UX writing: o que é e tudo que você precisa saber para colocar em prática

Aplicar o UX writing na empresa significa redigir textos e microtextos que passem mensagens claras e diretas aos usuários. Nessa modalidade, o foco é na otimização da experiência, deixando a tentativa de conversão em segundo plano. Assim, é fundamental entender sua persona e desenvolver um guia de estilo adequado.

UX writing: o que é e tudo que você precisa saber para colocar em prática

    Já não é novidade que a experiência do usuário é um dos pontos mais importantes para a atração, conversão e manutenção de clientes.

    Fatores como a agilidade de navegação, a escaneabilidade de um texto e até as cores escolhidas para integrar o design impactam diretamente as decisões tomadas pelo usuário em uma plataforma digital.

    Por essa razão, as empresas buscam um movimento de contínua otimização dos canais de contato com a persona.

    Isso passa pela eficiência do atendimento, mas também depende da clareza e objetividade dos textos utilizados para esse tipo comunicação. E é aí que entra o UX writing.

    A escrita voltada para a experiência dos usuários se baseia em conceitos ligados ao marketing, ao design e à arquitetura da informação.

    Se executada de forma eficaz, pode se tornar uma verdadeira vantagem competitiva para o negócio. Quer se aprofundar no assunto? Neste texto, vamos abordar:

     

    O que é UX writing e como ele funciona?

    Você provavelmente já conhece o termo UX, que é uma sigla para user experience. Logo, é fácil concluir que UX writing se refere à produção de conteúdos textuais voltados para a otimização da experiência do usuário.

    Trata-se da prática de selecionar estrategicamente todos os elementos que integram um texto, de modo a facilitar a jornada do leitor.

    O conceito pode ser aplicado em todos os textos desenvolvidos para uma plataforma digital, que são conhecidos como “microcopy”.

    Sob o prisma do UX writing, os microtextos, como são chamados em português, têm o objetivo de passar uma mensagem clara e objetiva aos usuários, estimulando seu engajamento e conduzindo-os rumo à conversão.

    Dessa forma, o profissional responsável pela sua produção, chamado de UX writer, deve se atentar não apenas à correção da escrita, mas também à semântica dos termos mais relevantes para a persona.

    É importante, ainda, entender a melhor linguagem a ser utilizada e prezar por uma interface limpa, de modo a integrar os conceitos de UX e UI.

    Desse modo, um dos desafios que podem surgir no processo é a limitação de espaço, especialmente em sites que têm o objetivo de ser mobile friendly.

    É por isso que o UX writing vai muito além da escrita, sendo uma atividade que precisa funcionar de forma interligada com outros setores, como as equipes de design e desenvolvimento.

    É importante ressaltar que o papel do UX writer vai além dos microtextos. Os mesmos conceitos podem ser aplicados na redação de conteúdos para email marketing e até nos posts publicados em blogs e redes sociais.

     

    Qual a diferença da escrita UX para as outras?

    A redação de qualidade é necessária para o desenvolvimento de qualquer estratégia de marketing. Ela pode ser empregada na roteirização de vídeos, na produção de posts no blog, na apresentação de landing pages e em muitas outras atividades. Por isso, é importante compreender a diferença entre a escrita UX e outras modalidades.

    Pense nas normas encaradas como padrão em textos jornalísticos. Uma delas, que pode servir como exemplo, faz com que números entre 0 e 9 sejam escritos por extenso, o que não é replicado em escritas voltadas para a experiência do usuário.

    A ideia é facilitar a leitura, economizar caracteres e gerenciar melhor o espaço utilizado.

    Outra modalidade de escrita é o copywriting, que às vezes é erroneamente entendido como sinônimo de UX writing. A diferença é sutil, mas perceptível.

    O copywriting foca em chamar atenção das pessoas e atrair leads para o negócio.

    O UX writing, mesmo que acabe facilitando a conversão de leads, foca na experiência do leitor. Isso resulta no uso de termos mais simples, em um texto mais objetivo e em um desenvolvimento orientado pelo produto, não pelas vendas.

     

    Como começar a aplicar o UX writing?

    Nesse ponto, você já entende o que é UX writing e sabe sua importância para consolidar sua estratégia de Marketing Digital.

    Afinal, a aplicação do conceito melhora a experiência dos consumidores e faz com que sua marca assuma uma posição de maior autoridade no mercado. Mas, afinal, por onde começar?

    Confira as dicas a seguir!

    Preze pela clareza na mensagem

    Como mencionamos ao longo do texto, o UX writing deve prezar pela clareza e objetividade nas mensagens.

    Por isso, deixe de lado os termos mais rebuscados ou frases que, por mais criativas que sejam, tornam a leitura mais complexa. É fundamental entender que a escrita deve focar na experiência do usuário.

    Por isso, estabeleça uma ordem de prioridade no conteúdo. É importante que a informação que o usuário procura seja apresentada sem delongas, proporcionando uma experiência ágil e eficiente.

    Caso seja necessário utilizar termos técnicos ou mais complexos, prepare um material auxiliar para explicar seus significados.

    Entender o que precisa ou não ser explicado é um esforço que depende diretamente do seu entendimento sobre a persona.

    Entenda a jornada do cliente

    Acompanhar o comportamento do cliente durante sua jornada é outra prática essencial para um UX writer.

    Esse monitoramento gera insights valiosos para o desenvolvimento da estratégia e identifica gargalos que precisam ser revertidos. Assim, é importante contar com o acesso a dados que indiquem detalhes da jornada.

    Ao analisá-los você pode, por exemplo, descobrir que muitos usuários param a navegação em determinada página. A partir daí, é só descobrir o motivo e trabalhar para solucioná-lo.

    A razão pode ser relacionada a muitos fatores, como um design desarrumado ou um texto confuso.

    Crie um guia de escrita e um workflow

    Quando você entende as particularidades do usuário e define a melhor forma de abordá-lo, é essencial criar um guia de escrita.

    O documento deve listar a estratégia de comunicação textual, destacando os termos e tipos de linguagens o redator deve priorizar. Isso vai garantir uma abordagem consistente e coerente em todos os conteúdos.

    É importante, também, deixar claro o tom de voz da empresa. Isso amplifica o entendimento do redator que, além de saber o vocabulário mais adequado, passa a entender como a marca pretende ser percebida pelo público.

    Ademais, é fundamental compreender que o UX writing depende de um ambiente colaborativo.

    O responsável pela redação deve trabalhar em contato direto com designers e programadores para produzir o conteúdo mais adequado para a plataforma. Sendo assim, organize um fluxo de trabalho que incentive essa interação.

    O UX writing é uma ferramenta muito valiosa para você otimizar a experiência de um usuário em suas plataformas digitais.

    Diferentemente do copywriting, essa modalidade de escrita deve prezar pela objetividade, utilizando termos simples e passando mensagens diretas. Sua aplicação efetiva depende de um ambiente colaborativo e da compreensão sobre a persona.

    Ao longo do artigo, citamos as diferenças entre UX writing e copywriting. Então, que tal se aprofundar nessa outra forma de escrita? Baixe este ebook gratuito e descubra como produzir textos com alto potencial de conversão!

    Compartilhe

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!

    Nosso site é otimizado para cada país em que operamos.

    Ir para site em Português ->