Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 13 de fevereiro de 2019. | Atualizado em 13 de agosto de 2019


O YouTube promoveu uma série de mudanças no sistema de remuneração dos canais que integram a plataforma. Sabe o que precisa fazer para se adaptar? Reunimos informações relevantes neste artigo sobre a monetização de vídeos. Confira!

Não é difícil entender a lógica por trás do sistema de monetização de vídeos no YouTube: basicamente, os produtores de conteúdo são remunerados pelo volume de visualizações da publicidade exibida em seus canais.

A métrica usada para fazer o cálculo é o CPM – Custo por Mil. Então, a cada mil visualizações, o produtor recebe uma parte do valor pago pelo anunciante.

A mecânica da operação não é tão simples quanto a sua lógica. A distribuição dos vídeos é feita a partir de algoritmos e o Google não revela muitos detalhes sobre os critérios usados e os valores repassados.

E tem mais: a plataforma tem passado por mudanças. E, com a adoção de novas regras, a monetização dos vídeos está mais difícil.

Mas não se preocupe, a proposta deste artigo é ajudar você a entender melhor o que está acontecendo. Vamos lá?

Como ganhar dinheiro no YouTube?

Logo depois da sua aquisição pelo Google, em 2006, o YouTube encontrou uma fórmula para remunerar os produtores de conteúdo: repassar uma parte da verba obtida das empresas interessadas em veicular sua publicidade nos canais.

Desde o início foi estabelecido que os criadores interessados em monetizar seus conteúdos deveriam fazer parte do YouTube Partner Program.

Lá no começo, como a concorrência ainda era baixa, o processo não era muito complicado. Seguindo algumas regras simples, era possível obter algum ganho. O principal, claro, era ter audiência no canal para conseguir mais visualizações para as mensagens publicitárias.

Abordaremos daqui a pouco as mudanças. Por ora, vamos entender como os anúncios funcionam na plataforma:

  • a publicidade nos vídeos é inserida por meio do Google AdSense, a plataforma de anúncios do Google. Então, para ganhar dinheiro com os conteúdos produzidos, é preciso ter uma conta lá;
  • para conseguir isso, o criador precisa, em primeiro lugar, seguir as regras da comunidade;
  • o YouTube disponibiliza formatos diferentes de anúncios para as empresas, e cabe ao criador escolher quais serão aceitos no seu canal;
  • entre os formatos, um dos mais atrativos é o TrueView In-stream, que vai aparecer, se o usuário deixar, antes do vídeo;
  • tem também o Discovery, exibido nos resultados de pesquisa do YouTube, ao lado de vídeos relacionados ao assunto e na página inicial do YouTube no celular;
  • o formato de exibição do Bumper é parecido — o que muda é o tempo de duração: são vídeos de apenas 6 segundos;
  • além dos anúncios, outra forma de ganhar dinheiro no YouTube é com o merchandising. Nesse caso, o criador faz a negociação diretamente com o anunciante para inserir a marca nos seus vídeos. Atenção: a orientação do Google é que essa prática seja comunicada à plataforma;
  • em troca de uma porcentagem dos ganhos, o criador também pode se associar às multi-channel networks. Elas ajudam a gerenciar o canal e a otimizar os investimentos.

Como funciona atualmente o programa de parcerias?

Como já explicamos, para ter direito à remuneração, o criador do conteúdo precisa fazer parte do Programa de Parcerias do YouTube.

Desde 2017, o Google mudou bastante o sistema de monetização dos vídeos. Foi uma forma de atender às demandas dos anunciantes, tornando o ambiente mais “saudável” para as marcas.

Na busca desse ideal, foram criadas regras importantes para filtrar melhor os canais aptos a receber anúncios. Vamos ver algumas delas:

  • o canal precisa ter pelo menos 1 mil inscritos;
  • nos últimos 12 meses, deve ter acumulado no mínimo 4 mil horas de conteúdo assistido;
  • a veiculação dos anúncios passou a ser mais transparente. O anunciante hoje consegue avaliar onde as mensagens estão sendo veiculadas, analisando a pertinência do canal.
Marketing no YouTubePowered by Rock Convert

Como melhorar seus ganhos?

A melhor forma de aumentar seus ganhos é com a adoção de boas práticas. E, nesse caso, as premissas são as mesmas adotadas nas demais estratégias de Marketing de Conteúdo.

Não dá para ter sucesso, por exemplo, sem um bom planejamento. Ele é fundamental para que você consiga de maneira adequada da pauta de assuntos e também da produção dos vídeos.

O audiovisual tem um poder incrível de engajamento, mas exige atenção com diversos detalhes. Não se engane: som, iluminação e cenário fazem muita diferença no resultado final do projeto de vídeo.

Tanto é assim que os youtubers bem-sucedidos, que têm conseguido ganhar dinheiro com a plataforma, investem nos seus canais.

Além do cuidado com a produção, é importante cobrir outras frentes, como a de divulgação. No próximo tópico preparamos uma lista básica com dicas para aprimorar o desempenho dos seus vídeos. Confira!

Como melhorar a atratividade do canal?

Vamos ver algumas questões consideradas prioritárias para garantir a atratividade do seu canal de vídeos no YouTube.

Capriche no conteúdo

Com tanta gente querendo virar youtuber, o sucesso na plataforma depende muito da qualidade do conteúdo, certo?

Originalidade é fator-chave, uma vez que é a partir daí que o criador vai conseguir se diferenciar, criar uma identidade própria para o seu canal.

Uma forma de encontrar novos caminhos é usar as ferramentas disponíveis para validar os assuntos que serão tratados. Uma delas é o Google Trends. Basta digitar o termo no sistema para ter acesso às estatísticas sobre a palavra-chave.

Com o aumento da pressão sobre as redes sociais, é importante redobrar a atenção em relação às políticas adotadas pela plataforma.

Até para evitar problemas, o YouTube tem sido mais rigoroso na validação dos canais, e a tendência é que isso se intensifique. Portanto, nada de tentar burlar as diretrizes.

Siga o cronograma

Se você trabalha com vídeo marketing, conhece a regra: as estratégias nessa área precisam ser baseadas em frequência e periodicidade.

Quem quer tornar-se referência na produção de conteúdo não pode deixar seus seguidores na mão. Eles precisam saber quando são lançados novos vídeos.

Para isso, nada melhor do que criar o hábito. Então, estabeleça um cronograma e siga o que foi planejado.

Resulta daí a importância do planejamento. É difícil ter bons conteúdos apenas com base no improviso, principalmente no caso de vídeo, que exige certo cuidado na produção.

Cuide dos thumbnails

Os thumbnails são as miniaturas que vão aparecer no seu canal, com as imagens dos seus vídeos.

Cuidar da organização deles pode fazer a diferença no engajamento do seu público. Lembre-se de que a primeira impressão é a que fica!

Aplique as técnicas de SEO

Escolha da palavra-chave, título, tag e descrição. É importante dedicar algum tempo para estudar bem as técnicas de SEO para vídeo, que vão favorecer o seu canal no YouTube.

No caso da palavra-chave, o ideal é usar ferramentas como o Keyword Planner do Google. Quanto maior a precisão na seleção dos termos, maiores as chances de o vídeo aparecer nas buscas.

Essa escolha é fundamental também para os outros textos que precisam ser criados, uma vez que é crucial incluir a palavra-chave no título e na descrição do vídeo.

Para melhorar a monetização dos vídeos, não se descuide das tags. O ideal é criar algumas (12 é um bom número) para acompanhar suas publicações.

Valorize o usuário

Aparecer bem nos motores de busca é importante, assim como respeitar as regras do YouTube. Sem isso, dificilmente o produtor de conteúdo vai conseguir se manter entre os parceiros da plataforma.

Contudo, o norte de qualquer trabalho nessa área continua sendo a relação com os usuários. Parece óbvio, mas não é raro vermos deslizes feios nessa frente.

Vale aqui uma dica que funciona bem para as estratégias de Marketing Digital: pense a todo momento em como reter os seus seguidores.

Muitas vezes, no afã de conquistar mais público, os criadores acabam sendo apelativos. Lembre-se de que a melhor audiência é aquela construída no dia a dia.

Sem falar que os seguidores fiéis são importantíssimos para ajudar na promoção dos canais. Apesar do formato de vídeo, o YouTube é uma rede social. Portanto, engajamento é prioritário, certo?

Divulgue seus canais

Cuidar da divulgação dos conteúdos é outra atividade que exige atenção dos criadores. Para isso, é importante usar as redes sociais. Facebook, Twitter e Instagram têm um papel relevante na estratégia.

Essas plataformas também servem para a publicação dos vídeos, mas isso não significa que devam ser deixadas de lado na hora de promover os materiais criados para o YouTube.

Outro canal que funciona bem é o email. Usado de forma estratégica, ele vai ajudar a aumentar o seu número de visualizações.

Não se esqueça também do blog. Fazer o embed do seu vídeo nos posts dos blogs ajuda a aumentar o engajamento do seu conteúdo e a atrair mais audiência para o canal.

Por que investir no YouTube?

Segundo informações divulgados pelo próprio YouTube, as mudanças realizadas no sistema de remuneração não têm prejudicado a plataforma. Desde 2017, quando as alterações foram intensificadas, o número de canais continua crescendo, na faixa dos 40% ao ano.

O recado é claro: as novas regras ajudam a beneficiar os criadores mais importantes, valorizando quem consegue manter a adesão do público e, claro, dos anunciantes.

A monetização de vídeos no YouTube pode estar mais difícil, mas ainda é um bom caminho para quem resolveu apostar na plataforma para compartilhar seus conhecimentos sobre determinado assunto.

Gostou do artigo? Ajudou a esclarecer suas dúvidas sobre como ganhar dinheiro com a produção de conteúdos de vídeo? Conheça agora os maiores canais do YouTube.

banner youtube rock content

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *