Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 7 de junho de 2018. | Atualizado em 7 de abril de 2020


O timesheet é um sistema utilizado para otimizar a gestão do fluxo de trabalho e do tempo gasto em cada tarefa da empresa. Para usufruir de seus benefícios, é necessário entender como ele funciona e adotar as melhores práticas.

O timesheet é um tipo de sistema utilizado para registrar o tempo gasto em atividades em uma empresa no trabalho diário. Este sistema é usado para medir e controlar as horas trabalhadas em projetos, contribuindo para a gestão do tempo.

Nesse sentido, o gerenciamento de tempo é um dos fatores mais importantes para alcançar o nível de produtividade almejado por sua empresa. Saber a carga horária necessária para a realização de cada tarefa ajuda o gestor a administrar projetos e ter maior controle sobre o fluxo de trabalho.

A timesheet é uma ferramenta usada há muito tempo com esse propósito. No século 19, quando sequer sonhávamos com a digitalização de processos, esse modelo já era utilizado pela maioria das empresas em todo o mundo.

Na época, claro, tratava-se de uma folha de papel especificando tarefas, cargas horárias e outras atividades dos colaboradores, que as preenchiam a cada dia de trabalho.

Mas como o timesheet é usado atualmente? Ao longo deste artigo, vamos nos aprofundar em seu conceito e objetivos. Explicaremos como a ferramenta funciona, mostraremos suas vantagens e indicaremos algumas práticas para sua melhor utilização. Confira!

O que é timesheet?

Timesheet é um sistema que tem como finalidade melhorar a gestão de tempo ao registrar o tempo gasto para realizar determinada atividade. O termo tem o sentido de “folha de horas trabalhadas”, no qual é contabilizada as horas laborais dos profissionais em um projeto ou tarefa.

Provavelmente, a oferta de um serviço é realizada utilizando mais de uma mão de obra. Por isso, é necessário efetuar a análise de todos os funcionários envolvidos para obter um controle mais eficaz do fluxo de trabalho da empresa, além, é claro, dos demais custos, como água, frete, entre outros.

Baixe a planilha de Timesheet!

Quais são seus objetivos?

No ambiente corporativo, os principais objetivos da timesheet têm ligação com recursos humanos, gestão de projetos e contabilidade. Ela funciona como uma database que reúne todas as informações necessárias sobre o fluxo de trabalho dentro da empresa. Dessa maneira, fica fácil determinar a quantia a ser recebida por cada funcionário.

Essa característica não é unilateral. Assim como ajuda os gestores a calcular questões de contabilidade, providencia ao colaborador uma prova concreta da quantidade de horas trabalhadas. Além disso, sua equipe pode registrar o tempo gasto em cada projeto em que está incluída, facilitando a própria organização e fornecendo insights valiosos para os gestores.

Com esses registros, os gestores de projeto têm acesso a todos os dados necessários para avaliar a produtividade de cada colaborador ou equipe. Assim, é possível realizar ajustes a fim de melhorar o gerenciamento de projetos. Se um time gasta tempo demais em uma atividade que deveria ser concluída brevemente, algo não está funcionando de maneira eficiente.

Para o setor de recursos humanos, as informações registradas nas timesheets são fundamentais. Com elas, o controle individual das ações de cada funcionário fica facilitado. É possível acessar rapidamente informações como a quantidade de folgas, os dias de férias e até os intervalos feitos por cada integrante da organização.

Times de marketing Banner

O que é timesheet?

Timesheet é um sistema que tem como finalidade melhorar a gestão de tempo ao registrar o tempo gasto para realizar determinada atividade. O termo tem o sentido de “folha de horas trabalhadas”, no qual é contabilizada as horas laborais dos profissionais em um projeto ou tarefa.

Provavelmente, a oferta de um serviço é realizada utilizando mais de uma mão de obra. Por isso, é necessário efetuar a análise de todos os funcionários envolvidos para obter um controle mais eficaz do fluxo de trabalho da empresa, além, é claro, dos demais custos, como água, frete, entre outros.

Por que usar o timesheet?

A utilização da ferramenta por parte das empresas prestadoras de serviços é imprescindível, visto que é por meio dela que é mantido o controle e realizada uma administração baseada em dados, e não em “achismos”. Mas, além disso, existem outros bons motivos para que todo gestor se beneficie desse mecanismo. Conheça, a seguir, quais são eles.

Precificação e estimativa

Empresas prestadoras de serviços, de forma geral, têm dificuldades de precificar e estimar o custo de um trabalho e de definir, então, o lucro exato. Isso porque não necessariamente elas precisam investir em recursos materiais, mas, com certeza, despendem de receita para recursos humanos, o que é difícil de ser mensurado em reais.

Porém, com esse método, é perfeitamente possível calcular e estimar um serviço baseado em dados. Isso acontece, pois a ferramenta oferece todos os recursos indispensáveis para a precificação de um serviço.

Relatórios de desempenho e produtividade de colaboradores

Com esse meio, é possível compreender quais são os colaboradores mais produtivos, quais têm a melhor relação custo x benefício, quais não estão se pagando (recebendo mais do que produzem) etc.

Em um cenário instável, em que a todo momento são realizados ajustes no quadro de profissionais de todos os departamentos, entender quais são os que conquistam maior receita para a empresa é fator determinante para o gestor administrar o empreendimento de forma eficaz.

Impedimento de possíveis prejuízos

Com esse método, é possível realizar precificações baseadas em dados. O gestor, ou profissional que estima o custo e o lucro de um determinado serviço, tem clara certeza do real custo de um serviço — caso tenha histórico para ofertas similares — e a capacidade de estimar um lucro real.

Auxílio para o gestor na tomada de decisão

Com base nos dados gerados pelo mecanismo, o líder de uma equipe pode tomar decisões mais acertadas sobre o gasto de tempo e sobre os recursos financeiros envolvidos na realização de um ou mais projetos. Isso permite priorizar atividades consideradas essenciais e estratégicas, além de redimensionar e redistribuir o tempo a ser gasto em cada etapa.

Suporte para o planejamento de atividades

Um software de gestão de projetos com uma ferramenta própria para isso, possibilita incluir dados em relação a eventos futuros com antecedência. Dessa forma, é possível programar o tempo para reuniões, execução de trabalhos, férias e outros compromissos com antecedência, facilitando o planejamento de atividades.

Tudo para que ele realmente mostre em que momento você e sua equipe estarão disponíveis para novos projetos. Aliás, muitas ferramentas permitem o compartilhamento dessa solução com os integrantes de um time de colaboradores de um projeto. Isso possibilita, por exemplo, que todos saibam quando seus colegas estão disponíveis para reuniões ou visitas a clientes.

Economia de recursos

O cálculo incorreto das horas trabalhadas nas fases de um projeto ou em um trabalho por completo pode acarretar a cobrança de um valor inferior ao que se deveria — pior ainda se ele consumir mais recursos do que o previsto.

Além disso, uma produtividade inferior ao estipulado por conta de algum transtorno também pode gerar a necessidade de mais tempo para a execução e entrega de um serviço que, em tese, era para ser realizado em menos horas de trabalho. Tudo isso gera gasto de tempo e tem chances de significar menor retorno financeiro.

Como esses sistemas têm como funcionalidade principal permitir um gerenciamento de tempo mais eficaz, é possível prevenir esses problemas. Afinal, essas ferramentas contabilizam o tempo empregado pelos profissionais na execução de suas atividades.

Elas permitem, ainda, administrar de forma mais eficiente os períodos de trabalho, pois ajuda na verificação e identificação das funções e procedimentos que mais tomam horas de empenho. Graças a isso, fica mais fácil lidar com elas e economizar períodos de trabalho.

Por exemplo, dá para descobrir quais atividades são mais bem executadas de manhã ou de tarde, quais profissionais são mais eficientes com tarefas específicas, que demandas “comem tempo” mesmo sendo desnecessárias, etc.

Análise de tempo gasto

Como visto, os dados proporcionados por meio dessa ferramenta colaboram na otimização do gerenciamento do tempo. Graças ao compartilhamento das informações referentes às horas trabalhadas de cada colaborador, dá para saber em que período do dia o tempo é mal utilizado ou desperdiçado e por que razão.

Tal recurso ajuda o líder na identificação de falhas, erros e ineficiências na realização do projeto, além de contribuir para que cada colaborador consiga aprimorar a execução de suas atribuições.

De certo modo, é possível verificar até ações consideradas simples ou irrelevantes, mas que tomam tempo. Entre elas, os minutos gastos com telefonemas equivocados, as horas tentando resolver falhas em sistemas que deveriam ser corrigidos por profissionais da área de TI, os períodos de interrupção em atividades que dependam de outras equipes, etc.

Por exemplo, aquele colega mais lento em uma tarefa específica poderá solicitar dicas a alguém que é mais rápido na mesma categoria de atividade. Alguém que faça um procedimento com mais qualidade conseguirá instruir os demais a como conseguir esse mesmo nível em suas atribuições equivalentes e por aí vai. As possibilidades de aprimoramento e melhor emprego do tempo são ampliadas pelo seu uso.

Como funciona o timesheet?

Com tantas vantagens para sua empresa, esse modelo deve ser complicado de implementar, correto? Errado! Graças a softwares especializados e técnicas cada vez mais eficientes, adotar as timesheets para otimização de processos é, na verdade, um procedimento bem simples.

Em uma tabela preestabelecida, funcionários adicionam exatamente todas as horas trabalhadas, dias de folga, intervalos e períodos de férias. Os dados são automaticamente disponibilizados ao setor de RH ou registrados no sistema operacional da empresa. Antes de serem arquivadas, as informações precisarão receber o aval do supervisor de cada área envolvida.

Existe ainda a possibilidade de excluir a adição manual de dados pelos funcionários. As timesheets automáticas utilizam inteligência artificial para rastrear tudo o que uma pessoa faz por dia, desde o uso de ferramentas no computador até ligações telefônicas.

Tudo o que o colaborador precisa fazer é ativar a ferramenta no início do expediente e desativá-la após encerrá-lo. O sistema, então, sugere uma timesheet que pode ser revisada e editada antes de sua confirmação.

Cabe à companhia informar e educar os colaboradores sobre o uso das timesheets. É importante que eles sejam treinados para a utilização da ferramenta e saibam exatamente quando e como devem inserir os dados. Algumas empresas exigem que as entradas sejam realizadas diariamente, enquanto outras adotam modelos com um intervalo maior de tempo.

Quais são os principais tipos?

Cada empresa pode adotar um tipo de gestão. Assim, existem diferentes exigências para o preenchimento de timesheets. Além das opções de registro manual e automático, o período entre a submissão de um documento e outro também pode variar. Confira os principais modelos de timesheets:

  • diárias: são geradas no início e no fim de cada dia de trabalho;
  • semanais: são geradas no fim de toda semana de trabalho;
  • bissemanais: são geradas duas vezes por semana, em dias específicos;
  • semimensais: são geradas duas vezes por mês, em datas combinadas;
  • mensais: são geradas uma vez por mês, em dias preestabelecidos.

Como o cálculo de horas é feito no timesheet?

Essa ferramenta relaciona a mensuração de horas úteis às que efetivamente foram trabalhadas com a receita do negócio. Isso porque, em grande parte das empresas, os custos dos projetos são medidos com base nas horas trabalhadas.

A questão por trás disso é que um serviço que requer 100 horas precisa valer mais que um que leva 20 horas. É claro que existem outros fatores que interferem, como o grau de especialização necessário, a periculosidade dos procedimentos, a oferta de profissionais que fazem o tipo de trabalho pretendido, entre outros itens. No entanto, essa regrinha costuma servir para boa parte dos cálculos envolvendo horas trabalhadas.

Todavia, mesmo nesse sistema, sem a existência de um método preciso para calcular efetivamente a quantidade de tempo despendida, tanto o cliente quanto o fornecedor podem ter dificuldades em verificar se o valor cobrado é adequado.

É quando o mecanismo entra em cena como uma solução que possibilita o registro mais preciso do tempo gasto. Também ajuda a melhorar a gestão da produtividade de um time em um projeto específico. Afinal, o capital humano é que gera maior custo nas organizações de serviços, em que o tempo de trabalho e os profissionais devem ser bem administrados.

O que uma ferramenta do tipo faz é executar o rastreamento da quantidade de horas empregadas em cada tarefa dentro de um projeto, auxiliando, de modo objetivo, a se ter o custo total. Ao final do trabalho é possível consolidar os dados do total de horas gastas no projeto por tipo/função do colaborador (técnico, especialista, supervisor, etc.).

Confira as fórmulas

Após isso, basta pegar a quantidade de horas gastas e multiplicá-la pelo valor/hora de cada profissional, bem como somar custos indiretos. Estes incluem, por trabalhador, a compra de materiais de trabalho, a alimentação, as despesas com transporte e hospedagem (se for um projeto em outra cidade), entre outros. Com base nisso, temos a seguinte fórmula:

    custo total = (horas de trabalho x valor por hora) + custos indiretos.

Para ilustrar, digamos que é preciso elaborar um material publicitário para um cliente em outra cidade, sendo necessário o deslocamento de um profissional da agência para estudar esse mercado e produzir o solicitado lá mesmo. Tudo isso leva apenas um dia, em uma jornada de 8 horas exatas de trabalho. Os gastos indiretos e diretos do colaborador enviado são os seguintes:

  •  alimentação  R$ 50,00;
  •  transporte até a cidade e custos de movimentação dentro do município  R$ 80,00;
  •  hospedagem  não foi necessária;
  • materiais adquiridos para uso no trabalho — R$ 250,00;
  • valor/hora do profissional  R$ 100,00;

Seguindo a fórmula acima, temos o seguinte cálculo:

  • custo total = (8 x R$ 100,00) + (R$ 50,00 + R$ 80,00 + R$ 250,00).
  • = R$ 800,00 + R$ 380,00
  • custo total = R$ 1.180,00.

Fique atento aos resultados

Esse será o custo total do trabalho. Além dele, é preciso acrescentar a porcentagem do lucro da agência, caso isso já não esteja incluso no valor cobrado por hora pelo profissional.

Também é necessário considerar os tributos e contribuições ao governo na equação, para que não reduzam demais o valor obtido tanto pela empresa quanto pelo colaborador. É indicado já levar em consideração os impostos no preço cobrado por hora, para que o valor resultante após a dedução seja satisfatório.

Se o serviço é realizado na agência, outros itens devem ser incluídos no custo indireto ou posteriormente em contratos de prestação de serviços fechados por ela com os clientes. Entre eles, temos os passivos de infraestrutura, os próprios tributos, as comissões, etc. Isso garante um faturamento líquido positivo para o negócio.

Quais são as vantagens de sua utilização?

Entendidos o conceito de timesheet e seus principais objetivos, vamos nos inclinar agora sobre os benefícios que podem ser alcançados com esse modelo.

Eliminação de tarefas desnecessárias

Você alguma vez já teve dúvida sobre a necessidade de uma tarefa ser realizada? Esse sentimento é comum, mas tomar uma decisão a respeito pode ser um desafio, ainda mais quando não existem dados que comprovem sua intuição.

Com o modelo de timesheets, esses dados se tornam completamente acessíveis. Ao se debruçar sobre o registro de horas utilizadas em uma tarefa e observar seus resultados, você terá as informações necessárias para concluir se o projeto é importante o suficiente para continuar recebendo os esforços de seus funcionários.

Vamos imaginar, por exemplo, que uma atividade exige duas horas do tempo de trabalho de um determinado profissional. Você observa que ele está cumprindo as exigências, mas que o retorno não é significativo. Ao eliminar essa tarefa, o gestor pode realocar o funcionário em outros projetos que serão otimizados com uma força extra.

Redistribuição de tarefas entre times

Além de eliminar tarefas desnecessárias, outro benefício é o remanejamento dos projetos entre os times. Conforme progridem em direção ao objetivo, as tarefas podem precisar de mais ou menos colaboradores, algumas necessitando de reforços e outras apresentando peso extra.

Com o uso das timesheets, os gestores têm a noção exata da necessidade de cada uma das tarefas. Assim, sabendo quais colaboradores estão livres e quais estão sobrecarregados, é possível redistribuir as tarefas. Dessa maneira, o equilíbrio da força de trabalho se torna muito mais eficiente.

Aumento da satisfação no trabalho

É muito incômodo para um trabalhador notar que está se dedicando mais que os colegas sem receber o devido reconhecimento. Ao permitir que o gestor controle o fluxo de trabalho, as timesheets colaboram diretamente para a melhoria da satisfação dos empregados. Como isso acontece?

Suponha que em uma equipe de três pessoas apenas uma esteja cumprindo as exigências do projeto, enquanto as outras duas fazem menos que o necessário. Com esse desbalanceamento identificado, a gestão pode tomar as medidas cabíveis para garantir que todos desempenhem sua função, evitando sobrecargas e até desentendimentos.

Além de melhorar a produtividade, esse tipo de supervisão aumenta o moral e a motivação da equipe. Afinal, todos sabem que estão sendo cobrados — e reconhecidos — de maneira clara e justificada.

Maior eficiência na conquista de metas

O simples fato de rastrear o tempo de trabalho de cada um dos integrantes da equipe faz com que eles se esforcem para mostrar produtividade. Fora isso, bons trabalhadores se automotivam a serem eficientes.

Quando estão concentrados na forma como usam o próprio tempo, esses colaboradores se distraem menos, já que estão focados em otimizar sua força de trabalho. Desse modo, o caminho natural leva à maior eficiência na conquista das metas estabelecidas.

Expansão da confiança e da transparência

Qualquer relação profissional bem estabelecida deve contar com a confiança de todas as partes envolvidas. Isso inclui as relações dentro do corpo de funcionários e aquelas que envolvem os colaboradores e seus gestores.

Pense na geração de relatórios, por exemplo. Ao avaliar a performance de alguém, o supervisor pode, inconscientemente, ser mais duro com uns do que com outros. Esse problema, além de afetar a confiança dos subordinados na gestão, pode gerar conflitos internos causados por aqueles que se sentem injustiçados.

Qual é, então, a melhor forma de eliminar opiniões subjetivas? A resposta é simples: análise de dados. Ao basear seus relatórios em dados concretos, os gestores eliminam impressões pessoais e garantem total transparência no processo.

Otimização do tempo gasto com tarefas

Já sabemos que um dos principais objetivos das timesheets é otimizar a gestão de tarefas. Mas como isso acontece?

Tudo passa pela facilitação do processo de análise e correção de pontos problemáticos. Ou seja, o gestor terá em suas mãos todas as informações sobre cada tarefa. Então, cabe a ele analisar seu andamento, identificar possíveis melhorias e aplicá-las de forma eficiente.

Auxílio na correta precificação de serviços

Sua empresa cobra seus serviços por hora trabalhada? Paga seus funcionários de acordo com o tempo de contribuição? Nos dois casos, a utilização de timesheets colabora para que a precificação seja feita de forma clara e correta.

Além da exatidão proporcionada, adotar esse modelo também significa contar com esclarecimentos transparentes sobre o valor combinado. Isso evita qualquer motivo de desconfiança das partes envolvidas.

Redução de documentos em papel

Adotar o modelo digital de timesheets evita a acumulação de pilhas de documentos contendo informações importantes de forma desorganizada. Com softwares especializados, todos os dados são digitalmente armazenados e podem ser acessados de qualquer lugar.

Além de otimizar a organização e trazer todos os benefícios já citados, você ainda vai diminuir os danos ao meio ambiente!

A ferramenta pode ajudar no dia a dia de uma agência de marketing?

Para essa pergunta, a resposta é ‘sim’. A ferramenta timesheet pode ajudar e muito no dia a dia de sua agência de marketing. Veja como:

  • saiba o que está sendo produzido por todos os funcionários;
  •  gerencie melhor o tempo gasto em cada atividade;
  •  melhore o planejamento de conteúdo.

Sabemos o quanto é corrido o dia a dia de uma agência de marketing, não é mesmo? E, para que esse trabalho se torne mais produtivo e eficiente, essa ferramenta de gestão de tempo é ideal para ajudar o gestor a conseguir que suas demandas fiquem em ordem e controladas.

Por isso, hoje, é quase impossível pensar em ter uma agência de marketing que não faça uso do timesheet. Ele ajuda muito na gestão do tempo de uma empresa. Além disso, você sabia que existem softwares que auxiliam a melhorar outras áreas do seu negócio? Pois é verdade. Veja alguns deles:

  •  iJob: plataforma de acompanhamento que auxilia no relacionamento da agência com os clientes;
  •  Workflow: ferramenta de produtividade que ajuda no fluxo do trabalho, ao saber exatamente o que está sendo produzido;
  • Kanban: software que dispõe de colunas, no qual informam as atividades planejadas, não planejadas, em andamento, aguardando aprovação e finalizadas;
  • DRE: Com ele é possível acompanhar todos os resultados dos projetos da empresa, visto que utiliza o plano de contas como base e faz uso do centro de custo para as áreas da empresa.

Como tirar o melhor proveito das timesheets?

Como você pode imaginar, as timesheets não funcionam por mágica. Por isso, para tirar maior proveito de seus benefícios, é preciso empregar boas práticas na sua utilização. Vamos a algumas dicas:

  • escolha a ferramenta correta: existem várias opções no mercado. Pesquise, faça testes e defina a mais adequada para a sua empresa;
  • realize treinamentos para os colaboradores: ensine como operar o software e eduque-os na importância da ferramenta;
  • faça o time comprar a ideia: é importante que todos entendam perfeitamente que a adoção da plataforma vai melhorar sua experiência de trabalho;
  • seja positivo no processo de adaptação: com elogios e recompensas, motive os trabalhadores que estão se adaptando à plataforma;
  • acompanhe todo o procedimento: é fundamental que o gestor supervisione a utilização da timesheet para identificar possíveis melhorias.

Adotar o modelo de timesheet é uma decisão que pode trazer muitos benefícios para sua companhia. Independentemente do objetivo que você tiver em mente, o fato é que a ferramenta ajuda a otimizar um dos recursos mais valiosos e importantes para um empreendimento: o tempo.

Um ambiente de trabalho onde a gestão do tempo é feita de forma eficiente tende a contar com profissionais mais proativos, o que aumenta a produtividade geral da equipe. Além disso, a empresa elimina custos causados por problemas como precificações imprecisas e execução de tarefas desnecessárias.

Como preparar a equipe para receber o timesheet?

Assim como qualquer outra novidade, a implementação do timesheet pode deixar os seus colaboradores apreensivos. Por isso, é imprescindível prepará-los para lidar com essa ferramenta. Descubra como isso pode ser feito.

Explique as vantagens de usar timesheet

Antes de qualquer coisa, é crucial apresentar os benefícios dessa ferramenta para a sua equipe. Isso porque o monitoramento não é importante apenas para o gestor, mas ao funcionário também. Afinal, os dados contabilizados pela ferramenta revelam a sua energia, esforço e dedicação despendidos para a finalização das tarefas.

Sem falar que o profissional poderá identificar oportunidades e períodos improdutivos, podendo melhorar a sua performance.

Portanto, ao introduzir a plataforma no ambiente de trabalho, reforme o potencial do seu time, deixando claro que confia nele e os motivos que justificam a adoção do timesheet para o gestor e colaboradores.

Treine o time para começar a contabilizar as horas

Caso opte por uma plataforma online para gerenciar as horas, antes de começar a utilizá-la é recomendado treinar a sua equipe, apresentando quais são as suas funcionalidades e recursos. Aproveite esse momento para esclarecer todas as dúvidas.

Ainda que a ferramenta seja intuitiva, o treinamento é indispensável para incentivar o uso do timesheet e evidenciar que essa mudança exige o comprometimento de todos para que seja satisfatória.

Compartilhe os dados obtidos pelo timesheet

Para comprovar para a sua equipe o quanto a ferramenta é importante, uma boa dica é compartilhar com ela os relatórios obtidos, apresentando como as informações sobre o apontamento das horas são úteis para a gestão.

Diante disso, a sua gestão torna-se mais transparente e colaborativa. Dependendo dos dados mostrados, pode-se convidar os colaboradores a criar soluções que eliminem os gargalos e períodos de improdutividade.

Os relatórios também auxiliam no reconhecimento de oportunidades, o que significa que o time poderá entender melhor como o recurso faz a diferença e simplifica o seu dia de trabalho.

Quais são os primeiros passos para instalar o timesheet na agência?

A maneira mais fácil de implementar o timesheet na agência é a partir de planilhas, que permitem descrever os projetos e tarefas associadas e determinar um colaborador responsável por cada uma.

É possível escolher a forma como você deseja gerenciar a sua equipe e projetos, e a mais simples de todas se inicia com uma reunião com o objetivo de definir as tarefas associadas e os seus responsáveis. Para iniciar a sua organização, é indicado preencher uma planilha master de onde as atividades a serem realizadas serão distribuídas.

Durante a reunião, você, no seu papel de gestor, tem que deixar bem claro como o timesheet vai beneficiar a equipe, pois muitos colaboradores podem se sentir vigiados e pressionados a diminuir o tempo de execução das tarefas, o que pode comprometer a aderência ao registro de horas. Ressalte que o sistema melhora a distribuição de demandas e ajuda no reconhecimento dos trabalhos bem feitos.

Quais KPIs podem receber dados do timesheet?

Ao usar o timesheet, a agência de comunicação pode extrair dados valiosos sobre a sua organização e produção, pois com os dados registrados há a possibilidade de saber quantos recursos foram canalizados e o tempo gasto no cumprimento das atividades. Veja quais são os KPIs que podem ser fomentados com essa ferramenta.

Valor hora/colaborador

Considerado um dos principais indicadores de equipes, esse KPI aponta os esforços que cada profissional fez para finalizar uma tarefa. Devido a isso, é muito utilizada para estimar o custo de um projeto.

1 hora por pessoa = trabalho finalizado no período de uma hora de esforço sem que haja interrupções para o trabalhador médio.

O cálculo do custo total de cada projeto deve considerar tarifas horárias diferentes para cada especialista. A hora do redator pode ser diferente da do diretor de arte, por exemplo.

Assim sendo, no cálculo com hora/colaborador, é preciso multiplicar o custo levando em considerando as categorias:

Custo total: (CH1 X HH1) + … + (CHn+HHn)

O CH1 representa o custo por hora de cada categoria profissional 1 e o HH1 diz respeito ao total de colaborador-horas estimadas para cada categoria profissional 1.

Com essa métrica e esta fórmula você terá mais facilidade para precificar corretamente. Depois de conhecer o valor hora por funcionário e o tempo gasto para concluir a tarefa, saberá com exatidão o valor ideal para cobrar por um serviço, além de compreender a rentabilidade financeira da área com clareza.

Tempo gasto em atividades

Mais do que o valor hora/colaborador, é preciso verificar como a equipe administra o tempo. O gestor tem que saber qual é o tempo e a energia empregados em cada projeto, tarefas e subtarefas do seu fluxo de produção.

Nesse contexto, o timesheet é altamente indicado, já que mensura as horas despendidas por cada funcionário para as suas atividades, ajudando no acompanhamento e desempenho individual e coletivo do time. Isso traz facilidade para ficar a par do potencial e capacidade de resposta da equipe.

Rentabilidade de jobs

Atualmente, você sabe quais clientes internos ou externos mais solicitam ajustes? Qual peça necessita de mais tempo da equipe? Todas essas dúvidas ficam para trás com o timesheet.

Fazendo a relação de valor hora/colaborador x tempo gasto no projeto, o gestor conhece todos os recursos que estão sendo empregados, podendo comparar os resultados com os lucros obtidos. Tais informações ajudam a manter a equipe mais produtiva e alavancam a sua lucratividade.

Produção em tempo real

Garantir a entrega de jobs no trabalho combinado é fundamental para manter um bom relacionamento com os clientes. Daí surge a necessidade de monitorar o processo de produção de perto, preferencialmente em tempo real.

No timesheet, uma das telas mostra ao administrador o cronômetro de cada usuário girando, o tempo que foi cumprido e o que ainda falta para a conclusão da entrega.

Mediante isso, você consegue acompanhar a produção e até mesmo intervir, quando necessário, para excluir gargalos na gestão de tarefas e, consequentemente, otimizar o processo de produção. O resultado dessa mudança são entregas feitas dentro do prazo e com a qualidade exigida.

Como a ferramenta ajuda na precificação?

Considerando que o timesheet é de suma importância para uma precificação correta, qual seria a melhor forma de relacionar o tempo de trabalho com o preço final de um projeto? A resposta é simples: planejando.

Após elencar todas as peças que vão ser produzidas, estime as horas de trabalho para a conclusão de cada uma delas.

É possível utilizar outras alternativas de planejamento. Uma possibilidade é escolher profissionais com perfis hierárquicos diversificados ou que apresentem um valor/hora mais apropriado para cada job. Assim você pode formular o custo ideal, assegurando a qualidade final das entregas para os clientes.

Depois de precificar, acompanhe atentamente a realização dos trabalhos. De nada adianta estimar as horas, se, no cenário real, os colaboradores extrapolam o previsto. Então, use o recurso de monitoramento da ferramenta dos colaboradores em tempo real para visualizar o desenrolar das tarefas.

Para que a precificação realmente faça sentido e você obtenha lucro, o ideal é que o trabalho esteja compatível com o planejado.

Quais os benefícios de um timesheet online e integrado a um sistema de gestão?

A produtividade e a colaboração dentro da atividade estão diretamente relacionadas com o rápido acesso e compartilhamento de informações. Para tanto, um timesheet online e integrado a um sistema de gestão é um grande aliado.

A partir da integração das informações, você conecta os dados entre as planilhas e permite a rastreabilidade e atualização automática dos dados. Assim, acompanha informações corretas e pode tomar decisões mais assertivas.

Onde encontrar o timesheet?

Para facilitar a rotina dos gestores e profissionais de serviços — principalmente nas áreas financeiras — foram criadas soluções automatizadas e otimizadas como softwares. Alguns sistemas têm uma gama de outros benefícios — o iClips, por exemplo, além dessa ferramenta, oferece aos seus parceiros a integração de todos os departamentos da empresa criativa e alinha a estrutura da companhia.

Os softwares são as melhores opções para a implementação desse método, visto que a organização não precisará conferir manualmente os dados, existirá maior credibilidade das informações e será possível gerar relatórios para análise.

Entretanto, é necessário que a empresa despenda de uma receita prévia para conseguir utilizar esses sistemas. Contudo, é perceptível que esse investimento é algo que trará retornos significativos para empresa.

Após compreender o seu significado e sua aplicação em agências criativas, ficou fácil imaginar o porquê de tantas empresas adotarem a ferramenta a fim de tornar o seu desempenho o mais eficaz possível.

Mais do que possibilitar um controle positivo da produtividade da equipe, esse item é capaz de melhorar o desempenho das tarefas com base nos resultados obtidos, o que acaba eliminando atividades desnecessárias do dia a dia, já que será possível ter uma noção muito mais ampla da produtividade de sua equipe.

E então, ficou claro o que é timesheet? Deu para entender como esse modelo pode otimizar sua gestão de tempo e beneficiar sua empresa de várias formas? Que tal aproveitar que está por aqui e conhecer a nossa central de ferramentas para marketing, vendas e gestão!

Central de ferramentas de marketing, vendas e gestão

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

156 respostas para “Descubra o que é buyer persona e quais os 5 passos essenciais para criar a sua”

  1. […] Para isso, criar personas que representem o público alvo da empresa. (A Rock Content tem um material para te ajudar a fazer isso, não deixem de […]

  2. […] Para isso, criar personas que representem o público alvo da empresa. (A Rock Content tem um material para te ajudar a fazer isso, não deixem de […]

  3. […] Conteúdo original publicado no MarketingDeConteúdo.com […]

  4. […] (Não sabe o que é uma persona? Leia aqui!) […]

  5. […] (Se não sabe bem o que são personas ou quer ler um pouco mais sobre o assunto, veja esse post.) […]

  6. Marcos Cordeiro disse:

    Olá Guilherme , minha ideia é em um primeiro momento trabalhar com minha “agência” utilizando apenas carteiras de afiliados. Esta carteira seria criada levando em consideração o nicho de mercado que a empresa e ou produtor atuar.

    Por exemplo : Carteira para infoprodutos do seguimento ganhar dinheiro na internet, carteira Daffit, carteira Magazine Luiza ( mas todos ligados a programas de afiliados).

    A pergunta é ? Esse projeto é viável ?

    Pra mim parece que é, haja visto, que as agências offline trabalham com vários carteiras de clientes diferenciados.

    Se vc tiver algum material a esse respeito eu agradeço,, estou procurando parcerias…

    Marcos Cordeiro
    Gestor de Marketing Digital e Mídias Sociais

  7. Olá Marcos, tudo bem?

    Minha primeira dica seria criar personas bem clara para cada nicho de mercado. Mas eu gostaria de compreender melhor o funcionamento para poder procurar por algum material específico. Você poderia detalhar um pouco melhor o funcionamento?

  8. Luciana Garcia Manzano disse:

    Olá, Guilherme. Gostaria de saber quem é o autor do conceito de buyer persona. Obrigada.

  9. Luciana Garcia Manzano disse:

    Olá, Guilherme. Gostaria de saber quem é o autor do conceito de buyer persona. Obrigada.

  10. Olá Luciana, tudo bem? Não existe nenhum autor específico. Mas as duas melhores referências hoje em dia são: http://tonyzambito.com/ e http://www.buyerpersona.com/

  11. Olá Luciana, tudo bem? Não existe nenhum autor específico. Mas as duas melhores referências hoje em dia são: http://tonyzambito.com/ e http://www.buyerpersona.com/

  12. estou adorando o conteudo apaixonada.

  13. estou adorando o conteudo apaixonada.

  14. estou adorando o conteudo apaixonada.

  15. estou adorando o conteudo apaixonada.

  16. […] em participar de grupos que estão as suas personas e trabalhe o seu conteúdo! Exemplo de grupos que […]

  17. […] Se você quer saber mais sobre personas, você também pode ler esse artigo aqui. […]

  18. Dicionário do marketing de conteúdo disse:

    […] Persona: representações simplificadas dos clientes ideais de uma empresa. Uma persona é uma personagem criada para ajudar uma empresa a compreender melhor quem é seu cliente e do que […]

  19. Guia prático para criação de personas (Script) disse:

    […] Buyer personas são grupos identificáveis de pessoas que compram seus produtos. Eles possuem caracteristicas, processos de compra e interesses similares. Você pode saber um pouco mais, lendo esse aritgo aqui! […]

  20. Muito bom para entender melhor o e-marketing!

  21. Muito bom para entender melhor o e-marketing!

  22. Marketing de atração – O guia completo (Parte 1) | Vender na internet nunca foi tão fácil disse:

    […] -> Se você deseja saber mais sobre Buyer Persona, clique aqui para aprender. […]

  23. Os 6 erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo disse:

    […] A Rock Content possui um material extenso sobre o tema. Não sabe o que é uma buyer persona? Leia este artigo. Não sabe como montar e apresentar suas personas? Use nosso template gratuito. Não sabe quais […]

  24. Sem improvisos: saiba como documentar sua estratégia de marketing de conteúdo disse:

    […] definir bem o que você quer solucionar com a ação, quanto e como pode se dedicar, quais as personas, formas de engajar os possíveis clientes e as métricas também são coisas que precisam constar […]

  25. Quer impressionar seu chefe e conquistar sua promoção? Veja essas dicas disse:

    […] saber um pouco mais sobre personas, só ler esse artigo aqui. E para baixar nosso template exclusivo e traçar a suas, só clicar […]

  26. [Material Gratuito] O Guia para criação de Personas disse:

    […] traçar a sua estratégia de marketing de conteúdo. Se você não sabe, comece lendo esse artigo aqui. De toda fora, buyer personas são a imagem dos seus clientes ideais. Elas te ajudarão a guiar […]

  27. Leovando Galvão de França disse:

    Uma outra ferramenta muito interessante é o MAPA DE EMPATIA. Achei o artigo desse cara muito interessante: http://ramonkayo.com/empreendedorismo/o-que-e-mapa-de-empatia-e-para-que-serve

  28. Leovando Galvão de França disse:

    Uma outra ferramenta muito interessante é o MAPA DE EMPATIA. Achei o artigo desse cara muito interessante: http://ramonkayo.com/empreendedorismo/o-que-e-mapa-de-empatia-e-para-que-serve

  29. […] se tem de atrair, converter e reter clientes, todo esse processo deve ser minuciosamente planejado. Saiba claramente quem você deseja atrair para não haver desperdício de esforço, com seus vendedores sabendo exatamente em quais pontos […]

  30. […] Não basta saber o que é uma buyer persona para criá-la do jeito certo. Nesta hora, não cabem palpites e “achismos”, é preciso se embasar em metodologias bem definidas para elencar quais são as características, histórico e perfil destas personas. Como fazer isso? Pesquisando e sistematizando os dados colhidos! […]

  31. Beto Machado disse:

    Tenho uma dúvida: em qual momento da estratégia de conteúdo as personas devem ser criadas.

    No primeiro momento de criação de um blog, ou após quando serão definidas as pautas ?

    • Olá Beto!

      As personas serão definidas antes da criação do blog. Elas são desenhadas durante o planejamento do seu marketing. Porém, isso não impede de você criá-las em outro momento. Se você já tem um blog e deseja melhorá-lo, crie suas personas antes para nortearem suas ações de marketing!

  32. Beto Machado disse:

    Tenho uma dúvida: em qual momento da estratégia de conteúdo as personas devem ser criadas.

    No primeiro momento de criação de um blog, ou após quando serão definidas as pautas ?

  33. Cup Ideias | Começando seu negócio? Veja estas 3 dicas para começar seu plano de marketing disse:

    […] na hora de entender o seu público. Você pode, inclusive, usar os dados levantados para criar buyer personas, uma espécie de personificação fictícia que reúne as características predominantes do seu […]

  34. […] todo esse conhecimento disponibilizado pela sua empresa se ele possui dificuldade de encontrar a persona para qual foi […]

  35. Beto. com certeza, antes da criação do Blog.

    É o perfil da sua Persona que vai dizer: Qual o melhor layout pro blog, qual o melhor conteúdo, qual a melhor cor e etc.

    Aqui no meu blog eu falo um pouco sobre isso.

    Acessa e depois comenta.

    http://www.rafatorres.com.br/como-criar-plano-producao-de-conteudo-blog/

  36. Rafael Torres disse:

    Beto. com certeza, antes da criação do Blog.

    É o perfil da sua Persona que vai dizer: Qual o melhor layout pro blog, qual o melhor conteúdo, qual a melhor cor e etc.

    Aqui no meu blog eu falo um pouco sobre isso.

    Acessa e depois comenta.

    http://www.rafatorres.com.br/como-criar-plano-producao-de-conteudo-blog/

  37. Rafael Torres disse:

    Muito bom mesmo, Leovando.

  38. Dress Izumi disse:

    Olá Guilherme,

    quero agradecer pelo vosso conteúdo! Por fazerem Marketing de Conteúdo de forma tão excelente, porque são informações extremamente úteis e inspiradoras até 😉

    Deixo um artigo onde referencio este vosso vídeo : http://bit.ly/1njbo8Y

    Abraços,
    Andressa

  39. Dress Izumi disse:

    Olá Guilherme,

    quero agradecer pelo vosso conteúdo! Por fazerem Marketing de Conteúdo de forma tão excelente, porque são informações extremamente úteis e inspiradoras até 😉

    Deixo um artigo onde referencio este vosso vídeo : http://bit.ly/1njbo8Y

    Abraços,
    Andressa

  40. Não entendi. De repente é por que sou analfabeto no MKT digital.
    No vídeo fala em criar u personagem fictício para direcionar o conteúdo, mas sem ter uma pessoa real.
    Depois fala em "sem achismos" de criara um perfil bom mas que não existe mas nao vai dar foco. No eu ponto de vista o exemplo do Achismo pode existir sim e o exemplo que não é achismo pode ser um achismo, não?
    Complicado criara um personagem que não é de uma entrevista REAL.
    O Criado gera uma autoridade perante a outras pessoas similares, é isso? ou é so para direcionar um nicho de mercado?
    Se é uma persona criada, não esta sendo tendencioso ao que você desejaria e não ao que o publico desejaria?

    Desculpa a confusão, mas me deu um nó no cérebro e me perdi.

  41. Não entendi. De repente é por que sou analfabeto no MKT digital.
    No vídeo fala em criar u personagem fictício para direcionar o conteúdo, mas sem ter uma pessoa real.
    Depois fala em "sem achismos" de criara um perfil bom mas que não existe mas nao vai dar foco. No eu ponto de vista o exemplo do Achismo pode existir sim e o exemplo que não é achismo pode ser um achismo, não?
    Complicado criara um personagem que não é de uma entrevista REAL.
    O Criado gera uma autoridade perante a outras pessoas similares, é isso? ou é so para direcionar um nicho de mercado?
    Se é uma persona criada, não esta sendo tendencioso ao que você desejaria e não ao que o publico desejaria?

    Desculpa a confusão, mas me deu um nó no cérebro e me perdi.

  42. […] blog corporativo é o tipo de conteúdo que deve ser produzido para atrair e conquistar clientes. Criar personas, definir os assuntos de interesse e soluções para os problemas desse público já é um bom […]

  43. […] Alinhamento de personas: (Se você não sabe o que é isso, leia e aprenda tudo sobre personas aqui.) […]

  44. […] ideal e determinar que tipo de conteúdo será produzido para eles. Na Rock Content utilizamos duas personas: o Ollie (Dono de empresa) e Mary (gerente/analista de marketing de uma empresa). O diretor não […]

  45. […] saber um pouco mais sobre personas, só ler esse artigo aqui. E para baixar nosso template exclusivo e traçar a suas, só clicar […]

  46. […] A primeira dica para ajudar você na hora de criar um bom conteúdo é: seja expert do seu público. Saber o que ele gosta, qual rede social ele mais frequenta e quais assunto mais comenta, é o primeiro passo para criar um conteúdo de qualidade. Definir e conhecer suas personas é essencial. Se você não sabe o que elas são, acesse este conteúdo e descubra agora. […]

  47. Caique Monteiro Araujo . Obrigado. Ajudou a clarear as idéias sim.

  48. Caique Monteiro Araujo disse:

    Olá André Schuler, bom acho que posso ter ajudar!

    Em Buyer Personas, quando se fala em personagem fictício é o fato deste ter uma identidade que "não existe", como o Nome, a Foto, Idade, etc. Porém o "sem achismos" é para que você defina os interesses (personalidade) desse personagem fictício com base no público que você possui, como Cargo, Renda, Histórico, Comportamento, etc.

    Não é bem uma autoridade perante ao seu público, mas sim um personagem que represente o seu público, e tenha os mesmos interesses, por isso que é fundamental que você pesquise o seu público.

    Por exemplo, eu poderia criar um personagem com a identidade do Mickey Mouse, e definir para ele uma personalidade que corresponde ao público que tenho, por exemplo, que é um empreendedor iniciante e possui muitos receios e pouca experiência no mercado. E você descobre essa personalidade em seu público com pesquisa, supondo que 60% das pessoas para quem você irá escrever também são empreendedores iniciantes, com muitos receios e pouca experiência no mercado!

    Espero que tenha te ajudado!

  49. […] de medir, ajustar, investir ou fazer qualquer ação, você precisa saber quem é o consumidor da sua marca. Descubra o que ele gosta, suas preferências e seus desejos. Converse com seu cliente, peça […]

  50. […] os conhecimentos sobre o perfil dos clientes. E uma das ferramentas mais eficientes para isso é a definição das personas – representações fictícias e simplificadas de clientes típicos de uma empresa. Para criar uma […]

  51. […] Pense como o seu público, não como o conhecedor e especialista que você é sobre o seu produto ou serviço. Reflita: como ele buscaria o seu produto ou serviço na internet? Você pode, inclusive, experimentar conversar com algumas pessoas que se encaixem no seu público e fazer essa pergunta para descobrir. Se você ainda não fez um trabalho de identificação de suas personas, descubra o que são e como você deve criá-las. […]

  52. […] na sua buyer persona é fundamental para escrever um bom artigo que será encontrado pelos leitores. Se você erra no […]

  53. Personas - inovação no seu plano de negócios disse:

    […] Marketing de conteúdo O artigo apresentado por esse site é bem completo e direto em relação a como criar uma persona, uma ótima leitura para você que ainda possui dúvidas de como fazer isso. […]

  54. […] para obter o máximo de seu fluxo de nutrição, você precisa ter uma pessoa específica em mente. Que tipo de comprador é esta persona? O que ele está mais interessado em aprender? Que perguntas a fazer teria […]

  55. 5 e-books grátis de marketing digital | Agência ARX disse:

    […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  56. […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  57. 5 ebooks de marketing digital que você não pode perder | Trilha Mundos – Cooperativa de Projetos e Serviços Socioambientais – 61 8138-5888 disse:

    […] de conhecer seu público-alvo (personas), um dos pontos mais importantes de qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo é produzir o […]

  58. […] Definir suas personas (representações simplificadas dos clientes ideais de sua empresa) garantirá que todos os conteúdos desenvolvidos por você e sua equipe estarão de acordo com o que seu público quer ver e tem interesse. Acesse este post para compreender mais sobre o conceito de personas. […]

  59. Por que investir em conteúdo gerado por usuário | Webinsider disse:

    […] O conteúdo gerado pelo usuário serve como feedback do público para saber como ele interage com sua marca e especialmente o que espera de sua empresa. E isso é de extrema relevância para criar estratégias de Marketing eficientes, por meio da criação e perfeito atendimento da persona. […]

  60. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  61. […] por você e sua equipe estarão de acordo com o que seu público quer ver e tem interesse. Acesse este post para compreender mais sobre o conceito de personas. […]

  62. […] sem filtros nem intermediários, você terá uma posição completamente fidedigna, sabendo se sua Persona está de acordo ou não. Como se não bastasse isso, realizar pesquisas também estimula que mais […]

  63. […] isso, vale lembrar da importância da criação das buyer personas. A denifição dos seus clientes ideais é essencial para não perder o foco e não ficar sem […]

  64. […] forma correta de iniciar este processo é através da criação de um documento chamado buyer persona, também conhecido como personagem […]

  65. […] primeira coisa a se fazer é definir quem é a persona que você quer atingir com suas ofertas e o relacionamento que pretende nutrir. Sua clientela ideal […]

  66. 5 Dicas Fundamentais para Iniciantes nas Mídias Sociais - www.novasrendas.com disse:

    […] forma correta de iniciar este processo é através da criação de um documento chamadobuyer persona, também conhecido como personagem […]

  67. […] deve ser produzido, é essencial saber para quem se está produzindo. Para isso, é preciso criar as personas da sua empresa, que são representações fictícias do seu cliente ideal, desenvolvidas a partir de informações sobre trabalho, hábitos e dados demográficos, e obtidas […]

  68. […] próximo passo é considerar quem é sua audiência, ou melhor, a persona para quem o post é direcionado. Por exemplo: uma das personas de um blog é o profissional de […]

  69. 3 Erros de Marketing Que Sua Escola Pode Evitar | Escribo disse:

    […] saber mais, confira este guia em […]

  70. […] E essa é uma das principais coisas que o conteúdo gerado por usuário pode fazer por você: sejam consumidores que já adquiriram seu produto/serviço ou indivíduos que interagem com a sua página, eles representam um padrão de pessoas que são exatamente como a sua persona. […]

  71. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  72. […] Exemplo 2: O que são buyer personas e como criá-las […]

  73. […] Buyer personas são grupos identificáveis de pessoas que compram seus produtos. Eles possuem caracteristicas, processos de compra e interesses similares. Você pode saber um pouco mais, lendo esse aritgo! […]

  74. […] Mas em um cenário tão disputado, como é possível convencer seu chefe a investir em marketing? Para fugir de explicações subjetivas e recheadas de termos técnicos e dos retornos intangíveis e impossíveis de se mensurar, a melhor solução pode estar no marketing de conteúdo. Isso é, resumindo em poucas palavras, oferecer conteúdo relevante e de alto valor para atrair, cativar e fidelizar seu público-alvo (personas). […]

  75. […] A Rock Content possui um material extenso sobre o tema. Não sabe o que é uma buyer persona? Leia este artigo sobre personas. Não sabe como montar e apresentar suas personas? Use nosso template gratuito. Não sabe quais […]

  76. […] importante ter em mente a sua buying persona e ajustar os termos técnicos e a complexidade do texto de acordo. Tenha em mente os seus leitores […]

  77. […] importantes para traçar a sua estratégia de marketing de conteúdo. Se você não sabe, comece lendo esse artigo aqui. De toda forma, buyer personas são a imagem dos seus clientes ideais. Elas te ajudarão a guiar […]

  78. […] que vai encaixar perfeitamente na jornada do cliente que você desenhou e que auxiliará sua persona em algum momento do funil de vendas. Isso basta, […]

  79. […] Conteúdo consistente é de extrema importância que entenda seu público, por meio da criação da persona, e uma das melhores formas de se fazer isso é através do conteúdo que produzem. Mapeie o que […]

  80. […] cada momento de compra de cada persona, surgem interesses, demandas e objeções diferentes. O funil de vendas e a jornada do cliente […]

  81. […] Ainda não ficou claro? Acesse este post sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas sobre personas. […]

  82. […] para uma audiência certa e segmentada. Você pode adequar quem vê as suas postagens de acordo com personas (avatares que representam consumidores ideais) definidas para o seu […]

  83. Olá Guilherme, obrigado pelo conteúdo publicado sobre Buyer Personas, achei muito bom, preciso definir o meu Byer Persona, para encontrar melhores ferramentas e estratégias para encontrar meu publico e ajuda-lós em suas necessidades.

    http://www.aulasinformatica.com.br/

    https://www.facebook.com/teceasytreina

  84. Rock Content disse:

    Oi, tudo bem? Nós temos um gerador de personas que pode ser bem útil para definir quem é sua persona ideal. Que tal dar uma olhadinha nela? Acho que pode te ajudar bastante 😉 http://geradordepersonas.com.br/

  85. […] traçar suas personas, você passa a entender melhor como um certo grupo de clientes se comporta. Assim, fica mais fácil […]

  86. […] Afinal, para trabalhar o marketing digital é necessário estar nas redes sociais que as suas personas estão para promover o conteúdo que fará sentido para elas. Porém, conquistar um número […]

  87. […] Para entender mais sobre o assunto, indico a leitura do artigo escrito por Guilherme Avelino, especialista em Branding e Marketing de Conteúdo: O que são buyer personas e como criá-las. […]

  88. […] forma de definir o público perfeito para a sua empresa (e o seu plano de marketing): criando personas! Se você ainda não está familiarizado com elas, não seu preocupe! Estamos aqui para […]

  89. […] em qual é o leitor ideal (sua persona) que você deseja atrair. Como você falaria com estes leitores em uma conversa […]

  90. O que é Inbound Marketing? Aprenda definitivamente! - Agência Master Digital disse:

    […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo […]

  91. Teste | portifolioedgarsales disse:

    […] Personas: […]

  92. […] o título que você tenha no campo do Inbound Marketing, você deve ter um quadro detalhado de seu público-alvo, a fim de criar conteúdo otimizado e útil para […]

  93. […] frequentes (e esse número continua crescendo) são grandes as chances de que você encontre a sua persona por lá, mas não basta sair publicando imagens sem um planejamento […]

  94. […] criar buyer personas não podemos usar palpites ou […]

  95. […] Como dito anteriormente, é importante pensar nas personas para definir as palavras-chave relevantes para o negócio. Se você ainda não fez um trabalho de identificação de suas personas, descubra aqui o que são e como você deve criá-las. […]

  96. […] Defina quem é seu público-alvo e comece a produzir material MUITO focado nele. Mesmo que esse material não faça sentido para outros públicos. […]

  97. […] É exatamente por essa razão que resolvemos preparar esse artigo, bem especial, que vai servir de base para que você possa estabelecer a sua marca como uma fonte confiável de informação e conhecimento para a sua persona. […]

  98. […] de começar qualquer atividade nas redes sociais é preciso definir o seu público e responder as seguintes perguntas: Que tipo de público eu quero atingir? Em quais redes sociais […]

  99. Venda mais através de posicionamento online disse:

    […] conseguir vender o seu produto ou serviço. É necessário conhecer muito bem o seu consumidor (Buyer Persona), ter uma estratégia e inteligência, para que sua campanha seja um sucesso de […]

  100. […] conteúdo do topo de funil tem que fazer com que a persona da sua marca descubra que tem um problema que deve ser […]

  101. […] mas não deixe os grandes conceitos que fazem com que aquele conteúdo seja interessante para suas personas se percam a cada nova rede social ou maneira de publicar e […]

  102. […] Esse formato auxilia, principalmente, quando o próprio título do material remete a questões pontuais e específicas, respondendo a prováveis questões da sua persona. […]

  103. Blog Corplan Propaganda disse:

    […] Definir as personas da sua estratégia de marketing de conteúdo é fundamental para que você crie os conteúdos certos, que vão alavancar o seu blog. […]

  104. […] dúvidas quanto a isso, o primeiro passo para escrever um bom post é levar em consideração as personas que você busca […]

  105. […] e ideal para o seu leitor é sempre bom! Ele ajuda a sanar todas as possíveis dúvidas que a sua persona pode ter e é um bom começo para gerar […]

  106. Como fazer um Planejamento de Marketing Digital FODA! disse:

    […] a esta análise, pois ela é fundamental. Particularmente, eu recomendo que você crie uma ou mais buyer personas (ou avatares) que personificarão as principais características do seu público-alvo. Uma dica […]

  107. […] pesquisa sobre personas – ou seja, os diferentes perfis de consumidores em potencial para o negócio – pode ganhar […]

  108. […] se sabe qual rede social sua persona mais usa e com quais objetivos fica mais fácil de elaborar uma estratégia certeira para atingir […]

  109. […] isso, você pode construir uma persona para te ajudar no […]

  110. […] Definir as personas da sua estratégia de marketing de conteúdo é fundamental para que você crie os conteúdos certos, que vão alavancar o seu blog. […]

  111. […] Ainda não ficou claro? Acesse este post sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas sobre personas. […]

  112. […] Não basta escrever milhares de posts sem um planejamento correto. Produza um calendário editorial, estude palavras-chave relevantes ao seu público-alvo e aprenda a criar conteúdos que sejam direcionados a certas personas. […]

  113. […] que as referências que você vai utilizar devem estar de acordo com as características da sua persona – idade, profissão, anseios e planos para o […]

  114. […] definição do público-alvo ou, mais precisamente, das suas personas, é a primeira a coisa a ser analisada após a escolha dos produtos ou serviços a serem […]

  115. […] Esse sombrio setor preferia trabalhar sozinho e se preocupava mais com os seus métodos e o seu ego, do que propriamente salvar a persona. […]

  116. […] você otimizar seu site para SEO você precisa ter sempre a sua persona em […]

  117. […] É natural e também muito comum que as pessoas busquem por conteúdos interessantes e de linguagem mais fácil, portanto, nesta parte, é preciso ter um tipo de abordagem definida, especialmente focada na sua persona. […]

  118. […] bons exemplos são cronogramas de trabalho para o marketing, briefings e definição de buyer personas compartilhados para a produção de conteúdo, alinhamentos de lead scoring para a passagem de MQL […]

  119. […] o marketing mune-se de dados e informações, identifica tendências e comportamentos, desenvolve buyers persona e passa a focar todas as ações para que a empresa atinja os objetivos traçados no planejamento […]

  120. […] que falamos ali em cima sobre ter um público-alvo bem segmentado em […]

  121. […] Antes de começar a escrever um post no Facebook ou um Tweet, é fundamental entender para quem você está escrevendo. […]

  122. Como escolher uma rede social para sua empresa disse:

    […] que esse processo de conhecimento do seu público alvo se torne mais efetivo, crie personas. Elas ajudam a nortear sua estratégia de conteúdo porque simulam clientes reais — que interagem […]

  123. […] Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. […]

  124. Mulheres Empreendedoras: como se destacar no mercado disse:

    […] grande segredo do Marketing digital é a persona. É preciso saber com quem você quer falar e mostrar o seu produto ou serviço, enfim, quem é o […]

  125. […] uma persona para sua marca e produza conteúdo para o público que você deseja […]

  126. Content Marketing: A Growing Strategy in Brazil - Bunny Inc. Blog disse:

    […] Content marketing is no longer a trend and is already a reality for businesses around the world that want to stand out in the digital environment. With each passing day, brands move further away from traditional invasive advertising that interrupts the user, the kind that doesn’t start a dialogue with the company’s buyer personas. […]

  127. […] grande segredo do Marketing digital é a persona. É preciso saber com quem você quer falar e mostrar o seu produto ou serviço, enfim, quem é o […]

  128. […] que esse processo de conhecimento do seu público alvo se torne mais efetivo, crie personas. Elas ajudam a nortear sua estratégia de conteúdo porque simulam clientes reais — que interagem […]

  129. Como montar um e-commerce de moda disse:

    […] bastante utilizada para atingir o público de maneira assertiva é através da criação de uma persona (personagem fictício criado para representar os diferentes tipos de usuário dentro de um alvo […]

  130. […] de dois materiais da Rock Content que são bem completos sobre o assunto. O primeiro deles é um post e o segundo é um guia para criação de personas. Então estude bem, veja como adaptar à […]

  131. Os 13 maiores erros de marketing digital que sua empresa pode cometer disse:

    […] importante saber quem são os seus potenciais clientes. A partir daí você começa a trabalhar de acordo com o que essas personas […]

  132. […] O sucesso do seu negócio está centrado em quanto o seu produto ou serviço satisfaz seu cliente. O profundo conhecimento sobre o seu cliente, como o que ele faz, o que sente, qual sua rotina, quais são suas dores, o orientará a focar naquilo que ele realmente necessita e desenvolver seu negócio a partir dessa análise. O modelo estratégico para definição do perfil dos seus potenciais clientes é o Buyer Persona. […]

  133. […] artigo me levou para o topo do Google? Qual foi o assunto que mais interessou minha persona? Com qual periodicidade devo atualizar meu […]

  134. […] O seu conteúdo deve ser feito, não com o foco no seu negócio, tentando apresentar e vender produtos e serviços. Ele deve ser pensado sob o ponto de vista da sua audiência, ou seja, da sua persona. […]

  135. Validar sua ideia de negócio: 5 dicas incríveis  disse:

    […] Antes de validar você pode conhecer melhor o seu público-alvo. Pode criar por exemplo uma página no Facebook ou um blog falando sobre o assunto de interesse da sua persona. […]

  136. 3 Dicas Para Descobrir Quem é a Persona do Seu Negócio - Eleve seu Negócio disse:

    […] querendo lançar um negócio ou até já lançou, mas está com problemas para descobrir quem é a persona do seu negócio, você está no lugar […]

  137. […] isso, deve-se começar segmentando bem que tipo de pessoa sua empresa quer atingir, definir as personas do seu negócio e desta forma entender o que estas personas precisam. Depois, ao começar a […]

  138. […] internos. A primeira delas, tendência no mercado, é o estudo de personas (leia mais a respeito aqui) e consiste em entender quem são seus clientes e leads (potenciais clientes), como eles agem, como […]

  139. […] O que são buyer personas e como criá-las […]

  140. O que é Inbound Marketing e como ele pode ajudar sua empresa? | design marca disse:

    […] mais importante de toda a estratégia. É preciso realizar uma pesquisa a fim de definir as reais personas (definição de público-alvo) que realmente comprariam da sua empresa. Dessa forma a empresa […]

  141. Werik Gonçalves disse:

    Artigo muito completo!

  142. Louise Souza disse:

    adorei!

  143. Alex Ferreira disse:

    Olá, muito bom este artigo explica muito bem sobre persona. O link
    http://avwebdigital.com.br/comportamento-do-consumidor/ complementa o assunto abordado

  144. Rock Content disse:

    Oi, Tânia! Vamos por partes:
    1) O ideal, primeiramente, é refletir se você realmente precisa delinear todas essas personas. O início de uma estratégia de marketing demanda muitos esforços, e pode ser melhor começar por uma persona e depois criar outras na medida em que sua estragégia avança. Independente do que você escolher fazer, recomendo que faça primeiro as entrevistas para depois montar o perfil.
    2) A melhor coisa é entrevistar um número de pessoas relevantes para a dimensão do seu negócio. Se você vai montar uma pequena empresa, pense no número de clientes que pretente ter daqui um ano e faça as entrevistas de forma proporcional.
    3) As perguntas do formulário devem ser orientada para que você entenda os principais pontos da vida da sua persona, como seu trabalho, seus objetivos e desafios, sua vida pessoal, o que ela precisa e como ela quer obter isso. Temos um post prático para você aprender a montar sua persona: https://thenewrock.rockcontent.com/blog/guia-criacao-personas/.
    Qualquer dúvida, estamos aqui para ajudar! Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *