9 melhores práticas para testar websites

Testar websites ajuda na identificação de problemas que podem colocar em xeque a experiência dos usuários ou a reputação de empresas, em virtude, por exemplo, de falhas na segurança de uma aplicação.

Melhores práticas para testar websites

Uma aplicação web que carrega rapidamente, é segura, responsiva e tem um bom design é o objetivo tanto de quem desenvolve como de quem contrata o serviço. Portanto, testar websites é uma etapa crucial, pois ajuda a identificar os problemas da aplicação, desde os mais gerais até aqueles extremamente específicos, mas que podem prejudicar a experiência do usuário final.

Por esse motivo, é fundamental conhecer e praticar os procedimentos que fazem com que um website tenha todas as características citadas no início e muitas outras. Ao longo do texto, vamos trazer os detalhes relacionados a essas boas práticas, de modo que nenhum detalhe seja negligenciado durante a etapa de testes. Boa leitura!

Por que testar o website?

Não é raro o usuário de aplicações web se deparar, por exemplo, com links quebrados e demora no carregamento de uma página. Não obstante, existe o risco de fazer a inserção de dados que serão acessados por indivíduos maliciosos, que infelizmente são muitos na rede. 

O objetivo de testar websites é detectar e corrigir tudo aquilo que pode afetar a experiência do usuário e a performance da aplicação. Outra razão que justifica o teste é a diminuição do risco de prejuízos financeiros ao cliente. Em outras palavras, um bug, uma inconsistência na aplicação ou um erro gramatical, por menores que sejam, podem diminuir ou até destruir a imagem de uma empresa no mercado, acarretando queda na receita e diminuição dos lucros.

Como o teste pode otimizar o website?

Uma das características mais primordiais de um website é a sua capacidade de ranquear bem em mecanismos de pesquisa. Além de trazer um volume maior de visitas, o potencial de vendas aumenta, pois a aplicação foi desenvolvida e devidamente testada segundo as boas práticas de SEO (Search Engine Optimization). 

Na prática, um usuário terá mais chances de encontrar um site, independentemente se sua pesquisa foi apenas para obter informações ou procurar algum produto para a compra. Ainda falando em SEO, outra motivo para otimizar o website é pela maior facilidade em receber links externos, ou backlinks. Um bom teste, portanto, faz com que potenciais parceiros de negócios tenham confiança naquele website, direcionando alguns conteúdos para ele.

Passos para o teste de website

Compreendida a importância de testar websites e de que forma o teste contribui para a otimização da aplicação, vamos agora descrever as etapas necessárias antes de tornar um website disponível na internet.

Teste de funcionalidade

As funcionalidades de um website devem estar em conformidade com os requisitos que foram levantados. No tocante aos links, por exemplo, são verificados tanto os externos quanto os externos, bem como os direcionamentos para a mesma página. São também testados os links referentes ao envio de e-mails aos administradores do website. Por fim, deve-se verificar se há links quebrados e páginas que não foram referenciadas.

Outra parte do website importante para o teste de funcionalidade são os formulários. Isso inclui procedimentos como a verificação dos dados de entrada, de modo que sejam identificados corretamente quais os valores permitidos e proibidos a serem inseridos. Além disso, exclusões ou quaisquer alterações de dados também são verificadas, para saber se esses procedimentos são possíveis após a inserção de informações.

Teste de cookies

Os cookies são pequenos arquivos de texto que ficam no navegador do usuário durante um determinado tempo. Vale destacar que esse período costuma variar muito entre os sites, indo de minutos a anos. Dito isso, o teste de website realiza procedimentos como:

  • verificar se o cookie foi criptografado antes de ser instalado no computador do usuário;
  • testar o desempenho do website com os cookies ativados e desativados;
  • observar aspectos de segurança na hora de remover os cookies;
  • verificar se os cookies estarão ativos na máquina do usuário pelo tempo equivalente ao período de duração.

Teste de validação HTML/CSS

Aqui são verificados aspectos relacionados com erros de sintaxe do HTML/CSS e SEO. Outro ponto de extrema importância é a existência do mapa do site, que pode ser no formato HTML ou XML. Um dos principais objetivos desse mapa é melhorar o ranqueamento, visto que ele apresenta uma organização hierárquica de todas as páginas que compõem o website. 

Teste de usabilidade

Um website usável é aquele que o usuário tem facilidade de operar, bem como de interpretar corretamente todas as saídas de dados. Esse teste é subdividido em dois procedimentos: teste de navegação e conteúdo. Confira cada um deles a seguir.

Teste de navegação 

Permite identificar se todas as páginas pertencentes ao website são compreensíveis e fáceis de usar. Portanto, é preciso considerar aspectos como os botões e os campos para entrada de dados em formulários, além de verificar se todas as páginas têm acesso ao menu principal.

Teste de conteúdo

Aqui são identificados erros de gramática e ortografia nos conteúdos do website. Além disso, é feita uma análise das imagens e de seus tamanhos, bem como do tamanho das fontes. Ainda, há a otimização da paleta de cores. Vale salientar que esses componentes são de grande importância para quem deseja trabalhar com mídias interativas, por exemplo. Outras verificações importantes do teste de conteúdo são:

  • clareza e corretude de todas as informações;
  • conteúdo deve ser compreensivo, informativo e estruturado;
  • os links devem ser pensados e implementados de forma lógica.

Teste de interface de usuário

Também conhecido por Teste UI, ou User Interface, o teste de interface de usuário lida com os padrões de interface gráfica. Outro ponto a ser destacado é a resolução de tela, principalmente agora com o uso massivo de dispositivos móveis na hora de acessar websites. Em termos práticos, o teste UI considera:

  • fontes e seus tamanhos;
  • cores;
  • layout;
  • legendas;
  • caixas de texto;
  • links;
  • botões;
  • formatação de texto;
  • multilinguagem.

Teste de compatibilidade e configuração

Um website operacional também depende da compatibilidade do sistema operacional, além dos navegadores. Ademais, existe o teste em diferentes databases, sendo, portanto, uma verificação no nível de back-end. Dito isso, uma das formas de proceder é avaliando o funcionamento da aplicação em sistemas operacionais tanto desktop como mobile. 

Também é feita uma análise sobre a compatibilidade de impressão, de modo a verificar o alinhamento da página e das fontes na hora de imprimir algum documento solicitado pelo usuário na aplicação. Para passar nesse teste, é necessário ainda que as páginas estejam adequadas ao tamanho do papel e ao tamanho definido na opção de impressão.

Teste de performance

A performance de um website aponta se ele tem uma boa capacidade de resposta e se mantém operacional sob uma determinada carga. Na prática, o website é submetido a um tráfego crescente de usuários, com o intuito de identificar falhas de operação ou até mesmo interrupção do serviço. Alguns procedimentos feitos para medir a performance são:

  • tempo de resposta das requisições feitas pelos usuários;
  • velocidade de carregamento das páginas, sendo que a otimização do tamanho das imagens é bastante útil nesse sentido;
  • aumento no volume de inserções no banco de dados;
  • verificação de concorrência, que é quando muitas pessoas fazem login no sistema ao mesmo tempo.

Teste de carga

O teste de carga ocorre da seguinte forma: o website é submetido a várias situações que podem levar ao seu travamento, sendo que isso ocorre de modo incremental. São feitas, por exemplo, simulações de usuários realizando consultas e explorando os recursos do sistema ao máximo.

Se forem encontradas falhas, o próximo passo é identificar exatamente onde elas ocorreram. Existe a chance de o problema estar, por exemplo, no banco de dados ou na entrada e saída de dados.

Uma boa prática na hora de fazer os testes de carga é começar com procedimentos básicos e ir aumentando a complexidade deles. Isso se torna ainda mais importante por conta do crescimento da aplicação com o passar do tempo, exigindo a realização do teste de performance com uma certa periodicidade. 

Teste de estabilidade

O objetivo desse teste é saber se o site é acessível e estável a maior parte do tempo. A importância disso está não somente na fidelização e retenção de clientes potenciais, mas também em termos de ROI e SEO. Também conhecido por retorno sobre investimento, o ROI pode ter resultado negativo caso a empresa contrate um desenvolvimento de website que não realiza esse tipo de teste. 

Portanto, é preferível que o website passe por mais essa etapa de testes do que corra o risco de ficar indisponível quando estiver na mão do usuário final. No tocante ao SEO, os mecanismos de busca costumam penalizar aplicações que ficam instáveis e indisponíveis, o que implica menores chances de um website ser encontrado em buscas orgânicas, feitas por meio de palavras-chaves. 

Teste de segurança

Um website com boa usabilidade, performance e funcionalidade pode ainda acarretar problemas relacionados com a segurança da informação. Isso porque nenhuma empresa ou usuário deseja ter seus dados acessados por terceiros ou extraviados, pois em alguns casos essa situação pode significar um grande prejuízo de natureza financeira, colocando em xeque a reputação do negócio.

SSL e TLS

É impossível falar em segurança de websites sem citar os protocolos SSL (Secure Socket Layer) e TLS (Transport Layer Security), sendo que o segundo é sucessor do primeiro. Ambos são mecanismos responsáveis pela criptografia de dados que trafegam na rede, sendo que a denominação https indica que o website conta com um desses certificados de segurança. Como muitos websites têm bancos de dados, o SSL é fundamental para assegurar que terceiros não terão acesso a essas informações. 

LGPD

A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) é outro ponto que merece atenção no tocante à segurança de websites. Isso porque as empresas devem adequar suas políticas e rotinas internas para coletar, armazenar e processar dados de usuários, visto que, em caso de não cumprimento, elas podem sofrer multas. 

Algumas práticas que podem ser adotadas nesse sentido são atualizar a política de privacidade do site e informar aos usuários a existência dos cookies. Essa segunda prática dá uma maior transparência ao usuário acerca de dados relacionados com as suas preferências de navegação na internet.

Procedimentos relacionados ao teste de segurança

As etapas necessárias para submeter um website ao teste de segurança são:

  • tornar a aplicação imune a acessos não autorizados;
  • fazer testes de vulnerabilidade e penetração, que consiste na simulação de um ataque malicioso;
  • verificar o encerramento automático das sessões, especialmente após um longo tempo de inatividade do usuário;
  • testar as funções de segurança dos certificados SSL ou TLS;
  • arquivos restritos no website não devem ser acessados nem baixados por pessoas não autorizadas;
  • todas as atividades suspeitas devem ser salvas em um arquivo que servirá para análises mais aprofundadas;
  • impedir que o usuário faça login no website com o nome ou a senha errados.

Teste de alterações

Todos os bugs em websites, além de corrigidos, devem ser devidamente registrados: esse é o propósito do teste de alterações. Outro procedimento necessário é o chamado teste de regressão, responsável por assegurar que novos bugs não serão encontrados após as alterações realizadas.

Teste de mobile friendly

Em um primeiro momento, o teste de mobile friendly pode se confundir um pouco com o de User Interface e compatibilidade. No entanto, ele lida com dispositivos móveis com maior especificidade, sendo que uma das verificações desse teste é o tempo de carregamento das páginas.

Um segundo a mais carregando uma página em um celular pode fazer uma grande diferença na experiência do usuário. Como já foi falado, a otimização de imagens é crucial nesse sentido, visto que o tamanho delas impacta diretamente o tempo de carregamento. Além disso, deve-se eliminar os pop-ups dos dispositivos móveis, bem como garantir que os botões são grandes o suficiente para pessoas que possuem o dedo grande.

Teste Beta

Por fim, o teste Beta consiste em uma versão do website que será disponibilizada a alguns usuários. Caso eles encontrem bugs ou quaisquer outras falhas, a aplicação será submetida a aprimoramentos, no intuito de corrigir os erros detectados e maximizar a experiência de uso. 

Testar websites, embora seja um processo bastante minucioso, proporciona muitos resultados, tanto do lado de quem desenvolve quanto do usuário. Cada procedimento citado no texto auxilia na construção de uma relação de confiança entre as partes, visto que o cliente entenderá o cuidado empreendido em evitar problemas relacionados, por exemplo, com segurança e falta de disponibilidade do website.

Viu como testar websites é importante e benéfico aos usuários? Aproveite a visita ao nosso blog e venha compor o nosso time de freelancers!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Gostou deste conteúdo?

Envie-o para seu e-mail para ler e reler sempre que quiser.

Posts Relacionados

Os melhores conteúdos para sua carreira freelancer, direto na sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber no e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão.