Tag Archives: Blogs

Like Gate: Aprenda o que são e como fazer um na prática

Conteúdo institucional: por que você deve evitar

Frequentemente, nossas leads e até mesmo os clientes perguntam se fazemos também o conteúdo institucional para o blog corporativo. A resposta é bastante clara: não! Falar excessivamente sobre si mesmo, seus produtos, serviços ou como as coisas são feitas na sua empresa dificilmente será relevante para seu público.

Especificar um serviço e tecer elogios a ele, bem como criticar a concorrência ou apresentar seu crescimento interno, são ações que não garantem que potenciais clientes se sintam atraídos pelo que sua empresa tem a oferecer. Esse desinteresse do público acontece por vários motivos.

Quer entender por que não devemos incluir conteúdo institucional no blog corporativo? Confira a seguir:

A lead não irá enxergar valor no serviço

Se você tem uma empresa que traz uma solução inovadora para determinada questão, é comum que o público desconheça o funcionamento e os benefícios de contratar seus serviços. Some a esse ponto crítico um fator ainda mais relevante: as pessoas não sabem por que e quando devem contar com sua empresa. Suponhamos que você tenha uma plataforma de venda e troca de peças para computadores. Caso aborde sobre o fato de ser a única startup do tipo e os prêmios e investimentos que já ganhou, não está gerando valor para quem não te conhece.

Caso o seu blog esteja cheio de conteúdo institucional, o potencial cliente vê que o negócio tem méritos mas não consegue perceber como ele pode ajudá-lo na prática. A história se repete, inclusive, em empresas que já trabalham com produtos ou serviços bastante conhecidos. Dessa forma, institucionalizando o conteúdo, elas dão margem para a concorrência crescer.

Sem um conteúdo rico e bem planejado não há como as leads entenderem o quão bom é o seu produto, seu serviço, seu suporte, seu preço ou qualquer outro diferencial da empresa. Na falta de material útil, ninguém encontrará valor em suas postagens, que terão mais cara de propaganda do que de marketing.

A empresa não se mostrará relevante em seu segmento

Uma vez que você fala sobre tudo aquilo que é relevante para seu público, sua marca é vista como autoridade no assunto. Produzir conteúdo útil gera confiança nas pessoas antes mesmo delas saberem o que a empresa faz. Se você é o gestor de um e-commerce de roupas, por exemplo, um blog que apresenta tudo sobre moda será capaz de atrair quem gosta do assunto ou quer saber mais sobre ele. Ao construir um conteúdo de qualidade é possível se transformar em um trendsetter, ou seja, aquele que aponta as tendências do momento. Isso será importante para o consumidor escolher entre comprar roupas modernas e bonitas no seu e-commerce ou adquirir algo da concorrência, que não oferece mais do que looks básicos.

O cenário descrito ilustra uma realidade do marketing de conteúdo: se sua empresa é capaz de ser relevante através do blog, dos materias ricos, vídeos ou nas redes sociais, ela se torna autoridade no segmento. Dessa forma, quando alguém pensar em determinado nicho ou lembrar de uma dica preciosa que leu, irá associar isso a sua marca e saberá que sua empresa é a melhor opção.

Ficar apenas no conteúdo institucional pode não torná-lo autoridade. Mesmo que esteja apresentando sua equipe, os avanços dela, os prêmios que a empresa conquistou, falando bem dos produtos oferecidos, você não está mostrando nada na prática. Aos olhos do cliente é tudo teoria e vai parecer que sua empresa tenta impor uma imagem, como se fosse um rótulo de uma lata da qual não se sabe o sabor do que tem dentro.

Antes de qualquer coisa é preciso construir a autoridade! Seja relevante e interessante através do conteúdo do seu blog para ser aquela empresa que entende tudo do segmento em questão e, principalmente, dos problemas do público.

A empresa oferecerá “mais do mesmo”

O marketing mudou muito ao longo dos anos. Se antes cigarros eram oferecidos como item que compunha a elegância de uma pessoa, hoje só faz uso deles quem escolhe adquirir os malefícios que ele contém. Antigamente, a propaganda era duvidosa pois não existiam provas dos resultados positivos gerados por um produto, apenas reinava a imposição e o consumidor, sem instrumentos de pesquisa, adquiria a ideia por trás de um objeto, por exemplo. Esse tipo de publicidade padece! E o conteúdo institucional pode se parecer com ela: falta de informação e muito de imposição.

Trabalhar nos moldes do velho marketing é oferecer mais do mesmo, é falta de conteúdo, é apontar sem argumentar. De que adianta dizer qual seu preço se você sequer gera valor ou demonstra autoridade? Pense nisso quando for traçar sua estratégia de conteúdo para o blog.

O blog deixará de gerar leads importantes

Este é um dos pontos mais graves! Ao produzir muito conteúdo institucional, você corta o contato com aquelas pessoas que se encontram no topo e até no meio do funil de vendas. Nesse contexto, você inviabiliza a atração, a educação e a retenção da maior parte do público que tem necessidade de usar o seu serviço ou produto.

Caso seu planejamento de conteúdo para o blog não inclua educar as personas, preparando-as para uma compra futura, sua estratégia simplesmente perderá o valor e o foco no seu objetivo. Um conteúdo institucional será útil apenas para a pequena parcela que conhece o que sua empresa faz.

O conteúdo não irá ter aplicação para o público

As conquistas e diferenciais da sua empresa não ajudam em nada a otimizar a rotina do seu público. Com conteúdo institucional, quem chega ao seu blog não verá motivo para segui-lo, uma vez que aqueles posts e vídeos não têm utilidade.

Fazer marketing de conteúdo é se tornar relevante oferecendo as melhores informações para determinado tipo de cliente no momento em que ele precisa. Isso gera tráfego, o que leva às leads, desaguando em clientes.

Não há espaço para o conteúdo institucional?

Nesse ponto não é necessário ser radical. Você pode falar de si mesmo, desde que isso seja interessante para o público, de forma branda e pouco frequente. Um case de sucesso, por exemplo, fala de um bom trabalho da empresa mas tem valor para os potencias clientes que estão em um momento de decisão entre adquirir ou não o seu serviço. Conteúdo institucional também pode ser encaixado no LinkedIn sem problemas. Além disso, é possível ter um espaço em seu site reservado ao clipping, concentrando tudo que a mídia já falou da marca.

Mais do que bom senso e planejamento, a postagem de conteúdo institucional exige cuidado, conhecimento e muita moderação. Foque primeiro em gerar leads e fidelizar clientes. O valor agregado a sua marca e um grande destaque serão consequência disso.

O blog da sua empresa tem conteúdo institucional? Divida suas opiniões e dúvidas com a gente!

Marketing de Conteúdo no Facebook: 5 Dicas Essenciais 2

Os 8 erros que sabotam seu blog

Carrego a honra distinta de ter sido um dos primeiros a vir trabalhar com a Rock Content. Bati há pouco meu primeiro ano de Rock! Neste meio tempo deixamos de ser apenas uma ideia maluca para nos tornarmos os maiores especialistas em Marketing de Conteúdo no Brasil. Tivemos a oportunidade de ajudar centenas de empresas a começarem seus blogs, a torná-los sucessos e atingirem seus objetivos. Participei – e participo ainda! – de dezenas de projetos por aqui, nas mais diferentes áreas e com um sem número de peculiaridades em cada um.

O aprendizado ganho vivenciando tudo isto tem sido simplesmente inacreditável! Entretanto, é bem verdade que algumas das lições que nos marcam mais profundamente não vem pelos acertos, mas pelos erros. Assim, adianto o caminho das pedras, listando os oito erros mais comuns que percebo (e até já cometi!) por aqui, para que você possa evitá-los no seu próprio projeto. Veja só:

1 – Você quer abraçar o mundo

Tentar falar com todo mundo é não falar com ninguém! Mensagens genéricas, pensadas para abranger o maior grupo possível são, na prática, diluídas e sem graça demais. Focar seus esforços é fundamental.

Segmente, use personas, divulgue em fóruns e comunidades específicas da sua área de atuação. Existe muita gente que tem profundo interesse no que você tem a dizer, mas é necessário saber quem são e ir trás delas.

2 – Você escreve para si

Uma distorção cognitiva muito interessante de quem é apaixonado pelo seu trabalho é partir do princípio que o seu público alvo se parece com ele mesmo. Isto por vezes é verdade, mas é muito mais a exceção que a regra!

O conjunto de problemas, dificuldades e oportunidades da sua audiência é diferente do seu. O conhecimento e percepção sobre o seu produto ou serviço é -quase que certamente- muito distoante. Procure entender quem é sua audiência e entregar valor a eles, em vez de entregar o valor que gostaria que alguém tivesse entregue a você.

3 – Você não mede resultados

Cresci ouvindo (oi pai!) a máxima de Deming: “não se gerencia o que não se mede”. A frase é especialmente adequada para ações na internet.

O que acontece com o seu blog ao trocar o tema? Ao mudar a linha editorial? Ao investir em AdWords ou Facebook Ads? Qual foi o resultado daquele guestpost?

Ferramentas simples e bastante acessíveis, como Analytics, dão o respaldo para que decisões sejam baseadas em fatos e não em opinões. Acompanhe o número de visitas, leads gerados, permanência no site, tráfego orgânico – as métricas que forem compatíveis com seus objetivos – e como eles variam em função do tempo e do seu trabalho. Esta é a melhor maneira de aprender e melhorar sempre!

4 – Você não tem paciência

Vou, de novo, citar alguém mais esperto que eu: “não se faz um bebê em um mês engravidando nove mulheres”.

Alguns resultados levam tempo e não há o que se fazer sobre isso. Os artigos precisam de algum tempo para trazerem resultados. Não se cria uma base de emails, estabelece autoridade ou se ganha o respeito do mercado em uns poucos dias, não importa quanto dinheiro ou se esforço se invista nisso. A palavra de ordem é “construir”, e não “obter”.

Abandonar uma estratégia ou direcionamento após uma semana ou mês ruim te impede de avaliar a situação real corretamente. Mudando de direação todo o tempo não se chega a lugar algum.

5 – Você fala demais sobre si mesmo

Para se conectar com a sua audiência é necessário entregar valor. É necessário ensinar, resolver problemas ou mostrar o que se está fazendo de errado. É preciso falar sobre o seu público e não sobre si mesmo. Em última instância, não interessa às pessoas o que você faz ou vende. Interessa como isto é útil ou importante para eles.

Não se engane: um texto de propaganda publicado em um blog não é marketing de conteúdo, é propaganda. Só que em um blog.

6 – Você não divulga seu conteúdo

“Um texto que ninguém lê, existe?” A resposta para este problema filosófico está sendo discutida desde o século XVIII. Metafísica à parte, as implicações disto para os seus resultados dão um sonoro NÃO como solução.

Um texto maravilhoso parado no blog é inútil. É absolutamente imprescindível que o público tenha acesso ao seu conteúdo para que possa se engajar com ele. Parece óbvio, colocado desta maneira, mas na prática muitos ainda acham que o trabalho está terminado ao clicar no botão “publicar”.

Use as redes sociais, anuncie, adote newsletters e estratégias de guestpost para trazer leitores. Sem leitores, seu blog não faz ruído algum.

7 – Você não investe no seu blog

O sucesso com o blog não vem automaticamente só por que você decidiu criá-lo e encontrou um bom domínio ou um nome inteligente. É necessário nutrir o projeto, não só com trabalho de criação de textos e definição de pautas mas também pesquisas de mercado e divulgação.

Em alguns casos pode ser necessário contratar um novo funcionário, ou alocar tempo da sua equipe. Por vezes será o uso de ferramentas para gerenciar leads ou um serviço de consultoria. Em outros, é apenas a sua atenção, quando pode tocar tudo sozinho.

Em qualquer situação, nada acontece se não há envolvimento e dedicação na busca pelo resultado.

8 – Você tem medo de errar

Cometer erros e fazer ajustes para corrigí-los ao longo do caminho não é só normal, é esperado. Digo até que inevitável! Aceitar que serão cometidos enganos te prepara para lidar com eles de maneira positiva, aprendendo com as falhas e construindo um trabalho mais sólido com os resultados.

Não tenha medo de inovar! Ater-se a fórmulas e processos antigos para evitar problemas a qualquer custo evita também seu crescimento, amadurecimento e sucesso.

Veja pelo seguinte prisma: dos oito erros mais comuns agora você já está livre! Cometeu, ou já conhece o erro número nove? Me conte qual é, pelos comentários!

9 plugins de WordPress que não podem faltar em seu blog corporativo

9 plugins de WordPress que não podem faltar em seu blog corporativo

Atualmente, começar um blog está dentre as coisas mais simples da Internet. Já demos dicas de como montar um plano de lançamento e até fizemos uma série de posts para ensinar você a criar um blog.

Nós sempre recomendamos o WordPress, uma plataforma muito poderosa e altamente customizável tanto do ponto de vista de design quanto de funcionalidades, que são adicionadas através de plugins. Existem milhares de plugins que podem, por exemplo, melhorar sua performance, auxiliar no compartilhamento de seu conteúdo ou configurar seu SEO.

Mas com tantos plugins disponíveis, pode ser bem complicado decidir quais usar. Então fizemos uma lista de 9 plugins que consideramos essenciais para quem está lançando um blog:

1. Akismet

Comentários são sempre bem-vindos, mas spam não. O plugin Akismet irá manter sua reputação intacta ao impedir que comentários de spam sejam postados no seu blog. Com ele você não precisará vasculhar seus posts e deletar cada comentário manualmente. Além disso, seus visitantes não terão que se preocupar em passar por todo aquele texto inútil para entrar na discussão.

Existem até algumas plataformas de comentários, como o Disqus e o IntenseDebate, que permitem o uso do Akismet.

2. WordPress by Yoast

Um dos mais bem rankeados plugins disponíveis no arquivo do WordPress. E ainda por cima simples de usar, seja você um iniciante ou um expert no assunto. Esse plugin vem com todas as funcionalidades que você precisa para melhorar o uso do SEO em seu blog, incluindo análise da página, ferramentas técnicas de SEO, meta descrição, otimização RSS e muito mais.

3. Google XML Sitemaps

Todo site precisa de um sitemap, afinal essa é uma dos fatores que os mecanismos de busca levam em conta em seu site. Sem um, você pode estar perdendo algumas posições preciosas no Google, Yahoo, Bing etc.

Esse plugin simplesmente automatiza todo o processo. Dessa forma, ao adicionar conteúdo novo em seu site, seu mapa será atualizado automaticamente. Você também pode configurar para que o plugin notifique os sistemas de busca toda vez que um texto for postado.

4. Easy Social Icon

Todo blog precisa divulgar seu conteúdo nas redes sociais para que atinja novos leitores e ganhe cada vez mais visibilidade. E não existe nada pior do que encontrar um site que você gosta e deseja se conectar a ele, mas não consegue encontrar nenhum dos seus links para redes sociais

Esse plugin lhe permite mostrar os ícones de suas redes sociais (ou de qualquer site que você quiser) de maneira integrada ao sey layout, e você pode customizar a aparência de cada um desse ícones. Isso pode ser um bom diferencial, uma vez que a maioria dos plugins deste tipo tem ícones pré-definidos que podem ficar feios em alguns casos.

Francamente, não importa qual plugin você use, somente tenha suas redes sociais fáceis de serem acessadas.

5. Contact Form 7

Basicamente, esse plugin te oferece um dos mais funcionais, simples e fáceis formulários de contato para seu blog. Se você preencheu um formulário recentemente, a chance de ter sido um formulário que usava o Contact Form 7 é grande. E você também se lembra que falamos que spams podem ser prejudiciais, além de serem muito chatos? O Contact Form 7 trabalha junto do Akismet (nosso plugin número 1!), então você poderá dormir tranquilo – nenhum spammer será capaz de abusar do seu formulário de contato.

6. Google Analyticator

Esse plugin irá deixar a tarefa de integrar seu Google Analytics em seu WordPress extremamente fácil. Além disso, ele também oferece algumas funcionalidades muito úteis. Dentre as mais notáveis um relatório da conta nos últimos 30 dias e a habilidade de excluir usuários, que estão logados no  WordPress, dos dados de tráfego.

7. Broken Link Checker

Esse é um plugin essencial para todo blog: ele checa todos os posts que você criou e procura por links quebrados e imagens faltando. Pode parecer uma tarefa boba, mas muitas pessoas esquecem de checar seus links e não sabem que existe uma ferramenta que pode fazer isso para elas. Então, por que não baixar esse plugin e não se arrepender depois?

8. Disqus

Permitir que usuários comentem, deixem dúvidas e discutam ideias é excelente para o seu blog. Então, você precisa de um espaço para isso, certo? O Disqus é um plugin de gerenciamento de comentários, um dos mais usados na Internet. Os proprietários de blogs e sites podem optar por serem notificados por email quando um comentário for feito. E uma grande vantagem: você poderá responder diretamente de seu email, sem ter que conectar em seu WordPress! E para quem for comentar, existe a opção de anexar fotos, vídeos, links e muito mais nos comentários.

9. FD Feedburner

Esse plugin irá redirecionar seu RSS para o Feedburner.com e também lhe dará a opção de permitir comentários. Não será necessário modificar templates, alterar os arquivos .htaccess ou perguntar aos usuários se eles desejam migrar! Todos os que estiverem inscritos em sua RSS serão cadastrados automaticamente no Feedburner, de forma que eles não irão notar,mas muito transparente.

BÔNUS:

10. Rock Convert

Desenvolvido pela equipe da Rock Content, esse plugin visa facilitar o gerenciamento de banners de CTA e a conversão de blog posts em PDF (aumentando a captura de contatos do seu blog).

A instalação é super simples e a interface é bem amigável. Você pode utilizá-lo para adicionar banners personalizados para cada categoria do seu blog (seja no topo ou no fim dos blog posts) e ainda acompanhar as conversões.

Esses são plugins que recomendados que você tenha em seu blog. O que você achou? Acha que eles podem te ajudar? Ou você usa algum diferente? Não deixem de comentar e dar sugestões.

Plano de lançamento: Por que não ter um pode afundar o seu blog?

Plano de lançamento: Por que não ter um pode afundar o seu blog?

“Failing to plan is planning to fail”

Qualquer um pode ter um blog hoje em dia. Essa é a beleza da web.

Todos podem ter uma voz! Mas isto não significa que todos vão ser ouvidos. Pensar no lançamento do seu blog de maneira disciplinada vai lhe ajudar a vencer o ruído gerado pelos milhões que estão falando ao mesmo tempo.

Planejar o lançamento do seu blog aumenta bastante as suas chances de sucesso. Saiba como:

Etapas do planejamento

Estratégia

A sua estratégia é onde tudo começa. Aqui você vai definir aonde quer chegar com o seu blog. Sem um caminho claro para chegar ao seu objetivo você vai ficar andando em círculos.

Objetivo

Pense no motivo que te levou a querer montar o seu blog. Você quer mais clientes? Educar os clientes que você já possui? Se tornar referência na sua área de atuação?

Métricas

Como você vai medir os resultados do seu blog com relação aos seus objetivos ? As métricas são os seus indicadores de sucesso. Você pode medir: número de visitas; oportunidades de negócio geradas; contatos; vendas entre uma série de outras coisas. O importante é pensar em como transformar o seu objetivo em números.

Metas

Crie uma definição clara de sucesso. A sua meta é uma descrição do seu objetivo que te possibilita saber se você o atingiu ou não. Se você quer se tornar uma referência na seu setor como você vai saber se atingiu ou não esse objetivo ? Escolha uma métrica e defina uma meta. Por exemplo: “Possuir 1.000 assinantes na minha newsletter” ou “100.000 fans no Facebook”. Isto vai direcionar os seus esforços e evitar que se perca com iniciativas que não levam para mais perto do seu objetivo.

Táticas para o lançamento

Agora que você tem uma definição clara de sucesso eu vou lhe ensinar algumas táticas que vão ajudar a bater a sua meta.

Conteúdo Épico

Esta tática também é conhecida como “conteúdo de fundação”. A ideia aqui é criar de 1 a 3 posts iniciais com uma grande quantidade de conteúdo. Pense no assunto mais relevante que possa imaginar e o aborde com profundidade. Esse tipo de conteúdo vai formar a base do seu blog. Provavelmente serão eles que vão atrair links e compartilhamentos. Use-os como ancoras para posts futuros.

Séries

Uma série de posts vai ajudar você a fazer com que o seu leitor volte para o seu blog depois da primeira interação. Ao contrário do conteúdo épico a ideia aqui é dividir um assunto muito extenso em posts menores. A vantagem dessa abordagem é que o seu leitor vai criar expectativas esperando as próximas partes da sua série.

Guest Posts

Um guest post é um artigo de um autor convidado em um blog. Por muito tempo essa prática foi recomendada por especialistas em SEO como uma forma de conseguir links. Há uma grande discussão hoje em dia sobre a eficácia dos guest posts como ferramenta de SEO. Com mudanças recentes no Google, formas mais agressivas de guest posting podem ser vistas como compra de links.

Mesmo com esses recentes desenvolvimentos os guest posts ainda são uma ferramenta valiosa no lançamento do blog. O seu foco deve ser sempre em criar valor para os seus leitores e não em maneiras de aparecer na primeira página do Google. Com um guest post no blog certo você vai expor o seu conteúdo a pessoas com grande potencial de se tornarem leitores do seu blog, além de construir a sua autoridade.

Materiais ricos

Os materiais ricos são como brindes que o seu blog vai dar gratuitamente para os seus leitores. As formas mais comuns são:

  • Ebooks: A forma mais comum de executar essa estratégia é criar um ebook para ser distribuído aos seus leitores.

  • Templates: Começar um documento do zero deixa muitas pessoas perdidas. Crie um ponto de partida para elas na forma de um template.

  • Ferramentas: Pequenos programas e aplicações chamam bastante atenção e tem grande valor percebido na web se comparados a outras formas de materiais ricos. Se você não é programador procure por um parceiro ou tente adaptar uma ferramenta já existente para o seu nicho.

  • Planilhas: Planilhas são uma maneira mais simples de entregar grande valor se comparadas às ferramentas. Se você não sabe programar tente fazer uma planilha para automatizar ou facilitar algum processo.

  • Checklists: Mesmo os profissionais mais experientes podem esquecer de detalhes cruciais. Os checklists são listas de passos importantes em um processo projetadas para serem conferidos um a um.

Entrevistas

Pessoas amam histórias. Traga para o seu blog as histórias e conselhos de profissionais importantes no seu segmento. Essa estratégia possui 3 vantagens:

  1. Vai aumentar a autoridade do seu blog: A cada novo entrevistado a sua audiência vai passar a confiar mais em você.
  2. Criar conteúdo exclusivo: Nenhuma entrevista é igual. As perguntas e as respostas vão ser sempre diferentes e isso garante que você tenha um conteúdo exclusivo para o seu blog.
  3. Networking: Os seus convidados vão enriquecer a sua rede de contatos.

As entrevistas podem tomar diversos formatos como texto, áudio e vídeo. Minha recomendação é que você use os formatos de áudio ou vídeo. Esses formatos apresentam uma percepção de valor maior e podem ser usados como material rico com maior facilidade.

Podcasts

Os podcasts passaram por um momento de grande entusiasmo seguido de uma grande perda de interesse por parte de produtores de conteúdo. As dificuldades em gerar receita e detalhes técnicos como a visibilidade em buscadores afastaram muitas pessoas dos podcasts.

Agora com o fim de todo o hype inicial podemos ver uma clara retomada no uso de podcasts como complemento ao seu conteúdo e em alguns casos como conteúdo principal.

A vantagem do formato é que ele permite que a sua audiência consuma o seu conteúdo em lugares em que normalmente você não tem penetração. Com um podcast as pessoas vão consumir o seu conteúdo enquanto dirigem ou estão na academia, por exemplo. Além disso muitos indivíduos assimilam melhor áudio do que imagens, criando um podcast você vai garantir que eles também sejam bem atendidos.

Webinar

Um webinar é uma palestra online. O formato permite que você interaja ao vivo com o seu público e responda perguntas. Isso cria um sentimento de proximidade maior entre você e sua audiência.

Uma vantagem de se criar um webinar é que o fato de ele possuir uma data e hora específicos gera escassez. Esse sentimento vai fazer com que o conteúdo da sua palestra tenha um valor percebido maior.

Terminado o seu webinar você pode convertê-lo facilmente para um video e assim aproveitar o mesmo conteúdo novamente. Essa prática é importante, inclusive para não decepcionar as pessoas que não puderam participar do seu webinar.

É muito comum tentar colocar o seu blog no ar e pular direto para produção de conteúdo. Você pode pensar que o seu conteúdo por si só vai trazer o sucesso. Não se iluda, planejar pode parecer uma perda de tempo mas sem ele o seu conteúdo vai se perder nos bilhões de páginas da web.

Da ideia à promoção: saiba tudo o que você precisa fazer para publicar um post 2

Da ideia à promoção: saiba tudo o que você precisa fazer para publicar um post

Nós sabemos que criar um blog e publicar um post não é um processo tão simples assim. Então, fizemos esse passo a passo para você seguir e não se esquecer de nada, desde o primeiro momento de procurar uma ideia até a hora que você responder os comentários de seus leitores.

As primeiras preparações

Não fique sem ideias

Preocupado em como você vai fazer para gerar conteúdo constantemente? Comece lendo esse artigo. Não é difícil encontrar inspiração para as pautas dos seus artigos, só saber procurar um pouquinho. Leia fóruns, pesquise na Internet, converse com amigos e clientes e saia um pouco de casa.

Outra ideia interessante é pedir ajuda aos outros departamentos de sua empresa. Seus consultores de venda sempre estão em contato com seus clientes e podem te dar dicas valiosas sobre o que eles querem ler.

Monte uma lista ou uma planilha e anote tudo que você for coletando. Assim, sempre que precisar de algo novo, é só checar o arquivo e pronto!

Tenha um calendário

Sempre falamos que é muito importante publicar com frequência em seu blog (leia mais sobre isso aqui!). Então, para se programar e organizar todas as suas publicações ao longo dos meses, crie um calendário editorial.

Com ele, você poderá se planejar quais serão os temas e assuntos abordados ao longo daquela semana ou mês e ainda poderá colocar quem é o responsável pelo texto de cada um dos dias.

E para te ajudar, fizemos um modelo de calendário que você pode usar! Só baixá-lo aqui.

As famosas palavras-chave

Você deve escrever seu post pensando no que as pessoas procuram, nas palavras que elas usam para chegar na informação que você disponibilizará. Uma pesquisa por palavras-chave pode resultar em outra coisa: uma ideia para um post. Ao ver que uma palavra X ou Y está sendo muito procurada, você pode escrever um texto com esse tema e conquistar novos leitores com isso.

Começando seu post

Agora você já tem tudo planejado, pode começar a escrever seu primeiro post. Nós, aqui na Rock Content, usamos e recomendamos o WordPress como plataforma. Então, usarei ela como exemplo no passo a passo a seguir.

Temos que lembrar que o design de seu blog fará muita diferença em como seu post será apresentado no fim. Aqui no Marketing de Conteúdo, nós usamos uma imagem de destaque maior, logo abaixo do título e colocamos imagens ao longo do texto. Mas isso não é uma regra. Você pode variar de acordo com seu gosto. Só recomendamos o uso de uma imagem de destaque para chamar a atenção de seus leitores.

O Título

Esse é um dos pontos mais importantes de um post. O título será o primeiro convite para seu leitor abrir seu texto, então você precisa que ela seja cativante. Para saber como fazer um título de sucesso, leia esse artigo.

Então, vamos à parte prática.

titulo blog

O título é o heading de maior importância na página (H1). Ele será uma das primeiras coisas que o Google irá “ler” para rankear sua página. Então, é coloque a palavra-chave que seu texto irá focar no título.

titulo wordpress

No WordPress, o título será a primeira caixa a ser preenchida.

A URL

A URL é o endereço em que seu post estará disponível. Ao decidir qual será sua URL, lembre que ela deve ser descritiva mas não pode ser muito longa. Também evite códigos ou caracteres especiais.

url blog

No WordPress, a URL já virá com seu domínio. No nosso caso:

url wordpress

A segunda parte, em amarelo, que poderá ser editada.

As Imagens

Imagens são de extrema importância para seu post. Elas chamam a atenção, quebram o texto e melhoram a leitura.

exemplo de imagem

Não se esqueça de colocar o texto alternativo para o Google “ler” a imagem e relacioná-la à palavra-chave em foco.

imagem no wordpress

Para colocar uma imagem em seu texto é só clicar no botão Adicionar Mídia, destacado na Imagem e ou pegar uma imagem do seu computador ou colocar uma URL de uma imagem.

botao para imagem

A Meta Descrição

Explicando grosseiramente, Meta Descrição é aquele resumo que aparece nos mecanismo de busca, logo abaixo do título e da URL. Ela deve ser breve e explicar o que o seu texto irá apresentar chamando o leitor para clicar no link.

meta description

Sugerimos o uso de um plugin chamado WordPress SEO da Yoast. Nele você poderá editar a meta descrição sem muitos problemas. Existem diversos outros plugins que você pode usar para fazer.

meta description wordpress

Categorias e Tags

Para facilitar a navegação dentro do seu blog, você deveria colocar seus posts dentro de Categorias e definir algumas Tags para eles. Com isso, você permitirá que seus leitores achem mais artigos relacionados ao tema que ele acabou de ler.

tags e categorias

Os Calls-to-Action

Quando terminar o texto, convide seu leitor a tomar uma ação. Seja comentar, ler outro post ou baixar um material. O uso dos Calls-to-action são essenciais para isso. Eles são um dos principais modos de transformar leitores em assinantes de email marketing e leads. (Se você quer saber como transformar seu blog em uma máquina de gerar leads, não deixe de ler esse artigo.)

call to action

O Texto

Por fim, você ainda precisa de fazer algumas coisas antes de apertar o botão Publicar:

  • Existem algumas técnicas para tornar seu texto melhor de ler (ou mais escaneável). Escrevemos um texto sobre isso e você pode lê-lo aqui. Não deixe de usar essas dicas.

  • Revise seu texto em busca de erros ortográficos e gramaticais. Um texto cheio de erros diminui a credibilidade deste e irá atrapalhar seu relacionamento com seus leitores.

Agora é publicar o texto e partir pro próximo passo!

Os últimos passos

Agora que você está com seu texto publicado em seu blog, você ainda precisa fazer algumas coisinhas.

A divulgação em redes sociais

Não basta esperar que as pessoas simplesmente venham até seu conteúdo, você precisa levá-lo aos olhos deles! Então, divulgue em todas as redes sociais, como Facebook, Twitter e Linkedin. Leia este guia de publicação em redes sociais e faça com que mais leitores acessem seu blog!

publicação em facebook

Então, não se esqueça:

  • Divulgue para grupos e comunidades. Você conseguirá divulgar seu conteúdo para pessoas interessadas no assunto que você estiver escrevendo sobre.
  • Faça links de artigos antigos para o novo post. A construção de links internos é essencial para conquistar melhores posições nos mecanismos de busca e auxiliar seus leitores a navegar pelos seus textos.
  • Envie o artigo por email para influenciadores e amigos que se interessam pelo assunto. Mostrar seu conteúdo para pessoas que podem te ajudar a divulgá-lo irá ajudar (muito!) a conquistar uma nova audiência.
  • Dê um grito no escritório e peça que as pessoas compartilhem. Pedir ajuda para os colegas nunca é demais! Assim você também alcançará mais pessoas com seu artigo.
  • Promova o artigo na sua newsletter para gerar ainda mais engajamento. Muitas pessoas prestarão mais atenção no que vier em seu email do que em uma página de uma rede social. Então, não deixe de publicar seus artigos em sua newsletter.
  • Se o artigo menciona outros blogs/sites, não deixe de mencioná-los nas redes sociais na hora da publicação. Isso gera mais compartilhamentos e você alcança outras bases de usuários complementares a sua.

Acompanhe comentários e faça as métricas

Sempre leia os comentários que forem feitos em seus posts. É muito comum ficarem algumas dúvidas e seus leitores irão confiar cada vez mais em você se você solucioná-las, respondendo eventuais comentários em seu blog. Além disso, você pode encontrar idéias para novos posts e receber elogios!

Além disso, não deixe de olhar suas métricas (nós usamos o Google Analytics para isso) e sempre adaptar suas estratégias de escrita e publicação, para melhorar cada vez mais.

Resumimos esse passo a passo em uma checklist para você baixar e usar sempre que for publicar um post! Só clicar no link ai embaixo!

baixeagora

Blog corporativo para iniciantes: como escolher um template para WordPress

O visual de um blog é um ponto importante, que possui impacto direto nos resultados gerados. Design não é só beleza, um projeto bem executado influencia diversas métricas, como tempo de permanência, taxa de conversão e engajamento. Ou seja, um layout ruim pode colocar todo o trabalho a perder.

Montar o seu primeiro blog corporativo, e começar a gerar negócios através da internet, é mais fácil do que parece. Até o momento já ensinamos como escolher um domínio, um serviço de hospedagem e uma plataforma de CMS. Neste artigo vamos ensinar como escolher um template, e deixar o blog com um visual profissional.

Hoje em dia é possível montar um blog corporativo com um layout de qualidade, em pouco tempo e com pouco dinheiro. Basta escolher um dos diversos templates premium para WordPress. Eles possuem vantagens sobre os temas gratuitos, como:

Facilidade de customização

Lembre-se que você não possui tempo para customizar seu blog manualmente. Este é um trabalho especializado, onde é necessário algum conhecimento em HMTL, CSS e PHP.

Uma das grandes vantagens dos temas premium é que estes já possuem toda essa customização pronta. Seu tempo deve ser usado para o planejamento, produção e divulgação do conteúdo produzido e não na configuração de partes técnicas do seu blog.

SEO

Outra grande vantagem dos temas pagos é que eles são construídos de acordo com as melhores práticas em relação a SEO. Não vamos entrar em detalhes técnicos por aqui, mas um bom sistema de SEO é fundamental para o sucesso do blog. Lembre-se de sempre procurar por este aspecto na descrição do template.

seo

Tema Responsivo

Responsivo é o nome dado ao template que se adapta de acordo com o tamanho da tela. Este é um ponto muito importante, pois com o aumento do número de acesso em dispositivos móveis, nenhum blog pode se dar ao luxo de não ser responsivo. Quem decide a melhor forma de consumir um conteúdo é o leitor, não você.

responsivo

Onde encontrar os temas

Existem diversos sites que comercializam templates para WordPress. Os mais recomendados são Themeforest e Studiopress. Neles você vai encontrar uma grande variedade de temas. Mas como fazer para escolher o tema correto? Você só precisa se preocupar com alguns detalhes.

  • Escolha um modelo de adequado ao seu negócio – Os templates são separados por temas, existem temas para blogs pessoais, revistas, jornais, e-commerces, sites corporativos e muitos outros. Escolha aquele que mais se adapte ao seu negócio e que esteja de acordo com a natureza das suas publicações. 

    Se você pretende publicar diversos posts ao dia, com conteúdos variados use um template de revista. Mas se sua empresa precisa apenas publicar alguns posts semanais o formato de blog tradicional é o mais indicado para você.
  • Escolha um visual coerente – Pode parecer óbvio, mas muitas empresas pecam neste ponto. Escolha um tema que possua relação com a sua área de atuação.

    Uma empresa do ramo de advocacia dificilmente deve ter um template similar a uma empresa de moda, e vice-versa. Neste ponto não se preocupe, os temas são bastante segmentados.

templates

Se você seguiu todas as dicas você já deve estar com o seu blog corporativo no ar. Não deixe de acompanhar a próxima etapa onde vamos ensinar como planejar e produzir seus primeiros conteúdos.

Se você tiver alguma dúvida, é só falar nos comentários!

Fim do Guest Blogging? Entenda (de verdade) todas as mudanças de algoritmos do Google

Fim do Guest Blogging? Entenda (de verdade) todas as mudanças de algoritmos do Google

Você visita o Google diariamente, correto? Mas aposto que você nunca visitou esta página. Nela você vai encontrar diversas informações corporativas, coisas como missão e valores. Pode não parecer, a primeira vista, mas essa página é melhor forma de você entender as mudanças feitas nos algorítimos de busca nos últimos anos.

Toda mudança nos algorítimos de busca do Google é acompanhada de uma onda de protestos nos mercados de marketing digital. Nos últimos anos sobraram histórias sobre a morte do SEO, o fim do link building. O chamado fim do guest blogging é apenas o capítulo mais recente desta história. Para compreendê-lo melhor precisamos, antes, clarear alguns outros conceitos.

Missão, Visão, valores e outros termos

Procure com calma. Você vai encontrar estes termos presentes nos sites das mais variadas empresas. Isso não é apenas conversa. Todas as grandes companhias possuem uma definição muito clara destes conceitos, e usam isso para definir o seu caminho: onde pretendem chegar, qual caminho seguir e quais valores vão nortear a jornada.

Se você ainda não foi, visite a página do Google  e leia com atenção. Lá você vai encontrar informações importantes. Neste artigo vamos interpretar estes textos e mostrar como eles impactam o dia a dia da sua empresa, mas principalmente vamos mostrar como usar esta informação a seu favor e nunca mais ser pego de surpresa quando o Google anunciar mais uma mudança no seu sistema de busca.

A missão do Google.

Está lá, em letras grandes: a missão do Google é organizar a informação do mundo e torná-la universalmente acessível a todos. Isso explica por que um buscador investe em diversas outras áreas, como mapas, livros, artigos acadêmicos, indexação de notícias. O Google deseja tornar essa informação acessível para você, o usuário.

Por isso todas as mudanças constantes nos algorítimos. O Google não está penalizando as empresas que praticam linkbuilding, a Google está tentando melhorar o seu mecanismo de buscas para que ele consiga encontrar, e ranquear, conteúdo de acordo com a necessidade da audiência. A chamada punição serve para um propósito maior. Essa é a ideia. Se a sua página não fornece informações relevantes para o público nem a última moda em estratégias de linkbuilding vai te salvar.

O guest blogging

A mesma coisa com o guest blogging. Está tudo explicado na primeira frase do post no blog de Matt Cutts, líder do time de Webspam da Google, que gerou toda a polêmica: se você está usando guest blogging como uma forma de ganhar links em pleno 2014, você deveria parar. À medida que o Google percebeu que muitas pessoas usavam esta estratégia para tentar forçar conteúdo ruim para o usuário, ele puniu essas páginas. Isso vai acontecer de novo, em breve. Ad aeternum.

Se você analisar as mudanças recentes no algoritmo que penalizam os guest bloggers sob a luz da missão da empresa, fica claro o que ela pretende fazer. Desconsiderar links em blogs irrelevantes, afinal a relevância de um blog é uma forma de medir se o conteúdo será útil para o usuário. Desconsiderar links âncora em guest posts, pois a empresa já percebeu que esta tática é usada para tentar enganar o sistema de ranqueamento. Valorizar mais o author rank, pois o nome do autor tem peso para saber se o conteúdo é de qualidade. Colocar mais ênfase em compartilhamento social, sinais sociais são uma forma importante de medir o impacto e a relevância de um artigo. Todas essas medidas foram tomadas para ajudar a empresa a catalogar melhor as informações sobre textos publicados, e consequentemente, oferecer ao usuário a informação que ele procura, e não a que você quer vender.

Ainda assim, Guest blogging é uma excelente ferramenta para se colocar perante a outras audiências, estabelecer sua autoridade. Se você quer continuar relevante em sua estratégia de guest blogging, basta pensar mais como usuário e menos como marketeiro.

  • Apenas poste em blogs relevantes – Publique em blogs que sejam de preferência grandes, mas que também tenham um público relevante para o assunto que seu texto irá tratar. Isso irá te trazer uma maior exposição do que postar em pequenos blogs desconhecidos e não relacionados ao seu texto.

  • Evite usar links âncora – o uso de textos âncora muito direcionados em seus links com certeza irá se tornar um grande problema, que pode levar até a alguma penalização caso você use em excesso através de guest posts.

  • Não seja egoísta com os links  – forçar a barra para promover só links para suar próprias páginas não é uma boa ideia. O importante é colocar links para outros sites que tragam o máximo de valor para o seu leitor, mesmo que seja o site do seu concorrente.

  • Trabalhe o seu author rank – Cada vez mais o author rank se torna um fator importante em determinar se você é um bom escritor ou não. Por isso evite publicar textos ruins em seu nome, pois eles ficarão associados ao seu perfil no Google Plus.

  • Co-citations são valiosas – Mesmo que seu guest post não possua links para seus sites, somente a menção de sua empresa ou produto já pode te ajudar com rankings. Lembre-se que o Google está cada vez mais inteligente quando o assunto é identificar e classificar pessoas e entidades.

Se você usa qualquer técnica para tentar alavancar conteúdo de baixa qualidade para o usuário você vai ser penalizado, e isso é inevitável. Apenas aceite isso e siga adiante. O foco do Google é no usuário final e ele vai fazer de tudo para ajudar este usuário a receber o melhor conteúdo, de forma rápida e simples.

Daqui por diante

Este artigo foi escrito e publicado em janeiro de 2014, mas eu acredito que o conteúdo aqui postado é atemporal. Daqui a alguns anos, ou meses, quando você ouvir que uma nova mudança do Google acabou de matar uma prática comum do mercado, não se preocupe, apenas lembre-se que o pessoal de Mountain View possui valores e paute seu trabalho por eles.

Vamos voltar àquela página. O Google acredita em 10 verdades, e elas podem ajudar você a fazer marketing da melhor qualidade. Separei algumas para que você a nunca mais seja pego de surpresa.

  • Verdade número 1: concentre-se no usuário e tudo mais virá. Não é à toa que essa é a primeira verdade do Google. Ela serve para todos nós, concentre-se no usuário, produza conteúdo que seja relevante para ele. Se você não der este passo nada mais funcionará.

  • Verdade número 2: rápido é melhor que devagar. O Google valoriza o tempo do usuário, por isso ele atualiza sempre o algorítimo: para que o usuário tenha sempre uma resposta rápida para suas perguntas. Se você está tentando empurrar conteúdo ruim, você está perdendo tempo, seu, do Google e principalmente do usuário. Se você quer que o seu conteúdo seja encontrado certifique-se que ele possui a melhor resposta para a pergunta feita.

  • Verdade número 3: a democracia funciona na web. A pesquisa do Google usa os links postados por milhões de usuários para ajudar a determinar quais sites possuem conteúdo de qualidade. Mas assim como votos, links precisam ser conquistados. Já houve um tempo em que se compravam links, trocavam links e outras práticas que acabaram sendo penalizadas. Trate cada link como um voto, conquiste-os com conteúdo de qualidade.

  • Verdade número 4: Você não precisa estar em sua mesa para precisar de uma resposta. O consumo de internet está cada vez mais móvel, as pessoas vão procurar por respostas em diferentes plataformas.  Produza conteúdo que possa ser consumido em diferentes formatos. Estamos em 2014, se seu conteúdo ainda está em um site estático, e não é responsivo, você precisa reavaliar sua estratégia.

  • Verdade número 6: é possível fazer dinheiro sem fazer o mal. Este talvez seja o moto mais famoso do Google. Isso se reflete especialmente na sua política sobre anúncios, maior fonte de receita da companhia. Todos os anúncios devem ser claramente identificados como tal, em momento algum a companhia tenta enganar seus usuários. Essa é a maior verdade deste texto. Se você usa uma prática para tentar enganar o Google e enganar o usuário, você será punido.

Não deixe de conhecer a companhia que todos admiramos. Se você entender o propósito da empresa e agir de acordo com o interesse do usuário e não apenas em benefício próprio, você terá sucesso. Se você focar em produzir conteúdo de qualidade, não tem mudança de algoritmo que vá te preocupar. Durma tranquilo e seja relevante. Assim, o Google vai gostar de você!

[Vídeo] Como criar seu blog corporativo 2

[Vídeo] Como criar seu blog corporativo

Muitos clientes perguntam se criar e manter um blog é caro ou complicado. Então fizemos o Conteúdo e Marketing dessa semana para responder essas questões. No vídeo, você terá um resumo do que é necessário para começar um blog rapidamente. Além disso, também indicamos as ferramentas que usamos aqui na Rock Content e que pode lhe ser muito úteis.

O script do WordPress será baixado e instalado em seu computador, o que lhe dará mais flexibilidade do que usar umas solução hospedada, como o Blogger, Blogspot ou WordPress.com. Com a evolução e crescimento da sua estratégia de marketing de conteúdo, a possibilidade de alterar e customizar seu blog será um diferencial.

Contratar um design nem sempre será uma solução viável para todos. Porém, você não precisa ter um tema ruim ou simples demais. No Theme Forest, você encontra belos templates por um preço que se encaixa em quase qualquer orçamento.

A escolha de um servidor parece mais chata, mais técnica. Mas o WpEngine é específico para WordPress, então você não precisa se preocupar com essa parte (e nem ser um técnico em TI).

Agora que você já tem tudo o que precisa para colocar seu blog no ar, é só se planejar para mantê-lo sempre atualizado com conteúdo de qualidade e divulgá-lo para ganhar novos clientes e gerar novos negócios. Para isso, baixe nosso kit que te trará as checklists necessárias para que você não esqueça nada na hora de postar seu texto, além de um calendário editorial para auxiliar em seu planejamento e não deixar faltar nada em seu novo blog.

Esperamos que esse novo vídeo de te ajude! Qualquer dúvida, só comentar.

Veja como transformar seu blog em uma máquina de gerar leads 2

Veja como transformar seu blog em uma máquina de gerar leads

Você já leu que é importante criar um blog e gerar muito conteúdo de qualidade ele, que precisa postar textos com frequência e divulgá-los para atrair leitores. Mas como fazer com que esses leitores se tornem leads?

Neste post iremos falar de algumas algumas coisas que você pode fazer para que os visitantes do seu blog se tornem leads e você possa começar um trabalho de nutrição ou até mesmo ativar seu departamento de vendas e iniciar uma negociação.

1. Use Call-to-Actions

Para fazer com que seu blog seja uma fonte de leads, uma dos primeiras ações a se tomar é convidar seus leitores a fazer algo ao fim (ou mesmo no meio) de todo texto. Esse convite é o que chamamos de call-to-action. Ao levar o leitor a dar mais um passo, baixando um ebook ou um white paper, você já o estará educando, poderá colocá-lo em um fluxo de nutrição e preparar essa lead para o departamento de vendas.

Esse é um CTA que usamos em nosso texto sobre títulos!

Esse é um CTA que usamos em nosso texto sobre títulos!

Alguns blogs tem aumentos gigantescos na geração de leads somente com essa mudança. O Search Engine Journal obteve um aumento de 212% no número de leads gerados após começarem a usar calls-to-action.

2. Box para assinar a Newsletter

Outra forma de conseguir leads é ter uma newsletter. E para conseguir assinantes para ela, você precisa destacar muito bem as caixas onde eles poderão se cadastrar. Essas caixas precisam ser bem visíveis e chamar a atenção do seu leitor para que ele se atente à existência da sua newsletter.

Dentre os posicionamentos mais comuns, temos a caixa lateral:

O chamativo box para a newsletter do Marketo

O chamativo box para a newsletter do Marketo

Também existem sites que usam pop-ups (que muitas pessoas acham muito irritante). Então ao decidir por usar uma caixa que irá saltar na frente do conteúdo, tenha certeza que seu público não irá se revoltar e passar a ignorar seu blog por isso. Se você quer ter certeza se foi uma boa ideia ou não, verifique sua taxa de rejeição (usando o Analytics). Se ela tiver aumentando, o pop-up pode ser uma das causas.

Outro modo de convidar os leitores a assinar uma newsletter que podemos citar é colocar o box no meio do post. O Viver de Blog faz isso com muita maestria.

O box no meio do texto pode ser uma boa opção, se bem utilizado.

O box no meio do texto pode ser uma boa opção, se bem utilizado.

Assim como os CTAs, também é possível colocar o box no final do texto. Após ler um post que o interessou, o leitor se sentirá mais confiante para assinar sua newsletter e sempre receber o conteúdo que você disponibilizar.

3. Banners

Ao ler “banner” você deve ter pensado imediatamente: Mas não sempre falam que não podemos colocar propagandas em blog? Sim, não devemos colocar textos publicitários ou propagandas em um blog que visa oferecer conteúdo para seus leitores. Mas e se nos banners nos colocarmos materiais gratuitos, como ebooks ou white papers?

O uso de banners que levam para uma página em que os materiais que você produzir estarão disponíveis será uma excelente forma de gerar leads. Como exemplo, olhe nossos banners tanto no topo quanto no fim de todos nossos posts.

E então? Preparado para fazer seu blog gerar muitas leads e aumentar suas vendas? Você já usa alguma destas técnicas ou tem alguma outra que não foi falada aqui? Comente suas experiências e deixe suas dúvidas!

Calendário editorial: 3 dicas para planejar seu blog corporativo 2

Calendário editorial: 3 dicas para planejar seu blog corporativo

Organização e planejamento são duas características comuns a empresas de sucesso. Apesar de não ser uma regra, quando a operação alcança um volume grande é fundamental que tudo esteja sob controle e bem executado. Manter um bom fluxo de caixa, por exemplo, é resultado de uma série de planilhas, anotações e cálculos bem estruturados. Mesmo que o blog da sua empresa, aparentemente, não tenha a mesma importância para o dia-a-dia do negócio, ele também deve possuir essa organização.

Manter seu blog organizado está intimamente relacionado a ter um calendário editorial. Calendário editorial é um espaço onde você deve anotar quais pautas serão publicadas e quando. Assim você não perde tempo buscando por ideias ou pautas para o post do dia. Esse planejamento é essencial para o desenvolvimento das suas estratégias de marketing de conteúdo e, também, para sinalizar aos seus leitores que devem retornar ao seu blog periodicamente para acessar novos conteúdos.

Abaixo listamos três dicas para ajudá-lo a criar um calendário editorial.

1. Existem ótimas tecnologias para organizar seu calendário editorial

Cada profissional tem sua preferência no momento de se organizar. Alguns preferem papel e caneta enquanto outros estão sempre em busca de novos softwares e aplicativos. Apesar da criação de um calendário editorial não ser algo tão formal, é importante que ele esteja armazenado num bom software de gestão.

Basecamp, Kapost ou até mesmo o Google Calendar são excelentes ferramentas para esta finalidade. Além de permitirem que você crie todas as suas pautas, também oferecem sistemas de alerta para que você não tenha que se preocupar em lembrar das tarefas. Isso ajuda a economizar tempo e evita atrasos nas publicações.

O Google Calendar é grátis e pode ser uma excelente solução.

O Google Calendar é grátis e pode ser uma excelente solução.

2. Faça um plano e execute-o em seu blog corporativo

Um calendário editorial precisa fazer parte de uma estratégia maior que, em geral, também envolve newsletters e redes sociais. Isso significa que, assim como todas as estratégias, as chances de sucesso são maiores quando as premissas estabelecidas são seguidas.

Criar um calendário editorial e não segui-lo irá apenas trazer mais atrasos e desorganização. Muitos empreendedores cometem o erro de mudar o plano diariamente com a intenção de conseguir melhores resultados mas não entendem que isso só deve ser feito após um período de testes, ou seja, apenas após ter certeza que o planejamento atual não está dando resultado.

3. Use formatos variados, saia do comum

Seu calendário editorial deve incluir um calendário de formatos de conteúdo. Diversas formas podem fazer parte de sua estratégia de marketing, como:

  • Artigos mais longos
  • Posts curtos
  • Listas
  • Depoimentos
  • Cases
  • Infográficos
  • Vídeos

Essa variação funciona segundo dois princípios: primeiro que você atinge todos os públicos, desde aqueles que gostam de textos mais longos até os que preferem apenas vídeo. Segundo que essa variedade de formato não irá cansar o leitor que visitar o seu blog. Um blog que oferece apenas um tipo de conteúdo acaba se tornando monótomo demais. Surpreender os visitantes a cada visita é um desafio que gera um enorme resultado.

Entretanto, ainda são poucas as empresas que possuem um calendário editorial. A grande maioria acredita que a espontaneidade dos posts será suficiente para criar um blog que atraia novos usuários. Desenvolver um calendário editorial deve ser uma das primeiras ações antes de se criar o blog ou mesmo começar a escrever. Deve fazer parte de uma estratégia maior, para que sirva não apenas como um sistema de organização e planejamento, mas como um aliado para alcançar os objetivos da empresa.

Lembre-se que ter e seguir um calendário editorial é garantia de que seu blog será sempre atualizado. Não perca tempo, busque a ferramenta ideal para sua empresa e crie já o seu calendário editorial!