Tag Archives: guest post

10 Benefícios da Contratação de uma Agência de Inbound Marketing

10 Benefícios da Contratação de uma Agência de Inbound Marketing

Agência digital não é produtora! Você contrata uma agência de publicidade para pensar a marca e desafios de comunicação, logo deveria considerar contratar uma agência de marketing digital para pensar o seu negócio para o meio digital.

Apresentamos 10 boas razões para contratar uma agência de marketing digital. Considere também contratar uma agência especializada em Inbound Marketing para obter resultados ainda mais expressivos.

1. Economia de Tempo = Dinheiro

Você pode possuir uma equipe interna fazendo tarefas de marketing digital como por exemplo, escrevendo conteúdo, desenvolvendo plataformas de mídias social, trabalhando listas de e-mails, atualizando website, fazendo análise de métricas, entre outras coisas. Entretanto se você faz isso internamente e não está colocando o foco em seu negócio, é preciso considerar o melhor uso do tempo e conhecimento da sua equipe no que ela deveria fazer melhor: trabalhar no seu negócio! Afinal tempo é dinheiro.

2. Resultados com Serviço de Nível Profissional

A contratação de um analista de marketing digital para execução ficará limitada as competências desta pessoa. Com uma agência especializada, haverá várias outros profissionais com competências e experiências unidas para ajudar sua empresa a atingir seus objetivos através de estratégias e operações eficazes de forma profissional.

3. Tenha uma Visão Externa

Você entende o seu negócio, como e porquê o faz! Mas sabe exatamente o que atrai os seus clientes na web? Seus conceitos, por ter uma visão interna, podem ser um pouco tendenciosos.

Quando você trabalha com um agência que tem estratégia no DNA, ela irá te ajudar a ter novas perspectivas dos potenciais compradores e propor formas de aumentar a conversão e atingir os objetivos traçados para o seu negócio.

4. Obtenha vantagem competitiva e experiência avançada no marketing digital

Possuir uma pessoa em sua empresa que acompanhe a agência em termos estratégicos e nas ações será um diferencial, afinal o conhecimento desenvolvido será de posse da sua empresa. Esse profissional irá entender quais as melhores ações e resultados para o seu negócio. Sua presença, absorvendo toda a expertise da agência, reduzirá o tempo de aprendizado em relação as melhores práticas de marketing digital da sua empresa.

5. Acesso a novas tecnologias

Uma agência digital domina e utiliza as tecnologias de ponta de marketing digital, evitando que a sua empresa precise adquirir licenças e conhecimentos técnicos da utilização destas tecnologias. Com estas ferramentas nas mãos de profissionais qualificados, que irão fazer o melhor uso, os resultados e análises entregues serão os melhores possíveis.

6. Agilidade e Flexibilidade

Com uma agência, o tempo de aproveitar oportunidades de marketing é muito maior, não competindo com projetos internos do negócio. Isso deixará seus profissionais de marketing focados em questões do seu negócio.

Veja algumas ações que envolvem uma agência digital para os seus clientes e contribuem com expertise, agilidade e flexibilidade das ações:

  1. Planejamento das ações
  2. Gerenciamento dos processos
  3. Definição de arquitetura de informação e de conteúdo
  4. Desenvolvimento de campanhas em mídias digitais
  5. Planejamento, execução e acompanhamento de ações em redes sociais
  6. Acompanhamento e definição de métricas para avaliação das ações

7. Maior produtividade

Em negócios de pequeno e médio porte, muitas vezes os recursos do marketing são compartilhados, fazendo com que o peso do marketing recaia sobre os ombros do gestor ou empregado que está trabalhando em outras tarefas ao mesmo tempo, o que pode ocasionar estresse e baixa produtividade e gerar resultados ineficientes.

Com uma agência, o esforço de marketing sai dos ombros da empresa, deixando o pensamento livre para focar nos negócios e cobrar os melhores resultados.

8. Aumenta a Performance

Se você trabalha o marketing digital internamente é provável que não possua muitos canais ativos. Muito provavelmente estará focado em sua lista de e-mail ou Facebook, ou ainda campanha de links patrocinados. Pode ser que falte tempo para manutenção do site, publicações do blog, entre outros.

Com uma agência de inbound marketing, estes cuidados são delegados e executados de forma profissional e dentro de uma metodologia, com processos que permitem analisar os resultados e buscar performance dos canais para conversão de negócios e atingimento dos objetivos de negócio.

9. Economize

É verdade que para contratar uma agência de inbound marketing é necessário empenhar um fee mensal, mas é possível comparar este investimento com o custo benefício dos outras 8 itens citados acima,  além de outras custos gerados através de uma equipe interna. Custos por exemplo que incluem salário, recrutamento, treinamento, softwares, espaço físico, etc. Compare a contratação de uma agência x equipe interna, analisando o custo-benefício.

10. Cresça e Evolua Rápido

Com uma agência de inbound marketing, focada em resultados, o foco será em crescer e obter melhores resultados, evoluindo o negócio. Com uma equipe interna a empresa corre o risco de no momento de expansão, alguns fatores impedirem a evolução, como por exemplo: dificuldades em encontrar profissionais qualificados, alto investimento para manter uma equipe multidisciplinar, perder estes profissionais, precisar de mão de obra para lançamento específico, fazer um investimento em equipe que não faz parte do negócio da empresa, etc…

O marketing digital está evoluindo e as empresas que aprenderem e rápido como gerar resultados neste ambiente terão vantagem em relação ao seu mercado.

Para Concluir

A contratação de uma agência digital com foco em resultados, faz sentido no momento em que há uma visão de que o a aplicação do marketing digital com performance, irá contribuir com o aumento do sucesso do seu negócio no médio e longo prazo.

 

– Erick Iucksh é co-fundador da Next Idea, agência de Inbound Marketing. Profissional de marketing digital, apaixonado por métricas e resultados digitais. Pai do Miguel e marido da Raquel 🙂
Porque “Indicação” não é a melhor forma de conseguir clientes

Porque “Indicação” não é a melhor forma de conseguir clientes

Se você quer vender mais e fazer a empresa crescer, definitivamente não pode contar apenas com os clientes que vem por indicação.

É um fato que as pessoas que vem por indicação tem uma chance maior de virarem clientes. Isso porque quem te indicou já fez uma boa parte da venda para você. Ele fala como sua empresa trabalha e mostra a excelente experiência que ele teve. Inclusive é por isso que é muito recomendado investir bastante em um ótimo atendimento.

Agora, só depender dessa indicação para ter os clientes do próximo mês não é uma boa estratégia.

Os 3 grandes problemas da indicação

Empresas que dependem de indicação para sobreviver e crescer tendem a se estagnar ou até fracassar. Isso acontece por 3 principais motivos:

  • Não é possível prever crescimento – como seu crescimento depende exclusivamente  de outras pessoas, você não consegue saber nem estimar quantas indicações terá no mês seguinte.

  • Não é possível estabelecer metas de crescimento – como você não consegue atuar diretamente sobre as indicações, as metas de crescimento serão meros palpites.

  • Fica mais difícil fazer investimentos – como não é possível prever o mês seguinte, é sempre necessário prevenir e guardar dinheiro para uma emergência. Nessa situação, fica difícil investir de forma mais ousada.

O que fazer então?

A única maneira de não depender das indicações é vender de forma mais ativa. E para isso é necessário investir tempo e/ou dinheiro em trazer mais contatos e potenciais clientes para você. Há várias formas de fazer isso, mas duas delas são bem eficientes:

  • Criação de conteúdo – A primeira é criação de conteúdo. A médio prazo esta é uma das formas mais baratas de se atrair potenciais clientes e com resultados mais sustentáveis.

Você pode fazer isso através da criação de um blog ou de materiais mais elaborados como ebooks, minicursos, vídeos, etc.

O objetivo principal é dar informações úteis para seus potenciais clientes. Dessa forma você cria uma base de possíveis clientes para entrar em contato e até é encontrado mais facilmente nos mecanismos de busca.

Um exemplo: se você é fotógrafo de casamentos, você pode criar um pequeno ebook gratuito dando dicas para escolher um fotógrafo profissional e mostrando alguns exemplos de fotos legais feitas por você. A partir desse momento, várias das pessoas que baixaram o material são seus potenciais clientes.

A grande vantagem é que depois que você criou uma boa estrutura de conteúdo, mesmo que você diminua seus investimentos (você não deveria fazer isso!), os contatos “continuam vindo”.

O principal ponto de atenção é a necessidade de criar conteúdo de qualidade e relevante para seu público. E os resultados não começam do dia para a noite.

  • Publicidade online – A segunda possibilidade (e que inclusive pode ser feito em conjunto com a primeira) é a compra de publicidade online. Essa é uma ação com resultados a curto prazo, mas que dependendo do mercado costuma ser bem mais caro.

A compra de publicidade online te permite atrair potenciais clientes no momento em que eles estão procurando resolver um problema. Os três canais mais comuns para isso são Facebook, Google e Linkedin.

A vantagem é que os resultados são bem maiores a curto prazo. Então se você investe dinheiro hoje, você já consegue levar tráfego mais qualificado para seu site no mesmo dia.

É necessário ficar atento porque ao contrário do conteúdo, quando você deixa de investir, os potenciais clientes deixam de vir na mesma hora.

A estratégia de ouro

Uma excelente estratégia é combinar a criação de conteúdo com publicidade online. Ao investir em fazer um material de qualidade como um ebook e publicidade para ajudar a promover esse material, você consegue bons resultados de curto e médio prazo.

O que sua empresa tem feito para correr atrás dos clientes?

Sua empresa só conta com indicação ou está investindo para conseguir mais clientes? Agora que você que não pode só contar com isso, o caminho é correr atrás!

Se você tiver alguma dúvida ou quer contar como faz hoje para atrair mais cliente, deixe um comentário.

(Gabriel Costa é um entusiasta de marketing e vendas para PMEs e escreve para o site Vender para Noivas, um blog dedicado a ajudar fornecedores de casamento – e prestadores de serviço em geral – a vender mais)

Fim do Guest Blogging? Entenda (de verdade) todas as mudanças de algoritmos do Google

Fim do Guest Blogging? Entenda (de verdade) todas as mudanças de algoritmos do Google

Você visita o Google diariamente, correto? Mas aposto que você nunca visitou esta página. Nela você vai encontrar diversas informações corporativas, coisas como missão e valores. Pode não parecer, a primeira vista, mas essa página é melhor forma de você entender as mudanças feitas nos algorítimos de busca nos últimos anos.

Toda mudança nos algorítimos de busca do Google é acompanhada de uma onda de protestos nos mercados de marketing digital. Nos últimos anos sobraram histórias sobre a morte do SEO, o fim do link building. O chamado fim do guest blogging é apenas o capítulo mais recente desta história. Para compreendê-lo melhor precisamos, antes, clarear alguns outros conceitos.

Missão, Visão, valores e outros termos

Procure com calma. Você vai encontrar estes termos presentes nos sites das mais variadas empresas. Isso não é apenas conversa. Todas as grandes companhias possuem uma definição muito clara destes conceitos, e usam isso para definir o seu caminho: onde pretendem chegar, qual caminho seguir e quais valores vão nortear a jornada.

Se você ainda não foi, visite a página do Google  e leia com atenção. Lá você vai encontrar informações importantes. Neste artigo vamos interpretar estes textos e mostrar como eles impactam o dia a dia da sua empresa, mas principalmente vamos mostrar como usar esta informação a seu favor e nunca mais ser pego de surpresa quando o Google anunciar mais uma mudança no seu sistema de busca.

A missão do Google.

Está lá, em letras grandes: a missão do Google é organizar a informação do mundo e torná-la universalmente acessível a todos. Isso explica por que um buscador investe em diversas outras áreas, como mapas, livros, artigos acadêmicos, indexação de notícias. O Google deseja tornar essa informação acessível para você, o usuário.

Por isso todas as mudanças constantes nos algorítimos. O Google não está penalizando as empresas que praticam linkbuilding, a Google está tentando melhorar o seu mecanismo de buscas para que ele consiga encontrar, e ranquear, conteúdo de acordo com a necessidade da audiência. A chamada punição serve para um propósito maior. Essa é a ideia. Se a sua página não fornece informações relevantes para o público nem a última moda em estratégias de linkbuilding vai te salvar.

O guest blogging

A mesma coisa com o guest blogging. Está tudo explicado na primeira frase do post no blog de Matt Cutts, líder do time de Webspam da Google, que gerou toda a polêmica: se você está usando guest blogging como uma forma de ganhar links em pleno 2014, você deveria parar. À medida que o Google percebeu que muitas pessoas usavam esta estratégia para tentar forçar conteúdo ruim para o usuário, ele puniu essas páginas. Isso vai acontecer de novo, em breve. Ad aeternum.

Se você analisar as mudanças recentes no algoritmo que penalizam os guest bloggers sob a luz da missão da empresa, fica claro o que ela pretende fazer. Desconsiderar links em blogs irrelevantes, afinal a relevância de um blog é uma forma de medir se o conteúdo será útil para o usuário. Desconsiderar links âncora em guest posts, pois a empresa já percebeu que esta tática é usada para tentar enganar o sistema de ranqueamento. Valorizar mais o author rank, pois o nome do autor tem peso para saber se o conteúdo é de qualidade. Colocar mais ênfase em compartilhamento social, sinais sociais são uma forma importante de medir o impacto e a relevância de um artigo. Todas essas medidas foram tomadas para ajudar a empresa a catalogar melhor as informações sobre textos publicados, e consequentemente, oferecer ao usuário a informação que ele procura, e não a que você quer vender.

Ainda assim, Guest blogging é uma excelente ferramenta para se colocar perante a outras audiências, estabelecer sua autoridade. Se você quer continuar relevante em sua estratégia de guest blogging, basta pensar mais como usuário e menos como marketeiro.

  • Apenas poste em blogs relevantes – Publique em blogs que sejam de preferência grandes, mas que também tenham um público relevante para o assunto que seu texto irá tratar. Isso irá te trazer uma maior exposição do que postar em pequenos blogs desconhecidos e não relacionados ao seu texto.

  • Evite usar links âncora – o uso de textos âncora muito direcionados em seus links com certeza irá se tornar um grande problema, que pode levar até a alguma penalização caso você use em excesso através de guest posts.

  • Não seja egoísta com os links  – forçar a barra para promover só links para suar próprias páginas não é uma boa ideia. O importante é colocar links para outros sites que tragam o máximo de valor para o seu leitor, mesmo que seja o site do seu concorrente.

  • Trabalhe o seu author rank – Cada vez mais o author rank se torna um fator importante em determinar se você é um bom escritor ou não. Por isso evite publicar textos ruins em seu nome, pois eles ficarão associados ao seu perfil no Google Plus.

  • Co-citations são valiosas – Mesmo que seu guest post não possua links para seus sites, somente a menção de sua empresa ou produto já pode te ajudar com rankings. Lembre-se que o Google está cada vez mais inteligente quando o assunto é identificar e classificar pessoas e entidades.

Se você usa qualquer técnica para tentar alavancar conteúdo de baixa qualidade para o usuário você vai ser penalizado, e isso é inevitável. Apenas aceite isso e siga adiante. O foco do Google é no usuário final e ele vai fazer de tudo para ajudar este usuário a receber o melhor conteúdo, de forma rápida e simples.

Daqui por diante

Este artigo foi escrito e publicado em janeiro de 2014, mas eu acredito que o conteúdo aqui postado é atemporal. Daqui a alguns anos, ou meses, quando você ouvir que uma nova mudança do Google acabou de matar uma prática comum do mercado, não se preocupe, apenas lembre-se que o pessoal de Mountain View possui valores e paute seu trabalho por eles.

Vamos voltar àquela página. O Google acredita em 10 verdades, e elas podem ajudar você a fazer marketing da melhor qualidade. Separei algumas para que você a nunca mais seja pego de surpresa.

  • Verdade número 1: concentre-se no usuário e tudo mais virá. Não é à toa que essa é a primeira verdade do Google. Ela serve para todos nós, concentre-se no usuário, produza conteúdo que seja relevante para ele. Se você não der este passo nada mais funcionará.

  • Verdade número 2: rápido é melhor que devagar. O Google valoriza o tempo do usuário, por isso ele atualiza sempre o algorítimo: para que o usuário tenha sempre uma resposta rápida para suas perguntas. Se você está tentando empurrar conteúdo ruim, você está perdendo tempo, seu, do Google e principalmente do usuário. Se você quer que o seu conteúdo seja encontrado certifique-se que ele possui a melhor resposta para a pergunta feita.

  • Verdade número 3: a democracia funciona na web. A pesquisa do Google usa os links postados por milhões de usuários para ajudar a determinar quais sites possuem conteúdo de qualidade. Mas assim como votos, links precisam ser conquistados. Já houve um tempo em que se compravam links, trocavam links e outras práticas que acabaram sendo penalizadas. Trate cada link como um voto, conquiste-os com conteúdo de qualidade.

  • Verdade número 4: Você não precisa estar em sua mesa para precisar de uma resposta. O consumo de internet está cada vez mais móvel, as pessoas vão procurar por respostas em diferentes plataformas.  Produza conteúdo que possa ser consumido em diferentes formatos. Estamos em 2014, se seu conteúdo ainda está em um site estático, e não é responsivo, você precisa reavaliar sua estratégia.

  • Verdade número 6: é possível fazer dinheiro sem fazer o mal. Este talvez seja o moto mais famoso do Google. Isso se reflete especialmente na sua política sobre anúncios, maior fonte de receita da companhia. Todos os anúncios devem ser claramente identificados como tal, em momento algum a companhia tenta enganar seus usuários. Essa é a maior verdade deste texto. Se você usa uma prática para tentar enganar o Google e enganar o usuário, você será punido.

Não deixe de conhecer a companhia que todos admiramos. Se você entender o propósito da empresa e agir de acordo com o interesse do usuário e não apenas em benefício próprio, você terá sucesso. Se você focar em produzir conteúdo de qualidade, não tem mudança de algoritmo que vá te preocupar. Durma tranquilo e seja relevante. Assim, o Google vai gostar de você!

Os 6 mandamentos para fazer promoções e ofertas 1

Os 6 mandamentos para fazer promoções e ofertas

Se eu ganhasse 1 real para cada email que recebo falando “10% de desconto em…”, com certeza eu não teria que prestar atenção neles para fazer compras.

O problema dessa inundação de descontos é que fica cada vez mais difícil fazer a sua oferta se destacar e, com isso, é muito comum vermos guerras pelo menor preço.

Concentrar a promoção somente no preço acaba trazendo danos não só ao caixa da empresa, mas principalmente à qualidade do serviço/produto entregue e, por consequência, à fidelidade desse cliente.

Claro, se o seu objetivo é simplesmente esvaziar o estoque, talvez até funcione. Mas e depois? Você diminuiu sua margem para fazer a venda, mas não reteve o cliente – ou seja, há o risco de cair num ciclo vicioso onde você depende de ofertas para vender.

Por isso, resolvemos voltar aos fundamentos para ajudar quem quer utilizar promoções e ofertas da melhor maneira possível:

1- Oferecerás um benefício/desconto relevante, não migalha

Não há um número mágico que chame a atenção do cliente – isso depende muito do tipo de produto/serviço ofertado.
Dando um exemplo mais prático, por aqui nós começamos a levar a sério descontos de 10% pra cima. Se virmos algo acima de 20%, com certeza você ganhará nossa total atenção.

Não vou nem comentar sobre aumentar o preço antes pra depois baixar, porque é simplesmente antiético.
Por outro lado, existe também a possibilidade de oferecer um benefício além, como manutenção, garantia ou um serviço/produto adicional coerente com essa compra.

2- Tratarás o cliente sempre da melhor forma possível, independente dele ter comprado na promoção

Empresas que tratavam de maneira diferente clientes da promoção foi algo muito comum quando as compras coletivas explodiram no Brasil.

A empresa investia para levar novos clientes com o objetivo de, depois de uma boa experiência, fidelizá-los. Se a percepção não é boa, por que voltar?

Coloque-se no lugar do cliente promocional: você volta a lugares onde foi maltratado?

3- Manterás relacionamento com o novo cliente adquirido

O bom filho à casa retorna.

Entregar uma boa experiência é um ótimo primeiro passo para ganhar um cliente fiel. Porém, como bom empresário, você não pode depender apenas disso.

Além de manter sua marca no dia-a-dia do cliente, ter uma comunicação constante também incentiva indicações e novas compras.

Existem diversas formas de se comunicar com seu cliente, desde sistemas de CRM, até uma simples lista e-mails ou mesmo as versáteis redes sociais.

guia nutrição de leads

4- Não dependerás apenas de ofertas

Na minha opinião, empresas que fazem ofertas em 3 das 4 semanas do mês simplesmente deixaram de nutrir diferenciais e caíram na guerra do menor preço.

Passa a ser “carne de vaca”: a oferta deixou de ser exceção e virou regra.

Empresas que entregam boas experiências de compra e produtos/serviço de qualidade podem utilizar promoções como ações especiais e, assim, atingir ótimos resultados, tanto de vendas, quanto de branding ou captação de novos clientes (que darão retorno no longo prazo).

Estrategias de Conteúdo para Lojas Virtuais

5- Não comprometerás o funcionamento e qualidade do seu serviço/produto

Muitos clientes estão aparecendo, não sei mais o que fazer!
Esse tipo de problema é o que eu chamo de “problema bom”, afinal quem não quer ser inundado por clientes querendo o seu produto?

Porém, no caso de uma promoção, esse aumento de demanda deve ser planejado e, de maneira alguma, o cliente (novo ou velho) pode sentir alguma diferença na qualidade do seu produto/serviço.
Do que adiantaria se encher de clientes, mas mal entregar o que eles querem?

6- Estarás financeiramente planejado

A outra parte de estar bem preparado para uma promoção: reserva financeira que banque o investimento necessário para encher o estoque (ou contratar a mão-de-obra necessária).

No caso de promoção para esvaziar o estoque, como as ofertas ajudarão a criar caixa, lembre-se de planejar com bastante antecedência possíveis contratações para dar conta do aumento da demanda.

Para quem vende serviços e está fazendo uma oferta de pagamento à prazo, além das contratações, lembre-se de criar o capital de giro suficiente para esse período (mais dicas sobre como otimizar o capital de giro).

Ao manter o foco no objetivo da promoção e planejá-la com o mínimo de antecedência, com certeza sua empresa gerará ótimos resultados.

Para ver outras dicas, sugiro os artigos sobre como fazer promoções do Saia do Lugar.
Abraços,
Luiz Piovesana (cansado de conjugar verbos na 2ª pessoa do singular)

Conteúdo: saiba como ele auxilia sua estratégia de Marketing Digital 1

Conteúdo: saiba como ele auxilia sua estratégia de Marketing Digital

Mesmo que você relute em ter sua empresa na web, não há como evitar. Com as novas tecnologias e possibilidades por elas trazidas, você até pode querer restringir que sua marca seja alvo de críticas em redes sociais, posts em blogs ou sites direcionados a reclamações, por exemplo. Mas não pode impedir que seu cliente o faça. Por isto, desenvolver estratégias de posicionamento de marca, relacionamento e vendas na Internet deixou de ser um desejo para se tornar uma necessidade.

A Internet trouxe possibilidades de alcance e segmentação não antes possíveis em estratégias de marketing, que podem ser realizadas por empresas de quaisquer porte ou segmento, independentemente da verba disponível. Contudo, ela também trouxe transformações, principalmente quando falamos sobre comportamento consumidor.

O público ganhou força, voz e o poder de influenciar decisões em grande escala. Estão mais exigentes e, por isto, mais desconfiados e seletivos quanto aos seus hábitos de consumo. Em contrapartida, estão também mais envolvidos com as marcas, que passaram a utilizar este novo comportamento como inteligência de mercado. Grande responsável por isto, o conteúdo, que se faz presente nas mais diversas ações de marketing digital, é um fator decisivo para os resultados.

A importância do conteúdo para estratégias digitais

Não interessa quais foram as ações digitais ou objetivos definidos em seu planejamento. Uma hora ou outra você precisará do conteúdo! O resultado de suas estratégias de links patrocinados, banners, site, blogs, redes sociais, dentre outros, está diretamente relacionado a ele.

Você pode selecionar as melhores palavras-chave para seus anúncios na web, mas se a descrição deles não for atraente, não há conversão. Caso ocorra o clique, mas as informações na página de entrada do seu site não cumprirem a promessa feita no anúncio, não há conversão de cadastros, vendas ou seja qual for o objetivo. Seguindo esta lógica, não pensar em conteúdo para suas estratégias de marketing digital prejudica bastante o retorno sobre o investimento.

Particularidades do conteúdo no marketing digital

Cada uma das ações de marketing digital, mesmo que elas sejam interligadas, exige uma estratégia específica de conteúdo. As particularidades ocorrem até mesmo em ações de uma mesma estratégia, como é o caso do social media marketing, que exige abordagens diferentes no Facebook, Twitter ou Instagram, mesmo que todas sejam redes sociais. Para que você entenda melhor, selecionamos as particularidades do conteúdo em algumas ações de marketing digital:

Site

É o coração da sua estratégia. Os anúncios, redes sociais e outras ações, em grande parte, têm o propósito de levar o usuário ao seu site. Por isto, ter um conteúdo bem redigido, com as informações certas é importante para fomentar vendas, cadastros, contatos e interesse em seus clientes. Neste caso, o conteúdo deve ser planejado conforme as particularidades do seu negócio. Em uma loja online, por exemplo, pense quais os tópicos importantes para auxiliar a tomada de decisão do seu cliente. A arquitetura da informação deve preceder o desenvolvimento do conteúdo. Desta forma você terá conhecimento sistêmico do volume e tipo de informação necessários em cada página do seu site.

Banners

Para os banners em sites parceiros, criatividade é um fator chave. O espaço é pequeno para informações mais densas. Por isto, o conteúdo nesta ação deve ser objetivo e muito atraente. Uma frase deve instigar a audiência a conhecer o seu produto, serviço ou empresa. Neste caso, a informação mais densa fica em seu site, e deve estar alinhado ao propósito do banner.

Links patrocinados

Seja no buscador do Google, Bing ou em redes sociais, como LinkedIn, Facebook e Twitter, que tem ferramentas próprias de anúncios, o conteúdo é fundamental. Independentemente do sistema funcionar com base em segmentação de perfil (redes sociais) ou palavras-chave (buscadores), a descrição do anúncio é decisiva para que os cliques, e consequentemente o tráfego para o seu site, ocorram. As palavras têm limitação de quantidades e, se não forem bem escolhidas para a construção da oferta, não incentiva a conversão.

Redes Sociais

Cada rede possui uma estrutura diferente, por isto a estratégia de conteúdo também deve respeitar estas particularidades. No Twitter, por exemplo, a abordagem deve ser concisa, uma vez que a rede permite mensagens em apenas 140 caracteres. No Facebook é possível compartilhar chamadas para conteúdos mais densos alocados em seu blog, por exemplo, bem como os microconteúdos – conteúdos específicos para as redes sociais, breves, associados ao negócio da sua empresa, que instiguem a interação –, fundamentais para o engajamento.

Email marketing

O disparo de e-mails exclusivamente publicitários como “o meu produto é o melhor para a sua empresa” não cola mais! As pessoas têm sede de informação. Mais: elas querem conhecimento para tomar decisões mais certeiras. Seja para reter, educar ou vender, seu cliente decide pela compra do produto não pelo que você diz sobre ele, mas pela relevância da sua marca no mercado. Ao usar o conteúdo como estratégia – uma newsletter quinzenal, por exemplo – você demonstra a ele o conhecimento sobre o negócio tornando-se, assim uma referência no assunto. Com isto, a confiança do consumidor em sua empresa aumenta, assim como as possibilidades de venda. O conteúdo na íntegra deve estar em seu site – numa seção de notícias ou no blog corporativo – fomentando o tráfego e o interesse em conhecer mais sobre o seu negócio, produtos e serviços comercializados.

Blogs corporativos

Ao acessar um buscador para encontrar informações sobre determinado assunto, você se depara com inúmeros blogs onde empresas transmitem o conhecimento adquirido em suas experiências para ajudar o público a aprender ou executar algo. O marketing de conteúdo é a estratégia utilizada para atrair, educar e fidelizar clientes através do conhecimento em blogs corporativos.

Uma pesquisa divulgada pelo IBOPE, em maio de 2013, apontou que 38% dos compradores de e-commerce consideram extremamente importante buscar informações em blogs ou sites especializados antes de efetuar a compra. Isso significa que oferecer dicas e orientações sobre como escolher e comprar determinado produto ou serviço, em vez de simplesmente mostrar ofertas, atrai uma grande fatia do mercado virtual.

Além disso, traz como vantagens para o seu negócio: aumento do tráfego para o seu site; incremento nas vendas; geração de leads; redução de investimentos em ações pagas como links patrocinados; e ainda possibilita mensurar precisamente os resultados.

Além disso, traz como vantagens para o seu negócio: aumento do tráfego para o seu site; incremento nas vendas; geração de leads; redução de investimentos em ações pagas como links patrocinados; e ainda possibilita mensurar precisamente os resultados.

No marketing digital as ações não funcionam de forma isolada, mas sim complementares. O poder de propagação e disseminação no ambiente digital, aliado ao conteúdo bem produzido, potencializam o retorno sobre o investimento, além de melhorar o posicionamento da sua marca no mercado. Al Ries afirma que “Posicionamento não acontece na empresa, acontece na cabeça do cliente”. Por isto, use o conteúdo a seu favor em sua estratégia de marketing digital, tornando-se referência no segmento em que sua empresa atua!

E aí, a sua empresa dá a devida importância ao conteúdo nas estratégias de marketing digital? Compartilhe suas experiências conosco nos comentários!

(Gabriel Motta é um dos fundadores da Ingage e especialista em fazer negócios prosperarem através da internet. Para mais dicas sobre mídia online, facebook marketing e outros assuntos sobre o marketing digital acesse o blog da Ingage.)