Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 8 de agosto de 2019. | Atualizado em 20 de dezembro de 2019


Entenda como a inovação disruptiva tem revolucionado mercados e causado grandes repercussões no comportamento dos consumidores.

No momento em que uma marca muito popular de câmeras fotográficas optou pela transformação digital em vez de continuar com a fotografia analógica, todo o mundo da fotografia mudou. Isso é tecnologia disruptiva.

Quando uma empresa decidiu substituir o teclado do telefone celular por uma tela digital, o mundo da telefonia mobile foi revolucionado. Quando outra companhia criou uma plataforma para assistir séries de TV e filmes pela Internet, o lazer nunca mais foi o mesmo.

O mesmo aconteceu na área das telecomunicações, quando uma plataforma para enviar mensagens pela Internet foi criada. Tais ações conscientizaram as pessoas de que o mundo passa por mudanças drásticas e constantes. Os avanços tecnológicos estão na ordem do dia, especialmente no campo digital.

O que hoje é novidade pode ser obsoleto em algumas semanas. Nessas circunstâncias, é importante ter a ousadia de sair de esquemas evolutivos e adotar inovações disruptivas.

Neste artigo você vai ver:

O que é inovação disruptiva?

É a transformação de um serviço ou produto em algo novo. Ao pensar em inovação disruptiva, estamos nos referindo às tecnologias ou modelos que provocam mudanças drásticas. Essas tecnologias acarretam uma diminuição radical de serviços ou produtos que já estão posicionados ao grande público.

O termo foi inventado por Clayton Chistensen, professor da Universidade de Harvard, nos anos 90.

Em outras palavras, tecnologias disruptivas são aquelas que resultam em mudanças profundas ou que trazem uma transformação total em um setor industrial ou empresarial. São exequíveis, abrem caminhos para novas práticas de maneira rápida e fácil e buscam eficiência e acessibilidade.

O processo afeta o relacionamento do consumidor com o negócio ou empresa, pois os clientes buscam soluções para suas necessidades de maneira rápida e fácil e as empresas fornecem resultados por meio de novas tecnologias.

Para as empresas, no entanto, essas transformações criam a necessidade de concorrer sob parâmetros de destruição criativa. Isso significa que toda inovação traz a destruição ou a substituição da antiga forma posta.

O que causa a redefinição contínua dos mercados que jogam com novas regras ou regulamentos, uma vez que empresas e clientes estão constantemente procurando “o novo”.

O que caracteriza um produto ou serviço disruptivo?

As inovações disruptivas são, inicialmente, muito mais em conta do que serviços ou produtos estabelecidos. Isso acontece porque elas visam um público de menor poder aquisitivo que não é levado em consideração pelas empresas já posicionadas.

Isso significa, além de um investimento inicial mais baixo, a possibilidade de expandir o mercado a limites nunca antes vistos, graças ao uso das novas tecnologias. Elas promovem a criação de mercados propiciando a geração de novas ideias capazes de mapear novas necessidades aos consumidores.

Embora não seja uma regra, os serviços disruptivos estão intimamente relacionados ao mundo digital. Tratam-se de serviços muito mais adaptáveis, não apenas no nível da empresa, mas também para os consumidores.

Com a simples navegação na internet por meio do telefone celular, as pessoas já podem alugar um quarto, um carro, pedir comida, fazer pagamentos e ter acesso a programas de televisão ou filmes. Em outras palavras, temos usuários autônomos.

Como consequência dessa maior autonomia dos consumidores, é natural que surjam novas oportunidades de inovação; portanto, as tecnologias disruptivas geralmente resultam na quebra de paradigmas direcionados às novidades.

É preciso levar em consideração que graças às tecnologias disruptivas as empresas competem no mercado de maneira muito mais ampla; não apenas localmente, mas também de maneira internacional, de modo que a busca constante por inovação é uma prioridade.

Como a transformação digital colabora para esse processo?

A transformação digital é uma peça-chave para entender o processo de qualquer inovação disruptiva, pois ambas geram um grande impacto na sociedade — e costumam trabalhar juntas.

Graças ao alto nível tecnológico com o qual vivemos, as pessoas mudaram seus hábitos de consumo, os serviços hoje são mais eficientes e rápidos, e os clientes mais exigentes. Isso favorece o aumento das inovações disruptivas.

Toda empresa precisa se perguntar sobre o uso de tecnologias para criar novos espaços que atendam às necessidades dos clientes. Você deve pensar em uma tecnologia amigável e muito mais acessível que a tecnologia da sua concorrência.

Tanto a transformação digital quanto as tecnologias disruptivas permitem o desenvolvimento de produtos mínimos viáveis ​​(MVPs), ou seja, facilitam a criação de soluções para qualquer problema que um consumidor possa ter em um produto ou serviço digital.

Já foi mencionado que os serviços digitais incentivam o empoderamento dos clientes, portanto, garantir uma experiência agradável é fundamental.

As novas ferramentas digitais permitem segmentar e monitorar o público de maneira personalizada e, por sua vez, identificar áreas de oportunidade quase que imediatamente para a melhoria do produto ou serviço.

As vendas e o atendimento ao cliente são totalmente adaptados ao gosto dos consumidores, de modo que o desenvolvimento tecnológico geralmente atrai experiências agradáveis.

Até agora vimos como a tecnologia pode ser e como ela cria espaços para inovações disruptivas; no entanto, essa não é a única maneira. É hora de falar sobre empatia.

É essencial que as empresas pensem num modelo de negócios focado no entendimento profundo das necessidades dos clientes por meio da vinculação de produtos e serviços disruptivos. O design thinking, por exemplo, surgiu dessa necessidade. Lembre-se de que não se trata apenas de inovação tecnológica, mas também de revolucionar ideias.

Você também pode se interessar por estes outros conteúdos!
👉 O que é Assessment e como usar esse método no seu negócio?
👉 XaaS: o que é e as vantagens do modelo Everything as a Service
👉 Lean Innovation Management: o que é e como aplicar esse método?

Quais os Exemplos de sucesso de inovação disruptiva

Sabe-se que a Internet revolucionou drasticamente as relações de consumo entre pessoas e negócios. Atualmente, a maioria dos consumidores possui vários dispositivos com acesso à Internet; esses aparelhos são ótimos exemplos de tecnologias disruptivas.

Smartphones, TVs inteligentes, tablets e laptops são apenas consequências de ideias revolucionárias. Por meio desses dispositivos, os consumidores podem acessar vários serviços ou produtos, e suas necessidades podem ser atendidas ao alcance de um “clique”.

Os clientes podem acessar serviços de transporte ou hospedagem como Uber e Airbnb ou, também realizar compras em plataformas como Amazon ou E-bay.

Portanto, observamos que os modelos de negócios também mudaram. Um ótimo exemplo disso é o modelo SaaS (Software como Serviço), no qual as empresas usam software com um único servidor para oferecer um serviço online.

Também podemos mencionar os serviços de streaming — como Netflix e Spotify — que oferecem músicas e séries ou filmes para entretenimento em troca de uma taxa mensal. Nesse modelo, a empresa não cobra as músicas ou as séries de televisão, mas o uso da própria plataforma.

Os cases de sucesso são cada vez mais numerosos a ponto de ser impossível mencionar todas elas. Hoje, as pessoas têm a oportunidade de desenvolver negócios em suas casas, graças às tecnologias disruptivas. Não satisfeitos com isso, elas podem ir ainda mais longe.

O sucesso de um negócio não requer mais um grande investimento, nem é exclusivo de monopólios ou grandes empresas. Empresas e consumidores precisam apenas de uma ideia inovadora e das ferramentas certas para criar uma mudança de 360° no mercado.

As relações com os consumidores foram mais do que afetadas por tecnologias disruptivas — elas foram completamente transformadas. Os processos de compra são muito mais rápidos e simples, o que levou os clientes a buscar maior conforto e aumentar sua demanda.

Surgiram novos espaços para inovações disruptivas que resultam em novas tecnologias para produtos ou serviços.

Ao introduzir novas propostas, a realidade de um mercado consumidor foi redefinida, onde os modelos de negócios evoluíram e abordaram novos mercados emergentes na criação de novas formas de relacionamento com o cliente.

Os benefícios das tecnologias disruptivas são numerosos para empresas e consumidores; eles são mais baratos, práticos e simples de adquirir. No entanto, novas tecnologias e métodos trazem desafios que todo empreendedor deve considerar.

Negócios ou empresas devem ser constantemente renovados e devem fazer isso de maneira inteligente. Tanto as marcas já estabelecidas como aquelas que acabaram de surgir devem fazer parte da vanguarda se desejam se posicionar.

A tecnologia disruptiva pode trazer vantagens e benefícios competitivos. Para detectar novos espaços de inovação é necessário ter:

  • criatividade;
  • observação;
  • conhecimento de análise e uso das ferramentas existentes.

Basta olhar para o mundo para perceber que tanto empresas como usuários estão constantemente inovando.

Empresas e serviços como Apple, Facebook, Skype, Amazon, WhatsApp, Uber, Netflix, Spotify e Airbnb são apenas alguns exemplos que revolucionaram o mercado e encontraram um lugar no cotidiano das pessoas. É uma questão de usar inteligência, ser criativo e ousado.

Você já tem um negócio ou está pensando em abrir um? Deseja saber mais? Além de uma excelente atitude, é necessário que você se mantenha informado. Nós podemos ajudá-lo! Continue com a gente e saiba muito mais sobre projetos de inovação.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *