Por Autor Convidado

pela Rock Content.

Publicado em 12 de novembro de 2019. | Atualizado em 13 de dezembro de 2019


Começar uma loja virtual traz desafios, mas não é por isso que você deve abrir mão das vantagens do e-commerce. Saiba como superar as dificuldades no post!

Começar uma loja virtual é um grande passo na vida do empreendedor. O caminho é cheio de percalços, mas as vantagens do e-commerce são inúmeras! O mercado está em franca expansão e são diversas oportunidades para quem quer vender pela internet.

Em 2018, o e-commerce brasileiro cresceu 12% e faturou R$ 53,2 bilhões, de acordo com dados do eBit/Nielsen. E o melhor é que as vendas pela internet ainda têm muito mercado a conquistar!

Isso porque um índice da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico em parceria com o Compre & Confie aponta que, entre os meses de setembro de 2018 e de 2019, a participação do e-commerce no varejo representou apenas 5,4%. Com o número crescente de pessoas começando a comprar online, esse percentual só tem a crescer.

Os números são promissores e as vantagens do e-commerce são muitas, mas é preciso estar preparado para os desafios ao criar sua loja virtual. Eles aparecerão, como em todo ramo de negócio, mas, se você estiver preparado, vai poder planejar sua estratégia para superá-los!

Por essa razão, trazemos neste artigo alguns desafios comuns para quem vai criar sua primeira loja virtual.

E, como não adianta apresentar apenas os problemas, trazemos também algumas dicas para que você possa criar sua loja virtual da forma mais consciente.

Assim, fica mais fácil tornar o seu um e-commerce de sucesso! Vamos lá?

1. Definir que produtos e para quem vender

Antes de sair criando seu site, você precisa ter a parte da estratégia muito bem definida. O primeiro passo para isso é escolher que produtos você vai vender e, tão importante quanto, para quem você vai vender.

Uma dica importante para escolher os artigos com os quais você vai trabalhar é selecionar um nicho de mercado específico. Isso porque, entre as milhares de lojas virtuais que existem, você precisa se destacar de alguma forma para que posso ter sucesso.

Escolher um tipo de produto diferente, que atenda a necessidades bem características de determinado grupo, é uma boa forma para fazer isso.

Portanto, na hora de definir seus produtos, faça o trabalho completo. Em vez de escolher, por exemplo, vender cosméticos, você pode optar por produtos de beleza veganos especializados em cabelos crespos e cacheados. Assim, fica mais fácil se tornar uma referência naquele segmento.

Pelo exemplo que demos anteriormente, dos produtos de beleza veganos para cabelos crespos e cacheados, já é possível ter uma ideia de quem será o público desses produtos. Todavia, você deve ir além.

Estabeleça não apenas um público genérico, mas as personas do seu negócio. Isso significa que você vai criar um ou mais perfis do seu cliente ideal, com características demográficas, mas também sonhos, aspirações, desejos e dores.

Sabendo exatamente o que e para quem você vai vender, fazer toda a divulgação do seu e-commerce vai ficar muito mais fácil. Você vai poder criar campanhas e usar a linguagem adequada para conversar com seus potenciais clientes.

Além disso, a partir dessas informações, você pode começar a trabalhar para encontrar o fornecedor mais adequado para sua loja virtual. Sabendo o que seu público espera, você poderá avaliar a qualidade, o prazo e o preço de quem for te vender os artigos.

2. Escolher por onde vai vender

Depois de definir o que e para quem você vai vender, você precisa estabelecer qual será seu canal de vendas. Isso porque, ao vender pela internet, você pode optar por ter sua própria loja virtual, vender em um marketplace ou pelas redes sociais.

Neste artigo, vamos tratar mais especificamente dos desafios quando você cria seu site de vendas. Então, vamos aproveitar para apresentar algumas das vantagens do e-commerce frente aos outros meios.

Vale ressaltar, no entanto, que vender por meio da sua própria loja virtual e também pelos outros canais é uma ótima forma de se fazer presente no ambiente virtual e ser visto por potenciais clientes.

Um ponto importante para que você crie seu site é ter um ambiente em que você não dependa de nenhum outro modelo de negócios para que o seu possa existir. Imagine, em um exemplo bastante exagerado, que você vende apenas por um marketplace e, de um dia para o outro, a empresa resolve fechar as portas. Ou, então, que seus produtos são comercializados apenas pelo Instagram e sua conta é hackeada.

Os exemplos anteriores são bastante fatalistas, mas mostram como ter certa independência é importante na hora que você vai empreender. Portanto, ter seu site é uma forma segura de depender exclusivamente do seu negócio.

Se você acredita que criar sua loja virtual é algo muito complicado, não precisa se preocupar. Existem plataformas de e-commerce em que você pode começar seu site do zero sem nenhuma experiência prévia. Além disso, você pode integrar diferentes meios de pagamento e de envio para facilitar a vida dos seus clientes.

3. Montar seu e-commerce

Depois que você definir como vai montar seu e-commerce, é hora de colocar a mão na massa. Apesar de ser simples criar o site por meio de plataformas, é preciso caprichar para que sua loja virtual fique atraente e agradável para seus clientes, além de funcionar bem.

Se optar por uma plataforma de e-commerce, tire um tempo para experimentar diferentes layouts e personalizá-los de acordo com a identidade visual da sua marca. Crie um logo caprichado, tire boas fotos dos produtos e escreva descrições originais para cada um dos artigos.

Os textos completos e escritos por você vão ajudar no SEO da sua loja virtual, ou seja, na estratégia de otimização do seu site para que ele seja encontrado nas pesquisas em buscadores.

Na hora que for carregar os produtos, não coloque todos na página inicial. Isso vai deixar o carregamento do seu site mais lento e a navegação mais confusa. Em vez disso, crie páginas para as categorias de produtos, limite a home a cerca de 15 mercadorias e crie banners para anunciar eventuais promoções e categorias em destaque na sua página inicial.

4. Determinar para que regiões começar a vender e entender sua operação

Um dos grandes desafios na hora de se vender online é o frete. Seja por conta dos preços ou do tempo de entrega, essa parte é sempre sensível para o consumidor. Portanto, você deve dar atenção especial a esse ponto.

Como vai estar começando, você não precisa já sair vendendo para todo o Brasil, por exemplo. É melhor iniciar entregando em uma região menor, seja apenas em alguns bairros da sua cidade ou só para seu município. Isso vai te dar mais experiência para que você entenda sua logística antes de alçar voos maiores.

Dessa forma, você entenderá quais são seus prazos antes de fazer promessas aos consumidores e evita frustrações.

Além disso, outra parte importante da operação a que você deve prestar atenção é a dos pagamentos. Escolha diferentes meios de pagamento para oferecer boas opções aos clientes.

Todavia, não leve apenas as necessidades dos consumidores em conta. Eles são fundamentais para seu negócio, mas seu fluxo de caixa também é! Portanto, antes de integrar algum meio ao seu e-commerce, pesquise quais são as taxas e prazos para recebimento que cada um deles pode te oferecer.

5. Entender como vale a pena investir na divulgação

Quando você cria um e-commerce novo, uma coisa é certa: você vai precisar investir em divulgação. A questão é por quais meios você vai planejar seu marketing digital.

Nesse ponto, conhecer muito bem quem é sua persona vai te ajudar a saber em quais redes sociais seus clientes estão e como eles costumam fazer pesquisas antes de comprar produtos. Assim, você divulga sua loja em locais onde, de fato, há potenciais compradores.

Além disso, é importante que você conheça a jornada de compra do seu cliente. Se você conhecer cada etapa, desde que ele começa a pensar em comprar um produto até que, finalmente, adquire algo em seu e-commerce, fica mais fácil impactá-lo da forma mais eficaz no momento certo.

Portanto, antes de sair criando anúncios no Instagram ou campanhas no Google Ads, faça o planejamento dessas ações. Isso não apenas vai trazer mais pessoas para conhecerem seu e-commerce, como esse tráfego será de usuários com maior potencial de compra. Dessa forma, sua verba será melhor investida. 

6. Definir o processo de logística reversa

O Código de Defesa do Consumidor diz que as pessoas têm o direito de se arrependerem de uma compra até sete dias após o recebimento do produto. Além disso, as pessoas têm 30 dias para trocar um produto caso precisem. Portanto, como a lei exige que haja troca, você deve estar preparado para esse tipo de eventualidade em seu e-commerce.

Para isso, existe um processo chamado logística reversa, no qual o cliente envia de volta o produto. Os próprios Correios disponibilizam essa modalidade para empresas que possuam CNPJ, sem que o consumidor que quer devolver o artigo tenha que pagar por isso.

As vantagens do e-commerce são muitas. Uma loja virtual é uma forma relativamente simples de empreender e costuma atrair os clientes pela facilidade das compras online.

Os desafios também não são poucos, mas com os pés no chão e muito trabalho duro, é possível prever alguns desafios e se preparar. É claro que não vai ser de um dia para o outro que seu e-commerce vai começar a ter milhares de pedidos por dia, é preciso ter paciência. Entretanto, com o planejamento bem alinhado, é possível tornar a sua uma loja virtual de sucesso!

E então, está pronto para abrir seu e-commerce?

Informações da autora

Victoria Salemi é a editora responsável pelas parcerias de conteúdo da Nuvemshop, a maior plataforma de comércio digital da América Latina, com mais de 30 mil lojas ativas. Formada em Jornalismo, ama escrever e tornar assuntos complicados acessíveis a todos!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *