Diagrama de Ishikawa

Conheça o Diagrama de Ishikawa e saiba como mapear problemas e soluções para o seu negócio

Também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama de Espinha de Peixe, o Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta que ajuda a identificar as causas raízes de um problema, analisando todos os fatores envolvidos na execução de um processo.

No ambiente empresarial, identificar rapidamente as causas de um problema é fundamental para evitar prejuízos, corrigir erros e reduzir atritos entre as equipes.

Nesse sentido, por mais experientes que os gestores sejam, não é recomendado contar somente com a opinião pessoal ou com a intuição. Afinal de contas, uma organização jamais pode ficar refém de “achismos” para tomar decisões, certo?

Sabendo disso, preparamos este post sobre o Diagrama de Ishikawa, uma metodologia de análise empresarial que permite investigar as origens dos problemas ou gargalos. Ao aplicá-lo, você poderá otimizar seu tempo e implementar melhorias rápidas em sua gestão de processos. Acompanhe para entender melhor!

O que é o Diagrama de Ishikawa?

diagrama-de-ishikawa

Também chamado de Diagrama de Causa e EfeitoDiagrama de Espinha de Peixe ou Diagrama dos 6Ms, o Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta que ajuda a identificar as causas raízes de um problema, analisando todos os fatores envolvidos na execução de um processo.

O problema, também chamado de efeito, pode ser qualquer comportamento ou resultado indesejado. Por exemplo, as faltas constantes de um colaborador ou a reclamação específica de um cliente importante.

O nome da metodologia vem de seu criador, o engenheiro Kaoru Ishikawa, que deu origem ao gráfico visual em 1943. Nas décadas seguintes, a análise foi aperfeiçoada para auxiliar equipes a chegarem às causas reais de problemas enfrentados nos processos.

Um dos méritos do Diagrama de Ishikawa é que ele pode ser utilizado por qualquer pessoa, desde os funcionários “chão de fábrica”, passando pelos profissionais de marketing, até a diretoria. Por se tratar de uma ferramenta visual, é bastante aplicada para facilitar a organização e o raciocínio das equipes.

O diagrama parte da premissa de que cada problema tem uma causa específica. Assim, eliminar a causa raiz significa corrigir o próprio problema. Por isso, o método se empenha em testar e analisar cada sugestão de causa feita pelo time de colaboradores.

Principais aplicações

Sempre que houver uma situação indesejada na sua empresa, o diagrama pode ser aplicado. De todo modo, sua principal utilização é a identificação de causas de dispersões e não conformidades.

Um exemplo disso é quando uma indústria se depara com um lote de produtos com defeito. Como explicar que, entre tantos itens já produzidos, apenas alguns deles fugiram do padrão? Nesses casos, o diagrama ajuda a encontrar as explicações para o “mistério”.

Além dessa aplicação, o Diagrama de Ishikawa também é comumente utilizado para:

  • enxergar uma situação de modo mais abrangente e sistêmico;
  • visualizar não apenas a causa principal, como também as secundárias de um problema;
  • encontrar soluções para os problemas a partir dos recursos que a empresa possui;
  • gerar melhorias contínuas nos processos.

Maiores vantagens do Diagrama de Ishikawa

O Diagrama de Ishikawa traz vários benefícios para as organizações, podendo até mesmo ser utilizado em conjunto com outras metodologias. Entre essas vantagens, estão:

  • melhorias dos processos;
  • identificação de causas;
  • hierarquização das causas encontradas;
  • maior visibilidade dos problemas;
  • registro visual, facilitando análises futuras;
  • envolvimento da equipe na gestão da qualidade;
  • organização de ideias;
  • trabalho em equipe.
Você pode se interessar por esses outros conteúdos sobre gestão e negócios!
👉 Plano de negócios: o que é e passo a passo de como fazer um
👉 Balanced Scorecard (BSC): o que é e como aplicar este framework
👉 Canvas: o que é, como montar e template para download
👉 Aprenda a aplicar a análise SWOT no Marketing Digital com essas 5 dicas

Como aplicar o Diagrama de Ishikawa ou Diagrama de Causa e Efeito?

Agora que você já sabe o que é o Diagrama de Ishikawa e conhece seus benefícios e aplicações, é hora de verificar como aplicar o método. Abaixo, compartilhamos um passo a passo para facilitar. Acompanhe!

1. Defina o problema

O primeiro passo é definir o problema (efeito) que será analisado. Nesse momento, é importante ser específico, definindo o problema de maneira objetiva. Também é fundamental que essa questão possa ser mensurada, caso contrário, será difícil determinar se a causa foi eliminada.

2. Crie a espinha de peixe

Faça um traço horizontal. Na extremidade direita dessa linha, inclua um retângulo e escreva o efeito (problema) dentro dele.

Em seguida, faça traços perpendiculares a essa linha horizontal. Cada um dos traços perpendiculares será uma categoria de causas. A versão original do Diagrama de Ishikawa conta com 6 tipos de causas, os chamados 6Ms:

  • método: sequência de ações padronizadas que são utilizadas para executar o processo;
  • máquina ou equipamento: diversos problemas são derivados de erros ou falhas em maquinário. Dentro dessa categoria, as causas podem ir desde falta de manutenção até a utilização inadequada;
  • mão de obra ou pessoas: a falta de qualificação, a desmotivação e a imprudência de colaboradores ou fornecedores podem ser a causa de muitos problemas. A influência também pode vir da família, por exemplo;
  • materiais: pode ser a matéria-prima usada no processo ou qualquer outro material fundamental;
  • medida: é a categoria das decisões e ações tomadas anteriormente. Elas podem ter alterado o processo e dado origem ao problema;
  • meio ambiente: é o contexto que pode favorecer o surgimento de problemas. Poluição, calor e falta de espaço são alguns exemplos.

3. Reúna a equipe e analise as causas

Esse é o momento de levantar todas as possíveis causas para o surgimento do problema, levando em consideração a estrutura dos 6Ms. A sugestão é fazer um brainstorming com a participação das pessoas envolvidas com a questão, assim como profissionais de outras áreas, com diferentes visões e perspectivas.

Investigue todos os pontos que aparecerem, mesmo aqueles que parecem improváveis. Uma pergunta que costuma ajudar é “por que isso está acontecendo?”. Escreva cada uma das causas dentro das 6 categorias.

4. Faça subgrupos

Analise cada categoria de causas e crie subgrupos. Por exemplo, ao investigar as faltas de um funcionário, dentro de “máquina” ou “equipamento”, pode estar a subcategoria “carro”. Dentro dessa subcategoria, por sua vez, podem existir outras causas, como “motor”, “pneus” etc.

5. Destaque a causa principal

Depois de concluir o diagrama, destaque a causa principal que gerou o problema. Dependendo do caso, pode haver mais de uma.

6. Planeje ações

Encontrou a razão principal? Agora, é preciso pensar em possibilidades de solução que estejam ao alcance da equipe. Depois de analisar diferentes alternativas, crie um plano de ação para solucionar a questão discutida. Nesse momento, defina responsáveis e estipule prazos para cada atividade que será feita.

Como vimos, o Diagrama de Causa e Efeito pode ser utilizado em diversos contextos empresariais, independentemente da área de atuação da empresa, seja ela uma indústria, seja uma agência de Marketing Digital ou de publicidade.

Inclusive, nada impede que você utilize o Diagrama de Ishikawa para encontrar a causa de problemas em sua vida pessoal, solucionando diversas situações indesejadas. Assim como qualquer ferramenta, quanto mais você praticar sua aplicação, mais natural seu uso se tornará.

E, já que estamos falando em metodologias para diagnósticos em empresas, aproveite para conferir nosso artigo completo sobre como fazer uma análise SWOT!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo