Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 25 de outubro de 2018. | Atualizado em 26 de agosto de 2019


Cadastrar campanhas requer muita atenção e estudos profundos para acertar em cheio nas palavras-chave. A correspondência permite variações interessantes e capazes de captar tráfego. É possível até bloquear alguns termos, de acordo com a vontade do time de marketing. Conheça esse tema tão fundamental e tenha termos cada vez mais precisos!

O Marketing Digital é uma realidade já bastante concreta e amplamente explorada no mundo todo. As campanhas online são uma ótima forma de posicionar sua empresa na web e, nessa busca, o Google Ads é uma ferramenta indispensável para que seus anúncios sejam achados. Entre outras funcionalidades, por lá, você configura a correspondência de palavra-chave do anúncio.

Essa funcionalidade permite que uma busca mais ampla resulte na campanha cadastrada, graças à capacidade de o algoritmo do Google entender diferentes informações. Sabendo usar esse recurso, fica mais fácil ter retorno nas campanhas e posicionar seu conteúdo nos primeiros resultados das pesquisas.

Está pronto para entender todas as variações de correspondência de palavra-chave? A seguir, saiba mais sobre o assunto, entenda essa flexibilização, como cada uma funciona, e veja como o Google consegue ser eficiente ao lidar com palavras diferentes!

O que é a correspondência de palavra-chave?

Ao cadastrar campanhas de anúncio no Google Ads, diferentes palavras-chave podem ser cadastradas, o que, por si só, já permite uma amplitude ao figurar em resultados.

Contudo, nem sempre esses termos serão os utilizados nas pesquisas de um usuário. São recorrentes problemas, como erros de digitação ou entradas diferentes, mas com a mesma proposta.

Diante dessas variações, o Google resolveu dar margem ao entendimento de pesquisas com termos diferentes, entendendo que eles têm relação direta com a palavra-chave cadastrada.

Por exemplo, vamos supor que você colocou na sua campanha o termo “restaurante vegano em SP”, mas alguém fez a busca com “restaurante vegano SP”. Com a correspondência, mesmo com a ausência da preposição “em”, esse usuário será direcionado para o seu conteúdo.

Essa atualização do algoritmo do Google o capacitou para entender que essas variações são detalhes simples, mas que não anulam palavras-chave cadastradas.

Afinal, avaliando o exemplo acima, não restam dúvidas de que o termo da pesquisa e o cadastrado na campanha significam a mesma coisa.

Motivação das mudanças

Por meio de seu trabalho de inteligência, o Google percebeu que, em muitas pesquisas, havia erros ortográficos, número que chegava a um total de 7% das buscas.

Diante do gigantesco volume de entradas que eram realizadas por dia, isso representava números bastante expressivos. Na prática, por conta de detalhes, empresas deixavam de ter suas campanhas e anúncios relacionados aos termos buscados.

Foi a partir de então que se iniciou a movimentação para fazer alterações nas correspondências de palavra-chave.

Nem sempre esses erros eram ortográficos, por falta de conhecimento da norma culta. Muitos deles eram equívocos na hora de digitar, o que originava palavras inexistentes, mas, quando lidas, facilmente identificadas como resultado desses erros.

O ganho com as mudanças foi benéfico para todas as partes envolvidas.

  • o Google passou a ter mais credibilidade e eficiência, confirmando o Ads como uma ferramenta fundamental para campanhas online;
  • as empresas conseguem ficar cada vez mais à frente das pesquisas, ainda que haja pequenos erros;
  • por fim, os usuários têm resultados muito mais precisos e eficientes.

De uma forma geral e objetiva, a correspondência de palavra-chave é o conjunto de parâmetros que, se atendidos, resultarão no seu anúncio. Dessa forma, ao cadastrar uma campanha, diferentes alcances podem ser configurados, sempre com um custo associado a eles.

Dossiê das Palavras Chaves

Segmentação nas correspondências

A correspondência de palavra-chave também considera configurações relacionadas à segmentação das campanhas.

Por exemplo, utilizando o mesmo exemplo de palavra-chave, “restaurante vegano em SP”, é possível configurar a pesquisa para que sejam mostrados apenas resultados de estabelecimentos de São Paulo, mas, no Centro. Nesse caso, é uma ótima forma de tornar o resultado ainda mais específico.

Nesse exemplo, com a configuração de correspondência de palavra-chave, o estabelecimento apareceria em pesquisas do tipo “restaurante vegano no centro de SP” ou “restaurante vegano centro SP”.

Campanhas com melhor custo

Quanto mais detalhada for a segmentação, menos seu anúncio será ativado por pesquisas que tenham pouca relação com o que você realmente apresenta.

As correspondências servem justamente para propor diferentes filtros, que sejam capazes de tornar a busca ainda mais detalhada e precisa.

Nesse contexto, há uma questão ainda mais interessante: o custo. Cada vez que um usuário acessa seu link patrocinado após uma pesquisa, o Google cobra por aquela visita, já que houve uma conversão.

No entanto, se a palavra-chave não estiver bem configurada, é comum que o resultado não tenha atendido fielmente ao que o usuário buscava. Nesse caso, o custo não teve nenhuma compensação, já que esse visitante não será convertido em um cliente.

Diante disso, fica clara a importância de trabalhar de maneira refinada na configuração de correspondência de palavra-chave. Caso contrário, há o desperdício de valores do orçamento e, de maneira geral, esses erros vão contribuir para taxas ruins de ROI.

Quais as diferentes correspondências?

Para facilitar o cadastramento de palavras-chave, as correspondências ajudam a configurar esses termos associados a grupos de anúncios.

São criados padrões para ampliar a ativação das campanhas, ou até mesmo evitar que palavras-chave incorretas direcionem usuários a uma página. Esse recurso é um grande aliado dos usuários do Ads, que podem ter campanhas com um ROI cada vez mais interessantes.

A correspondência de palavra-chave varia em 5 classificações: ampla, exata, frase, ampla modificada e negativa.

A seguir, entenda como cada uma delas funciona e em quais ocasiões são utilizadas!

1. Ampla

As palavras-chaves configuradas como amplas não envolvem nenhuma restrição, ou seja, são abertas a serem associadas com diversas variações do termo cadastrado originalmente na campanha.

No Ads, elas são basicamente as palavras-chave padrão, já que não sofreram nenhum tipo de alteração para que, durante a busca, sejam ativadas diante de um refinamento maior de resultados.

Ao cadastrá-las no Ads, não é usado nenhum código de correspondência (” “, [ ], +, -), o que abre espaço para associações a palavras com erros gramaticais, digitadas incorretamente e até mesmo no plural.

Por exemplo, usando a palavra-chave “restaurante vegano em SP”, o anúncio será ativado diante de pesquisas como:

  • “restaurante vegano em São Paulo”;
  • “restaurante vegano no Centro de São Paulo”;
  • “melhores restaurantes veganos em SP”.

A correspondência ampla é uma boa opção quando a equipe de marketing ainda está na fase de estudos das melhores palavras-chave a serem utilizadas. Ao associar a campanha a resultados mais amplos, é possível observar detalhadamente quais têm melhores performances.

guia marketing digital

2. Exata

correspondência exata é aquela em que não há nenhuma flexibilidade em relação aos resultados de pesquisas.

O Google só associa os termos de pesquisa a uma campanha se ele foi digitado exatamente como cadastrado pela campanha. Nesse caso, a correspondência exata é uma eficiente maneira de limitar as ocorrências mais amplas, porém, outros tipos de variações podem ser considerados.

Se a equipe de marketing verifica um erro de ortografia recorrente, por exemplo, essa forma de escrever pode ser cadastrada como uma palavra-chave. Isso dá à campanha a abrangência exata para que somente os resultados pretendidos sejam conectados ao conteúdo da empresa.

A limitação também acontece para casos de frases, ou seja, se houver alguma palavra antes ou depois da palavra-chave, não há o disparo do anúncio.

Nesse caso, o termo cadastrado no Ads é digitado entre colchetes: [restaurante vegano em SP]. A melhor forma de usar esse tipo de correspondência é quando o time de marketing já trabalha naqueles anúncios há algum tempo e sabe exatamente quais termos são pesquisados.

3. Frase

Essa correspondência programa o Ads para identificar as palavras-chave utilizadas em frases, ou seja, uma sentença em que o termo cadastrado apareça.

A ocorrência pode ser tanto no fim quanto no início da frase, sem que isso influencie a ativação do anúncio. A única restrição é que os termos da palavra-chave estejam na mesma sequência do que no cadastro do Ads.

Erros ortográficos, de digitação e termos no plural são considerados normalmente, de acordo com a identificação inteligente que o Google é capacitado para fazer.

Dessa forma, considerando a palavra-chave “restaurantes veganos em SP” (nessa correspondência, precisa ser obrigatoriamente inserida com as aspas), serão aceitos resultados como:

  • “melhores restaurantes veganos em SP”;
  • “restaurantes veganos em SP Centro”;
  • “os restaurantes veganos em SP com menor preço”.

O uso dessa correspondência é muito comum quando há o desejo de captar mais pesquisas, porém, ainda assim, manter os termos cadastrados fiéis, sem nenhuma alteração. Assim, o fluxo de usuários pode ser maior e igualmente qualificado.

4. Ampla modificada

A ampla modificada é uma otimização da primeira correspondência dessa lista, porém, com maiores possibilidades de variações dos termos cadastrados.

Além dos erros ortográficos, abreviações e acrônimos também são entendidos pelo algoritmo do Google, que dispara o anúncio normalmente.

Para utilizar esse tipo de correspondência é preciso utilizar o símbolo de “+” antes da palavra-chave escolhida.

Pensando nisso, suponha que um restaurante ganhou o prêmio como o melhor estabelecimento vegano de São Paulo. Sendo assim, a campanha seria ativada diante de termos como:

  • “melhor restaurante vegano em SP 2019”;
  • “restaurante vegano em SP premiado”;
  • “prêmio melhor restaurante vegano em SP”.

O uso é voltado também para atingir um maior número de pesquisas, porém, com um nível mínimo de segmentação que se mostra muito preciso.

5. Negativa

A correspondência de palavra-chave negativa tem foco em impedir qualquer chance de ocorrência de disparo de anúncio diante de determinado termo cadastrado.

Para isso, basta cadastrar a palavra-chave com um sinal de “menos” (-) antes dela. O uso mais comum é para eliminar termos que não façam sentido algum para a empresa ou que remetam a algum concorrente, por exemplo.

A correspondência de palavra-chave é um importante mecanismo que capacita as campanhas para que sejam cada vez mais filtradas e objetivas. Assim, o tráfego qualificado é captado pelas empresas, além de servir como uma forma de preservar o orçamento e manter as taxas de ROI satisfatórias.

Quer aprofundar os seus conhecimentos sobre anúncios Google? Então aproveite e leia também o nosso guia completo do Google Adwords!

Guia do Google Adwords

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *