Automação de marketing e a humanização de marcas

Automação de marketing e a humanização de marcas

Automação de marketing visa agilizar processos enquanto a humanização de marcas preza pela personalização. Entenda como juntar as duas estratégias para proporcionar experiências aos clientes!

Automação de marketing e humanização de marca parecem termos que não se relacionam quando colocamos dessa forma.

E, de fato, cada uma tem um significado distinto.

Uma acelera e otimiza os processos, pensando mais em resultados e nos números finais, a outra tende a pensar mais no usuário e cliente, tentando aproximá-lo e colocá-lo em uma posição muito mais familiar do que apenas uma relação corporativa.

Mas e se te disséssemos que uma pode ser complementar da outra? Que as duas são importantes no caminho do cliente e no aumento de vendas dos mais variados setores. E o mais importante, que elas se auxiliam no momento da execução.

Hoje vamos explicar como a automação de marketing e a humanização são essenciais em uma estratégia de Marketing Digital, além de explicarmos como essas duas estratégias são complementares dentro de diferentes abordagens.

O que é Automação de Marketing?

Como o nome já sugere, a automação é o processo feito para automatizar os mecanismos dentro de uma estratégia de Marketing Digital. Fazer algo sem necessariamente estar presente ou executando manualmente aquela ação.

Ela consiste em unir tecnologias e processos para otimizar as etapas de venda de um negócio e, assim, fazer mais em um período de tempo menor.

Hoje, nós temos plataformas que permitem mexer em ferramentas, possibilitando criar uma automação de e-mails, automação de comunicação em diferentes canais, otimização de anúncios, chatbots, entre outros.

A Automação de Marketing se encaixa em tudo aquilo que é feito de forma previamente planejada, otimizada e entregue da melhor forma para o usuário final. E seu maior diferencial é possibilitar a escalabilidade da comunicação de forma personalizada.

E é nessa personalização que entra a humanização.

Humanização de Marcas? Nunca nem ouvi falar

A humanização de marcas soa mais complexa do que realmente é.

Essa tendência vem sendo utilizada em diferentes segmentos e se mostra cada vez mais efetiva no momento de aproximar leads e clientes da marca.

A ideia é tornar a marca uma figura familiar para conversar, comunicar e realmente se sentir tocado por ela. A estratégia de humanização vem como um grande triunfo por ser diferente daquilo que estava sendo feito até então.

Ela é utilizada como forma de auxiliar os mecanismos de automação.

Não só mostrando com quem seu consumidor vai se comunicar, mas também evidenciando que cada usuário, lead e cliente é diferente um do outro.

Então quando você se comunica com o “Carlos”, você sabe seu nome, sobrenome, onde ele mora, quais as suas preferências no momento da compra e ainda consegue estabelecer um diálogo saudável com ele.

A humanização vem para resolver os problemas enfrentados por grandes corporações, assim como empreendedores de primeira viagem. Estabelecer um contato mais humano e recorrente com os usuários e seguidores da marca, a ponto deles sentirem confiança e sentimentos pelo o que você está propondo.

Você também pode se interessar por este outro conteúdo:
👉 Marketing Human to Human (H2H): o que é e como fazer?

Como a Humanização e a Automação são complementares?

Um dos motivos dessas duas “ferramentas” serem tão citadas no Marketing Digital, é porque elas tornaram processos que antes eram extremamente demorados, escaláveis.

Ao uní-las, o contato e diálogo se tornou pessoal de forma automática, dinâmica e rápida.

E acredite, a personalização, hoje, é algo essencial dentro de uma estratégia.

Você conversa com várias pessoas, mas a impressão que fica é que você não conversa com uma multidão de pessoas, mas sim, com uma pessoa específica.

Não tente tirar um ou dois clientes de um grupo gigantesco, mas sim criar um percurso para que esse usuário seja guiado e direcionado para o resultado final que seu produto ou serviço possa trazer pra ele.

Isso tudo com o auxílio da automação e humanização.

Então, ao criar, por exemplo, uma sequência de e-mails ou anúncios, você consegue determinar qual linguagem será utilizada com aquele tipo de usuário, e quais os próximos passos dele conforme o percurso que ele percorrer pelo funil de vendas.

A cada interação e respostas obtidas dele, a sua estratégia, pré-estabelecida, irá guiá-lo da melhor forma e mais certeira para o caminho que você quer que ele percorra.

Todo esse processo é feito coletando informações dos usuários que interagem, e disponibilizando cada vez mais informações e canais, para comunicar de maneira precisa com seus usuários.

Ferramentas para a humanização e automação de marketing

Redes sociais

As redes sociais com certeza servem como uma das ferramentas mais fáceis de estabelecer um diálogo e contato pessoal. Elas fornecem um ambiente informal por si só, e incluem marcas e usuários, de todos os tipos e nichos, no mesmo nível.

É interessante pensar nas redes sociais, como ajudantes no momento de responder dúvidas e de fato uma ferramenta para estabelecer um diálogo.

Elas são ótimas para fomentar conversas paralelas, mas, principalmente, para você se tornar uma figura em que seus clientes, fãs, seguidores e usuários, possam contar no momento que precisarem.

As redes sociais mais famosas e que possibilitam o sistema de anúncios, são Facebook, Instagram e Whatsapp, todas do proprietário Mark Zuckerberg.

O Twitter, que proporciona um ambiente extremamente informal, é o lugar perfeito para memes. Snapchat, rede social criada antes dos stories do Instagram, é mais famosa e usada nos EUA. E outras não tão famosas, mas que dependendo do nicho são super utilizáveis, como Pinterest, Tumblr etc.

Linguagem

Existem ferramentas para você determinar a linguagem que será utilizada em sua comunicação, uma delas é a criação de uma brand persona.

A brand persona auxilia na determinação de como será essa abordagem e quais palavras e expressões serão utilizadas dentro do contexto da linguagem da sua marca.

A linguagem é, com certeza, um dos aspectos que tem que ser dinâmico e preciso para seus consumidores, pois a conversa não pode ficar vazia e sem sentido.

A linguagem determina quais são os valores da sua marca que serão refletidos nas abordagens e como você quer que seus clientes te percebam de fato.

Recorrência

Para manter a relação, você precisa manter a recorrência e frequência no diálogo.

Você não quer deixar seus usuários sem respostas e se sentindo ignorados. Essa é uma das piores marcas que você pode deixar.

Por isso, mande sinal de fumaça se necessário, mas não fique muito tempo sem entrar em contato com seus leads e clientes.

Mande e-mails com conteúdos relevantes para eles, pergunte qual a perspectiva deles e anseios que sua marca pode ajudar, faça vídeos, mostre seu rosto, engaje de forma pessoal.

As plataformas permitem hoje uma conversa e diálogo mais próximos e de maneira rápida, então não tem desculpa para não conversar com seus contatos. Para ser lembrado, se faça presente.

Como unir essas duas estratégias?

O objetivo final dessas duas estratégias é o mesmo: gerar valor e tornar a experiência do usuário algo memorável, pessoal e o mais fluído possível.

As duas querem gerar valor para a marca, conectar com os usuários e conseguir ser a melhor opção no seu segmento de atuação.

A partir dessa premissa, a ideia é estruturar etapas e ferramentas necessárias para elaborar uma estratégia precisa.

Podem ser elas:

Elaboração da estratégia

Dentre todas as possibilidades do Marketing Digital, qual a melhor para o seu negócio? Como seus usuários querem receber suas informações, ofertas e promoções?

Pense nesse aspecto para iniciar a elaboração da sua estratégia e definir as próximas etapas em seu processo.

Escolha de plataformas para a automação

No Brasil nós temos algumas plataformas que auxiliam no trabalho da automatização do Marketing Digital.

Há plataformas específicas para a automatização apenas de e-mail e outras que envolvem toda a estrutura necessária para uma campanha de Marketing Digital.

Cabe a você definir qual delas faz mais sentido para seu negócio e qual melhor supre as suas necessidades.

Definição dos canais de tração

Ao escolher os canais, é importante ter em mente quais o seu público utiliza mais. Ele utiliza mais e-mail? Fica mais em redes sociais?

Levante esses dados a partir de pesquisas ou testes e torne a experiência cada vez mais integrada.

Brand Persona — definir linguagem/abordagem

A Brand Persona é a ferramenta que vai te auxiliar a manter a consistência dentro de toda a sua estratégia de marketing.

É imprescindível que, para executar uma humanização efetiva, você defina a sua brand persona, personifique todos os seus valores e qual a aparência e forma que a sua marca possui.

Produção de conteúdos relevantes

O conteúdo é uma das matérias primas cruciais no momento de desenvolver uma estratégia de Marketing Digital.

Com ele você fomenta e nutre seus leads. Prepare eles para o momento da compra e educa em relação ao seu serviço e produto.

Você está pronto para começar!

Com essas duas ferramentas, o seu negócio e estratégia com certeza terão um número de resultados e conversão maior! Basta você começar a colocar em prática tudo isso que aprendeu e executar da melhor forma.

Lembre-se que o objetivo final é entregar o que prometeu fazendo o valor da sua marca ser coerente com o que você prega.

Guestpost oferecido pela Leadlovers.

Automação de MarketingPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo