Schema Markup

Entenda o que é Schema Markup e como utilizar isso para impulsionar seus esforços em SEO

Preparar páginas para terem maior destaque nos resultados do Google é um trabalho constante. O Schema Markup oferece essa possibilidade, enriquecendo informações básicas e gerando códigos em HTML de forma automática.

Com a alta concorrência de páginas na Web, posicionar um site ou conteúdo requer bastante dedicação em otimizações de SEO. Só isso garante a primeira página do Google e, principalmente, os primeiros resultados. Nessa busca, o Schema Markup tem se tornando um grande aliado para dar esse destaque.

Uma vez utilizado por uma página, esse código melhora a comunicação com os motores de busca, resultando em mais visibilidade para um conteúdo.

Como você pode perceber, para quem trabalha com marketing de conteúdo, é essencial saber o que é o Schema Markup. Siga conosco para entender como utilizá-lo e os benefícios que pode trazer!

O que é o Schema Markup?

Não é nenhuma novidade o fato de que o algoritmo do Google se comunica e reconhece melhor os sites otimizados. Os recursos de SEO para o melhor rankeamento e visibilidade são dos mais variados, e muitos deles são acionados por detalhes. O Schema Markup faz parte dessa realidade, tendo grande importância.

Na prática, ele se trata de um código que é inserido no HTML dos sites. É uma mudança muito simples, que se baseia em copiar e colar, mas que gera impactos significativos na estratégia.

O Schema Markup é um vocabulário de tags que ajuda o Google a entender o que pode ser encontrado naquele website. Em outras palavras, por meio desse conjunto de códigos, os algoritmos identificam do que se trata aquele conteúdo e a quais temas ele está relacionado.

É como se fosse um recurso de tradução para o Google que, consequentemente, o ajuda a rankear melhor os sites que usam essa marcação em seu código.

O impacto nos resultados

O Schema Markup ainda gera algumas dúvidas, mas é importante que as empresas e os produtores de conteúdo entendam que ele tem se tornado mais relevante. Nos últimos tempos, usar esse marcador se tornou um diferencial decisivo para um site.

Uma prova disso é que, desde 2017, o marcador se tornou um fator de rankeamento por parte do Google. Os algoritmos tentam identificar esse vocabulário nas páginas, penalizando aqueles que não fazem o uso dele.

Na prática, os motores de busca têm mais dificuldade de entender o conteúdo das páginas quando elas não usam esse marcador. A partir disso, é natural que os conteúdos que já estejam otimizados nesse sentido apareçam mais bem posicionados no ranking do Google.

Guia do SEO 2.0Powered by Rock Convert

O funcionamento

O simples código do Schema Markup tem uma atuação bastante efetiva quando é adicionado no código HTML dos sites. Automaticamente, ele gera uma descrição aprimorada do que há naquela página. Essa função é o que tem impacto imediato na relação com os algoritmos e favorece o rankeamento.

É como se, por meio desse código microdata, os sites se esforçassem para fazer com que o Google entendesse melhor o que eles trazem. Essa melhora na descrição gera uma relação melhor com o algoritmo e coloca os conteúdos nas primeiras páginas.

Como utilizar esse código?

O Schema Markup tem aplicações específicas, ou seja, pode ser usado em alguns tipos de conteúdos e páginas quando aparecem nos resultados do Google. Isso faz com que haja uma grande variação de marcações distintas, porque há sites e conteúdos de todos os tipos buscando as primeiras posições dos resultados.

Quando uma página utiliza o Schema Markup, ela aparece de maneira diferente nos resultados dos motores de busca. A principal mudança, e que faz toda a diferença, é a maior riqueza de informações naquela primeira visualização dos links. Os que são mais ricos em detalhes, geralmente, usam essa marcação.

Para os motores de busca, a amplitude dessas informações representa maior funcionalidade para quem faz a pesquisa. Na prática, Google, Yahoo, Bing e outros sites de pesquisa só querem entregar ao usuário um resultado que chegue o mais perto possível do que ele pretendia quando fez a busca de um termo.

As possíveis aplicações do Schema Markup

Diferentes tipos de página podem usar esse código para enriquecer a descrição do seu conteúdo. Entre as principais categorias, estão:

  • empresas e organizações;
  • eventos;
  • pessoas;
  • produtos;
  • receitas;
  • reviews;
  • vídeos;
  • locais.

Cada uma dessas categorias abre opções distintas de preenchimento de características das páginas. Os códigos se diferenciam para o tipo de conteúdo do site, e isso gera a descrição mais completa dele, que é o que se pode ver, normalmente, entre os resultados do topo das pesquisas do Google.

Em um exemplo, se você está divulgando a página de um evento, o Schema Markup possibilitará que você adicione informações estratégicas adicionais. Assim, o resultado do Google trará o título, o horário do evento, o local, a data e outros dados que sejam relevantes.

Para o usuário que faz a busca, encontrar todos esses dados logo na primeira pesquisa gera um impacto positivo. É justamente isso que o Google considera para valorizar os conteúdos com o Schema Markup e, por isso, eles têm maior valor diante dos algoritmos.

Confira também outra utilização importantíssima desse marcador
👉 Marcador Schema.org: otimize o seu conteúdo para pesquisas de voz

O trabalho para gerar o código

Muitos profissionais de SEO se preocupam precocemente, pensando ser necessário desenvolver o código HTML para ser inserido nas páginas dos sites. Isso daria mais trabalho e, na prática, não é assim que funciona. O Schema Markup é gerado por meio do site schema.org, utilizando a marcação certa para a categoria.

Por lá, tudo é feito de forma intuitiva e automática. O primeiro passo é identificar o tema da página para gerar possibilidades de informações mais amplas. Quanto mais segmentada for a escolha, melhores serão as opções de preenchimento e mais bem rankeado esse site estará.

Essa marcação mais bem detalhada também vai gerar possibilidades mais interessantes para serem mostradas nos resultados. Se você marca um evento, por exemplo, as opções de código disponibilizarão o preenchimento de hora, data e local e até mesmo onde comprar ingressos.

No final do preenchimento das informações no site do Schema Markup, o código será gerado de forma completa. Após isso, basta colar esse trecho no HTML do site e, então, testar se o algoritmo do Google está identificando todas essas informações.

Elas serão reconhecidas como rich snippets e, assim, vão gerar aqueles dados mais detalhados. É possível verificar se eles estão funcionando por meio de uma ferramenta específica do Google para isso: a Rich Snippets Testing Tool.

Como essa linguagem traz benefícios em diferentes contextos do SEO?

O uso do Schema Markup traz benefícios concretos para os sites, tornando-os mais amigáveis aos motores de busca. Uma prova disso é que, a partir de 2011, Google, Yahoo, Bing e Yandex começaram a colaborar para adaptarem seus algoritmos aos conteúdos que têm esse marcador em seus códigos HTML.

Na prática, isso significa que os motores de busca estão mais propensos a valorizar esses sites em vez dos que não têm. Por si só, essa já é uma vantagem competitiva muito grande e estimula cada vez mais os conteúdos a realizarem essa otimização.

A seguir, entenda melhor outras questões que podem ser consideradas como boas vantagens em SEO ao aplicar essas marcações em uma página da Web.

Conquista de posições

Oficialmente, não há nenhum posicionamento oficial que garanta que sites com Schema sejam mais bem posicionados na busca orgânica. No entanto, nos resultados pagos, quanto mais informações de destaque forem inseridas, maiores as chances de aquela página aparecer entre os primeiros resultados.

A conquista de posições no ranking dos motores de busca é o principal benefício que pode ser colhido na otimização por meio desses marcadores. Isso garante que uma página esteja sempre em destaque no seu mercado, o que é um ganho decisivo na atualidade. Primeiras posições dão credibilidade e mais visibilidade aos sites.

Adição de featured snippets

O Schema também gera a adição dos featured snippets, ou seja, aquelas caixas com informações objetivas que aparecem em destaque em relação a outros resultados do Google. Eles são conhecidos como a posição zero do rankeamento, ou seja, antes mesmo até dos primeiros links que surgem na página de resultados.

O destaque dos featured snippets em relação às outras respostas é, visualmente, muito grande. Entretanto, para estar ali, é necessário ter informações estratégicas bem destacadas. Se o link é para um evento, exemplo que já usamos aqui, a caixa de featured snippet vai informar todos os dados principais de forma objetiva.

Competitividade diante de outros resultados

Certamente, o seu conteúdo disputará visibilidade com vários outros da mesma categoria, falando até mesmo de temas totalmente iguais. É preciso pensar que, nesse momento, são os detalhes que fazem diferença. Um maior detalhamento e uma mínima informação a mais geram o clique do usuário.

O Schema Markup é o que possibilita que o resultado de uma página do Google se destaque nesses detalhes. Em meio a diversos outros resultados iguais, uma informação mais bem detalhada é suficiente para captar um clique.

Um exemplo simples e recorrente são as receitas de pratos. Você encontrará várias iguais, no entanto, a marcação permite adicionar um dado como o tempo de preparo. Outros conteúdos sem essa otimização não vão entregar a informação, então, nesse detalhe, o site que tem o Schema já se destacou.

O uso do Schema Markup precisa ser visto como um fator facilitador e benéfico aos sites. Apesar de ser mais um elemento necessário de SEO, ele também beneficia os sites que trabalham nesse tipo de otimização.

Buscando enriquecer ainda mais seus conhecimentos sobre SEO? Confira então estes conteúdos avançados sobre o tema:

Conteúdos recomendados de SEO avançado
👉 Como recuperar posições no Google: passo a passo completo!
👉 12 hacks de conteúdo avançados: multiplique o tráfego do seu blog
👉 Backlinks em redes sociais: 19 oportunidades para elevar o SEO
👉 Conteúdo de qualidade segundo o diretor de marketing da Rock Content
👉 Topic Clusters: o que são e o que podem fazer pelo seu SEO?

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo