5 conceitos do marketing digital que podem ser usados em produções audiovisuais

Dominar os conceitos de marketing digital é essencial para quem deseja impulsionar sua carreira como videomaker. É preciso saber como otimizar os conteúdos audiovisuais de modo a fazer sucesso na web e gerar resultados para os clientes.

Conceitos de marketing digital nas produções audiovisuais

Trabalhar com vídeos no mundo de hoje requer muito mais do que a habilidade de desenvolver o vídeo em si. É preciso saber o que motiva aquele conteúdo e como ele deverá ser distribuído, de modo que atinja o seu objetivo.

Com uma organização nesse sentido, esse tipo de mídia pode ser incorporada com sucesso no Marketing Digital ao complementar estratégias ativas para geração de leads e de vendas.

Nesse prisma, existem conceitos de Marketing Digital que todo videomaker precisa saber. Esses termos são cruciais quando falamos em criação para satisfazer as demandas de clientes em estratégias digitais.

Para saber mais sobre isso e melhorar o seu trabalho como freelancer, leia todos os tópicos atentamente. Boa leitura!

O que são conteúdos audiovisuais?

Os conteúdos audiovisuais são aqueles que trabalham com dois sentidos ao mesmo tempo, a audição e a visão. Envolvem o som e também o movimento de imagens. Por isso, são conteúdos que exigem um pouco mais de atenção e cuidado do espectador. Contudo, por outro lado, são materiais mais simples para transmitir mensagens e temas complexos.

Essa dualidade é o que torna os vídeos tão interessantes. Por mais que sejam exigentes, eles continuam muito cativantes. Muitos dizem que há algo na ideia de movimento que atrai os nossos olhos, e é por isso que essa mídia faz tanto sucesso entre as pessoas.

Além disso, eles permitem um comportamento mais parecido com a vida real, o que torna, provavelmente, a experiência digital menos artificial.

Vídeos se tornaram um tipo de conteúdo especial e poderoso na internet. Empresas e usuários aplicam para os mais diversos motivos: vídeos institucionais, vídeos educativos, vídeos de entretenimento, vídeos sobre produtos e serviços, bem como vídeos-tutoriais e instrucionais. Encontramos uma gama extensa de modelos e finalidades na grande rede.

Isso sem contar os vídeos ao vivo, que possibilitam um senso de participação maior, mesmo quando as pessoas estão distantes. É possível estar em sessões de conferências, palestras, shows, reuniões. O audiovisual quebra barreiras e aproxima internautas, de uma forma que somente o áudio ou somente o texto não conseguem.

Por que esse formato está sendo mais utilizado?

Quando olhamos para os números relacionados aos vídeos, o cenário é empolgante. Segundo a Hubspot, 54% dos consumidores querem ver mais vídeos das empresas que eles apoiam. Já a Animoto apurou que os vídeos são o tipo de conteúdo de marca favorito dos clientes nas redes sociais.

A Wyzowl, por sua vez, chegou à conclusão de que 84% das pessoas já compraram um produto ou serviço depois de ver um vídeo da marca online. A Optinmonster, por sua vez, foi atrás dos resultados do uso de vídeos e encontrou que empresas conseguem 66% mais leads qualificados, além de 54% de aumento em reconhecimento de marca.

Os vídeos se tornaram uma grande estratégia para gerar lucro com o marketing online. Principalmente porque as pessoas consomem muitos deles. Um dos motivos é o fato de que os vídeos parecem ser perfeitamente criados para serem publicados e divulgados na internet, sendo o formato perfeito para a grande rede justamente por serem divertidos, dinâmicos, lúdicos e possibilitarem uma extensa gama de finalidades.

A principal prova disso é o fato de que sites como o YouTube se tornaram tão poderosos, com um uso voltado para múltiplos propósitos. Afinal, a internet democratizou o acesso à informação e também o poder de compartilhar ideias e perspectivas. Com isso, todos conseguem facilmente publicar um conteúdo e disseminá-lo em uma rede de contatos.

Para isso, muitos preferem vídeos, já que são fáceis de fazer, permitem uma transparência maior, um comportamento menos artificial e são facilmente compartilháveis. Vídeos se tornam virais em um simples piscar de olhos.

Eles são práticos, comuns no dia a dia. Internautas adoram engajar em vídeos depois de um dia cansativo e cheio de trabalho, por exemplo. Ou até mesmo quando precisam de uma solução rápida, com alguém mostrando ao vivo como fez algo.

O que é Marketing Digital?

Vídeos, assim como qualquer outro conteúdo na web, podem ser lançados apenas para diversão, sem nenhum objetivo principal de atingir pessoas. Boa parte do que é criado na internet funciona assim.

Contudo, existem também os casos de usuários e empresas que utilizam essas mídias profissionalmente, como uma forma de ajudar no aumento da lucratividade. Para isso, é preciso dominar o Marketing Digital, um conceito que diz respeito a uma nova forma de marketing, e a ideia de videomaking.

O Marketing Digital é um conjunto de estratégias adotadas com o intuito de promover empresas e produtos em meios digitais. Utiliza boas práticas e métodos consolidados para levar conteúdos aos clientes e convencer esses consumidores de que uma marca X é uma boa opção de compra. É como a aplicação do marketing tradicional no ambiente virtual, só que com algumas adaptações.

Então, o Marketing Digital encapsula uma série de ações a fim de alcançar clientes em redes sociais, nos e-mails, nos sites de busca, nas plataformas de vídeos e em qualquer outro local na internet. Busca coordenar os esforços da empresa, com um planejamento para levar a melhor mensagem possível aos consumidores nesses canais.

Enquanto no marketing offline há um esforço das empresas em encontrar seus clientes geograficamente (é preciso estar onde os clientes estão), no mundo online, é fundamental ser encontrado. Afinal, parte-se do princípio que os clientes já estão no mesmo lugar, a internet, e eles já estão procurando pelas empresas nesse ambiente.

Inbound marketing

Por isso, há um conceito muito relevante quando falamos em estratégias digitais: a metodologia inbound. Consiste em encontrar meios de atrair o cliente para as ações da marca, fisgar sua atenção para o que a empresa está tentando oferecer. O inbound preconiza que as abordagens de marketing não devem ser incisivas como no mundo real, mas voltadas a uma função consultiva.

Ou seja, é preciso ser encontrado pelo cliente e oferecer valor para ele, de acordo com suas necessidades. Quem começa a conversa com a empresa é o consumidor e é ele que a termina também.

Por sua vez, o videomaking é a arte de usar vídeos para estratégias de marketing e publicidade. Ou seja, é onde os mundos do marketing e da produção de conteúdos audiovisuais se encontram, cooperando entre si. No mundo online, é preciso adotar os conceitos de Marketing Digital para impulsionar o videomaking e obter resultados reais.

Especificamente, o videomaking se encaixa na ideia de Marketing de Conteúdo, uma das divisões do Marketing Digital.

Quais são os principais conceitos de Marketing Digital?

Nesta seção, vamos aprofundar os principais conceitos do Marketing Digital.

1. Funil de vendas

O funil de vendas é uma base fundamental para toda estratégia online. Trata-se de um mapeamento visual da jornada linear dos usuários, desde o momento em que conhecem uma marca até o fechamento da transação.

Compreende etapas como atração, consideração e decisão, momentos nos quais os clientes estão em diferentes níveis de conhecimento e percepção acerca do problema que resolverão ao fazer uma compra ou contratar algo.

Na atração, o cliente ainda não sabe muito sobre sua necessidade e faz uma busca na internet, sem intuito de conhecer soluções ainda. É um estágio de aprendizado e descoberta, de conhecimento de si mesmo e de sua dor. Geralmente, é um momento mais educativo e introdutório, com princípios gerais sendo apresentados para gerar valor.

Na fase de consideração, o consumidor já sabe um pouco mais sobre seu problema e busca por soluções práticas. Contudo, ainda não está procurando marcas e produtos propriamente ditos, mas formas de resolver a causa dessa dor.

Na fase de decisão, o cliente está avançado na jornada: sabe muito sobre seu problema, conhece as formas de resolver e busca, finalmente, pelo produto que vai efetivamente ser a solução. É um momento de busca por nomes de marca, reputação e de comparação entre produtos ou serviços disponíveis.

2. Análise de métricas

Um dos grandes diferenciais do Marketing Digital para os meios de marketing offline é justamente a capacidade de mensurar e de testar. No offline, os profissionais não dispunham de métodos para medir o sucesso de seus esforços.

Não havia uma possibilidade de saber quantas pessoas viram um outdoor ou ouviram uma propaganda no rádio. Era como um tiro no escuro.

Contudo, no digital, tudo é mensurável. É possível estabelecer um alvo para o tiro e descobrir como ele atingiu o alvo. Para um anúncio, por exemplo, a empresa consegue saber quantas pessoas visualizaram, quantas clicaram e quem são essas pessoas. É possível também fazer testes com versões diferentes e observar o desempenho de cada uma delas.

Por isso, a análise de métricas é uma concepção importante. É necessário que essa atividade seja basilar e rotineira para a otimização constante dos seus resultados. Sempre estabeleça os indicadores antes de cada ação e acompanhe a performance de perto, tomando decisões sempre com base nos dados.

Algumas métricas cruciais nesse universo são: ROI (retorno sobre o investimento), CAC (custo de aquisição de clientes), CTR (Click Through Rate), Tráfego Orgânico e Pago, Taxa de Conversão etc.

3. Buyer persona

A buyer persona é o interlocutor das peças de marketing online. É diferente do público-alvo, que compreende um intervalo de características gerais. A persona é um cliente ideal, com nome, idade, sexo, características psicográficas, ambições, sonhos, dores, coisas que o deixam acordado à noite e muito mais. É um perfil completo, que permite um trabalho empático da equipe.

4. SEO

SEO (Search Engine Optimization) é o termo que define a otimização dos sites para motores de busca.

Ele encapsula um conjunto de técnicas e boas práticas que servem para melhorar o posicionamento dos sites nas páginas, de modo a torná-lo mais visível para os internautas que realizam pesquisas todo dia. Além disso, são ações que evitam punições por esses motores, de modo que tudo esteja em dia.

O SEO reúne os conceitos de otimizações On-Page e Off-Page. On-Page diz respeito a tudo que pode ser feito dentro do site, como estratégias de links, gestão de títulos e de intertítulos e meta descrição. Já o Off-Page é tudo o que é feito de fora do site, como backlinks e guest posts.

Todos esses conceitos podem ser usados em estratégias de vídeos para o YouTube, por exemplo, com certas ressalvas próprias do formato audiovisual.

5. Palavras-chave

As palavras-chave são os termos buscados por usuários na internet. Eles são importantes, pois o Marketing Digital e o Marketing de Conteúdo buscam criar materiais que estejam de acordo com esses termos para serem encontrados na web. Sempre que o usuário digitar aquela expressão na barra de pesquisa, os buscadores associam com o seu conteúdo.

Se o objetivo for criar um artigo, o ideal é produzir algo que se adapte bem à intenção do cliente quando pesquisa o termo correspondente ao título.

Como esses conceitos podem ser utilizados em produções audiovisuais?

Produções audiovisuais envolvem a criação de um roteiro e, posteriormente, do visual que atende às características roteirizadas. Contudo, em todo o processo, o profissional que trabalha com videomaking deve ter em mente os conceitos do Marketing Digital, como já falamos.

O funil deve ser utilizado para estabelecer o objetivo do vídeo. É preciso definir para qual estágio do funil você produzirá cada material. Por exemplo, na fase de atração, é interessante criar vídeos instrucionais e educativos, que gerem interesse pela marca e que trabalhem ao redor de algum conceito e tema.

Nessa fase, o que vale é ser criativo. Ao máximo. Afinal, a originalidade conta como um ponto positivo para as ferramentas de busca e para seu cliente, além de ser um fator que aumenta as chances de um vídeo se tornar viral. Uma boa dica é apostar no storytelling para reforçar a conexão com o público por meio de narrativas engajantes.

Para a fase de consideração, a equipe tem a liberdade de mencionar soluções possíveis, em vídeos de comparação, por exemplo. Para a fase de decisão, pode ser produzida uma peça que fale da sua empresa, do seu produto, com um viés mais institucional.

Já o tema do vídeo deve estar atrelado à palavra-chave. O termo e a intenção de busca precisam ser considerados antes de pensar no assunto e em como abordar esse assunto. Além disso, é fundamental que o vídeo esteja otimizado para exibir claramente a palavra-chave no título, na URL e no roteiro, com o uso de boas práticas de SEO.

Para finalizar

A persona também é fundamental. Estude bastante quem é o seu cliente ideal antes de produzir o seu roteiro e o seu vídeo. Afinal, a ideia é personalizar o texto e o visual para fazer o seu consumidor se sentir confortável, com algo criado exatamente para comunicar algo a ele. Utilizar cenários e ideias visuais que correspondam ao perfil da persona é um ótimo caminho.

Os conceitos do Marketing Digital não podem ser negligenciados por pessoas que queiram trabalhar como videomaker. No seu dia a dia, você precisará aplicá-los direta ou indiretamente. É necessário, portanto, estar atento e procurar aprender mais sempre para fazer um bom trabalho para seus clientes.

Gostou do conteúdo? Não perca o dossiê do audiovisual que preparamos para você!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail
Gabriel Sacramento
Autor

Gabriel Sacramento

Redator de Marketing

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Frases para currículo: o que colocar e o que não colocar?

alt Samanta Jovana
maio 14, 18 | Leitura: 5min

Como fazer os seus posts parecerem geniais!

alt André Mousinho
jul 24, 17 | Leitura: 6min

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.