Por Leandro Abreu

Redator freelancer da Rock Content

Publicado em 10 de dezembro de 2019. | Atualizado em 18 de março de 2020


Pingback e trackback são protocolos utilizados para notificar os administradores de um blog ou site sobre a adição de um backlink (links apontados para suas URLs). O funcionamento de ambos resume-se à criação de um comentário (mediante aprovação) em um ou mais posts referenciados em um conteúdo.

Populares no início da era dos blogs, o trackback e o pingback eram recursos obrigatórios para blogueiros se relacionarem e gerarem tráfego para seus artigos.

O problema é que o crescimento desenfreado das práticas de spam acabaram tornando-os uma verdadeira dor de cabeça para muitos produtores de conteúdo e, por isso, o seu uso nos dias de hoje é bastante restrito.

Se você utiliza o WordPress para gerenciar a sua estratégia de Marketing de Conteúdo, saiba que o pingback já vem pré-configurado na ferramenta, no entanto, sua desativação é muito simples.

A questão, porém, é saber se essa funcionalidade vale a pena ou não para o seu projeto, e é sobre isso que falamos neste artigo.

Confira os tópicos que abordamos!

Continue conosco para saber mais!

O que são pingback e trackback?

Pingback e trackback são protocolos utilizados para o gerenciamento de backlinks, os links externos que apontam para os endereços do seu site ou blog.

O trackback, porém, é considerado ultrapassado, enquanto o pingback, além de mais aprimorado, se destaca por ser um recurso automatizado.

O principal benefício desses protocolos é que você é informado diretamente pelo autor do conteúdo que um link do seu site foi utilizado em seu material, além de poder retribuir o “favor” exibindo um link de retorno em sua postagem.

Na prática, um pingback é gerado da seguinte maneira:

  • um blog A publica um conteúdo (um blog post, por exemplo) no qual consta um link apontando para um blog B (backlink);
  • o blog B recebe um pedido de aprovação de comentário (pingback) referente ao backlink inserido no post do blog A;
  • se o blog B aprovar, um comentário com um link para o artigo do blog A é publicado na caixa de comentários do post que foi referenciado.
Pingback exemplo

A única diferença entre o pingback e o trackback nesse processo é que o segundo precisa ser enviado manualmente e o comentário postado exibe um trecho do conteúdo (na maioria dos plugins e temas do WordPress).

Como esses recursos funcionam dentro do WordPress?

A maneira mais simples de enviar um trackback pelo WordPress é utilizar essa função no editor de texto clássico da plataforma (WordPress Classic Editor).

Basta inserir o URL do trackback ― se também for um site WordPress, este link será o “endereço de destino/trackback” ― na seção Enviar trackback (ou “Send trackbacks).

Trackback no WordPress
Fonte: WPExplorer

Vale ressaltar que o site de destino só receberá a notificação se o recurso estiver ativado em seu site. Outro ponto importante é que essa função não está presente no novo editor Gutenberg, o que confirma o desuso desse protocolo.

Os pingbacks, por outro lado, são pré-configurados e ativados nas novas versões do WordPress, e como seu funcionamento é automático, nenhuma tarefa precisa ser realizada para gerá-lo.

O moderador do site referenciado, porém, receberá uma notificação de moderação (no painel e por email) para inserção ou não do link de retorno nos comentários do seu artigo.

Pingback e trackback no WordPress
Fonte WWPKube

Qual a influência do trackback e do pingback no SEO?

O Link Building é um dos fatores mais importantes em uma estratégia de SEO. Desde a indexação de novas páginas à construção de autoridade nos rankings de pesquisa, a criação de uma rede de links sólida é essencial para garantir o crescimento de um site.

Nesse cenário, temos os backlinks como um dos principais fatores avaliados pelo Google para definir a confiabilidade de um domínio.

O raciocínio é simples: se o seu blog é constantemente referenciado por blogs de qualidade, provavelmente ele também entrega um conteúdo de qualidade.

Entretanto, esses backlinks não podem ser inseridos de qualquer maneira. Criar páginas e sites unicamente para criar backlinks, por exemplo, é uma prática facilmente detectável e classificada como Black Hat (práticas de SEO “ilegais” passíveis de punição pelo Google).

Outro problema comum são os backlinks negativos, aqueles criados em sites de má qualidade que promovem conteúdos e produtos ilícitos.

Em teoria, os trackbacks e pingbacks são uma ótima solução para obtermos controle sobre a criação desses links externos e até para promover trabalhos colaborativos entre blogs. Na prática, porém, alguns problemas graves acabam chamando a atenção.

Quais são as vantagens e desvantagens desses protocolos?

O glossário oficial do WordPress apresenta o trackback da seguinte forma:

“Um trackback o ajuda a notificar o outro autor que você escreveu algo relacionado ao que ele havia escrito em seu blog. Isso aumenta as chances do outro autor perceber que créditos foram dados a ele, que você melhorou o que ele havia escrito, ou algo parecido.”

Esse tom um tanto “diplomático” remonta os primórdios da popularização dos blogs na Internet.

Antes da atual variedade de perfis e canais de contato disponibilizada, principalmente, pelas redes sociais, os trackbacks eram uma forma sutil de criar uma conversa entre dois autores e fazer parcerias.

O problema é que, se por acaso, o seu projeto fica famoso e seu blog começa a ser muito referenciado, o gerenciamento das notificações se torna um trabalho um tanto desgastante e o pior: seu site pode se tornar alvo de uma infinidade de spammers.

Os trackbacks e pingbacks, portanto, apresentam vantagens e desvantagens como qualquer outra ferramenta, e sob a ótica do Marketing Digital, podemos levantar algumas questões relevantes.

Quais são as vantagens do pingback e do trackback?

Embora seu uso não seja mais tão popular, esses protocolos apresentam alguns benefícios como:

  • você é notificado quando novos backlinks são criados para seus conteúdos;
  • seu tráfego pode ser beneficiado por esses backlinks e por pingbacks postados em blogs respeitados;
  • não apenas o tráfego, mas o seu trabalho de SEO por completo é favorecido por esses links (desde que eles não estejam vinculados a spam);
  • parcerias podem ser geradas por meio da interação entre blogs.

Quais são as desvantagens do pingback e do trackback?

Por outro lado, esses protocolos podem gerar uma série de problemas quando não são bem gerenciados.

Além disso, tendo em vista que seu uso não é muito comum nos dias de hoje, o controle de backlinks que oferece não é tão eficiente como foi no passado.

As principais fragilidades dessas tecnologias são:

  • Spans: infelizmente, tanto os trackbacks quanto os pingbacks se tornaram uma das ferramentas mais utilizadas por spammers para disseminar uma infinidade de links spam (não autorizados);
  • gerenciamento demorado: com a presença acentuada de spans, a moderação dos pingbacks e trackbacks pode tomar muito tempo, bem como sua publicação e, naturalmente, seus resultados;
  • auto-pingbacks: o WordPress pode criar pingbacks também para os links internos criados em seu conteúdo, o que exigirá ainda mais trabalho na moderação;
  • prejuízos em SEO: pingbacks e trackbacks não monitorados são capazes de transformar o seu site em uma fazenda de links problemáticos, o que comprometerá a autoridade da sua marca e do seu site nos motores de busca.

Usar ou não usar esses recursos?

Como dito, os trackbacks perderam sua popularidade na Internet para os pingbacks e seu uso nos dias de hoje, inclusive, é capaz de levantar suspeitas sobre a seriedade do seu site. Sendo assim, a recomendação é não utilizá-los.

Os pingbacks, por outro lado, ainda têm espaço em muitos projetos, embora sejam relativamente raros em blogs corporativos, justamente pelo desafio técnico de gerenciá-los.

De qualquer maneira, eles são uma forma interessante de gerar tráfego orgânico em sites recentes, e algumas dicas podem melhorar o seu trabalho com eles:

  • invista em um bom plugin antispam, como Akismet, WordPress Zero Spam ou All In One WP Security & Firewall, e configure-o corretamente;
  • utilize o plugin No Self Pings para desativar a geração de auto-pingbacks;
  • entre em contato com o site que pretende enviar pingbacks para não ser marcado como spam pela moderação;
  • lembre-se que a ativação dos pingbacks não dispensa o uso de outras ferramentas para análise de backlinks como o Link Explorer e o SEMrush.

No entanto, se esse recurso não te convenceu, está tudo bem. Os pingbacks não são essenciais para sua estratégia de SEO e, atualmente, outras técnicas têm sido utilizadas para construir uma rede de links externos com muito mais segurança e qualidade como os Guest Posts.

https://materiais.rockcontent.com/escale-sua-producao-de-conteudoPowered by Rock Convert

Como desativar os pingbacks e trackbacks no meu site WordPress?

Para se livrar dos pingbacks e trackbacks e nunca mais perder tempo com notificações relacionadas ou incomodar blogs parceiros, basta desabilitar o recurso no WordPress.

Como desativar (ou ativar) pingbacks e trackbacks?

Acesse o painel da plataforma, repouse o mouse no item Configurações e clique em Discussão no menu.

Discussão WordPress

Na janela que se abrir, desmarque a opção Permitir avisos de links de outros blogs (pingbacks ou trackbacks) em novos posts.

Configurações de discussão do WordPress

Por fim, role até o fim da janela e clique em Salvar Alterações. Para reativar o recurso posteriormente, basta remarcar a opção e salvar novamente.

Desativar pingbacks e trackbacks

Observe, porém, que isso afetará apenas as suas postagens futuras. Para configurar o mesmo para os posts anteriores precisados realizar algumas tarefas adicionais.

Como desativar os pingbacks e trackbacks em postagens existentes?

Retorne ao painel e arraste o cursor do mouse para o item Posts e, em seguida, clique em Todos os posts.

Todos os posts no WordPress

Agora, clique em Opções de tela no canto superior direito da janela.

Opções de tela do WordPress

Depois, digite 999 no campo Número de itens por página e, em seguida, clique em Aplicar. Isso fará com que todos os seus post sejam exibidos e possam ser configurados de uma só vez.

Alterar número de itens por página no WP

Se o seu blog tiver mais de 999 postagens, o procedimento ilustrado a seguir deverá ser feito em todas as páginas disponíveis.

Para selecionar todos os post, marque a caixa Título no topo da tabela de posts.

Título dos posts

Em seguida, acesse o menu suspenso Ações em massa e selecione a função Editar, depois clique em Aplicar.

Aplicar edição dos posts

Na nova tela que surgir, encontre a função Pings no canto direito e selecione Não permitir. Por fim, clique em Atualizar. Pronto!

Desativar pingbacks

Como você vê, os pingbacks e trackbacks seriam soluções muito mais eficazes se não fosse a presença massiva de spammers na Internet.

É por essas e outras que a configuração e a otimização em segurança e SEO são tão importantes para o sucesso dos negócios na Internet.

Quer se aprofundar um pouco mais nesse assunto? Então confira o nosso Guia do WordPress para Blogs Corporativos e aprenda a deixar o seu blog preparado para gerar o máximo de oportunidades!

Guia do Wordpress para blogs corportativosPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *