Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 8 de abril de 2019. | Atualizado em 1 de abril de 2020


As 4 categorias de produtos e como trabalhar sua precificação no lançamento

Quando uma empresa está prestes a lançar um produto, ela precisa definir como trabalhar a relação preço versus promoção para que consiga não só repor os gastos com desenvolvimento, distribuição e divulgação, mas também mostrar flexibilidade em relação à aceitação do cliente final, dos distribuidores e, finalmente, virar um sucesso.

Por todos esses motivos, essa é a etapa mais complicada na vida de um produto e mesmo de uma empresa.

Assim, passamos abaixo algumas estratégias para relacionar preço e promoção ao lançar um produto.

Confira e aplique!

A escolha do preço do lançamento de produto

O preço de lançamento de produto pode ser modificado, depois de certo tempo.

Mas é interessante que, ao lançar o produto, ele seja mais atrativo para o cliente de forma que desperte seu interesse.

Mesmo que a margem de lucro não seja tão alta, o preço mais baixo pode ser o primeiro passo para conquistar clientes e permitir que o negócio vá em frente.

Como se sabe, preços mais baixos serão sempre grandes diferenciais – principalmente, em épocas de crise econômica, onde as necessidades são as mesmas (ou maiores), mas o dinheiro é mais escasso, circulando menos.

A fórmula geral de cálculo

Existe uma fórmula geral para cálculo de preço unitário que você pode usar, desde que entenda todos os componentes dela. Veja abaixo:

Preço de venda = custos + mark-up

Como se vê, o preço de venda é considerado o resultado da soma de 2 elementos:

  • Custos;
  • Mark-up.

Custos

Entendamos primeiro o conceito de custos e o que ele abrange. Os custos costumam variar conforme um dos três setores principais da economia urbana: comércio, prestação de serviços e indústria.

No comércio, os custos envolvem o valor pago pela mercadoria mais os outros gastos relacionados à aquisição dela, como fretes e impostos.

No âmbito da prestação de serviços, os custos abrangem mão de obra direta e outros ligados à prestação do serviço, como telefone e combustível.

Já na indústria, os custos envolvem:

  • Materiais diretos (usados diretamente na produção da mercadoria);
  • Mão de obra direta (pessoas que fabrica o produto);
  • Custos indiretos de produção (outros funcionários, aluguel, manutenção, segurança, serviços de água, luz e telefone e assim por diante).

Se sua empresa tanto produz quanto vende mercadorias, fique de olho nos componentes certos.

A mesma coisa para empresas que vendem e prestam serviços ou, ainda, produzem, vendem e prestam serviços.

LEIA TAMBÉM
👉Confira tudo que você precisa para criar o site da sua empresa
👉 Saiba o que é banco de dados e a importância dele para o seu site
👉 Crie um blog para o seu negócio usando o Rock Stage

Mark-up

Mark-up se refere aos valores estimados com gastos que não puderam ser embutidos nos custos, mais a margem de lucro desejada pelo empreendedor.

Nesse caso, o mark-up envolve a soma da margem de lucro mais despesas administrativas gerais, impostos pagos sobre vendas, comissão sobre as vendas e outras coisas.

Outros pontos a considerar

Tudo bem. Você definiu bem seus custos, somou mais o mark-up e chegou a um resultado. Terminou? Talvez.

É preciso analisar qual volume de mercadorias você consegue vender por esse preço.

Caso consiga vender muitas unidades de seu produto, mesmo com uma margem de lucro baixa, talvez haja compensações.

É melhor do que definir uma margem de lucro alta demais e ver seu produto permanecer na prateleira.

É preciso também considerar o preço oferecido pela concorrência.

Se o preço de seu produto, que está entrando agora no mercado, for superior ao preço dos produtos oferecidos pelas outras lojas, alguma coisa pode estar errada.

É preciso voltar à formula geral e confirmar se todos os custos foram calculados corretamente, se o mark-up foi efetuado da forma certa.

Talvez, a empresa tenha realizado pagamentos além da conta; talvez, seus gastos tenham extrapolado os limites; talvez, seja possível reduzi-los.

A margem de lucro

E muito cuidado com a margem de lucro definida.

Para quem está começando, o recomendável é manter-se com uma perspectiva de lucratividade dentro da média do mercado.

A não ser que deseje investir bastante em publicidade, em serviços agregados, em diferenciais no próprio produto a fim de que o consumidor aceite pagar mais por uma mercadoria que pode ser comprada a preço menor em outras lojas.

O ideal é que tudo que você fature com o preço definido e com os volumes vendidos seja suficiente para cobrir todos os gastos e dar um lucro satisfatório.

Não pense em ganhos exagerados logo no início: negócios exigem planejamento e paciência.

A melhor forma de promoção

No começo do post, falou-se sobre a estratégia de lançar seu produto por um preço mais acessível.

A promoção é uma das melhores formas de fazer isso. Você começa seu negócio com uma promoção específica e divulga da melhor forma possível.

A melhor promoção é aquela que realmente oferece algo vantajoso para o cliente sem ter que cair em prejuízo com isso.

Não aumente sua margem de lucro, defina um preço bem maior para o produto e ofereça uma promoção de 20% ou 30% de desconto.

Nesses casos, o valor do produto acaba não sendo tão atrativo para o cliente, que poderá comprá-lo pelo mesmo preço ou por outro bem menor na empresa concorrente.

Por isso, é sempre bom contrabalançar produtos, oferecendo grandes descontos em um, mas tendo outros para dar suporte e evitar prejuízos (ou seja, não ficar dependente das ofertas).

Claro que vender para ter prejuízos – principalmente para quem está começando, é bem desestimulante. Planeje-se antes de lançar seu produto no mercado.

A melhor promoção é aquela que atende as expectativas do cliente e gera lucros para o empreendedor.

Lembre sempre que, com uma promoção de verdade e um bom volume de produtos vendidos, você poderá ter bons lucros.

A relação entre preço e promoção

Para o consumidor, quando se fala em promoção, a primeira coisa que vem à cabeça é o preço mais baixo.

Sim, sem preço menor, dificilmente pode-se entender uma promoção.

No entanto, existem formas diferentes de trabalhar essa relação. Por exemplo, você pode oferecer uma promoção no estilo: pague 1, leve 2 ou pague 2, leve 4.

Pode também oferecer bônus em produtos e não dinheiro.

Digamos que você é um cabeleireiro e está se preparando para abrir sua primeira loja de produtos de beleza.

Você conseguiu comprar 50 escovas rotativas por um valor mínimo (por exemplo, em uma promoção para profissionais de beleza).

Decide fazer uma promoção de lançamento: cada cliente que comprar uma chapinha da marca X, recebe grátis uma escova rotativa. Isso será bom para você e para o cliente.

Você consegue lucrar e o cliente sai satisfeito, pois se fosse comprar a escova de forma independente, sairia bem mais pesado para ele (ou seja, ele está pagando menos pela escova + prancha do que se tivesse que comprá-las em outra loja).

Como se vê, seja diretamente ou indiretamente, a relação preço e promoção é indissolúvel.

A importância do preço e da promoção para o sucesso do lançamento de produto

Lançar um produto por um preço menor é importante para conseguir captar e fidelizar clientes, mesmo que o empreendedor já tenha muitos anos de experiência.

Para as pequenas empresas, é uma forma de aumentar seu potencial competitivo sem ter que arcar com grandes prejuízos – o importante, como sempre, é planejar antes de tudo e aplicar a fórmula básica de forma equilibrada.

Uma loja que vai abrir as portas amanhã, mas já vem anunciando com antecedência uma boa promoção está desenvolvendo um marketing eficiente.

Certamente, as pessoas ficaram curiosas em saber qual o tipo de promoção e estarão no lançamento para conferir.

As promoções costumam atrair muitas pessoas, principalmente quando se trata de eletrodomésticos, cama, mesa e banho, confecções, móveis.

Se você está lançando seu produto no mercado, ponha-se no lugar do consumidor e lembre que, a princípio, ele geralmente vai considerar como melhor preço aquele que for o menor.

Com o tempo, ele vai perceber outros valores (que o empreendedor sábio vai revelar durante a promoção): bom atendimento; qualidade do produto; diferenciais do produto e da empresa; serviços agregados e assim por diante.

Naturalmente, preço e promoção são decisivos para o sucesso do lançamento.

Isso não quer dizer que você não pode lançar um produto sem oferecer descontos, mas diante do cenário atual do mercado, suas chances de êxito serão menores.

Como a proposta do post é dar dicas das melhores estratégias, recomendamos sim que, ao fazer o lançamento de produto, você ofereça uma boa promoção (com descontos e ofertas que realmente valham a pena para o público).

O dia do lançamento, no qual sua empresa estará lotada por curiosos, atraídos pela promoção e conferindo os preços com os de outras lojas, é um momento valioso para você desenvolver uma relação duradoura com todos os clientes (e mesmo com os consumidores que não comprarem, pois ainda são clientes potenciais).

Aproveite as oportunidades, lembrando que, para o bom cliente, sempre devem existir boas promoções e preços melhores.

As estratégias são aplicáveis para qualquer tamanho de empresa, principalmente para as pequenas e médias que pretendem ampliar seus horizontes apesar das dificuldades.

Que tal apurar seus conhecimentos lendo mais um pouquinho de nosso blog? Leia mais sobre Como se inserir no mercado!

Powered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

24 respostas para “Conheça os 172 principais fatores de rankeamento do Google em 2020”

  1. Gestão Mídias Sociais MBA disse:

    I liked !

  2. […] Google e ver os resultados. Mas esse método tem vários problemas. Um deles, como sabemos, é que o Google não é igual para todo mundo. O segundo problema: apenas usando o Google, é difícil comparar o seu site com os concorrentes, […]

  3. […] para derrotar os adversários do Google. A otimização no algorítimo era voltada para diminuir o rankeamento de sites que desrespeitavam as regras do Google, e que com práticas ilícitas (chamadas de black hat) […]

  4. […] pela comunidade de “Mobilegeddon”) a Google realizou alterações significativas em seu modo de rankeamento de sites. A partir dessa data, as páginas que não disponibilizarem uma navegação amigável para […]

  5. […] E se você ainda fica um pouco perdido sobre quais métodos ou utilitários poderia usar para melhorar a eficácia de seu programa de marketing on-line, saiba que há boas soluções disponibilizadas na própria Internet. O Google, por exemplo, traz muitos recursos que as empresas não devem ignorar ou perder de vista. E a maioria deles de forma gratuita. Por acaso você sabia disto? Pois descubra algumas propriedades que vão ajudá-lo a melhorar a posição de sua empresa e como r… […]

  6. […] para motores de busca – visa potencializar e melhorar o posicionamento de um site no rankeamento das pesquisas no Google e outros sites […]

  7. […] nas primeiras posições nos mecanismos de buscas da internet. É exatamente para proporcionar boas colocações nos rankeamentos que investir em SEO (Search Engine Optimization) é tão importante. Em um primeiro momento as […]

  8. […] Lembre se que nem sempre você deve tratar como uma regra máxima tudo aquilo que o Google diz a respeito de SEO, mas de qualquer forma é importante saber qual é a posição pública do Google é em relação às estratégias que você deseja empregar para estar bem posicionado nos rankings de busca. […]

  9. […] Mas não se preocupe. Com as ferramentas do Google Search Console, você pode deixar seu site tinindo. Vai melhorar a velocidade com que as páginas carregam, conseguirá entender melhor de onde vem o tráfego, identificará defeitos na pintura do HTML, recauchutará a lataria dos links, turbinará a linkagem interna e também poderá acelerar o SEO, melhorando o ranqueamento de suas páginas. […]

  10. […] marketing digital é quase um clichê falar da importância do seu site estar bem posicionado nos rankings das ferramentas de busca, como o Google. Afinal, você tem um conteúdo (ou produto) e precisa que ele seja visto e […]

  11. […] seu público alvo é a sua colocação nos mecanismos de buscas. Portanto, se é do seu interesse melhorar o seu posicionamento no ranking dos principais mecanismos de busca será necessário investir em uma ferramenta chamada SEO Pessoal. Com ela você poderá atingir […]

  12. […] conteúdo para elas utilizando táticas de SEO é o que pode fazer com que seu site tenha um melhor rankeamento nos mecanismos de busca, fazendo com que seus clientes o encontrem mais […]

  13. […] Ledo engano, e qualquer pessoa que tenha um blog e entenda o mínimo de SEO sabe disso. Uma URL bem estruturada é um dos fatores preponderantes para que os motores de busca melhorem a qualificação de um site diante do rankeamento. […]

  14. […] SEO, em mais de uma maneira. Com este post pretendemos te mostrar como trabalhar os vídeos de modo a se destacar nos rankeamentos de busca. […]

  15. […] em termos de SEO. O próprio Google dá dicas valiosas sobre o que e não fazer para que seu site obtenha bons resultados em seu buscador e em cima disso muitas pessoas criam seus websites achando que seu projeto vai deslanchar […]

  16. […] será automaticamente o que alavancará suas métricas. O importante é que você saiba que o Google gosta de artigos que procuram explicar por completo um tópico ao invés de apenas falar superficialmente sobre os […]

  17. […] de conteúdo vai muito além do que simplesmente postar artigos em um blog. São necessárias ações de otimização para mecanismos de busca, compartilhamento em redes sociais, estudos sobre a área, […]

  18. Mihail Tipa disse:

    Excelente artigo. Dicas muito boas. Nos já usamos algumas destas coisas citadas neste blog no nosso site http://www.dezireimoveis.co…, mas ainda falta muito para ser feito. Obrigado pelas dicas.

  19. Sergio Antonio Meneghetti disse:

    Excelentes dicas! Grato pelo trabalho. Prosperidade!!!$$$

  20. Renan disse:

    Ótimas dicas, conteúdo de extrema qualidade apontei o seu artigo no meu blog http://renansouza.com/
    Obrigado por ter ajudado.

  21. Meninas vips disse:

    Parabéns pelo texto e conteudo do site, estou sempre online vendo as novidades, irei indicar para a redação do site para dar destaque para o seu site, muito bom parabéns. quero fazer meu site subir http://www.scortvips.com.br/

  22. Rock Content disse:

    Ei Jefferson. O mercado de SEO ainda é relativamente novo no Brasil. Especialmente o SEO de qualidade.
    Essas coisas ainda acontecem, mas a cada dia ficará mais difícil de se deparar com esse tipo de coisa. O Google pensa na experiência dos usuários.

    Por exemplo, se você procurar palavras-chave relevantes no mercado de marketing digital, dificilmente encontrará resultados que não são de blogs de qualidade como o marketingdeconteudo.com, resultados digitais ou viver de blog, por exemplo.

    Quando os conteúdos de qualidade começarem a ganhar força nos demais mercados, esse tipo de site tende a perder o seu espaço.

  23. Rock Content disse:

    Que bom que gostou João! Espero que te ajude bastante!

  24. Andre Mousinho disse:

    Que bom que gostou Sergio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *