Por Camila Casarotto

Redatora Freelancer da Rock Content

Publicado em 17 de janeiro de 2020. | Atualizado em 31 de março de 2020


Como será o SEO em 2020? O Google está sempre se atualizando, a tecnologia não para de evoluir e o mercado se torna cada vez mais maduro para acompanhar as mudanças. Então, chegou a hora de saber o que deve marcar as estratégias de otimização no próximo ano.

O SEO não para.

Se você quer se manter em dia com as novidades do marketing de busca, precisa conhecer as tendências que vão marcar o SEO em 2020, impulsionadas pelas atualizações do Google, pelas mudanças de tecnologia e de comportamento dos usuários e pela evolução do próprio mercado.

Neste artigo, vamos analisar o que é mais importante para as suas estratégias de otimização no próximo ano, de maneira que o seu site conquiste o topo das buscas!

Quer entender como fazer isso? Então, saiba agora as principais tendências de SEO em 2020!

1. Otimize o site com os fatores E-A-T

A compreensão do Google sobre o que é um site de qualidade, que mereça estar entre os primeiros lugares da busca, muda ao longo dos anos.

Nos primórdios do sistema de busca, o que valia era a quantidade de backlinks que a página recebia e a correspondência de palavras-chave.

Depois, passou a contar também a qualidade do conteúdo da página. Mais tarde, valia também a qualidade dos sites que linkavam para aquela página.

Hoje, o Google deixa claro o que é essencial para determinar a qualidade do conteúdo de uma página. O buscador considera três importantes fatores para avaliar se as páginas merecem aparecer bem posicionadas nos resultados da busca:

  • Expertise (nível de conhecimento);
  • Authoritativeness (autoridade);
  • Trustworthiness (confiabilidade).

Essas palavras compõem os fatores E-A-T, que são apresentados pelo Google no Search Quality Evaluator Guidelines.

Esse documento mostra as diretrizes do algoritmo para as pessoas que avaliam manualmente a qualidade dos resultados que o buscador oferece. O E-A-T aparece assim nesse documento:

EAT Google

Acredita-se que esses fatores não são critérios de rankeamento do algoritmo. Porém, evidenciam o que o Google considera importante para fazer a classificação das páginas. E, por isso, merece toda a sua atenção nas estratégias de conteúdo e SEO.

Mas vamos esclarecer: os fatores E-A-T já são adotados pelo Google há anos. Porém, parece que o buscador está cada vez atento a esses critérios na classificação dos sites.

E, por isso, a sigla é cada vez mais utilizada como norteadora pelos profissionais de SEO.

Portanto, entenda que as suas páginas devem ter conteúdos criados por quem entende do assunto (expertise), ser uma referência no mercado (autoridade) e ter a confiança do público (confiabilidade).

Esse deve ser o seu foco para que o Google perceba a qualidade das suas páginas. Mas como fazer isso na prática? Veja algumas dicas:

Seja um expert no seu campo de atuação

Ou, se você não for, contrate ou faça parcerias com quem seja especialista no assunto.

O Google quer priorizar páginas com conteúdo especializado, de maneira que ofereça a resposta mais precisa, atualizada e confiável para o que o usuário busca.

Sites da área médica, por exemplo, precisam ser escritos por médicos ou administrados por instituições reconhecidas na área.

Seja transparente sobre a autoria e a propriedade do site

O Google quer saber quem foi responsável pelos conteúdos. Portanto, tenha uma página “sobre nós” completa, informações de contato fáceis de achar, políticas de privacidade, termos de serviço e assinatura de autor nos artigos do blog.

Isso ajuda o buscador a entender se pode confiar no seu site.

quem somos, do comunidade rock content

Seja citado por outros sites com bom E-A-T

Aqui entra o link building: para que o buscador entenda a sua autoridade no mercado, você precisa ser referenciado por outros sites que também tenham qualidade e autoridade.

No último ano, o Google publicou atualizações nas suas diretrizes que demonstram uma preocupação ainda maior com os fatores E-A-T para os sites YMYL.

Esse tipo de página — geralmente das áreas médica, jurídica ou financeira — traz informações que fazem as pessoas tomarem decisões importantes para a sua vida.

Se você trabalha com esse tipo de site, E-A-T é ainda mais importante. Afinal, o Google precisa confiar que o seu conteúdo não vai colocar as pessoas em risco. Isso é uma grande preocupação do buscador.

2. Pense na experiência de busca além do site

A missão do Google é oferecer, da maneira mais rápida e precisa, a melhor resposta para o que o usuário busca.

Pode ser difícil aceitar, mas o buscador não está preocupado com a geração de tráfego para o seu site: o foco do Google é a experiência do usuário, independentemente se ele vai visitar o seu site ou não.

Não é por acaso que, ano após ano, a página de resultados da busca se torna mais rica em informações.

Muitas vezes, o usuário sequer precisa acessar os sites para obter a informação que busca. E ali mesmo podem estar informações estratégicas para o seu negócio.

Knowledge graph, featured snippets, rich answers e a seção “as pessoas também perguntam”, por exemplo, trazem respostas prontas para o usuário antes de ele clicar em qualquer link.

Veja, por exemplo, esta pesquisa no Google, que apresenta uma rich answer (a idade da rainha) e o knowledge graph (o painel de informações ao lado dos resultados):

rich answer e o knowledge graph da rainha elizabeth

O impacto disso já está sendo percebido. Um estudo de Rand Fishkin, referência mundial em SEO, mostra que o número de buscas sem clique está aumentando desde 2015, especialmente nas pesquisas mobile.

No desktop, elas subiram de 28,43% para 34,28% em 2018, enquanto nos dispositivos móveis saltou de 33,41% para 61,03%.

Se as respostas que o usuário busca não estão apenas no seu site, tampouco se limitam à SERP.

Existem também inúmeras informações sobre a sua empresa em sites e aplicativos de terceiros, como sites de avaliações, portais de notícias, diretórios de empresas e redes sociais.

E qual será o efeito disso para o SEO em 2020? Gerar tráfego pode não ser mais seu grande objetivo de SEO.

É preciso ter um olhar mais amplo para a experiência de busca dos usuários, que pode nem chegar até o seu site, mas, ainda assim, gerar resultados para o seu negócio.

Sabemos que a otimização sempre focou nas páginas do próprio site, a fim de gerar tráfego, que possivelmente seria convertido em vendas ou leads.

Porém, essa conversão não precisa acontecer necessariamente no seu site — ela está migrando para outros locais, como a própria página de resultados ou sites e aplicativos de terceiros.

Não estamos querendo dizer que você deve deixar seu site de lado, ok? A preocupação com o conteúdo e a experiência de navegação nas suas páginas deve ser uma das prioridades, porque site e blog continuam sendo ferramentas essenciais do Marketing Digital.

Mas você também deve olhar com atenção para o que as informações sobre o seu negócio fora dali. Muitos profissionais chamam essa tendência de On SERP SEO, cuja intenção é dominar a página de resultados da busca, mesmo que ela não direcione sempre para o site.

Então, comece pelo Google Meu Negócio (sobre o qual vamos falar mais a seguir), insira seus dados e gerencie as informações por lá.

Experimente também fazer uma busca pela sua marca no Google e ver quais outros sites informam sobre o seu negócio. Se houver avaliações de clientes, procure interagir com eles e responder suas dúvidas.

Se houver dados em diretórios de empresas, confira se eles estão corretos e completos. Se houver informações em portais de notícias, você pode fazer um trabalho de assessoria de imprensa para conseguir links para o seu site nas citações ou gerar novas notícias sobre a sua empresa. 

Mais adiante, vamos falar também sobre como otimizar suas páginas para os featured snippets — o “resultado zero” do Google —, de maneira que a resposta pronta no topo dos resultados seja extraída do seu site.

3. Gerencie sua empresa no Google Meu Negócio

A sua empresa já está no Google Meu Negócio? Se ainda não, chegou a hora de colocar essa meta nas suas estratégias de SEO em 2020.

O Google Meu Negócio já existe desde 2014. Porém, essa vertical do Google está se tornando cada vez mais importante para o buscador.

Como já falamos, o Google está dedicando seus esforços para trazer as respostas que os usuários querem da forma mais prática e rápida possível.

E o Google Meu Negócio faz isto: a pessoa não precisa nem sair da página de busca para encontrar uma série de informações relevantes, como horário de atendimento, telefone, endereço, orientações de acesso, avaliações dos usuários, perguntas e respostas, fotos e muitos outros dados.

Para determinados tipos de negócios, há ainda outras possibilidades, como menus para restaurantes, reserva de hospedagens e divulgação de eventos para locais culturais.

Para proporcionar uma experiência cada vez melhor para o usuário, o buscador vem investindo frequentemente em melhorias nesse recurso.

Em 2019, passou a permitir a criação de ofertas de boas-vindas como recompensa para quem começar a acompanhar o negócio no Google.

boas-vindas do google meu negócio

Outra novidade é a criação de URLs amigáveis para as páginas do Google Meu Negócio, o que facilita a divulgação.

Por falar em divulgação, o Google lançou uma novidade aos moldes de outros concorrentes, como TripAdvisor e Yelp: a possibilidade de criar materiais de marketing, como cartazes, adesivos e cards para redes sociais, para divulgar a página do Google Meu Negócio.

Neste site, é possível personalizar e baixar todos os materiais.

Como dissemos, as estratégias de SEO não precisam mais focar em gerar tráfego para o site. Provavelmente, ao dedicar seus esforços para o Google Meu Negócio, provavelmente você não vai atrair tantos visitantes para o site, porque eles já vão encontrar as respostas nos resultados da busca.

Mas pense que mais pessoas vão saber como chegar ao seu negócio, comprar ingressos para os seus eventos, reservar quartos na sua hospedagem e pedir pratos pela telentrega.

E isso tudo representa resultados efetivos para o seu negócio.

4. Otimize seu site para featured snippets

Os featured snippets estão cada vez mais inteligentes. O Google entende que esse recurso é valioso para o usuário, já que oferece rapidamente a resposta que ele quer. Por isso, está dedicando esforços para que essas respostas sejam cada vez melhores.

Antes de qualquer coisa, você sabe do que estamos falando?

Um featured snippet é considerado o “resultado zero” do Google, já que aparece acima dos links orgânicos da SERP.

Veja, por exemplo, o featured snippet que aparece ao buscar por “cotação dólar turismo”:

snippet para dólar turismo hoje

Perceba que o Google extrai da página o trecho de conteúdo que melhor responde a busca do usuário e ainda oferece um link para esse site.

Como dissemos, o buscador não está tão preocupado quanto você em gerar tráfego para o seu site — o que importa é entregar a resposta ao usuário. Mas é claro que você gostaria de receber mais visitantes, não é?

Por isso, vale a pena otimizar o seu site para que essa respostas pronta, quando corresponder às suas palavras-chave, seja extraída da sua página. Assim, você aparece no “resultado zero” do Google, recebe mais visibilidade e tráfego e ainda mostra ao público que você é referência naquele assunto.

Como os featured snippets tendem a se tornar mais comuns nos próximos anos, as suas estratégias de SEO em 2020 devem incluí-los.

Para isso, é preciso entender os tipos de featured snippets que o Google geralmente usa:

Parágrafos

snippet de parágrafo

Tabelas

snippet de tabela

Listas

snippet de lista

Listas numeradas

snippet lista numerada

Então, formate seus conteúdos pensando nesses tipos de featured snippets. Para aparecer em listas, por exemplo, organize o texto para que cada item da lista seja uma heading tag (H2 ou H3), de maneira que o Google escaneie facilmente o seu conteúdo.

Outro exemplo interessante é o que a HubSpot faz. Em muitos artigos do blog, a empresa adiciona boxes que explicam conceitos básicos no formato “o que é …?”.

Assim, fica mais fácil para o Google extrair daquela página uma resposta pronta em forma de parágrafo.

site hubspot

Além disso, é importante saber: de acordo com estudo da Ahrefs, 99,58% dos featured snippets são retirados de URLs rankeadas na primeira página de resultados.

Portanto, vale a pena verificar quais palavras-chave já colocam o seu site nos top 10 e focar na otimização dessas páginas.

Elas representam as melhores oportunidades para posicionar seu site no “resultado zero” do Google.

5. Prepare-se para as buscas visuais

Desde o surgimento da televisão e, mais tarde, com a popularização da internet, as imagens tomaram conta da comunicação. Hoje, é só abrir um site, o Instagram, o Facebook ou o YouTube para perceber que a informação visual está se tornando primordial em relação à textual.

Mas por que isso acontece? Sem tempo a perder, as pessoas buscam conteúdos de consumo fácil e rápido. E você sabia que o cérebro humano pode identificar imagens em míseros 13 milissegundos? Enquanto isso, os textos exigem um tempo de processamento bem maior.

Se o mundo está se tornando cada vez mais visual, o buscador acompanha a tendência. Ao longo dos últimos anos, os resultados da busca deixaram de ser apenas textuais.

O Google Imagens, a integração com o YouTube e a evolução da tecnologia para compreender imagens passaram a permitir que elas aparecessem na SERP.

O avanço das tecnologias de realidade aumentada e inteligência artificial também permitiram que o Google oferecesse um novo recurso: o Google Lens.

Lançada em 2017, essa ferramenta foi criada para que os usuários possam escanear qualquer coisa ao seu redor com a câmera do celular e encontrar mais informações sobre ela.

Quer um exemplo? Digamos que você tenha gostado de um tênis que viu na rua. Então, você pode tirar uma foto dele e saber onde encontrá-lo à venda na internet.

Em 2019, o Google anunciou novidades para a busca visual e o Google Lens. Um dos anúncios foi a possibilidade de visualizar objetos 3D na pesquisa e inseri-los no cenário que o usuário quiser.

Veja esse exemplo de experiência de busca:

busca google images em 3D

Já no Google Lens, a novidade foi a possibilidade de escanear imagens e transformá-las em texto.

Por exemplo: se você está viajando pelo Japão e precisa traduzir um texto em japonês, pode direcionar a câmera do Google Lens para o texto e traduzi-lo na mesma hora.

Portanto, a tendência das buscas visuais já vem se consolidando há anos e promete se fortalecer no SEO em 2020.

Para acompanhar essa tendência, marketing de conteúdo visual deve fazer parte das suas estratégias digitais. O uso de vídeos, fotos, imagens, infográficos, GIFs e memes deve se tornar central na produção de conteúdo.

Além disso, é essencial ajudar o Google a entender as suas imagens. Lembre que, apesar de a tecnologia do algoritmo do Google já ter evoluído até para ler pixels, compreender textos é sempre mais fácil.

Então, ao incluir uma foto no seu blog, por exemplo, insira o texto alternativo (tag alt), o título da imagem (title tag) e a legenda.

Ao produzir vídeos, insira legendas e descrições que identifiquem o seu conteúdo. 

6. Entenda como o Google compreende as intenções de busca

Palavras-chave sempre foram essenciais em SEO. Inicialmente, os profissionais otimizavam as páginas repetindo insistentemente a correspondência exata da palavra-chave.

Se queriam rankear para os termos “Marketing Digital”, os sites repetiam “Marketing Digital” várias vezes no texto, na descrição das imagens, nas meta keywords e na meta description — até com práticas de black hat para ludibriar o Googlebot.

Mas esse tempo já se foi. Além de penalizar o black hat, a tecnologia do Google evoluiu para identificar as intenções de busca dos usuários, que vão muito além das palavras-chave exatas que eles digitam no campo de pesquisa.

Para isso, o buscador passou a compreender a linguagem humana por meio da inteligência artificial. Um grande passo para isso foi o lançamento do BERT em 2019.

BERT é uma das inovações mais revolucionárias do buscador. Trata-se de um sistema de rede neural capaz de aprimorar o processamento de linguagem natural.

Baseado em inteligência artificial, o sistema pode reconhecer padrões, contextos das palavras, sentidos de frases e ainda aprender e melhorar continuamente.

Com essa tecnologia, o Googlebot está muito mais esperto! Agora o robô pode compreender a linguagem humana, com toda a sua complexidade e suas nuances.

Mas como o seu site pode se adaptar a essa novidade? Evitar a repetição de palavras-chave e compreender as intenções de busca já foi uma tendência dos últimos anos. Mas o lançamento do BERT torna inevitável que você se adapte logo.

Os sites devem agora trabalhar com a linguagem natural humana, a fim de oferecer a melhor experiência de leitura ao visitante. Em vez de se preocupar com a correspondência exata da palavra-chave, é preciso trabalhar com a semântica, com o uso de sinônimos, palavras semelhantes, expressões relacionadas e termos dentro de um mesmo campo de significados.

Por exemplo: em um texto sobre SEO, é importante usar palavras como “otimização para buscadores”, “mecanismos de pesquisa”, “Google” e “Marketing Digital”.

Isso ajuda o Google a entender do que se trata aquela página e para quais intenções da busca — mais do que palavras-chave — ela deve aparecer.

Portanto, o SEO em 2020 está migrando das palavras-chave para as intenções de busca. Cabe a você alinhar os seus conteúdos para que atendam aos interesses dos usuários. Entenda o que o seu público quer saber e que tipo de conteúdo ele buscaria no Google.

Depois, produza conteúdos de qualidade que atendam a essas demandas. O segredo está em escrever o que as pessoas querem saber, no formato que elas querem consumir.

O que continua importante no SEO em 2020?

Neste artigo, falamos sobre as principais novidades que surgiram ou se fortaleceram em 2019 e que devem marcar o SEO em 2020. Se você quer rankear nos primeiros lugares do Google no próximo ano, deve conhecê-las e se adaptar a elas.

Porém, existem diretrizes de SEO que não saem de moda. Embora elas não sejam novidade, é necessário relembrar a sua importância para que não se percam nas suas estratégias.

Estamos falando, por exemplo, da importância da produção de conteúdo relevante para o seu site ou blog.

Esse é um dos principais motores do SEO, porque é a qualidade de conteúdo que atrai e engaja os visitantes e mostra que você é uma autoridade no seu mercado.

Portanto, invista em conteúdos originais, autênticos, atualizados e com informações corretas. Essas características são valorizadas pelo Google e conseguem conquistar a fidelidade dos leitores.

Além disso, backlinks continuam sendo diferenciais em uma estratégia de SEO. Você pode ter os melhores conteúdos publicados, mas se eles não forem referenciados por outros sites referenciais, o Google não tem como saber que você tem autoridade no mercado.

Invista também em uma estratégia de link building. Procure parceiros para guest posts e co-marketing, trabalhe com influenciadores, tenha uma assessoria de imprensa que gere notícias sobre a sua marca e aproveite as oportunidades de divulgação em redes sociais. Tudo isso faz com que seu site seja mais mencionado e linkado pela web.

De maneira geral, continua valendo a regra: o foco é a experiência do usuário. Nas estratégias de SEO em 2020, é isso que você deve priorizar.

Portanto, ao otimizar o site com base em E-A-T, inserir sua empresa no Google Meu Negócio ou otimizar para as buscas visuais, como mostramos neste artigo, pense sempre em quais benefícios você está oferecendo ao usuário. O Google saberá valorizar o que você está fazendo!

Agora, que tal planejar as suas estratégias? Baixe gratuitamente o nosso Kit de Planejamento de Marketing para 2020 com tudo o que você precisa para definir seus objetivos, metas, calendário e orçamento para o próximo ano.

planejamento de marketingPowered by Rock Convert

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *