Por Ana Júlia Ramos

Redatora freelancer da Rock Content

Publicado em 20 de novembro de 2018. | Atualizado em 27 de maio de 2019


A identidade visual é como o cartão de visitas da sua empresa. Ela é responsável por trazer a lembrança de sua marca à mente do consumidor. Veja algumas dicas de como montar um feed no Instagram que remeta a identidade visual do seu negócio.

Hoje em dia, estar presente em uma rede social já não basta mais, principalmente em meio a toda a concorrência presente no universo das plataformas online: estamos falando de bilhões de usuários e páginas.

Por isso, é fundamental buscar por formas de se destacar.

O investimento no desdobramento online de aspectos visuais de uma empresa é uma das melhores formas de atrair seguidores e convertê-los em clientes.

Quando uma boa estratégia é desenvolvida, benefícios como reconhecimento de marca são apenas o início!

Para ajudar você a se destacar e estar pronto para arrasar nas redes sociais, daremos dicas de feed no Instagram. Você vai aprender a criar conteúdo autêntico, que faça sentido e, mais do que isso, que gere encantamento por parte do leitor!

A importância de uma boa identidade visual

A identidade visual é o cartão de visitas da sua empresa.

Pense que, antes de saber qual produto você vende, quanto eles custam ou onde eles podem ser encontrados, o cliente muito possivelmente vai entrar em contato primeiro com a sua logomarca, algum anúncio ou material de divulgação — desde outdoors até mesmo a fachada do seu negócio.

Nas redes sociais, a preocupação com a identidade visual também deve ser o foco. Não é legal abrir o perfil de uma marca no Instagram, por exemplo, e se deparar com uma bagunça completa.

A sensação de desleixo ou falta de domínio em relação à uma tecnologia que faz parte da nossa vida diária pode ser muito negativa para uma marca, levando inclusive potenciais clientes a nem ao menos tomarem a primeira ação de seguir a página.

Pense na identidade visual como a “personalidade” da sua empresa. Cada ser humano tem seus gostos pessoais, gosta de cortar o cabelo de forma específica e se veste seguindo uma linha de raciocínio que faz sentido para si mesmo, por exemplo.

Este conjunto de aspectos visuais faz com que ela seja interessante — ou não — aos olhos dos outros e, mais do que isso, faz com que ela seja vista.

No caso de uma marca, deve acontecer exatamente da mesma forma: se você gostaria de ser lembrado e atrair pessoas que se sentiram identificadas com o que você tem a dizer, está mais do que na hora de investir em uma boa estratégia de identidade visual.

Como montar o feed perfeito

A fórmula do “feed perfeito” não é muito complexa e nem ao menos impossível de ser alcançada.

Cada marca tem suas próprias particularidades, que devem ser sempre respeitadas, mas é de grande importância seguir algumas recomendações para que além de ficar harmônico visualmente, o perfil conte alguma história.

Afinal, não adianta nada ser bonito por fora, mas não entregar conteúdo algum.

Defina a paleta de cores

O primeiro passo é definir a paleta de cores e, a melhor forma de fazer isso, é analisando quais são as cores da identidade visual da sua empresa.

Afinal, ela representa muito do que a sua marca é e como ela quer ser vista pelo público.

Sabendo disso, não faria sentido algum investir em outras cores e provocar uma divergência na identidade visual.

Lembre-se que uma paleta de cores bem definida e usada com frequência cria reconhecimento de marca espontâneo.

Um ótimo exemplo é a forma na qual o Nubank vem trabalhando com sua principal cor, o roxo, nas redes sociais.

Além da presença da paleta no cartão, na logomarca e em todo o material de divulgação da empresa, suas redes sociais inserem a cor roxa de forma muito natural e bem trabalhada.

Dessa forma, o público cria um sentimento de associação ao ver o roxo por aí, seja na cidade, em roupas, objetos ou qualquer outro momento do dia a dia.

Coca-Cola, McDonalds e o Facebook são outras marcas que trabalham com as cores muito bem.

A ideia não é forçar a barra e criar posts monocromáticos: o segredo está na inserção das cores estrategicamente.

Pense que a paleta pode estar presente pelo menos em um ponto de destaque da imagem, mesmo que este destaque seja feito de forma tímida em algum detalhe.

O importante é que, ao bater o olho nas postagens, seja possível reconhecer traços da identidade visual de forma fácil e automatizada, mesmo que com o uso de outros recursos que não sejam as cores.

Capriche na curadoria

O conteúdo visual demanda algumas pré-definições importantes. Depois de pensar na paleta de cores, é hora de definir as prioridades em relação às imagens.

Vão haver pessoas? Elas aparecerão de forma direta, ou o foco será em recortes de mãos e partes do corpo específicas? Caso contrário, serão apenas fotos de produto?

A partir das definições, será muito mais fácil realizar a curadoria das imagens e estabelecer um padrão.

Ele nada mais é do que mais um elemento da identidade visual da sua marca, que não pode ser deixado de lado.

Se a escolha for de utilizar pessoas, não se esqueça de caprichar na humanização. Retrate a maior quantidade de perfis diferentes, sempre respeitando as definições de público-alvo da sua marca.

Quanto maior for a diversidade de pessoas retratadas nas imagens, maior é a possibilidade de identificação por parte do leitor.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS

👉 Transforme seu Instagram em uma máquina de gerar leads com essas 9 estratégias

👉 Instagram Ads: como anunciar no Instagram passo a passo

👉 6 dicas para otimizar seu perfil no Instagram para mecanismos de buscas


Selecione recursos gráficos e um filtro padrão

Além das cores, é igualmente importante pensar nos efeitos de edição das imagens. Caso esta seleção não seja feita, o feed ficará bagunçado e desconectado.

Pense em cada imagem como peça de um quebra-cabeças. Elas devem conversar entre si, e isto também é feito a partir da definição de um filtro e recursos gráficos.

Aplicativos como o Lightroom, da Adobe, disponibilizam ótimos recursos de edição de fotos gratuitamente e na palma da mão.

Nele, você pode definir padrões de exposição, luz, saturação e cor, por exemplo, e aplicar em todas as fotos que quiser.

Além do filtro da imagem, caso a identidade visual conte com recursos gráficos como vetores, símbolos e interferências em geral, é fundamental que eles conversem entre si.

É recomendável realizar um novo processo de decisão de padrões, da mesma forma que fazemos com as imagens, desta vez em relação aos grafismos.

Lembre-se, também, que exageros não são legais: preze por naturalidade e lembre-se do “menos é mais”.

Feeds cheios de informação dão uma atmosfera pesada e bagunçada para o perfil da marca, o que não é nada agradável aos olhos e pode afastar possíveis seguidores.

Fique atento em relação ao tamanho das imagens

Até alguns anos atrás, era possível postar apenas imagens no formato quadrado, chamado de “square”.

Isso mudou recentemente, quando a rede social permitiu a publicação de fotos na horizontal e vertical.

Por mais que o recurso seja ótimo e dê mais liberdade na hora de selecionar a imagem perfeita — já que muitas vezes recortá-la em quadrado retirava aspectos importantes dela — tenha atenção.

Como o feed do Instagram reúne as imagens no formato quadrado, o ajuste será feito de forma automática pela rede social.

Quando o fato não é pensado com antecedência, o resultado pode ser não tão bonito assim, com as imagens cortadas em áreas que deveriam estar expostas dentro da área quadrada.

Por isso, na hora de editar a imagem, mantenha os principais elementos na região central, evitando os extremos nas laterais e pontas superior e inferior.

O cuidado é ainda maior quando existem elementos gráficos que, quando cortados, também não ficam legais.

Perfis para se inspirar

Depois de aprender a parte conceitual, é hora de visualizar tudo o que falamos na prática. Veja alguns perfis que aplicam sua identidade visual muito bem no Instagram!

Nubank

O Nubank (que foi citado) reforça muito o que falamos sobre investir nas paletas de cores corretas. Na grande maioria das imagens encontramos pelo menos um elemento em roxo.

Instagram Nubank

Além de fotos do próprio cartão, eles também investem em uma gama diversificada de conteúdo: algumas das principais temáticas são imagens do escritório e do time de colaboradores e fotos do dia a dia com o roxo em evidência.

Uma outra editoria que se tornou parte do conteúdo visual da marca foi a do compartilhamento de fotos dos usuários com o cartão roxo — algo que poderia ser perigoso, já que imagens de outras pessoas podem vir sem a devida qualidade e aspectos técnicos.

A estratégia do Nubank é a de editar e aplicar o próprio filtro em todas as fotos e criar um aspecto unificado nelas, mesmo que tenham sido tiradas por pessoas diferentes.

AirBnb

O AirBnb é um bom exemplo de que é possível ter uma identidade visual no Instagram bem definida sem, necessariamente, aplicar as cores da marca — no caso deles, o rosa.

Instagram Airbnb

Já que o foco não está em inserir elementos da paleta de cores nas imagens, é preciso dar peso para algum outro aspecto: a estratégia encontrada pela empresa foi investir em imagens maravilhosas de imóveis ao redor de todo o mundo.

Eles também trabalham com o compartilhamento das fotos de usuários e o fazem com excelência.

Não tem problema não usar as cores da marca desde que, de alguma forma, sua essência seja reforçada nas imagens.

No caso do AirBnb, que trabalha com o aluguel de residências ao redor do mundo, o conceito foi integralmente adaptado no feed, ou seja, a identificação acontece da mesma forma que pode acontecer com o Nubank — mesmo que demore um pouquinho mais.

Do Bem

A marca de bebidas Do Bem tem um conceito que reforça uma vida descomplicada e mais simples, e ele é aplicado na identidade visual de forma muito legal.

Instagram Do Bem

Isto é feito a partir da produção de conteúdo que, quase que em 100%, é feita de forma minimalista e bem “moderninha”, o que casa com todo o discurso reforçado por eles.

A sensação ao ver as imagens é que elas não passaram por um processo super complexo de produção e, mesmo assim, saíram maravilhosamente agradáveis aos olhos. O fundo “chapado” também cria uma união visual bem característica.

Outro ponto interessante é que, no caso da marca, as cores usadas não ficaram restritas à paleta principal presente na logo: em cada post em que existe um produto específico, a escolha do tom de cores harmoniza com a embalagem em questão.

Todas as dicas de feed para o Instagram apresentadas neste texto só vão ser efetivas de verdade caso a estratégia de identidade visual seja feita de forma genuína e conte uma história.

Inspirações são sempre bem-vindas, mas, não foque em repetir o que já vem sendo feito: lembre-se, mais uma vez, que estamos falando da personalidade da sua empresa.

E, ao falar de personalidade, o autêntico é sempre melhor!

Por isso, vale analisar o que cabe para o seu negócio e o que não faria sentido. Lembre-se sempre das premissas e dados em relação ao seu mercado de atuação e público-alvo, por exemplo.

Tenha em mente o fato de que conversas e relações genuínas podem ser desenvolvidas por uma marca nas redes sociais quando existe verdade e muita história contada por meio de conteúdo.

Se você gostou deste post e acredita que está mais preparado para montar o feed perfeito no perfil da sua empresa, não perca as melhores formas de ganhar seguidores no Instagram!

Como conseguir seguidores no InstagramPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *