Por Camila Casarotto

Redatora Freelancer da Rock Content

Publicado em 5 de fevereiro de 2019. | Atualizado em 11 de fevereiro de 2020


Publicidade é a estratégia de marketing que envolve a compra de espaço em um veículo de mídia para divulgar um produto, serviço ou marca, com o objetivo de atingir o público-alvo da empresa e incentivá-lo a comprar.


(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post! Deixe nos comentários o que achou.)

Ela faz parte das nossas vidas. Está nas ruas, nos shoppings, dentro das nossas casas, no jornal, na revista, no celular, na internet. Para onde você olhar, ela está lá.

Estamos falando da publicidade, tão presente no nosso dia a dia!

Anúncios publicitários têm seu papel importante: eles servem para divulgar produtos, serviços e marcas, com o objetivo de estimular as relações comerciais.

Porém, para isso, eles invadem a nossa rotina – e muitas vezes não estamos a fim disso. Quem nunca perdeu a paciência com aquele anúncio chato no YouTube? Parece que sempre tem uma publicidade perturbando, querendo vender algo o tempo todo!

Mas será que ela é tão chata assim? Aposto que você já riu alto assistindo a um comercial na TV! Anúncios também emocionam, entretêm, fazem rir e chorar, e ainda informam sobre uma nova loja na cidade ou uma promoção imperdível.

Nesse post, vamos analisar tudo sobre a publicidade, desde a sua definição até os seus dilemas, para entender como ela funciona e qual o seu papel. Vamos lá?

Nesse post você vai ver:

O que é publicidade?

Publicidade é a estratégia de marketing que envolve a compra de espaço em um veículo de mídia para divulgar um produto, serviço ou marca, com o objetivo de atingir o público-alvo da empresa e incentivá-lo a comprar.

Porém, essa é uma definição limitante da publicidade, que envolve muito mais que a compra de um produto.

Publicidade também é uma área do conhecimento, dentro da Comunicação Social, que estuda não só a técnica da atividade, mas também sua função nas relações sociais e culturais. Afinal, se ela está tão presente no nosso dia a dia, ela participa das nossas vidas.

Não por acaso, publicitários estão sempre de olho nas tendências culturais e comportamentais da sociedade, para que os anúncios gerem uma identificação com o consumidor.

Portanto, publicidade também pode ser compreendida como um reflexo da sociedade da sua época, pois reproduz os comportamentos e valores vigentes.

Apesar disso, muita gente acredita que a publicidade não reflete a sociedade simplesmente – ela incentiva e molda comportamentos. Por isso, ela precisa de regulações para evitar abusos, como veremos a seguir.

Portanto, a publicidade é polêmica. Às vezes, ela é vista como vilã, por incentivar o consumismo, influenciar comportamentos e invadir a nossa rotina.

Em outros momentos, ela pode ser a mocinha, que não tem culpa sobre as mazelas da sociedade e ainda cumpre a função de informar e entreter com criatividade.

Marketing x Publicidade

Existe uma confusão comum entre marketing e publicidade. Afinal, as duas atividades têm como objetivo vender um produto ou serviço. Então, seriam elas a mesma coisa?

Não, existe uma diferença. Para entender melhor, vamos retomar um conceito tradicional do marketing: o Mix de Marketing, mais conhecido como os 4 Ps.

Preço, Praça, Produto e Promoção são os quatro elementos básicos de uma estratégia de marketing, e o equilíbrio entre eles faz uma marca se fortalecer junto ao seu público-alvo.

No P de Preço, você deve pensar nos custos da empresa e nas projeções de lucro, mas também no perfil do público-alvo, que deve estar disposto a pagar aquele valor.

Já o P de Praça se refere aos locais onde você oferta seus produtos, como a loja física ou virtual, bem como os canais de distribuição e armazenamento.

O P de Produto envolve as estratégias sobre os atributos tangíveis (cor, forma, embalagem) e intangíveis (qualidade, reputação, status) do produto.

Mas é no P de Promoção que queremos focar neste post, pois é aí que entra a publicidade.

Promoção são todas as estratégias de divulgação do produto para alcançar o público-alvo. Publicidade é uma delas, mas também pode envolver ações de assessoria de imprensa, relações públicas, patrocínios, entre outras.

Portanto, a publicidade é uma ferramenta do marketing. Enquanto o marketing se preocupa em compreender o público-alvo e desenvolver estratégias para atendê-lo, a publicidade é focada em atingi-lo com uma comunicação persuasiva.

Para funcionar, o marketing precisa do alinhamento entre os 4Ps. Já imaginou se a campanha publicitária atinge o público-alvo e desperta o interesse, mas a loja online está fora do ar?

A Promoção funcionou, mas a Praça não, e a marca não alcançou as vendas desejadas.

Aprenda tudo sobre Marketing Digital

Este guia completo vai ensinar para você tudo sobre marketing digital e como aplicá-lo.


Publicidade enganosa e abusiva

A publicidade consegue influenciar os hábitos de consumo e motivar a compra de um produto.

Com esse poder em mãos, não são poucos os anúncios que fazem uma publicidade enganosa, que forçam a barra (ou, podemos dizer, que mentem mesmo) sobre as qualidades do produto e podem levar o consumidor ao erro.

Outro tipo de anúncio prejudicial ao consumidor é a publicidade abusiva, que incentiva a discriminação, a violência, o medo, ou desrespeita a criança, o meio ambiente, a saúde e a segurança das pessoas.

Mas tem muita gente de olho para evitar esse tipo de publicidade. Entre muitas outras limitações à atividade publicitária, o Código de Defesa do Consumidor define o que é publicidade enganosa e abusiva e prevê as penalidades para quem incorrer nessas práticas.

Além das entidades de defesa do consumidor, os próprios publicitários também estão preocupados com isso.

Na década de 70, em resposta a um projeto de lei que iria propor censura prévia à publicidade, o mercado criou suas próprias regras, reunidas no Código de Autorregulamentação Publicitária.

Hoje, esse código norteia a atuação do CONAR, que reúne representantes de agências, veículos e anunciantes em defesa da ética publicitária.

Publicidade infantil

Entre os anúncios considerados abusivos, uma atenção especial é dedicada à publicidade infantil. Criança não tem discernimento para saber o que é real ou não – e a publicidade consegue mexer muito com a fantasia e a imaginação.

Por isso, para o Direito, a criança é considerada vulnerável e precisa ser protegida das práticas publicitárias.

O CONAR condena, por exemplo, o merchandising em programas infantis e o uso de expressões imperativas, como “peça o seu”, “acesse agora” ou “compre Baton” – anúncio que não seria veiculado atualmente na TV brasileira.

Neste tipo de anúncio, também tem muita gente de olho. Além das entidades de defesa do consumidor e de regulamentação da publicidade, os anúncios direcionados ao público infantil também sofrem pressão de leis e instituições de proteção à criança.

O Alana, com seu projeto Criança e Consumo, é uma das entidades mais atuantes, ao buscar a conscientização sobre os impactos causados pela publicidade dirigida às crianças.

Porém, há uma discussão sobre os limites dessas restrições. Enquanto os publicitários defendem o direito à informação com uma publicidade infantil ética, os movimentos de proteção à criança defendem a proibição da publicidade direcionada a menores de 12 anos.

História da publicidade

Sem a tecnologia que temos hoje, a única ferramenta para divulgar um produto ou serviço era a lábia do vendedor. Mas muita coisa aconteceu do boca a boca até os atuais anúncios mobile.

A primeira grande transformação para a publicidade foi a invenção de Gutenberg, no século XV. A prensa mecânica permitiu a reprodução de textos além dos manuscritos e fez surgir também um dos principais veículos de mídia: o jornal impresso.

Em 1625, o periódico inglês Mercurius Britannicus publicou o primeiro anúncio em jornal. No Brasil, isso aconteceu apenas no final do século XIX, com textos produzidos por poetas como Olavo Bilac.

A publicidade ainda não tinha o caráter persuasivo que depois passou a ter – o objetivo era apenas apresentar o produto ou serviço.

Já na Era Industrial, a publicidade assumiu um papel importante: incentivar o consumo dos bens produzidos em massa nos centros urbanos. Com isso, o mercado se profissionalizou.

Em 1841, Volney Palmer, que fazia a negociação de espaços entre jornais e empresas, criou a primeira agência de publicidade, na Filadélfia (EUA). No Brasil, a primeira agência foi criada em 1914 e se chamava A Eclética.

Nos primeiros anos do século XX, a indústria automobilística foi a grande impulsionadora da publicidade. Henry Ford disse: “deixar de investir em publicidade para poupar dinheiro é como parar o relógio para economizar tempo”. Faz sentido, né?

Nas décadas seguintes, o rádio e as revistas incentivaram a indústria da propaganda, mas foi a televisão que a revolucionou. Em 1941, foi ao ar o primeiro comercial de TV, para a marca de relógios Bulova, ao custo de 9 dólares (veja aqui esse anúncio histórico!).

O audiovisual deu asas à criatividade, e os anúncios se tornaram muito mais interessantes e persuasivos. Junto a isso, a publicidade passou a ser motivo de estudos, pesquisas e críticas, com o objetivo de avaliar seu impacto sobre a sociedade.

Já nas décadas mais recentes, surgiu outra revolução para a publicidade: a internet. Espaços de divulgação em buscadores, portais, blogs, e-mails e redes sociais representaram uma nova e grande oportunidade para os anunciantes.

Com o marketing digital, ficou muito mais fácil atingir o público-alvo e mensurar com precisão os resultados de uma campanha, algo que até então nenhum veículo permitia.

Porém, a publicidade se vê desafiada por essas novas mídias, que questionam o modelo tradicional de anúncio e agência.

Hoje, as marcas precisam se relacionar com os consumidores oferecendo bons conteúdos a eles, e não invadindo sua rotina com anúncios chatos. Como, então, a publicidade pode ser mais relevante?

Além disso, o marketing digital democratizou o acesso à publicidade: hoje, qualquer empresa consegue criar anúncios no Google ou no Facebook. E agora, qual a serventia das agências?

O mercado está se reinventando. Para acompanhar as mudanças, a certeza é que não se pode tirar o olho das inovações tecnológicas e do consumidor.

Anúncios que fizeram história

Falar da história da publicidade é também falar de anúncios que marcaram época. Eles são lembrados até hoje por seus bordões, por seu impacto ou por sua estética. Vamos ver alguns (certeza que você vai gostar de se lembrar deles!):

“We can do it” – Westinghouse Electric

O anúncio da Westinghouse Electric tinha como objetivo apenas motivar as trabalhadoras da indústria durante a II Guerra Mundial. Mas o cartaz de uma mulher forte e determinada acabou se tornando um símbolo do feminismo, utilizado até hoje.

publicidade

“1984” – Apple

Em 1984, no lançamento do primeiro Macintosh, a Apple impactou os espectadores do Super Bowl com um comercial lendário, em referência ao Grande Irmão de George Orwell. Já dava para ver que Steve Jobs não brincava em serviço…

“United Colors of Benetton” – Benetton

Oliviero Toscani foi um fotógrafo polêmico. Nas campanhas da Benetton, uma marca italiana de moda, ele mostrou o racismo, o trabalho infantil, a AIDS, a fome, o preconceito religioso, e provocou muitos debates sobre o papel da publicidade.

publicidade

“Hitler” – Folha de São Paulo (agência W/Brasil)

“É possível contar um monte de mentiras dizendo só a verdade”. Com um texto primoroso e a voz de um narrador em off, a Folha de S. Paulo chamou a atenção dos telespectadores para apresentar o seu posicionamento, em 1988. Sem humor, mas com muita criatividade.

“Bombril tem 1001 utilidades” – Bombril (agência DPZ)

O ator Carlos Moreno ficou conhecido como o “Garoto Bombril”, por ser o garoto-propaganda da marca por mais de três décadas. Todos os anúncios mostravam ele falando diretamente com a dona de casa atrás de uma bancada, sempre com um toque de humor.

“Pipoca e Guaraná” – Guaraná Antarctica (agência DM9DDB)

E quando a publicidade inclui um hábito em nossas vidas? Em 1991, a Guaraná Antárctica lançou um jingle que virou um grude e consagrou o costume de comer pipoca tomando guaraná. Vê se não dá vontade de cantar:

“Mamíferos” – Parmalat (agência DM9DDB)

Em 1996, era impossível não falar “ooun, que amor!” com essas fofuras na tela da TV. A campanha da Parmalat incluía também uma promoção para que o consumidor levasse os bichinhos de pelúcia da marca para a sua casa.

“Red Bull Stratos” – Red Bull

Por último, vamos relembrar uma campanha recente. Em 2012, a Red Bull promoveu o primeiro salto em queda livre da estratosfera. Só que tudo isso foi transmitido ao vivo, no YouTube, para milhões de pessoas – apesar dos riscos envolvidos.

Com um conteúdo tão interessante, a marca não interrompeu a rotina das pessoas – ela foi o evento que todos queriam ver! Será esse o caminho para a publicidade atual?

Ah, lembrou alguma publicidade marcante que não falamos aqui? Deixe nos comentários para relembrarmos juntos!

Como funciona uma agência de publicidade

A publicidade envolve principalmente três tipos de empresas: agências, anunciantes e veículos. Um publicitário pode trabalhar em qualquer uma delas, exercendo diferentes funções, mas é nas agências de publicidade que se concentra grande parte deles.

Trabalhar em um ambiente descontraído, cheio de criatividade e brainstorming, com os nomes mais premiados do mercado, faz parte do imaginário dos profissionais da área.

Mas, na vida real, o glamour fica de lado: tem muito trabalho rolando e muita gente virando a madrugada para entregar os jobs (ah, numa agência você ouvirá MUITAS palavras em inglês…).

Uma agência de publicidade é responsável por desenvolver as campanhas publicitárias dos seus clientes. Para isso, vários setores interagem para discutir as ideias e executar as tarefas. Em uma agência tradicional, essas são as principais áreas envolvidas:

Atendimento

Tudo começa no Atendimento publicitário. O profissional dessa área é responsável pela ponte entre a agência e o cliente. É ele quem pega o briefing com o anunciante, organiza as informações e repassa para a equipe interna.

Depois, ele acompanha a produção da agência e busca as aprovações junto ao cliente, fazendo os contatos necessários nesse processo.

Por lidar diretamente com o cliente, esse profissional é chave para o sucesso da agência. Mas, para trabalhar nessa área, ele precisa ter muito jogo de cintura para lidar com as cobranças do cliente e com os limites da agência.

Planejamento

Depois de pegar as informações com o cliente, o Atendimento passa a demanda para o Planejamento publicitário. Nessa área, o briefing é refinado, com informações de pesquisas sobre o mercado de atuação do cliente e o comportamento do consumidor.

Essas informações fundamentam as estratégias criadas pelo Planejamento, que desenvolve o conceito da campanha, sugere as peças e indica o cronograma.

Nessa área, o profissional precisa ser extremamente estratégico, com uma visão abrangente sobre o negócio do cliente. Mas ele também precisa ter um olhar criativo para desenvolver um conceito original e inspirar os profissionais de criação.

Redação

Com o briefing pronto, a campanha começa a tomar forma. Agora, a Redação transforma o conceito da campanha em textos, roteiros, chamadas e títulos. Muitas vezes, esse trabalho é realizado em dupla com a Criação, que veremos a seguir.

O redator publicitário precisa ser um expert na escrita persuasiva. Seu objetivo é direcionar o pensamento da audiência para determinado objetivo, de maneira atrativa.

Para isso, existem vários recursos de copywriting, como usar metáforas e frases de duplo sentido, criar um senso de urgência, despertar a curiosidade ou contar uma história envolvente.

Criação

Finalmente, é na Criação publicitária que a campanha ganha vida. Nas mãos do diretor de arte, o conceito se transforma em fotos, vídeos, traços e ilustrações para as peças publicitárias.

Em parceria com o redator, o diretor de arte define as melhores imagens para as peças, que sejam atrativas, que gerem identificação e que transmitam a mensagem do cliente.

Geralmente, espera-se que diretor de arte faça a mágica na campanha. Porém, a criatividade deve estar presente em todas as áreas da agência, em busca de uma solução original para o cliente. Para isso, todos devem buscar referências e inspirações.

Mídia

O profissional de Mídia conhece como ninguém os veículos de mídia. Por isso, ele está presente em vários momentos do desenvolvimento da campanha.

No planejamento, ele ajuda a selecionar os melhores veículos, de acordo com o perfil do público-alvo e o orçamento do cliente, buscando o melhor custo-benefício.

Na hora da criação, ele indica as dimensões e orientações para cada formato de mídia.

Depois de finalizada a criação, é ele também o responsável por negociar os valores com os veículos e comprar os espaços, administrando a verba da campanha.

É essa negociação que, em muitos casos, define a remuneração da agência, pois a ela é dedicado 20% do valor investido pelo anunciante na mídia – o chamado BV (Bônus de Veiculação) ou Comissão de Agência.

Você também pode se interessar por este conteúdo!
👉 Saiba quais são as 5 diferenças entre ATL e BTL que você precisa conhecer para aplicar na sua estratégia de marketing

Outras áreas de uma agência de publicidade

Existem ainda outras áreas, que podem ou não existir, dependendo do porte e da organização da agência de publicidade. Conheça algumas delas e suas responsabilidades:

  • Pesquisa: nutrir o Planejamento com dados sobre o cliente, mercado e consumidor.
  • Produção: produzir fotos, vídeos e áudios para a área de Criação.
  • Tráfego: organizar as demandas internas e garantir as entregas de cada área.

Em agências pequenas, é comum a Pesquisa ser realizada pelo Planejamento, a Produção ser terceirizada e o Tráfego ser organizado pelo Atendimento.

Mas, se a agência for grande, ela pode ter um ou mais profissionais especializados em cada área, centralizando todo o serviço dentro da agência.

Conheça as 5 maiores agências de publicidade do Brasil!

A web nas agências de publicidade

O marketing digital trouxe diversas novas possibilidades para a publicidade e deu um nó na cabeça do mercado. Como absorver as demandas da web dentro de uma agência?

Aquele modelo tradicional não conseguia dar conta da dinâmica e dos novos formatos que a web exigia. Por isso, diferentes soluções apareceram.

Nos últimos anos, surgiram muitas agências digitais, focadas apenas na web. Nessas empresas, geralmente existe um híbrido entre cargos tradicionais de uma agência, como Atendimento e Planejamento, e profissionais focados no digital, como Mídia Online, SEO e Programação.

Algumas delas foram criadas por grandes agências, que desenvolveram um “braço digital” para atender especificamente as demandas de web dos seus clientes.

Outra solução adotada no mercado foi adaptar a agência tradicional para o marketing digital, tornando-se uma agência “full service”.

Para isso, a agência precisa passar por algumas adaptações estruturais, como a inclusão da produção de conteúdo para web dentro do setor de Redação, por exemplo. Ou, ainda, a contratação de profissionais especializados em Mídia Online.

Além das mudanças estruturais, é importante também que a equipe mude a mentalidade. A web exige uma abordagem diferente dos veículos tradicionais, pois tem canais, ferramentas e perfil de usuário específicos.

Publicitários dentro dos anunciantes

Além das agências, os anunciantes também oferecem oportunidades para os publicitários. Nessas empresas, a publicidade fica dentro do departamento de marketing.

Dependendo do porte da empresa, o profissional pode centralizar todas as tarefas da área (um “faz-tudo”), pode fazer a intermediação com uma agência de publicidade terceirizada, ou pode ainda integrar uma agência “house” (quando existe uma agência alocada dentro do anunciante).

Publicitários dentro dos veículos

Publicitários podem também trabalhar dentro dos veículos, como jornais, revistas, rádios, mídia outdoor ou online. Seu papel, geralmente, é prospectar anunciantes e manter o relacionamento com eles, oferecendo novas oportunidades de espaços.

Sites de publicidade

Quer continuar acompanhando o mundo da publicidade? Então confere essa lista de sites que você deve ter nos seus favoritos para se manter atualizado:

  • Brainstorm #9 – Um dos melhores e mais antigos sites sobre criatividade e inovação.
  • Plugcitários – Também um dos melhores sites brasileiros sobre publicidade.
  • Adnews – Traz as últimas notícias sobre o mercado publicitário.
  • Meio e Mensagem – Portal sobre Comunicação, Marketing e Mídia.
  • Ads of the World – Grande acervo de anúncios publicitários do mundo inteiro.
  • Ad Age – Portal de notícias internacionais sobre marketing e publicidade.
  • Adweek – Outro importante portal de notícias sobre marketing e publicidade.

Embora sofra muitas críticas, a publicidade tem um papel importante ao trazer informação e entretenimento. Se os anúncios conseguem marcar a nossa memória, como os que relembramos nesse post, eles mexem com as nossas emoções.

Porém, as mudanças na tecnologia e no comportamento do consumidor colocam em xeque os modelos tradicionais. Então, o mercado publicitário está no divã: a publicidade precisa se reinventar para voltar a ser relevante.

Então, gostou de saber tudo sobre a publicidade? Entenda como ela está relacionada com o marketing de conteúdo com o ebook gratuito!

Download do ebook sobre Publicidade Nativa

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

156 respostas para “Descubra o que é buyer persona e quais os 5 passos essenciais para criar a sua”

  1. […] Para isso, criar personas que representem o público alvo da empresa. (A Rock Content tem um material para te ajudar a fazer isso, não deixem de […]

  2. […] Para isso, criar personas que representem o público alvo da empresa. (A Rock Content tem um material para te ajudar a fazer isso, não deixem de […]

  3. […] Conteúdo original publicado no MarketingDeConteúdo.com […]

  4. […] (Não sabe o que é uma persona? Leia aqui!) […]

  5. […] (Se não sabe bem o que são personas ou quer ler um pouco mais sobre o assunto, veja esse post.) […]

  6. Marcos Cordeiro disse:

    Olá Guilherme , minha ideia é em um primeiro momento trabalhar com minha “agência” utilizando apenas carteiras de afiliados. Esta carteira seria criada levando em consideração o nicho de mercado que a empresa e ou produtor atuar.

    Por exemplo : Carteira para infoprodutos do seguimento ganhar dinheiro na internet, carteira Daffit, carteira Magazine Luiza ( mas todos ligados a programas de afiliados).

    A pergunta é ? Esse projeto é viável ?

    Pra mim parece que é, haja visto, que as agências offline trabalham com vários carteiras de clientes diferenciados.

    Se vc tiver algum material a esse respeito eu agradeço,, estou procurando parcerias…

    Marcos Cordeiro
    Gestor de Marketing Digital e Mídias Sociais

  7. Olá Marcos, tudo bem?

    Minha primeira dica seria criar personas bem clara para cada nicho de mercado. Mas eu gostaria de compreender melhor o funcionamento para poder procurar por algum material específico. Você poderia detalhar um pouco melhor o funcionamento?

  8. Luciana Garcia Manzano disse:

    Olá, Guilherme. Gostaria de saber quem é o autor do conceito de buyer persona. Obrigada.

  9. Luciana Garcia Manzano disse:

    Olá, Guilherme. Gostaria de saber quem é o autor do conceito de buyer persona. Obrigada.

  10. Olá Luciana, tudo bem? Não existe nenhum autor específico. Mas as duas melhores referências hoje em dia são: http://tonyzambito.com/ e http://www.buyerpersona.com/

  11. Olá Luciana, tudo bem? Não existe nenhum autor específico. Mas as duas melhores referências hoje em dia são: http://tonyzambito.com/ e http://www.buyerpersona.com/

  12. estou adorando o conteudo apaixonada.

  13. estou adorando o conteudo apaixonada.

  14. estou adorando o conteudo apaixonada.

  15. estou adorando o conteudo apaixonada.

  16. […] em participar de grupos que estão as suas personas e trabalhe o seu conteúdo! Exemplo de grupos que […]

  17. […] Se você quer saber mais sobre personas, você também pode ler esse artigo aqui. […]

  18. Dicionário do marketing de conteúdo disse:

    […] Persona: representações simplificadas dos clientes ideais de uma empresa. Uma persona é uma personagem criada para ajudar uma empresa a compreender melhor quem é seu cliente e do que […]

  19. Guia prático para criação de personas (Script) disse:

    […] Buyer personas são grupos identificáveis de pessoas que compram seus produtos. Eles possuem caracteristicas, processos de compra e interesses similares. Você pode saber um pouco mais, lendo esse aritgo aqui! […]

  20. Muito bom para entender melhor o e-marketing!

  21. Muito bom para entender melhor o e-marketing!

  22. Marketing de atração – O guia completo (Parte 1) | Vender na internet nunca foi tão fácil disse:

    […] -> Se você deseja saber mais sobre Buyer Persona, clique aqui para aprender. […]

  23. Os 6 erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo disse:

    […] A Rock Content possui um material extenso sobre o tema. Não sabe o que é uma buyer persona? Leia este artigo. Não sabe como montar e apresentar suas personas? Use nosso template gratuito. Não sabe quais […]

  24. Sem improvisos: saiba como documentar sua estratégia de marketing de conteúdo disse:

    […] definir bem o que você quer solucionar com a ação, quanto e como pode se dedicar, quais as personas, formas de engajar os possíveis clientes e as métricas também são coisas que precisam constar […]

  25. Quer impressionar seu chefe e conquistar sua promoção? Veja essas dicas disse:

    […] saber um pouco mais sobre personas, só ler esse artigo aqui. E para baixar nosso template exclusivo e traçar a suas, só clicar […]

  26. [Material Gratuito] O Guia para criação de Personas disse:

    […] traçar a sua estratégia de marketing de conteúdo. Se você não sabe, comece lendo esse artigo aqui. De toda fora, buyer personas são a imagem dos seus clientes ideais. Elas te ajudarão a guiar […]

  27. Leovando Galvão de França disse:

    Uma outra ferramenta muito interessante é o MAPA DE EMPATIA. Achei o artigo desse cara muito interessante: http://ramonkayo.com/empreendedorismo/o-que-e-mapa-de-empatia-e-para-que-serve

  28. Leovando Galvão de França disse:

    Uma outra ferramenta muito interessante é o MAPA DE EMPATIA. Achei o artigo desse cara muito interessante: http://ramonkayo.com/empreendedorismo/o-que-e-mapa-de-empatia-e-para-que-serve

  29. […] se tem de atrair, converter e reter clientes, todo esse processo deve ser minuciosamente planejado. Saiba claramente quem você deseja atrair para não haver desperdício de esforço, com seus vendedores sabendo exatamente em quais pontos […]

  30. […] Não basta saber o que é uma buyer persona para criá-la do jeito certo. Nesta hora, não cabem palpites e “achismos”, é preciso se embasar em metodologias bem definidas para elencar quais são as características, histórico e perfil destas personas. Como fazer isso? Pesquisando e sistematizando os dados colhidos! […]

  31. Beto Machado disse:

    Tenho uma dúvida: em qual momento da estratégia de conteúdo as personas devem ser criadas.

    No primeiro momento de criação de um blog, ou após quando serão definidas as pautas ?

    • Olá Beto!

      As personas serão definidas antes da criação do blog. Elas são desenhadas durante o planejamento do seu marketing. Porém, isso não impede de você criá-las em outro momento. Se você já tem um blog e deseja melhorá-lo, crie suas personas antes para nortearem suas ações de marketing!

  32. Beto Machado disse:

    Tenho uma dúvida: em qual momento da estratégia de conteúdo as personas devem ser criadas.

    No primeiro momento de criação de um blog, ou após quando serão definidas as pautas ?

  33. Cup Ideias | Começando seu negócio? Veja estas 3 dicas para começar seu plano de marketing disse:

    […] na hora de entender o seu público. Você pode, inclusive, usar os dados levantados para criar buyer personas, uma espécie de personificação fictícia que reúne as características predominantes do seu […]

  34. […] todo esse conhecimento disponibilizado pela sua empresa se ele possui dificuldade de encontrar a persona para qual foi […]

  35. Beto. com certeza, antes da criação do Blog.

    É o perfil da sua Persona que vai dizer: Qual o melhor layout pro blog, qual o melhor conteúdo, qual a melhor cor e etc.

    Aqui no meu blog eu falo um pouco sobre isso.

    Acessa e depois comenta.

    http://www.rafatorres.com.br/como-criar-plano-producao-de-conteudo-blog/

  36. Rafael Torres disse:

    Beto. com certeza, antes da criação do Blog.

    É o perfil da sua Persona que vai dizer: Qual o melhor layout pro blog, qual o melhor conteúdo, qual a melhor cor e etc.

    Aqui no meu blog eu falo um pouco sobre isso.

    Acessa e depois comenta.

    http://www.rafatorres.com.br/como-criar-plano-producao-de-conteudo-blog/

  37. Rafael Torres disse:

    Muito bom mesmo, Leovando.

  38. Dress Izumi disse:

    Olá Guilherme,

    quero agradecer pelo vosso conteúdo! Por fazerem Marketing de Conteúdo de forma tão excelente, porque são informações extremamente úteis e inspiradoras até 😉

    Deixo um artigo onde referencio este vosso vídeo : http://bit.ly/1njbo8Y

    Abraços,
    Andressa

  39. Dress Izumi disse:

    Olá Guilherme,

    quero agradecer pelo vosso conteúdo! Por fazerem Marketing de Conteúdo de forma tão excelente, porque são informações extremamente úteis e inspiradoras até 😉

    Deixo um artigo onde referencio este vosso vídeo : http://bit.ly/1njbo8Y

    Abraços,
    Andressa

  40. Não entendi. De repente é por que sou analfabeto no MKT digital.
    No vídeo fala em criar u personagem fictício para direcionar o conteúdo, mas sem ter uma pessoa real.
    Depois fala em "sem achismos" de criara um perfil bom mas que não existe mas nao vai dar foco. No eu ponto de vista o exemplo do Achismo pode existir sim e o exemplo que não é achismo pode ser um achismo, não?
    Complicado criara um personagem que não é de uma entrevista REAL.
    O Criado gera uma autoridade perante a outras pessoas similares, é isso? ou é so para direcionar um nicho de mercado?
    Se é uma persona criada, não esta sendo tendencioso ao que você desejaria e não ao que o publico desejaria?

    Desculpa a confusão, mas me deu um nó no cérebro e me perdi.

  41. Não entendi. De repente é por que sou analfabeto no MKT digital.
    No vídeo fala em criar u personagem fictício para direcionar o conteúdo, mas sem ter uma pessoa real.
    Depois fala em "sem achismos" de criara um perfil bom mas que não existe mas nao vai dar foco. No eu ponto de vista o exemplo do Achismo pode existir sim e o exemplo que não é achismo pode ser um achismo, não?
    Complicado criara um personagem que não é de uma entrevista REAL.
    O Criado gera uma autoridade perante a outras pessoas similares, é isso? ou é so para direcionar um nicho de mercado?
    Se é uma persona criada, não esta sendo tendencioso ao que você desejaria e não ao que o publico desejaria?

    Desculpa a confusão, mas me deu um nó no cérebro e me perdi.

  42. […] blog corporativo é o tipo de conteúdo que deve ser produzido para atrair e conquistar clientes. Criar personas, definir os assuntos de interesse e soluções para os problemas desse público já é um bom […]

  43. […] Alinhamento de personas: (Se você não sabe o que é isso, leia e aprenda tudo sobre personas aqui.) […]

  44. […] ideal e determinar que tipo de conteúdo será produzido para eles. Na Rock Content utilizamos duas personas: o Ollie (Dono de empresa) e Mary (gerente/analista de marketing de uma empresa). O diretor não […]

  45. […] saber um pouco mais sobre personas, só ler esse artigo aqui. E para baixar nosso template exclusivo e traçar a suas, só clicar […]

  46. […] A primeira dica para ajudar você na hora de criar um bom conteúdo é: seja expert do seu público. Saber o que ele gosta, qual rede social ele mais frequenta e quais assunto mais comenta, é o primeiro passo para criar um conteúdo de qualidade. Definir e conhecer suas personas é essencial. Se você não sabe o que elas são, acesse este conteúdo e descubra agora. […]

  47. Caique Monteiro Araujo . Obrigado. Ajudou a clarear as idéias sim.

  48. Caique Monteiro Araujo disse:

    Olá André Schuler, bom acho que posso ter ajudar!

    Em Buyer Personas, quando se fala em personagem fictício é o fato deste ter uma identidade que "não existe", como o Nome, a Foto, Idade, etc. Porém o "sem achismos" é para que você defina os interesses (personalidade) desse personagem fictício com base no público que você possui, como Cargo, Renda, Histórico, Comportamento, etc.

    Não é bem uma autoridade perante ao seu público, mas sim um personagem que represente o seu público, e tenha os mesmos interesses, por isso que é fundamental que você pesquise o seu público.

    Por exemplo, eu poderia criar um personagem com a identidade do Mickey Mouse, e definir para ele uma personalidade que corresponde ao público que tenho, por exemplo, que é um empreendedor iniciante e possui muitos receios e pouca experiência no mercado. E você descobre essa personalidade em seu público com pesquisa, supondo que 60% das pessoas para quem você irá escrever também são empreendedores iniciantes, com muitos receios e pouca experiência no mercado!

    Espero que tenha te ajudado!

  49. […] de medir, ajustar, investir ou fazer qualquer ação, você precisa saber quem é o consumidor da sua marca. Descubra o que ele gosta, suas preferências e seus desejos. Converse com seu cliente, peça […]

  50. […] os conhecimentos sobre o perfil dos clientes. E uma das ferramentas mais eficientes para isso é a definição das personas – representações fictícias e simplificadas de clientes típicos de uma empresa. Para criar uma […]

  51. […] Pense como o seu público, não como o conhecedor e especialista que você é sobre o seu produto ou serviço. Reflita: como ele buscaria o seu produto ou serviço na internet? Você pode, inclusive, experimentar conversar com algumas pessoas que se encaixem no seu público e fazer essa pergunta para descobrir. Se você ainda não fez um trabalho de identificação de suas personas, descubra o que são e como você deve criá-las. […]

  52. […] na sua buyer persona é fundamental para escrever um bom artigo que será encontrado pelos leitores. Se você erra no […]

  53. Personas - inovação no seu plano de negócios disse:

    […] Marketing de conteúdo O artigo apresentado por esse site é bem completo e direto em relação a como criar uma persona, uma ótima leitura para você que ainda possui dúvidas de como fazer isso. […]

  54. […] para obter o máximo de seu fluxo de nutrição, você precisa ter uma pessoa específica em mente. Que tipo de comprador é esta persona? O que ele está mais interessado em aprender? Que perguntas a fazer teria […]

  55. 5 e-books grátis de marketing digital | Agência ARX disse:

    […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  56. […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  57. 5 ebooks de marketing digital que você não pode perder | Trilha Mundos – Cooperativa de Projetos e Serviços Socioambientais – 61 8138-5888 disse:

    […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  58. […] Definir suas personas (representações simplificadas dos clientes ideais de sua empresa) garantirá que todos os conteúdos desenvolvidos por você e sua equipe estarão de acordo com o que seu público quer ver e tem interesse. Acesse este post para compreender mais sobre o conceito de personas. […]

  59. Por que investir em conteúdo gerado por usuário | Webinsider disse:

    […] O conteúdo gerado pelo usuário serve como feedback do público para saber como ele interage com sua marca e especialmente o que espera de sua empresa. E isso é de extrema relevância para criar estratégias de Marketing eficientes, por meio da criação e perfeito atendimento da persona. […]

  60. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  61. […] por você e sua equipe estarão de acordo com o que seu público quer ver e tem interesse. Acesse este post para compreender mais sobre o conceito de personas. […]

  62. […] sem filtros nem intermediários, você terá uma posição completamente fidedigna, sabendo se sua Persona está de acordo ou não. Como se não bastasse isso, realizar pesquisas também estimula que mais […]

  63. […] isso, vale lembrar da importância da criação das buyer personas. A denifição dos seus clientes ideais é essencial para não perder o foco e não ficar sem […]

  64. […] forma correta de iniciar este processo é através da criação de um documento chamado buyer persona, também conhecido como personagem […]

  65. […] primeira coisa a se fazer é definir quem é a persona que você quer atingir com suas ofertas e o relacionamento que pretende nutrir. Sua clientela ideal […]

  66. 5 Dicas Fundamentais para Iniciantes nas Mídias Sociais - www.novasrendas.com disse:

    […] forma correta de iniciar este processo é através da criação de um documento chamadobuyer persona, também conhecido como personagem […]

  67. […] deve ser produzido, é essencial saber para quem se está produzindo. Para isso, é preciso criar as personas da sua empresa, que são representações fictícias do seu cliente ideal, desenvolvidas a partir de informações sobre trabalho, hábitos e dados demográficos, e obtidas […]

  68. […] próximo passo é considerar quem é sua audiência, ou melhor, a persona para quem o post é direcionado. Por exemplo: uma das personas de um blog é o profissional de […]

  69. 3 Erros de Marketing Que Sua Escola Pode Evitar | Escribo disse:

    […] saber mais, confira este guia em […]

  70. […] E essa é uma das principais coisas que o conteúdo gerado por usuário pode fazer por você: sejam consumidores que já adquiriram seu produto/serviço ou indivíduos que interagem com a sua página, eles representam um padrão de pessoas que são exatamente como a sua persona. […]

  71. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  72. […] Exemplo 2: O que são buyer personas e como criá-las […]

  73. […] Buyer personas são grupos identificáveis de pessoas que compram seus produtos. Eles possuem caracteristicas, processos de compra e interesses similares. Você pode saber um pouco mais, lendo esse aritgo! […]

  74. […] Mas em um cenário tão disputado, como é possível convencer seu chefe a investir em marketing? Para fugir de explicações subjetivas e recheadas de termos técnicos e dos retornos intangíveis e impossíveis de se mensurar, a melhor solução pode estar no marketing de conteúdo. Isso é, resumindo em poucas palavras, oferecer conteúdo relevante e de alto valor para atrair, cativar e fidelizar seu público-alvo (personas). […]

  75. […] A Rock Content possui um material extenso sobre o tema. Não sabe o que é uma buyer persona? Leia este artigo sobre personas. Não sabe como montar e apresentar suas personas? Use nosso template gratuito. Não sabe quais […]

  76. […] importante ter em mente a sua buying persona e ajustar os termos técnicos e a complexidade do texto de acordo. Tenha em mente os seus leitores […]

  77. […] importantes para traçar a sua estratégia de marketing de conteúdo. Se você não sabe, comece lendo esse artigo aqui. De toda forma, buyer personas são a imagem dos seus clientes ideais. Elas te ajudarão a guiar […]

  78. […] que vai encaixar perfeitamente na jornada do cliente que você desenhou e que auxiliará sua persona em algum momento do funil de vendas. Isso basta, […]

  79. […] Conteúdo consistente é de extrema importância que entenda seu público, por meio da criação da persona, e uma das melhores formas de se fazer isso é através do conteúdo que produzem. Mapeie o que […]

  80. […] cada momento de compra de cada persona, surgem interesses, demandas e objeções diferentes. O funil de vendas e a jornada do cliente […]

  81. […] Ainda não ficou claro? Acesse este post sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas sobre personas. […]

  82. […] para uma audiência certa e segmentada. Você pode adequar quem vê as suas postagens de acordo com personas (avatares que representam consumidores ideais) definidas para o seu […]

  83. Olá Guilherme, obrigado pelo conteúdo publicado sobre Buyer Personas, achei muito bom, preciso definir o meu Byer Persona, para encontrar melhores ferramentas e estratégias para encontrar meu publico e ajuda-lós em suas necessidades.

    http://www.aulasinformatica.com.br/

    https://www.facebook.com/teceasytreina

  84. Rock Content disse:

    Oi, tudo bem? Nós temos um gerador de personas que pode ser bem útil para definir quem é sua persona ideal. Que tal dar uma olhadinha nela? Acho que pode te ajudar bastante 😉 http://geradordepersonas.com.br/

  85. […] traçar suas personas, você passa a entender melhor como um certo grupo de clientes se comporta. Assim, fica mais fácil […]

  86. […] Afinal, para trabalhar o marketing digital é necessário estar nas redes sociais que as suas personas estão para promover o conteúdo que fará sentido para elas. Porém, conquistar um número […]

  87. […] Para entender mais sobre o assunto, indico a leitura do artigo escrito por Guilherme Avelino, especialista em Branding e Marketing de Conteúdo: O que são buyer personas e como criá-las. […]

  88. […] forma de definir o público perfeito para a sua empresa (e o seu plano de marketing): criando personas! Se você ainda não está familiarizado com elas, não seu preocupe! Estamos aqui para […]

  89. […] em qual é o leitor ideal (sua persona) que você deseja atrair. Como você falaria com estes leitores em uma conversa […]

  90. O que é Inbound Marketing? Aprenda definitivamente! - Agência Master Digital disse:

    […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  91. Teste | portifolioedgarsales disse:

    […] Personas: […]

  92. […] o título que você tenha no campo do Inbound Marketing, você deve ter um quadro detalhado de seu público-alvo, a fim de criar conteúdo otimizado e útil para […]

  93. […] frequentes (e esse número continua crescendo) são grandes as chances de que você encontre a sua persona por lá, mas não basta sair publicando imagens sem um planejamento […]

  94. […] criar buyer personas não podemos usar palpites ou […]

  95. […] Como dito anteriormente, é importante pensar nas personas para definir as palavras-chave relevantes para o negócio. Se você ainda não fez um trabalho de identificação de suas personas, descubra aqui o que são e como você deve criá-las. […]

  96. […] Defina quem é seu público-alvo e comece a produzir material MUITO focado nele. Mesmo que esse material não faça sentido para outros públicos. […]

  97. […] É exatamente por essa razão que resolvemos preparar esse artigo, bem especial, que vai servir de base para que você possa estabelecer a sua marca como uma fonte confiável de informação e conhecimento para a sua persona. […]

  98. […] de começar qualquer atividade nas redes sociais é preciso definir o seu público e responder as seguintes perguntas: Que tipo de público eu quero atingir? Em quais redes sociais […]

  99. Venda mais através de posicionamento online disse:

    […] conseguir vender o seu produto ou serviço. É necessário conhecer muito bem o seu consumidor (Buyer Persona), ter uma estratégia e inteligência, para que sua campanha seja um sucesso de […]

  100. […] conteúdo do topo de funil tem que fazer com que a persona da sua marca descubra que tem um problema que deve ser […]

  101. […] mas não deixe os grandes conceitos que fazem com que aquele conteúdo seja interessante para suas personas se percam a cada nova rede social ou maneira de publicar e […]

  102. […] Esse formato auxilia, principalmente, quando o próprio título do material remete a questões pontuais e específicas, respondendo a prováveis questões da sua persona. […]

  103. Blog Corplan Propaganda disse:

    […] Definir as personas da sua estratégia de marketing de conteúdo é fundamental para que você crie os conteúdos certos, que vão alavancar o seu blog. […]

  104. […] dúvidas quanto a isso, o primeiro passo para escrever um bom post é levar em consideração as personas que você busca […]

  105. […] e ideal para o seu leitor é sempre bom! Ele ajuda a sanar todas as possíveis dúvidas que a sua persona pode ter e é um bom começo para gerar […]

  106. Como fazer um Planejamento de Marketing Digital FODA! disse:

    […] a esta análise, pois ela é fundamental. Particularmente, eu recomendo que você crie uma ou mais buyer personas (ou avatares) que personificarão as principais características do seu público-alvo. Uma dica […]

  107. […] pesquisa sobre personas – ou seja, os diferentes perfis de consumidores em potencial para o negócio – pode ganhar […]

  108. […] se sabe qual rede social sua persona mais usa e com quais objetivos fica mais fácil de elaborar uma estratégia certeira para atingir […]

  109. […] isso, você pode construir uma persona para te ajudar no […]

  110. […] Definir as personas da sua estratégia de marketing de conteúdo é fundamental para que você crie os conteúdos certos, que vão alavancar o seu blog. […]

  111. […] Ainda não ficou claro? Acesse este post sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas sobre personas. […]

  112. […] Não basta escrever milhares de posts sem um planejamento correto. Produza um calendário editorial, estude palavras-chave relevantes ao seu público-alvo e aprenda a criar conteúdos que sejam direcionados a certas personas. […]

  113. […] que as referências que você vai utilizar devem estar de acordo com as características da sua persona – idade, profissão, anseios e planos para o […]

  114. […] definição do público-alvo ou, mais precisamente, das suas personas, é a primeira a coisa a ser analisada após a escolha dos produtos ou serviços a serem […]

  115. […] Esse sombrio setor preferia trabalhar sozinho e se preocupava mais com os seus métodos e o seu ego, do que propriamente salvar a persona. […]

  116. […] você otimizar seu site para SEO você precisa ter sempre a sua persona em […]

  117. […] É natural e também muito comum que as pessoas busquem por conteúdos interessantes e de linguagem mais fácil, portanto, nesta parte, é preciso ter um tipo de abordagem definida, especialmente focada na sua persona. […]

  118. […] bons exemplos são cronogramas de trabalho para o marketing, briefings e definição de buyer personas compartilhados para a produção de conteúdo, alinhamentos de lead scoring para a passagem de MQL […]

  119. […] o marketing mune-se de dados e informações, identifica tendências e comportamentos, desenvolve buyers persona e passa a focar todas as ações para que a empresa atinja os objetivos traçados no planejamento […]

  120. […] que falamos ali em cima sobre ter um público-alvo bem segmentado em […]

  121. […] Antes de começar a escrever um post no Facebook ou um Tweet, é fundamental entender para quem você está escrevendo. […]

  122. Como escolher uma rede social para sua empresa disse:

    […] que esse processo de conhecimento do seu público alvo se torne mais efetivo, crie personas. Elas ajudam a nortear sua estratégia de conteúdo porque simulam clientes reais — que interagem […]

  123. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. […]

  124. Mulheres Empreendedoras: como se destacar no mercado disse:

    […] grande segredo do Marketing digital é a persona. É preciso saber com quem você quer falar e mostrar o seu produto ou serviço, enfim, quem é o […]

  125. […] uma persona para sua marca e produza conteúdo para o público que você deseja […]

  126. Content Marketing: A Growing Strategy in Brazil - Bunny Inc. Blog disse:

    […] Content marketing is no longer a trend and is already a reality for businesses around the world that want to stand out in the digital environment. With each passing day, brands move further away from traditional invasive advertising that interrupts the user, the kind that doesn’t start a dialogue with the company’s buyer personas. […]

  127. […] grande segredo do Marketing digital é a persona. É preciso saber com quem você quer falar e mostrar o seu produto ou serviço, enfim, quem é o […]

  128. […] que esse processo de conhecimento do seu público alvo se torne mais efetivo, crie personas. Elas ajudam a nortear sua estratégia de conteúdo porque simulam clientes reais — que interagem […]

  129. Como montar um e-commerce de moda disse:

    […] bastante utilizada para atingir o público de maneira assertiva é através da criação de uma persona (personagem fictício criado para representar os diferentes tipos de usuário dentro de um alvo […]

  130. […] de dois materiais da Rock Content que são bem completos sobre o assunto. O primeiro deles é um post e o segundo é um guia para criação de personas. Então estude bem, veja como adaptar à […]

  131. Os 13 maiores erros de marketing digital que sua empresa pode cometer disse:

    […] importante saber quem são os seus potenciais clientes. A partir daí você começa a trabalhar de acordo com o que essas personas […]

  132. […] O sucesso do seu negócio está centrado em quanto o seu produto ou serviço satisfaz seu cliente. O profundo conhecimento sobre o seu cliente, como o que ele faz, o que sente, qual sua rotina, quais são suas dores, o orientará a focar naquilo que ele realmente necessita e desenvolver seu negócio a partir dessa análise. O modelo estratégico para definição do perfil dos seus potenciais clientes é o Buyer Persona. […]

  133. […] artigo me levou para o topo do Google? Qual foi o assunto que mais interessou minha persona? Com qual periodicidade devo atualizar meu […]

  134. […] O seu conteúdo deve ser feito, não com o foco no seu negócio, tentando apresentar e vender produtos e serviços. Ele deve ser pensado sob o ponto de vista da sua audiência, ou seja, da sua persona. […]

  135. Validar sua ideia de negócio: 5 dicas incríveis  disse:

    […] Antes de validar você pode conhecer melhor o seu público-alvo. Pode criar por exemplo uma página no Facebook ou um blog falando sobre o assunto de interesse da sua persona. […]

  136. 3 Dicas Para Descobrir Quem é a Persona do Seu Negócio - Eleve seu Negócio disse:

    […] querendo lançar um negócio ou até já lançou, mas está com problemas para descobrir quem é a persona do seu negócio, você está no lugar […]

  137. […] isso, deve-se começar segmentando bem que tipo de pessoa sua empresa quer atingir, definir as personas do seu negócio e desta forma entender o que estas personas precisam. Depois, ao começar a […]

  138. […] internos. A primeira delas, tendência no mercado, é o estudo de personas (leia mais a respeito aqui) e consiste em entender quem são seus clientes e leads (potenciais clientes), como eles agem, como […]

  139. […] O que são buyer personas e como criá-las […]

  140. O que é Inbound Marketing e como ele pode ajudar sua empresa? | design marca disse:

    […] mais importante de toda a estratégia. É preciso realizar uma pesquisa a fim de definir as reais personas (definição de público-alvo) que realmente comprariam da sua empresa. Dessa forma a empresa […]

  141. Werik Gonçalves disse:

    Artigo muito completo!

  142. Louise Souza disse:

    adorei!

  143. Alex Ferreira disse:

    Olá, muito bom este artigo explica muito bem sobre persona. O link
    http://avwebdigital.com.br/comportamento-do-consumidor/ complementa o assunto abordado

  144. Rock Content disse:

    Oi, Tânia! Vamos por partes:
    1) O ideal, primeiramente, é refletir se você realmente precisa delinear todas essas personas. O início de uma estratégia de marketing demanda muitos esforços, e pode ser melhor começar por uma persona e depois criar outras na medida em que sua estragégia avança. Independente do que você escolher fazer, recomendo que faça primeiro as entrevistas para depois montar o perfil.
    2) A melhor coisa é entrevistar um número de pessoas relevantes para a dimensão do seu negócio. Se você vai montar uma pequena empresa, pense no número de clientes que pretente ter daqui um ano e faça as entrevistas de forma proporcional.
    3) As perguntas do formulário devem ser orientada para que você entenda os principais pontos da vida da sua persona, como seu trabalho, seus objetivos e desafios, sua vida pessoal, o que ela precisa e como ela quer obter isso. Temos um post prático para você aprender a montar sua persona: https://thenewrock.rockcontent.com/blog/guia-criacao-personas/.
    Qualquer dúvida, estamos aqui para ajudar! Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *