Trabalha com desenvolvimento web? Use essas dicas para arrasar no universo GitHub

O GitHub permite gerenciar versões, controlar projetos e fazer networking com outros profissionais da área de programação. Entenda neste post como usar os melhores recursos dessa rede social para desenvolvedores!

github

Contar com boas ferramentas é algo muito importante no desenvolvimento web, pois assim é possível garantir organização, clareza e produtividade.

Uma das soluções mais relevantes para o mercado atual é a aplicação que controla versões e permite gerenciar os projetos. Uma das que se destacam nesse quesito é o GitHub.

O GitHub é uma expressão que está presente no cotidiano de todo desenvolvedor. Trata-se de um site muito utilizado e que deve ser aproveitado ao máximo para otimizar os projetos pessoais e profissionais. Além disso, traz diversas vantagens para quem quer crescer nessa área.

Saiba mais sobre essa ferramenta e entenda em um passo a passo como adicionar arquivos no repositório.

O que é GitHub?

O GitHub é uma rede social para desenvolvedores que possibilita o controle de projetos de programação e o contato com outras pessoas. É uma plataforma completa para registrar o código e compartilhar de forma aberta (ou manter privado), de modo que seja viável controlar as mudanças nos sistemas. Trata-se de uma ferramenta muito usada para trabalho em equipe hoje.

O código é aberto pois pode ser modificado e acessado por qualquer pessoa — nem todo código no GitHub tem essa característica, mas a maioria tem.

O termo vem da palavra “git”. O git diz respeito a todo o sistema de controle de versão que cuida das ramificações dos códigos e do alinhamento de mudanças de várias pessoas simultaneamente. Assim, possibilita que cada usuário faça uma mudança na sua máquina e realize o upload sem conflitar com mudanças que outras pessoas fizeram em seus computadores.

A ideia principal por trás de um sistema como esse é possibilitar que o usuário consiga regressar a um estado anterior e recuperar uma versão estável da aplicação depois de alguma mudança.

Já o termo “hub”, que acompanha o git, refere-se à grande comunidade de desenvolvedores que entram em contato e dialogam entre si. É, nesse sentido, como uma grande rede específica para essa parte técnica. Possibilita uma cultura de colaboração e de apoio mútuo, o que é algo muito relevante no universo da programação.

O GitHub é uma plataforma completa com documentação de código, identificação de erros, histórico de alterações, comentários e revisão, bem como outras funcionalidades.

Assim, os desenvolvedores conseguem armazenar o código de suas aplicações para um melhor controle do projeto. É uma solução online, mas que pode ser instalada e trazida para um ambiente desktop.

Quais são as terminologias mais importantes?

Para podermos avançar até o passo a passo sobre como criar um repositório, precisamos de um panorama de todos os termos mais relevantes no universo do GitHub. A seguir você pode conferir um guia de expressões.

Repositório

O repositório é um termo geral para o local onde arquivos, versões e cópias serão armazenados. Ele permite salvar documentos em formato de texto, de imagem, de vídeo e outros. É como um conjunto de pastas.

Fork

Trata-se de um método para copiar um projeto salvo na plataforma online para uma determinada máquina a fim de continuar o trabalho na aplicação remota. É muito útil quando desenvolvedores externos resolvem contribuir com aplicações abertas. Para ter acesso a todos os dados, eles fazem um fork.

Clone

O clone é uma ferramenta similar que permite trabalhar em um projeto disposto em um endereço web.

Branch

Para lidar com sua parte do sistema e realizar alterações, o desenvolvedor cria uma branch, que é como uma ramificação. Pensando em árvores como uma analogia, os ramos criados geram uma versão diferente que não afeta a original. Ou seja, a branch criada funciona em paralelo com o projeto principal.

Merge

Para finalmente adicionar as mudanças, o programador deve fazer o “merge”. O comando adiciona as branches ao repositório original, efetivando o que foi feito como parte principal da aplicação.

Merge no GitHub.
Imagem do comando Merge no Github. Fonte: GitHub.

Pull Request

É um pedido de revisão de alguém que contribuiu com um projeto aberto, ainda com uma branch.

Commit

O commit é um comando extremamente importante que veremos em ação no próximo tópico. Trata-se de uma ação para enviar mudanças para um repositório na central do hub. Uma vez que você já está com a pasta da aplicação atualizada, pode utilizar esse termo-chave para salvar suas alterações no devido projeto e possibilitar que todos vejam.

O comando requer ainda uma mensagem indicando exatamente quais as mudanças que foram feitas. Em um repositório muito grande, isso é útil para esclarecer aos desenvolvedores o que foi alterado sem que isso prejudique o fluxo de ninguém.

Status

O Status é outro importante termo no universo da programação no GitHub. Consiste em uma ação que busca as mudanças realizadas que ainda não foram enviadas por commit ou não estão sendo monitoradas pelo git. Assim, permite que você se organize de fato para saber o que será enviado.

Como criar um repositório?

Então, vamos finalmente às dicas de como fazer um repositório no GitHub para que você consiga trabalhar em projetos reais.

Primeiro, acesse o site da plataforma e faça login. Em seguida, procure a opção “new repository”. Digite o nome e a descrição desse novo projeto que você quer criar. Pode ser o nome do produto com clareza para que seja possível distinguir de outros softwares que estiver programando.

Criando um novo repositório no GitHub. Fonte: GitHub.

Então, você deve se dirigir ao terminal do seu computador ou ao git bash. Lá, abra a pasta dos arquivos que se quer submeter ao site. Então, digite “git init”.

Git bash. Fonte: DataCamp.

Depois, faça a configuração do endereço de seu repositório com o “git remote add”. Depois do add, digite o nome do repositório e informe o link do repositório no site.

Configuração do endereço do repositório. Fonte: JQuery Az

Com isso feito, você pode seguir para o “git status”, que confere o que foi mudado recentemente.

Git status. Fonte: DataCamp

Então, com um “git add .”, você prepara todos esses arquivos para o envio. Para efetivamente fazer isso, use “git commit” e escreva uma breve mensagem que resume aquela alteração.

Preparando arquivos para envio. Fonte: DataCamp

E depois: “git push -u origin master”.

Enviado arquivos para o GitHub. Fonte: DataCamp

Quais são as vantagens de ter um perfil no GitHub?

Veremos agora algumas vantagens de desenvolver e contribuir com sistemas no GitHub.

Desenvolver um bom portfólio

Um dos maiores benefícios sem dúvidas é ter um bom portfólio de projetos e aplicações. Ao ter essas informações abertas e dispostas para todos, você pode utilizar isso como uma forma de mostrar aos recrutadores o quanto você estuda e colabora com a comunidade em soluções práticas. Assim, demonstra o seu domínio do assunto em questão.

Não é incomum hoje que contratadores peçam para checar o perfil do git do desenvolvedor. Por isso, saber usar a ferramenta e ser ativo nela é extremamente importante para obter destaque competitivo na sua carreira.

Aprender com projetos

Outra possibilidade fundamental é a cultura de aprendizado com projetos e com problemas práticos. No mundo da programação, não basta somente saber os conceitos, conhecer as regras de linguagens, bibliotecas etc. O que ajuda muito é se envolver em situações reais e criar soluções verdadeiras para essas situações.

Ou seja, ao ser ativo no GitHub, você tem a chance de se desenvolver como profissional e aprender mais sobre programação para o dia a dia. Para isso, você pode escolher contribuir com repositórios de outras pessoas, desenvolver suas próprias ideias ou programar em desafios prontos de cursos e de sites na internet. As oportunidades são inúmeras.

Colaborar com outros desenvolvedores

Um aspecto seminal do GitHub é a colaboração. Nele, diversos programadores conseguem contribuir com projetos de outras pessoas e até solucionar problemas delas, mesmo sem nem conhecer os donos dos repositórios. Assim, você aprende um valor importante no mundo da programação: o de ser e atuar como parte de uma comunidade.

Aprender a trabalhar em equipe

O GitHub também é perfeito para pessoas aprenderem a trabalhar em equipe. Se você começa um projeto lá com seus amigos, por exemplo, vai entendendo a dinâmica de desenvolver algo em conjunto, com soluções e ideias diferentes em contato. Ao compreender bem como isso funciona em um cenário de aprendizado, o programador se prepara melhor para uma necessidade profissional de trabalho em grupo.

Provavelmente na empresa em que for trabalhar, você precisará cooperar com outras pessoas e trabalhar com o GitHub nesse sentido. Então, já terá uma boa experiência.

Entender o código de projetos abertos

Além de permitir contribuir ativamente com softwares abertos, o GitHub é interessante como um repositório que deixa claro para todos como um sistema foi desenvolvido. É possível conferir os arquivos e entender a lógica que foi usada e como aquele problema foi solucionado. Isso é muito útil quando você precisa entender algum software antes de usá-lo, por exemplo.

Com as possibilidades de visualização e gestão de arquivos, é possível trafegar pelas pastas do projeto e assimilar o máximo possível do que foi feito para aplicar ideias similares em suas aplicações.

Controlar mudanças e versão

O que já citamos como uma funcionalidade é também uma das grandes vantagens dessa ferramenta.

O GitHub permite gerenciar mudanças de forma organizada e clara, sendo que as alterações são feitas sem grandes transtornos e conflitos. Além disso, é possível desenvolver e contribuir com um sistema em desenvolvimento em qualquer máquina, já que os registros ficam hospedados online.

Como vimos, a gestão de mudanças é essencial para que todos permaneçam devidamente sincronizados com as alterações. Em projetos grandes, isso é útil.

Caso algo aconteça de errado, a solução de recuperação de desastres é o controle de versão, ou seja, a capacidade de voltar a uma versão não corrompida ou afetada por aquele problema.

Editar rapidamente o código

Outra vantagem interessante do GitHub é a possibilidade de editar o código de forma rápida e intuitiva diretamente do site. Ou seja, é possível realizar alterações simples e breves em determinados arquivos na própria plataforma, sem precisar trazer para a sua máquina localmente e fazer commit.

Ademais, dá para editar também os comentários, reescrevê-los e melhorá-los para otimizar a visibilidade do projeto como um todo e facilitar a compreensão de todos os envolvidos.

Documentar de forma visível e transparente

Um software precisa de uma documentação para esclarecer as escolhas feitas e explicar a lógica utilizada, os problemas e outras questões. A documentação é sobretudo uma forma de registrar o desenvolvimento para que outras pessoas acessem e entendam — é um aspecto que reforça o caráter colaborativo e comunitário da área.

Outro ponto positivo do GitHub é que ele viabiliza a criação de uma documentação organizada para cada sistema. Você consegue deixar suas decisões devidamente registradas para ajudar outras pessoas que forem alterar ou clonar a aplicação. Com a documentação visível e transparente, fica fácil entender e até replicar o que foi feito.

Quando falamos de projetos científicos, voltados para o ambiente acadêmico, esse controle é crucial. Ao entregar um produto como resultado de pesquisa, por exemplo, é fundamental criar uma documentação explicando o que foi feito e possibilitando a transmissão do conhecimento.

Criar lista de tarefas

Outra funcionalidade e vantagem para a gestão de projetos é a criação de tarefas a serem realizadas. É possível ter o controle das atividades que devem ser feitas, de modo que se estabeleça um cronograma e um roteiro de ações para chegar ao resultado final esperado. Isso é fundamental para a administração de aplicações que envolvem muitos programadores.

Nesse sentido, destaca-se a possibilidade de gerar boards de tarefas que ajudam na visualização das obrigações gerais dos membros, algo semelhante à visualização Kanban de ferramentas como o Trello.

Assim, garante-se que nada será esquecido e que as funções serão desempenhadas como se espera. É, sobretudo, uma forma de garantir que os requisitos sejam alcançados e que o software seja criado de forma segura e consistente.

Ou seja, além de ser uma importante ferramenta para armazenar código de sistemas, permitir colaboração e controle de versão, o GitHub também é uma plataforma poderosa para gestão direta de projetos, bem como delegação de funções e divisão de papéis.

O GitHub é uma ferramenta útil para controle de projetos e para o autodesenvolvimento de todas as pessoas que trabalham com programação. Assim, é fundamental entender os comandos e as técnicas que envolvem o envio de alterações, o controle de repositórios e a sincronização, pois, dessa forma, você obterá o melhor dessa aplicação para desenvolver seus sistemas de forma segura.

Para conseguir boas oportunidades com programação web e crescer na carreira, confira as vagas que temos para freelancers em nosso banco de talentos.

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail
Gabriel Sacramento
Autor

Gabriel Sacramento

Redator de Marketing

Gabriel Sacramento
Pauta

Luis Herrera

Gabriel Sacramento
Revisão

Eduardo Villão

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.