Por Raphael Pires

Publicado em 19 de março de 2020. | Atualizado em 18 de março de 2020


O Blitzscaling é um modelo de crescimento bastante utilizado pelas empresas no mundo todo e foi criado pelo fundador do LinkedIn, Reid Hoffman. Grandes marcas internacionais, como Facebook, Netflix e Airbnb, já aderiram ao modelo.

Toda empresa vive em busca de práticas e estratégias que levem a um crescimento do negócio. É claro que cada nicho de mercado e público pode ter ações diferentes, mas há modelos que podem ser usados de forma ampla e que agregam muitos resultados. Um deles é o famoso Blitzscaling.

Se você é empreendedor, imagine que alguém te aborda, perguntando se você quer seguir os mesmos passos de empresas como Facebook, Netflix, Airbnb e Waze. Muito difícil falar “não”, certo?

Esse modelo foca em um crescimento acelerado e promete mudar a realidade de um negócio em pouco tempo, atingindo mercados amplos e aumentando muito o faturamento e a lucratividade da empresa.

Se você ficou curioso e quer saber mais sobre o assunto, é só continuar a leitura deste conteúdo. Nele, vamos abordar os seguintes tópicos:

  • o modelo de gestão Blitzscaling;
  • os motivos pelos quais o Blitzscaling é uma referência;
  • como aplicar o Blitzscaling na prática;
  • quando realizar a triagem de cada etapa do Blitzscaling.

Boa leitura!

Conheça o modelo de gestão Blitzscaling

O conceito do Blitzscaling trata de um modelo de gestão que visa ao crescimento acelerado e pode ser aplicado em qualquer tipo de negócio, mesmo aqueles que não têm expectativa de uma expansão internacional.

O nome tem a origem na segunda guerra mundial, quando o exército alemão adotava práticas militares de dominação de terreno. Apesar de ter essa referência, o modelo é muito bem visto no mercado e pode ser bastante lucrativo.

O principal objetivo do Blitzscaling é colocar o foco no lugar certo e nos problemas certos. Como explica o criador desse conceito, e também fundador do LinkedIn, Reid Hoffman diz que uma empresa terá vários problemas, mas você deve resolvê-los nos momentos adequados.

Para isso, ele criou 5 estágios, os quais chamou de:

  1. família;
  2. tribo;
  3. vila;
  4. cidade;
  5. nação.

Cada um desses estágios representa o tamanho e o impacto de um negócio e eles têm problemas diferentes para serem resolvidos. Nos próximos tópicos veremos detalhadamente cada um dos estágios e as estratégias.

Saiba os motivos pelos quais o Blitzscaling é uma referência

O Blitzscaling é um modelo de crescimento de muito sucesso devido, claro, aos resultados das empresas que utilizaram o método.

Cases de sucesso como Airbnb e Waze certamente atraem muitos empreendedores e têm muito a ensinar.

Apesar disso, é preciso saber que o crescimento acelerado de um negócio causa certas fragilidades, principalmente na organização da empresa.

Não é raro que algumas decisões erradas sejam tomadas durante o processo ou que problemas existentes sejam deixados de lado. Erros na gestão de agências, por exemplo, podem acontecer quando o crescimento acelerado é visado.

O ponto principal desse método de gestão é saber que em cada momento você deve se preocupar com a coisa certa.

Um dos exemplos que podemos usar é, novamente, o Airbnb. Para quem não conhece a fundo a história dessa empresa, trouxemos um resumo.

O exemplo do Airbnb

Brian Chesky e Joe Gebbia são os fundadores da empresa que hoje lidera o mercado de hotelaria, apesar de não possuírem um hotel sequer! Apesar disso, o início do negócio foi conturbado.

Chesky e Gebbia criaram o aplicativo para que donos de imóveis pudessem alugá-los. Os próprios moradores tiravam fotos do interior do imóvel e postavam na rede. Porém, isso não deu certo e a procura foi muito baixa.

Os dois empreendedores, então, tiveram uma ideia nada escalável: compraram uma máquina fotográfica profissional e selecionaram moradores para eles mesmos tirarem as fotos.

Com o aumento da qualidade das imagens, a procura aumentou e o negócio, que até então se mostrava sem sucesso, começou a decolar.

Muitos podem dizer que essa estratégia não foi boa, uma vez que era inviável que os donos tirassem as fotos de todos os interessados em alugar os espaços. Porém, o pensamento de ambos era resolver aquele problema pontual, fato que é colocado pelo Blitzscaling.

O que podemos aprender deste exemplo é justamente o foco e a definição do que é mais importante no momento. É muito comum ver empreendedores que perdem seus negócios porque ficam preocupados com problemas futuros e acabam deixando o essencial sem solução.

Veja como aplicar o Blitzscaling na prática

Agora que você já sabe o que é o Blitzscaling, vejamos como aplicá-lo na prática. Para isso, precisamos analisar cada estágio — e é o que faremos agora.

Família

O estágio da família é a definição do negócio. Aqui, o foco deve estar totalmente no produto ou serviço. Nesse momento, não pense muito na concorrência. Afinal, se você ainda não tem um negócio, não tem concorrentes!

Pense na solução que o seu produto ou serviço vai oferecer para os clientes. Realmente é algo necessário? Como você pode deixá-lo atraente e diferenciado?

Nesse estágio, também é importante definir o papel de cada um dos fundadores e você já deve contratar os primeiros funcionários, principalmente com o perfil generalista, porque cada um vai ter que fazer de tudo um pouco!

Não se esqueça de ter uma gestão enxuta, até para não inflar cedo os custos da empresa.

Tribo

Na segunda fase, a tribo, você precisa crescer RÁPIDO! As decisões devem ser tomadas com velocidade. O produto deve ser ajustado com os consumidores atuais, analisando os feedbacks.

Outro ponto fundamental da tribo é que você precisa ter segurança econômica para sustentar seus crescimento.

Sua ideia já foi apresentada no mercado, concorrentes já estão de olho e podem replicar seu produto. Por isso, é necessário financiar seu crescimento.

Aumente sua equipe com mão de obra operacional para que os desenvolvedores possam focar apenas no produto. Nas estratégias de marketing e vendas, estimule o boca a boca, a indicação e as ações virais.

Vila

Na fase da vila o foco é escalar! Você deve tomar decisões para formar sua equipe. Os profissionais precisam ser dedicados e muito bons naquilo que fazem.

Pergunte-se, por exemplo, se as pessoas que entraram nas fases anteriores são capazes de suportar o crescimento agora. Se a resposta for não, mudanças são necessárias.

Nesse estágio, a sua empresa também já tem uma cultura e seus colaboradores precisam ter sintonia com ela.

Cidade

Quando sua empresa chegar nesse estágio, já tem um bom corpo de colaboradores. Agora, é hora de criar ferramentas e mecanismos de controle dos indicadores.

Se você tem uma agência, por exemplo, é importante acompanhar os principais indicadores de desempenho para validar ou não as estratégias. Isso vai melhorar a gestão da agência.

Assim, invista em dashboards, busque eficiência na administração dos recursos e crie processos, mas tome cuidado para não burocratizar sua empresa, pois isso pode atrasar o crescimento.

Uma boa opção é buscar ferramentas de automação de processos de gestão, porque isso vai ajudar na produtividade e confiança nos números.

Na fase da cidade a sua empresa também já deve contar com mais de um produto ou serviço, expandindo a fonte de receita.

Aqui também é o início da internacionalização dos negócios, que começam a enxergar o mercado externo como uma boa oportunidade.

Nação

Por fim, o último estágio é o de nação. Aqui, o grande desafio é manter a comunicação alinhada, mesmo com colaboradores espalhados em diversos cantos do mundo.

Nesse fase o CEO também ganha outras funções. Na verdade, agora ele deve se concentrar em apenas 3 pontos:

  1. estratégia;
  2. perpetuar a cultura da empresa e garantir que isso está sendo difundido com todos;
  3. selecionar gestores seniores para a empresa.

Essas funções têm um bom propósito: o CEO agora não deve ficar somente resolvendo os problemas, mesmo aqueles mais importantes.

A gestão empresarial agora é muito valorizada. Sua função é treinar pessoas para solucionar essas questões, assim você consegue escalar e não depender de apenas um indivíduo.

Um desafio ao CEO é dar autonomia aos gestores. Ele pode definir as estratégias macro, como um orçamento para o setor de marketing, mas são os responsáveis pelo setor quem realmente definirão as estratégias técnicas.

Entenda quando realizar a triagem de cada etapa do Blitzscaling

Agora que você já está bastante familiarizado com o termo Blitzscaling, pode estar se perguntando como saber o momento em que sua empresa vai mudar de um estágio para o outro.

Uma forma de solucionar essa dúvida é pensar no impacto do seu produto ou serviço e no tamanho do seu público e mercado, além da quantidade de funcionários.

Analisando esses pontos e com a descrição de cada etapa que mostramos anteriormente, você saberá o que fazer em cada momento.

Vimos que o modelo de crescimento Blitzscaling é uma verdadeira febre entre as empresas. Já conquistou grandes nomes no mercado e vem promovendo resultados incríveis.

Esse método pode ser aplicado em qualquer tipo de negócio, sempre observando o foco total na solução dos problemas realmente importantes.

Agora que você já conhece o Blitzscaling, vou te convidar para baixar outro material incrível! É o nosso Guia completo de gestão para agência! Não perca!

Guia completo de Gestão para Agências

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *