Por Amanda Gusmão

Redatora freelancer da Rock Content

Publicado em 28 de março de 2019. | Atualizado em 13 de novembro de 2019


Liderança nata? Nada disso, as habilidades gerenciais podem ser adquiridas e desenvolvidas com alguns aprendizados e vivências importantes no cotidiano das empresas.

Nos corredores do mundo corporativo, ainda é muito comum ouvir histórias românticas sobre líderes natos e suas dádivas recebidas em forma de habilidades gerenciais. Parece absurdo, não é mesmo?

Mas por incrível que pareça, esse pensamento limitante já impediu e impede que muitos profissionais desenvolvam seus potenciais de liderança por não terem os requisitos divinos ou o estereótipo daquilo que todos acreditam ser o gestor ideal.

Como consequência, muitos talentos são subutilizados e muitas empresas deixam de progredir.

Já nas organizações tradicionais, o dilema enfrentado é outro: a promoção não é dada àquele que demonstra maior preparo e performance.

Cenários hostis como esses não podem desestimular! Por isso, neste post, trazemos algumas dicas para o desenvolvimento das habilidades de gestão.

Vale a pena investir nelas, esteja você na empresa certa ou em busca daquela que dará uma oportunidade de liderar. Confira!

Quais os caminhos de desenvolvimento das habilidades gerenciais?

Ok, precisamos admitir: algumas pessoas demonstram naturalmente suas habilidades de liderança, muitas vezes, até mesmo na infância, durante as atividades escolares.

Mas isso não anula a necessidade de lapidar esses conhecimentos. Afinal, quem não tem essas habilidades pode desenvolvê-las e gerar bons resultados do ponto de vista gerencial. Seguindo essa linha de desmistificação, temos outros questionamentos importantes.

Gestão ou liderança?

Um líder é aquele profissional que inspira, transmite confiança, é empático, demonstra paixão por aquilo que executa, é solícito, quer compartilhar o conhecimento e também os méritos do sucesso.

O gestor não é o contrário disso, mas, sim, aquele que é designado como responsável por um processo ou setor, já que demonstra ter a capacidade de organização e preparo para combater com tranquilidade as situações que saírem do controle.

Como é fácil de concluir, essas duas figuras podem habitar o mesmo profissional — e é muito válido que isso aconteça.

Como desenvolver a liderança e as habilidades gerenciais?

Sendo assim, o desenvolvimento da liderança e da gestão serão distintos. Enquanto a liderança pode ser aprimorada em cursos, eventos, coachings e treinamentos sobre o tema, as habilidades gerenciais serão adquiridas, principalmente, em atividades práticas, na mentoria de outro gestor, especializações técnicas da área, na gestão de pessoas, entre outros.

Demonstrar interesse em outras atividades da empresa, se oferecer para tarefas mais complexas ou, até mesmo, pedir que um profissional da organização aceite ser seu mentor, também são caminhos para o desenvolvimento.

Ou seja, alguns conhecimentos são adquiridos nas vivências profissionais, outros, por meio de aprendizado. Mas se a empresa não oferece programas de formação de líderes ou estende esse benefício a todos seus colaboradores, a iniciativa de quem está interessado também é muito importante.

Aliás, essa é uma atitude que demonstra ambição e interesse pelo aprendizado contínuo, o que são características essenciais para os líderes e gestores, não é mesmo?

Engrenagens da comunicaçãoPowered by Rock Convert

Quais as principais habilidades gerenciais necessárias?

Para ficar claro, as habilidades gerenciais podem ser entendidas como a união de conhecimentos, atitudes e competências que o gestor precisa para conduzir seu setor, equipe ou projeto.

Essas habilidades podem ser divididas em três grandes grupos, sendo eles:

  • habilidades interpessoais: garantem que o gestor saiba tirar proveito e resultados dos relacionamentos com seus liderados, parceiros de negócios e clientes;
  • habilidades informacionais: que são usadas para avaliar dados que possam agregar em suas estratégias de negócio. Também podem ser incluídas nesse grupo suas capacidades para compreender diretrizes da diretoria e transmiti-las na medida certa para sua equipe;
  • habilidades de decisão: que é quando seus conhecimentos técnicos são colocados à prova juntamente à sua capacidade para avaliar cenários, considerar as consequências e ter firmeza nas diretrizes tomadas.

É mais simples quando listamos as principais habilidades gerenciais. Acompanhe:

1. Conhecimento técnico

É esperado que o gestor saiba se relacionar com outras áreas do negócio, consiga perceber oportunidades no mercado e antecipar problemas que possam atrapalhar os resultados de seu setor.

Para tudo isso, é fundamental que o gestor domine o conhecimento técnico de sua área. Se estamos falando de um gestor da área estratégica de marketing, por exemplo, é esperado que ele conheça o que é o segmento digital, sua relação com áreas de desenvolvimento, design etc.

O domínio técnico de um assunto, inclusive, é um dos fatores que mais se destacarão na hora de analisar a promoção de um profissional, afinal de contas, seus resultados podem ser quantificados por meio de indicadores de performance (KPI’s) do setor.

2. Ambição

A ambição é traduzida nas atitudes do profissional que almeja crescer profissionalmente e levar sua equipe e empresa com ele nessa jornada.

Diversos obstáculos se apresentam na vida de um profissional, como gestões tradicionais que são mais engessadas na promoção de seus colaboradores.

Porém, a ambição trará foco ao objetivo, assim como o entendimento de que é necessário criar um planejamento justo para que ações precisas sejam tomadas nesse sentido.

3. Persistência

Em conjunto com a ambição, vem a persistência, que não deixa o profissional desistir de seus objetivos. Ela, aliás, é um dos grandes fatores para empresas e indivíduos criarem soluções inovadoras.

Isso porque, com um desafio à frente, os profissionais que ainda não estão prontos, provavelmente, vão desistir ou mudar suas rotas, enquanto aqueles persistentes, vão buscar por diferentes soluções e tentar alternativas capazes de trazer os resultados esperados.

4. Controle emocional

Ter controle emocional também é um fator importante para o gestor. Isso porque ele será o responsável por um setor, projeto ou equipe, e terá que saber separar questões pessoais das profissionais, não deixando que uma esfera interfira na outra.

Trazer problemas familiares para a rotina do trabalho pode desestabilizar sua capacidade de decisão e tirar sua atenção nos processos. O gestor precisa ter um tempo de lazer e descontração para que sua saúde mental esteja assegurada.

Ou seja, é preciso ter equilíbrio. Além disso, atualmente, aqueles profissionais que passam muito tempo nas empresas nem sempre são considerados dedicados, mas, muitas vezes, aquém da performance que deveria demonstrar na carga horária como os demais.

5. Organização e raciocínio lógico

Seja para delegar responsabilidades, melhorar processos ou orientar comandados, o raciocínio lógico e a organização dos pensamentos são essenciais para um gestor.

Essa habilidade permite que ele crie estratégias, planos de marketing, vendas etc., que sejam inovadoras e alinhadas com os propósitos do negócio.

6. Networking

Ter bons relacionamentos internos e externos também é uma habilidade importante para o gestor. É nos relacionamentos com outros profissionais em diferentes níveis da organização que ele encontrará uma boa fonte sobre o clima da empresa e oportunidades de negócios.

7. Gestão orientada para resultados

Gestores querem sempre buscar a melhor performance para sua equipe, setor ou empresa e, cada vez mais, usam dados e tecnologias de automação para potencializarem seus resultados.

São analíticos e sabem que usar os dados e estatísticas de desempenho pode ajudar na melhoria de seus resultados e estratégias desenvolvidas.

Você pode se interessar por estes outros conteúdos sobre gestão!
👉 Sistema de gestão: quais os tipos, as vantagens e como escolher um
👉 Gestores de Marketing: como criar e manter o seu Dream Team
👉 Dinâmica de grupo: 6 atividades para fazer com seus funcionários
👉 Gestão integrada: o que é e como implantar em sua empresa
👉 Como usar o top-down e bottom-up na gestão da empresa
👉 15 especialistas indicam 44 ferramentas de Marketing, Gestão e Vendas

O que é preciso para ser um líder empresarial?

Ter capacidade de liderar um setor ou, até mesmo, uma empresa, pode consolidar as habilidades do gestor, por isso, algumas dicas podem ser valiosas.

Tenha empatia

Saber colocar-se no lugar de seus liderados, clientes e parceiros, é essencial para uma abordagem mais personalizada e humana nas situações enfrentadas.

Afinal, conhecer genuinamente cada pessoa, o gestor conseguirá identificar os gargalos e oportunidades referentes à rotina e carreira.

Com a empatia do líder, a lógica é a mesma. Se ele reconhece os problemas enfrentados por seus liderados ou com quem está negociando, pode criar argumentos e outros incentivos que produzirão resultados muito melhores.

Saiba comunicar com clareza

Um líder é uma referência para sua equipe e mercado. Assim, precisa recorrentemente comunicar os direcionamentos que precisam ser feitos ou acalmar os ânimos do mercado, não é mesmo?

Por isso, precisa saber comunicar com clareza, objetividade e boa didática. Isso garantirá que suas informações e orientações sejam corretamente compreendidas por seu público e, claro, convertidas nas ações esperadas.

Na comunicação, o líder também transmite sua autoridade e mantém sua equipe controlada e engajada com os resultados.

Seja humilde

Tanto o gestor quanto o líder devem saber delegar responsabilidades para seus comandados, principalmente quando eles demonstrarem claramente que estão mais capacitados do que qualquer um do time.

Assim, o gestor repassa a liderança situacional para seu comandado, demonstrando reconhecer que seus conhecimentos são mais adequados para o sucesso daquela etapa ou projeto.

O gestor também precisa ter humildade para admitir falhas e aproveitar esses momentos de fragilidade para demonstrar à sua equipe como contorná-los. Assim, além de demonstrar que falhas fazem parte do aprendizado, ele também está demonstrando que é preciso superar e seguir em frente.

Incorpore a cultura da empresa

O líder precisa ser o exemplo para o restante da equipe e, por isso, deve respirar a cultura da empresa e fazer com que ela ganhe vida em cada uma de suas ações. A ética de seu mercado também deve estar presente em suas ações, assim como o respeito aos colegas, as regras da empresa etc.

Compartilhe os resultados

Um líder não se sente ameaçado pelo sucesso ou capacidade de sua equipe, por isso, sempre que seu time ou empresa alcança seus objetivos, ele deve reconhecer os esforços da equipe e individuais.

Isso reforçará as atitudes individuais de cada funcionário em busca de suas melhores performances e, claro, ajudará a empresa a encontrar novos talentos para funções gerenciais.

Os líderes empresariais assumem a responsabilidade com os resultados do negócio, têm uma aura de inovação e tendem a engajar todos que estão ao seu redor.

Alguns são mais expansivos, outros, tímidos. Mas sempre no exercício de suas funções, demonstram saber exatamente o que estão fazendo e estarem curtindo cada desafio e resultado alcançado, não é mesmo?

Quer conhecer alguns exemplos práticos de líderes empresariais que demonstram usar essas habilidades gerenciais em seus negócios?

Listamos em um post os 8 líderes empresariais que inspiram por suas atitudes inovadoras e diferenciadas. Leia agora mesmo!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *