Por Kellison Ferreira

Publicado em 24 de janeiro de 2020. | Atualizado em 14 de abril de 2020


A busca semântica é o que garante que o Google interprete o contexto e as intenções do usuário na hora que ele faz uma busca. Isso permite a entrega de resultados muito mais alinhados ao que ele pretendia, não considerando apenas os termos, mas o contexto de seus significados.

Ao longo dos últimos anos, o Google tem trabalhado para que seus algoritmos estejam cada vez mais capacitados a entregar resultados precisos diante das entradas de busca.

Isso inclui o desenvolvimento da busca semântica, uma das prioridades para tornar essa interação com os usuários menos mecânica, ou seja, menos dependente de termos e mais ligada a contexto.

As palavras-chave ainda são fundamentais e guiam a entrega de resultados. No entanto, é sempre importante avaliar as intenções de busca, indo além dos termos utilizados, e entendendo, de fato, o que o usuário deseja saber.

À medida que o Google se adapta para melhorar seu entendimento semântico, há também impactos nas estratégias de SEO e de posicionamento de conteúdo na web.

Por isso, quem trabalha com Marketing Digital precisa entender em detalhes o que é a busca semântica, como o Google tem trabalhado nessa direção e como se adequar na produção de conteúdo. Este post fala sobre o assunto e aborda os seguintes tópicos:

Continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

O que é busca semântica?

A busca semântica do Google é quando as pesquisas de usuários são analisadas além dos termos inseridos. O foco é considerar o contexto da solicitação, ou seja, a frase, a sua possível origem, e a intenção que originou aquela busca.

Para isso, são utilizados sinônimos, correção de palavras com erro de digitação, localização do usuário na hora da pesquisa, entre outros pontos.

Os algoritmos do Google entendem que em uma pesquisa, nem sempre os termos que foram utilizados devem ser levados ao pé da letra, e que há sempre um contexto por trás da busca.

Basicamente, o conceito de semântica de linguagem é o ponto de partida, ou seja, entender o sentido do que as palavras transmitem e a lógica que há por trás do uso delas.

Não é diferente quando o tema é a busca semântica do Google. Os algoritmos precisam trabalhar de forma que seja possível gerar uma análise mais aprofundada, indo além dos termos.

A aplicação desse recurso traz benefícios para os dois lados: o Google consegue oferecer resultados de pesquisas mais alinhados com o que o usuário quer, enquanto essa pessoa, ainda que não detalhe tanto sua busca, encontra aquilo que estava procurando.

Há ainda os sites, que são uma terceira parte dessa relação e que precisa ter o máximo de precisão na hora de disponibilizar conteúdos na internet.

As estratégias de Marketing dependem dessa precisão e, nesse sentido, a busca semântica é de grande ajuda — desde que os profissionais entendam bem seu funcionamento e adéquem seus conteúdos para rankear melhor.

CTA de download para o kit: Domine o GooglePowered by Rock Convert

Como funciona a busca no Google?

Tudo gira em torno do SEO: o Google oferece os resultados na primeira página que mais se adéquam com a pesquisa do usuário, mas para isso, considera alguns parâmetros.

Isso significa que, quanto mais otimizado para a web for o conteúdo, maiores as chances de ele figurar em destaque nessa primeira página de resultados.

A busca semântica entra em cena quando essas pesquisas não são tão precisas, ou quando elas são mais complexas do que o habitual. Por exemplo, imagine que um usuário faça uma pesquisa exatamente dessa forma: “ingressos Flamengo”.

O Google vai analisar a semântica da busca e entenderá que o usuário quer entradas para o jogo do clube de futebol Flamengo, do Rio de Janeiro.

Naturalmente, pelo fato de haver também o bairro chamado Flamengo, na cidade, há essa margem para a dúvida, no entanto, o Google entende que no contexto da pesquisa, pelo uso do termo “ingressos”, faz muito mais sentido essa busca ser pelas entradas para o jogo, em vez de algo relacionado ao bairro.

Exemplo de busca semântica

É essa interpretação avaliando o contexto e as intenções do usuário que baseia a busca semântica, mas indo um pouco mais além.

Assim, é possível entender palavras explorando sinônimos, compreender termos utilizados, ainda que eles tenham sido digitados errados, ou até mesmo não façam tanto sentido na busca.

Imagine que você queira rever aquela cena histórica do filme Scarface, em que Al Pacino, interpretando Tony Montana, fala a célebre frase “Say hello to my little friend”.

Uma busca por essa frase traz precisamente o resultado com esse trecho em vídeo, e isso só é possível graças à busca semântica. Do contrário, o Google traria qualquer outro resultado longe da intenção do usuário.

Busca semântica no Google

A atualização Hummingbird

Essas mudanças decisivas na forma como o algoritmo do Google aprofunda o entendimento, baseado na semântica, tiveram início a partir de 2013. A responsável por elas foi a atualização chamada Hummingbird.

A ideia foi, justamente, com os ajustes de funcionamento, fazer com que muito mais do que os termos e a palavra-chave fossem considerados para entregar resultados compatíveis.

Quais os benefícios da busca semântica?

A busca semântica é um mecanismo de adaptação que gerou benefícios para todos os interessados nos mecanismos de pesquisa, mas principalmente para os sites. Nas estratégias de Marketing de Conteúdo, os resultados puderam ser melhorados consideravelmente.

No Marketing Digital, de forma geral, também houve o maior alcance, graças a essa análise mais ampla do algoritmo. Entenda, em alguns pontos, como se pode observar os principais benefícios da busca semântica.

Rankeamento de qualidade

O rankeamento que o Google possibilita é muito mais qualificado, já que sua interpretação dos termos de busca vai muito além do que as palavras dizem.

Isso favorece as estratégias de Marketing que não se prendem apenas em palavras-chave, deixando os conteúdos pouco fluídos. Rankeia melhor quem produz conteúdos mais aprofundados e no contexto que o público busca.

Resultados mais alinhados com o que o usuário busca

O significado semântico é o que possibilita colocar na primeira página aqueles sites e conteúdos que realmente fazem sentido para a pesquisa, como foram os exemplos que já usamos neste post.

Ainda que sejam termos ambíguos ou até mesmo soltos, sem um contexto explícito, o algoritmo do Google é capaz de trazer um resultado perfeito.

Busca com base em entidades

Esse mecanismo é o que faz o algoritmo do Google criar contextos para fazer correlações nas buscas, tentando entender sobre o que o usuário está falando.

A Moz, ao falar sobre busca semântica, usou um exemplo divertido e certeiro para explicar esse conceito.

O exemplo utilizado foi essa busca, sobre o personagem Homer Simpson, do desenho Os Simpsons:

Exemplo de busca semântica no Google

Na pesquisa, o usuário insere na busca a frase “Onde Homer trabalha?”. Quem assistiu ao desenho por algum tempo sabe que é na Usina Nuclear de Springfield. No entanto, a busca não especifica quem é esse Homer — até porque nem mesmo o sobrenome é usado.

Para entregar uma resposta adequada, o Google faz a busca com base nas entidades, tentando traçar a relação entre os termos da busca — no caso, o nome do personagem e seu trabalho.

Para ilustrar melhor como funciona essa correlação, a Moz criou essa imagem que facilita muito o entendimento:

Como a busca semântica pode favorecer meu Marketing?

Quer saber como aproveitar o recurso de busca semântica na sua estratégia de conteúdo e Marketing? A seguir, confira algumas dicas pontuais que podem melhorar seus resultados!

Palavras-chaves secundárias

Um erro comum na hora de produzir conteúdo para a web ou fazer otimizações em páginas é ficar em determinadas palavras-chave e esgotar o uso delas, tirando a naturalidade da ideia.

Com a semântica, é mais fácil utilizar termos secundários. Apesar de não serem os mais buscados e principais, têm relação direta com a palavra-chave, ou seja, a busca semântica os considera.

Pensar o blog a partir da semântica

Um blog que é pensado a partir da semântica vai gerar conteúdos que têm relação direta com o que os usuários buscam. Assim, cada vez mais posts podem entrar nessa seleção do que o Google vai mostrar na página de resultados, já que a semântica busca esse contexto.

Assim, mais conteúdos de um blog serão identificados como relacionados aos termos de busca utilizados pelo usuário.

Usar termos, expressões e palavras contextualizadas

Nem só de palavras-chave é feita uma busca, ou seja, quanto mais termos relacionados estiverem presentes, maior a chance de rankear bem e conseguir fluxo de acesso.

Se a palavra-chave é “cinema”, os termos “filmes” e “longa metragem” entram nesse contexto tranquilamente.

Produzir conteúdos de qualidade

Conteúdos de interesse do seu público sempre estarão mais propícios a ser relacionados com termos de entrada, desde que sejam do mesmo assunto.

Assim, a melhor postura para quem gerencia estratégias de Marketing de Conteúdo é investir na qualidade dos posts. Mais pessoas serão atraídas e, nesse cenário, a busca semântica também faz sua parte para ajudar no tráfego.

Sem dúvidas, saber mais sobre busca semântica é fundamental para entender que nem sempre as pesquisas são robotizadas às palavras-chave. Há um funcionamento, ao mesmo tempo que é mais complexo, mais inclusivo, facilitando tanto os usuários quanto quem gera conteúdo.

Aproveitando o assunto, que tal aprender mais sobre SEO? Confira um Webinar sobre o assunto com Vitor Peçanha, CEO da Rock Content!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *