncio de um novo conteúdo ou revitalização de um conteúdo já existente.

Além da já conhecida captura de imagens, outro modo bastante utilizado por ser muito atraente, é o Motion Graphics.

Além disso, um grande diferencial para se ter sucesso fica por conta do storytelling e é aí que o storyboard se faz necessário para desenvolver um esquema criativo e que chame a atenção do usuário logo nos primeiros segundos após o play.

Manual do uso de Vídeos no MKT Conteúdo

Como fazer um storyboard?

Então, agora que já compreendeu a importância dessa estratégia para o Marketing Digital, vamos a um pequeno guia sobre essa etapa do projeto:

Reflita antes de pôr a mão na massa

Após a conclusão do roteiro de um determinado projeto, já é o momento de pensar no storyboard e consequentemente, no storytelling.

Procure visualizar todo o enredo do projeto, do início ao fim.

Essa é também uma ótima maneira para verificar possíveis problemas e inconsistências do roteiro e assim aplicar alterações sem ter retrabalho após a finalização.

Comece a esboçar

Em um arquivo novo em um programa de desenvolvimento visual ou mesmo em uma folha de papel, desenhe os quadros que irão representar a sua tela.

Ao esboçar as cenas, insira todas as anotações que julgar importantes, reserve um espaço abaixo de cada quadro para isso.

Procure centralizar as ações dentro da tela, onde o foco do consumidor permanece na maior parte do tempo.

Seja seu próprio diretor

Se for necessário, crie um animático sincronizando com o áudio. Busque trabalhar no ritmo das sequências, dê tempo para o consumidor digerir a mensagem, mas não enrole, seja objetivo.

Para um vídeo curto, é recomendado pouco texto — seja em diálogo ou texto em tela — e mais exploração visual. Você executa o que você mesmo define na linha do tempo do vídeo, então planeje bem essa parte.

Voilá!

Depois de seguir todos esses passos, seu storyboard estará pronto para ser o guia da etapa seguinte do projeto: a execução da captura de imagem.

Bônus: ferramentas para criação de um storyboard

Existem diferentes opções para a criação de um Storyboard de qualidade e separamos algumas para te ajudar:

O bom e velho papel e caneta

Sim, existe uma certa ilusão de que essa etapa precisa estar totalmente polida, minuciosamente formatada e com o desenho bonito e que o digital é melhor para se ter esse resultado.

Isso é um mito. Ainda hoje, grandes empresas e estúdios pelo mundo utilizam o papel e os rabiscos rápidos em um brainstorm para defender ou apresentar ideias, porque a ideia é o mais importante.

Softwares

Alguns programas são excelentes para a criação de storyboards. Os mais utilizados atualmente são o Photoshop e o Toon Boom Storyboard Pro. Mas se você quiser experimentar softwares gratuitos, existem boas opções como o Storyboarder e o Plot.

Para utilizar qualquer um desses, uma mesa digitalizadora é uma mão na roda.

Ferramentas online

Se você não possui nenhum software, existem opções de sites que disponibilizam ferramentas para agilizar essa etapa e otimizar o workflow de sua equipe.

Uma delas é o Boords, um site limpo e intuitivo desenvolvido especialmente para facilitar a criação de um animático, por exemplo.

Caso não tenha uma mesa digitalizadora, há também a opção de inserir imagens já prontas e montar uma linha do tempo.

Você já sabe que imagens ajudam a impulsionar um conteúdo e a engajar seus clientes, além de deixar o seu blog com um visual muito mais agradável.

Agora, imagine ultrapassar a barreira do estático e explorar o movimento dos vídeos com animações e capturas incríveis?

Dessa forma, o usuário tende a se sentir mais familiarizado ao ter uma sensação maior de que você está passando a mensagem diretamente para ele.

Essa é uma vantagem a mais que o audiovisual proporciona e podemos utilizar isso de forma positiva e educativa, sem gerar cansaço ou desinteresse logo no início do conteúdo.

Agora que você já entendeu a importância dessa etapa e como ela pode influenciar no sucesso da sua estratégia de marketing, que tal ampliar seu conhecimento sobre essa tendência, conhecendo tudo e mais um pouco sobre Vídeo Marketing?

marketing em video

Vídeos animados para empresas

Vídeos animados para empresas: como você ainda não adotou essa solução?

Geralmente, quando pensamos na palavra “animação” duas coisas podem vir à nossa mente: ou aquele animador de festas infantis, correndo de um lado para o outro com uma turminha de crianças atrás, ou aquelas memórias de infância dos seus desenhos animados prediletos assistidos logo pela manhã.

No post de hoje, falaremos sobre o segundo exemplo, mas de uma forma diferente, uma vez que animações não são feitas somente para crianças, nem ao menos com a única função de entreter.

Hoje em dia, o leque de possibilidades que essa área proporciona se tornou quase infinito, rompendo as barreiras do cinema e TV, garantindo o seu lugarzinho no grande foguete da era digital e do marketing digital e traduzindo em um produto imensamente eficaz no mercado, principalmente por meio do já tão falado motion graphics.

Quer entender mais sobre o assunto e descobrir o porquê de usar videos animados para empresas? Então não deixe de seguir a leitura conosco!

Vídeos animados e motion graphics: qual a diferença?

Existe uma certa dúvida sobre os dois termos, mas a verdade é que ambos são a mesma coisa. Os dois termos fazem parte de um marketing inteligente e têm o objetivo de deixar o conteúdo mais dinâmico e atrativo.

Quando você observa mais profundamente, percebe que a animação está em praticamente todos os cantos — comerciais de TV, aberturas de novelas, cinema, Internet e por aí vai.

Independentemente do termo, a cada dia, eles se tornam mais eficazes na estratégia de marketing de conteúdo e mais rentáveis para quem investe, provando o seu valor e importância.

Manual do uso de Vídeos no MKT Conteúdo

Como esse recurso pode ajudar os resultados do seu negócio?

Muitas empresas já experimentaram uma estratégia de marketing digital que envolve uma diversidade de conteúdos e tiveram resultados muito satisfatórios. No meio dessa mistura, constam infográficos, eBooks, artigos diversos, imagens etc.

As animações são responsáveis por impulsionar ainda mais os conteúdos, já que novas plataformas que suportam vídeos estão se tornando cada vez mais populares e, em vez de ler o conteúdo em um blog post, os usuários estão se sentindo mais confortáveis ao darem play em um vídeo com o mesmo conteúdo. Sendo assim, vale e muito a pena aproveitar essa oportunidade de explorar esse recurso.

Não acredita?

Temos certeza que os motivos a seguir vão te convencer de uma vez por todas. Veja só!

Melhora sua posição no Google

Seu conteúdo ganhará muito mais vida se dentro dele o usuário encontrar entretenimento que o ajude a permanecer na página e a entender o seu produto como uma autoridade na área. Isso levará o seu site a subir posições no Google e demais mecanismos de busca, fortalecendo o fato de que quanto mais multimídia for o seu conteúdo, mais chances ele tem de conquistar a primeira posição do Google.

Conquista mais brand awareness

O tempo médio de um vídeo em motion graphics de impacto é de 2 minutos, o que acaba sendo bastante eficaz, considerando que o impacto no consumidor precisa ser feito rapidamente, antes que ele pense em fechar o vídeo sem terminar de assistir.

Uma das grandes vantagens de uma animação é que ela pode explicar em poucos minutos um conteúdo que teria 1.500 palavras ou exibir um processo que seria bem complicado de explicar em texto. Isso também pode ajudar muito quando você está impossibilitado de ouvir o som. Em todos os casos, proporcionando um grande aumento no brand awareness do seu negócio.

Funciona como um vendedor incansável

Outro ótimo motivo para explorar animações e ter um vídeo em seu site é que ele mira diretamente em sua persona e apresenta todos os benefícios de seu produto, mesmo quando você está ausente, uma vez que o vídeo sempre está online e muitas vezes serve como um explicativo, um tutorial.

Isso mostra que o vídeo tem uma função que vai além do vendedor, que é a de estar lá para refazer toda a apresentação — de novo e de novo — sempre que a persona precisar, seja para guardar informações, seja para compartilhar a mesma mensagem, seja para tomar a decisão de compra.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS
👉 Como calcular o ROI do seu investimento em vídeos
👉 Vídeos para empresas B2B: entenda os melhores formatos de vídeo para apostar em sua estratégia!
👉 Aprenda como produzir vídeos para a jornada de compra: descoberta, consideração e decisão

Trabalha com um produto já consolidado no mercado

Houve um período em que se temia a queda do uso de animações no marketing e publicidade. Mas isso se mostrou um completo equívoco, já que o vídeo marketing se mostrou um dos principais responsáveis pelo grande sucesso das empresas nos últimos anos.

E a lógica é simples: a empresa investe em um formato divertido, com conteúdo relevante e informativo, que pode ser compartilhado de forma ilimitada, podendo até mesmo viralizar.

Imagine quantas conversões um único vídeo pode gerar para o seu negócio?

Toca emocionalmente sua persona

Ao fazer um vídeo em motion graphics, você cria a possibilidade de explorar o storytelling do seu conteúdo, contanto histórias que comovem. É natural que empatizamos e refletimos emoções que estão representadas na animação, assim como acontece em um filme ou peça teatral.

Essa ferramenta disponibiliza muitas possibilidades de comunicação com o público, que vai desde o estilo de cada personagem, até a narração que ajuda a guiar o usuário, como no exemplo a seguir:

Aumenta o alcance do conteúdo

Com a facilidade que as plataformas criaram ao suportarem formatos em vídeos, também se tornou possível espalhar o conteúdo em muito mais lugares e de diversas formas, como em um vídeo explicativo e institucional, em uma landing page, uma apresentação de canal ou eBook, entre outras possibilidades que permitem que este conteúdo permaneça em vigor durante muito mais tempo do que se imagina.

Ajuda na compreensão das informações

Atualmente, os usuários de redes sociais gastam em média 6 horas por semana assistindo a vídeos.

Parece impressionante, mas sabemos que é muito mais confortável sentar, relaxar e absorver um alto volume de informações apenas assistindo um vídeo envolvente, que te coloque de forma mais natural dentro daquele conteúdo.

Os motion graphics tem a função de tornar qualquer esforço em algo mais leve, a não ser que o espectador deseje se aprofundar mais no assunto apresentado. Mas é um trabalho da animação sintetizar as informações de forma clara e objetiva.

A busca principal é pela compreensão, quando um produtor de conteúdo precisa entregar uma mensagem complexa, as animações ajudam — e muito! — a elucidar isso.

O processamento e absorção de informação visual leva em torno 13 milissegundo para acontecer em nosso cérebro. Isso significa que utilizar elementos visuais em seus projetos proporcionam uma chance imensamente mais certeira da compreensão da mensagem.

Existe apenas um tipo de vídeo em motion graphics?

Em um primeiro momento, pode surgir aquela leve sensação de que os vídeos em motion graphics são sempre parecidos uns com os outros. Isso não passa de uma sensação, pois basta explorar a criatividade e entender que não é obrigatório utilizar esse tipo de animação em 100% de sua estratégia em vídeo.

Como essa técnica permite uma versatilidade enorme, é totalmente possível — e até indicado — que você mescle outros tipos de vídeos de uma maneira que cause um impacto ainda maior.

Quer ver alguns exemplos?

Então, vamos lá!

Com personagens

Um dos poréns que podemos encontrar ao analisar vídeos em motion graphics por aí, talvez seja um uso exagerado de elementos geométricos, gráficos e lettering, dando um tom mais frio na sua abordagem.

Para aumentar a proximidade e a sensação de que você está falando diretamente para a sua persona de uma forma mais pessoal, usar personagens carismáticos é o ideal. Adotando esse recurso, com certeza a identificação do seu público com a sua marca será ainda mais forte.

Representação de um quadro branco ou papel

Há pouco tempo, vídeos mostrando uma história contada e sendo ilustrada ao mesmo tempo se tornaram muito populares com o chamado “draw my life”.

Com o sucesso, diversas empresas passaram a usar o estilo para criar vídeos explicativos e institucionais e os motion graphics ajudaram e muito no crescimento da qualidade desse estilo.

Animação com capturas reais

Usando sua imaginação e criatividade, praticamente qualquer limitação em um vídeo com captura real pode ser quebrada. Afinal, mesclando as animações com a filmagem, é possível criar efeitos especiais dignos de cinema.

Imagine algo do tipo de seus conteúdos, hein?

Animação com colagem

Se você preferir explorar um universo surrealista, a técnica de colagem é uma excelente opção. Ela simula recortes de revista para criar telas impressionantes de acordo com a sua imaginação. Também é um estilo que se tornou extremamente popular nos últimos anos, ajudando a resgatar uma aparência vintage, porém moderna no marketing digital.

E então, se convenceu de que utilizar vídeos animados para empresas é uma ótima solução?

Com tudo o que mostramos aqui, com certeza sua estratégia de marketing digital terá novos caminhos a trilhar e uma nova maneira de alavancar o seu negócio!

Se quiser conhecer mais sobre o processo de produção de vídeos, não deixe de ler nosso guia completo de marketing em vídeo.

marketing em video

O que são vídeos institucionais?

Por que investir em vídeos institucionais?

Muitas empresas já sabem que um vídeo institucional pode ajudar — e muito! — em sua estratégia de marketing digital e de comunicação com o seu público. E a sua? Já investe nisso? Chegou o momento de descobrir os motivos para fazê-lo!

A cada dia que passa, a competitividade do mercado cresce mais, e é extremamente importante ter destaque e se tornar uma autoridade em seu segmento. Então, investir em vídeos institucionais que apresentem o seu produto é um passo decisivo para aproximar o seu negócio dos clientes.

Isso não apenas vai gerar mais engajamento e fidelidade, como também vai atrair outras pessoas. Não por acaso, os vídeos já são considerados a estratégia em comunicação com efeito mais poderoso nesse sentido.

Siga conosco e entenda os motivos de esse investimento ser uma ótima ideia!

O que são os vídeos institucionais?

É provável que você já tenha assistido a, pelo menos, um vídeo institucional recentemente. Não é algo tão difícil de afirmar, pois é um tipo de tendência cada dia mais usado pelas empresas. Quando você entra em um site ou mesmo no canal da empresa do YouTube, muitas vezes, vai se deparar com um vídeo do gênero.

Mesmo quando você está assistindo a algum vídeo aleatório e surge aquela propaganda que você corre para pular, pode ser por meio de um vídeo institucional.

Esse tipo de material costuma ser utilizado como apresentação da empresa, de seus produtos ou serviços, com a divulgação realizada por ela própria.

Existem vídeos produzidos para o público geral e também os vídeos exclusivos para parceiros e colaboradores. Ou seja, os objetivos são diversos. Em uma estratégia de marketing digital, você também pode ver nomes como vídeo marketing, vídeo empresarial ou vídeo corporativo.

Mas você deve estar se perguntando: como criar um bom vídeo institucional? Quais os caminhos devo tomar? E quais os cuidados demandam maior atenção?

Para responder a todas as suas dúvidas, separamos os principais pontos para ter sucesso com essa ferramenta. Vamos ao próximo tópico?

Como investir em um vídeo institucional de sucesso?

Antes de iniciar a produção de um vídeo, lembre-se da importância de conhecer bem o produto ou o serviço relativo à mensagem que será passada, assim como o público a que você está se dirigindo. Com isso, tente prever a relevância desse material.

No mais, siga os passos que listamos logo abaixo!

1. Comece com um bom roteiro

Assim que concluir um ótimo brainstorming, é claro. Defina muito bem as ideias centrais com a sua equipe responsável pelo projeto, crie a mensagem e todo o caminho que ela vai percorrer durante o vídeo.

A partir disso, escreva um roteiro, formalizando esse caminho. Ele será o guia para tudo o que virá depois: filmagens, ilustrações, animações, locução, trilha sonora etc.

Mesmo que você pense que roteiros só são importantes em filmes e comerciais publicitários, vai perceber no decorrer desse post que os vídeos institucionais não são exceção nesse quesito.

2. Dê uma atenção especial ao visual

Se o mercado tem uma tendência tão forte ao uso de vídeos, bons motivos devem existir e é certo de que um dos principais é o visual atrativo.

Atualmente, 80% do tráfego de internet é dedicado a vídeos, mas nem todos os produtos demonstram que tiveram atenção suficiente para um vídeo de alta qualidade.

Se você deseja ter sucesso nesse aspecto, é preciso ir além de simplesmente fazer um vídeo: crie um bom design e seu conteúdo ganhará ainda mais destaque.

Só lembre-se de que bom visual e alta qualidade não se resumem a ilustrações que não sejam ultrapassadas. Uma boa animação e renderização bem-feita resultarão em um material profissional.

É importante contratar um profissional especializado para que tudo seja feito com esmero. Nunca se esqueça de que o visual é a primeira coisa que vai chamar a atenção do seu público.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS

👉 Vídeos animados para empresas: como você ainda não adotou essa solução?

👉 Do planejamento à execução: como gerenciar o seu canal do Youtube com maestria

👉 Storyboard: por que ele é essencial para a sua estratégia de Marketing Digital?

3. Seja objetivo

Convenhamos, ninguém tem muita paciência hoje em dia para vídeos longos, que demoram a chegar ao ponto. Ficamos com aquela péssima sensação de que estamos sendo enrolados.

Vídeos objetivos e curtos são muito mais atrativos. O tempo ideal para a duração de um vídeo institucional fica entre 30 segundos e 2 minutos, mais do que o suficiente para apresentar um serviço ou produto específico, independentemente de qual seja.

Quer falar sobre outro produto? Faça um novo vídeo. Quer falar mais sobre o mesmo produto? Complemente o vídeo com um blog post ou um artigo. Inclusive, é aconselhável que você faça a indicação para um material mais completo no próprio vídeo. Assim, você colabora para a retenção do usuário, sem ser chato ou cansativo.

O mais importante sempre será manter a atenção das pessoas. Se a mensagem demora a ser passada, sem dúvida nenhuma, o vídeo será fechado, e é bem provável que esse usuário jamais volte. Isso é péssimo para sua marca.

4. Seja um contador de histórias

Se você deseja realmente prender o seu público com a mensagem que você criou para o vídeo, não hesite em criar uma boa história, que tenha o poder de entreter.

O nosso cérebro é capaz de assimilar e se identificar mais facilmente com uma boa narrativa do que com inúmeros gráficos ou muito texto.

O uso do storytelling, com personagens, cenários chamativos, analogias interessantes e até metáforas inteligentes, torna tudo mais envolvente.

As chances de as pessoas se emocionarem de alguma forma são maiores. Quando isso acontece, significa que você alcançou o seu objetivo e, dificilmente, o público esquecerá o que assistiu. Isso também vale para produtos e serviços mais tradicionais.

Afinal, todo mundo se identifica com alguma história, desde que seja bem contada.

Manual do uso de Vídeos no MKT Conteúdo

5. Lembre-se da trilha sonora

Um vídeo bonito, porém, mudo, não terá nenhum retorno positivo. Um vídeo com um áudio mal feito terá tanto retorno quanto um vídeo mudo. Então, é muitíssimo importante dedicar parte do esforço da trabalho para a trilha sonora.

Nesse sentido, são ações essenciais para obter o resultado esperado:

  • produzir uma locução profissional, que seja clara e com um tom agradável;
  • adicionar ruídos que deixem tudo mais realista, desde o som de passos até o som de um veículo, por exemplo;
  • escolher uma boa música de fundo, que empolgue o espectador de alguma forma.

Cuide para não deixar o vídeo datado, à medida que o tempo passa. Uma música que você goste muito por ser o hit do momento pode se tornar algo muito cafona depois de alguns anos, e o seu vídeo, automaticamente, vai acompanhar isso.

Procure utilizar música que remeta ao seu produto de um jeito envolvente. Utilize apenas músicas instrumentais, a não ser que você esteja produzindo um videoclipe ou um vídeo para ilustrar algum jingle.

Usar músicas com vocais, enquanto o seu vídeo utiliza locução pode tornar uma visita ao site a situação mais confusa possível.

Não se esqueça também de controlar bem o volume de tudo: a música não pode ultrapassar o volume da locução, assim como os ruídos.

6. Não procure criar um viral

Houve um tempo em que produtores de vídeo procuravam a fórmula mágica para a criação de um conteúdo em vídeo que fosse capaz de viralizar e fazer sua marca bombar no mercado.

Isso é um mito. Já é de conhecimento geral que os vídeos que fizeram mais sucesso por terem viralizado foram obra do acaso, em sua grande maioria. Não há como provar que um vídeo feito para viralizar vai realmente gerar esse efeito.

Essa tentativa, na verdade, pode gerar uma reação totalmente contrária em relação àquilo que se esperava e a mensagem que você gostaria de passar acaba sendo manchada. Se essa fórmula mágica existisse, sempre veríamos vídeos virais vindo dos mesmos lugares, certo?

Mas isso não quer dizer que você não possa procurar prever o alcance do seu vídeo. Isso é possível sem ter que produzir um conteúdo forçado, buscando o topo de todas as listas.

Alcançar apenas o seu público-alvo pode ser mais eficiente do que atingir um público totalmente alheio, que não terá o mesmo engajamento.

7. Trace o objetivo e o retorno

Tudo muito bem até aqui, mas vale lembrar de um dos detalhes mais importantes, que é a estratégia utilizada. Assim como é feito com outros conteúdos, também é necessário traçar os objetivos com os vídeos institucionais e mensurar os resultados que ele pode gerar.

Isso vai ajudar a calcular o seu investimento e o retorno, além de mostrar a necessidade de melhorias, caso algo não esteja certo.

Por exemplo, é possível verificar o desempenho de um blog post, uma landing page, ou mesmo de um post em rede social, dando especial atenção ao número de visualizações dos vídeos em relação às visitas recebidas em conteúdo sem vídeos.

Tudo isso é muito importante para coletar dados e sempre manter o seu trabalho em evolução.

8. Solicite a participação do usuário

Uma excelente forma de manter as pessoas consumindo seus conteúdos e aumentando o engajamento é sempre fazer uma chamada para ação (Call to Action, ou CTA). Por exemplo:

  • incentive-os a participar de enquetes;
  • peça opiniões e indicações de temas para outros vídeos;
  • indique outros conteúdos da sua empresa;
  • convide-os para conhecer o site etc.

O usuário se sentirá muito mais participativo nas decisões da empresa, gerando o verdadeiro sentimento de parceria. Com isso, ele não será apenas um consumidor, mas também ajudará a moldar os produtos seguintes.

Além disso, o CTA tem um grande poder em reforçar a mensagem que foi passada, colaborando para compartilhamentos e mais atração. Este é um dos principais objetivos de um vídeo explicativo: instigar o usuário a fazer algo.

Agora que você entendeu a importância de se investir em vídeos institucionais, chegou a hora de produzir!

Quer conhecer mais sobre a produção de conteúdos em vídeo para a sua empresa? Então confira o nosso e-book completo sobre Marketing em Vídeo!

marketing em video