Por Cayo Woebcken

Freelancer da Rock Content.

Publicado em 26 de novembro de 2019. | Atualizado em 10 de dezembro de 2019


O Employee Lifetime Value é um indicador do retorno gerado por um colaborador durante o seu tempo na empresa. Saber como calculá-lo e como potencializar seus resultados pode ser o diferencial que sua empresa precisa para chegar a um novo patamar de sucesso.

Vivemos em uma época em que a tecnologia ganha cada vez mais protagonismo nas operações de qualquer empresa. Recursos como a automação dos processos e o uso de dados para a tomada de decisões estratégicas aumentam a produtividade do negócio e facilitam a busca por soluções eficazes. Contudo, o capital humano segue sendo o mais importante.

Sem um grupo de profissionais engajado e eficiente em realizar suas funções, não é possível usufruir a tecnologia para buscar seus objetivos.

Por isso, é crescente a preocupação em medir a contribuição dos colaboradores e encontrar caminhos para potencializá-la. E é aí que entra o Employee Lifetime Value (ELTV).

Trata-se de uma métrica que, se estudada, pode trazer insights valiosos para a gestão de RH, facilitar a busca por talentos e até ajudar a diminuir a taxa de rotatividade.

Que tal se aprofundar no assunto? Neste artigo que preparamos para você, vamos explicar:

Continue a leitura para entender!

 

O que é o Employee Lifetime Value?

Hoje, com os recursos que temos para coletar e analisar dados, todas as áreas de uma gestão devem ser orientadas por métricas que possibilitem decisões embasadas. O Employee Lifetime Value, ou ELTV, é uma das mais importantes, especialmente para a gestão de recursos humanos.

Para entender o que é medido pelo ELTV, basta compreender o significado de seu nome. Em tradução livre para o português, podemos entendê-lo como Valor do Tempo de Vida do Funcionário. Em outras palavras, a métrica busca mensurar o retorno financeiro que cada colaborador gera em seu tempo trabalhando na empresa.

O ponto zero é o momento da contratação. Ali, a empresa gasta recursos com fins de divulgação e estruturação do processo seletivo.

Uma vez contratado, o profissional passa a gerar gastos como os relacionados aos honorários, mas também a contribuir com a produção de receita para o negócio. O ELTV busca compreender o valor dessa contribuição até o fim da relação.

A complexidade do Employee Lifetime Value está no fato de que o retorno produzido pelo colaborador depende de diversos fatores.

O clima organizacional da empresa e as condições de trabalho são alguns dos elementos que influenciam no seu engajamento, que, por sua vez, afeta seu nível de produção.

 

Como calcular o Employee Lifetime Value?

Como medir o retorno que um colaborador traz para a empresa? Essa é uma pergunta complicada, já que diferentes funções podem trazer distintas formas de contribuição para o negócio. Imagine, por exemplo, que você quer medir o ELTV de vendedores e de produtores de artigos voltados para o Marketing de Conteúdo.

O primeiro grupo, cuja função principal é realizar vendas, pode ser mensurado de acordo com o valor financeiro gerado pelas transações concluídas. No caso do segundo grupo, não é tão simples. Se não for possível mensurar exatamente o retorno que cada conteúdo produzido gera, é válido definir como valor tangível a quantidade de artigos publicados.

De todo modo, o primeiro passo para calcular o Employee Lifetime Value é definir qual elemento, ou conjunto de elementos, será considerado principal na avaliação de um cargo. Depois, é só montar um gráfico em que o eixo x representa o tempo do colaborador na empresa e o y sinaliza sua contribuição.

Na imagem abaixo, utilizamos o exemplo de um produtor de conteúdo que está há 5 meses na companhia e produziu 62 artigos.

artigos publicados mês a mês

Reparou que a produtividade do colaborador caiu após alcançar o pico? Esse é um movimento comum e justifica a crescente preocupação em manter o engajamento das equipes. Afinal, a diminuição do nível de produção representa uma queda no ELTV e pode, eventualmente, resultar no desligamento do profissional, o que gera mais gastos.

Recapitulando, o ELTV é a relação entre o tempo que o colaborador fica na empresa e o retorno gerado por ele com base nos parâmetros definidos pela gestão.

Com isso, podemos resumir o cálculo do ELTV à aplicação da seguinte fórmula: ELTV = retorno por colaborador X tempo de permanência na empresa.

 

Qual é a importância do cálculo do ELTV para as empresas?

Acompanhar de perto o Employee Lifetime Value é de fundamental importância para qualquer empresa, já que todas são diretamente afetadas pelo desempenho de seus colaboradores. Com base nos valores encontrados, é muito mais fácil tomar decisões que sejam embasadas em dados, não em suposições.

Sendo assim, a principal importância do ELTV para as empresas é a possibilidade de manter as operações em constante processo de otimização. O cálculo indica, por exemplo, se os membros de determinada equipe estão gerando retornos satisfatórios a ponto de justificar o investimento feito neles.

Se não for o caso, a gestão tem recursos suficientes para identificar o problema e tomar medidas para solucioná-lo. Por outro lado, se o resultado do ELTV for positivo, as práticas adotadas pela equipe em questão podem ser difundidas e servir como exemplo para que outros profissionais da empresa aumentem sua geração de receita.

Então, a oportunidade de um monitoramento próximo e da melhoria da gestão de desempenho são fatores que justificam o uso dessa métrica. Existem, porém, vantagens mais específicas. Focaremos nelas a seguir!

Vantagem competitiva na busca por talentos

O processo de seleção e recrutamento de profissionais é complexo. Além do desafio de encontrar talentos que se encaixem na cultura da empresa e contem com as habilidades necessárias para cumprir uma função, é preciso superar a concorrência de outros empregadores. Nessa disputa, não é apenas a remuneração que conta.

Além de um bom salário e um ambiente de trabalho adequado, os melhores profissionais buscam empresas que saibam valorizá-los, o que passa diretamente pelo uso do ELTV. Afinal, como dar crédito aos colaboradores que fazem um bom trabalho se você não acompanha de perto seu desempenho?

Portanto, uma empresa que valoriza a importância do Employee Lifetime Value é vista com bons olhos pelos candidatos. Eles sabem que, se mantiverem um nível satisfatório de produção, terão maiores chances de ter seu trabalho devidamente reconhecido.

Desenvolvimento de profissionais e aumento do engajamento

Se você sabe quais colaboradores estão rendendo abaixo do esperado, é possível investir em soluções para alterar esse cenário. As mais comuns estão relacionadas a programas de capacitação, como cursos, palestras e workshops. Ao fazer isso, você não apenas contribui para a melhoria dos resultados da empresa, mas também para o moral da equipe.

Quando nota que há possibilidade de desenvolver as próprias capacidades, o colaborador se sente mais valorizado. Consequentemente, seu nível de engajamento tende a melhorar, o que reduz as chances de ele buscar outra empresa para seguir sua carreira e melhora sua produtividade.

Essa relação entre o desenvolvimento do profissional e seu nível de engajamento fica clara em um recente estudo realizado pela Gallup. Nele, é possível observar que empresas que investem em programas de treinamento e capacitação experienciam um crescimento de aproximadamente 14% no engajamento de seus colaboradores.

A melhoria nos resultados financeiros também pode ser observada. De acordo com o estudo, empresas com uma média de 1000 colaboradores conseguem elevar a receita em até 1,8 milhões de dólares, apenas com o aumento da produtividade.

Diminuição da taxa de rotatividade

A taxa de rotatividade diz respeito ao número de colaboradores que são desligados da empresa, seja por opção, seja por decisão dos gestores. Em qualquer empreendimento que visa a resultados em longo prazo, o ideal é que essa taxa, também chamada de turnover, seja mantida baixa.

Podemos listar diversos motivos para isso, incluindo os desafios envolvidos na busca por um substituto. Existe, por exemplo, a questão financeira. Estima-se que o custo para repor um colaborador possa chegar a 21% do valor de seu salário anual. E o que isso tem a ver com o Employee Lifetime Value?

Lembra quando mencionamos no tópico anterior que o uso da métrica pode ajudar a desenvolver profissionais e, assim, aumentar o engajamento no ambiente de trabalho? Bem, um trabalhador engajado é aquele que se sente motivado e feliz em trabalhar, logo, apresenta menos chances de pedir desligamento.

 

Como potencializar o Employee Lifetime Value?

Nesse ponto, já é evidente que o uso do Employee Lifetime Value traz benefícios para a empresa, como o aumento do engajamento dos colaboradores e o consequente incremento na produção. Além disso, esse acompanhamento facilita a tomada de medidas para reduzir a taxa de rotatividade da empresa e facilitar a retenção de talentos.

Mas, afinal, como isso pode ser feito? Mais do que saber como calcular o ELTV, é fundamental conhecer as melhores práticas para potencializar os resultados desse cálculo. É sobre isso que falaremos agora!

Realize um onboarding estruturado

O onboarding é o processo de introdução do novo colaborador na empresa. Se comparado com todo o tempo que ele vai permanecer na companhia, esse é um período pequeno, mas seus impactos são duradouros. Portanto, é essencial estruturar o processo de modo que ele guie o profissional ao sucesso.

Para fazer isso, imagine o processo de onboarding como uma venda para um cliente. Se você vai vender uma solução, precisa educar o consumidor sobre suas funcionalidades, de modo que ele possa operá-la sem maiores problemas. Nesse caso, o cliente é o novo colaborador.

Nesse sentido, organize palestras e eventos para inteirar os novatos com relação à cultura da companhia e as funções que eles devem cumprir. É importante que esse procedimento seja conduzido por alguém experiente que, além de conhecer profundamente a empresa, tenha boas noções sobre gestão de pessoas.

É importante, também, não focar apenas nas exigências. Deixe claro desde o princípio quais benefícios o colaborador pode esperar e que tipo de tratamento ele vai receber. Uma pessoa que é bem recebida em seus primeiros dias de trabalho tende a manter a produtividade elevada por um período muito maior.

Adote boas práticas de gestão

Não é novidade que uma liderança ineficiente gera trabalhadores improdutivos. Então, é importante encontrar caminhos para que a gestão da empresa saiba como manter os colaboradores motivados e engajados em suas funções. Para isso, um dos principais fatores é o nível de presença dos gestores.

Saber que seus superiores estão de fato engajados no desenvolvimento da empresa é algo que facilita o engajamento dos profissionais. Portanto, faça questão de deixar isso claro. Organizar reuniões individuais com alguma frequência é uma forma de fazer isso e, ainda, mostrar a valorização dada ao funcionário.

Para facilitar a organização dessas reuniões, estabeleça com antecedência o nível de frequência que você quer alcançar. Isso possibilita que tais encontros sejam marcadas com antecedência, o que abre espaço para ambas as partes se prepararem para o evento. É importante, aliás, garantir que os dois lados tenham a oportunidade de se expressar.

A famosa frase “ouça mais, fale menos” se aplica aqui. Escutar o que suas equipes têm a dizer é uma forma não apenas de entender melhor suas necessidades e características, mas também de mantê-las motivadas e valorizadas.

Invista em uma comunicação interna eficiente

Ninguém pode melhorar um resultado se não souber que ele precisa ser melhorado. Por isso, garanta que seus colaboradores fiquem por dentro das metas da empresa, das práticas consideradas adequadas e dos resultados alcançados. Sendo assim, é fundamental contar com uma comunicação interna eficiente.

Se você está em constante contato com as equipes e garante que elas saibam o que é esperado delas, cobrar melhorias se torna algo viável. Contudo, cuidado para não focar as cobranças e esquecer as soluções. O papel do gestor não é apenas apontar o problema, mas também indicar o caminho para sua resolução.

Portanto, é essencial que você saiba como nortear as ações do seu corpo de colaboradores. Se, nesse processo, você identificar algum ponto que precisa ser melhorado, vale abrir conversas com as equipes e, quem sabe, trabalhar de forma conjunta em um plano de desenvolvimento individual.

Fortaleça sua cultura organizacional

A cultura organizacional é o conjunto de ritos, crenças, valores e tradições que guiam uma companhia, o que inclui o comportamento que é esperado dos colaboradores. Em algumas empresas, por exemplo, pode ser aceitável utilizar o celular no expediente, enquanto em outras isso pode ser considerado um problema.

Em todos os casos, é fundamental que a cultura da sua empresa seja clara e não abra espaço para duplas interpretações.

Isso é um fator que influencia diretamente no sucesso do empregado, logo, tem efeitos no ELTV. Uma pesquisa que entrevistou 20 mil novos contratados mostra que, nos primeiros três semestres, 89% dos casos de insucesso têm relação com questões comportamentais.

O Employee Lifetime Value é um indicador fundamental para a gestão de desempenho e a avaliação dos colaboradores de uma empresa. Seu uso abre espaço para tomadas de decisão embasadas e pode até servir como uma vantagem competitiva no processo de recrutamento.

Para aumentar o Employee Lifetime Value e reduzir a taxa de rotatividade, é importante contar com uma gestão forte e saber como se comunicar com os colaboradores. Trata-se, portanto, de uma ferramenta essencial para o alcance de melhores resultados.

E aí, pronto para avaliar e potencializar o retorno gerado por seus colaboradores? Que tal continuar aprendendo? Confira como você pode usar o marketing de incentivo para motivar suas equipes!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *