Por Autor Convidado

pela Rock Content.

Publicado em 9 de novembro de 2018. | Atualizado em 14 de junho de 2019


Aparecer na busca orgânica e consequentemente investir em SEO não é mais novidade para quem trabalha em marketing. Ainda assim, não é incomum vermos empresas de renome e presença digital ignorarem o posicionamento nos buscadores. E isso também pode ser dito das agências, que muitas vezes priorizam outras ações de Marketing Digital em detrimento do […]

Aparecer na busca orgânica e consequentemente investir em SEO não é mais novidade para quem trabalha em marketing.

Ainda assim, não é incomum vermos empresas de renome e presença digital ignorarem o posicionamento nos buscadores.

E isso também pode ser dito das agências, que muitas vezes priorizam outras ações de Marketing Digital em detrimento do SEO.

Por um lado, adiar o investimento na busca orgânica pode fazer sentido, mas por outro, essa atitude pode criar riscos invisíveis para o seu negócio e que irão certamente cobrar a conta mais para frente.

Pensando nisso, vamos falar um pouco otimização e quais os riscos de não usar o SEO na sua estratégia digital.

Confira cada um dos tópicos que serão tratados neste post:

  • SEO e Marketing Digital
  • Qual é o papel do SEO?
  • Por que sua empresa ignora a busca orgânica?
  • Posicionamento no Google dá resultados
  • Entendendo os riscos de não usar SEO
  • Risco 1: perda de autoridade
  • Risco 2: ausência de visitas no site
  • Risco 3: dependência de tráfego pago
  • Risco 4: aumento do custo por aquisição
  • Risco 5: menos vendas
  • Como evitar os riscos

SEO e Marketing Digital

Antes de colocarmos o SEO em um pedestal, é importante deixar claro que se trata de uma das diversas estratégias dentro do Marketing Digital.

E, na cabeça do decisor, certamente não é fácil distinguir o que deve ser priorizado quando se recebe um leque de opções contendo:

Claro, o que o CEO, gestor ou diretor quer é resultado, e muito embora ele tenha interesse em se inteirar das dessas várias práticas citadas, o tempo dele não poderá ser investido em estudar SEO, CRO ou seja qual a estratégia que a agência ou o departamento de marketing recomende.

Então o nosso papel – enquanto profissionais de marketing – é entender o contexto da empresa e sugerir as melhores ações, partindo da necessidade do negócio e do potencial de resultados.

E aqui, antes de pensar em questões táticas, o entendimento da situação é crucial. Devem ser feitas quatro perguntas básicas:

  1.  a empresa já tem site?
  2.  o site já tem visitas?
  3. esse site transforma as visitas em conversões?
  4. as conversões são adequadas para vendas?

Com essas respostas, fica relativamente simples pensar em qual a melhor abordagem dentro das possibilidades do marketing digital:

  1. não tem site? Considere site, blog e landing pages;
  2. não tem visitas? Pense em links patrocinados e SEO;
  3. não gera conversões? Invista em CRO;
  4. não transforma conversões em vendas? Inclua automação de marketing e email-marketing.

Não, essa lista não esgota as possibilidades. A questão é deixar claro a importância da análise de cenário.

Ou seja, não adianta tentar colocar em prática todas essas estratégias ao mesmo tempo se a empresa ainda não tem site, por exemplo.

E por que estamos falando disso tudo? Porque grande parte das empresas quer investir em tudo ao mesmo tempo, mas elas não têm um site adequado e não têm visitas.

Em suma, elas não possuem o básico. E sem visitas, sem gente entrando no seu site, não tem vendas.

marketing de conteudo primeiros passos

Qual é o papel do SEO?

Acredite se quiser, mas o cenário que abordamos acima não é difícil de encontrar por aí

Existem muitas empresas que mal têm tráfego e recebem menos de 50 leads por mês e já tem como prioridade implementar ferramentas pesadas de automação e construir funis de vendas.

Não que isso não seja importante.

Mas antes de deixar a sua loja (o seu site, no caso) super high tech e com vendedores extremamente capacitados, não é melhor garantir que as pessoas entrem nela primeiro?

Esse é o papel do SEO: gerar visitas qualificadas para o seu site.

Quando sua empresa começar a ter essas visitas, é possível buscar transformá-las em vendas.

E antes que você pense que também pode gerar visitas usando links patrocinados, email-marketing e outros canais (e, de fato, você pode), considere os seguintes dados:

  • cerca de 70% a 80% dos usuários ignoram completamente os anúncios pagos. (Search Engine Land);
  • 71% dos pesquisadores B2B iniciam sua busca com uma pesquisa genérica. (Google);
  • os pesquisadores B2B fazem 12 buscas em média antes de se engajar no site de uma marca específica. (Google).

Não, não estamos dizendo que sua empresa deve parar tudo que está fazendo e investir em SEO.

Estamos pontuando que se seu site não tem tráfego, garantir que ele tenha boas posições no Google é indispensável, e ignorar essa necessidade só potencializará cada vez mais os riscos que detalharemos mais abaixo.

Por que sua empresa ignora a busca orgânica?

Não são só empresas. Profissionais de marketing, agências. Muitos deles ignoram o SEO.

Sim, eu sei: muitas vezes não é intencional, e não serão raros os casos em que os envolvidos irão justificar que eles não têm escolha.

E isso é perfeitamente compreensível. Até porque algumas dessas justificativas para ignorar o SEO são geralmente pautadas em pontos sensíveis:

  • a empresa quer resultados rápidos;
  • os decisores consideram o SEO “muito técnico”;
  • resultados na busca orgânica exigem envolvimento e dedicação;

Há outros motivos? Sim. Mas esses são os mais comuns:

A empresa quer resultados rápidos

Antes de mais nada, cabe a pergunta:

A empresa QUER resultados rápidos ou ela PRECISA de resultados rápidos?

Se você é uma agência ou profissional de marketing e precisa convencer o seu chefe ou cliente, é necessário ter o pulso firme nessa hora.

Isso porque muitas vezes é necessário ser realista. Os resultados rápidos são necessários, principalmente se:

  • a empresa não tem dinheiro;
  • o produto ainda não foi validado;
  • as vendas são sazonais.

Ou seja, de fato é importante considerar investimentos de tiro curto, como, por exemplo, em links patrocinados.

Agora, se a empresa tem dinheiro, seu produto já é vendido e não existe sazonalidade, o que possivelmente está ocorrendo é ansiedade por parte do decisor.

E, nesse contexto, a empresa vai ignorar o SEO não porque ele não se aplica, mas simplesmente porque não vê valor nesse investimento.

Os decisores consideram o SEO “muito técnico”

Algoritmo, Pagerank, link building, crawl budget, Domain Authority, etc.

Desafio você a encontrar um gestor que vai conhecer (ou mesmo querer entender) esses termos.

E a isso se mistura a suposta onipotência do Google. O fato de muitas pessoas acreditarem que não é necessário otimizar seu site. Basta colocar ele lá que o buscador acha.

Mas não é bem assim. O Google só faz metade do trabalho. Cabe ao profissional de marketing fazer o seu lado: cuidar da melhoria do site, produção de conteúdo e conquista de backlinks.

E cabe também a nós simplificar para o decisor.

Aparecer no Google, gerar visitas por meio dos motores de busca, vendas via posicionamento no buscador… Isso todo mundo entende.

Então deixemos tecnicismo para a execução. E no ambiente de negócios, na mesa do cliente ou do chefe, o ideal é falar sobre o que interessa para ele.

Só assim para derrubarmos o medo dos termos técnicos relacionados ao SEO.

Aprenda tudo sobre SEO

Resultados na busca orgânica exigem envolvimento e dedicação

Esse é um dos argumentos mais comuns.

Você provavelmente sabe que fazer SEO é investir em 3 pilares constantemente:

  • otimização do site;
  • produção de conteúdo;
  • conquista de backlinks.

E certamente, se o seu departamento ou agência de Marketing Digital querem alavancar o SEO, você estará disposto a se comprometer e se dedicar no longo prazo.

Mas o seu cliente e/ou chefe não está.

Nessa situação, pense o seguinte:

  • você vai conseguir melhorar o site sem a turma da TI te ajudar com o servidor de hospedagem?
  • será possível produzir conteúdo rico, robusto e único sem ter inputs de quem entende das dores e das soluções dentro da empresa?
  • serão conquistados links externos se a empresa não ajudar a abrir relacionamentos e aprovar os canais para aquisição de backlinks?

Não, certo?

Pois é. O que queremos dizer é que: todos os envolvidos devem olhar para o longo prazo e manter o foco. E trabalhar duro. Só assim é possível construir cases de sucesso de SEO.

Posicionamento no Google dá resultados

É compreensível que, ainda depois de tudo que falamos, alguns ainda se mantenham céticos.

Afinal, que retorno eu vou ter gastando tempo e dinheiro com SEO? Que resultados terei?

  • meu site em primeiro nas buscas?
  • meus conteúdos ranqueando na frente para algumas palavras-chave?
  • conquista de rich snippets?

Será que isso não seria algo como investir em branding? Fazer uma propaganda institucional na televisão e medir reconhecimento de marca (ou brand awareness para quem gosta de termos bonitos)?

Se for, certamente investir em SEO é para poucos. Afinal, quem investe em TV são grandes anunciantes, grandes empresas.

E a sua empresa ou o seu cliente, que é de pequeno e médio porte (ou até grande, mas não tão grande). Nesses casos, mais importante que o brand awareness, são as vendas.

Então vale a pena investir em SEO?

Sim, vale. E explicaremos o porquê.

Considere o seguinte cenário hipotético para a palavra-chave “ração para cachorro”:

  • volume de busca mensal: 100.000;
  • taxa de clique na busca orgânica: 2%;
  • taxa de conversão do seu site: 10%;
  • ticket médio do seu produto: R$ 100,00.

Agora considere que você conseguiu colocar seu site na primeira página do Google. Você terá os resultados:

  • impressões no Google por mês: 100.000
  • cliques vindo da busca orgânica: 2.000
  • conversões (vendas) no seu site: 200
  • total de receita (vendas x ticket médio): R$ 20.000,00

Reiterando: dados hipotéticos.

O importante dessa analogia é que fique claro:

  • o Google tem a confiança do usuário;
  • o usuário faz perguntas direcionadas a uma ação de compra para o Google;
  • o buscador pode indicar você ou não (depende do quão otimizadas para SEO são as suas páginas);
  • se ele indicar, seu site tem visitas (e vendas);
  • se ele não indicar, seu site perde essas visitas.

Sabe qual a grande questão? Se o Google não indicar você, ele vai indicar alguém.

E aí todo o potencial de visitas e vendas que sua empresa teria vai embora.

Então não se engane. Aparecer no Google dá sim resultado, mas cabe a você decidir se vai aproveitá-lo ou não.

Entendendo os riscos de não usar SEO

Independente de tudo que já falamos aqui, vamos considerar que não vai ser possível investir em SEO.

Sua empresa não possui os recursos para isso, o decisor não quer aceitar, você ainda não sentiu firmeza, existe um medo de gastar energia.

Tudo bem. Aqui é o caso então de estabelecer qual a sua renúncia. Afinal, você está optando por não usar o SEO não sua estratégia. E como sabemos, toda escolha é uma renúncia.

Em linhas gerais, pode-se dizer que já rascunhamos o problema geral: sua empresa perderá resultados.

Mas é válido apresentar também alguns tópicos que irão deixar mais claro os riscos de não usar o SEO:

  • Risco 1: perda de autoridade;
  • Risco 2: ausência de visitas no site;
  • Risco 3: dependência de tráfego pago;
  • Risco 4: aumento do custo por aquisição;
  • Risco 5: menos vendas.

Falaremos um pouco mais sobre cada um, confira!

Risco 1: perda de autoridade

Semanticamente, poderíamos classificar “autoridade” de várias formas.

No contexto que estamos discutindo, porém, autoridade nada mais é do que credibilidade, ou seja, mostrar ao seu potencial cliente que sua empresa entende do riscado.

A grande questão, quando falamos de SEO e especialmente do Google, é que estamos falando de categorização de informação, mostrar à pessoa que está buscando quem tem a melhor resposta.

E, como você pode imaginar, o Google tem um nome a zelar. Ele não vai indicar um resultado ruim para quem está buscando.

Se ele fizer isso, perderá reputação, e na próxima vez, pode ser que o usuário considere usar outra ferramenta de busca. Afinal, o Google não resolveu o problema.

Então, o algoritmo do buscador foi criado e é constantemente revisado para garantir que quem aparece na frente tenha a melhor resposta, ou seja, tenha maior autoridade.

Em suma, considere uma palavra-chave estratégia para o seu negócio. Por exemplo, oficina de lanternagem Belo Horizonte.

Sua empresa (que seria uma oficina de lanternagem em BH) aparece em primeiro para essa busca?

Sim? Então seu negócio tem autoridade.

Não? Então outra empresa é que detém essa autoridade.

E antes que você pense que autoridade não é tão assim importante, pense em algumas analogias simples:

  • se te indicarem 3 médicos e um deles for o melhor, você vai no pior?
  • se alguém da sua confiança indicar um borracheiro e você receber um folder desse tipo de serviço, qual opção você irá escolher?
  • para colocar gasolina, você vai em um posto Shell, Ipiranga, BR ou vai em um sem marca (se o preço for o mesmo)?

É bem por aí. E esse é o grande risco.

Não importa se você acredita que o concorrente é pior. Se ele aparece na frente no Google, o usuário vai acreditar que ele é melhor. E vai clicar no resultado dele antes do seu.

A não ser que a página do seu competidor não tenha a resposta ou ofereça uma péssima experiência ao usuário, dificilmente quem buscou volta à página de busca para considerar o resultado (se ele aparecer).

Risco 2: ausência de visitas no site

Ainda que você esteja lendo esse texto, e considere tanto SEO quanto Marketing Digital importantes, pode ser que sua empresa nunca tenha se feito uma pergunta primária:

Por que seu negócio tem um site?

E eu iria além e perguntaria:

O objetivo da sua empresa é vender? Ter lucro?

Se você respondeu sim à segunda pergunta, então sua empresa tem um site para gerar vendas.

E aqui é possível pensar: “mas o meu produto é de alto valor agregado. Ninguém compra ele pelo site”.

Claro. Mas as pessoas consultam o site antes de fazer a compra, certo? Lembre-se desse dado:

  • 71% dos pesquisadores B2B iniciam sua busca com uma pesquisa genérica. (Google).

Isso é inegável. Você, eu… todos nós temos a internet à nossa disposição, para consultar tudo quanto é possível sobre uma marca e seus produtos. E não importa o valor. Na verdade, quanto mais caro, mais iremos pesquisar e avaliar as melhores opções.

Então, se sua empresa tem um site, ele precisa ter a lógica de uma loja física. Ele precisa gerar vendas. Ainda que indiretamente.

Já viu plantão de vendas de imóveis? Alguém vai lá e compra na primeira vez? Não né? É a mesma coisa do seu site. Ele é um catalisador, faz parte do processo comercial.

Até aí tudo bem, mas vale considerar de novo a metáfora da loja física: você tem os produtos, vendedores, vitrines.

Mas ninguém entra na sua loja. O ponto é ruim, ninguém conhece, a vitrine é mal feita. Como seu negócio vai gerar vendas?

Esse é o segundo risco de não fazer SEO. Não apareça no Google, e você perde todo o potencial de visitas.

E sabe quem ganha esse potencial quando seu negócio não entra em campo? Sim, você adivinhou. O seu concorrente.

Como atrair tráfego para o seu site

Risco 3: dependência de tráfego pago

Eu apostaria que ao terminar de ler o tópico acima, você pensou: “mas eu posso gerar visitas usando links patrocinados”.

Pode. E deve.

Mas sua empresa vai ancorar toda a geração de visitas em links patrocinados?

Se é esse o seu raciocínio, vamos voltar a um dado que já discutimos aqui:

  • cerca de 70% a 80% dos usuários ignoram completamente os anúncios pagos. (Search Engine Land);
  • ao investir (só) em links patrocinados, você está pagando para aparecer, e não aparecendo porque o seu site ou conteúdo são necessariamente os melhores.

E aqui, alguns poderiam dizer que trabalhar com mídia paga não é problemático, já que você paga por clique.

E, com isso em mente, não importa se a audiência é somente 20% ou 30% do total das pessoas, seu site irá pagar pelo que vai receber.

Até aí tudo bem. O problema que precisa ser considerado, no entanto, é que nesse contexto todas as visitas do seu site são compradas e não conquistadas.

Ou seja, considere alguns cenários:

  • esse mês será necessário reduzir o investimento em busca paga pela metade. O que vai acontecer com seu tráfego e leads? Vai cair pela metade;
  • um concorrente seu resolveu investir também e jogou o leilão de palavras-chave lá em cima, o que vai acontecer com o custo da sua campanha?
  • sua empresa quer aumentar as visitas em 50%. O que ela vai precisar fazer? Pagar mais para o Google.

No fim das contas, seu negócio vai se tornar refém da mídia paga, de pagar para o Google.

E isso só potencializa os dois riscos já citados: perda de autoridade e ausência de visitas no site.

Risco 4: aumento do custo por aquisição

Como dito, o investimento em mídia paga, anunciar no Google, pode fazer sentido sim, em vários cenários, como:

  • seu site é muito recente e não tem visitas;
  • você quer gerar visitas e vendas no curto prazo;
  • seu produto é sazonal;
  • seu objetivo é diversificar as origens do tráfego;
  • sua empresa quer alavancar campanhas de tiro curto.

O grande risco em ancorar toda a sua estratégia de atração de visitas em links patrocinados está em focar somente nisso no longo prazo.

Considere o gráfico abaixo:

Para ficar mais claro:

  • busca paga = investimento em links patrocinados
  • busca orgânica = investimento em SEO

Busca paga

Observe que na busca paga, o seu esforço se concentra em otimizar dois pontos principais:

Otimizando esses dois pontos, sua campanha pode garantir mais pessoas clicando no seu anúncio e um menor custo por clique.

Só que isso tem um limite. Um ponto de saturação. Um momento onde não será mais possível otimizar esses indicadores.

Então, possivelmente, você chegará em um cenário como esse:

  • custo por clique: R$ 1,00;
  • taxa de clique: 1%;
  • verba: R$ 1.000,00;
  • total de cliques: 1.000.

Aqui não é possível reduzir ainda mais o custo por clique ou aumentar a taxa de clique. E digamos que sua empresa quer chegar aos 2.000 cliques. Como fazer isso? Pagando mais.

E essa tendência seguirá o que o gráfico ilustra. Para aumentar as vendas, será necessário sempre investir mais, o que irá continuamente ampliar o custo por resultado.

Busca orgânica

No trabalho de SEO, focado em conquistar posições orgânicas, a rotina é trabalhar mensalmente nos 3 pilares citados:

  • otimização de site;
  • produção de conteúdo;
  • conquista de backlinks.

Ou seja, você mantém o esforço de melhorar o seu negócio, o seu site e o seu conteúdo. Isso em detrimento de pagar aos outros para que eles te indiquem.

Isso significa que o seu investimento não oscilará.

Ele ficará mais ou menos o mesmo, mas o resultado de visitas e vendas crescerão de forma exponencial, já que com o tempo seu site irá adquirir autoridade, relevância e mais posições no Google.

Nesse caso, o custo por aquisição toma o caminho inverso: ele cai com o tempo.

Se sua estratégia optar por não usar o SEO, porém, e ancorar tudo nos links patrocinados, o aumento do custo por aquisição é um destino certo.

Risco 5: menos vendas

Esse risco é relativamente implícito, considerando tudo que citamos aqui.

Podemos resumir essa questão em alguns tópicos bem objetivos:

  • as pessoas buscam pela sua solução (e dores relacionadas) no Google;
  • elas preferem os resultados orgânicos do que os pagos;
  • se o seu site aparecer na frente, elas irão clicar no resultado de busca;
  • se o canal for bem feito, isso trará um potencial cliente para o seu negócio.

São raríssimos os casos nos quais o maior buscador do mundo não tem uma resposta.

E consequentemente, é difícil achar alguma pergunta, dor ou solução que ninguém nunca tenha digitado no Google.

Então, o ponto que vale destacar é: quem não aparece na busca orgânica está perdendo vendas.

E como aparecer na busca orgânica? Investindo em SEO.

Como evitar os riscos

Depois de tudo que falamos, esperamos que, além do seu claro interesse em SEO, agora você esteja pensando em realmente incluir essas técnicas de otimização no seu cronograma.

Naturalmente, não se trata de uma estratégia simples e que trará resultados da noite para o dia, mas é possível estabelecer alguns pontos táticos importantes que irão guiar sua empresa na implantação do SEO.

Inicialmente é preciso se comprometer com o investimento. Então coloque os decisores na mesa e faça alguns alinhamentos cruciais:

  • foco no longo prazo: precisamos olhar para mais de 12 meses de trabalho;
  • maturidade digital: os envolvidos precisam ter clareza de onde estão pisando;
  • verba: precisamos investir todo mês, possivelmente para sempre. Então consiga esse capital;
  • expectativas: o que se espera atingir com o trabalho de SEO. Quais os desejos da diretoria;
  • indicadores: como vamos medir esse sucesso. Com qual periodicidade. E com quais números.

Feitos os alinhamentos, é hora de colocar a mão na massa. E aqui, além dos 3 pilares de SEO que foram mencionados, considere mais algumas rotinas:

  • planejamento;
  • otimização de site;
  • produção de conteúdo;
  • conquista de backlinks;
  • mensuração e controle.

Planejamento

Antes de começar, estabeleça:

Otimização de site

O site é o canal que ajudará o seu usuário a ter a resposta para a sua pergunta (ou não).

E o sucesso ou insucesso dessa busca também ficará explícito para o Google, que poderá beneficiar ou tirar posições do seu site.

Considere então algumas rotinas:

Produção de conteúdo

O conteúdo do seu site são as respostas que o usuário está buscando.

Se o seu conteúdo for bom, único, robusto e responder às dúvidas das pessoas, o Google te prioriza. Do contrário, ele te joga para baixo.

Aqui é importante estabelecer:

  • revisão da persona;
  • definição de palavras-chave;
  • mapeamento de intenções de busca;
  • planejamento do conteúdo;
  • pautas de conteúdo;
  • produção de conteúdo;
  • otimização geral de conteúdo (mesclagem, extensão, adequação, etc).

Ebook Copywriting

Conquista de backlinks

Os links externos ainda são fortes indicadores para o Google que seu site deve ranquear melhor.

Isso porque quanto um outro site aponta para o seu, é como se ele oferecesse um “voto de confiança” para a sua página.

E, muito embora alguns especialistas de SEO ainda preguem o foco em backlinks naturais – que são aqueles obtidos sem esforço – o valor dos links para o SEO ainda mostra que vale sim a pena ter um trabalho de conquistar backlinks para o seu site.

Esse trabalho, que invariavelmente será mais artesanal, pode considerar algumas rotinas:

  • mapeamento de menções online;
  • mapeamento de backlinks
  • mapeamento de canais relacionados;
  • estratégia de relacionamento/abordagem;
  • abertura de canais;
  • relacionamento com canais;
  • produção de material para link building;
  • gestão e otimização dos backlinks.

Mensuração e controle

A rotina de mensuração e controle é que irá monitorar a performance do trabalho de SEO e principalmente mostrará aos decisores o grau de evolução e resultados que o projeto está gerando.

Aqui é crucial mostrar que os esforços estão na direção certa ou como eles devem ser revistos para apontar para o norte desejado.

Para tanto, vale pegar os indicadores alinhados no planejamento e seguir os processos de alinhamento mensal:

  • reuniões de alinhamento;
  • relatórios de performance.

Com essas 5 táticas em mente, a sua empresa certamente evitará os riscos de não usar o SEO, e sairá na frente de muitas outras que ainda se prendem no pensamento de curto prazo.

Agora que você já sabe como evitar os 5 riscos de não usar o SEO na sua estratégia, que tal entender um pouco mais sobre quanto custa fazer SEO?

Esse conteúdo foi produzido pela equipe da Flammo, que junto com a Rock Content ajudou empresas como a MRV Engenharia a conquistar mais de 60.000 visitas orgânicas.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

156 respostas para “Descubra o que é buyer persona e quais os 5 passos essenciais para criar a sua”

  1. […] Para isso, criar personas que representem o público alvo da empresa. (A Rock Content tem um material para te ajudar a fazer isso, não deixem de […]

  2. […] Para isso, criar personas que representem o público alvo da empresa. (A Rock Content tem um material para te ajudar a fazer isso, não deixem de […]

  3. […] Conteúdo original publicado no MarketingDeConteúdo.com […]

  4. […] (Não sabe o que é uma persona? Leia aqui!) […]

  5. […] (Se não sabe bem o que são personas ou quer ler um pouco mais sobre o assunto, veja esse post.) […]

  6. Marcos Cordeiro disse:

    Olá Guilherme , minha ideia é em um primeiro momento trabalhar com minha “agência” utilizando apenas carteiras de afiliados. Esta carteira seria criada levando em consideração o nicho de mercado que a empresa e ou produtor atuar.

    Por exemplo : Carteira para infoprodutos do seguimento ganhar dinheiro na internet, carteira Daffit, carteira Magazine Luiza ( mas todos ligados a programas de afiliados).

    A pergunta é ? Esse projeto é viável ?

    Pra mim parece que é, haja visto, que as agências offline trabalham com vários carteiras de clientes diferenciados.

    Se vc tiver algum material a esse respeito eu agradeço,, estou procurando parcerias…

    Marcos Cordeiro
    Gestor de Marketing Digital e Mídias Sociais

  7. Olá Marcos, tudo bem?

    Minha primeira dica seria criar personas bem clara para cada nicho de mercado. Mas eu gostaria de compreender melhor o funcionamento para poder procurar por algum material específico. Você poderia detalhar um pouco melhor o funcionamento?

  8. Luciana Garcia Manzano disse:

    Olá, Guilherme. Gostaria de saber quem é o autor do conceito de buyer persona. Obrigada.

  9. Luciana Garcia Manzano disse:

    Olá, Guilherme. Gostaria de saber quem é o autor do conceito de buyer persona. Obrigada.

  10. Olá Luciana, tudo bem? Não existe nenhum autor específico. Mas as duas melhores referências hoje em dia são: http://tonyzambito.com/ e http://www.buyerpersona.com/

  11. Olá Luciana, tudo bem? Não existe nenhum autor específico. Mas as duas melhores referências hoje em dia são: http://tonyzambito.com/ e http://www.buyerpersona.com/

  12. estou adorando o conteudo apaixonada.

  13. estou adorando o conteudo apaixonada.

  14. estou adorando o conteudo apaixonada.

  15. estou adorando o conteudo apaixonada.

  16. […] em participar de grupos que estão as suas personas e trabalhe o seu conteúdo! Exemplo de grupos que […]

  17. […] Se você quer saber mais sobre personas, você também pode ler esse artigo aqui. […]

  18. Dicionário do marketing de conteúdo disse:

    […] Persona: representações simplificadas dos clientes ideais de uma empresa. Uma persona é uma personagem criada para ajudar uma empresa a compreender melhor quem é seu cliente e do que […]

  19. Guia prático para criação de personas (Script) disse:

    […] Buyer personas são grupos identificáveis de pessoas que compram seus produtos. Eles possuem caracteristicas, processos de compra e interesses similares. Você pode saber um pouco mais, lendo esse aritgo aqui! […]

  20. Muito bom para entender melhor o e-marketing!

  21. Muito bom para entender melhor o e-marketing!

  22. Marketing de atração – O guia completo (Parte 1) | Vender na internet nunca foi tão fácil disse:

    […] -> Se você deseja saber mais sobre Buyer Persona, clique aqui para aprender. […]

  23. Os 6 erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo disse:

    […] A Rock Content possui um material extenso sobre o tema. Não sabe o que é uma buyer persona? Leia este artigo. Não sabe como montar e apresentar suas personas? Use nosso template gratuito. Não sabe quais […]

  24. Sem improvisos: saiba como documentar sua estratégia de marketing de conteúdo disse:

    […] definir bem o que você quer solucionar com a ação, quanto e como pode se dedicar, quais as personas, formas de engajar os possíveis clientes e as métricas também são coisas que precisam constar […]

  25. Quer impressionar seu chefe e conquistar sua promoção? Veja essas dicas disse:

    […] saber um pouco mais sobre personas, só ler esse artigo aqui. E para baixar nosso template exclusivo e traçar a suas, só clicar […]

  26. [Material Gratuito] O Guia para criação de Personas disse:

    […] traçar a sua estratégia de marketing de conteúdo. Se você não sabe, comece lendo esse artigo aqui. De toda fora, buyer personas são a imagem dos seus clientes ideais. Elas te ajudarão a guiar […]

  27. Leovando Galvão de França disse:

    Uma outra ferramenta muito interessante é o MAPA DE EMPATIA. Achei o artigo desse cara muito interessante: http://ramonkayo.com/empreendedorismo/o-que-e-mapa-de-empatia-e-para-que-serve

  28. Leovando Galvão de França disse:

    Uma outra ferramenta muito interessante é o MAPA DE EMPATIA. Achei o artigo desse cara muito interessante: http://ramonkayo.com/empreendedorismo/o-que-e-mapa-de-empatia-e-para-que-serve

  29. […] se tem de atrair, converter e reter clientes, todo esse processo deve ser minuciosamente planejado. Saiba claramente quem você deseja atrair para não haver desperdício de esforço, com seus vendedores sabendo exatamente em quais pontos […]

  30. […] Não basta saber o que é uma buyer persona para criá-la do jeito certo. Nesta hora, não cabem palpites e “achismos”, é preciso se embasar em metodologias bem definidas para elencar quais são as características, histórico e perfil destas personas. Como fazer isso? Pesquisando e sistematizando os dados colhidos! […]

  31. Beto Machado disse:

    Tenho uma dúvida: em qual momento da estratégia de conteúdo as personas devem ser criadas.

    No primeiro momento de criação de um blog, ou após quando serão definidas as pautas ?

    • Olá Beto!

      As personas serão definidas antes da criação do blog. Elas são desenhadas durante o planejamento do seu marketing. Porém, isso não impede de você criá-las em outro momento. Se você já tem um blog e deseja melhorá-lo, crie suas personas antes para nortearem suas ações de marketing!

  32. Beto Machado disse:

    Tenho uma dúvida: em qual momento da estratégia de conteúdo as personas devem ser criadas.

    No primeiro momento de criação de um blog, ou após quando serão definidas as pautas ?

  33. Cup Ideias | Começando seu negócio? Veja estas 3 dicas para começar seu plano de marketing disse:

    […] na hora de entender o seu público. Você pode, inclusive, usar os dados levantados para criar buyer personas, uma espécie de personificação fictícia que reúne as características predominantes do seu […]

  34. […] todo esse conhecimento disponibilizado pela sua empresa se ele possui dificuldade de encontrar a persona para qual foi […]

  35. Beto. com certeza, antes da criação do Blog.

    É o perfil da sua Persona que vai dizer: Qual o melhor layout pro blog, qual o melhor conteúdo, qual a melhor cor e etc.

    Aqui no meu blog eu falo um pouco sobre isso.

    Acessa e depois comenta.

    http://www.rafatorres.com.br/como-criar-plano-producao-de-conteudo-blog/

  36. Rafael Torres disse:

    Beto. com certeza, antes da criação do Blog.

    É o perfil da sua Persona que vai dizer: Qual o melhor layout pro blog, qual o melhor conteúdo, qual a melhor cor e etc.

    Aqui no meu blog eu falo um pouco sobre isso.

    Acessa e depois comenta.

    http://www.rafatorres.com.br/como-criar-plano-producao-de-conteudo-blog/

  37. Rafael Torres disse:

    Muito bom mesmo, Leovando.

  38. Dress Izumi disse:

    Olá Guilherme,

    quero agradecer pelo vosso conteúdo! Por fazerem Marketing de Conteúdo de forma tão excelente, porque são informações extremamente úteis e inspiradoras até 😉

    Deixo um artigo onde referencio este vosso vídeo : http://bit.ly/1njbo8Y

    Abraços,
    Andressa

  39. Dress Izumi disse:

    Olá Guilherme,

    quero agradecer pelo vosso conteúdo! Por fazerem Marketing de Conteúdo de forma tão excelente, porque são informações extremamente úteis e inspiradoras até 😉

    Deixo um artigo onde referencio este vosso vídeo : http://bit.ly/1njbo8Y

    Abraços,
    Andressa

  40. Não entendi. De repente é por que sou analfabeto no MKT digital.
    No vídeo fala em criar u personagem fictício para direcionar o conteúdo, mas sem ter uma pessoa real.
    Depois fala em "sem achismos" de criara um perfil bom mas que não existe mas nao vai dar foco. No eu ponto de vista o exemplo do Achismo pode existir sim e o exemplo que não é achismo pode ser um achismo, não?
    Complicado criara um personagem que não é de uma entrevista REAL.
    O Criado gera uma autoridade perante a outras pessoas similares, é isso? ou é so para direcionar um nicho de mercado?
    Se é uma persona criada, não esta sendo tendencioso ao que você desejaria e não ao que o publico desejaria?

    Desculpa a confusão, mas me deu um nó no cérebro e me perdi.

  41. Não entendi. De repente é por que sou analfabeto no MKT digital.
    No vídeo fala em criar u personagem fictício para direcionar o conteúdo, mas sem ter uma pessoa real.
    Depois fala em "sem achismos" de criara um perfil bom mas que não existe mas nao vai dar foco. No eu ponto de vista o exemplo do Achismo pode existir sim e o exemplo que não é achismo pode ser um achismo, não?
    Complicado criara um personagem que não é de uma entrevista REAL.
    O Criado gera uma autoridade perante a outras pessoas similares, é isso? ou é so para direcionar um nicho de mercado?
    Se é uma persona criada, não esta sendo tendencioso ao que você desejaria e não ao que o publico desejaria?

    Desculpa a confusão, mas me deu um nó no cérebro e me perdi.

  42. […] blog corporativo é o tipo de conteúdo que deve ser produzido para atrair e conquistar clientes. Criar personas, definir os assuntos de interesse e soluções para os problemas desse público já é um bom […]

  43. […] Alinhamento de personas: (Se você não sabe o que é isso, leia e aprenda tudo sobre personas aqui.) […]

  44. […] ideal e determinar que tipo de conteúdo será produzido para eles. Na Rock Content utilizamos duas personas: o Ollie (Dono de empresa) e Mary (gerente/analista de marketing de uma empresa). O diretor não […]

  45. […] saber um pouco mais sobre personas, só ler esse artigo aqui. E para baixar nosso template exclusivo e traçar a suas, só clicar […]

  46. […] A primeira dica para ajudar você na hora de criar um bom conteúdo é: seja expert do seu público. Saber o que ele gosta, qual rede social ele mais frequenta e quais assunto mais comenta, é o primeiro passo para criar um conteúdo de qualidade. Definir e conhecer suas personas é essencial. Se você não sabe o que elas são, acesse este conteúdo e descubra agora. […]

  47. Caique Monteiro Araujo . Obrigado. Ajudou a clarear as idéias sim.

  48. Caique Monteiro Araujo disse:

    Olá André Schuler, bom acho que posso ter ajudar!

    Em Buyer Personas, quando se fala em personagem fictício é o fato deste ter uma identidade que "não existe", como o Nome, a Foto, Idade, etc. Porém o "sem achismos" é para que você defina os interesses (personalidade) desse personagem fictício com base no público que você possui, como Cargo, Renda, Histórico, Comportamento, etc.

    Não é bem uma autoridade perante ao seu público, mas sim um personagem que represente o seu público, e tenha os mesmos interesses, por isso que é fundamental que você pesquise o seu público.

    Por exemplo, eu poderia criar um personagem com a identidade do Mickey Mouse, e definir para ele uma personalidade que corresponde ao público que tenho, por exemplo, que é um empreendedor iniciante e possui muitos receios e pouca experiência no mercado. E você descobre essa personalidade em seu público com pesquisa, supondo que 60% das pessoas para quem você irá escrever também são empreendedores iniciantes, com muitos receios e pouca experiência no mercado!

    Espero que tenha te ajudado!

  49. […] de medir, ajustar, investir ou fazer qualquer ação, você precisa saber quem é o consumidor da sua marca. Descubra o que ele gosta, suas preferências e seus desejos. Converse com seu cliente, peça […]

  50. […] os conhecimentos sobre o perfil dos clientes. E uma das ferramentas mais eficientes para isso é a definição das personas – representações fictícias e simplificadas de clientes típicos de uma empresa. Para criar uma […]

  51. […] Pense como o seu público, não como o conhecedor e especialista que você é sobre o seu produto ou serviço. Reflita: como ele buscaria o seu produto ou serviço na internet? Você pode, inclusive, experimentar conversar com algumas pessoas que se encaixem no seu público e fazer essa pergunta para descobrir. Se você ainda não fez um trabalho de identificação de suas personas, descubra o que são e como você deve criá-las. […]

  52. […] na sua buyer persona é fundamental para escrever um bom artigo que será encontrado pelos leitores. Se você erra no […]

  53. Personas - inovação no seu plano de negócios disse:

    […] Marketing de conteúdo O artigo apresentado por esse site é bem completo e direto em relação a como criar uma persona, uma ótima leitura para você que ainda possui dúvidas de como fazer isso. […]

  54. […] para obter o máximo de seu fluxo de nutrição, você precisa ter uma pessoa específica em mente. Que tipo de comprador é esta persona? O que ele está mais interessado em aprender? Que perguntas a fazer teria […]

  55. 5 e-books grátis de marketing digital | Agência ARX disse:

    […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  56. […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  57. 5 ebooks de marketing digital que você não pode perder | Trilha Mundos – Cooperativa de Projetos e Serviços Socioambientais – 61 8138-5888 disse:

    […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  58. […] Definir suas personas (representações simplificadas dos clientes ideais de sua empresa) garantirá que todos os conteúdos desenvolvidos por você e sua equipe estarão de acordo com o que seu público quer ver e tem interesse. Acesse este post para compreender mais sobre o conceito de personas. […]

  59. Por que investir em conteúdo gerado por usuário | Webinsider disse:

    […] O conteúdo gerado pelo usuário serve como feedback do público para saber como ele interage com sua marca e especialmente o que espera de sua empresa. E isso é de extrema relevância para criar estratégias de Marketing eficientes, por meio da criação e perfeito atendimento da persona. […]

  60. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  61. […] por você e sua equipe estarão de acordo com o que seu público quer ver e tem interesse. Acesse este post para compreender mais sobre o conceito de personas. […]

  62. […] sem filtros nem intermediários, você terá uma posição completamente fidedigna, sabendo se sua Persona está de acordo ou não. Como se não bastasse isso, realizar pesquisas também estimula que mais […]

  63. […] isso, vale lembrar da importância da criação das buyer personas. A denifição dos seus clientes ideais é essencial para não perder o foco e não ficar sem […]

  64. […] forma correta de iniciar este processo é através da criação de um documento chamado buyer persona, também conhecido como personagem […]

  65. […] primeira coisa a se fazer é definir quem é a persona que você quer atingir com suas ofertas e o relacionamento que pretende nutrir. Sua clientela ideal […]

  66. 5 Dicas Fundamentais para Iniciantes nas Mídias Sociais - www.novasrendas.com disse:

    […] forma correta de iniciar este processo é através da criação de um documento chamadobuyer persona, também conhecido como personagem […]

  67. […] deve ser produzido, é essencial saber para quem se está produzindo. Para isso, é preciso criar as personas da sua empresa, que são representações fictícias do seu cliente ideal, desenvolvidas a partir de informações sobre trabalho, hábitos e dados demográficos, e obtidas […]

  68. […] próximo passo é considerar quem é sua audiência, ou melhor, a persona para quem o post é direcionado. Por exemplo: uma das personas de um blog é o profissional de […]

  69. 3 Erros de Marketing Que Sua Escola Pode Evitar | Escribo disse:

    […] saber mais, confira este guia em […]

  70. […] E essa é uma das principais coisas que o conteúdo gerado por usuário pode fazer por você: sejam consumidores que já adquiriram seu produto/serviço ou indivíduos que interagem com a sua página, eles representam um padrão de pessoas que são exatamente como a sua persona. […]

  71. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  72. […] Exemplo 2: O que são buyer personas e como criá-las […]

  73. […] Buyer personas são grupos identificáveis de pessoas que compram seus produtos. Eles possuem caracteristicas, processos de compra e interesses similares. Você pode saber um pouco mais, lendo esse aritgo! […]

  74. […] Mas em um cenário tão disputado, como é possível convencer seu chefe a investir em marketing? Para fugir de explicações subjetivas e recheadas de termos técnicos e dos retornos intangíveis e impossíveis de se mensurar, a melhor solução pode estar no marketing de conteúdo. Isso é, resumindo em poucas palavras, oferecer conteúdo relevante e de alto valor para atrair, cativar e fidelizar seu público-alvo (personas). […]

  75. […] A Rock Content possui um material extenso sobre o tema. Não sabe o que é uma buyer persona? Leia este artigo sobre personas. Não sabe como montar e apresentar suas personas? Use nosso template gratuito. Não sabe quais […]

  76. […] importante ter em mente a sua buying persona e ajustar os termos técnicos e a complexidade do texto de acordo. Tenha em mente os seus leitores […]

  77. […] importantes para traçar a sua estratégia de marketing de conteúdo. Se você não sabe, comece lendo esse artigo aqui. De toda forma, buyer personas são a imagem dos seus clientes ideais. Elas te ajudarão a guiar […]

  78. […] que vai encaixar perfeitamente na jornada do cliente que você desenhou e que auxiliará sua persona em algum momento do funil de vendas. Isso basta, […]

  79. […] Conteúdo consistente é de extrema importância que entenda seu público, por meio da criação da persona, e uma das melhores formas de se fazer isso é através do conteúdo que produzem. Mapeie o que […]

  80. […] cada momento de compra de cada persona, surgem interesses, demandas e objeções diferentes. O funil de vendas e a jornada do cliente […]

  81. […] Ainda não ficou claro? Acesse este post sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas sobre personas. […]

  82. […] para uma audiência certa e segmentada. Você pode adequar quem vê as suas postagens de acordo com personas (avatares que representam consumidores ideais) definidas para o seu […]

  83. Olá Guilherme, obrigado pelo conteúdo publicado sobre Buyer Personas, achei muito bom, preciso definir o meu Byer Persona, para encontrar melhores ferramentas e estratégias para encontrar meu publico e ajuda-lós em suas necessidades.

    http://www.aulasinformatica.com.br/

    https://www.facebook.com/teceasytreina

  84. Rock Content disse:

    Oi, tudo bem? Nós temos um gerador de personas que pode ser bem útil para definir quem é sua persona ideal. Que tal dar uma olhadinha nela? Acho que pode te ajudar bastante 😉 http://geradordepersonas.com.br/

  85. […] traçar suas personas, você passa a entender melhor como um certo grupo de clientes se comporta. Assim, fica mais fácil […]

  86. […] Afinal, para trabalhar o marketing digital é necessário estar nas redes sociais que as suas personas estão para promover o conteúdo que fará sentido para elas. Porém, conquistar um número […]

  87. […] Para entender mais sobre o assunto, indico a leitura do artigo escrito por Guilherme Avelino, especialista em Branding e Marketing de Conteúdo: O que são buyer personas e como criá-las. […]

  88. […] forma de definir o público perfeito para a sua empresa (e o seu plano de marketing): criando personas! Se você ainda não está familiarizado com elas, não seu preocupe! Estamos aqui para […]

  89. […] em qual é o leitor ideal (sua persona) que você deseja atrair. Como você falaria com estes leitores em uma conversa […]

  90. O que é Inbound Marketing? Aprenda definitivamente! - Agência Master Digital disse:

    […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  91. Teste | portifolioedgarsales disse:

    […] Personas: […]

  92. […] o título que você tenha no campo do Inbound Marketing, você deve ter um quadro detalhado de seu público-alvo, a fim de criar conteúdo otimizado e útil para […]

  93. […] frequentes (e esse número continua crescendo) são grandes as chances de que você encontre a sua persona por lá, mas não basta sair publicando imagens sem um planejamento […]

  94. […] criar buyer personas não podemos usar palpites ou […]

  95. […] Como dito anteriormente, é importante pensar nas personas para definir as palavras-chave relevantes para o negócio. Se você ainda não fez um trabalho de identificação de suas personas, descubra aqui o que são e como você deve criá-las. […]

  96. […] Defina quem é seu público-alvo e comece a produzir material MUITO focado nele. Mesmo que esse material não faça sentido para outros públicos. […]

  97. […] É exatamente por essa razão que resolvemos preparar esse artigo, bem especial, que vai servir de base para que você possa estabelecer a sua marca como uma fonte confiável de informação e conhecimento para a sua persona. […]

  98. […] de começar qualquer atividade nas redes sociais é preciso definir o seu público e responder as seguintes perguntas: Que tipo de público eu quero atingir? Em quais redes sociais […]

  99. Venda mais através de posicionamento online disse:

    […] conseguir vender o seu produto ou serviço. É necessário conhecer muito bem o seu consumidor (Buyer Persona), ter uma estratégia e inteligência, para que sua campanha seja um sucesso de […]

  100. […] conteúdo do topo de funil tem que fazer com que a persona da sua marca descubra que tem um problema que deve ser […]

  101. […] mas não deixe os grandes conceitos que fazem com que aquele conteúdo seja interessante para suas personas se percam a cada nova rede social ou maneira de publicar e […]

  102. […] Esse formato auxilia, principalmente, quando o próprio título do material remete a questões pontuais e específicas, respondendo a prováveis questões da sua persona. […]

  103. Blog Corplan Propaganda disse:

    […] Definir as personas da sua estratégia de marketing de conteúdo é fundamental para que você crie os conteúdos certos, que vão alavancar o seu blog. […]

  104. […] dúvidas quanto a isso, o primeiro passo para escrever um bom post é levar em consideração as personas que você busca […]

  105. […] e ideal para o seu leitor é sempre bom! Ele ajuda a sanar todas as possíveis dúvidas que a sua persona pode ter e é um bom começo para gerar […]

  106. Como fazer um Planejamento de Marketing Digital FODA! disse:

    […] a esta análise, pois ela é fundamental. Particularmente, eu recomendo que você crie uma ou mais buyer personas (ou avatares) que personificarão as principais características do seu público-alvo. Uma dica […]

  107. […] pesquisa sobre personas – ou seja, os diferentes perfis de consumidores em potencial para o negócio – pode ganhar […]

  108. […] se sabe qual rede social sua persona mais usa e com quais objetivos fica mais fácil de elaborar uma estratégia certeira para atingir […]

  109. […] isso, você pode construir uma persona para te ajudar no […]

  110. […] Definir as personas da sua estratégia de marketing de conteúdo é fundamental para que você crie os conteúdos certos, que vão alavancar o seu blog. […]

  111. […] Ainda não ficou claro? Acesse este post sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas sobre personas. […]

  112. […] Não basta escrever milhares de posts sem um planejamento correto. Produza um calendário editorial, estude palavras-chave relevantes ao seu público-alvo e aprenda a criar conteúdos que sejam direcionados a certas personas. […]

  113. […] que as referências que você vai utilizar devem estar de acordo com as características da sua persona – idade, profissão, anseios e planos para o […]

  114. […] definição do público-alvo ou, mais precisamente, das suas personas, é a primeira a coisa a ser analisada após a escolha dos produtos ou serviços a serem […]

  115. […] Esse sombrio setor preferia trabalhar sozinho e se preocupava mais com os seus métodos e o seu ego, do que propriamente salvar a persona. […]

  116. […] você otimizar seu site para SEO você precisa ter sempre a sua persona em […]

  117. […] É natural e também muito comum que as pessoas busquem por conteúdos interessantes e de linguagem mais fácil, portanto, nesta parte, é preciso ter um tipo de abordagem definida, especialmente focada na sua persona. […]

  118. […] bons exemplos são cronogramas de trabalho para o marketing, briefings e definição de buyer personas compartilhados para a produção de conteúdo, alinhamentos de lead scoring para a passagem de MQL […]

  119. […] o marketing mune-se de dados e informações, identifica tendências e comportamentos, desenvolve buyers persona e passa a focar todas as ações para que a empresa atinja os objetivos traçados no planejamento […]

  120. […] que falamos ali em cima sobre ter um público-alvo bem segmentado em […]

  121. […] Antes de começar a escrever um post no Facebook ou um Tweet, é fundamental entender para quem você está escrevendo. […]

  122. Como escolher uma rede social para sua empresa disse:

    […] que esse processo de conhecimento do seu público alvo se torne mais efetivo, crie personas. Elas ajudam a nortear sua estratégia de conteúdo porque simulam clientes reais — que interagem […]

  123. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. […]

  124. Mulheres Empreendedoras: como se destacar no mercado disse:

    […] grande segredo do Marketing digital é a persona. É preciso saber com quem você quer falar e mostrar o seu produto ou serviço, enfim, quem é o […]

  125. […] uma persona para sua marca e produza conteúdo para o público que você deseja […]

  126. Content Marketing: A Growing Strategy in Brazil - Bunny Inc. Blog disse:

    […] Content marketing is no longer a trend and is already a reality for businesses around the world that want to stand out in the digital environment. With each passing day, brands move further away from traditional invasive advertising that interrupts the user, the kind that doesn’t start a dialogue with the company’s buyer personas. […]

  127. […] grande segredo do Marketing digital é a persona. É preciso saber com quem você quer falar e mostrar o seu produto ou serviço, enfim, quem é o […]

  128. […] que esse processo de conhecimento do seu público alvo se torne mais efetivo, crie personas. Elas ajudam a nortear sua estratégia de conteúdo porque simulam clientes reais — que interagem […]

  129. Como montar um e-commerce de moda disse:

    […] bastante utilizada para atingir o público de maneira assertiva é através da criação de uma persona (personagem fictício criado para representar os diferentes tipos de usuário dentro de um alvo […]

  130. […] de dois materiais da Rock Content que são bem completos sobre o assunto. O primeiro deles é um post e o segundo é um guia para criação de personas. Então estude bem, veja como adaptar à […]

  131. Os 13 maiores erros de marketing digital que sua empresa pode cometer disse:

    […] importante saber quem são os seus potenciais clientes. A partir daí você começa a trabalhar de acordo com o que essas personas […]

  132. […] O sucesso do seu negócio está centrado em quanto o seu produto ou serviço satisfaz seu cliente. O profundo conhecimento sobre o seu cliente, como o que ele faz, o que sente, qual sua rotina, quais são suas dores, o orientará a focar naquilo que ele realmente necessita e desenvolver seu negócio a partir dessa análise. O modelo estratégico para definição do perfil dos seus potenciais clientes é o Buyer Persona. […]

  133. […] artigo me levou para o topo do Google? Qual foi o assunto que mais interessou minha persona? Com qual periodicidade devo atualizar meu […]

  134. […] O seu conteúdo deve ser feito, não com o foco no seu negócio, tentando apresentar e vender produtos e serviços. Ele deve ser pensado sob o ponto de vista da sua audiência, ou seja, da sua persona. […]

  135. Validar sua ideia de negócio: 5 dicas incríveis  disse:

    […] Antes de validar você pode conhecer melhor o seu público-alvo. Pode criar por exemplo uma página no Facebook ou um blog falando sobre o assunto de interesse da sua persona. […]

  136. 3 Dicas Para Descobrir Quem é a Persona do Seu Negócio - Eleve seu Negócio disse:

    […] querendo lançar um negócio ou até já lançou, mas está com problemas para descobrir quem é a persona do seu negócio, você está no lugar […]

  137. […] isso, deve-se começar segmentando bem que tipo de pessoa sua empresa quer atingir, definir as personas do seu negócio e desta forma entender o que estas personas precisam. Depois, ao começar a […]

  138. […] internos. A primeira delas, tendência no mercado, é o estudo de personas (leia mais a respeito aqui) e consiste em entender quem são seus clientes e leads (potenciais clientes), como eles agem, como […]

  139. […] O que são buyer personas e como criá-las […]

  140. O que é Inbound Marketing e como ele pode ajudar sua empresa? | design marca disse:

    […] mais importante de toda a estratégia. É preciso realizar uma pesquisa a fim de definir as reais personas (definição de público-alvo) que realmente comprariam da sua empresa. Dessa forma a empresa […]

  141. Werik Gonçalves disse:

    Artigo muito completo!

  142. Louise Souza disse:

    adorei!

  143. Alex Ferreira disse:

    Olá, muito bom este artigo explica muito bem sobre persona. O link
    http://avwebdigital.com.br/comportamento-do-consumidor/ complementa o assunto abordado

  144. Rock Content disse:

    Oi, Tânia! Vamos por partes:
    1) O ideal, primeiramente, é refletir se você realmente precisa delinear todas essas personas. O início de uma estratégia de marketing demanda muitos esforços, e pode ser melhor começar por uma persona e depois criar outras na medida em que sua estragégia avança. Independente do que você escolher fazer, recomendo que faça primeiro as entrevistas para depois montar o perfil.
    2) A melhor coisa é entrevistar um número de pessoas relevantes para a dimensão do seu negócio. Se você vai montar uma pequena empresa, pense no número de clientes que pretente ter daqui um ano e faça as entrevistas de forma proporcional.
    3) As perguntas do formulário devem ser orientada para que você entenda os principais pontos da vida da sua persona, como seu trabalho, seus objetivos e desafios, sua vida pessoal, o que ela precisa e como ela quer obter isso. Temos um post prático para você aprender a montar sua persona: https://thenewrock.rockcontent.com/blog/guia-criacao-personas/.
    Qualquer dúvida, estamos aqui para ajudar! Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *