Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 9 de março de 2018. | Atualizado em 26 de março de 2019


O plano de ação é uma ferramenta de gestão usada para orientar gestores e sua equipe na execução de tarefas que levarão o negócio às suas metas estabelecidas para o ciclo, porém, é preciso saber desenvolvê-lo estrategicamente.

Um plano de ação é um instrumento de gestão empresarial que ajuda o gestor a levar seus negócios do ponto A até o ponto B — em outras palavras, determinar os passos em direção às metas estabelecidas para o negócio.

Para exemplificar isso com dados do mercado, segundo o relatório E-commerce Trends 201864,6% das lojas virtuais pretendem aumentar os investimentos em marketing para melhorar seus resultados comerciais.

Ou seja, o foco delas é melhorar o faturamento, e investir em marketing é uma das ações necessárias para alcançar o objetivo. Nesse caso, é claro, ainda é preciso determinar os gastos, outros elementos de influência e quem será o responsável por essa empreitada.

O plano de ação é tão prático e eficiente que até mesmo profissionais liberais usam a ferramenta para organizarem suas carreiras e atividades pessoais.

Mas, para trazer bons resultados, é preciso ser bem elaborado e compreendido. Neste post, mostramos o que é preciso saber sobre o desenvolvimento de um plano de ação. Acompanhe!

O que é plano de ação?

A primeira etapa para sua utilização é o entendimento do seu conceito, afinal de contas, existem diversos modelos, ferramentas de apoio e formas de construí-lo. Trata-se de uma ferramenta de administração que lista, em tópicos, quais ações são necessárias para a concretização de um objetivo.

Assim, ele permite quebrar o objetivo central de uma empresa em diversas tarefas, organizá-las cronologicamente, e determinar quem serão os profissionais responsáveis por executá-las, em quanto tempo, e com quais recursos e orçamento.

É uma ferramenta amplamente utilizada e, por isso, diversos aplicativos e sistemas foram desenvolvidos com seus princípios de organização e compartilhamento de responsabilidades. Veja a seguir alguns deles.

Todoist

Com esse aplicativo, é possível cadastrar equipes e tarefas em um calendário que organiza as atividades, indica o responsável por concluí-las e permite a inclusão de anexos que sejam determinantes para o prosseguimento de um plano de ação.

Assim, se uma empresa decide criar um plano de ação para um evento que vai realizar, pode listar:

  • quem serão os responsáveis pela gestão;
  • indicar os prazos de conclusão de cada etapa;
  • anexar orçamento de fornecedores;
  • estabelecer datas limites para tomadas de decisão, entre outros detalhes.

Trello

Também muito famoso, o Trello tem as mesmas funcionalidades do Todoist e outras soluções. Ele permite determinar se a etapa foi concluída ou não, criar alarmes sobre a proximidade de um prazo, bem como diferentes classificações para as tarefas.

Ou seja, um gestor pode criar listas e planos de ações para diferentes aspectos da sua vida, profissional ou pessoal, e gerenciar tudo isso em um mesmo aplicativo de forma organizada e eficiente.

É possível citar outros aplicativos, como Schedule Planner e o Evernote. Além da organização das ações, eles garantem a produtividade das pessoas envolvidas. Vejamos detalhadamente suas contribuições para o negócio.

Temos certeza que estes outros conteúdos podem te ajudar também!
👉 Análise SWOT ou Matriz F.O.F.A.: o que é e como fazer [templates]
👉 Balanced Scorecard (BSC): o que é e como aplicar este framework
👉 Diagrama de Ishikawa: o que é, vantagens e como usá-lo
👉 4 Ps do marketing: entenda o conceito do Mix de Marketing

Quais os principais benefícios do plano de ação para as empresas?

O plano de ação traz ótimos resultados para o negócio, mesmo que seja utilizado para organizar apenas as ações de seu gestor, por exemplo. Entre seus ganhos, podemos listar os seguintes.

Dividir metas maiores em pequenas etapas

Segmentar um grande objetivo em pequenas fases torna sua execução mais factível, além de trazer ganhos para o aspecto emocional.

Isso acontece principalmente porque pequenas vitórias são engajadoras e fazem com que o profissional enxergue suas atividades com mais controle sobre as dificuldades e desafios do momento.

Organizar prazos e prioridades

Algumas ações são mais urgentes ou necessárias do que outras a cada fase do negócio, e ter todas elas mapeadas permite que o gestor consiga determinar a ordem de execução com mais exatidão. Assim, o andamento do plano será otimizado, evitando retrabalhos ou atrasos.

Escolher o profissional mais capacitado para cada função

O uso do plano de ação e a consequente segmentação das tarefas garante que o negócio também consiga determinar quais as responsabilidades de cada membro da sua equipe de acordo com suas especialidades.

Além disso, deixa claro a todos os colaboradores quais as responsabilidades de cada um, com quem eles devem trabalhar, assim como o entendimento de quais etapas dependem do sucesso das suas execuções. Cria-se, então, o senso de comprometimento com o trabalho em equipe.

Organizar a rotina

Planos de ação também podem ser utilizados para tarefas recorrentes de uma empresa. Pode ser utilizado, por exemplo, por uma agência de Marketing Digital que queira determinar quais as primeiras ações nas mídias digitais e redes sociais deverão ser programadas para seus novos clientes.

Usando aplicativos como o Todoist, é possível criar diferentes times, e determinar quais deles ficarão responsáveis por conduzir as ações para cada cliente, quais as ações devem ser realizadas, e replicar esse modelo sempre que novos contratos forem fechados.

Como fazer um plano de ação?

Para realizar um bom plano de ação ou avaliar quais aplicativos e ferramentas são mais compatíveis com a dinâmica do negócio, é importante entender quais são suas etapas e condução.

Planejamento das ações

O primeiro momento do plano é determinar todas as ações necessárias para a execução do projeto. Assim, se o objetivo é dobrar as vendas, é requisito básico do levantamento listar necessidades como aumento de equipe, recrutamento, troca de maquinário, investimentos em Marketing de Conteúdo e Google Ads, bem como demais mudanças envolvidas.

Execução e monitoramento das ações

Nessas fases, são determinados os responsáveis por executar cada tarefa, o prazo de entrega, elementos que serão necessários para sua execução, entre outros aspectos.

É possível usar planilhas tradicionais do Excel, agenda do Google ou aplicativos de produtividade, como os citados nos tópicos anteriores.

De qualquer maneira, a cada etapa finalizada, o monitoramento se encarregará de notificar o início da próxima fase, garantindo que o cronograma seja realizado com sucesso.

Conclusão e análise dos resultados

Com o fim do plano de ação, é preciso avaliar os resultados, quais pontos poderiam ter sido melhorados na estratégia, assim como se o modelo pode ser replicado para projetos similares no futuro. Isso garantirá padronização e otimização das ações futuras.

Um plano de ação pode trazer resultados expressivos de otimização de gastos, melhoria no atendimento e relacionamento com cliente, além, é claro, de produtividade e vendas para o negócio. Pode ser utilizado ainda como base para ações de marketing.

Quer saber como elaborar um plano de marketing que determine as ações a serem tomadas, suas características e determinação de responsabilidades? Então, confira este guia completo para a elaboração do plano de marketing com um template simples de ser utilizado!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo