Por Carlos Nascimento

Analista de Onboarding na Rock Content.

Publicado em 28 de janeiro de 2020. | Atualizado em 28 de fevereiro de 2020


Uma umas maiores dúvidas entre os proprietários de empresas de pequeno e médio porte é se elas podem ter sucesso com estratégias de Marketing de Conteúdo. Nesse texto nós vamos dar a resposta apresentando cases reais de clientes da Rock!

Uma pergunta muito recorrente que nós, especialistas em Marketing Digital, ouvimos com certa frequência é: pequenas e médias empresas podem obter sucesso com o Marketing de Conteúdo?

Logo de cara eu devo afirmar que não há uma “fórmula mágica”, afinal, o êxito da estratégia depende de muitas variáveis como a definição certeira da persona, a seleção de palavras-chave, a regularidade da produção de conteúdos e etc.

Entretanto, hoje, após ter implementando mais de 150 projetos de empresas desse porte, eu vim responder esse questionamento e apresentar quais características são predominantes entre as PMEs que atingem os melhores resultados com o Marketing de Conteúdo na Rock Content.

Ficou curioso? Então se prepare, pois, além de falar sobre esses pontos em comum entre os nossos clientes, neste post vou revelar exemplos reais de alguns deles que eu auxiliei no onboarding da Rock.

Vem comigo?

Engajamento e comprometimento com o projeto

O Marketing de Conteúdo é uma estratégia que exige persistência e muito engajamento, afinal, os resultados mais robustos costumam chegar a médio-longo prazo (não é uma regra!) e são necessárias várias ações, em múltiplos canais, para alcançar as metas traçadas.

E considerando esse contexto, algumas PMEs, por falta de tempo, mão de obra qualificada ou mesmo pela disponibilidade de recursos financeiros, acabam se comprometendo menos ou até desistindo do projeto.

Para se ter uma dimensão do quanto de esforço e participação são necessários, apenas na fase de onboarding da Rock, nós realizamos de quatro a oito encontros online com os clientes para construir a persona, estruturar a estratégia, configurar ferramentas, validar os primeiros blog posts e ensinar sobre promoção nas mídias sociais.

Puxado e cansativo? Não é o que acha o Bruno Santana, sócio proprietário da BMS Energia Solar. O Bruno, desde a primeira reunião do onboarding, sempre se mostrou muito interessado e engajado!

Entrava pontualmente no Hangouts para as conversas que eu agendava e executava regularmente as aprovações de pautas e artigos.

Quando finalizamos o onboarding, em tempo recorde, eu brinquei com o Bruno dizendo que ele merecia uma “estrela dourada” pelo comprometimento. 

Com a experiência que eu já havia acumulado até ali, sabia que se ele mantivesse aquele comportamento, somado à continuação da postagem de conteúdos no blog e divulgação (e impulsionamento) nas redes sociais, a BMS já daria os primeiros passos para colher bons frutos com o Marketing de Conteúdo.

Feedbacks e críticas construtivas

A Rock Content se tornou uma empresa global no final de 2019. Após a aquisição da ScribbleLive, nos transformamos em uma das maiores referências do mundo quando o assunto é Marketing de Conteúdo.

Porém, apesar de toda a experiência e know-howque adquirimos nestes últimos anos, se não houver uma troca frequente de informações entre a empresa contratante e nós, o projeto tende a não fluir bem, seja a Rock ou não, a melhor do segmento.

Diante disso nós buscamos sempre reforçar com os clientes que, uma vez que eles decidiram terceirizar a produção de conteúdos para a Rock, é essencial que tenhamos um período de investigação e adaptação para nos conhecermos melhor e alinharmos detalhes importantes como a linguagem dos conteúdos, estilo de imagem etc.

E foi sabendo de tudo isso que o Gabriel Martins e o Jonas Costa da SCADIAgro realizaram comigo um onboarding de muitos feedbacks e críticas construtivas. Desde as nossas primeiras conversas havia uma grande preocupação em acertar no direcionamento dos textos que iriam para o blog da SCADIAgro.

Começamos muito bem! A persona ficou bem completa, a primeira estratégia de conteúdo trimestral contemplou bons temas, nós conseguimos aprovar alguns artigos e iniciamos as publicações no blog.

Estávamos caminhando rápido com o projeto até que iniciou-se um momento crítico: alguns artigos que a Rock entregou para a SCADIAgro não corresponderam à expectativa do Gabriel e do Jonas e nós tivemos de “voltar algumas casas” para compreender o que ficou fora do esperado.

E eles, com toda a paciência do mundo, toparam realizar reuniões extras conosco para dar feedbacks, apontar o que não estava legal e para ajudar a entender quais redatores se mostravam mais alinhados.

O resultado foi muito bom! Após essas conversas de alinhamento, a Rock reescreveu os artigos, a qualidade foi retomada e a SCADIAgro finalizou o onboarding em noventa dias sendo, dentre os projetos que eu implementei, aquele com mais palavras-chave indexadas e maior compreensão de aumento de tráfego no site.

A Rock é especialista em Marketing de Conteúdo, porém, são os nossos clientes os especialistas nos seus segmentos de atuação, então, aqueles que se propõem a realizar conosco um trabalho “a quatro mãos” são os que alcançam de forma mais célere os objetivos de negócio e de marketing.

Confiança na metodologia e no Inbound Marketing

A Rock Content tem apenas sete anos de mercado, entretanto, mesmo sendo uma startup jovem, nós já atendemos mais de 1500 clientes e temos na nossa carteira nomes como Oi, Locaweb, Oracle, dentre outros.

Como eu disse, nos tornamos especialistas em Marketing de Conteúdo e desenvolvemos uma metodologia de trabalho com resultados comprovados, porém, talvez, haja um “vilão” que luta contra nós.

Até que um blog comece a indexar no Google, tenha um bom rankeamento orgânico e, de fato, inicie a geração de conversões de clientes, pode levar um tempo maior. Não porque a metodologia da Rock não funcione, mas por questões técnicas como o próprio algoritmo do buscador.

Diante desse cenário, alguns clientes, infelizmente, perdem a confiança no Inbound Marketing e optam por não dar seguimento com o projeto. 

Mas há também aqueles que, notando a nossa expertise durante as reuniões, “entregam” a nós a sua confiança e “abraçam” a estratégia, certos de que a hora de maximizar o número de clientes chegará, afinal, já nos primeiros meses da parceria, a Rock consegue provar a melhora de indicadores importantes como o crescimento do tráfego orgânico, por exemplo.

Esse é o caso da Ginast! Desde as primeiras mensagens trocadas surgiu uma grande sinergia entre nós e o diretor da empresa e, ele, confiante na metodologia da Rock e na estratégia desenvolvida, se engajou com o projeto e fechou o onboarding muito animado com as primeiras vitórias.

Juntos, desenvolvemos um plano de ação para abordar a persona da empresa (construtoras de médio-grande porte) no Linkedin e os números já podem ser vistos no Google Analytics

Um dos primeiros artigos enviados para o blog, que carrega uma palavra-chave estratégica para a Ginast, já recebeu mais de 300 visitas em menos de 30 dias, está com ótimo tempo de duração de sessão (4,5 minutos) e uma baixa taxa de rejeição (40%), considerando que esse conteúdo foi publicado há pouco tempo.

Mas essa não é a melhor parte! A Ginast começou o onboarding da Rock rankeando para essa mesma palavra-chave citada em terceiro lugar no Google e fechou esse período em primeiro lugar! 

Alinhar objetivos de negócio e de marketing

Eu imagino que alguns clientes devem achar um pouco estranho quando, no início do onboarding, nós realizamos perguntas específicas como:

  1. Quais são as suas atuais metas de negócio?
  2. Quantos clientes deseja conquistar esse ano?
  3. Qual é a porcentagem que pretende aumentar no faturamento da empresa?

“Mas como assim, Carlos? Eu entrei na Rock para falar de Marketing de Conteúdo, não dos números do meu empreendimento”.

Pois eu logo já adianto que é impossível falar de Marketing de Conteúdo sem falar da empresa! A compreensão da evolução da estratégia passa pela metrificação do quanto ela está contribuindo para conquistar os objetivos de negócio.

Além disso, a Rock Content é totalmente focada no sucesso do cliente e, “sucesso”, percorre a descoberta das metas da empresa para saber como nós podemos ajudar o cliente a atingi-las, ainda que, não necessariamente, seja por meio do Marketing Digital.

Um bom exemplo desse contexto é o Bruno Souza, cofundador da Viper Soluções e da Youbo Serviços Financeiros.

O Bruno sempre teve uma relação bem transparente conosco. Nunca se negou a falar das suas metas de negócio e, em uma das conversas que tivemos, ele comentou que gostaria de tornar a Youbo uma parceira do Olé Consignado, empresa pertencente ao Grupo Santander.

E olha que coincidência: antes de vir me juntar ao time da Rock, eu trabalhava exatamente na instituição que o Bruno almejava ser parceiro. Daí eu não pensei duas vezes! Acionei o departamento comercial do Olé e intermediei o contato com a Youbo.

Não deu outra! Neste limiar de 2020 as duas empresas “acertaram os ponteiros” e vão fechar contrato. Essa vitória da Youbo é muito importante, afinal, ela maximizará consideravelmente os seus lucros e presença no mercado.

Incrível não é? Eu, particularmente falando, fico muito feliz com estas conquistas desses clientes que passaram pelo onboarding da Rock! Durante o ano de 2019 tivemos muitos outros cases de sucesso que merecem destaque no nosso blog e, sempre que possível, eu voltarei aqui para contá-los.

Para finalizar, deixo duas perguntas para você refletir: a sua PME tem as características dos nossos projetos de maior sucesso? Você acredita que a Rock Content e o Marketing de Conteúdo podem ser a chave para ampliar os resultados do seu negócio? 

Em caso de “sim” para as duas questões, entre em contato conosco e fale gratuitamente com um consultor!

Agendar consultoriaPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *