Por Joana Moraes

Publicado em 21 de agosto de 2018. | Atualizado em 5 de fevereiro de 2019


O modelo AIDA simplifica em quatro etapas o comportamento do consumidor. Assim, fica bem fácil como levar o seu possível cliente à conversão para aumentar os resultados do Marketing Digital! Descubra como esse método pode te ajudar.

A origem dessa metodologia é atribuída ao americano E. St. Elmo Lewis, pioneiro de Publicidade e Propaganda que iniciou seus trabalhos no final do século 18.

A AIDA explica que, para o guiar o consumidor até a compra, devemos atrair sua atenção, manter o interesse e criar o desejo para então levá-lo a tomar uma decisão.

  • A = Atenção
  • I = Interesse
  • D = Desejo
  • A = Ação

No início, o modelo era utilizado principalmente na elaboração de anúncios impressos, propondo que eles deveriam conter elementos visuais para cada uma dessas etapas.

Assim, a receita do sucesso era baseada em: imagem atrativa, subtítulo interessante, corpo do texto educativo e contatos do anunciante para levar o consumidor ao produto.

Obviamente, isso foi muito antes do surgimento da Internet. Lewis nem sonhava com o potencial da AIDA para o sucesso do Marketing Digital, mas já entendia a importância e alguns princípios básicos para converter clientes.

E esses princípios são aplicados até hoje tanto em marketing quanto em vendas, diante da necessidade de guiar o cliente na jornada de compra.

Vamos te explicar cada uma dessas etapas na prática e como usar o conceito para aumentar as vendas!

Como funciona a metodologia AIDA?

A evolução do marketing permitiu que o AIDA passasse a ser utilizado também em outras formas de divulgação de uma marca ou produto, como propagandas na televisão e Marketing de Conteúdo no meio digital.

Mas não adianta conhecer a sequência de etapas pelas quais o consumidor deve passar, sem de fato saber quem ele é.

Existem fatores importantes como idade, estilo de vida, cultura e motivações, que influenciam o modo de pensar das pessoas, refletindo no seu comportamento e também nas decisões de compra.

Antes de aplicar o modelo AIDA na sua estratégia de marketing, portanto, leve em consideração qual a persona que sua marca quer alcançar.

Tendo isso em mente, agora vamos discutir melhor o que cada palavra do acrônimo AIDA significa.

Vamos explicá-las separadamente logo abaixo:

Guia para criação de personas

Atenção

A sua persona deve saber que você existe, caso contrário não descobrirá o valor do que você tem a oferecer.

Mas como atrair atenção?

Seja inteligente e use diferentes tipos de linguagem para convencer (ao contrário de obrigar) o potencial cliente a parar o que estiver fazendo para focar em você!

Mas cuidado com propagandas incômodas em momentos desapropriados.

Não será nada agradável para uma pessoa vendo um programa de viagens, por exemplo, ser interrompida por um anúncio sobre materiais de construção.

Por outro lado, talvez ela pare e preste bastante atenção caso apareça uma chamada interessante de promoção para passagens aéreas.

Então para chamar a atenção dos possíveis clientes de forma positiva, leve em conta:

  • localização: esteja onde a sua persona pode ser encontrada;
  • momento: saiba quando ou com qual frequência ela estará lá;
  • fator de choque: cause algum impacto ao seu interlocutor.

Interesse

Você conseguiu chamar a atenção!

Mas como fazer com que esse potencial cliente continue ali te ouvindo até que você passe a mensagem que gostaria?

Sendo extremamente relevante para o público que você está tentando alcançar.

A pessoa acabou de te conhecer e agora já começa a criar confiança e conexão e considerar o que você tem a dizer. Dê um empurrãozinho para despertar ainda mais a curiosidade!

Para isso, sua mensagem deve ser vista como uma oportunidade de resolução de um problema.

É preciso saber bem o que sua persona precisa e focar nessa necessidade ou problema, além de mostrar como você pode ajudá-la a resolver.

Portanto, seja coerente com a primeira impressão causada. Se na primeira etapa você utilizou uma pergunta para atrair atenção, agora é a hora de cumprir a promessa e começar a explicar como e porque você entregará valor.

Nessa hora, é válido usar dados e outros argumentos de persuasão que ajudem a informar, educar e engajar seu público em torno de suas questões.

Dessa forma, o seu público vai querer saber mais sobre o assunto, e você poderá passar para a próxima etapa.

Desejo

Só o interesse não é suficiente para que o consumidor chegue à última etapa. Então, não se esqueça também de criar o desejo.

Sua persona já sabe que existe um problema e uma solução e começa a entender que a resposta pode estar na sua marca, então é o momento de mostrar todas as suas qualidades.

Se você provar que você domina o assunto e que sua marca trará grandes vantagens, aumentará o número de conversões.

Contudo, é importante ter em mente que o volume de pessoas que chegam a esta etapa será menor do que o das etapas anteriores.

Afinal, se mesmo após a sua tentativa de despertar interesse a persona ainda não tenha se engajado, quer dizer que ela não se identificou com o problema ou com suas soluções propostas.

E isso não quer dizer que sua estratégia falhou!

É exatamente por isso que a jornada de compra de um cliente é frequentemente associada a um funil: quanto mais ao fundo, menos pessoas interessadas.

Dessa forma, é importante não perder a conexão com as pessoas que avançam no funil, e entregar mais valor e fortalecer o relacionamento com a marca.

E se você estiver se perguntando: mas como entregar mais valor?

Explique bem os benefícios e qualidades do que você tem a oferecer, apresente cases de sucesso, avaliações de cliente e tudo o que você tiver para gerar mais confiança.

Se o consumidor viu valor o suficiente e está satisfeito com a sua resposta, agora está preparado para tomar uma ação:

Kit Planejamento do Funil de Vendas

Ação

Agora que você finalmente despertou o desejo, é crucial manter a urgência que o consumidor tem para dar um próximo passo.

O seu papel agora é facilitar o caminho do consumidor até a ação.

Essa ação é a compra? Não necessariamente.

Depende muito de como acontece a jornada do seu consumidor e o que você planejou para o final. A ação pode ser, por exemplo, a de acessar o seu site, ver um vídeo ou se inscrever para um seminário.

Deixe o mais claro possível como a pessoa pode tomar essa ação, ou você corre o risco de perdê-la!

No caso de um anúncio impresso, por exemplo, é crucial deixar todas as informações de contato para que o leitor saiba exatamente como proceder até efetivar a ação sugerida pelo cartaz.

Como aplicar a AIDA no Marketing Digital?

Entendeu todas as etapas da AIDA, mas ainda não está claro como incorporá-la à sua estratégia online? Não se preocupe, falaremos sobre isso agora mesmo!

Existem várias maneiras de aplicar a metodologia AIDA no universo do marketing.

Na esfera do marketing Digital, ela está em ações de remarketing, anúncios em vídeo, campanhas de e-mail marketing e em blogs corporativos, por exemplo.

Quando falamos de Marketing de Conteúdo, a AIDA é importante tanto na produção de conteúdo para o blog quanto na parte técnica do site que complementa esse conteúdo.

Ela deve estar presente da seguinte forma:

Atenção

Em primeiro lugar, seja encontrado pela sua persona no Google.

Crie títulos impactantes para sua persona que contenham a palavras-chaves relevantes para ela e que caibam dentro dos padrões de exibição do Google (entre 55 e 67 caracteres).

Além de estar atento ao Title Tag, domine as outras técnicas de SEO para aumentar a visibilidade do seu domínio e se fazer estar no local no momento em que seu público estiver.

Guia do SEO 2.0

Interesse

Após o clique, a primeira impressão que o leitor da sua página conta bastante!

Por isso, otimize o design e faça um conteúdo inicial capaz de convencer o leitor a continuar a leitura (aprenda a fazer uma introdução de alta performance aqui!).

Tente instigar o público ao máximo e incentivá-lo até mesmo a acessar outros conteúdos no blog.

Desejo

Agora que você já passou certo valor, a persona vai entrar para o estágio de meio de funil.

Assim, já é aceitável falar também sobre a própria marca ou produto para tentar conquistar o seu leitor.

Neste momento, os conteúdos ricos como e-books, guias e tutoriais podem ser de grande ajuda.

Ação

Uma vez que você conseguiu prender o usuário até este momento, é hora de direcioná-lo a interagir diretamente com você.

Afinal, você produziu um conteúdo por um motivo específico. Então faça o leitor entender esse motivo e elimine o risco das pessoas simplesmente fecharem a página ao satisfazerem-se com a resposta.

O CTA — ou chamada para ação — deve se destacar no layout e estar bem posicionado na tela.

Fora isso, ele deve ser simples para não dar trabalho ao consumidor, tomando o menor tempo possível (vamos dar um exemplo real no parágrafo a seguir!).

Quer obter ainda mais resultados com a sua estratégia digital? Então conheça também o nosso guia completo sobre Marketing de Conteúdo

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *