Por Autor Convidado

pela Rock Content.

Publicado em 28 de maio de 2019. | Atualizado em 1 de julho de 2019


É freelancer, mas não sabe como precificar seu trabalho? Confira, em nosso post, as 5 melhores dicas de como cobrar por freela!

Trabalhar com marketing é uma opção que tem crescido bastante no Brasil e por vários motivos. A quantidade de oportunidades é um deles, assim como a possibilidade de poder decidir quanto cobrar pelo serviço realizado.

Atualmente, no país, 52,8% dos freelancers têm entre 25 e 34 anos, de acordo com estudos. São jovens que, ao perceberem a impossibilidade de entrar no mercado formal e receberem um salário justo, preferem cobrar por freela.

A mesma pesquisa aponta que, entre todos os freelancers do Brasil, 7,4% trabalham especificamente com marketing, mas outros dados entram nessa composição. 43,2% são designers, 7,6% ilustradores, 5,1% redatores, 3,3% social media, 2,5% revisores e 1,1% atuam em SEO.

Assim, é possível perceber que todas essas profissões têm relação direta com o marketing. Isso quer dizer que mais de 70% dos freelancers brasileiros oferecem serviços relacionados ao marketing.

Entre os motivos de escolher ser freela, 24,3% responderam que a flexibilidade de horários foi uma das razões. Em seguida, estão a autonomia de decisões, a possibilidade de ganhar mais e a independência geográfica, já que mais de 80% trabalham em casa.

Junto a essa pesquisa, também surgem os dados sobre o microempreendedor individual no Brasil, que é a categoria formal em que se enquadra um freelancer, na maioria das vezes. Estudos de 2018 doSerasa Experian mostram que o número de profissionais registrados como MEI cresceu 40% no Brasil, em relação ao ano anterior.

ASerasa ainda explicita que um MEI surge no país a cada 10 segundos. Além disso, segundo outra pesquisa daGlobal Entrepreneurship Monitor, a maioria dos microempreendedores individuais no Brasil estão na área de serviços, como também 53% dos empreendedores brasileiros são MEI. No total, o país tem mais deoito milhões de pessoas que são vinculadas a esse tipo de formalidade empresarial.

Todos esses dados provam a importância do trabalho de freelancers e microempreendedores que trabalham na área de marketing. 

Por tudo isso, nos tópicos a seguir você vai ter 5 dicas de precificação para profissionais de marketing. Veja!

1. Faça uma boa pesquisa de mercado

Antes de abrir uma empresa, investir num plano de negócios pode valer a pena. Esse planejamento é essencial para você entender no que vai trabalhar de fato, o tempo gasto, o dinheiro investido, a quantidade de receita que pretende ter, os custos da operação desse serviço e também para analisar a concorrência e como superá-la.

Existem vários tipos de planos de negócio na internet. Uma boa dica é visitar o site doSebrae ou ir até a sede da organização na sua cidade e fazer esse plano. Essa é uma forma simples e segura de iniciar o seu empreendimento.

O plano de negócio nada mais é do que a execução de uma pesquisa de mercado, por isso ele precisa ser real. De nada adianta você preencher todo esse documento e inventar os dados da sua cabeça ou agir por achismo, uso de hipóteses.

É preciso ter certeza, por isso a pesquisa de mercado é essencial. Nela, você vai colocar dados exatos, como o número de concorrentes diretos e indiretos que você tem, a quantidade de tempo que vai trabalhar, o valor em dinheiro que vai investir e as características da região em que vai iniciar o negócio.

2. Analise todos os seus custos

Antes de começar a fazer essa conta, é preciso que você saiba o que é custo e não confundir esse dado com despesas correntes, por exemplo.

O custo é tudo que você investe para aquele empreendimento funcionar. Tudo mesmo! Os cursos que você fez, a energia elétrica da sua casa, o preço do notebook que comprou, a internet que paga todo mês, a quantidade de café que toma diariamente, amensalidade do MEI, entre todas as outras opções de gasto gerados pelo trabalho.

É necessário que o profissional autônomo coloque tudo isso em uma planilha bem detalhada, para entender o quanto ele paga e o quanto ele precisa receber para, pelo menos, quitar essas dívidas feitas e sair do vermelho.

Muitos freelancers de marketing não fazem esses cálculos e não têm ideia dos custos mensais, dos gastos iniciais e futuros. Esse é um erro enorme, já que o profissional pode gastar bem mais do que recebe, ou seja, em vez de receber para trabalhar, ele está pagando.

Quando isso ocorre, é preciso pensar em formas de reavaliar o trabalho, de modificar, de melhorar as habilidades para que as receitas sejam maiores que todos os custos. Porém, isso é possível apenas se você tiver um controle real de todos os seus gastos.

Por isso, ter essa planilha bem definida, organizada e preenchida diariamente, com todos os seus custos, é essencial para saber o reallucro que a sua microempresa tem. Sem esse controle, é muito provável que você esteja pagando para trabalhar.

3. Determine o valor da sua hora trabalhada

Com o plano de negócios feito e ocusto inicial detalhado, você consegue elaborar o valor que será cobrado pela sua hora de trabalho e, a partir daí, calcular o quanto valerá cada serviço prestado.

Muitas pessoas confundem essa forma de cobrança. Uma boa dica é que, em vez de receber por projeto, a cobrança seja feita por hora trabalhada. Dessa forma, é muito mais simples calcular suas receitas, pois se leva em consideração a quantidade e qualidade do trabalho envolvido para entregar determinado serviço.

Um exemplo é o ofício de um designer. Ele pode demorar uma hora para fazer três imagens de perfil para o Facebook, mas, neste mesmo tempo, conseguir fazer apenas uma imagem de capa para a mesma rede social.

Isso quer dizer que o valor para fazer as três imagens de perfil é o mesmo para desenhar uma capa. A quantidade de trabalho se dá pelo tempo gasto. Já ouviu aquela expressão “tempo é dinheiro”?! Pois bem, para o freelancer, ela faz todo o sentido.

Você só vai conseguir fazer essa análise do quanto vai cobrar por sua hora trabalhada, se tiver todos os gastos e o plano de negócios em mãos.

Uma dica muito importante de quanto cobrar por freela, por hora trabalhada, é sempre calcular o dobro do seu gasto. Ou seja, se você calculou por meio das suas planilhas e do seu planejamento que o gasto por hora de trabalho durante um mês é de 50 reais, você deve cobrar 100 reais pela sua hora trabalhada, no mínimo.

Outra forma de fazer esse cálculo é definir uma meta de quanto deseja ganhar por mês. Se quer 4 mil reais mensais, veja o quanto gasta, o quanto precisa ganhar, quantas horas são necessárias de trabalho e quantos dias no mês. Assim, você consegue ter de forma clara os desafios a serem vencidos para atingir esse objetivo.

É muito importante para um freelancer demarketing determinar o valor da hora trabalhada. Isso vai fazer com que ele decida quais trabalhos deve pegar, de que forma negociar com possíveis clientes e quando é necessário investir mais nele próprio para receber melhores propostas.

4. Organize o seu trabalho

É essencial que o freela saibaorganizar o próprio trabalho. Esse é um problema muito comum, especialmente de quem atua em casa. A procrastinação é mais fácil de surgir, assim como a desorganização.

Por isso, jamais se deixe levar pela preguiça. Organize-se em todos os sentidos, seja a mesa do computador, seja a sala ou escritório em que vai realizar o serviço, seja a área de trabalho do notebook, seja a planilha com os dados do que você deve fazer diariamente.

Tudo isso precisa estar 100% organizado para que você consiga focar no que é necessário.

5. Valorize a sua profissão

É muito comum encontrar freelas que cobram valores irrisórios por trabalhos complexos. Isso ocorre pela oferta enorme de profissionais que entram nessa área todos os dias. Com isso, os serviços oferecidos possuem preços cada vez menores.

Dessa maneira, é importante definir um valor para a sua hora e priorizar essas condições durante a contratação dos seus serviços. Se necessário, informe ao cliente os fatores que influenciam no valor cobrado e na qualidade do que será oferecido.

Tudo isso é difícil no início, sendo assim, ofereça uma hora de trabalho mais em conta no começo, mas sempre mantenha um preço justo, que pague suas contas e dê lucro.

Depois, com o passar do tempo, o aumento da sua experiência e do seu portfólio, amplie esse valor para que você progrida e cresça enquanto profissional de marketing freelancer. 

Todas essas dicas vão ajudar você a saber o quanto cobrar por freela. No entanto, outras questões também precisam ser levadas em consideração na sua estratégia de negócio. Uma preocupação recorrente é sobre a gestão financeira do empreendimento. Aproveite para saber mais e leia um texto que vai mudar a forma como você trata as finanças da sua microempresa

Este artigo foi produzido pela Gerencianet!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *