Por Agnes Rabelo

Analista de Marketing na Rock Content

Publicado em 5 de março de 2020. | Atualizado em 18 de maio de 2020


O Marketing de Evangelização se refere a ações realizadas por empresas que trabalham sua base de contatos usando uma filosofia e uma mensagem que cativam o público. Assim, essas pessoas passam a fazer uma divulgação boca a boca, voluntária e espontânea, somente por acreditar na marca e defendê-la.

Com o passar do tempo, algumas marcas foram se aproximando tanto dos clientes que hoje podemos dizer que existe um relacionamento de fidelização e lealdade entre eles.

Isso se intensificou ainda mais por conta das estratégias de marketing nas redes sociais, que ocupam um lugar importante na vida dos usuários quando falamos de comunicação e entretenimento.

Essas plataformas acabam sendo um prato cheio para as empresas que querem evangelizar seus consumidores. No entanto, quando falamos de Marketing de Evangelização, é comum que as pessoas relacionem com aspecto religioso, afinal, a palavra vem de “evangelho”, que tem sua origem no cristianismo.

Porém, para o marketing, essa palavra foi ressignificada devido ao comportamento fiel dos clientes, que se comportam como evangelizadores da marca, espalhando seus aspectos positivos e trazendo mais consumidores para o negócio sem esperar recompensas.

Neste artigo, vamos entender o que é o Marketing de Evangelização, como funciona essa estratégia e como implementá-la usando exemplos práticos.

Abordaremos os seguintes tópicos:

O que é o Marketing de Evangelização?

O Marketing de Evangelização consiste em empresas que trabalham sua base de contatos usando uma filosofia e uma mensagem original, que cativam o público, de forma que eles façam um trabalho boca a boca, somente por acreditar e defender a marca de forma voluntária e espontânea.

Esse termo foi criado por Guy Kawasai, autor dos best-sellers The Macintosh Way e Selling The Dream, nos anos 80, quando ele foi evangelista-chefe de software da Apple Computer. Essa mudança na forma de se relacionar com os clientes transformou o público da marca em verdadeiros fãs que até hoje se mantêm fiéis aos seus produtos.

Essa estratégia não é como um programa de afiliados, afinal, os consumidores não receberão nada em troca. Eles recomendam por gostar da empresa e não por querer recompensas. Esse fator atribui muita credibilidade na indicação,principalmente quando eles se tornam produtores de conteúdo e de releases de forma orgânica.

Além disso, as pessoas que passam a te acompanhar sempre darão prioridade ao seu produto quando precisarem, mostrando o quanto essa estratégia também é muito efetiva quando combinada com um pós-compra.

Quais são as vantagens de adotar essa estratégia?

Existem muitas vantagens de ter uma estratégia de branding que favorece o Marketing de Evangelização. A seguir, conheça algumas delas.

Custo-benefício

Com essa estratégia é possível ter um alto retorno sobre o investimento (ROI) e a conversão de vendas é normalmente maior do que o dinheiro gasto, pois as recomendações feitas geralmente não têm custo.

Os evangelizadores apoiam a marca com uma publicidade boca a boca, que é muito mais valiosa em termos de credibilidade.

Evangelizadores são pessoas comuns 

Essas pessoas gostam da sua marca pela paixão por sua identidade. Elas vão indicar o seu produto ou serviço por realmente terem sido impactados positivamente. Além disso, elas virão até você de forma orgânica, sem que você precise procurá-las.

Criação de novas soluções

Essa fidelização dos clientes gera um sentimento de colaboração muito forte, fazendo com que os consumidores sintam a liberdade de opinar sobre o produto, dando avaliações bem precisas e muito valiosas, que muitas vezes podem até mesmo gerar novas soluções ou produtos.

Como começar o Marketing de Evangelização?

Essa estratégia não pode ser implementada da noite para o dia; ela precisa estar no DNA da empresa, e ter como focos principais o problema que você está resolvendo e a construção de uma comunidade e uma filosofia ligadas aos seus valores.

Ter uma comunidade que se envolve com as soluções e participa ativamente dando feedbacks é um pote de ouro para as empresas que querem conhecer a raiz do problema e oferecer a melhor versão do seu software ou produto.

Portanto, nesse cenário, o aspecto mais importante de qualquer plano de marketing é estabelecer uma conexão com os usuários. E a melhor maneira de fazer com que os clientes falem sobre uma marca é iniciar o diálogo.

Para isso, antes de implementarem esse plano, as empresas devem realizar pesquisas de mercado com grupos focais, pesquisas online ou alguma outra estratégia para coleta de informações do consumidor. 

O objetivo disso é criar um “retrato” honesto de como a marca é interpretada na mente do público. E essa análise deve se concentrar em aspectos positivos e negativos.

Depois que a empresa coletar o máximo de informações possíveis sobre as experiências dos clientes, ela deve estar preparada para fazer alterações, que podem ser relativamente pequenas ou envolver grandes revisões. 

Pesquisas de MarketingPowered by Rock Convert

Como implementar essa estratégia na prática?

Agora que você já sabe como começar o mindset dessa estratégia, vamos entender na prática como ela pode ser implementada.

Comece internamente

Antes dos clientes, é preciso que sua empresa tenha uma cultura de valorização da sua marca. Por isso, é preciso que o Marketing de Evangelização comece internamente. 

Todos os colaboradores e donos da companhia podem levar o entusiasmo da marca a seus fornecedores e clientes para conquistá-los. Quando os próprios funcionários da empresa se tornam seus evangelizadores, isso aumenta a confiança dos clientes em potencial.

O Nubank é um bom exemplo de empresa que coloca a cultura em primeiro lugar e se define como “radicalmente oposto aos bancos”. Essa acaba sendo uma forma dos seus clientes definirem a empresa e convidarem amigos para abrir uma conta não só pelo produto, mas também pelo estilo de vida financeira descomplicada.

Entenda e engaje seus clientes já existentes

Quando a Apple experimentou o Marketing de Evangelização, ela ainda não era uma grande empresa, mas uma startup que lutava para conseguir uma posição no mercado.

Pequenas empresas podem criar evangelizadores de produtos a partir de seus próprios clientes já existentes. Eles podem experimentar os produtos, relatar sua qualidade e repassar as informações a outros clientes em potencial.

Confie nos dados

É preciso confiar nos dados de mercado para apresentar a campanha correta. 

Um bom exemplo é a Netflix, que usa o data science para entender os consumidores e utiliza algoritmos de recomendação para fazer testes. Com isso, ela acaba conseguindo ter uma compreensão profunda do que os clientes pensam e querem, e como eles usam seu serviço.

A partir desses dados, é só se posicionar de forma que as pessoas se identifiquem com a marca e criem uma conexão.

Faça pesquisas com o cliente

Não são apenas os dados estruturados e não estruturados (Big Data) que podem oferecer insights valiosos. A interação direta com os clientes e as pesquisas online também são muito importantes para entender melhor o que os consumidores esperam de você.

A Amazon, por exemplo, em pesquisa com os clientes, consegue coletar avaliações tão relevantes que já proporcionaram grandes melhorias em seus produtos, como o Kindle.

Use as mídias sociais para alcançar os clientes

As redes sociais são o meio ideal para aplicação de uma estratégia de Marketing de Evangelização. Mesmo pequenas empresas podem usar o Instagram, o Twitter e o YouTube para criar uma comunidade lovemarkem torno dos amantes de seus produtos ou serviços.

Nessas plataformas, os clientes podem expressar o quanto gostam de você e também fazer críticas.

A Domino’s fez várias mudanças em seus negócios depois de ouvir conversas em comunidades online. Isso fez com que os clientes se sentissem satisfeitos e, naturalmente, eles se tornaram os evangelizadores da marca.

Há muitas outras estratégias, mas a lista acima é um bom lugar para começar. Depois de conquistar seus clientes evangelizadores, você deve trabalhar duro para simplesmente mantê-los.

Uma dica é se concentrar em 3 aspectos aos quais a maioria das empresas não se atentam:

  • coletar insights qualitativos do seu mercado;
  • usar uma linguagem emocional e criar conexões;
  • comunicar a partir das plataformas certas. 

Como engajar os meus evangelizadores?

Por fim, a tarefa final para ter sucesso em uma estratégia de Marketing de Evangelização é saber engajar os clientes com a sua marca.

Afinal, a intenção de coletar dados e entender o público é muito valiosa para quem já tem pessoas interessadas, que opinam organicamente nos seus canais de comunicação.

No entanto, como fazer para atrair os consumidores certos que têm um perfil evangelizador? Simples: criando o conteúdo o correto.

O que as pessoas mais gostam nas marcas bem-sucedidas em Marketing de Evangelização são a forma de se comunicar com o cliente, seja em postagens nas redes sociais, sejam com conteúdos nos canais informativos, como os blogs.

Essas mídias são usadas como uma forma convidativa de atrair e até mesmo nutrir esses contatos que gostam de se manter informados sobre os próximos lançamentos, acontecimentos da empresa e até mesmo assuntos relacionados com o seu mercado.

Para saber um pouco mais sobre formas de engajar e se relacionar com o seu público, baixe gratuitamente o ebook “Como construir defensores para sua marca através do conteúdo” e aprenda a cultivar clientes fiéis à sua empresa.

Como construir defensores para sua marcaPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *