Lean manufacturing: o que é e como se beneficiar do modelo de produção enxuta

Lean manufacturing: o que é e como se beneficiar do modelo de produção enxuta

O lean manufacturing ganhou popularidade e passou a ser o modelo de gestão dos sonhos dos pequenos e médios empresários. Essa metodologia ainda está na moda? Por que ela faz tanto sucesso? Como implementá-la na minha empresa? Quais resultados ela pode trazer? Confira as respostas para essas e outras perguntas a seguir!

O lean manufacturing se popularizou nos últimos anos, sendo uma referência especialmente para startups e empresas iniciantes.

A gestão enxuta propõe o aumento da produtividade por meio da solução de erros comuns nos processos empresariais e da diminuição de desperdícios dos mais diversos setores.

Mais antiga do que muita gente acha, a proposta surgiu no Japão, após a Segunda Guerra Mundial. Nessa época, fazer o máximo possível com o mínimo disponível era praticamente uma questão de sobrevivência.

Atualmente, os ensinamentos e conceitos dessa metodologia de gestão — que, para muitos, também é considerada uma filosofia — podem ser interessantes na criação de processos e fluxos de trabalho para empresas de diferentes tamanhos.

Ela também promete trazer vantagens até mesmo para a cultura organizacional da empresa, ao criar a mentalidade da melhoria contínua. Tudo isso ajuda a agregar valor ao produto final, além de trazer mais competitividade ao negócio.

Quer saber ainda mais sobre o tema? Então, você está no lugar certo! Continue com a gente, tire suas principais dúvidas sobre o lean manufacturing e veja como aplicá-lo em sua empresa.

O que é lean manufacturing?

Traduzido como empresa enxuta, o lean manufacturing é uma metodologia (ou filosofia) de gestão. Ela surgiu com a Toyota durante a década de 1950, no Japão, originalmente conhecida como Sistema Toyota de Produção.

No contexto do pós-guerra, era imprescindível otimizar processos e reduzir desperdícios.

Assim, o lean manufacturing prega uma produtividade inteligente e efetiva, de forma a aumentar o valor agregado dos produtos sem que isso aumente os custos da produção.

Recentemente, o termo e a metodologia voltaram à tona, em especial, por conta do livro “A Startup Enxuta”, de Eric Ries, publicado em 2011. Na obra, ele reforça como a ideia da Toyota pode ser aplicada a diferentes empresas, sobretudo, startups.

Para esse tipo de organização, ter uma alta produtividade e o mínimo possível de desperdício é fundamental, como é o caso do atual contexto de incerteza econômica no Brasil e no mundo. Assim, a gestão deve ser focada em agilidade, foco no cliente e diminuição dos custos na produção.

O que a metodologia se propõe a resolver?

Você já deve ter percebido que um dos principais objetivos da metodologia enxuta é aumentar a produtividade por meio da diminuição de erros e redução de desperdícios. Tradicionalmente, 7 principais fatores eram trabalhados.

As pesquisas mais recentes atualizaram esse número e passaram a identificar 8 fontes de desperdício que podem ser solucionadas com a adoção da mentalidade lean. Conheça cada uma delas a seguir.

1. Transporte

Esse item considera tudo que deve e precisa ser transportado em uma organização: pessoas, informações, matérias-primas etc.

Geralmente, essa movimentação não agrega valor ao produto final, ainda que, muitas vezes, seja necessária.

As dicas para reduzir esse desperdício incluem o planejamento estratégico do transporte, assim como a criação de uma disciplina com relação aos processos estabelecidos.

Dessa forma, é possível evitar gastos não programados e diminuir os imprevistos.

2. Movimentação

Esse item fala mais especificamente sobre a movimentação de pessoas. No contexto de uma fábrica, é fácil de imaginar a necessidade de se movimentar pela empresa — e o quanto isso atrapalharia o processo em uma fábrica desorganizada.

Trazendo para a realidade atual, podemos entender esse desperdício como aquela tradicional reunião que poderia ter sido um e-mail.

Tirar diferentes colaboradores de suas mesas, quebrar o raciocínio de uma atividade já iniciada e coincidir as agendas são exemplos de possíveis prejuízos dessa situação.

3. Inventário ou estoque

Em empresas de diferentes setores, o setor de compras é um dos principais gargalos quando o assunto é desperdício. Como garantir uma compra que não gere excesso de matérias-primas ou superlotação do estoque?

A produção por demanda é uma das principais soluções, assim como a adoção da metodologia Kanban. Você saberá mais sobre elas ao longo deste texto.

4. Espera

Maquinário parado é desperdício! Essa era a mentalidade do lean manufacturing em sua origem. Atualmente, podemos entender a espera como uma problemática também a colaboradores ociosos e matéria-prima parada.

Assim, para que a gestão seja considerada enxuta, é preciso ter um fluxo de trabalho muito bem definido, de forma que a composição do quadro de funcionários seja estratégica ao negócio.

5. Produção excessiva

Reduzir esse desperdício é uma forma de prezar pela qualidade e não pela quantidade. A produção excessiva pode gerar produtos finalizados parados em estoque — que, como vimos, também causa outros desperdícios.

Esses itens podem se tornar obsoletos e, além disso, a produção em larga escala pode trazer maiores defeitos ao que foi produzido. Aí, começa a bola de neve: isso pode aumentar as reclamações dos usuários, diminuir a credibilidade da marca e por aí vai.

6. Defeitos

Chegamos, então, ao desperdício causado justamente por conta de produtos defeituosos.

O retrabalho é uma realidade que afeta desde produções fabris às agências de marketing e publicidade. É preciso considerar que, em todos esses casos, não falamos apenas do desperdício de matérias-primas.

Pense na quantidade de energia, tempo e hora-homem que poderia ser economizada ou mais bem aproveitada? Novamente, conhecer os fluxos e prezar pela qualidade sobre a quantidade podem ser formas de reduzir esse problema.

7. Processamento excessivo

Neste item, consideramos todas as etapas da produção que não agregam valor ao produto final. É preciso fazer isso do ponto de vista do cliente, padronizando processos e critérios de qualidade.

O que a sua equipe faz que não repercute na entrega final ao cliente? As reuniões desnecessárias também podem ser trazidas aqui, assim como as entregas que vão além do que é solicitado e, certamente, você consegue pensar em outros exemplos.

8. Conhecimento

Este item diz respeito aos colaboradores da sua empresa. Será que você está aproveitando ao máximo suas habilidades e capacidades intelectuais, ou existe algum desperdício aí também?

Os retrabalhos e refações também podem ser encaixados aqui, assim como a ociosidade, por exemplo. Trabalhar a motivação dos funcionários e criar uma cultura de inovação é essencial para a redução desse desperdício.

Quais as vantagens de adotar a gestão enxuta?

Diferentes estágios de um processo de produção podem se beneficiar da gestão enxuta. Continue com a gente e conheça as principais vantagens dessa metodologia.

Correção de erros na fonte

Uma das principais preocupações da metodologia lean é diminuir desperdícios. Isso diz respeito a todo o processo de uma produção: matéria-prima, tempo, dinheiro etc.

Como consequência, é possível identificar os principais gargalos do negócio e agir para sua otimização.

Melhor atendimento ao cliente

Como a produção enxuta preza pela qualidade do produto ou serviço oferecido, uma de suas vantagens é que isso seja refletido no atendimento ao cliente.

A organização de fluxos e o mapeamento de processos garante que os colaboradores envolvidos nessa tarefa tenham todas as informações necessárias para o sucesso do contato.

Manual do Atendimento ao ClientePowered by Rock Convert

Melhoria na qualidade dos produtos

Como você viu, a premissa enxuta prioriza pela qualidade em detrimento da quantidade.

Produtos, serviços ou entregas livres de defeitos geram menos refações, clientes mais satisfeitos e — o que todo empreendedor realmente deseja — maiores lucros.

Maiores lucros

Além de possibilitar um maior volume de vendas devido à melhoria da qualidade do produto, adotar a estratégia lean pode trazer maiores margens de lucro ao seu negócio.

Afinal, você não só produz melhor, como também reduz gastos desnecessáriosautomatiza processos e otimiza a atuação dos seus colaboradores. 

Mudança da mentalidade dos colaboradores

O principal diferencial do lean manufacturing, com relação a outros modelos de gestão, é que não se trata de uma estrutura fechada.

Isso evita sua obsolescência com o passar do tempo e ainda incentiva uma mudança na cultura organizacional, realmente voltada a uma melhoria contínua de processos.

Produção flexível

Por não se tratar de um modelo fechado a 7 chaves, a produção enxuta também traz margem à flexibilização de fluxos e processos.

Com efeito, o que faz sentido hoje ao seu negócio pode não fazer amanhã. Negócios que enfrentam grande sazonalidade têm muito a ganhar com esse benefício, uma vez que podem reorganizar esforços de acordo com o momento das vendas.

Como implementar o lean manufacturing em uma empresa?

Sabemos que o lean manufacturing não vai ser adotado da noite para o dia. Mas, então, como adotá-lo em minha empresa? Duas ferramentas, também criadas durante o Toyotismo, podem ser de grande ajuda. Conheça-as a seguir!

Kanban

O Kanban é uma das ferramentas que surgiram juntamente com o Toyotismo e que facilitam a aplicação da produção enxuta.

Trata-se de um sistema de visualização, que pode ser criado de diferentes formas: em uma parede, por meio de post-its, em anotações em um caderno ou mesmo em planilhas ou softwares específicos.

A metodologia costuma dividir o fluxo de produção em 3: tarefas para serem feitas, sendo feitas e finalizadas. O termo “kanban” significa tabuleiro, em japonês.

Assim, uma peça só pode ser movida para a coluna seguinte quando houver disponibilidade. Além da gestão à vista, o fluxograma também costuma aperfeiçoar a comunicação entre os colaboradores.

Just in Time

Como o nome sugere, o Just in Time, é um sistema de administração que defende que os processos de compra, transporte e produção devem acontecer na hora exata em que a demanda surge. A principal consequência disso é, precisamente, a diminuição de desperdícios.

Mão de obra, equipamentos e matéria-prima ociosos são reduzidos, e é a demanda que determina a produção. Essa prática costuma ser aplicada, inclusive, por meio do Kanban, visto que uma etapa “autoriza” a liberação da seguinte.

Colocar a metodologia lean em prática pode não ser uma tarefa fácil. Não por acaso, é preciso ter uma visão geral do seu negócio e um conhecimento profundo sobre todas as etapas da produção, incluindo seus principais gargalos.

A transparência junto aos colaboradores pode fazer toda a diferença, especialmente, para facilitar a aceitação com relação a mudança de processos. Você pode começar com projetos ou áreas específicas.

Conforme as mudanças forem trazendo resultados, certamente, ficará mais fácil levar o lean manufacturing para todo o seu negócio.

Gostou do nosso texto? A gente espera que sim! Se você chegou até aqui, continue com a gente e veja também como aumentar a produtividade de uma equipe de marketing.

Central de ferramentas de marketing, vendas e gestãoPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo