Por Ivan de Souza

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 20 de fevereiro de 2020. | Atualizado em 31 de março de 2020


Ter um site é fundamental para a estratégia digital de um negócio. Contudo, ele precisa ter um certificado de segurança. Para ativá-lo, você provavelmente precisará do plugin Really Simple SSL.

Empreender on-line já é uma realidade para muitas pessoas. Por meio da internet, é possível vencer barreiras geográficas e fazer com que produtos e serviços fiquem acessíveis para mais clientes. No entanto, há um aspecto que não pode ser esquecido: a segurança digital ao criar um site em WordPress. Por isso, é preciso compreender o que o Really Simple SSL pode fazer.

Para te ajudar a entender melhor a importância da segurança digital e como ela pode influenciar o sucesso de uma empresa, decidimos publicar este artigo.

Nele, explicaremos os principais pontos do assunto, de maneira didática. Então, leia atentamente os próximos parágrafos para compreender o que é Really Simple SSL, como instalá-lo e o porquê de ele ser tão necessário.

Por que segurança digital é importante?

Se você olhar com atenção a barra do seu navegador neste momento, verá que antes da URL deste artigo há um pequeno cadeado, certo? Isso significa que o nosso blog oferece aos seus leitores uma conexão segura.

Todas as eventuais informações pessoais trocadas entre leitores e redatores deste site não podem ser acessadas por terceiros. Vamos a um exemplo: imagine duas pessoas conversando por telefone. O que elas falam diz respeito apenas a elas, certo?

No entanto, alguém mal intencionado poderia puxar uma extensão da linha, sem que alguém desconfiasse, e ouvir todos os detalhes das conversas, gravando-as e tendo acesso a informações pessoais.

Nesse caso, caberia à companhia telefônica monitorar a sua rede de cabos para evitar que isso ocorra. Da mesma forma, seria responsabilidade dos usuários cuidarem das suas redes internas para garantir que essa situação não ocorresse.

Na internet é a mesma coisa. Você precisa oferecer alguma segurança aos seus clientes e eles precisam ser cautelosos com a maneira como navega pelos sites e aplicativos.

Uma das formas que um negócio tem para se tornar seguro é recorrendo ao certificado de segurança SSL.

Afinal de contas, o que é o certificado SSL?

A sigla SSL vem do inglês e significa Secure Sockets Layer, algo como “camadas de soquete segura”. Trata-se de um sistema de criptografia que impede que um indivíduo tenha acesso aos dados deixados durante a navegação, sem a permissão do proprietário do site.

Dessa maneira, esses dados são transformados em códigos que só serão descodificados quando a mensagem chegar ao seu destino. Essas informações poderiam ser, por exemplo, os números do CPF e cartão de crédito dos seus clientes. Imagine o prejuízo que eles teriam se isso caísse na mão de criminosos?

E o que é o Really Simple SSL?

Trata-se de um plugin que pode ser instalado no WordPress. Ele facilita a instalação do certificado SSL, ajudando o proprietário do site a efetuar as configurações necessárias de modo simples, rápido e, principalmente, seguro.

O Really Simple SSL é um plugin que oferece os seus serviços em duas opções: pró e gratuito. A versão gratuita faz uma varredura em seu site, alterando as URL’s e verificando possíveis problemas de compatibilidade do seu banco de dados com o certificado SSL.

Em relação ao banco de dados do seu site, poucas coisas serão modificadas. Ainda assim, recomenda-se que você faça um backup das informações para evitar danos permanentes, caso algo não saia como planejado. Esses backups são recomendados sempre que você fizer alguma alteração no seu site, como a instalação de plugins e temas.

A versão paga do Really Simple SSL oferece mais ferramentas de análise de segurança, além de um suporte por parte dos desenvolvedores. Atenção: ao instalar o Really Simple SSL não significa que você esteja instalando o certificado SSL.

O certificado é um serviço que deve ser comprado pelo empreendedor. Normalmente, essa compra ocorre via o servidor contratado, portanto, o preço também pode variar, dependendo do servidor do seu site.

LEIA TAMBÉM
👉Divi Theme: saiba como instalar esse tema no seu site em WordPress
👉 Saiba o que é Black Hat SEO e como ele prejudica o site da sua empresa
👉 Crie um blog para o seu negócio usando o Rock Stage

Como instalar e ativar o plugin?

A instalação é muito simples e pode ser feita por qualquer pessoa, desde que ela tenha familiaridade com o painel do seu site no WordPress.

O primeiro passo é acessar esse painel. Para isso, adicione /wp-admin ao final do endereço do seu site. Você terá que informar o nome do usuário e a senha. Caso não se lembre da sua senha, poderá criar uma nova.

really-simple-ssl-1

Depois de ter acessado o painel, você deverá clicar na opção “plugins”, do lado esquerdo da sua tela. Aparecerá para você todos os plugins que você tem instalado em seu site.

Powered by Rock Convert
really-simple-ssl-2

Alguns deles vêm com o seu tema, outros com o próprio WordPress. Não é necessário que você altere nenhum deles, ok? Você clicará na opção “novo”. Assim, terá acesso ao catálogo de plugins disponíveis para WordPress. É um processo semelhante ao das lojas de aplicativos para celular, como a Play Store.

really-simple-ssl-1

Depois, você pesquisará por “Really Simple SSL” e fará a instalação, clicando primeiro em “instalar” e depois em “ativar”. Após ativado, o plugin estará pronto para o uso.

really-simple-ssl-1

Caso você já tenha comprado a licença do certificado SSL junto ao seu servidor, o processo estará concluído depois da instalação desse plugin. Existem ainda outros plugins para essa finalidade, mas o Really Simple SSL é o mais recomendado por ser uma opção de código aberto.

Isso significa que qualquer pessoa tem acesso ao código do programa, podendo procurar por falhas, notificá-las e aperfeiçoar essa ferramenta para toda a comunidade de usuários.

Quais são os riscos de não ter um certificado SSL?

Para o empreendedor, abrir mão do certificado SSL não é uma boa ideia uma vez que pode ter problemas judiciais. Um dos casos mais comuns ocorre quando um cartão de crédito é clonado.

Nessa situação, o banco emissor do cartão pode ser considerado culpado pelo problema, tendo que ressarcir o cliente — isso quando a clonagem ocorre devido a algum dispositivo em máquinas de cartão, caixas eletrônicos etc.

No entanto, caso esses dados vazem devido à insegurança de um site, essa empresa também pode ser processada pela vítima do golpe. Ainda que não perca o processo, só os custos jurídicos já representarão uma dor de cabeça ao empreendedor tão grandes quanto os de um processo trabalhista.

Se ele não comprovar que o seu site usava o certificado SSL, considerada uma proteção essencial no ambiente digital, ficará impossível que ele e seus advogados provem que os clientes da marca dispunham de um ambiente seguro para realizar as suas compras, por exemplo.

Ataques mais comuns

Entre os tipos de ataques mais comuns na internet, que podem ser evitados com a certificação SSL, estão os eavesdropping, man-in-the-middle e a modificação de dados.

O eavesdropping é a popular espionagem. Nela, o hacker monitora a troca de informações entre site e usuário. Nem sempre o espião fará uso das informações coletadas, mas essa invasão à privacidade é um grave problema. Logicamente, uma pessoa jamais visitaria um site se suspeitasse que pode ser vítima de algo do tipo.

Man-in-the-middle é uma modalidade de crime cibernético na qual o hacker se coloca no meio da comunicação. Dessa forma, ele passa a conhecer o comportamento de ambas as partes, podendo se passar por uma delas.

No caso de um lojista, o criminoso pode entrar em contato com os clientes dele, oferecendo uma “oferta imperdível” e lesando essas pessoas. As chances de os clientes caírem no golpe são altas, pois o hacker sabe o que elas compraram e como a empresa se comunica.

Por fim, temos a modificação de dados. Nessa tática, os criminosos modificam informações, como preço de produtos, formas de pagamentos, contas para depósito e lesam uma ou ambas as partes.

Lei Geral de Proteção de Dados

A partir de agosto de 2020, entra em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). De modo resumido, podemos afirmar que o novo texto dá ao usuário maior autonomia sobre os dados que ele fornece às empresas.

Portanto, caberá às marcas investir mais em transparência sobre o uso desses dados — além de mais rigor na proteção dessas informações. Empresas poderão ser responsabilizadas, caso a Justiça verifique o uso indevido desses dados, assim como a imprudência em proteger essas informações.

SSL é considerado no SEO?

As ferramentas de buscas, como Google e Bing, passaram a considerar a segurança de um site na hora de listá-los em seus resultados de buscas. Tal medida foi adotada para evitar crimes on-line e tornar o ambiente de negócios digitais mais seguro a todos.

Portanto, ainda que o seu site não seja uma empresa que vende pela internet, como um blog de notícias, ele poderá ser ignorado pelo Google, caso não tenha uma certificação SSL. Aliás, essa medida está valendo desde o ano de 2018.

Como ter um site seguro na internet?

Se você ainda está dando os seus primeiros passos no mundo da criação de sites e não sabe como cumprir todos os requisitos necessários para ficar no topo das pesquisas do Google, como o uso do Really Simple SSL, você pode usar o Rock Stage para ter um site seguro.

Trata-se de uma plataforma que oferece:

  • hospedagem;
  • soluções de design;
  • análise de performance;
  • segurança digital;
  • e muito mais!

Tudo em um único lugar! O Rock Stage oferece uma opção gratuita para quem está começando a empreender. Agora, se o seu site já está no ar, você também pode migrar para esse sistema e centralizar o seu marketing digital.

Se interessou? Pois, agora que você já sabe a importância do Really Simple SSL, faça seu site ou blog no Rock Stage e fique por dentro dessa ferramenta focada em segurança!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *