Tag Archives: Marketing Digital

Like Gate: Aprenda o que são e como fazer um na prática

Conteúdo institucional: por que você deve evitar

Frequentemente, nossas leads e até mesmo os clientes perguntam se fazemos também o conteúdo institucional para o blog corporativo. A resposta é bastante clara: não! Falar excessivamente sobre si mesmo, seus produtos, serviços ou como as coisas são feitas na sua empresa dificilmente será relevante para seu público.

Especificar um serviço e tecer elogios a ele, bem como criticar a concorrência ou apresentar seu crescimento interno, são ações que não garantem que potenciais clientes se sintam atraídos pelo que sua empresa tem a oferecer. Esse desinteresse do público acontece por vários motivos.

Quer entender por que não devemos incluir conteúdo institucional no blog corporativo? Confira a seguir:

A lead não irá enxergar valor no serviço

Se você tem uma empresa que traz uma solução inovadora para determinada questão, é comum que o público desconheça o funcionamento e os benefícios de contratar seus serviços. Some a esse ponto crítico um fator ainda mais relevante: as pessoas não sabem por que e quando devem contar com sua empresa. Suponhamos que você tenha uma plataforma de venda e troca de peças para computadores. Caso aborde sobre o fato de ser a única startup do tipo e os prêmios e investimentos que já ganhou, não está gerando valor para quem não te conhece.

Caso o seu blog esteja cheio de conteúdo institucional, o potencial cliente vê que o negócio tem méritos mas não consegue perceber como ele pode ajudá-lo na prática. A história se repete, inclusive, em empresas que já trabalham com produtos ou serviços bastante conhecidos. Dessa forma, institucionalizando o conteúdo, elas dão margem para a concorrência crescer.

Sem um conteúdo rico e bem planejado não há como as leads entenderem o quão bom é o seu produto, seu serviço, seu suporte, seu preço ou qualquer outro diferencial da empresa. Na falta de material útil, ninguém encontrará valor em suas postagens, que terão mais cara de propaganda do que de marketing.

A empresa não se mostrará relevante em seu segmento

Uma vez que você fala sobre tudo aquilo que é relevante para seu público, sua marca é vista como autoridade no assunto. Produzir conteúdo útil gera confiança nas pessoas antes mesmo delas saberem o que a empresa faz. Se você é o gestor de um e-commerce de roupas, por exemplo, um blog que apresenta tudo sobre moda será capaz de atrair quem gosta do assunto ou quer saber mais sobre ele. Ao construir um conteúdo de qualidade é possível se transformar em um trendsetter, ou seja, aquele que aponta as tendências do momento. Isso será importante para o consumidor escolher entre comprar roupas modernas e bonitas no seu e-commerce ou adquirir algo da concorrência, que não oferece mais do que looks básicos.

O cenário descrito ilustra uma realidade do marketing de conteúdo: se sua empresa é capaz de ser relevante através do blog, dos materias ricos, vídeos ou nas redes sociais, ela se torna autoridade no segmento. Dessa forma, quando alguém pensar em determinado nicho ou lembrar de uma dica preciosa que leu, irá associar isso a sua marca e saberá que sua empresa é a melhor opção.

Ficar apenas no conteúdo institucional pode não torná-lo autoridade. Mesmo que esteja apresentando sua equipe, os avanços dela, os prêmios que a empresa conquistou, falando bem dos produtos oferecidos, você não está mostrando nada na prática. Aos olhos do cliente é tudo teoria e vai parecer que sua empresa tenta impor uma imagem, como se fosse um rótulo de uma lata da qual não se sabe o sabor do que tem dentro.

Antes de qualquer coisa é preciso construir a autoridade! Seja relevante e interessante através do conteúdo do seu blog para ser aquela empresa que entende tudo do segmento em questão e, principalmente, dos problemas do público.

A empresa oferecerá “mais do mesmo”

O marketing mudou muito ao longo dos anos. Se antes cigarros eram oferecidos como item que compunha a elegância de uma pessoa, hoje só faz uso deles quem escolhe adquirir os malefícios que ele contém. Antigamente, a propaganda era duvidosa pois não existiam provas dos resultados positivos gerados por um produto, apenas reinava a imposição e o consumidor, sem instrumentos de pesquisa, adquiria a ideia por trás de um objeto, por exemplo. Esse tipo de publicidade padece! E o conteúdo institucional pode se parecer com ela: falta de informação e muito de imposição.

Trabalhar nos moldes do velho marketing é oferecer mais do mesmo, é falta de conteúdo, é apontar sem argumentar. De que adianta dizer qual seu preço se você sequer gera valor ou demonstra autoridade? Pense nisso quando for traçar sua estratégia de conteúdo para o blog.

O blog deixará de gerar leads importantes

Este é um dos pontos mais graves! Ao produzir muito conteúdo institucional, você corta o contato com aquelas pessoas que se encontram no topo e até no meio do funil de vendas. Nesse contexto, você inviabiliza a atração, a educação e a retenção da maior parte do público que tem necessidade de usar o seu serviço ou produto.

Caso seu planejamento de conteúdo para o blog não inclua educar as personas, preparando-as para uma compra futura, sua estratégia simplesmente perderá o valor e o foco no seu objetivo. Um conteúdo institucional será útil apenas para a pequena parcela que conhece o que sua empresa faz.

O conteúdo não irá ter aplicação para o público

As conquistas e diferenciais da sua empresa não ajudam em nada a otimizar a rotina do seu público. Com conteúdo institucional, quem chega ao seu blog não verá motivo para segui-lo, uma vez que aqueles posts e vídeos não têm utilidade.

Fazer marketing de conteúdo é se tornar relevante oferecendo as melhores informações para determinado tipo de cliente no momento em que ele precisa. Isso gera tráfego, o que leva às leads, desaguando em clientes.

Não há espaço para o conteúdo institucional?

Nesse ponto não é necessário ser radical. Você pode falar de si mesmo, desde que isso seja interessante para o público, de forma branda e pouco frequente. Um case de sucesso, por exemplo, fala de um bom trabalho da empresa mas tem valor para os potencias clientes que estão em um momento de decisão entre adquirir ou não o seu serviço. Conteúdo institucional também pode ser encaixado no LinkedIn sem problemas. Além disso, é possível ter um espaço em seu site reservado ao clipping, concentrando tudo que a mídia já falou da marca.

Mais do que bom senso e planejamento, a postagem de conteúdo institucional exige cuidado, conhecimento e muita moderação. Foque primeiro em gerar leads e fidelizar clientes. O valor agregado a sua marca e um grande destaque serão consequência disso.

O blog da sua empresa tem conteúdo institucional? Divida suas opiniões e dúvidas com a gente!

Moz Trust e Moz Rank: por que você precisa conhecer essas ferramentas?

8 dúvidas sobre estratégia de marketing de conteúdo que você precisa responder

Nem sempre ao traçar uma estratégia de marketing de conteúdo, os profissionais envolvidos respondem algumas perguntas básicas que são importantes para o sucesso. Por mais que eleas pareçam simples, essas perguntas tocam pontos que podem se tornar críticos se não forem solucionados.

Por isso, fizemos uma lista com 8 perguntas para você se fazer. E se a resposta de algum deles não for positiva, mude o mais rápido possível.

1. Quais são os objetivos de sua estratégia de marketing de conteúdo

A maioria das empresas não tem uma ideia clara de onde querem chegar com sua estratégia de marketing de conteúdo. Ainda pior, algumas delas sequer sabem onde podem chegar. Um objetivo não pode ser “vender mais” ou então “ter mais likes no Facebook”. É importante tê-los definidos, conhecer quais métricas serão usadas para mensurar o sucesso e acima de tudo, saber o que você tem que fazer para alcançá-lo.

2.  Sua estratégia de marketing de conteúdo está alinhada com a visão geral da empresa?

Qual o papel que seu marketing deverá desempenhar na sua empresa? Além de conhecer seus objetivos, é vital que eles estejam alinhados com a visão de sua empresa. Analise quais são os propósitos de sua estratégia e qual é o caminho que sua empresa irá trilhar. Se eles não estiverem perfeitamente alinhados ou você não conseguir colocá-los próximos, então você tem um sério problema em suas mãos.

3. O seu conteúdo ajuda seu público a melhorar na área de atuação deles?

Você deveria se perguntar isso todo dia. Até nos finais de semana. Se seu conteúdo não está ajudando e educando seu público, por quê continuar investindo nele?

4. Você lê todo o conteúdo que sua empresa cria?

A maioria de gerentes e diretores de marketing não está ciente dos esforços que suas empresas podem estar realizando desnecessariamente todo dia. Para realmente entender o que está funcionando e o que está falhando – em relação à sua estratégia de marketing de conteúdo – você precisa engajar e conhecer todas as peças de conteúdo que sua empresa cria e distribui.

5. Você está se destacando do resto?

Você está criando algo único e de valor? Seu blog leva informações relevantes e de qualidade, que tem a cara da sua empresa? Você é diferente dos seus competidores? Afinal, na maioria dos blogs hoje, é só você retirar a logo do topo da página e colocar a de um concorrente, e ninguém notará a diferença. Acredito que não é isso que você quer para o seu blog.

6. Você está treinando seu time de marketing?

Sempre falamos de envolver sua equipe em sua estratégia de marketing de conteúdo. Você tem um treinamento específico que comunica para seus membros quais são a visão e os objetivos, além das expectativas e dos resultados esperados? Se não, como eles saberão se estão sendo bem sucedidos ou onde eles precisam melhorar?

7. Toda sua empresa está envolvida em sua estratégia?

Fazer com que colaboradores de todas as áreas da empresa participem na criação de conteúdo para sua estratégia de marketing de conteúdo é um grande desafio, mas com ótimas recompensas. Ter diferentes contribuintes para o seu blog será extremamente para criar conteúdo de estilos diferentes, com pontos de vista diferentes e temas variados – que será ótimo para cativar seu público.

8. Você desenvolveu um processo de comunicação para espalhar a visão de sua estratégia de marketing de conteúdo através de sua organização?

(Comece assistindo o Content 2020, da Coca Cola). Tenho certeza que um dos principais motivos da iniciativa que pensou o Content 2020 ter sido adotada rapidamente é o fato de que ela mostra com perfeição a visão da companhia. Como isso é possível? A Coca Cola criou um documento extremamente bem feito sobre o programa que seria o Content 2020. Ele era altamente engajante e compartilhável, fácil de compreender e foi capaz de causar um impacto em milhares de pessoas em curto período de tmepo.

Você pode não ter todas as respostas nesse exato momento – o que é bem normal. Mas você precisa conseguir respondê-las em algum momento. Toda semana – e algumas delas diariamente – você deveria rever essas questões com sua equipe e manter um controle do seu progresso, afinal são pontos extremamente importantes para o sucesso de uma estratégia de marketing de conteúdo.

Quais questões adicionais você acha que deveríamos nos fazer sobre nossas estratégias de marketing de conteúdo? Não deixe de comentar.

[Vídeo] Dicas de Marketing de Conteúdo para 2014. 1

[Material Gratuito] Checklist para Webinars

Você já deve ter percebido o quanto achamos que um webinar pode ser útil para sua estratégia de marketing de conteúdo. Nós realmente acreditamos que um webinar bem feito, além de complementar sua estratégia, irá trazer resultados muito positivos, como mais leads, clientes mais satisfeitos e uma divulgação única para sua marca. Também irá mostrar sua autoridade no assunto e engajará com sua audiência dando a possibilidade para eles fazerem perguntas diretamente para você.

Temos tanta certeza que você pode usar um webinar em sua estratégia, que até fizemos um webinar sobre webinars! Ao assistí-lo, você verá todas as vantagens de usar essa ferramenta e ainda aprenderá algumas outras coisas! Para assistí-lo, só ver esse post aqui: Como usar webinars para alavancar o seu negócio.

Mais um material único para você!

Agora que você está decidido a fazer um webinar, você precisará planejá-lo e estruturá-lo, correto? Para não esquecer nenhuma daquelas várias coisinhas – como testar o microfone do seu computador – nós fizemos essa checklist com todos os passos que você deve seguir.

Imprima, salve no computador, copie para um caderno, não importa. Seguindo esses passos temos certeza que seu webinar será um sucesso total! Você o que deve fazer nos 6 momentos de um webinar:

  • No planejamento
  • Na preparação
  • No dia anterior
  • No dia do evento
  • Durante o webinar
  • Após terminar o webinar

Interessou?

baixeagora

Estudo de caso de cliente Rock Content: tsEstoque

Estudo de caso de cliente Rock Content: tsEstoque

No artigo de hoje apresentaremos um estudo de caso de um dos clientes da Rock Content que está alcançando um grande sucesso em seus empreendimentos e obtendo resultados fantásticos com suas estratégias de marekting de conteúdo, o tsEstoque. Então vamos ao case e, no final, leia uma dica exclusiva do Rafael Reis, Co-Fundador e Diretor de Marketing da empresa.

Introdução

O tsEstoque é um sistema online para gestores de micro e pequenas empresas que precisam manter um controle contínuo do giro de matéria-prima, produto acabado e material de processo(produtos de limpeza, uniformes e utensílios descartáveis) dentro de sua empresa.

A ferramenta ajuda na gestão de volume de movimentações de entrada e saída, da demanda, procurando não manter itens sem movimento ou acima de patamares ideais, bem como a reposição e consequentemente dos custos envolvidos (fluxo de caixa) com a manutenção do estoque da empresa, impactando diretamente na avaliação do ROI do negócio.

O desafio

Conforme trilhávamos o nosso caminho em busca de clientes, percebemos que não conseguíamos dar conta de todas as atividades relacionadas a marketing e venda, o que acabou gerando resultados fracos. Nossa equipe é inteiramente formada por programadores, o que fez a parte de desenvolvimento do sistema uma tarefa mais amena, mas também se mostrou um grande entrave pois qualquer empresa precisa de um certo nível de heterogeniedade de expertises, e foi percebendo isso que começamos a considerar a tercerização de algumas tarefas internas. Quais tarefas? Marketing e Conteúdo.

E se “Conteúdo é Rei” o marketing deve ser a “Rainha” porque foi só a partir daí que nosso castelo ficou completo. Associe criação de conteúdo de alta qualidade, otimização de SEO, segmentação e nutrição ininterrupta de leads e você terá crescimento garantido e será referência no seu nicho de atuação.

Segundo a Neurociência, quando jovens, vivemos a chamada Exuberância Sináptica e criamos um número surpreendente de conexões entre nossos neurônios, e quando já adultos passamos por um “saneamento” dessas conexões que em sua maioria não são utilizadas e consequentemente não interessam para nossa vida. É quando alcançamos a verdadeira maturidade.

Acreditamos que as empresas passem pelo mesmo processo e em algum ponto precisem determinar o que deve ser dado o foco ou não. Nossa missão é mudar drasticamente a experiência de uso de um sistema de gestão de estoque e a visão que o mercado têm desse tipo de ferramenta e garantir que possamos indicar métricas e relatórios que ajudem os gestores a perder menos produtos, ter mais giro, evitar desperdícios e claro, gerar lucro. Guiaremos nossos clientes a maturidade e os ajudaremos a focar utilizando uma gestão eficiente e analítica.

A solução

Ao produzir material educativo sobre nossa área de atuação de forma recorrente, a Rock Content completa nossa proposta de valor nos ajudando a disseminar uma visão estratégica e enxuta sobre o que é gestão de estoque para PMEs. Com isso podemos focar a equipe em desenvolver novas funcionalidades e otimizar as já existentes.

As postagens contínuas proporcionadas pela Rock Content viabilizou um crescimento de 73% de visitantes únicos no blog e um compêndio sobre Gestão de Estoque que já é nosso orgulho e referência para muitas empresas na Internet.

Os resultados

O crescimento do blog do tsEstoque foi espetacular. Em 5 meses, o aumento de visitas foi muito grande, como podemos ver no gráfico do Analytics:

Dica tsEstoque

“Todo empreendedor em algum momento precisa de um apoio de um “amigo empreendedor” que lhe auxilie no dia a dia. Acabamos encontrando ótimos amigos empreendedores que nos guiam na melhores práticas de marketing e criação de conteúdo do mercado.

Hoje já possuímos mais de 300 empresas utilizando diariamente o tsEstoque e dia após dia estamos disseminando ótimo conteúdo e nos tornando referência na nossa área.” Rafael Reis, Co-Fundador e Diretor de Marketing.

 

E então, gostou? Que tal ler mais cases de sucesso e ver mais algumas dicas para te ajudar? Só baixar nosso ebook de cases!

baixeagora

10 Benefícios da Contratação de uma Agência de Inbound Marketing

10 Benefícios da Contratação de uma Agência de Inbound Marketing

Agência digital não é produtora! Você contrata uma agência de publicidade para pensar a marca e desafios de comunicação, logo deveria considerar contratar uma agência de marketing digital para pensar o seu negócio para o meio digital.

Apresentamos 10 boas razões para contratar uma agência de marketing digital. Considere também contratar uma agência especializada em Inbound Marketing para obter resultados ainda mais expressivos.

1. Economia de Tempo = Dinheiro

Você pode possuir uma equipe interna fazendo tarefas de marketing digital como por exemplo, escrevendo conteúdo, desenvolvendo plataformas de mídias social, trabalhando listas de e-mails, atualizando website, fazendo análise de métricas, entre outras coisas. Entretanto se você faz isso internamente e não está colocando o foco em seu negócio, é preciso considerar o melhor uso do tempo e conhecimento da sua equipe no que ela deveria fazer melhor: trabalhar no seu negócio! Afinal tempo é dinheiro.

2. Resultados com Serviço de Nível Profissional

A contratação de um analista de marketing digital para execução ficará limitada as competências desta pessoa. Com uma agência especializada, haverá várias outros profissionais com competências e experiências unidas para ajudar sua empresa a atingir seus objetivos através de estratégias e operações eficazes de forma profissional.

3. Tenha uma Visão Externa

Você entende o seu negócio, como e porquê o faz! Mas sabe exatamente o que atrai os seus clientes na web? Seus conceitos, por ter uma visão interna, podem ser um pouco tendenciosos.

Quando você trabalha com um agência que tem estratégia no DNA, ela irá te ajudar a ter novas perspectivas dos potenciais compradores e propor formas de aumentar a conversão e atingir os objetivos traçados para o seu negócio.

4. Obtenha vantagem competitiva e experiência avançada no marketing digital

Possuir uma pessoa em sua empresa que acompanhe a agência em termos estratégicos e nas ações será um diferencial, afinal o conhecimento desenvolvido será de posse da sua empresa. Esse profissional irá entender quais as melhores ações e resultados para o seu negócio. Sua presença, absorvendo toda a expertise da agência, reduzirá o tempo de aprendizado em relação as melhores práticas de marketing digital da sua empresa.

5. Acesso a novas tecnologias

Uma agência digital domina e utiliza as tecnologias de ponta de marketing digital, evitando que a sua empresa precise adquirir licenças e conhecimentos técnicos da utilização destas tecnologias. Com estas ferramentas nas mãos de profissionais qualificados, que irão fazer o melhor uso, os resultados e análises entregues serão os melhores possíveis.

6. Agilidade e Flexibilidade

Com uma agência, o tempo de aproveitar oportunidades de marketing é muito maior, não competindo com projetos internos do negócio. Isso deixará seus profissionais de marketing focados em questões do seu negócio.

Veja algumas ações que envolvem uma agência digital para os seus clientes e contribuem com expertise, agilidade e flexibilidade das ações:

  1. Planejamento das ações
  2. Gerenciamento dos processos
  3. Definição de arquitetura de informação e de conteúdo
  4. Desenvolvimento de campanhas em mídias digitais
  5. Planejamento, execução e acompanhamento de ações em redes sociais
  6. Acompanhamento e definição de métricas para avaliação das ações

7. Maior produtividade

Em negócios de pequeno e médio porte, muitas vezes os recursos do marketing são compartilhados, fazendo com que o peso do marketing recaia sobre os ombros do gestor ou empregado que está trabalhando em outras tarefas ao mesmo tempo, o que pode ocasionar estresse e baixa produtividade e gerar resultados ineficientes.

Com uma agência, o esforço de marketing sai dos ombros da empresa, deixando o pensamento livre para focar nos negócios e cobrar os melhores resultados.

8. Aumenta a Performance

Se você trabalha o marketing digital internamente é provável que não possua muitos canais ativos. Muito provavelmente estará focado em sua lista de e-mail ou Facebook, ou ainda campanha de links patrocinados. Pode ser que falte tempo para manutenção do site, publicações do blog, entre outros.

Com uma agência de inbound marketing, estes cuidados são delegados e executados de forma profissional e dentro de uma metodologia, com processos que permitem analisar os resultados e buscar performance dos canais para conversão de negócios e atingimento dos objetivos de negócio.

9. Economize

É verdade que para contratar uma agência de inbound marketing é necessário empenhar um fee mensal, mas é possível comparar este investimento com o custo benefício dos outras 8 itens citados acima,  além de outras custos gerados através de uma equipe interna. Custos por exemplo que incluem salário, recrutamento, treinamento, softwares, espaço físico, etc. Compare a contratação de uma agência x equipe interna, analisando o custo-benefício.

10. Cresça e Evolua Rápido

Com uma agência de inbound marketing, focada em resultados, o foco será em crescer e obter melhores resultados, evoluindo o negócio. Com uma equipe interna a empresa corre o risco de no momento de expansão, alguns fatores impedirem a evolução, como por exemplo: dificuldades em encontrar profissionais qualificados, alto investimento para manter uma equipe multidisciplinar, perder estes profissionais, precisar de mão de obra para lançamento específico, fazer um investimento em equipe que não faz parte do negócio da empresa, etc…

O marketing digital está evoluindo e as empresas que aprenderem e rápido como gerar resultados neste ambiente terão vantagem em relação ao seu mercado.

Para Concluir

A contratação de uma agência digital com foco em resultados, faz sentido no momento em que há uma visão de que o a aplicação do marketing digital com performance, irá contribuir com o aumento do sucesso do seu negócio no médio e longo prazo.

 

– Erick Iucksh é co-fundador da Next Idea, agência de Inbound Marketing. Profissional de marketing digital, apaixonado por métricas e resultados digitais. Pai do Miguel e marido da Raquel 🙂
Canonical Tag: O que é, como funciona e quando usá-la

Canonical Tag: O que é, como funciona e quando usá-la

A busca pelo topo das páginas de busca do Google, Bing, Yahoo! e tantos outros buscadores é o principal objetivo da maioria das empresas presentes na internet. E o motivo é muito simples: o alcance a novos consumidores a partir dessas páginas, de maneira gratuita e orgânica, impacta diretamente no número de vendas.

Mas estar no topo é uma tarefa complexa, reservada a aqueles que entendem a importância de se investir em conteúdo, otimização de sites e SEO. Para piorar, com atualizações dos algoritmos de ranking todos os anos, as regras estão sempre mudando. O Google, por exemplo, atualiza seu algoritmo todo tempo, implementando melhorias em prol de oferecer um serviço melhor.

Dessa forma é fundamental que você reconheça o que é importante para o seu site estar bem rankeado. Entre as principais técnicas está a canonical TAG, assunto que exploraremos nos próximos parágrafos. Acompanhe.

O que é canonical TAG

Considerada a maior revolução desde a implementação dos sitemaps, a canonical tag surgiu nos motores de busca ainda em 2009 e de lá para cá serve, basicamente, para evitar que conteúdo duplicado seja indexado pelos algoritmos.

Os algoritmos de busca não gostam de conteúdo duplicado porque eles induzem o mecanismo a pensar que o site tem um tráfego e uma relevância maior do que a realidade. Isso é muito comum de acontecer em fóruns, sites com versões mobile ou então páginas com versões para impressão. Indicar ao Google ou a qualquer outro buscador que muitas das suas páginas possuem conteúdo idêntico e referenciar a página de origem é chamado de “canonicidade”.

A função da canonical TAG, neste contexto, é servir de marcação para que os algoritmos entendam que aquela página é uma réplica de outra e não a indexem da mesma maneira.

Como ela funciona

Em essência, você utiliza a canonical TAG da mesma forma que um redirecionamento 301, em que você indica para o algoritmo ir para outra página. Porém, a canonical TAG funciona apenas para motores de busca, permitindo que você leve visitantes para aquela página.

Seguindo o exemplo que citamos anteriormente, de páginas com versão para a impressão: com a canonical TAG você não permite que aquela página seja indexada, mas permite que o usuário a acesse. Se você utilizar um redirecionamento 301, não permitirá acesso nem de um, nem de outro.

Dessa forma, a canonical TAG funciona como uma maneira de otimizar seu SEO sem prejudicar a experiência de uso dos seus visitantes.

Onde, quando e como usá-la

Quando os motores de busca não identificam qual das versões do seu conteúdo precisa ser incluída ou excluída da indexação ou quando não sabem para qual página devem guiar métricas como confiança e autoridade, costumam reduzir sua relevância no ranking.

Assim, você deve usar canonical TAG toda vez que seu site criar múltiplas versões de um mesmo conteúdo, como nas páginas de impressão ou mesmo em páginas em que apenas alguns parâmetros de URL são alterados.

Por exemplo:

Sua página principal poderá ser acessada por algumas URLs diferentes, como:

  • www.minhaempresa.com
  • minhaempresa.com
  • www.minhaempresa.com/
  • minhaempresa.com/index
  • www.minhaempresa.com/index
  • minhaempresa.com/home.aspx

Cada uma dessas representará um conteúdo duplicado (pois todas apresentarão a mesma página). Porém ao usar a canonical tag, você irá evitar que os mecanismos de busca vejam elas como conteúdo duplicado e repassarão toda a autoridade e reconhecimento para um link único.

12786601295_dab29de6c9_z

Como funciona a Canonical Tag

Canonical tag: sua aplicação na prática

Primeiramente é definido o domínio canônico, ou seja, o site de busca (Google, Bing, Yahoo…) será informado que determinada URL será a preferencial para indexação de página ao seu site, lembrando que é preciso escolher entre a versão com ou sem o www, e então, ao ser indexado, esse domínio será usado nos resultados de busca e também para rastreamentos futuros da página e suas atualizações.

Sua aplicação é bastante simples, basta utilizarmos as referências “rel” e “href”. Vamos supor que a URL preferencial seja a “www.minhaempresa.com/institucional”, portanto, para que isso seja indicado aos robots dos mecanismos de busca, você deverá adicionar um elemento <link> à seção head das páginas.

<link rel=”canonical” href=”www.minhaempresa.com/institucional” />

Quando ocorre essa ativação, é certo que a maioria dos usuários irão se deparar com essa URL a cada resultado de pesquisa em que a página aparecer.

Aplicação em páginas que disponibilizem documentos

Suponhamos que uma página de seu site disponibilize um ebook no formado PDF, chamado “Revista Semanal Ed.1”; será necessário adicionar uma URL canônica para que não haja duplicações e o documento possa ser acessado através de diversos endereços.

Para que o link preferencial seja “www.minhaempresa.com/downloads/revista-semanal-1”, o procedimento será o seguinte:

Link = <http://www.minhaempresa.com/downloads/revista-semanal-1>; rel=”canonical”

A importância de utilizar o Redirect 301

Essa prática garantirá que o tráfego, assim como os próprios mecanismos de busca, sejam direcionados ao destino correto. O código 301 fará com que esses mecanismos entendam que a página foi movida para outro local, ao invés de detectá-la como páginas duplicadas.

Também recomenda-se a utilização do redirecionamento 301 quando se tem o objetivo de redirecionar os visitantes de um domínio para outro, o que pode acontecer quando uma empresa muda de nome e, com intenção de preservar ao máximo seus clientes e seguidores, procura fazê-los se acostumarem com as mudanças ao invés de migrar completamente.

Neste caso, é preciso certificar-se de que cada uma das antigas URLs direcionem para o novo domínio, nas respectivas páginas onde se encontra cada ‘nova versão’ do conteúdo. Alguns outros pontos importantes devem ser levados em questão:

  • Mantenha o Google sempre informado das alterações. Ou seja, caso migre para um domínio novo, faça a alteração de endereço nas configurações do site através das Ferramentas do Google para Webmasters .
  • Garanta que o novo domínio venha a ser rastreado pelo Googlebot.
  • Certifique-se de que as URLs antigas não estão bloqueadas, pois, caso estejam, isso impossibilitará o redirecionamento.
  • Fique atento para saber se os visitantes estão se deparando com o erro 404, embora o ideal seja evitar que o problema ocorra. Uma dica que temos para ajudar nessa tarefa é que você faça os testes por conta própria, elaborando uma lista de todas as URLs e acessando as mesmas através do Quick URL Opener. Ao detectar as URLs que apresentam erro, procure corrigir o problema o quanto antes!

URLs canônicas nas redes sociais

É bom esclarecermos uma peculiaridade das redes sociais quando utilizamos o “rel=canonical”: quando uma URL do Twitter ou do Facebook é compartilhada, e um botão de ‘like’ é adicionado, a contagem de likes será exibida somente na URL canônica, ou seja, se o usuário estiver em alguma URL que faça referência à uma canônica, a ação do usuário não será ativada na página atual.

Kit Marketing nas Redes Sociais

Alguns erros comuns a serem evitados

Quando as canonical tags começam a ser aplicadas por quem não possui experiência, é muito fácil cair numa série de equívocos que podem destruir o tráfego completamente. Portanto, é imprescindível que se obtenha o máximo de informações possíveis antes de agir, de preferência seguindo as recomendações dos próprios sites de busca que aderem à essas tags ou verdadeiros especialistas no assunto, no caso, os experientes Webmasters.

Mas para evitar que você corra alguns riscos, confira abaixo alguns erros que podem ser evitados logo de início, garantindo uma boa experiência com as caconical tags logo de início.

1. Não entender que as canonical tags existem por um único propósito

Boa parte dos problemas registrados pelos iniciantes ocorrem por esquecerem de um grande detalhe: a estratégia só serve para evitar conteúdos duplicados e nada mais!

Tendo isso bem esclarecido em mente, evite aplicar caconical tags para qualquer outra finalidade que não seja a de solucionar problemas de conteúdo duplicado, pois as chances de gerar novos problemas são muito grandes.

2. Aplicar o rel=canonical em locais errados

Para que a técnica funcione é necessário que o rel=canonical esteja localizado na seção <head>, do contrário, como quando o código é inserido na seção <body>, os mecanismos de busca simplesmente ignoram a referência. Além de inutilizar a técnica, isso pode comprometer a estrutura HTML da página.

3. Não verificar cuidadosamente o código-fonte

Mais comum que criar modelos de código prontos para declarar o rel=canonical, com a finalidade de agilizar o trabalho, é ainda mais comum copiá-lo sem fazer as devidas alterações no link de destino. É como redirecionar o usuário a uma página errada, colocando em xeque a reputação do site como um todo.

A utilização de plugins de SEO também podem protagonizar problemas da mesma natureza, como a inclusão de duas ou mais declarações de canonical em um mesmo código fonte, e, assim como nos casos onde a referência está fora da seção head, os motores de busca também vão ignorar sua aplicação.

4. Utilizar canonical tags em páginas não-duplicadas

Como explicado no primeiro erro comum, a técnica só deve ser aplicada em conteúdos duplicados. Um exemplo que vem se tornando clássico é o da utilização de canonical em artigos que se estendem por outras páginas, fazendo com que todas as páginas tenham como referência a primeira.

Dessa forma, todo o conteúdo das páginas posteriores à primeira será perdido justamente por não se tratar de duplicidade. Neste caso, recomenda-se usar canonical tag para que se tenha a visualização integral de todo o conteúdo (todas as páginas).

O que você achou do nosso artigo? Gostou do tema e deseja se aprofundar ainda mais para aplicar em seu site? Para isso recomendamos que acesse as nossas 15 dicas valiosas para criar URLs bem estruturadas. Aproveite bem os conteúdos, afinal, nós os fizemos pensando em você!

Otimizar sua página para que ela seja melhor rankeada pelo Google certamente se tornará um dos principais canais de marketing da sua empresa. Assim, é fundamental que você esteja atualizado sobre as melhores práticas de SEO. Se você ficou em dúvida ou não sabe como utilizar as canonical TAGs, entre em contato com nosso time a partir dos comentários abaixo. Podemos ajudá-lo!

o que é seo

O que fazer se ninguém está vendo seu conteúdo? 2

O que fazer se ninguém está vendo seu conteúdo?

Se você ler nosso blog verá que batemos insistentemente na tecla de que você precisa produzir conteúdo de alta qualidade. Sim, PRECISA. E por alta qualidade, nós realmente queremos dizer as coisas boas. Não aqueles textos copiados, mal escritos, sobre temas irrelevantes. Nós estamos nos referindo a algo que as pessoas queiram ler (ou escutar, ou assistir). Estamos falando de conteúdo fresco, relevante, útil para sua audiência, que acrescentará algo a vida deles.

Então, se você produzir esse tipo de conteúdo (ou contratar alguém para fazer ele para você), está tudo certo, não é? Bem, a resposta é não.

Em algum momento, nós dissemos que conteúdo de qualidade se promove sozinho? Que se seu conteúdo for bom o suficiente, duendes mágicos do Google irão encontrá-lo e levá-lo para todas as pesquisas de sua adorável audiência? É possível, mas muito pouco provável.

Criar conteúdo que chama a atenção é vital, mas não é o único passo. Após você estar muito confiante que o material que você está produzindo é bom, você tem que se preparar e ir para guerra. (Com guerra, eu quero dizer: promova seu conteúdo.)

Uma vez que a qualidade dos seus textos, vídeos, podcasts e o que for que você estiver produzindo estiver assegurada, é nesse próximos passos que você deve focar e trabalhar:

Número 1: Construa sua rede de contatos

Ontem, hoje, amanhã, na próxima semana, todo o tempo você precisa estar construindo sua rede de contatos na Internet. Esses contatos serão blogueiros, jornalistas, usuários influentes de redes sociais e outras pessoas que tem contato com a audiência que você procura. (E você achava que aquela sub-celebridade com 1 milhão de seguidores no Twitter nunca poderia te ajudar).

A grande dica para expandir sua rede de contatos e se conectar com pessoas influentes?

(São duas na verdade.)

1. Faça algo grandioso.

2. Seja uma pessoa legal.

Você precisa fazer algo (como criar um conteúdo fantástico) que valha a pena prestar atenção. E você precisar ser o tipo de pessoa que os outros gostem de conviver.

Entretanto, não tente cultivar seu relacionamento somente com os gigantes. Esses serão ótimos relacionamentos, mas você também quer expandir sua network para pessoas que tem audiências perto do tamanho da sua. Pense como um grupo. À medida que os sites crescerem, vocês serão capazes de apoiar e encorajar um ao outro.

Fazer contatos não é ficar puxando saco de pessoas que você não gosta.  Fazer contatos é cultivar relacionamentos com pessoas que são apaixonadas pelas mesmas coisas que você. Gaste seu tempo com pessoas que você respeita e gosta.

Número 2: Faça tudo compartilhável

À medida que você for construindo sua rede de contatos e criando conteúdo épico, lembre de fazer com que seja fácil de compartilhar seu trabalho.

Faça um estudo de conteúdos que são muito compartilhados nos seus sites favoritos. Você será capaz de desenhar um modelo similar para o seu material. Mas não se limite a elementos superficiais – como chamadas no estilo de jornais tablóide (Mulher troca filhos por churrasco!) – e sim, tente fazer com que a experiência de ter contato com seu texto faça com que sua audiência queira compartilhá-lo.

Número 3: Copiar não leva à vitória!

Você nunca será capaz de realmente promover conteúdo em que você sempre copia uma argumentação e concorda com ela. Mesmo se você fizer um texto bem escrito. Mesmo se você colocar bons títulos. Seu conteúdo PRECISA ter uma voz única. Ele PRECISA de um ponto de vista. Você precisa se posicionar e desenvolver seu próprios argumentos. Você precisa de algo como uma impressão digital – algo sobre você, o jeito como você argumenta, suas ideais e seu conteúdo que ninguém mais tem.

Não importa o tema que você está discutindo, sempre existe uma forma de se diferenciar (e consequentemente, se destacar). Você não quer ser mais um na manada. Pode levar tempo, gastar muitas células cerebrais e palavras escritas. Mas sempre tem um jeito.

Existem muito mais coisas que você pode fazer para que seu conteúdo épico e original seja visto por milhares de pessoas. Você pode começar lendo esse post. E fique sempre ligado em nosso blog pois traremos mais dicas para você divulgar todo esse conteúdo excelente que você está produzindo.

9 dicas para obter excelentes resultados em pós-venda na era digital

9 dicas para obter excelentes resultados em pós-venda na era digital

A etapa pós-venda é justamente o passo de vendas que mais permite o aprendizado contínuo. Pós-venda é, por definição, “feedback”, ou seja, um processo em que o cliente nos conta como foi sua experiência. É o momento para fidelizá-lo e informá-lo, na prática, que a compra foi apenas o início de uma grande parceria.

Atualmente, percebemos que muitas empresas ainda são confusas em relação ao pós-venda. Além de criar o vínculo com seu cliente, você o conhecerá melhor: verificará suas necessidades, dificuldades, preferências e habilidades. Se envolverá em seu universo para ter a quantidade máxima de informações e conhecê-lo profundamente. Após a venda inicial, vocês já terão uma certa intimidade e você conseguirá observar se gostou ou não pelo olhar ou movimentos do corpo, você saberá mais como é a sua personalidade (e posteriormente usar este conhecimento para oferecer um novo produto ou fazer uma campanha específica), se ele é mais reservado ou descontraído, se faz o estilo moderno ou não… Esta etapa é importante para sua empresa, para o cliente e, principalmente, para agregar mais valor institucional e diferenciar sua empresa de seus concorrentes. Apesar da importância desse momento, ainda são poucas as empresas que tem o pós-venda como referência em atendimento próximo.

É fato que as informações das empresas (positivas ou não) estão disponíveis para o público, e este, como formador de opinião, adora expor sua avaliação sobre seus serviços, como foi o atendimento, rapidez, qualidade nos produtos, etc. Agora, é fundamental a empresa estar preparada para responder a estas questões e dialogar com clareza e proximidade. É preciso resolver o problema ou pelo menos dar a atenção necessária que o individuo procura.

Não existe roteiro para um bom pós-venda. Mas, abaixo, elenco 9 dicas essenciais para fazer desta etapa, o vínculo perfeito entre você e seu parceiro de negócios:

  1. Bom atendimento, SEMPRE. Se você está com volume de trabalho excessivo ou o dia não está dos melhores, o último culpado é aquele que ajuda a sustentar a empresa que você trabalha. Mesmo online, é teu dever dar a atenção necessária para criar um bom relacionamento com o cliente. Deixe claro na conversa que se preocupa com ele, que dará a solução que ele precisa em determinado tempo e antes de finalizar a conversa enfatize os canais de comunicação que o cliente tem para tirar dúvidas com a empresa. Seja o mais próximo possível.
  2. Resposta rápida. Agilidade tem mais prioridade no pós-venda, ainda mais na plataforma online, onde a informação chega rápido e é compartilhada com mais rapidez. Mais da metade das reclamações no Procon poderiam ser evitadas se as empresas fossem mais ágeis, tanto na comunicação externa com os clientes quanto na ligeireza entre departamentos para resolver a questão do cliente. Se não puder solucionar o problema em instantes, deixe claro que entrarão em contato em “x” dias. Assim, ele saberá quando terá a resolução de seu problema e ficará mais satisfeito. Importante: se disser que o seu gap será resolvido em 2 dias, por favor, cumpra o prazo!
  3. O cliente merece um “campeão interno”. A ideia aqui é que exista uma pessoa responsável para resolver os problemas, sem ficar passando a ligação para outro responsável. Toda empresa precisa definir este profissional para adquirir mais confiança, comprometimento e fidelidade com seus clientes.
  4. Resposta personalizada. Um e-mail automático ou uma secretária eletrônica podem ser utilizados apenas para informar o prazo que a empresa entrará em contato. Diariamente recebemos mensagens “robotizadas”, que faz com que o vínculo cliente x empresa seja muito frio. Se for enviar um e-mail, personalize-o para a pessoa, enfatize o quanto é importante o estreitamento do relacionamento de vocês e ofereça o apoio que precisa. Se puder telefonar, melhor ainda! Nesta época de informatização que vivemos, ligações são vistas com bons olhos por todos.
  5. Saber ouvir e ser compreendido. Uma pessoa que reclama quer ser amparada, ouvida e compreendida. Isso é 90% do caminho e gera a empatia necessária para tê-la como parceiro a longo prazo. Não fique somente no digital. Aproveite esta proximidade e visite pessoalmente seu cliente de vez em quando. Ponto positivo para sua empresa.
  6. Promessas e prazos cumpridos. O verdadeiro problema das empresas é a perda de clientes e não conquista de novos. Empresas que prometem – e cumprem – têm níveis de satisfação e recompra muito mais altos. Estes níveis são ainda mais elevados quando a experiência de compra online foi bem sucedida. Por isso, invista em campanhas de fidelização dos clientes atuais em vez de focar 100% na busca de novos. Ofereça um brinde, envie um e-mail de agradecimento pela parceria, convide-o para um almoço ou um café. Os clientes agradecem.
  7. O cliente não merece (nem quer saber) dos problemas internos. Outra epidemia: colaboradores falando mal dos outros departamentos. Todo mundo perde com isso. Todas as empresas têm problemas, mas jamais os exponha para os clientes. Na frente deles, seja sempre profissional, educado, cortês e lembre-se quem você representa. Em tempos de comunicação constante em redes sociais, sua opinião pode vazar e não ser bem vista pelos outros clientes, mercado e concorrência.
  8. Problemas resolvidos de primeira. Muitas empresas “enrolam” os clientes para conseguir mais tempo, energia ou dinheiro. A maneira mais inteligente de lidar com reclamações é com agilidade: na recepção da informação, em fazer o cliente sentir-se amparado e compreendido, e principalmente na resolução do problema. Se o abacaxi for realmente difícil, verifique com sua equipe o prazo para entrega da solução e avise imediatamente o cliente. É fundamental a agilidade no feedback, mesmo sem a solução completa.
  9. Comunique-se. Envie um e-mail esporadicamente perguntando se necessita de algo, dê um telefonema inesperado, envie um cartão personalizado, faça um post em agradecimento a parceria de vocês e publique em suas redes sociais. Surpreenda aquele que é a essência de sua empresa; aquele que ajuda nas contas e faz da sua empresa um empreendimento diferente e único.

 

(Tatiana L. Apolinário é publicitária e pós graduada em marketing. Atualmente, é coordenadora/redatora da Momento Marketing e trabalha como redatora freelancer. E-mail: tati_apolinario@yahoo.com.br – blog pessoal: taticomunica.wordpress.com)

[Material Gratuito] Glossário do Marketing de Conteúdo

[Material Gratuito] Glossário do Marketing de Conteúdo

Ao começar a traçar sua estratégia de marketing de conteúdo, você deve ter se deparado com alguns termos que não conhecia, certo?

MQLs? SQLs? Leads? Inbound marketing? Você sabe o que são todos eles? Conhece cada um e sabe aonde eles são aplicados? Como eles influenciam em sua estratégia?

Pensando nisso, nós desenvolvemos o ABC do Marketing de Conteúdo, um glossário com todos os termos que você precisa saber!

Gostou?

baixeagora

Marketing e vendas precisam trabalhar juntos! Veja como fazer isso acontecer. 2

Marketing e vendas precisam trabalhar juntos! Veja como fazer isso acontecer.

Para alcançar os melhores resultados possíveis, times de vendas e de marketing devem sempre trabalhar juntos. A troca de informações e experiências entre os dois setores será muito positiva e ajudará na produtividade de ambos. Mas como fazer o alinhamento entre marketing e vendas? Neste post iremos mostrar 5 maneiras que seu time de vendas e de marketing podem trabalhar juntos e obter melhores resultados.

1. Criar conteúdo para todos os estágios do funil de vendas

Um consumidor procura informações do momento que ele descobre ter um problema até o momento que ele acha a solução correta. Então, você precisa ajudá-lo ao longo do caminho, pois se você não o fizer, seus competidores farão.

O conteúdo que você irá oferecer e sugerir para seus prospectos devem estar de acordo com o momento que ele se encontra no funil de vendas. Um consumidor que está nas primeiras fases, entendendo o problema, não irá entender um material muito específico e definitivamente não está preparado para falar com um consumidor. Então, coloque posts de blog e vídeos, por exemplo, com temais mais simples e básicos.

Diversas empresas já tem esse conteúdo produzido e disponível. O trabalho, então, seria separar esse conteúdo e classificá-lo de acordo com cada fase do funil, para que sempre disponibilize o material certo para cada prospecto.

(Se você quer saber mais sobre o funil de vendas e suas fases, leia esse ebook!)

2. Desenvolver as personas de marketing

Você precisa conhecer seus público-alvo como a palma da sua mão. É extremamente necessário conhecer cada um dos seus possíveis problemas e desejos, para que o conteúdo que você disponibilizará acerte em cheio.

Seu time de vendas saberá identificar e descrever esses prospectos, pois estão em contato direto com eles diariamente. Eles conhecem os argumentos que levam os consumidores a comprarem e podem te oferecer valiosas informações sobre o que está faltando em sua estratégia de marketing.

Nós desenvolvemos um modelo de personas para usarmos aqui na Rock Content e colocamos a disposição para caso você queira baixá-lo! Só clicar aqui!

(Se não sabe bem o que são personas ou quer ler um pouco mais sobre o assunto, veja esse post.)

3. Escrever artigos para nutrir suas leads

Seu time de vendas sabe o tipo de informação que seu cliente está procurando e seu time de marketing precisa trabalhar para produzir exatamente isso. Com esse conteúdo, você poderá montar uma nutrição de leads eficiente e otimizar a atuação de seus vendedores.

Peça ao seu time de vendas para listar quais são as maiores dúvidas que seus clientes tem e fazer uma relação de pautas para ser inserida no calendário editorial. Isso também ajudará seu time de marketing a sempre ter ideias para novos posts.

Veja estes artigos produzidos por membros do nosso time comercial:

(Se quiser saber mais o que é e como estruturar uma nutrição de leads, dê uma olhadinha nesse post.)

4. Se diferenciar dos seus competidores

Quando um dos seus vendedores disser que não conseguiu fechar uma venda porque os competidores ofereçam mais informações ou conteúdo melhor, você tem que enxergar uma oportunidade. Saber o que seus competidores estão oferecendo pode ajudar muito seu time de marketing a desenvolver materiais superiores. Ou seja, seu time de vendas deve repaasar todas as informações que clientes e prospectos fornecerem para que seu time de marketing se prepare para superá-los.

5. Medir o sucesso do seu conteúdo através das vendas

A melhor maneira de ter certeza que seu conteúdo está entregando leads de qualidade para o time de vendas é mensurado tudo. Ao saber de onde as leads estão vindo, como e quantas vezes elas interagiram com seu conteúdo e quando elas se tornaram um cliente, você poderá afinar sua estratégia e melhorar cada vez mais. Fazer isso pode tornar seu negócio muito mais lucrativo.

Então, você acha que o alinhamento entre o time de marketing e de vendas pode ser vantajoso para sua empresa?