Por André Mousinho

Especialista em Marketing de Conteúdo na Rock Content.

Publicado em 8 de abril de 2019. | Atualizado em 17 de junho de 2019


No ano de 2019 a Rock Content completou 6 anos. Conheça toda a jornada do nosso blog durante esse período.

Em março a Rock Content completou 6 anos de história.

E, em meio a tantas comemorações, percebi que algumas das mais importantes páginas ainda não haviam sido devidamente publicadas para nossos leitores.

Não é possível comemorar um aniversário da Rock sem olhar para o nosso blog. Ele representa e comprova que tudo aquilo que fazemos e criamos para nossos clientes geram resultados reais.

Ele é a alma de uma grande estratégia, a nossa principal fonte de aquisição de clientes e de criação de relacionamento com leads e com profissionais do mercado.

O blog da Rock nasceu praticamente simultâneamente com a empresa e, apesar de nós, nesses anos, contarmos diversos cases e histórias dessa jornada, chegou a hora de você conhecer desde o princípio a história do nosso crescimento.

Você vai ver como em 6 anos nos tornamos um blog que gera:

1 milhão de acessos, 10 mil leads e mais de 1.200 MQLs.

E também conhecerá grandes capítulos dessa história:

  • como e por que o blog da Rock virou o Marketing de Conteúdo;
  • o crescimento pequeno no primeiro ano do blog
  • como crescemos 1.772% em um ano com mudanças simples
  • como rankeamos em primeiro lugar para o nome do maior guru de Marketing Digital e SEO do mundo
  • como nos tornamos maior autoridade em conteúdo e conquistamos praticamente 1 milhão de acessos por mês

Então, senta que lá vem história!

Como tudo começou: o blog da Rock Content

Poucas pessoas sabem, mas o nosso blog não nasceu como “Marketing de Conteúdo”. Em sua primeira versão ele era o que voltou a ser hoje: o blog da Rock.

Primeiro template do Blog da Rock

Essa foi a nossa primeira versão, em 2013. Criada pelo nosso então Designer, Fundador, Redator e Especialista em Marketing de Conteúdo e SEO, Vitor Peçanha.

Vale inclusive destacar e homenagear aqui o primeiro conteúdo da história do blog, no dia primeiro de março de 2013:

Primeiro post do blog da Rock

Nossa primeira migração

Havia, porém, uma necessidade de disseminarmos o termo “Marketing de Conteúdo” no mercado.

Há alguns anos ninguém conhecia a estratégia, nem de ouvir falar. Era uma necessidade nossa que o termo entrasse no mercado da maneira mais natural possível.

E não queríamos atrelar o termo diretamente à Rock Content, para não parecer que o termo era um estratégia exclusiva nossa, mas sim uma metodologia já testada e aprovada em outros mercados mais maduros.

Foi nesse contexto que adquirimos o domínio “marketingdeconteudo.com”.

Quando essa primeira migração aconteceu o blog já engatinhava em seu crescimento e já tinha pouco mais de 6 meses de existência.

primeira migração blog da rock

E essa foi a nova cara do nosso blog.

A primeira migração que passamos. Na época foi bem mais simples, ainda não tínhamos um tráfego absurdo como o atual e aproximadamente uns 2.000 conteúdos a menos.

Esse é o gráfico do analytics que mostra o primeiro ano do Marketing de Conteúdo

primeiro ano do blog da rock

O tráfego que conseguimos no nosso primeiro ano é equivalente ao que fazemos em 4 dias hoje. O nosso melhor mês do ano recebeu aproximadamente metade do tráfego que fazemos por dia.

Isso mostra como o Marketing de Conteúdo é uma estratégia a longo prazo. No primeiro ano, dificilmente, você terá resultados estratosféricos.

Ainda assim, os resultados foram muito bons. A nossa estratégia começava a se consolidar. Tudo o que foi construído a partir dali nos possibilitou chegar aonde chegamos.

Todo o nosso time de Marketing consistia em duas pessoas: Vitor Peçanha e Guido Coelho. E foi com eles que a Rock Content começou a mostrar como o Marketing de Conteúdo é uma estratégia que realmente gera resultados.

Essa aqui era a planilha onde os conteúdos eram gerenciados:

planilha de posts blog

Claro, muita coisa evoluiu e mudou de lá até aqui.

E já em 2015 tivemos o ano mais impactante em crescimento de tráfego. E as mudanças para garantir esses resultado foram bem simples!

Ficou curioso?

Como aumentamos o tráfego do blog em 1.772% em um ano

Sem dúvidas, um dos cases mais marcantes da história do Marketing de Conteúdo aconteceu em 2015, quando tivemos o incrível aumento de 1.772% no tráfego do blog.

tráfego do blog dobrado

Nessa época, o blog era gerenciado pelo Renato Mesquita (Hank), então analista de Marketing. Peçanha estava com outras responsabilidades na Rock e o Guido foi se aventurar em outros desafios na carreira.

Sem dúvidas, 2015 foi o ano que representou a maturidade no blog. Aprendemos muito sobre como fazer um SEO de qualidade.

O blog ganhou uma nova cara também. Uma das nossas mudanças de templates veio em 2015:

novo template blog da rock

O mais surpreendente deste ano é observarmos que tudo o que mais gerou impacto são hoje, dicas básicas de um estratégia de SEO.

Não vou entrar em todos os detalhes dessa história, o Hank já contou esse case completo nesse outro post.

Observe bem as mudanças mais impactante naquele ano: primeiro mostrando os erros de SEO On Page que olhávamos muito pouco até então:

  • falta de definição de palavra-chave;
  • artigos sem meta-description;
  • imagens sem Alt Text definidas;
  • ausência de links internos e externos;
  • vários links e imagens quebrados;
  • conteúdos com mais de um H1;
  • title Tags e H1 duplicados;
  • URLs longas demais.

Essas foram algumas das principais correções que o Hank fez no blog. Hoje em dia são dicas extremamente básicas no mercado.

Mas naquela época era diferente. Poucas pessoas faziam isso bem no mercado. E, mesmo nós, crescendo bastante, ainda cometíamos erros simples.

Foi nesse período também que começamos a usar ferramentas como o SEMrush, que fizeram toda a diferença para encontrar esses pontos de otimização para o blog.

E essas foram as grandes mudanças no blog:

mudanças blog

Outra dica, que é extremamente básica e comum atualmente, mas naquela época era pouco difundida no mercado, eram as atualizações de conteúdo.

Foi uma das mudanças que gerou grande impacto. Além de atualizar o On Page, encontramos o tamanho ideal para esses conteúdos e fizemos atualizações para melhorar a qualidade deles também.

Em resumo, em 2015 as principais estratégias que geraram um crescimento de 1.772% no blog foram essas:

Isso nos ensina algumas coisas:

  1. o básico do SEO gera muito impacto e bons resultados;
  2. o que hoje parece uma estratégia madura e avançada, amanhã será básico para o mercado.

Depois do case escrito pelo Hank, e com crescimento e amadurecimento do mercado, essas práticas passaram a ser básicas. Mas na época, elas mudaram como fazíamos otimizações para buscadores e colocaram a Rock Content em outro patamar.

Portanto, lembre-se sempre: as estratégias de SEO evoluem constantemente e é preciso estar em constante aprendizado. O que nós fazemos de inovador hoje, em breve, todo mundo fará.

E aí entra o desafio, continuar descobrindo o que vai levar você ao próximo nível.

Foi assim que entramos em 2016…

Como dobramos o tráfego de um blog que já era grande

O ano começa com um grande desafio de cara: o que fazer depois de alcançar um crescimento de 1.772%?

Sem dúvidas foi um ano complicado e terminamos com um crescimento incrível:

tráfego do blog dobrado

Mais que dobramos o nosso tráfego em 2016.

É claro, crescer 134% não é a mesma coisa que crescer 1.772%. Mas isso não quer dizer que tivemos um resultado ruim. Longe disso!

O resultado em 2016 foi tão (ou mais) incrível do que de 2015. Afinal, se você começa o ano com um tráfego mensal de 1.000 acessos e termina o ano com 3.000 você tem um aumento de 200% (de acordo com a minha matemática, pelo menos).

Mas, em números brutos, você conquistou apenas 2.000 visitas a mais.

Se olharmos o número de sessões a mais que tivemos em 2016, vemos um impactante número: quase 200 mil acessos!

Isso comparando apenas um mês.

Portanto, apesar da porcentagem não ser tão marcante quanto a do ano anterior, sem dúvidas o número de visitante é.

Em 2016 também aderimos a um visual que se assemelha mais ao que temos hoje:

nova mudança de template no blog da rock

E o logo do Marketing de Conteúdo recebeu sua versão mais marcante.

Esse ano foi muito marcante para mim também, afinal, foi o ano que eu fui convidado pelo Diego Gomes para ser editor do blog.

Eu já estava há 2 anos na Rock Content, atuando em outros setores, mas gostava muito de escrever para o blog.

Alguns desses conteúdos tiveram performances incríveis e de recordes na época e ajudaram no nosso crescimento.

Os mais marcantes deles para mim foram:

Quem é você na Liga da Justiça do Marketing

Vingadores: a Era de Ultron do Marketing Digital

Deadpool explica: por que o seu conteúdo é uma m… (um dos mais marcantes).

O Hank assumiu um cargo de gerência no Marketing e eu assumi o blog. Foi, sem dúvidas, a época de maior aprendizado na minha carreira.

Aprendi direto com o cara que havia trazido o blog até esse momento incrível que vivíamos.

Esse ano mostrou uma máxima que aprendemos ano a ano aqui na Rock:

“O que te trouxe até aqui, não vai nos levar onde queremos chegar”.

Principais aprendizados e mudanças

A nossa estratégia precisava seguir evoluindo. Quando eu cheguei eu vi o tráfego do nosso blog: 200 mil acessos mensais!

Pensei: “Como crescer um blog com tantos acessos? O Brasil nem tem 200 mil habitantes! (rs)”

E o nosso objetivo era chegar a meio milhão até o final daquele ano.

Abrindo o leque e aumentando o volume de postagem

O nosso blog já existia desde 2013 e tem um altíssimo volume de conteúdos. Além disso, passamos a enfrentar diversos concorrentes no campo de batalha que são as páginas de resultados do Google.

Foi nesse tivemos que expandir o leque de conteúdos que abordávamos. Apostamos em:

Se não bastasse o desafio de manter um blog com tantos conteúdos rodando, e tendo novas ideias de palavras-chave, ainda decidimos aumentar o nosso volume de postagem.

Em 2016 passamos a publicar 2 vezes por dias, todos os dias. Eram 14 conteúdos por semana.

Esse era um pedacinho da nossa planilhas com as metas mensais do blog:

metas do blog

(Jerê é meu apelido, apenas a título de curiosidade)

Não foi fácil, mas abriu nossos olhos para muitas oportunidades de conteúdos que não havíamos percebido até o momento.

Atacando e se defendendo

Como eu mencionei, 2016 foi o nosso ano de maior maturidade no que diz respeito à Arte da Guerra.

Começamos a analisar e acompanhar os nossos concorrentes (orgânicos e não de negócio) pelas páginas do Google muito mais de perto. Percebemos que muitos deles estavam nos atacando (tentando roubar nossas posições) e foi aí que desenvolvemos táticas de ataque e de defesa.

Vamos ver algumas das principais práticas.

Defesa:

  • Atualização e otimização de conteúdos importantes.
  • Acompanhar os conteúdos dos concorrentes e se certificar que os nossos eram melhores.
  • Campanhas de link building.

Ataque:

  • Encontrar as palavras-chave que os concorrente têm e nós não.
  • Encontrar as palavras que eles rankeiam melhor.
  • Otimizar e atualizar os conteúdos.
  • Campanhas de backlinks focadas em links que eles têm e nós não.

Hoje em dia são coisas absolutamente naturais dentro da nossa estratégias, mas em 2016 foi um grande ganho de maturidade e mais um avanço na nossa estratégia.

Toda essa maturidade nos ajudou a conquistar um dos nossos maiores cases de sucesso:

O Blog post de Meio Milhão de Reais

“Marketing de Conteúdo gera resultados mesmo?”

“É possível gerar receita com um blog?”

Se essas dúvidas ainda pairam sobre a mente de muitas pessoas nos dias atuais, imagina em 2016, quando a estratégia ainda não era tão popular como é atualmente.

E foi nesse ano que produzimos um dos nossos mais incríveis cases, a resposta para essas perguntas, o argumento perfeito para qualquer objeção de vendas:

Como um único blog post nos gerou 500 mil reais em receita!

O caso é incrível, nele contamos como conquistamos o primeiro lugar para a principal palavra-chave do mercado: Marketing Digital.

E ela permanece em primeiro até o dia de hoje.

Em julho de 2016 esse post já havia rendido mais de meio milhão de reais. Em 2017 fizemos uma atualização dele, que já era o post de 2 milhões de reais!

E a contagem vem crescendo desde então. Hoje, nosso blog post já nos rendeu mais de 5 milhões de reais!

O interessante desse caso é que lá atrás nós usamos a estratégia de Topic Clusters, antes mesmo de ser famosa. Usamos as palavras long tail para tópicos dentro do conteúdo e para a criação de posts satélites:

palavras-chave satélites

O conteúdo passou por algumas atualizações e algumas campanhas de aquisição de links e conquistamos o primeiro lugar.

Esse processo aconteceu durante o ano de 2015 e no começo de 2016, o ano em que o conteúdo se consolidou como uma das principais fontes de aquisição da Rock.

Podemos resumir 2016 como um ano de amadurecimento e principalmente de consolidação da estratégia.

Mas 2017 ainda reservava alguns dos momentos mais incríveis da história do nosso blog, e o meu case preferido…

Quem é Rock Content: se tornando o maior blog de Marketing Digital do Brasil

Começamos o ano de 2017 vivendo um excelente momento. O blog vinha com um crescimento incrível e a nossa estratégia cada vez mais consolidada.

Neste ano, evoluímos mais o nosso visual e ele se aproximou bastante ao que o blog é hoje:

template do blog da rock em 2017

Se em 2016 aprendemos a “Arte da Guerra” do SEO, em 2017 colocamos em prática contra alguns dos nossos maiores concorrentes.

Além disso, conseguimos manter o crescimento do blog e praticamente dobramos o tráfego novamente.

É claro que aqui se aplica a mesma situação do ano anterior, dobrar 10 mil acessos é muito mais simples do que dobrar 200 mil.

trafego do blog 2017


Finalizamos 2017 com um pico de 700 mil acessos no nosso melhor mês e quase dobrando novembro do ano anterior.

tráfego do blog em 2017

Como chegamos a números tão incríveis no final de 2017? O que mudamos em nossa estratégia para manter um crescimento tão alto?

Para começar, se o nosso volume de conteúdo era alto, ele passou a ser ainda maior.

As duas principais estratégias que usamos foram:

  • Topic Clusters (na época ainda não tinham esse nome legal da Hubspot).
  • Lacunas de Palavras-chave.

Vou explicar melhor…

Conquistando o maior volume de Palavras-chave possível

Em 2017 li, no mesmo dia, dois conteúdos excelentes falando sobre o futuro do Marketing de Conteúdo.

Esse post da BuzzSumo que afirmava que o futuro do Marketing de Conteúdo seriam conteúdos menores e em maior volume.

E na sequência li a resposta a esse conteúdo no blog da Moz. Aqui, dizia que o futuro do conteúdo também eram conteúdo menores, porém em menor volume.

A principio eu concordei mais com a Moz, porém discordava dos dois. Pra mim, o futuro eram conteúdos maiores. Especialmente se pensamos em rankear no topo do Google.

Diversos estudos (da época e atuais) mostram como rankear no topo do Google, em média, exige conteúdos mais longos. Como esse exemplo do estudo do Backlinko.

gráfico backlinko

Portanto, na minha cabeça, não fazia muito sentido.

Mas acabei descobrindo que eu estava errado. Pelo menos parcialmente.

É claro que os conteúdos maiores e mais completos seguem sendo os que tendem a rankear melhor no Google. Especialmente para temas que demandam explicações maiores e conteúdos bem abrangentes.

Mas eu gosto de ver tudo na prática. E pouco tempo depois começamos as estratégias que mencionei, de long tails, topic clusters e atacando os conteúdos que nossos concorrentes tinham e nós não.

A verdade é que existem muitos conteúdos que não demandam um volume de palavras tão alto. Afinal, o tamanho ideal é aquele que responda de forma completa a dúvida da persona!

Geralmente, em estratégias de conteúdo, as pessoas investem em palavras muito disputadas, sem perceber que rankear em primeiro para várias palavras-chave menos disputadas pode gerar mais tráfego do que rankear em quinto para uma head tail de alto volume.

Veja a taxa de CTR nessas SERPs:

 taxa de CTR em SERPs

Ou seja, termos específicos tendem a receber muitos cliques.

A ideia então é investir nessas palavras. Veja esse exemplo com long tails para a KW “empreendedorismo”

Print retirado do Key Word Magic Tool da Ferramente SEMrush

Print retirado do Key Word Magic Tool da Ferramente SEMrush

Foi esse tipo de palavras-chave que começamos a atacar. Palavras que nossos concorrentes não estavam olhando.

Um bom exemplo foi com os 4 Ps do Marketing:

4 Ps do marketing

Além de rapidamente chegarmos ao topo para as duas últimas, elas fortaleceram o nosso post de 4 Ps.

Isso mostra como as long tails estão diretamente relacionadas aos Topic Clusters, criando uma rede de conteúdos que geram tráfego e fortalecem as head tails.

O outro método também utilizado foi identificar as lacunas de conteúdo com os nossos concorrentes. Para isso usamos o SEMrush.

Na ferramenta temos a opção de identificar os conteúdos que o concorrente tem e nós não:

lacunas de palavra-chave

E depois selecionávamos as exclusivas deles:

lacuna de palavra-chave

Dessa forma, ficava fácil identificar excelentes oportunidades de conteúdo, além de evitar que os concorrentes abordassem temas que nós não abordávamos.

E nós não nos limitamos apenas a concorrentes diretos no nosso mercado, descobrimos outras possibilidades de conteúdo em blogs sobre vendas, mídia paga, publicidade etc.

Aumentando a nossa gama de temas abordados, claro, que fossem do interesse da nossa Persona.

Multiplicamos o número de palavras-chave indexadas e melhoramos (e muito) os rankings das nossas principais palavras com isso.

Esse case é tão importante para nós que até hoje utilizamos essas estratégias. Apesar disso, ele não é o meu case preferido de 2017.

Afinal, neste ano recebemos um investimento muito interessante no nosso blog. A melhor parte, o investidor não sabia que estava investindo nele!

Obrigado, Neil Patel

Fevereiro de 2017 ainda é o meu mês preferido nos meus 5 anos de Rock Content.

E isso se deve principalmente ao Case que eu mais tive prazer e orgulho em escrever: Obrigado, Neil Patel.

Se você não sabe quem ele é, calma! Eu explico.

Neil Patel é um dos mais populares nomes do Marketing Digital no mundo. Se não for o maior!

Ele tem um conteúdo falando sobre a estratégia de internacionalização dele e por que ele resolveu atuar em outros países.

Enfim, fato é que Neil resolveu entrar no Brasil. Mas, por não ser mineiro, não quis entrar aos poucos comendo pelas beiradas. Patel já chegou dando uma voadora de dois pés no mercado.

Primeiro ele começou com uma polêmica estratégia, além de enviar uma mensagem para o Peçanha dizendo que roubaria o nosso primeiro lugar para a palavra-chave Marketing Digital.

Neil Patel e Peçanha

E o pior de tudo… ele realmente conseguiu.

Durou dois dias, mas ele conseguiu.

Esse gif ilustra a experiência do Neil com a primeira posição para “Marketing Digital”.

Mas voltemos onde ele começou a sua controversa campanha “Quem é Neil Patel”, despertando a curiosidade do público brasileiro.

Não preciso explicar muito, mas a campanha se resumia a isso:

A ideia dele era fazer que as pessoas buscassem pelo seu nome e chegassem ao conteúdo dele:

quem é neil patel

Foi aí que decidimos contra-atacar.

Não iríamos ficar parados enquanto o Neil tentava roubar nosso blog post de milhões de reais.

Foi aí que eu escrevi um conteúdo: Quem é Neil Patel, um post que explicava muito melhor quem ele era do que o próprio site dele.

Em fevereiro de 2017 ele voltou com a campanha (que começou no finalzinho de 2016), dessa vez de forma menos polêmica, utilizando celebridades e influenciadores no Instagram.

larissa manoela

Tivemos um grande Boom de tráfego.

boom neil patel

Esse print é em um único momento durante o dia! Eram mais de 330 pessoas dentro da mesma página do blog.

No final de fevereiro tivemos mais de 75 mil visualizações da página.

tráfego neil patel

64 mil vieram do orgânico. E, no dia de maior acesso, tivemos mais de 9 mil visualizações de página.

É claro que o resultado dele foi ainda mais absurdo. Mas a gente não gastou dezenas de milhares para isso 😉

Mas a melhor parte não foi o tráfego, mas sim o que conquistamos depois.

Com a ajuda do Google Search Console chegamos ao título perfeito (eu explico melhor no case original):

quem é neil patel?

E depois de algumas campanha de divulgação em Social e campanhas de aquisição de links, conquistamos algo que parecia impossível:

busca por neil patel

O primeiro lugar para o nome dele!

Para você entender melhor como conquistamos esse resultado incrível e ler a história com mais detalhes, te aconselho a conferir o post:

Obrigado Neil Patel, como o Guru do Marketing Digital investiu (sem querer) no meu blog!

Apenas para fechar esse case resumido de forma alegre, deixo aqui aquele famoso meme sobre copia, mas não faz igual: (reveja o título dele na imagem anterior)

  • Alô, André? Aqui é o Patel
  • Oi Patel! Tudo bom?
  • Tudo ótimo! Sabe o título do trabalho, posso copiar o seu?
  • Claro! Copia, só não faz igual!
  • Claro!
busca por neil patel

Mudando o foco: tráfego é métrica de vaidade?

2018 começou a todo vapor!

Pelo nosso crescimento dos últimos anos era fácil de imaginar que terminaríamos este ano com quase 1 milhão e meio de acessos por mês.

Infelizmente, não foi o que aconteceu. O ano de 2018 talvez tenha sido um dos mais difíceis que tivemos no blog. Porém, foi o ano que tivemos uma percepção muito maior de como impactar as receitas da empresa.

Não terminamos com um crescimento ruim:

tráfego do blog em 2018

Finalizamos o ano com 940.000 acessos mensais. O problema é que o nosso mês de outubro, que foi o melhor do segundo semestre, foi um pouco pior que o mês de maio.

Ou seja, desde maio que não conseguimos superar o nosso tráfego mensal.

Diversos fatores impediram esse crescimento. Muitas mudanças na equipe, alguns erros de planejamento e, principalmente, a nossa mudança de foco.

Em vez de ficarmos tão focados em tráfego, passamos a olhar para as conversões como nunca olhamos antes.

Como nós vimos nos cases anteriores, o nosso blog já era a nossa principal fonte de geração de leads e de aquisição de clientes.

Porém, em 2018 nós percebemos que não estávamos aproveitando todo o potencial de negócio que o nosso blog tinha.

Sempre fomos apaixonados com SEO e sempre colocávamos metas de tráfego que pareciam inalcançáveis, mas a gente acabava batendo. Gerar tráfego era absolutamente natural para nós.

Mas de que vale você ter um milhão de acessos se ninguém vai comprar com seu produto/serviço? O que você prefere:

  • 1 milhão de acessos gerando 1 cliente;
  • mil acessos gerando 4 clientes.

Por mais que seja difícil admitir, ainda mais para nós que sempre fomos tão focados em tráfego, mas em alguns casos — talvez na maioria — tráfego é sim uma métrica de vaidade.

De nada adianta gerar um enorme número de visitas no final do mês se você não consegue gerar vendas com eles ou se esse tráfego não tem nenhum impacto para o sucesso do seu negócio.

Por isso, neste ano, tiramos um pouco do nosso foco em aumentar bastante o nosso tráfego e focamos em otimizar os nossos pontos de conversão dentro do nosso blog.

Foram várias estratégias novas focadas em conversão, por exemplo:

Formulários para download de posts com o plugin de conversão que nós criamos, o Rock Convert

Conteúdos com versão em áudio com a sensacional ferramenta Vooozer.

class=

Box com links em destaque, fazendo ofertas:

biblioteca

Começamos a usar o Pushnews

assinatura de push

Criação de novas ferramentas como o gerador de assinatura de emails:

gerador de assinatura

Criação de templates para download dentro de posts:

templates para download

Formulários para ebooks e outros materiais diretamente dentro do post:

formulário de download de ebook

Entre vários outros métodos.

O principal de tudo foi revisitar quase todos os nossos posts do blog, começando pelos 100 mais acessados e identificando oportunidades de adicionar pontos de conversão.

Aí adicionamos banners, CTAs em texto, ferramentas, templates etc. sempre que encontrávamos boas oportunidades nos nossos conteúdos.

Se o tráfego não cresceu tanto quanto gostaríamos, no final de 2018 conseguimos melhorar muito as nossas conversões, terminando o ano com um sentimento de dever cumprido.

Mas com um sentimento de que poderíamos ter feito muito mais.

Gostaríamos de ter finalizado o ano com muito mais que 1 milhão de acessos, mas foi, sem dúvidas, um aprendizado necessário e importante para o futuro.

E, pensando em superar esse tráfego e utilizar todo o potencial que temos como blog e empresa, no final de 2018 tomamos uma decisão que mudou tudo…

O bom filho à casa torna

Já me perguntaram várias vezes: devo criar um blog no mesmo domínio que o meu site ou em domínios separados.

Em quase 99% das vezes a resposta é: no mesmo domínio! Por diversos motivos:

  • fortalecer duas marcas diferentes no mercado;
  • diluir sua autoridade de domínio;
  • aumentar o potencial de conversão.

Mas nós, pelos motivos que expliquei no começo dessa linda história disfarçada de blog post, possuíamos o blog e o site em domínios separados.

Se o principal motivo era disseminar o termo e a estratégia no mercado, no final de 2018 esse objetivo já estava absolutamente concluído:

visão geral do blog marketing de conteúdo

Portanto, era hora de combinarmos os dois domínios tão fortes que nós já tínhamos e trazer o Marketing de Conteúdo de volta pra casa. Voltando para o seu endereço antigo de blog da Rock!

migração do blog da rock

Os principais motivos para a nossa migração foram:

Fortalecimento da marca Rock Content

Como eu mencionei, nos domínios diferentes acabam criando duas marcas diferentes. O Marketing de Conteúdo já era uma marca própria, e apesar de muitas pessoas já ligarem o blog à Rock, muita gente não fazia essa conexão.

Aliás, muitas pessoas conheciam o blog antes mesmo de saber que existia uma Rock Content.

Autoridade do domínio

Um dos principais motivos para não se criar dois domínios para uma mesma marca é justamente não dividir os resultados dos esforços.

Quando você tem dois domínios você precisa fortalecer os dois, divulgar os dois, conseguir backlinks para os dois… e quando você recebe 50 links em cada domínio, poderia receber 100 em apenas um.

Por muito tempo nós diluímos a nossa força e mesmo assim construímos dois domínios fortíssimos.

No final de 2018 decidimos, então, combinar os dois domínios e tornar o rockcontent.com ainda mais forte.

Internacionalização

Provavelmente o mais importante de todos os motivos para a migração do domínio é a nossa internacionalização.

A Rock Content já é uma empresa internacional com uma grande presença em LATAM. Só para se ter uma ideia o nosso blog espanhol já atingia mais 600 mil acessos por mês.

Em breve teremos a nossa versão em inglês também e, claro, o ideal é que tudo isso esteja em apenas um domínio multilingue.

Para entender melhor a migração e esses motivos (além de outros motivos importantes para tomarmos a decisão) confira o post completo onde eu explico por que migramos o maior blog de Marketing Digital do Brasil.

Após essa migração chegamos ao ano de 2019 e à nossa complicada missão de recuperar o tráfego e algumas posições perdidas por conta da migração.

A queda é absolutamente natural e estamos retornando aos nossos melhores dias.

O blog da Rock

Começamos 2019 sofrendo um pouco, afinal, após a migração, vimos um começo de ano até inferior ao início de 2018.

Mas já na última semana de março fizemos uma das melhores semana da história do blog, chegando a quase 220 mil acessos.

tráfego 2019

O que nos enche de esperança que já nos próximos meses bateremos a casa dos milhões e até o final queremos dobrar o nosso tráfego atual.

Claro que será uma missão bem complicada.

E tudo isso, focados em ter conteúdos que convertem e geram resultados reais para a Rock. Além de, claro, seguir sendo um case de sucesso e crescimento para educar o nosso mercado e principalmente os nossos clientes.

Temos vários planos para este ano e espero escrever mais alguns cases contando tudo o que conquistamos e as estratégias novas que fizemos.

Essa é a história do Marketing de Conteúdo/blog da Rock Content. Uma história que nos ensinou muito e que tenho certeza que pode ensinar muito para você também.

Para continuar acompanhando essa história, assine o nosso feed e acompanhe diariamente os nossos conteúdos, a evolução das nossas estratégias e os nossos próximos cases.

Que a história e o crescimento continuem…


100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *