Por Larissa Lacerda

Editora do Blog da Rock Content.

Publicado em 9 de agosto de 2019. | Atualizado em 6 de setembro de 2019


O Google anunciou que serão apresentados episódios de podcasts nas páginas de busca, tornando-se possível ouvi-los individualmente no próprio buscador.

Se você ainda não se convenceu do potencial dos podcasts, talvez esse seja um momento interessante para saber que o Google tem se mostrado bem confiante em relação a esse tipo de conteúdo. 

E, caso você faça parte do crescente grupo de pessoas que consomem diariamente o formato, vai ficar muito feliz em saber que o maior buscador do mundo decidiu apresentar episódios de podcasts nas próprias páginas de resultado.

O pronunciamento sobre a novidade foi feito na quinta-feira, dia 8 de agosto, e a funcionalidade já está disponível para as buscas em inglês localizadas nos Estados Unidos.

Quer saber mais como funcionará o streaming de áudio pelo Google e quais serão os efeitos dessa grande mudança? Então continue a leitura e fique inteirado sobre o assunto!

Como ouvir podcasts na página do Google?

Antes de explicarmos como funcionará a novidade, é importante falar um pouco sobre como funciona a pesquisa por podcasts atualmente no buscador. Nessas situações, ainda é preciso especificar o formato desejado, digitando a palavra-chave mais o termo “podcast”. 

Ou seja, uma pesquisa como: “podcast sobre Marketing Digital”, era uma das únicas formas possíveis de encontrar algum episódio ou podcast que contenha essa KW no título.

Com essa mudança, para qualquer busca — desde que exista algum material em áudio de qualidade e relacionado ao tema — será possível encontrar podcasts rankeando na SERP.

Veja o exemplo retirado da notícia produzida pelo The Verge:

Vale lembrar também que a empresa de tecnologia confirmou que essa modificação também estará disponível para o Google Assistant. Dessa forma, será ainda mais fácil ouvir um podcast, e, até mesmo, conhecer novos sobre os temas que o agradam. 

Como rankear os podcasts no Google?

Partindo para uma visão mais prática, a grande pergunta que surge é: como conseguir rankear bem com um podcast?

E, para responder isso, Zack Reneau-Wedeen, product manager do Google Podcasts, afirmou que serão levados alguns critérios em conta, como:

Apesar de parecerem um pouco vagos, esses três pontos podem ser um bom parâmetro se combinados com outros conhecimentos de SEO que temos conquistado até então. Partindo dessa perspectiva, a qualidade do conteúdo estará relacionada a questão técnica de produção do conteúdo, mas também poderá ter muito a ver com o seu alinhamento com a intenção do usuário.

Outro exemplo seria a autoridade do podcast, que pode estar vinculada a força do domínio de origem, podendo ser ele um grande produtor de conteúdos digitais ou simplesmente uma marca já consolidada no mercado. Esse último poderia ser ilustrado com o caso da Fini, empresa reconhecida por suas balas de goma e que iniciou neste ano o projeto FiniCast.

Além disso, um fator extremamente importante para o rankeamento de podcasts no Google é a presença de um Feed RSS dos episódios, de forma que será possível conseguir uma indexação automática do buscador

Isso acontece porque o algoritmo de busca não consegue ler diretamente o áudio e, por esse motivo, os conteúdos passam, primeiramente, por um processo de transcriação pela plataforma. De acordo com o próprio Google, mais de 2 milhões de episódios já foram indexados.

Você também pode se interessar por estes outros conteúdos!
👉 Pesquisa por voz: saiba como voice search impacta no SEO
👉 Áudio Marketing: 6 formas que o áudio pode melhorar seus resultados
👉 Como rankear em primeiro no Google para qualquer palavra-chave?

Quais as possíveis consequências do rankeamento de podcasts?

Como apresentado, uma das grandes preocupações dos produtores de podcasts será a conquista de boas posições na SERP e isso poderá dar origem a efeitos colaterais, principalmente nos próprios ouvintes.

Será que os podcasts otimizados conseguirão manter a sua naturalidade? Ou se tornarão longos áudios com palavras-chave a cada 5 minutos? Seria mais uma movimentação a favor da midiatização desses conteúdos? Eles ficariam chatos, cansativos ou padronizados demais?

Ainda é muito cedo para formular respostas para essas perguntas, mas tomando como base o universo da otimização para textos, podemos inferir que tudo isso poderá acontecer, mas não de forma generalizada. Serão produzidos conteúdos bons ou ruins, otimizados em excesso ou não.

Fora isso, o Google já conhece muito bem práticas como o keyword stuffing e outras consideradas como black hat, e, para isso, ele já confirmou que serão feitas penalizações de acordo com a gravidade da ação.

Indo além das questões de SEO, essa novidade revela o caminho pelo qual o comportamento do consumidor tem tomado nos últimos anos e de que modo os imperativos da urgência, facilidade e hipersegmentação tem se confirmado cada vez mais presentes na sociedade.

Se você gostou de ficar por dentro dessa novidade, aproveite para se inspirar sobre o mundo dos áudios com os 10 melhores podcasts para seguir!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *