Por Cayo Woebcken

Freelancer da Rock Content.

Publicado em 20 de fevereiro de 2019. | Atualizado em 11 de novembro de 2019


O PDI é um planejamento de desenvolvimento de habilidades destinado a um profissional específico. Com sua elaboração, as empresas aumentam a motivação das equipes e elevam suas taxas de produtividade. Para o colaborador, trata-se de uma oportunidade para desenvolver competências e evoluir profissionalmente.

Contar com um planejamento estratégico bem-feito, oferecer soluções pertinentes ao público e saber como construir sua marca são alguns dos fatores que levam uma empresa ao sucesso. Mas sabe o que não pode faltar nessa conta? A capacidade dos colaboradores de se adequarem à cultura organizacional e desempenharem seus papéis de forma excelente.

É por isso que, em qualquer empreendimento, é fundamental contar com uma gestão de desempenho qualificada. Isso não significa simplesmente monitorar as equipes, mas sim proporcionar o melhor ambiente para que elas alcancem seus melhores níveis de produção, o que passa pela motivação de cada colaborador.

Para mantê-los empenhados e motivados na execução dos processos internos, é importante apresentar um PDI, ou plano de desenvolvimento individual. Não sabe o que é isso ou quer aprender mais sobre o assunto? Neste texto vamos explicar:

  • O que é o PDI e como ele funciona?
  • Como desenvolver um PDI eficaz?
  • Quais vantagens podem ser alcançadas com o PDI?

Continue a leitura e acompanhe!

O que é e como funciona o PDI?

Plano de desenvolvimento individual — apenas olhando para o nome, você já deve ter uma noção do que se trata o PDI, não é? Trata-se de um planejamento de carreira destinado a determinado profissional. O objetivo é que ele desenvolva as competências necessárias para evoluir profissionalmente.

Quando aplicado em empresas, é muito comum que o PDI sirva também como um preparatório para que um colaborador exerça algum tipo de cargo no futuro.Imagine, por exemplo, um analista de marketing júnior. O PDI traçaria o caminho para uma eventual promoção dentro da companhia.

É natural, portanto, que os elementos que compõem esse plano vislumbrem tanto os interesses da empresa quanto os desejos pessoais do colaborador. Dito isso, é importante ressaltar que a iniciativa para o desenvolvimento do PDI pode partir da empresa, sabendo da carência em algum setor, ou do próprio profissional, interessado na própria capacitação.

Em todos os casos, as etapas do plano devem ser dispostas de forma clara. É preciso estabelecer uma meta e o prazo para alcançá-la, além das competências e dos recursos que serão explorados para possibilitar a execução do PDI. No próximo tópico, falaremos mais sobre seu desenvolvimento.

Como desenvolver um PDI eficaz?

Não há plano sem objetivo. Assim, o primeiro passo para começar a elaborar o PDI é determinar o que você busca com ele. Para tal, é necessário um mapeamento completo da situação da empresa, identificando suas carências, necessidades, possibilidades de expansão e disponibilidade de profissionais.

Dessa forma, é preciso entender que os resultados do planejamento podem surgir em curto, médio ou longo prazo. Por exemplo, se a empresa acabou de perder um funcionário de cargo avançado e precisa de uma reposição rápida, a meta do PDI deve ser alcançada o quanto antes, o que requer uma aceleração do processo.

Por outro lado, se a companhia vislumbra uma expansão no mercado e precisa de alguém de confiança para gerenciar um novo estabelecimento, por exemplo, há mais tempo para executar o PDI. Com o objetivo especificado, é hora de girar a chave e focar as competências individuais de cada colaborador.

Desenvolvendo competências

Todo mundo sabe que uma boa gestão de pessoas deve conhecer profundamente suas equipes. Os pontos fracos e fortes no desempenho de cada profissional dão uma ideia do quanto eles podem evoluir e onde eles podem chegar. Ao cruzar essas informações com o objetivo predefinido, você tem meio caminho andado.

Uma ferramenta que pode ajudar nesse processo é o teste de perfil comportamental. Sua realização evidencia as características profissionais de cada indivíduo e permite que tanto a gestão quanto o colaborador visualizem o potencial que pode ser alcançado. Para ilustrar, vamos a um exemplo.

Imagine que a empresa queira elevar as vendas no e-commerce, mas o colaborador designado para conduzi-las não é qualificado para tal. Ao identificar isso, o responsável pela elaboração do PDI vai desenvolver uma estratégia para capacitar o indivíduo, o que pode passar por treinamentos, workshops e coisas do tipo.

Contudo, é importante ressaltar que o foco não deve se restringir aos pontos fracos. A identificação das qualidades dos profissionais é essencial para encontrar pontos que possam ser potencializados. Se o objetivo é capacitar alguém para um cargo de gestão, trabalhar com os colaboradores que já apresentam qualidades de liderança vai acelerar o processo e aumentar sua eficácia.

Executando o plano

Bem, nesse ponto você já deve ter definido os objetivos, estabelecido prazos e identificado o que precisa ser feito para atingi-los. Agora é hora de agir para que tudo saia conforme planejado. A execução do plano pode ser feita por meio de diversos recursos que incluem mas não se limitam ao oferecimento de cursos e palestras.

As ações de desenvolvimento podem ser de responsabilidade da gestão ou do próprio colaborador em questão. De todo modo, é crucial que elas partam de um acordo entre ambas as partes, até para facilitar a avaliação do profissional. Se houver esse entendimento sobre o caminho a ser percorrido, o processo se desenrola de forma bem mais natural.

Se o objetivo for, por exemplo, moldar um talento para um cargo de liderança, ele pode ser incentivado a experienciar novos desafios. Gerir projetos, realizar apresentações, conduzir reuniões e falar em público são algumas atividades que podem estruturar um desenvolvimento nesse sentido.

Para ajudar no desenvolvimento de competências, o colaborador pode ser enviado para visitas técnicas em outros estabelecimentos ou para participar em seminários relacionados à sua área de atuação. Além disso, a leitura de livros, o coaching e a rotina de treinamentos específicos são recursos muito úteis para executar o PDI.

Quais vantagens podem ser alcançadas com o PDI?

Iniciamos o texto falando sobre a importância de manter os trabalhadores motivados para que eles alcancem seus melhores níveis de produtividade, lembra? É daí que vem uma das principais vantagens do PDI. Mais do que bons salários e benefícios, a motivação de qualquer profissional passa pela sua perspectiva de futuro.

Se houver a impressão de que a função que exerce é um caminho sem saída, é bem possível que o colaborador a cumpra única e exclusivamente por obrigação, mas sabemos que isso não é bom para o desempenho profissional. Estabelecer um PDI é uma forma de engajar as equipes e torná-las mais interessadas em executar seu papel com excelência.

Além disso, ao implementar o plano de desenvolvimento, a empresa encoraja os funcionários a tomarem o controle de seu próprio progresso profissional. O resultado é um corpo de colaboradores em constante processo de evolução, o que reflete direta e positivamente nos resultados da companhia.

Em um mercado de trabalho cada vez mais disputado, isso cria uma vantagem competitiva na atração e na retenção de talentos. O PDI se torna um diferencial da empresa que, por sua vez, vai encontrar muito mais facilidade em convencer profissionais de que trabalhar lá é o caminho certo para o seu futuro.

Ademais, não podemos esquecer os benefícios que cada indivíduo pode alcançar ao seguir um plano de desenvolvimento. Falaremos de alguns a seguir.

Identificação e autoconhecimento

Ao desenvolver o plano, seja por conta própria, seja em parceria com a empresa, o profissional vai passar por um processo intenso de autoconhecimento. Quais são seus pontos fortes e fracos? Quais são suas metas? O que o motiva? As respostas a essas perguntas podem trazer insights valiosos tanto para a vida empresarial quanto para a pessoal.

Conhecer a si mesmo é o primeiro passo para se conectar com algo e, no caso do PDI, essa conexão é feita com a companhia. O indivíduo que passa pelo processo de desenvolvimento de ações do plano tem maior facilidade em se identificar com o local em que trabalha, o que é um fator importante para a felicidade.

Satisfação com a carreira

Como já falamos, ninguém quer se sentir em um caminho sem saída. O PDI permite que a pessoa visualize a trajetória que pode ser seguida para alcançar um novo patamar. Isso cria desafios diários que evitam que a rotina se torne algo maçante e possibilitam o alcance de um nível maior de satisfação com a carreira.

Direcionamento claro

Bem, como você já sabe neste ponto, o PDI funciona como um mapa a ser seguido pelo colaborador. Esse direcionamento claro, que estabelece cada etapa do planejamento, evita o sentimento de ansiedade que pode transtornar alguém que não sabe o que está por vir.

Com o plano de desenvolvimento você sabe o objetivo, os prazos e o que precisa ser feito para chegar lá. Dessa maneira, é possível realizar uma gestão de tempo eficaz e, ao mesmo tempo, focar os esforços nas ações necessárias para o alcance das metas e da satisfação profissional.

O PDI é um recurso extremamente valioso para as empresas e para os profissionais. Sua execução depende de um conhecimento aprofundado das necessidades da empresa e das qualidades e fraquezas de cada um de seus colaboradores. Se bem executado, ele eleva a motivação das equipes e facilita o desenvolvimento profissional dos envolvidos.

Para continuar a aprender sobre o desenvolvimento a sua equipe, confira também o nosso ebook “Gestores de Marketing: como criar e manter o seu Dream Team”!

Ebook para Gestores de MarketingPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *