Por Camila Casarotto

Redatora Freelancer da Rock Content

Publicado em 14 de outubro de 2019. | Atualizado em 18 de outubro de 2019


A taxa de cliques é uma das principais métricas de SEO, que se reflete no tráfego e no rankeamento. Mas é preciso ter parâmetros para entender se a sua taxa está boa, não é? Entenda o que é um bom CTR e o que pode afetar essa taxa.

Você sabe dizer o que é um bom CTR orgânico? A taxa de cliques nos resultados da busca é uma das principais métricas de SEO para avaliar o desempenho das páginas e mostrar ao Google que você está entregando um resultado relevante para os usuários. Porém, sempre fica a dúvida: “será que o meu CTR está bom mesmo?”.

Olhar para essa métrica de maneira isolada não diz muita coisa. Afinal, você pode ter uma taxa de cliques que parece boa à primeira vista. Porém, ao analisar os concorrentes na SERP, você pode perceber que tem um CTR muito inferior ao deles.

Sabe o que isso significa? Que os concorrentes estão ganhando visitantes (e potenciais clientes) que poderiam chegar até o seu site! Mas por que isso está acontecendo? Por que eles não estão clicando nas suas páginas na SERP?

Criamos este artigo para responder essas perguntas. Vamos entender melhor o que é um bom CTR orgânico, para saber se a sua taxa de cliques está boa, e investigar quais fatores influenciam nessa métrica, a fim de melhorar as suas estratégias de otimização. Siga conosco para saber tudo!

O que significa CTR?

CTR ou Click Through Rate significa taxa de cliques. Essa taxa relaciona o número de exibições de um link e o número de cliques que ele recebeu. Para calcular o CTR, esta é a fórmula básica:

CTR = Número de cliques / Número de impressões x 100

Digamos, por exemplo, que o seu link foi exibido 100 vezes na SERP e, entre essas impressões, recebeu 5 cliques. Então, o CTR da página seria de 5%.

O CTR é uma das métricas mais utilizadas do Marketing Digital. Ela pode ser usada para avaliar o desempenho na busca orgânica do Google, mas também no envio de email marketing e na publicidade em links patrocinados, mídia display ou redes sociais.

Podemos dizer, de maneira geral, que o CTR informa se a sua página conseguiu despertar o interesse dos usuários à primeira vista, antes de eles acessarem o conteúdo completo.

No email marketing, por exemplo, o destinatário visualiza o remetente, o título do email e um trecho da mensagem na caixa de entrada. É apenas com essas informações que ele decide se clica ou não para abrir o seu e-mail — e é esse clique que entra no cálculo do CTR.

Já nos resultados da busca orgânica, o usuário visualiza um pequeno resumo do que vai encontrar na página se clicar no link. Se você pesquisa por “Marketing de Conteúdo”, por exemplo, visualiza a página do blog da Rock assim:

Resultado da busca marketing de conteúdo

Nesse resumo, estão os seguintes elementos:

  • Título da página;
  • URL (breadcrumbs);
  • Descrição (meta description);
  • Sitelinks (se o Google achar relevante);
  • Rich snippets, como avaliações, preços etc. (se estiverem configurados).

A partir desses elementos, o usuário decide se vai clicar no link e acessar o conteúdo completo — ou se vai clicar no seu concorrente. Já dá para perceber a importância do CTR, não é?

Se você tem curiosidade de saber o CTR das suas páginas, é fácil encontrar essa informação. Você só precisa configurar o seu site no Google Search Console e visualizar o Relatório de Desempenho, que informa dados como a posição média na SERP, o número de cliques e, é claro, o CTR.

CTR para a busca Rock Content

Por que otimizar o CTR orgânico?

Você sabe o que o CTR diz sobre as suas páginas? Essa métrica é reveladora. Ao olhar para o CTR, você pode tirar duas conclusões principais: se você está entregando um resultado relevante para a palavra-chave pesquisada e se o resumo da página na SERP está atraente para o usuário.

A partir daí, é possível fazer ajustes nas estratégias de SEO para aumentar a taxa de cliques, principalmente nos elementos que aparecem no resumo da SERP (como fazer ajustes na descrição ou no título da página).

O principal resultado dessa otimização é aumentar o tráfego orgânico do site. Quanto maior for a taxa de cliques, maior é o número de visitantes que você atrai da busca orgânica, ou seja, sem precisar pagar pela divulgação do link.

É claro que, lá dentro da página, você também precisa adotar estratégias que garantam uma boa experiência e transformem o visitante em uma oportunidade de negócio. Portanto, não se baseie apenas no CTR para monitorar seu desempenho — combine a análise com outras métricas.

Outro resultado esperado é melhorar a posição da página nos resultados. Afinal, você está ganhando mais tráfego, o que é um indicativo de popularidade da sua página para o algoritmo do Google.

Mas a influência no ranking vai além disso: acredita-se que o CTR seja um dos fatores de rankeamento do buscador. Mas é importante saber que o Google não confirma essa informação, e esse é um assunto polêmico entre profissionais de SEO.

O que é um bom CTR orgânico?

Então, você olha o CTR das suas páginas no Google Search Console e fica pensando: será que esse percentual está bom? Será que poderia ser melhor? Será que os concorrentes têm uma taxa de cliques melhor?

Responder essas perguntas não é fácil — só se você tivesse acesso aos dados dos seus concorrentes. Porém, existem estudos que buscam entender o que é um bom CTR a partir de um benchmark sobre os resultados da busca.

No site Advanced Web Ranking, você pode conferir o CTR médio das páginas do Google conforme a posição que ocupam no ranking.

Também é possível filtrar o relatório para buscas em determinadas categorias, em mobile ou desktop, que usam palavras-chave de cauda longa, entre outras opções de filtro.

CTR médio das páginas do google

O estudo de Brian Dean, do Backlinko, é outro bom exemplo que vamos analisar agora. Ele estudou o CTR de 874.929 páginas e 5.079.491 consultas no Google. E os resultados que encontrou são bastante interessantes para quem quer ter parâmetros sobre a taxa de cliques.

O principal resultado do estudo foi este: a primeira posição orgânica da SERP tem um CTR médio de 31,7%.

ctr médio da primeira posição do google

Ao analisar esse gráfico, também é possível perceber o seguinte:

  • o primeiro lugar da SERP orgânica recebe 10x mais cliques que a 10ª posição;
  • os três primeiros resultados orgânicos obtêm 75% dos cliques.

Esses resultados foram obtidos considerando apenas os cliques nos 10 primeiros links da SERP, ou seja, apenas a primeira página. Se considerar também os links das páginas seguintes, o gráfico fica assim:

primeiro resultado do google

Esse gráfico evidencia algo que percebemos no dia a dia: quase ninguém passa da primeira página de resultados. Segundo o estudo, apenas 0,78% dos usuários clicaram em algum link na segunda página da SERP.

Outro resultado importante do estudo foi que subir uma posição na SERP aumenta o CTR em 30,8%, em média. Porém, esse percentual de aumento pode variar bastante conforme a posição que o link ocupa. Observe, no gráfico abaixo, que subir da posição 6 para a 5 traz uma grande mudança. Por outro lado, subir da posição 10 para a 9 pode até trazer uma pequena desvantagem.

CTR por posição do google

Com esses resultados, você já pode avaliar melhor o que é um bom CTR orgânico e se a sua taxa de cliques está boa.

Se, depois de avaliar, você achar que é preciso otimizar o CTR das suas páginas, então siga conosco para saber o que influencia na taxa de cliques e como melhorar esse percentual.

O que influencia na taxa de cliques?

Agora, vamos entender melhor o que afeta a taxa de cliques nos resultados da busca e o que você pode fazer para melhorar o CTR orgânico. Queremos que o usuário receba resultados relevantes para a sua consulta no Google, mas também que clique logo no seu link e acesse a sua página, não é?

Então, vamos ver como fazer isso!

Título da página

O título da página é o elemento que mais se destaca no resumo do link que aparece na SERP. Portanto, é determinante para o usuário decidir se clica ou não clica.

O título que aparece na SERP é o texto que está configurado na Title Tag, que é uma marcação no código HTML da página, entre as tags <title> e </title>. Esse é o texto que aparece também na aba do navegador e ao compartilhar o link nas redes sociais.

É importante diferenciar a Title Tag da tag H1, que também está no código HTML. A tag H1 traz o título que efetivamente aparece na página e faz parte da hierarquização dos títulos e intertítulos no conteúdo (H1 é o mais importante, depois o H2 e assim por diante). Portanto, a Title Tag pode ser diferente do H1.

Para escrever a Title Tag, é importante pensar em um texto que seja, ao mesmo tempo:

  • descritivo: para informar ao usuário o que ele vai encontrar na página, faça uma descrição condizente com o conteúdo, que não o frustre;
  • persuasivo: para atrair o clique do usuário, utilize gatilhos mentais e criatividade no texto;
  • alinhado à palavra-chave pesquisada: para ter mais chances de aparecer nas primeiras posições, insira a palavra-chave, preferencialmente no início no título.

A pesquisa do Backlinko que já citamos fez algumas descobertas que também podem ajudar você a escrever títulos eficientes:

  • títulos de páginas que contêm uma pergunta recebem 14,1% mais cliques (afinal, quando pesquisam no Google, as pessoas têm perguntas em mente!);
  • títulos de páginas que têm entre 15 e 40 caracteres têm o CTR orgânico mais alto (8,6% maior que os títulos com menos ou mais caracteres que isso);
  • títulos de páginas com palavras fortes (como “secreto”, “perfeito”, “incrível”, “o melhor”) têm 13,9% menos cliques, já que tendem a parecer clickbait;
  • títulos emocionais, com sentimentos positivos ou negativos, têm um CTR orgânico 7% maior que os outros.
impacto do título no CTR da página

URL e breadcrumbs

A URL é o elemento que vem logo abaixo do título. Para que ela fique mais clara para o usuário, o Google desmembra a URL em breadcrumbs, que procuram mostrar onde aquela página está, dentro da estrutura do site.

Se você pesquisa por “black hat”, por exemplo, visualiza o resultado do blog da Rock assim:

busca para black hat

A URL dessa página é https://rockcontent.com/blog/black-hat/. Mas, para orientar melhor o usuário, o Google coloca assim: https://rockcontent.com › blog › black-hat.

Uma dica de SEO que você já deve ter visto por aí é criar URLs amigáveis. Isso significa torná-la descritiva e estruturá-la de acordo com a arquitetura do site, em vez de usar números e códigos. Assim, o Google consegue ler a URL e entender do que trata o conteúdo, além de transformá-la em breadcrumbs na SERP.

Outra dica importante é utilizar a palavra-chave na URL. O estudo do Backlinko mostrou que há uma correlação disso com o CTR: segundo a pesquisa, URLs que contêm a palavra-chave pesquisada têm um CTR orgânico 45% maior.

impacto de usar a palavra-chave na URL

Descrição

Após o título e a URL, vem a descrição. O texto que aparece nesse elemento vem da meta description, que é uma marcação no código HTML que você pode preencher com as suas próprias palavras.

Definir a meta description, porém, não significa que necessariamente o Google vai usá-la. Se ele entender que outra parte do seu conteúdo está mais alinhada à pesquisa do usuário, ele pode selecionar o trecho que quiser para apresentar na SERP.

Veja, por exemplo, a diferença entre os resultados que o Google apresenta neste caso. Ao pesquisar “o que é meta description”, o Google seleciona o texto que a Rock definiu para descrever a página:

busca para meta descrição

Porém, ao pesquisar “como otimizar a meta description”, a descrição que aparece para a mesma página é outra. O Google selecionou um trecho do conteúdo que responde melhor à pesquisa do usuário:

busca como otimizar a meta description

Porém, o trecho que o Google seleciona nem sempre é tão descritivo e persuasivo quanto seria a sua descrição, escrita com as suas próprias palavras. Então, preocupe-se sempre em definir uma meta description específica para cada página (mesmo que o Google nem sempre a use).

O estudo do Backlinko mostra a importância disso: páginas com meta description definida recebem 5,8% mais cliques.

impacto da meta descrição no CTR

Perceba também que o buscador marca com negrito as palavras da descrição que estão presentes nos termos pesquisados pelo usuário. Portanto, procure sempre utilizar a palavra-chave na meta description, para que elas fiquem destacadas na SERP.

Rich snippets

Rich snippets são um complemento do resumo do link que aparece na SERP. Nem sempre eles estão presentes, pois dependem da configuração (por meio de dados estruturados) pelo administrador do site e só estão disponíveis para determinados tipos de páginas.

Um exemplo de rich snippet é a avaliação da página pelos usuários, que é representada na SERP por uma nota e pela classificação em estrelinhas. Quando você pesquisa por uma receita, por exemplo, o tempo de preparo e o número de comentários são outros rich snippets que podem aparecer.

rich snippets impactam ctr

Essas informações extras ajudam o usuário a decidir se deve clicar ou não, além de chamarem atenção dos olhos, já que se diferenciam dos outros resultados da SERP. Consequentemente, os rich snippets também contribuem para aumentar o CTR orgânico.

A correlação entre rich snippets e CTR não entrou no estudo do Backlinko. Porém, outros estudos já revelaram que o uso de rich snippets pode aumentar o CTR em até 30%.

Enfim, se você quer crescer o tráfego do seu site, comece a olhar para o seu CTR orgânico e identifique quais elementos podem ser otimizados na SERP.

Note que o Google não confirma que os elementos que citamos neste artigo são fatores de rankeamento. Porém, os estudos mostram que existe uma correlação entre eles e o aumento no CTR e no rankeamento, o que é motivo suficiente para você dar uma atenção especial a essa métrica.

Então, agora que você entendeu o que é um bom CTR e o que impacta a taxa de cliques na busca orgânica, vamos dar uma olhada no CTR do Google Ads?

Na plataforma de publicidade do Google, a taxa de cliques é determinante para o desempenho e os custos da campanha. Leia agora o nosso artigo completo sobre como reduzir os custos do Google Ads, inclusive de olho no CTR.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *