Por Autor Convidado

pela Rock Content.

Publicado em 4 de março de 2019. | Atualizado em 9 de agosto de 2019


Veja como o marketing boca a boca dominou o mundo digital e entenda o porquê dele ser uma tendência.

A indicação é o maior meio pelo qual as empresas conquistam clientes. A forma dispara em frente às mídias tradicionais de marketing na hora de captar novos clientes e efetivar as vendas.

Atualmente, o marketing boca a boca, essência principal da indicação, dominou o mundo digital e diariamente é possível receber de um amigo a indicação por meio do celular.

A nova onda de boca a boca digital, revolucionou e sobrevive fortemente no mundo online. E com toda certeza, a melhor e mais eficiente estratégia de venda apenas se reinventou no meio tecnológico.

E não é de ficar para trás, conforme o Instituto Nielsen: 92% dos consumidores ao redor do mundo afirmam que confiam totalmente na indicação de um amigo ou familiar, acima de qualquer outra forma de propaganda.

Voluntariamente, as pessoas usam essa estratégia de marketing boca a boca digital sem perceber a sua essência primária, que é a indicação.

A exemplo, o código promocional enviado por amigos em que você recebe um desconto por usá lo. Esse é um exemplo claro de boca a boca no mundo digital.

Histórico da estratégia boca a boca

Antes de entender o crescimento do marketing boca a boca na sociedade, é preciso compreender como a necessidade por indicação saiu do indivíduo para o coletivo social.

Isso mesmo! O anseio por fazermos indicações está impregnado na existência humana. Logo, é impossível saber quando a humanidade realizou a primeira indicação. Mas é certo que ela aconteceu e traz resultados até os dias atuais.

Fator biológico

O autor John Jantsch, no livro Máquina de Indicações afirma que: “Há uma pequena parte do cérebro, o hipotálamo, que — entre outras coisas — ajuda a regular o desejo de […], prazer e, em certo grau, sua propensão a indicar”

A necessidade de indicar é até fácil de se provar. Provavelmente, seja no boca a boca digital ou orgânico você recebeu ou indicou algum amigo, não é mesmo? Isso aconteceu naturalmente ou provavelmente você recebeu um incentivo para indicar.

“O Hipotálamo gosta de validação: ele registra o prazer em fazer o bem e em ser reconhecido por isso, e é a origem da necessidade de pertencermos a algo que seja maior do que nós mesmos. Esta é a motivação social para fazermos indicações”, reforça John Jantsch.

Fatos sociais do Marketing boca a boca

O fator biológico auxilia para que haja uma transformação da necessidade de indicar por uma cultura de indicações. Nós indicamos há milhares de anos, de forma natural.

De acordo com a história, o ato de indicar começou ainda na idade medieval, quando os seres humanos começaram a se comunicar.

Socialmente o boca a boca começou com a indicação do perigo. As pessoas se informavam onde eram os locais de boa estratégia de vida para o homem sapiens, como também os locais onde se encontravam bons alimentos.

Assim, de boca em boca a sociedade esparrama seus comentários, assuntos, indicações e tudo quanto é essencial para nos conectarmos uns com os outros.

A indicação de boca a boca digital é parte essencial deste ato de conexão.

Oficina de automóveis

Muitos comércios, por exemplo, conquistam bastante proveito das indicações pela tradição de seus clientes em indicar.

Um exemplo que deixa isso claro diz respeito ao amigo mecânico: para os clientes desse serviço, uma oficina de confiança é essencial tanto por questões de segurança quanto pelo preço em conta.

Dessa maneira, por ser um serviço muitas vezes emergencial, essa indicação é provocada por quem precisa do serviço. Temos a tendência natural de procuramos a indicações aos amigos, quando precisamos de uma oficina mecânica.

Além de receber a indicação os amigos fidelizam pela marca, antes mesmo de contratar o serviço, apenas por contar suas experiências. É claro que, para que façamos a indicação, também precisamos passar pela experiência como clientes.

Provavelmente, você deve estar lendo esse texto no trabalho. Faça o teste e peça a algumas pessoas uma indicação de oficina como se você tivesse com algum problema no seu carro. Observe como essa pessoa foi capaz de te convencer que a oficina dele é a melhor.

Aindicação gera confiança, prova qualidade do serviço, facilita a venda direta para leads qualificados. Tudo isso acontece porque o boca a boca direciona a indicação.

O cliente foi até o vendedor, o que é diferente do marketing de interrupção, por exemplo.

Marketing boca a boca chega no mundo Digital

Se o boca a boca sempre existiu na sociedade, o que aconteceu quando essa estratégia de conexão e venda começa a chegar no mundo digital?

É verdade que estamos cansados do marketing de interrupções. No melhor momento do filme, ou antes da mais importante notícia do telejornal, e até mesmo quando estamos vendo fotos no Instagram. De repente, está na nossa frente um anúncio ou propaganda.

Fato é que as pessoas estão cansadas dessas interrupções e neste momento a solução é o marketing boca a boca.

Se meu amigo me indica em meio a uma conversa, ele não me interrompe e sim possivelmente resolverá uma necessidade minha, já que me conhece.

A verdade é que o amigo, com um compartilhamento direcionado, consegue encantar muito mais que qualquer anúncio. É nesse momento, em que o marketing boca a boca domina as estratégias digitais ao compartilhar as indicações.

Ben McConnel e Jackie Huba no livro BuzzMarketing considera que é preciso “encantar clientes e desenvolver fãs leais e apaixonados que continuam a apoiar a empresa durante as épocas de dificuldade econômica”.

Isso é o que aconteceu com as seguintes empresas que iniciaram o processo de boca a boca digital.

Dropbox

Ao analisar sua entrada nesse mundo, considero que o marketing boca a boca digital se reinventou com o dropbox.

A partir de 2007 a empresa queria receber novos investimentos, e para isso inseriu o boca a boca como estratégia de aquisição de clientes.

A estratégia foi criar um esquema de benefícios para incentivadores. O marketing boca a boca entrou em evidência quando foi possível perceber o seu impacto em vendas, a partir de um convite no rodapé dos e-mails enviados pelos usuários do dropbox.

A cada conversão de novos clientes o indicador, aquele que enviava o e-mail, recebia um espaço a mais no seu armazenamento gratuito, apenas por convencer um amigo a se inscrever. 

Entre 2008 e 2010, o Dropbox conquistou 3,9 milhões de novos usuários, saindo de 100 mil para 4 milhões de usuários e chegando a crescer 60% ao mês.

Airbnb

O Airbnb, empresa voltada para a “hospedagem compartilhada”, também é uma das que se destacam com a efetiva atuação do marketing boca a boca no mundo digital.

A estratégia de indicações da Airbnb estimula o crescimento da base de clientes em todas as cidades do mundo.

O site da startup é especializado em hospedagem para viagens internacionais, e com seu programa de indicações, alastrou pelo mundo a fora a onda de indicações digitais.

O seu sucesso por meio da indicação mostra que com menos de 10 anos foi possível dominar parte do marketing de boca a boca em aluguel compartilhados.

Por atender vários segmentos de clientes, a Airbnb usou o marketing boca a boca para atender todos os perfis possíveis. Isso significou oferecer recompensas pensadas e diferentes para seus clientes, em compensação pelas indicações.

Uber

No ano de 2016, o aplicativo de transporte Uber se popularizou no Brasil. Não demorou para que muitos de nós instalasse o aplicativo no nosso aparelho celular.

Foi por meio de um código promocional que oferece um bônus por indicarmos um amigo que encaminhamos as mensagens pelo WhatsApp responsáveis pela popularização tão rápida do aplicativo.

Humanos indicam, logo, o processo de boca a boca digital sempre terá uma característica humanizada.

Acredito que o marketing boca a boca nos levará para um caminho sem volta, em que as empresas que não desfrutarem da estratégia ficarão perdidas e darão cada vez mais espaço para as empresas preocupadas em fidelizar clientes e incentivar suas indicações.

Após o Uber, líder em aplicativos de transporte, mesmo que outros aplicativos estejam tentando com estratégia semelhante, a busca por domínio de mercado é acirrada. O 99 Pop é um exemplo, concorrente que usa a estratégia.

No segmento imobiliário, a Quinto Andar e outras imobiliárias são exemplos de domínio de mercado.

Da mesma forma que uma fofoca se esparrama tão rápido, a estratégia boca a boca digital tem sua eficiência provada na aquisição de cliente com um custo de aquisição reduzido, confiança no seu produto/serviço, e ciclo de vendas reduzido, além da entrada de leads cada vez mais qualificados e dispostos a utilizar seus serviços.

Para onde o marketing boca a boca está nos levando

Uma boa ação de marketing boca a boca é humanizada, não parece ser um spam saturando seu aparelho celular.

Quando um amigo te indica um banco digital, por exemplo, você sabe que é ele, e confia na recomendação após certo diálogo.

Para que o marketing boca a boca digital nos leve ao sucesso de vendas como têm sido desde a necessidade de indicar, devemos sempre nos preocupar com estratégias humanizadas.

Estar no digital é importante, pois é a realidade humana atual. Essa tendência significa facilidade para seu cliente, são os canais onde ele está presente, como as redes sociais que facilitam o marketing boca a boca.

E para o empresariado, há possibilidade de mensurar suas indicações e verificar a forma ideal de outras ações de marketing que podem auxiliar na divulgação do seu programa de indicações.

O marketing boca a boca não apenas está presente, mas o aprofundamento dessa estratégia é uma tendência para os que estão dispostos a dominar o mercado do futuro.

Gostou deste artigo? Então saiba como funciona o programa de indicações no mundo digital.

Conteúdo produzido por BuzzLead.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *