Por Autor Convidado

pela Rock Content.

Publicado em 13 de maio de 2020. | Atualizado em 13 de maio de 2020


A crise do novo coronavírus veio repentinamente, mas para ficar e ameaçar o dinheiro em caixa de vários negócios. Enquanto uns dizem que tudo voltará ao normal em alguns meses, outros falam em anos, levando em conta a recessão econômica. Com isso em mente, disponha de um plano para que os negócios se adaptem a isso: o sistema de cupons.

A dependência de clientes in loco para manter uma quantia suficiente de dinheiro em caixa é uma realidade para muitos microempresários. Dada a imprevisibilidade dessa crise, provavelmente nem uma reserva de emergência conseguiria suprir as contas.

Mas como driblar esse problema? Aliás, é possível se safar desse prejuízo financeiro?

O sistema de cupons é um método no qual você lança seu produto ou serviço a um custo menor, já que vivemos em uma crise mundial que precederá uma recessão econômica de escala também global. No caso, o cliente consumirá o bem no futuro, quando as coisas voltarem ao normal. 

Seja uma clínica de estética com oferta de procedimentos, uma lanchonete ou um serviço digital como videoaulas, vender aquele produto para ser utilizado no futuro dá um fôlego necessário para o faturamento sustentar as contas durante a crise.

Manter o dinheiro em caixa em um contexto economicamente desfavorável exige ação e adaptação, não tenha medo de inovar!

Essa iniciativa do sistema de cupons tem vários benefícios, como:

  • Receber dinheiro mesmo durante a crise;
  • Vender a um preço menor, já que é necessariamente online, mas sob maior demanda;
  • Evitar que o estoque fique parado;
  • Atenuar possíveis perdas de produtos;
  • Compreender gostos dos clientes por meio das métricas geradas pelos sistemas de cupons;
  • Convencer algum cliente que abandonou a compra anteriormente;
  • Promover produtos ou serviços novos por tempo limitado;
  • Dar publicidade à loja, já que as pessoas valorizam e compartilham os descontos;
  • Impulsionar produtos ou serviços que não vendem tanto;
  • Oferecer suporte até que a empresa se adapte ao delivery ou a alguma outra estratégia digital;
  • Consolidar a confiança do cliente no seu negócio.

Pronto para aplicar essa estratégia e colher os frutos mesmo nesses tempos turbulentos? Continue e leia o texto na íntegra!

Um pouco de história…

Apesar de inicialmente os cupons (também chamados de vouchers) terem surgido dentro de uma estratégia de marketing da Coca-Cola, eles foram consumidos, de fato, pela primeira vez em um cenário também de crise. 

Foi na década de 30, a Grande Depressão, por escassez de cereais e outros alimentos, que as pessoas adquiriram cupons pela primeira vez para ter produtos a um menor custo, ao passo que os empresários conseguiram manter algum dinheiro em caixa.

Atualmente, os vouchers deixaram de ser apenas uma estratégia de urgência para ocupar definitivamente o posto de método de venda. Embora muitos imaginem que o “boca a boca” é a melhor divulgação possível, os cupons têm um poder de influência equivalente, segundo estudos.

Recomendações de amigos são muito eficazes, mas o fato de o produto ter um desconto por um período de tempo limitado acaba se tornando um incentivo muito forte para a compra.

Funcionamento da venda de cupons

Mais recentemente, porém, antes da era digital, os cupons vinham em jornais ou revistas e os consumidores tinham que recortar e levar às lojas.

Grandes redes de restaurantes, como o Burger King, começaram a criar encartes para que os clientes apenas destacassem o papel e entregassem aos atendentes. Inclusive era comum ver as pessoas doando esses pequenos cupons para os amigos.

Agora, com o advento do e-commerce, basta acessar o código, que já vem com a porcentagem do desconto no nome, como “LANCHE10” e ficar de olho na data de expiração.

Geralmente os clientes recebem emails lembrando-os desse vencimento até que ele seja utilizado. Outra forma ainda mais prática de divulgação de cupons de desconto, seria com os QR Codes.

Mas qual a relação dessa estratégia com o período em que vivemos atualmente?

Bom, por conta da pandemia de um vírus altamente contagioso as pessoas estão impossibilitadas temporariamente de se dirigir aos estabelecimentos físicos devido à quarentena e ainda estão com o orçamento apertado pelas demissões em massa. Portanto, os cupons de desconto já resolvem, de cara, esses dois problemas! 

Outras formas de aplicar descontos

Os cupons podem ainda cumprir dois papéis diferentes: dar dinheiro de volta ao consumidor ou reunir um grupo de consumidores para que a oferta baixe e cada um leve seu produto.

Dinheiro de volta

Essa modalidade também é chamada de cashback. Começou aqui no país em 2008 e desde então tem sido muito atrativa.

O cliente adquire o produto e assim que a compra é concluída, uma porcentagem do que ele pagou retorna para ele em forma de crédito, graças a um código que é divulgado, como se fosse um cupom de desconto. Hoje em dia existe até cartão de crédito voltado apenas para o cashback.

Compra coletiva

A compra coletiva é baseada na velha lei da oferta e demanda. Quanto mais pessoas procuram por certo produto, menor será o custo dele.

Então a empresa cria um sistema em que os consumidores se interessam por um produto e, a partir de um determinado número suficiente de clientes, o vendedor aceita o desconto por cada produto e vende esses produtos em um alto volume de unidades.

A compra coletiva online normalmente é mais limitada que o cashback, ou seja, acontece de tempos em tempos e a oferta com desconto tem uma data de validade. Os setores que mais se beneficiam desse modelo são os restaurantes, spas e clínicas de procedimentos estéticos.

Vale mesmo a pena para manter o dinheiro em caixa?

No ano passado, só no primeiro semestre aqui no Brasil, houve um aumento de 26% na busca de cupons por consumidores online, comparado ao ano de 2018. Desde 2014, esse número cresceu 155%.

A fonte dessas conclusões é uma plataforma especializada em cupons de desconto para e-commerce, a Eu Amo Cupons. 

Além dessa alta demanda espontânea por cupons nas compras online, aplicativos que escalaram bastante nos últimos anos como iFood, Rappi e Uber Eats divulgam bem os benefícios dos cupons de desconto. 

Importante lembrar que só nesse setor de Alimentação e Bebidas (A&B), 70% dos donos são microempreendedores individuais e 2% dos negócios são de pequeno porte. Por isso que qualquer solução a mais é realmente bem-vinda.

Alto faturamento fora da pandemia também

Segundo outra pesquisa, do Cuponomia, no ano passado, a Black Friday obteve R$35 milhões só com a venda de vouchers. Então pode aproveitar esse sistema para várias datas especiais, como Dia das Mães e Natal!

A dica é lançar os cupons pouco antes dessas datas comemorativas, já que segundo essa mesma pesquisa, 95% dos entrevistados usaram os vouchers de outubro para as compras natalinas.

Aplicando o sistema de cupons de forma inteligente

A seguir, vamos explicar quatro pontos que merecem sua atenção na hora de implantar o sistema de cupons para manter dinheiro em caixa.

Divulgação

É importante investir na divulgação do seu novo esquema de vendas, sobretudo se for a primeira vez que você trabalhará com cupons. Tenha a assinatura de um bom serviço de newsletter e mídias sociais muito bem monitoradas e posicionadas estrategicamente.

Essas ferramentas permitirão que você divulgue seus descontos como também tenha noção da preferência dos seus clientes. É essencial que o seu público dê feedbacks e assim você alinhará seus objetivos de venda com a necessidade de compra deles.

Kit Marketing nas Redes SociaisPowered by Rock Convert

Limitações

Todo cupom tem uma data de expiração, deixe isso bem claro ao divulgá-lo. Além disso, cuide para que o site ou aplicativo da empresa online tenha o campo de aplicação do cupom bem visível e intuitivo, porque até hoje essa ainda é uma queixa comum entre os consumidores.

Regras e restrições

Deixe claro quais itens poderão ter descontos com os cupons. Lembra que um dos benefícios dos vouchers é você evitar estoque parado e perdas de produtos? Dê prioridade a eles.

Além do mais, se um item ou outro custar demais para o envio, deixe claro que ele não entrará para a promoção.

Outra restrição seria o valor mínimo de compra. Ainda que você seja cauteloso ao gerar os descontos, o seu negócio pode apresentar itens de preços variados, então é preciso estar atento para que os cupons não causem prejuízo

Parcerias com sites de referência

Além de divulgar nos seus próprios canais de comunicação, aproveite os sites para o compartilhamento de cupons (e são os mais acessados por esse tipo de consumidor). Promobit, Pelando, Cuponomia são alguns deles.

Essa crise veio para acelerar todas as mudanças que a era digital já vinha trazendo. Então se até agora você estava acostumado a fazer somente vendas externas, esse é o momento de experimentar as vendas internas, principalmente com estratégias como os cupons. 

Organize-se financeiramente com o Abacashi para pôr tudo isso em prática! As ferramentas de divulgação e gestão de cupons quase sempre são pagas e uma boa forma de arrecadar uma grana a mais poderia ser aproveitando as vantagens das vaquinhas.

Este conteúdo foi produzido por Abacashi.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *