Automação de Marketing

Automação de marketing se refere a softwares e tecnologias que têm o objetivo de automatizar o marketing da sua empresa. É criado para ajudar o seu time de marketing a criar prioridades e executar as tarefas que são mais importantes de forma eficiente e organizada.
Nessa categoria você aprenderá:

  • Como automatizar o marketing da sua empresa
  • Quais as principais ferramentas de automação
  • Conceitos básicos e avançados de automação
  • Entre outros temas para você automatizar os seus processos da melhor forma

Como o curso marta garcia obteve 80% da receita via blog

Como o Curso Marta Garcia gera 80% da sua receita por fontes orgânicas

É realmente inspirador ver histórias como a do Curso Marta Garcia. Histórias que mostram como o marketing digital e de conteúdo podem mudar o rumo de uma empresa e impactar a vida de milhares de pessoas.

Neste case, você vai entender como as estratégias de marketing digital que o Curso Marta Garcia empregou em seu dia a dia levaram a empresa ao próximo patamar no mercado de cursos de proficiência em inglês.

Vai entender os desafios e vitórias de uma estratégia de marketing de conteúdo, e como isso reflete no ânimo de profissionais e no resultados de uma empresa. E, principalmente, vai entender como o Curso Marta Garcia já adquiri 80% de sua receita por meio de vias orgânicas.

O que é o Curso de Línguas Marta Garcia?

Com cursos de inglês voltados principalmente para pessoas que desejam se aplicar para mestrados e doutorados, o Curso de Línguas Marta Garcia surgiu da experiência e método de ensino da Professora Marta Garcia, 15 anos atrás.

Marta, que já era professora a 15 anos, decidiu reunir seus conhecimentos em um curso presencial para alunos que iriam realizar exames de proficiência em inglês instrumental.

Com uma metodologia que busca aprendizado rápido e eficiente, os alunos são capacitados para não só serem aprovados em exames para mestrado e doutorado, como também ler artigos acadêmicos com mais desenvoltura e velocidade.

Por trás do conhecimento e capacidade didática da Professora Marta, seu filho, João Garcia, cuidava da parte administrativa do negócio, buscando soluções para geração de matrículas.

Durante os primeiros 10 anos de empresa, o curso era dado presencialmente, em Fortaleza, onde ainda está a estrutura física do Curso Marta Garcia.

Mas, com o modelo de curso validado, João sabia que o online era a melhor forma de expansão do negócio. Em 2013 ele decidiu interromper seus projetos paralelos para se dedicar integralmente ao projeto de levar o curso para todo o Brasil.

Foram 6 meses de projeto até ter o curso disponibilizado em uma plataforma online e pronto para receber alunos.

E o resultado? Um número inexpressivo de cursos foi vendido. Eles tinham o produto e a plataforma, mas não conseguiam ligar a oferta com a demanda.

O desafio

João precisava de formas para gerar oportunidades para o curso online, e foi nesse momento que começou a pesquisar sobre marketing digital.

Decidiu investir em uma ferramenta que já conhecia, o Google Adwords (hoje Google Ads), para gerar novas matrículas. Com a chegada de novas oportunidades ficou claro que o Curso Marta Garcia precisava de uma estrutura melhor para gerar e trabalhar leads.

A empresa contratou o plano mais simples de uma ferramenta de automação, e começou a gerar landing pages para suas campanhas de mídia paga, além de trabalhar com email marketing para sua base.

Entrando no mundo da automação de marketing, João começou a entender o processo de aquisição de oportunidades orgânicas por meio de conteúdo. Ele se interessou cada vez mais pelo marketing digital, e decidiu que era o momento de começar uma estratégia de conteúdo.

Assim nasceu o blog do Curso Marta Garcia, focado em levar conhecimento para uma alunos que buscavam proficiência em inglês instrumental.

Com menos de 2 meses de estratégia e por volta de 6 conteúdos publicados, João abandonou a produção de novos conteúdos.

Você pode estar cansado de saber que marketing de conteúdo é uma estratégia a longo prazo, e que resultados imediatos são raros e enganadores.

Mas, naquele momento, João ainda era iniciante em marketing digital, e a necessidade de gerar resultados em vendas impactou em sua decisão de parar.

Afinal, se uma estratégia não deu resultado em dois meses, por que levar adiante?

Os conteúdos pararam, mas o interesse por marketing digital não. João continuou procurando soluções para sua empresa, consumindo conteúdos e indo a palestras. Em especial, um tema o chamou a atenção: SEO.

A Rock Content já estava em seu radar, por suas pesquisas sobre marketing e vendas, mas neste momento João destacou a importância que os conteúdos da Rock tiveram em seu aprendizado.

Após muitos blog posts, ebooks e até uma palestra do Peçanha no RD on the Road, ele resolveu que precisava insistir com seriedade em uma estratégia de conteúdo.

Só com um bom posicionamento no Google, e geração de oportunidades orgânicas, seria possível implementar um modelo de receita previsível, como ele desejava.

Entendendo que precisava de uma estratégia consolidada, o Curso Marta Garcia fechou uma parceria de conteúdo com a Rock Content.

A Parceria

João tinha um objetivo bem claro em mente:

“A ideia inicial era começarmos a produzir conteúdos de forma sistemática e estratégica trabalhando todas as etapas do funil (topo, meio e fundo) e implementar a estratégia de link building interno para fazer o lead avançar no funil através dos conteúdos.”

João Garcia, Diretor de Marketing

Ele conta que ainda no processo de entrada deles na Rock, um consultor entrou em contato por telefone, fazendo uma análise de quesitos básicos no site do Curso Marta Garcia que estavam atrapalhando seu ranqueamento.

Após corrigi-los, João percebeu uma pequena melhora em seus resultados de tráfego. Ele colocou essa como uma pequena vitória a curto prazo. E atenção: são essas vitórias que constroem o resultado final desse case.

Apesar de já possuir uma persona, insistimos que o estudo fosse refeito, levando em conta aspectos mais profundos de comportamento e interesse. A partir daí teve início a produção de conteúdos para o blog, com foco em gerar oportunidades para o Curso Marta Garcia.

Apesar da frequência de postagem, e toda a estratégia de SEO por trás, João percebia que seus resultados ainda vinham primordialmente de mídia paga.

Mesmo já tendo ampliado muito seu conhecimento sobre marketing digital, o sentimento de que os resultados orgânicos não estavam aparecendo o incomodava muito, e durante os primeiros meses de estratégia ele esteve bem perto de interromper mais uma vez sua produção de conteúdo.

Com conversas com a equipe da Rock, e também dos outros parceiros de marketing, João entendeu que abandonar a estratégia naquele ponto era desperdiçar o dinheiro investido até então, e abrir mão da estrutura de ranqueamento que ele estava construindo.

E como o tempo é o melhor amigo do marketing de conteúdo, os resultados começaram a aparecer.

Os Resultados

Mais uma vez foram pequenas vitórias que levaram o João a retomar seu ânimo na estratégia de conteúdo.

Como todo bom fã do Google Analytics, ele acompanha com frequência seus indicadores por meio de dashboards e do app da ferramenta. Um dia ele notou um aumento no tráfego fora da curva.

Ao rastrear de onde vieram as novas visitas, percebeu que um de seus artigos chegou às primeiras posições da SERP!

SERP para mestrado à distância

Isso voltou a acontecer nas semanas seguintes, e ele viu suas posições no Google subirem de mês a mês.

Por exemplo: seu artigo sobre os melhores mestrados a distância aceitos pelo MEC ganhou o featured snippet para a palavra-chave ‘mestrado a distancia’, gerando um aumento enorme das visitas em seu blog.

O post sobre os phrasal verbs mais usados na língua inglesa teve um resultado semelhante.

Com isso chegaram mais acessos, foram gerados mais leads e foram vendidos mais cursos. As pequenas vitórias diárias levantaram a moral do João e sua equipe, e ele mergulhou de cabeça no marketing de conteúdo.

Contratou o SEMrush e tomou as rédeas do planejamento de pautas. E assim os resultados apareceram:

“Quando contratamos a Rock Content tínhamos uma média de 20 mil sessões por mês.

Estamos atualmente com uma média de 120 mil sessões.”

E melhorar o topo do funil refletiu em toda a empresa, com um aumento de aproximadamente 200% no faturamento, comparando o início de 2019 e antes da parceria com a Rock Content.

E, de todo o faturamento da empresa, 80% vem de fontes orgânicas. Isso é o maior indicativo do sucesso da estratégia de Inbound Marketing e dos conteúdos divulgados no blog.

A empresa vem se destacando não só como parceira da Rock. O Curso Marta Garcia alcançou resultados e virou estudo de caso com vários de seus outros parceiros.

Com uma estrutura de geração de oportunidades orgânicas rodando, João se dedica a aprimorar a estratégia, sempre pensando em novas formas de levar valor para seu público potencial e melhorar ainda mais seus resultados.

E aqui é preciso destacar o valor que isso gera para uma estratégia de conteúdo que desenvolvemos.

Quando um cliente chega ao nível de envolvimento que o João teve, a estratégia ganha uma pessoa a mais na análise, planejamento e desenvolvimento de ações, mas com todo o conhecimento que só alguém que está dentro da empresa pode oferecer!

Ele dedicou seu tempo à rotina de marketing que geraram estes números a longo prazo.

O exercício diário de SEO on Page, checando fatores de ranqueamento com o plugin Yoast, por exemplo, não trouxe resultados da noite para o dia. Foram as pequenas vitórias, as posições conquistadas e as melhoras em taxas de conversão que construíram os resultados finais.

Este case mostra o impacto que do marketing digital para uma empresa que entendeu e investiu em uma estratégia, que sabiam que poderia os levar para o próximo nível. E como este existem outros.

Quer se tornar um case de sucesso? O primeiro passo é começar!

Agendar consultoriaPowered by Rock Convert


Descubra finalmente se ferramentas de automação geram leads!

Muitas pessoas adquirem ferramentas de automação como a solução definitiva para a maioria dos seus problemas de Marketing Digital.

E elas realmente pode ser, se utilizadas da maneira certa.

O problema é que ferramentas de automação não funcionam sozinhas. O que significa basicamente que:

  • Elas não eliminam a presença de pessoas no seu processo de geração de leads;
  • Elas não trarão resultados se forem utilizadas isoladamente, sem uma estratégia por trás.

Então eu vou começar o meu texto com o maior erro que uma pessoa pode cometer ao colocar uma pergunta no título: respondê-la no início.

E a resposta é: não, ferramentas de automação NÃO geram leads.

Pode ser que você tenha ficado completamente apavorado com essa afirmação, especialmente se você acabou de adquirir uma ferramenta como essa na esperança de gerar oportunidades de negócio.

Mas não se preocupe, porque esse problema tem solução.

O grande problema é que ferramentas de automação não funcionam de maneira isolada, como eu já havia dito. Isso significa que você precisará de estratégias de Inbound Marketing — ou seja, atração de pessoas, para que elas gerem o resultado que você espera.

Ou no mínimo de anúncios de Adwords e nas redes sociais para trazer essas pessoas até o seu meio de funil — que é onde as ferramentas realmente atuam de maneira efetiva.

Por isso eu não me importei de responder a pergunta no início. Porque eu sei que você vai querer saber como reverter esse cenário.

Eu errei em adquirir uma ferramenta de automação?

A primeira coisa que você precisa entender é que essa aquisição não foi um erro.

Se você já tem uma estratégia por trás que dê suporte para a sua geração de leads, você fez uma excelente compra! Agora é só juntar essas duas pontas para que elas funcionem juntas de maneira harmônica e comecem a gerar oportunidades para o seu negócio.

Agora, se você não tem uma estratégia consolidada ou não sabe exatamente se tem, digamos apenas que você colocou “o carro na frente dos bois” e adiantou uma etapa dentro de uma estratégia de geração de leads.

Por que existe um momento certo de adquirir uma ferramenta de automação de marketing

Ferramentas como essa servem, como o próprio nome diz, para automatizar algumas das suas ações de Marketing. Elas geralmente funcionam a partir de uma base de contatos — na maioria dos casos, emails — que, ao realizarem uma ação, vão disparar um gatilho para uma outra ação.

Então, você precisa, no mínimo, de uma base de emails, ou de estar construindo uma para que essas ações realmente gerem resultado.

A partir disso, é uma matemática simples, que está por trás de uma estratégia de geração de leads.

Você precisa de visitas + pontos de conversão para capturar emails em seu site ou blog.
Se você precisa de emails (ou seja, contatos) para incentivar as pessoas a se tornarem seus leads.
Logo, sem visitas, você não tem leads.

Isso porque, pensando na jornada de compra, as pessoas passam por etapas antes de estarem dispostas a fornecerem suas informações de contatos para uma empresa.

Basicamente como um relacionamento: você não conhece uma pessoa pedindo ela em noivado!

Por isso, se você quer aproveitar ao máximo a sua ferramenta de automação, você precisa de visitas. Assim quanto mais visitas, mais leads. Quanto mais leads, mais oportunidades de venda!

Então, sozinha, uma ferramenta estará muito aquém do resultado que ela poderia juntar se somada com alguma outra estratégia de atração de pessoas.

Quais as soluções para que a minha ferramenta comece a dar resultados?

Eu já dei um spoiler, mas apenas para ter certeza que você entendeu: você precisa de uma estratégia de atração de pessoas para os seus canais!

Para isso você tem algumas opções:

Mídia paga

Ela pode ser uma opção, embora não seja definitiva, mas vai te gerar resultados em curto prazo.

Isso porque estratégias como o Adwords podem atrair pessoas para o seu site de um dia para o outro, porém esses resultados só vão existir enquanto você estiver injetando dinheiro em ads.

Porém, em primeiro momento, elas podem ser uma boa alternativa, especialmente se você precisa mostrar os resultados da ferramenta para o seu chefe.

Basta fazer uma boa conexão entre as palavras-chave escolhidas e os pontos de conversão dos seus canais para que as primeiras pessoas caiam na sua automação.

 
Guia Completo do Google Adwords

Redes Sociais

Elas também são uma boa opção, porém tem perdido cada vez mais o alcance por conta dos algoritmos. E, se você não tem uma página forte e com pessoas já engajadas, essas ações podem demorar a fazer efeito.

Por isso, mesmo em redes sociais, eu aconselho que você também invista em anúncios bem atrativos e com uma segmentação bem feita, e ela funcionará de maneira parecida com o AdWords — na prática vai depender do seu mercado e da sua persona.

Comprar uma lista de emails

ESSA NÃO É UMA OPÇÃO!

Só coloquei aqui para me certificar que, caso você esteja considerando essa possibilidade, você não faça.

Marketing de Conteúdo

Ele é sem dúvida a melhor opção para quem tiver que escolher uma única estratégia a ser somada com uma ferramenta de automação.

Isso porque o Marketing de Conteúdo é uma poderosa ferramenta de atração de pessoas para os seus canais, usando como “isca” os problemas que essas pessoas têm e que a sua empresa pode ajudar a solucionar.

O volume de buscas que as pessoas fazem no Google todos os dias é bizarro, e com certeza existem diversas palavras-chave relacionadas ao seu negócio e aos seus clientes que farão sentido e que te ajudarão a trazer tráfego constante e a baixo custo para o seu blog e site.

Basta pensar o seguinte: se você compra uma palavra-chave no Adwords, você só trará resultados enquanto estiver colocando dinheiro no termo. No dia que o dinheiro acabar, acabam também os acessos, e com isso você acaba criando uma relação de dependência.

Já com os conteúdos que rankeiam organicamente no Google, eles sempre serão uma porta de entrada para os seus canais, e consequentemente para a sua automação.

Por isso eles são uma ótima opção.

Porém, nós também sabemos que consolidar uma estratégia como essa para começar a ver os resultados significativos vai levar um certo tempo, embora valha muito a pena.

Conselho de especialista: qual das soluções nós indicamos

Existem dois cenários possíveis, para uma empresa que adquiriu uma ferramenta de automação e não possui uma estratégia para impulsioná-la.

Essas opções vão depender dos recursos que você tem disponíveis para tocar a estratégia.

Se você tiver braços, recursos e quiser extrair o máximo dessa ferramenta

Se você já adquiriu uma ferramenta de automação, nós indicamos que você utilize todas as 3 estratégias: tanto pago, quanto redes sociais e Marketing de Conteúdo.

Assim você conseguirá colher os resultados da sua compra a curto, médio e longo prazo, além de fortalecer a sua marca e os seus canais de aquisição de oportunidades.

Provavelmente isso vai dar trabalho e mudar completamente a dinâmica do seu time, mas os resultados dessa força-tarefa serão visíveis logo nos primeiros dias de estratégia.

Por isso essa é uma opção muito eficiente, especialmente se você precisa gerar valor para a sua empresa e comprovar que a aquisição da ferramenta foi uma boa escolha.

Se o seu cenário não for tão favorável assim

Porém, se você tiver que escolher uma única opção, nós indicamos o Marketing de Conteúdo, sem sombra de dúvidas.

O motivo é simples: além de ser um canal que naturalmente irá demandar uma ferramenta de automação, ele será a melhor forma de adquirir contatos ao longo do tempo, além de ter um custo menor que as estratégias pagas.

Porém, será preciso paciência, afinal, como dissemos anteriormente, os primeiros resultados palpáveis de uma estratégia de conteúdo podem levar tempo, mas por outro lado são mais perenes e sustentáveis que outras estratégias.

Independente de qual seja a sua escolha

De qualquer forma, é importante que você saiba que precisará de alguma estratégia para impulsionar a sua geração de leads através de ferramentas de automação.

As pessoas precisam chegar até a sua ferramenta para que ela funcione, e para isso elas precisam sair de algum lugar.

O papel da estratégia é justamente criar esse caminho para que as pessoas entrem pelo seu funil e cheguem até a etapa de automação, e assim você consiga começar a gerar oportunidades de maneira escalável.

Lembre-se sempre: você precisa de vistas para ter leads, e de leads para ter clientes.

Por isso quanto mais visitas você tiver, mais leads. E quanto mais leads qualificados, mais clientes você tem a chance de gerar.

Então pense em uma estratégia que funcione para você no topo do funil, na etapa de atração de pessoas para os seus canais, e a partir disso comece a colher os frutos da sua automação através de fluxos de nutrição, por exemplo.

guia nutrição de leads

 

o que é API?

O que são APIs e como elas podem ser usadas no marketing?

Todos os dias usamos incontáveis aplicativos para facilitar a nossa rotina e pensar por um segundo em ficar sem eles é quase um cenário catastrófico, não é mesmo?

No entanto, mesmo sendo fãs dessas tecnologias, não sabemos como elas funcionam direito, nem sequer pensamos sobre o que está por trás de tudo isso.

Uma dessas ferramentas que colaboram enormemente, mas mesmo assim são pouco compreendidas ou até mesmo conhecidas são as APIs.

Se você quiser entender mais sobre elas e descobrir como podem ajudá-lo com suas estratégia de Marketing, então continue lendo este post!

O que é uma API?

API é a sigla de “Application Programming Interface” em inglês que é comumente traduzida para o português como interface de programação de aplicativos.

Em outras palavras, é um conjunto de códigos e especificações para que os aplicativos se comuniquem ou interajam uns com os outros. Simplificando, um sistema de comunicação entre aplicativos.

Para que servem as APIs?

Como já dissemos, as APIs são criadas para que os aplicativos se comuniquem entre si. Isso permite, por exemplo, compartilhar uma postagem de blog na sua rede social favorita.

Uma das grandes vantagens das APIs é que isso facilita muito o trabalho dos programadores, já que eles não precisam criar um aplicativo inteiro a partir do zero. Eles podem usar APIs para integrar o aplicativo que estão criando com outros já existentes.

Exemplos de aplicação das APIs

Redes sociais

Pode ser o Facebook, Twitter, LinkedIn, Instagram ou Pinterest. Todos eles possuem APIs que os integram a outras plataformas.

Mas como essa integração funciona exatamente? Basicamente, ela permite que você compartilhe o conteúdo de um site em seu perfil de uma rede social como o Facebook, por exemplo.

Você só pode fazer isso porque uma das APIs da rede social — no caso da API do Facebook: Graph — foi integrada ao sistema de gerenciamento de conteúdo do blog.

Outro exemplo ainda no Facebook são jogos para a plataforma. Existem inúmeros jogos que podem ser baixados e mantidos conectados ao seu perfil de rede, mesmo que eles não sejam do próprio Facebook.

As APIs também são as que permitem que seja possível programar publicações em redes sociais. Ferramentas como o Hootsuite, Buffer, Postcron, etc, usam APIs para essa tarefa.

Kit Marketing nas Redes Sociais

Comparadores de preço

Outro exemplo do uso de APIs são os comparadores de preços. Google Shopping, Decolar.com, Buscapé e etc, trabalham de forma eficiente graças às APIs.

Elas são responsáveis ​​por identificar os valores de produtos e serviços online e atualizar a plataforma com os melhores preços.

Pagamentos online

Existem várias opções de pagamento e transação online: PayPal, PayU, Nubepago, entre outros, e, quando você usa qualquer uma delas para receber pagamentos em seu site, há uma API que está trabalhando tudo isso, conectando seu site à plataforma de pagamento online.

Graças a eles, o usuário não precisa colocar suas informações bancárias em todos os lugares onde realiza suas compras.

Ao fazer um pagamento por cartão de crédito, por exemplo, em uma loja online, o site usa uma API que envia as informações para outro programa que é responsável por verificar se todos os dados bancários estão corretos,e se assim for, a compra é concretizada.

Como você pode ver há inúmeros casos em que as APIs trabalham de maneira discreta para que as plataformas e os aplicativos funcionem corretamente, executando ações que parecem ser automáticas.

Toda essa automação é bastante interessante e facilita o dia a dia de quem usa a Internet, seja para consumir, se divertir ou se manter informado. Mas como o foco do nosso site é marketing, vamos para a próxima pergunta.

Como as APIs são usadas no marketing?

Para os usuários, a função das APIs pode passar despercebida, mas para uma empresa, nunca.

No marketing, as APIs podem ser usadas tanto nas integrações de aplicativos para redes sociais quanto em integrações com outros aplicativos.

A criatividade não tem limites quando falamos de marketing, então vamos te dar algumas sugestões sobre como usar as APIs nesta área, mas temos certeza que você encontrará muito mais:

Integre seu site com suas redes sociais

Você provavelmente já os integrou há muito tempo. Hoje em dia é praticamente instintivo fazê-lo, só que talvez você ainda não soubesse que isso era possível graças às APIs.

Se você ainda não fez toda a integração, não espere mais. Existem várias maneiras de integrar suas redes sociais ao seu site.

Além dos botões de compartilhamento, você pode permitir que os visitantes do seu site acessem diretamente suas redes sociais. Torne esses convites realmente atraentes para obter bons resultados.

Quanto mais integrações houver entre elas, mais o seu público circulará e você poderá criar uma imagem de marca melhor, bem como aumentar o engajamento entre a empresa e o público.

Integre o Facebook Lead Ads com outras ferramentas

O Facebook Lead Ads é um recurso do Facebook que permite criar um anúncio em que os usuários são convidados a deixarem seus dados básicos e se tornarem leads, sem precisar sair da plataforma da rede social.

Se esse recurso do Facebook for integrado por meio de uma API com outras ferramentas de automação, você poderá facilitar várias tarefas.

Imagine que cada novo lead proveniente do Facebook possa automaticamente fazer parte da sua lista de email marketing, por exemplo, seria fantástico. E este é apenas um exemplo do que você pode fazer ao integrar o Facebook Lead Ads com outras ferramentas.

Para fazer essas integrações, você não precisa ser um especialista em TI, você pode fazê-lo com muita facilidade diretamente na plataforma do Facebook.

Dentro da página da sua marca você só tem que ir para Ferramentas e depois para Configuração de Clientes em Potencial, a partir daí você só precisa seguir as instruções que o próprio Facebook dá a você para fazer a integração com seu CRM.

Integre a ferramenta com seu sistema de automação de marketing

Assim como facilitará muito a integração da ferramenta que você usa para criar seus formulários, integre sua ferramenta de pagamento ao sistema de automação de marketing também.

Não há nada melhor do que segmentar seu público em sua ferramenta de automação de marketing, certo? Agora imagine isso feito automaticamente, porque é possível através desse tipo de integração.

No momento em que o cliente paga, ele não é mais apenas um lead, agora é um cliente, e seu software de automação pode receber essas informações se estiver integrado à sua ferramenta de pagamento.

Integre formulários ao seu sistema de automação de marketing.

Estamos na era dos formulários online, por isso, não perca a oportunidade de gerar contatos por meio dessa técnica também.

Para isso, você pode aproveitar as várias ferramentas disponíveis online para isso, como: Typeform, SurveyMonkey, Wufoo, etc.

Se o seu site usa algum deles, nada melhor do que integrar a ferramenta que você usa para criar seus formulários, com o seu sistema de automação de marketing.

Independentemente do fluxo de informações que você recebe, a integração dessas ferramentas permitirá que você tenha mais tempo para outras tarefas que ainda não foram automatizadas.

Integre seu site com ferramentas de localização

Se você tem uma empresa física nada melhor do que integrar seu website ao Google Maps, há várias funcionalidades das quais você pode se beneficiar com essa integração.

Como você pode ver, existem muitas opções de aplicativos que você pode utilizar de APIs para ajudá-lo na sua rotina de marketing. Temos certeza de que, ao ler essas recomendações, você pensou algumas ferramentas que você usa diariamente e que pode fazer essa integração.

Além disso, quanto mais integrações existir entre suas ferramentas, mais facilidade você terá para gerenciar as métricas obtidas. Com tudo em um só lugar, a análise é muito mais prática.

Gostou de finalmente descobrir o que são as APIs e como elas podem auxiliar nas suas estratégias de Marketing Digital? Então confira também o nosso conteúdo completo sobre automação de marketing!

automação de marketing e vendas

Pós-venda e automação de marketing

Como trabalhar a pós-venda com automação de marketing?

O assunto de automação de marketing é muito quente no momento. E isso não acontece sem razão!

Cada vez mais as empresas estão percebendo que vale a pena investir em uma ferramenta de automação de marketing para liberar mais tempo para sua equipe. Menos trabalho com mais impacto — esse é o sonho!

Trabalhar no relacionamento com o cliente nunca foi tão fácil.

Manter uma comunicação frequente com o cliente é uma forma de trabalhar o seu relacionamento com ele e aproveitar para fidelizar os seus usuários — tudo isso sem gastar muito tempo nem investir esforço.

Tudo que você precisa é um software de email marketing e a sua base de dados.

Mas mesmo com a maioria concordando que a automação de marketing oferece muito potencial para todos os tipos de marcas, muitas lojas online ficam sem saber o que fazer para implementar a automação de marketing no seu dia a dia.

Sim, a teoria é bastante simples — mas as ações concretas podem ser mais difíceis de definir.

Por isso, damos aqui algumas dicas que todas as empresas podem implementar para aproveitar de todo o potencial de automação de marketing no pós-venda.

automaçao de marketing CTA de post

1. Automação de marketing para ativação

Essa dica é para aquelas empresas que oferecem um produto que pode ser difícil de usar ou tem muitas funcionalidades.

A questão é que, quando o cliente compra o seu produto, ele comprou pelo valor desse produto — e se o cliente não sabe usar, então não obtém o valor que foi prometido.

O truque é enviar uma série de emails que vão educar e guiar o cliente no uso no seu produto. As empresas que mais usam este tipo de estratégia com automação de marketing são aquelas que vendem softwares: um item que exige tempo para aprender a ser usado de maneira adequada.

Na sua marca, procure se informar e descobrir se existe certo aspecto do seu produto que confunde os seus clientes, ou alguma funcionalidade que eles não usam — sim, eles podem apenas não precisar dessa funcionalidade, mas, na dúvida, é melhor instruí-los para que possam aproveitar tudo que a sua empresa tem para oferecer.

Assim, você vai ativando os seus clientes, para que eles usem cada vez mais o seu produto e que vejam que o valor inicial que você vendeu realmente existe e traz certos benefícios aos que o usam.

2. Automação de marketing para retenção de clientes

Sim, vale a pena trabalhar na retenção de clientes, já que é muito mais fácil e barato do que conquistar novos clientes.

Para isso, a sua marca precisa formar uma conexão com o cliente, mostrar que existe um relacionamento — construir certa confiança.

Embora isso não seja algo fácil, pense em como você poderia ter um relacionamento melhor com o cliente com uma comunicação clara e frequente — o que o cliente tem a ganhar? O que você tem a oferecer?

Tudo isso parece abstrato, mas na verdade é bem simples. Confira alguns exemplos práticos:

Manter o cliente bem informado sobre onde a compra feita está

 

Certas ferramentas chamam este tipo de gatilho para disparos “disparo de atualização”.

Todos nós ficamos ansiosos quando compramos algo online — é natural querer saber onde está a compra e quanto tempo mais ela vai demorar para chegar. Aproveite o fato que a automação de marketing é fácil e informe o cliente com cada nova etapa da jornada do produto.

Um email quando o produto estiver embalado e pronto para ser enviado. Outro email quando o produto for enviado. Mais um email justo antes da entrega.

A grande maioria dos clientes preferem ser informados da entrega — assim eles podem se programar e ter alguém em casa para receber o produto.

Oferecer descontos ou cupons

Faça bom uso de datas especiais, como feriados e aniversários.

Oferecer algo para ajudar o cliente a celebrar uma data especial é sempre uma boa iniciativa — desta maneira, você não só está trabalhando no seu relacionamento com o cliente, mas efetivamente encorajando as vendas da sua empresa.

Manter o cliente por dentro das últimas da empresa

Isso é feito pela grande maioria das empresas que fazem marketing de conteúdo.

O que você precisa para fazer isto é informação que tenha algum tipo de valor para o cliente.

Esse valor pode ser informar o cliente sobre um novo produto que ele pode gostar ou uma notícia do setor que vai afetar a sua empresa.

O importante é você não mandar emails com coisas que não estão diretamente relacionadas com a sua marca ou com o cliente.

3. Automação de marketing para cross-selling

Sim, é empolgante enviar mensagens para os seus clientes com outros itens na esperança que eles voltem a comprar.

Mas para você conseguir fazer o cross-selling com automação de marketing existe um fator crucial: a segmentação.

Tudo vai depender de quanta informação você possui dos seus clientes e como você consegue usar essa informação para dividir os clientes em grupos pequenos de pessoas que são mais ou menos parecidas entre si.

Com isso, você pode programar a ferramenta de automação de marketing para enviar emails de acordo com o comportamento do cliente no passado.

Mais especificamente para uma loja online, alguns indicadores de como dividir os seus cliente podem ser:

  • Tamanho da roupa (especialmente útil para lojas que vendem roupas extra grandes ou extra pequenas)
  • Estilo/escolha de cores (roupa de escritório ou roupa de praia?)
  • Tipo de roupa (é uma mulher que adora usar vestidos e nunca calças? Ou um homem que apenas usa calças e nunca shorts?)

Outra maneira de encontrar itens adicionais para mostrar para o cliente é ver os itens comprados no passado e encontrar itens complementares.

Um exemplo prático seria uma empresa que vende acessórios para eletrônicos: se uma pessoa comprou uma capa para um Iphone divertida com flamingos, ela pode ter chances altas de se interessar em fones de ouvido com combinam com a sua nova capa de telefone.

4. Automação de marketing para indicações

Encontrar uma maneira de trabalhar a pós-venda e ao mesmo tempo conseguir novos clientes pode ser incrivelmente difícil para qualquer empresa.

Mas, felizmente, existe uma forma de fazer ambos com automação de marketing: as indicações dos clientes aos seus amigos.

A chave é identificar os clientes que interagem com a sua empresa, as pessoas que gostam do seu produto e da sua marca.

Entre os seus clientes, essas pessoas podem ser aqueles que deixam comentários ou resenhas, os que são fiéis e sempre voltam para comprar mais, ou os que compartilham os seus posts em redes sociais.

Uma vez que você encontrar uma métrica para decidir quais clientes mais interagem, programe a sua ferramenta para enviar emails pedindo recomendações a amigos.

Um simples email oferecendo um desconto de 10% para qualquer amigo que recebeu a recomendação e logo fez uma compra pode trazer muitos novos clientes com um custo extremamente baixo.

No final das contas, sistemas de automação de marketing podem fazer toda a diferença na experiência de compra do seu cliente. E aí? Já está pronto para implementar estas dicas e oferecer ainda mais valor aos seus clientes?

Este conteúdo foi produzido pela Mailify.

email marketing trends

Atribuição Multicanal: imagem ilustrativa de um modelo de atribuição

Atribuição Multicanal: entenda a contribuição de cada um dos seus esforços de Marketing

Se você já gerenciou um time ou uma estratégia de Marketing, com certeza já teve que responder pelo menos uma das seguintes perguntas:

  • Qual canal gera mais resultados?
  • No Marketing, qual tipo de estratégia traz mais clientes?
  • De onde vêm a maioria dos nosso clientes?
  • Como alocar orçamento para as diferentes estratégias de Marketing?

Esse tipo de questionamento vem de todos os lados, desde profissionais de Marketing, colegas de trabalho, departamento financeiro até o CEO de uma empresa. E eles são capazes de levar à loucura qualquer gerente de Marketing. Afinal, como determinar a resposta certa?

Em outras palavras, se a estratégia de Marketing fosse um time de futebol, qual jogador levaria crédito pelo gol?

Se você já teve esse tipo de dúvida, você não está sozinho! Nesse artigo, vou te explicar como surge o problema de atribuição de canais e quais são suas opções para resolvê-lo.

Ao terminar a leitura, espero que você tenha uma visão mais clara da sua estratégia, e que possa começar a tomar decisões mais certeiras!

Boa leitura!

Quando a atribuição vira um problema na sua vida?

Para definir a importância de estudar sobre atribuição, precisamos voltar a uma das teorias mais básicas do Marketing: o Mix de Marketing. Ela diz que o sucesso na aquisição de clientes não vem de um só lugar. Pelo contrário, é preciso balancear diversos elementos e atingir potenciais clientes de diferentes maneiras para que eles venham a comprar da sua empresa.

Da mesma maneira, um time de futebol composto apenas de centro-avantes não teria tanto sucesso, certo?

Por isso, uma boa estratégia de Marketing investe em diversos pontos de contato. E quanto mais robusta sua estratégia vai ficando, mais você investe em diferentes canais. E mais difícil fica determinar o que contribuiu para que um potencial cliente virasse cliente!

Quando você precisa definir orçamentos, alocar recursos e fazer contratações estratégicas para um time de Marketing, precisa entender quais canais trazem melhores resultados. E ter um modelo de atribuição vai te ajudar a tomar as melhores decisões a médio e longo prazo.

Até aqui você já entendeu que a atribuição de Marketing é o processo que ajuda a determinar qual tática leva o crédito na hora de trazer clientes, e entender isso é importante para fazer decisões estratégicas.

Mas por que, exatamente, é difícil saber quem foi o responsável por uma compra? Isso não deveria ser uma resposta simples?

Você também já causou dor de cabeça para colegas de profissão

Imagine a seguinte situação:

Você vai começar a treinar para uma maratona e precisa comprar um tênis de corrida. Certo dia, você entra no Google e começa a sua busca por “tênis de corrida” para ver o que tem por aí no mercado. Você chega a entrar no site de uma marca de tênis que um amigo te indicou e até inscreve seu email para receber novidades, mas, no meio da sua busca, uma ligação de interrompe e você decide deixar sua compra para depois.

Uma semana depois, você entra no Facebook e vê em um anúncio que o tênis que você tinha gostado está com 10% off na loja. Você clica no anúncio, mas ainda fica na dúvida e decide esperar receber seu salário para comprar o tênis.

Você espera mais uma semana para seu salário cair, e quando isso acontece você prontamente retorna ao site do tênis de corrida mas vê que o desconto de 10% não existe mais. Como é um item caro, você decide buscar outras opções mais baratas e volta ao Google.

Enquanto você está buscando outras opções no Google, uma mensagem no Whatsapp te distrai. Depois de ler a mensagem, você decide conferir sua caixa de entrada antes de voltar ao Google, e com o que você se depara? Um email oferecendo 25% de desconto no tênis que tanto queria! Você clica no email, acessa o site da marca e compra o tênis!

Agora vamos imaginar que você é o Gerente de Marketing da marca de tênis de corrida.

Sua empresa está cortando custos de Marketing e você precisa determinar qual canal traz mais clientes para poder priorizar a alocação de recursos.

Na situação descrita acima, quem foi o responsável por te levar até a compra?

  1. A estratégia de SEO que posicionou o site da empresa nos primeiros resultados para “tênis de corrida”?
  2. O anúncio no Facebook que aumentou seu interesse pelo produto com um cupom de desconto?
  3. Ou o email que te enviou o segundo cupom de desconto que de fato te levou à compra?

Com certeza você também já passou por esse tipo de questionamento (senão não estaria lendo esse artigo). É importante saber que isso acontece em todas empresas, e por isso foram criados alguns modelos de atribuição que ajudam a determinar, em cada empresa, qual canal leva o crédito.

facebook ads

Os 3 desafios universais de atribuição

Na hora de tentar determinar qual parte do Marketing mais contribui para a aquisição de clientes, nos deparamos com várias frentes. Você pode querer saber, por exemplo:

  • Qual foi o impacto de um evento em uma compra online? Ou
  • Quantas pessoas acessaram um conteúdo em um aplicativo e depois fizeram uma compra? Ou
  • Como conteúdos topo de funil impactam na conversão de clientes?

Entre outras milhares de perguntas que surgem diariamente.

Apesar de que todos querem atribuir crédito a uma determinada coisa, cada um dos pontos acima representa um desafio diferente, e precisa ser resolvido de maneira diferente.

Por isso, podemos dividir os desafios de atribuição em 3 categorias:

Toda operação de marketing apresenta pelo menos uma delas! Será que você identifica onde suas dificuldades se encaixam?

1. Impacto do Online no Offline (e vice-versa)

Se sua empresa tem lojas físicas, você vai se identificar facilmente com esse desafio.

Você sabe dizer como suas estratégias online impactam nos resultados das lojas? Qual é o papel delas na vida do cliente até o momento em que ele entra na loja? Quem é mais importante: um post no Facebook da empresa ou um anúncio de promoção na vitrine da loja?

O desafio de determinar o impacto do online no offline, e vice-versa, acontece até em empresas que não possuem lojas físicas. Patrocinar um evento presencial, por exemplo, adiciona mais uma variável na equação da aquisição de clientes.

2. Impacto através de diferentes dispositivos

Faz muito tempo que sabemos a importância de uma estratégia que atinge o potencial cliente em diferentes dispositivos.

Estar presente em vários momentos é essencial para manter a relevância da sua marca. Mas os celulares e tablets trouxeram mais um desafio na vida dos profissionais de marketing: como acompanhar a jornada de um cliente através de diferentes dispositivos?

Como ter o histórico de atividades de uma pessoa à medida que ela muda de dispositivo para dispositivo?

3. Impacto de diversos canais em uma conversão (Atribuição Multicanal)

Esse é o desafio que apresentamos com o exemplo do início do artigo, onde uma pessoa queria comprar um tênis de corrida e teve contato com vários canais antes de realizar a compra.

É aqui que encontraremos modelos para ajudar a alocar recursos e pessoas para cada canal da sua estratégia de Marketing.

A atribuição multicanal é o foco deste artigo por ser um dos grandes desafios de profissionais de marketing. O que podemos usar para resolvê-lo?

Modelos de Atribuição Multicanal: como escolher o jogador mais importante

Quando falamos em atribuição multicanal, a decisão final de qual canal contribuiu mais para uma conversão-chave será sempre arbitrária. Isso porque não existe uma resposta certa.

A resposta certa para questionamentos de atribuição vai depender da sua estratégia, da sua empresa e dos tomadores de decisão.

Existem alguns modelos que podemos usar para ajudar a determinar como vamos enxergar a atribuição multicanal. Por isso, sempre que surge um desafio de atribuição, é preciso fazer uma escolha estratégica de qual modelo de atribuição será usado.

Leia atentamente sobre cada um antes de decidir qual faz mais sentido para a realidade da sua empresa!

Para entender cada um dos modelos de atribuição multicanal, vamos usar como exemplo a jornada que descrevemos no início do artigo. Ou seja, de uma pessoa que precisava comprar um tênis de corrida e teve contato a empresa na seguinte ordem:

  1. Tráfego orgânico
  2. Anúncio no Facebook
  3. Tráfego direto
  4. Email Marketing
  5. Conversão (compra)

Atribuição de último clique/última interação

Esse é o modelo que confere 100% do crédito para o último canal de contato.

No nosso exemplo, o email marketing levaria todo o crédito pela compra do tênis de corrida, enquanto os outros canais não levariam crédito.

Se a empresa tivesse que escolher um canal para reduzir custos, muito provavelmente não seria o Email Marketing.

Nenhum modelo de atribuição é perfeito (na verdade, eles estão bem longe disso). Para fazer a escolha certa, é importante entender os prós e contras de cada um.

Vamos aos pontos positivos e negativos da atribuição de último clique/última interação!

Prós

Além de ser simples de entender, a atribuição de último clique/última interação é uma das mais fáceis de implementar.

Ferramentas como o Google Analytics , por exemplo, permitem ver o último canal visitado pelo usuário antes de uma conversão.

Além disso, é fácil calcular a participação de um canal em uma conversão, já que um único canal sempre ganhará todo o crédito.

Guia Completo do Google Analytics

Contras

Esse tipo de atribuição ignora totalmente a participação de outros canais na conversão.

O ponto negativo disso é que cada canal tem um papel diferente na estratégia de marketing, e consequentemente alguns agem mais no momento da conversão que outros. Por exemplo, é mais provável que um anúncio de Google AdWords gere mais vendas de tênis de corrida do que um post no Instagram, já que o anúncio é mais direcionado.

Assim, a atribuição de último clique/última interação favorece estratégias que são direcionadas para a conversão e desfavorece canais que focam mais em relacionamento e branding.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS
👉 [EBOOK GRATUITO]: Marketing no Instagram
👉
[EBOOK GRATUITO]: Google Adwords

Atribuição de primeiro clique/primeira interação

Entender esse modelo de atribuição não vai ser difícil, já que ele é o exato oposto da atribuição de primeiro clique/primeira interação!

Ou seja, esse modelo dá 100% dos créditos para o canal onde houve a primeira interação.

Seguindo nosso exemplo, o tráfego orgânico levaria o crédito pela compra do tênis de corrida.

Se a empresa tivesse que responder à pergunta “Quantos clientes geramos com a nossa estratégia de SEO?”, com a atribuição de primeiro clique/primeira interação a resposta seriam apenas os clientes cuja primeira interação com a empresa foi por meio do tráfego orgânico.

Prós

Assim como acontece com a atribuição de último clique/última interação, esse tipo de modelo é fácil de compreender e fácil de implementar pois atribui todo o crédito para um único canal.

A maioria das ferramentas de automação de Marketing usa esse modelo como estrutura principal. Você pode perceber, nessas ferramentas, que elas estabelecem a fonte original do contato como o primeiro canal onde o contato interagiu com a empresa.

Portanto, a atribuição de primeiro clique/primeira interação é usada em diversas ferramentas e isso torna muito fácil a análise dos dados, uma vez que não é preciso criar novos mecanismos para acompanhar as interações dos contatos.

Contras

Esse modelo de atribuição tem o mesmo ponto negativo da atribuição de último clique/última interação.

Ou seja, o fato que esses modelos ignoram outros canais que contribuíram para a conversão pode gerar uma visão enviesada de que alguns canais são mais importantes que outros, quando na verdade podem ser canais que naturalmente contribuem mais no momento da conversão.

Atribuição Linear

Lembra quando você estava na escola, e em algumas competições todos os alunos ganhavam medalhas de participação?

Esse é o modelo linear.

Ele assume que todos os canais contribuem o mesmo tanto para levar à conversão, e portanto devem receber exatamente o mesmo tanto de crédito.

No nosso exemplo do tênis de corrida, o crédito seria distribuído igualmente entre os 3 canais: o tráfego orgânico ganharia 25% do crédito, o anúncio no Facebook ganharia 25% do crédito, o tráfego direto ganharia outros 25% e o Email Marketing idem.

Prós

Enquanto as atribuições última interação e de primeira interação ignoram os canais que não foram responsáveis pela primeira ou última interação, a atribuição linear dá o devido crédito para todos os canais que participaram na conversão, e isso pode ser um ponto positivo.

Esse modelo elimina a possibilidade de não estar dando devido crédito para algum canal.

Contras

Atribuir crédito para todos os canais pode eliminar alguns vieses de recência, mas por outro lado, com o modelo linear não é possível determinar qual canal gera mais valor.

Se tivéssemos o desafio de escolher um canal para priorizar e um canal para reduzir custos, e usássemos o modelo de atribuição linear, a decisão ficar mais difícil. Seria preciso fazer uma análise histórica um pouco mais complexa para determinar qual canal recebeu mais crédito acumuladao ao longo de um período de tempo.

Atribuição de desvalorização temporal

Esse modelo de atribuição prioriza a recência. Ou seja, ele assume que todos os canais têm um papel importante na conversão final, mas que essa importância é relativa a quanto tempo antes da conversão aconteceu o contato no canal.

De maneira simples, uma interação que acontece uma semana antes da conversão tem menos relevância que uma interação que ocorre 1 dia antes da conversão.

Então o que aconteceria no caso do nosso exemplo da compra do tênis de corrida?

Segue a linha do tempo da nossa compra:

Dia 1: Tráfego orgânico

Dia 7: Anúncio no Facebook

Dia 14: Tráfego direto

Dia 14: Email Marketing

Dia 14: Compra

Sendo assim, o anúncio do Facebook aconteceu 7 dias antes da conversão, e a visita de busca orgânica aconteceu 14 dias antes da conversão;

Para analisar esse modelo, é preciso sempre definir uma meia-vida, ou seja, um período de tempo que servirá de comparação para fazer a análise. No caso, nossa meia-vida será de 7 dias.

Isso significa que o anúncio do Facebook, onde você interagiu 7 dias antes da compra, receberá metade do crédito recebido pelo Email Marketing pelo tráfego direto, enquanto o tráfego orgânico terá ¼ do valor dos canais que participaram no mesmo dia da conversão (porque ele impactou 14 dias antes da conversão).

Prós

Entre as opções apresentadas até agora, é um dos modelos de atribuição mais realistas. Além de dar crédito para todos os canais, levando em conta a participação de cada um na conversão, ele prioriza as interações mais recentes. O que faz sentido!

Contras

O ponto negativo da atribuição de desvalorização temporal é que ela pode ser difícil de analisar, dependendo das ferramentas que você usa para acompanhar suas conversões-chave.

No Google Analytics é possível determinar um modelo de atribuição temporal para fazer análise das metas definidas no Analytics. Se você faz o acompanhamento de conversões usando o Google Analytics, ótimo!

Se você usa outra ferramenta, como um software de automação de marketing, que não tem a mesma finalidade, a atribuição de desvalorização de tempo pode não ser a melhor opção para você.

Atribuição de Posicionamento

Agora que já passamos por modelos de atribuição que levam em conta a ordem das interações, a contribuição de canal canal e a influência do tempo, chegamos ao último modelo de atribuição cujo maior fator é a ordem dos canais até chegar na conversão.

Se tivéssemos que materializar os modelos de atribuição, a atribuição de posicionamento seria um sanduíche.

Assim como na atribuição linear e de desvalorização temporal, sua premissa é que todos os canais contribuem para a conversão. No entanto, a atribuição de posicionamento assume que o primeiro e o último canal são os mais importantes na jornada de compra.

A lógica por trás desse modelo é que o primeiro canal é muito importante pois contribuiu com a atração do cliente para a empresa, enquanto o último canal de interação contribuiu para a conversão-chave. E as interações que ocorreram entre esses também merecem mérito pois fizeram parte da jornada do cliente, porém não merecem tanto crédito.

Prós

Tal como a atribuição de desvalorização temporal, a atribuição de posicionamento é um dos modelos que faz mais sentido lógico.

Além de considerar a importância de todos os canais na conversão, ele consegue destacar os canais que tiveram mais impacto na jornada (ao contrário da atribuição linear, que confere o mesmo crédito para todos). Desta maneira, é possível determinar quais canais têm mais impacto na jornada do cliente.

Contras

Como nada na vida vem fácil, a atribuição de posicionamento é uma das mais difíceis de implementar fora do Google Analytics.

Se você usa o Google Analytics para acompanhar conversões, pode considerar usar esse modelo pois não será difícil implementar. Caso contrário, será preciso estudar outras maneiras de analisar a performance do seu canal usando esse modelo.

👉 [EBOOK GRATUITO]: Como otimizar suas conversões com o Facebook Ads
👉 [EBOOK GRATUITO]: Kit de Marketing nas Redes Sociais
👉 [EBOOK GRATUITO]: O Guia Definitivo de SEO da Rock Content
👉 [KIT GRATUITO]: Domine o Google

Agora é com você!

Se faz tempo que você precisa responder perguntas como “De qual canal vêm mais clientes?” ou “Qual dos nossos canais gera mais valor?”, pode ser a hora certa de determinar um modelo de atribuição multicanal para sua estratégia de marketing.

Vou repetir:

Determinar UM modelo de atribuição multicanal para sua estratégia de marketing.

É isso aí. O ponto mais importante aqui é escolher apenas um modelo que guiará a análise de todas as suas estratégias de Marketing. Afinal, você está fazendo isso para padronizar a análise de resultados (e isso será uma missão impossível se sua equipe usar diversos modelos ao mesmo tempo).

Nenhum modelo de atribuição é perfeito. É essencial lembrar disso em todos os momentos. Todos terão pontos negativos, e será preciso conviver com isso.

Portanto, reflita bastante antes de determinar seu modelo de atribuição e converse com outras pessoas que tomam decisões de Marketing para que em conjunto vocês possam pesar os prós e contras de cada modelo.

Desejo que depois dessa leitura você consiga tomar decisões mais informadas e possa entender mais sobre como suas estratégias de Marketing impactam os resultados de vendas!

Quer continuar amadurecendo sua estratégia de Marketing Digital? Confira nosso Ebook gratuito com templetes de campanha de reativação de Leads!

Campanha de Reativação de Leads

como integrar Hello Bar à RD

Como transferir contatos da Hello Bar para a RD Station

Você já tem um blog rodando e cheio de visitantes, por isso decidiu instalar a Hello Bar para conquistar mais leads e otimizar sua conversão.

Mas tem um problema: você não consegue mandar os emails capturados para a RD Station, que é a plataforma onde você gerencia todos os seus contatos.

Isso reduz a eficiência da Hello Bar e de toda a sua estratégia, porque você precisa cuidar desse processo manualmente e, na correria do dia a dia, nem sempre importa os novos contatos para sua base.

Isso é um pouco desanimador, não é mesmo? Mas… E se eu disser que existe um jeito para conectar Hello Bar e RD Station sem custos, deixando o processo totalmente automatizado?

Gostou da ideia? Então veja o nosso tutorial para aprender essa mágica e aplicá-la na sua empresa!

Atenção: esse tutorial só funciona se o seu plano da RD Station for Pro ou Enterprise, ok?

Se você preferir, pode conferir um passo a passo aqui:

O que é o Zapier?

O Zapier é um site que te possibilita conectar uma (ou mais) ferramentas entre si, sem a necessidade de programação.

Por conta da sua eficiência e praticidade, ele foi carinhosamente apelidado de “motoboy do Marketing” e, desde então, vem nos ajudando a levar informações de uma plataforma para outra.

Para o processo em questão nesse post, vamos precisar de apenas 2 integrações que podem ser realizadas através de uma conta gratuita. Apesar disso, o Zapier também permite criar processos maiores ou mais complexos através de um plano pago.

Se você quiser mais informações sobre essa super ferramenta, não deixe de ler o nosso guia completo do Zapier!

Agora que você já conhece o nosso mensageiro, vamos ao que interessa:Confira nosso tutorial de

Como transferir seus contatos da Hello Bar para a RD Station

O primeiro passo é, claro, criar a sua conta no Zapier.

Como nós dissemos acima, se você não for utilizar a ferramenta para outros propósitos, pode utilizar o plano “Forever Free” tranquilamente.

Em seguida, basta seguir essas instruções:

1. Acesse o Zapier

Faça login e acesse a tela inicial, onde você encontrará a opção “Make a Zap!” no canto superior direito.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

2. Dê um nome para o seu Zap

Agora que você está na tela de configuração do seu Zap, não se esqueça de nomeá-lo. Isso é importante para manter sua conta organizada.

Escolha o nome que quiser, desde que você consiga identificá-lo facilmente.

Nesse caso, como exemplo, vamos utilizar “Hellobar Saia do Lugar > RD Station”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

3. Selecione o aplicativo do gatilho

Em seguida, é preciso configurar o “trigger”, ou seja, o gatilho que irá ativar o processo.

No nosso caso, o gatilho é ativado sempre que alguém preencher suas informações na Hello Bar. Apesar disso, o Zapier ainda não possui uma integração direta com essa ferramenta e para realizar esse processo é preciso utilizar uma alternativa: o Webhook by Zapier.

Para selecioná-lo, basta pesquisar por seu nome na tela de configuração.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

4. Selecione e configure o gatilho

Agora que já selecionamos o aplicativo Webhook, precisamos configurar o gatilho em si. Nesse caso, iremos utilizar a opção “Catch Hook”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Em seguida é possível fazer configurações mais avançadas, mas elas não são necessárias para o nosso processo.

Por isso, deixe a tela em branco e pressione “continue”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Pronto! O gatilho do nosso Zap foi configurado. Você deve ver uma tela parecida com essa:

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Copie o link, mas NÃO feche essa aba! Antes de terminar essa etapa do processo é preciso ir no site da Hello Bar e alterar algumas configurações.

5. Acesse a Hello Bar e selecione seus contatos

Faça login no site da Hello Bar e selecione a opção “Contacts” no menu da esquerda.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Nessa tela você verá todas as listas de contatos que seus pop-ups já geraram. Você irá perceber que o “Email Service” está configurado como Hello Bar porque os seus contatos continuam armazenados dentro da plataforma — e é isso que nós vamos mudar.

Clique no nome da lista para abrir novas opções:

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Na nova tela você terá a opção de editar:

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

6. Altere o aplicativo de integração da Hello Bar

Agora é o momento de dizer à Hello Bar que os emails que ela captura devem ser entregues ao motoboy, digo, ao Zapier.

Para isso, clique em “Nevermind, I want to view all tools”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Depois, basta selecionar a opção webhooks.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

7. Configure o webhook com o link do Zapier

Aqui nós vamos preencher o campo “Webhook URL” com aquele link que foi gerado pelo Zapier no começo do nosso tutorial.

Depois de colocá-lo aqui, não se esqueça de selecionar a check box “POST request” — isso é essencial para o sucesso da configuração.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

8. Volte para o Zapier e teste o webhook

Pronto! Agora que já alteramos as configurações da Hello Bar, é hora de verificar se o nosso webhook está funcionando corretamente.

Volte para o site do Zapier e clique no botão “OK, I did this”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Agora o Zapier irá testar o processo e, se tudo estiver certo, você verá uma tela como essa.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Se o seu teste não funcionar…

Se você não ver a faixa verde, pode ser que a Hello Bar em questão não tenha nenhum contato para ser utilizado como teste.

Se isso acontecer com você, visite o seu site e se inscreva com o seu próprio email ou um endereço fictício.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Em seguida, volte na opção “Catch a Hook” e refaça todos os passos até o momento do teste.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Quando finalmente chegar à tela de teste, clique no botão “Re-test Webhooks by Zapier to get another hook”. Isso deve solucionar o problema.

Se isso não acontecer, basta deixar um comentário com a mensagem de erro e nós vamos te ajudar.

Mas se tudo deu certo, é hora de configurar a segunda etapa do nosso Zap: a ação que nós desejamos que ele faça.

9. Configure a ação na RD Station

Nesse caso, queremos passar os emails dos nossos assinantes para a RD Station, certo?

Por isso, basta selecionar a ferramenta na lista de apps:

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Aqui, é interessante dizer que a RD Station nos permite fazer 3 ações com a ajuda do Zapier:

  • Create Lead, ou seja, criar um novo contato na RD;
  • Lost Deal, para sinalizar uma oportunidade de negócio que não teve sucesso;
  • e Won Deal, para sinalizar uma oportunidade que realmente virou cliente.

No nosso caso, vamos selecionar a primeira opção, “Create Lead”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

10. Conecte o Zapier com sua conta na RD Station

Em seguida, é preciso conectar o Zapier com sua conta na RD Station.

Para fazer isso, você precisa do seu token e private token da plataforma. Se você não sabe quais são eles, basta clicar nos links que aparecem na janela.

Ah! É importante dizer que os links só funcionam se você já estiver logado em sua conta.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Com sua conta conectada, basta selecioná-la e seguir para o próximo passo.

11. Selecione as informações que serão transmitidas

Agora iremos configurar a entrega dos emails na RD Station. Para isso, basta selecionar a opção “email” dentro das informações colhidas pelo hook.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Em seguida, escolha o nome que irá identificar essa conversão na RD Station.

Crie o nome que você quiser, desde que ele seja de fácil compreensão. No nosso exemplo, usamos “subscriber-hellobar”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

É esse identificador que você usará para criar listas de segmentação na RD.

O nome que você escolher ficará assim no histórico da lead:

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

12. Teste o envio de dados

Campos configurados, é hora de testar a conexão entre o Zapier e a RD Station.

Nessa tela você verá um resumo das informações que serão transmitidas que, nesse caso, são apenas os endereços de email e o identificador da conversão.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Se tudo funcionar, você verá uma mensagem de confirmação e pode clicar em “Finish”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

13. Ligue o seu zap!

Pronto! A Hello Bar já sabe que precisa mandar seus contatos para o Zapier que, por sua vez, sabe que precisa entregá-los na RD Station.

Agora só falta você ligar o zap mudando o botão de “off” para “on”.

como passar contatos da Hellobar para a RD Station

Pronto! Agora você não precisa mais se preocupar em importar sua lista de contatos manualmente. O Zapier vai fazer todo o trabalho pesado por você. 😉

Se alguma coisa não acontecer como o esperado ou se você ainda tiver dúvidas, basta deixar um comentário.

E se tudo deu certo, baixe o nosso guia da Newsletter para aprender tudo o que você precisa para iniciar um relacionamento de sucesso com os contatos capturados pela Hello Bar!

guia newsletter

Chatbots e Marketing

Chatbots vão acabar com o atendimento humano?


(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post! Deixe nos comentários o que achou.)

Chatbots parecem despontar como a próxima grande inovação no relacionamento entre empresas e consumidores. A necessidade de uma comunicação mais rápida, personalizada e unificada abre espaço para esta tecnologia, que literalmente não para de se desenvolver.

Conceitualmente, você pode dizer que chatbots são programas de computador respondendo mensagens de usuários. Mas isso não passa toda a ideia do que eles podem fazer por sua empresa!

Integrar o atendimento em vias que seus clientes realmente usam no dia-a-dia, otimizar o atendimento com respostas imediatas e segmentadas, gerar vendas de maneira prática e automatizada, aprender com cada atendimento e melhorar as respostas ao longo do tempo.

Todas são funções que os Chatbots vem mostrando serem capazes de fazer com qualidade, e do ponto de vista tecnológico várias opções impressionantes já são possíveis.

Mas afinal, com todas estas possibilidades, é possível que o atendimento humano se torne obsoleto? Os chatbots tem potencial de tomar conta do setor de atendimento das empresas por completo?

Se você está lendo por que pretender substituir todos os responsáveis por atendimento da sua empresa por um Chatbot, lamento te informar que não vai funcionar.

Para te explicar por que é importante explicar como o Chatbot funciona dentro do fluxo de comunicação de uma empresa.

Como funciona um Chatbot

Chatbots funcionam em cima de como seu cliente se comunica com sua empresa. Ao clicar no chat, o usuário pode querer solicitar um orçamento, saber mais sobre seu produto, fazer uma compra, deixar um feedback, entre várias possibilidades.

O que o Chatbot faz é similar ao que fazem as linhas automáticas de atendimento telefônico. Você pode clicar ‘1’ para consultar seu saldo, ‘2’ para ouvir suas mensagens, ‘3’ para apagar mensagens, assim por diante.

Não é muito diferente com Chatbots: são apresentadas opções e você segue um caminho pré-determinado em um fluxograma. A grande diferença é que são sistemas inteligentes, que são programados para assimilar relações mais complexas e aprender em cima das experiências anteriores.

Um Chatbot pode ser programado para reagir de acordo com o estágio de funil de um cliente, entregando materiais que sejam relevantes para ele com base em informações que você já possui, como quais páginas do seu site ele já visitou e quais materiais ele já baixou.

Pode também ajudar a marcar leads como qualificados ou não, de acordo com informações que você já possui sobre suas personas, leads, MQLs e clientes. Tudo de forma automatizada e imediata, poupando tempo da sua equipe de Marketing e Vendas.

Chatbots funcionam em cima do conceito de Machine Learning. Isto quer dizer que além de desempenhar as funções pré-programadas, eles são desenvolvidos para entender falhas e padrões e se corrigir.

Então por que o atendimento humano ainda será necessário?

Por que qualquer ferramenta tecnológica de comunicação deve sempre ser vista como complementar, principalmente quando o assunto são negócios.

Nem todas as solicitações dos seus clientes podem ser atendidas de forma imediata por um sistema pré-programado, mesmo que o Chatbot aprenda a solucionar este problema após algumas ocorrências.

Se uma pessoa entra no chat, mas deseja fazer algo que não está entre as possibilidades do Chatbot, é preciso ter pessoas preparadas para atendê-la naquele momento.

Usando o Chatbot de maneira correta, o seu time de atendimento e vendas pode entrar em ação nos casos que realmente necessitam de um serviço personalizado, economizando o tempo gasto em ações que podem ser automatizadas.

Sim, o conceito do Chatbot passa pela ideia de reduzir custos com equipes menores, mas nunca de acabar com um setor inteiro.

Pegue a automação de marketing como exemplo. Hoje os profissionais de marketing usam ferramentas que reduzem o trabalho manual, e consequentemente podem trabalhar com times menores.

Estas ferramentas ajudam a aumentar a eficiência do time e diminuir o tempo gasto com cada tarefa. E isso significa um processo mais eficiente e lucrativo.

Funciona da mesma forma. Sua equipe, não desaparecerá, ao contrário, ela terá uma ferramenta valiosa de poupar tempo e gerar oportunidades. O tempo poupado vai ser melhor utilizado para atender casos específicos e otimizar os processos do time.

Chatbots ainda são novidades, mas mostram que tem potencial enorme e que provavelmente vieram para ficar. Por isso, preparamos um material completo, com tudo que você precisa saber sobre Chatbots, além de um case de uma empresa que já tem sucesso utilizando esta ferramenta. Vale muito a pena conferir!

Chatbots e Marketing ebook

Automação de Marketing

Automação de marketing: tudo que você precisa saber

Quem já ouviu falar sobre Marketing Digital, logo em seguida escutou sobre automação de Marketing. E não é à toa!

O público disponível na internet é imenso e as estratégias de marketing digital que podem te ajudar a atraí-los são inúmeras. Porém, realizar todas elas com primazia é um belo desafio tanto para os pequenos empreendedores quanto para as grandes corporações.

E é aí que entra a automação de marketing!

Ela ajuda as empresas a atingirem potenciais clientes em grande escala, mas de forma personalizada.

Se você ainda tem dúvidas sobre como ela funciona e por que você deve adotá-la, não se preocupe! Neste post nós explicaremos os principais pontos que você precisa saber, como:

  • O que é automação de Marketing?
  • Quais os benefícios da automação?
  • Quais são as dúvidas mais comuns sobre o assunto?
  • O que faz uma boa ferramenta de automação?
  • Quais as principais dicas para ter uma automação de sucesso?
  • Como escolher a ferramenta de automação ideal para a sua empresa?

Preparado? Então, vamos lá!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O que é automação de Marketing?

Automação de Marketing é a prática de utilizar softwares e outras tecnologias para agir em escala e aumentar os resultados de uma empresa. Por meio dela é possível identificar, acompanhar e agir de forma personalizada com o seu público, melhorando o relacionamento em geral e, consequentemente, as vendas.

Por exemplo, pense na rotina de uma equipe de marketing digital: toda semana eles precisam publicar conteúdos no blog para atrair novos visitantes. Depois, é preciso divulgar esses posts nas redes sociais e gerenciar todo o engajamento que eles geram. Além disso, eles precisam gerar contatos, ou seja, leads para a equipe de vendas, e por isso eles capturam emails ofertando uma newsletter.

Mas a equipe de vendas precisa de mais informações antes de entrar em contato, e é por isso que o marketing produz ebooks, webinars e planilhas que são disponibilizados após o preenchimento de um formulário que pede informações como site, telefone, área de atuação etc.

Avaliando as respostas dos formulários, é possível identificar que algumas pessoas seriam clientes ideais para a empresa deles, mas outras nem tanto. Para esse segundo grupo, é preciso nutrir o relacionamento com a ajuda de conteúdos educativos.

Se tudo isso já não bastasse, a equipe de marketing também precisa mensurar os resultados de suas ações e campanhas, além de avaliar, junto com a equipe de vendas, se eles estão atraindo os clientes corretos para a empresa.

Resumindo, o volume de atividades e processos necessários para fazer essa “máquina” funcionar é gigante. E quanto mais a empresa crescer, maior o número de contatos a serem gerados e trabalhados.

É por isso que as equipes de marketing precisam de ferramentas que reduzam o trabalho manual. Elas ajudam a aumentar a eficiência do time e diminuir o tempo gasto com cada tarefa. E, nesse caso, tempo é dinheiro!

Com a ajuda de uma ferramenta de automação de marketing é possível agendar as postagens nas mídias sociais, disparar emails específicos de acordo com dados ou ações dos contatos, avaliar as pessoas que estão realmente prontas para conversar com a equipe de vendas, mensurar os resultados das campanhas e muito mais!

E não é só isso! Para conhecer as outras vantagens das ferramentas de automação, leia o tópico abaixo.

Quais os benefícios da automação?

As empresas grandes, que lidam com milhares de contatos e clientes, veem na automação um benefício claro: ele facilita o dia a dia dos funcionários e ainda melhora o gerenciamento de tudo.

Mas quem ainda está começando pode se sentir reticente quanto a realizar um investimento nesse caminho. Afinal, se a empresa ainda é pequena, é possível administrar esses detalhes manualmente, não é mesmo?

Independente de qual for o seu caso, saiba que a automação tem muito mais a oferecer, como:

Maior geração de leads

Se a sua empresa já tem a jornada dos clientes bem mapeada, é muito mais fácil criar guias e processos que te ajudem a atrair e capturar mais leads.

E de acordo com a pesquisa TechTrends 2017, se você fizer isso com a ajuda de uma ferramenta de automação, pode conquistar 2 vezes mais contatos.

Melhor geração de oportunidades de venda

Uma pessoa pode não ter interesse no seu produto hoje, mas talvez isso mude daqui 2 ou 3 meses. Nesses casos, você precisa se manter ocasionalmente presente na vida deles, nutrindo o relacionamento com conteúdo útil e educativo, preparando-os para o momento da compra.

Com a automação de marketing é possível fazer esse acompanhamento de forma personalizada, o que aumenta a geração de oportunidades de negócio para a sua equipe de vendas.

Sem essa prática, talvez as pessoas demorariam ainda mais para se sentirem prontas ou nem chegariam ao estágio de decisão de compra.

Reduz o ciclo de vendas

Como a ferramenta de automação te ajuda a acompanhar, gerir e nutrir seus contatos, você consegue deixar o processo de vendas mais consultivo.

Isso quer dizer que os futuros clientes gastam menos tempo argumentando, o que torna o processo de compra mais rápido e eficaz.

Reduz o CAC

CAC é o acrônimo do termo em inglês “cost to acquire customers” ou custo de aquisição do cliente. Ela é a métrica que indica quanto dinheiro você precisou gastar para conseguir um novo cliente para a sua empresa.

Agora, imagine que a sua equipe de marketing realizou uma promoção especial para a Black Friday e teve um retorno incrível: vocês atraíram 20 novos clientes por R$ 50 reais cada. Apesar disso, vocês tiveram que cuidar de cada processo manualmente, analisando perfil a perfil, verificando as informações de cada cliente antes de transferí-las para a equipe de vendas, o que gastou dias e dias de trabalho da sua equipe.

Nesse ritmo, sua equipe não consegue aumentar o impacto ou realizar múltiplas campanhas a menos que contrate mais mão de obra.

Mas, com uma ferramenta de automação, as tarefas maçantes e processuais são otimizadas, e as informações melhor processadas. Desta forma, sua equipe tem tempo de sobra para ampliar os esforços da campanha, atingir mais pessoas e, consequentemente, atrair mais clientes com o mesmo investimento. Resumindo, você reduz o seu CAC!

O que faz uma boa ferramenta de automação de Marketing?

Agora que você já entendeu o que é automação e quais os benefícios que essa plataforma te entrega, é hora de conhecer as principais funcionalidades de uma boa ferramenta e como elas podem colaborar com as suas estratégias de marketing.

Mídias Sociais

Quem trabalha com marketing digital já sabe: “o conteúdo é rei e a divulgação, rainha”.

Para ter sucesso não basta produzir conteúdo, é preciso investir tempo e dinheiro na divulgação e, nesses casos, as mídias sociais são nossas grandes aliadas!

O problema é que publicar na frequência adequada para cada rede, além de acompanhar e gerenciar todos os engajamentos é uma tarefa e tanto. É por isso que as boas ferramentas de automação podem te ajudar a:

  • agendar suas postagens nas redes;
  • monitorar curtidas, comentários, compartilhamentos e etc.;
  • monitorar os cliques que você atraiu pelas mídias sociais;
  • identificar, integrar e acompanhar as interações dos usuários em múltiplas plataformas.

E se você tem interesse em aprender mais estratégias de Marketing para Redes Sociais, não deixe de baixar o nosso kit sobre o assunto:

ebook marketing nas redes sociais

Email Marketing

Outro excelente canal para a divulgação de conteúdos é o email e, por conta disso, essa funcionalidade também é fundamental para as ferramentas de automação.

Com ela devidamente configurada é possível realizar disparos em massa para divulgar sua newsletter, materiais ricos, promoções e etc.

Para maximizar os resultados, também é possível personalizar as mensagens com informações como: nome do contato, nome da empresa e outros dados relevantes, deixando o email com uma aparência mais pessoal e amigável.

Baixe o nosso Guia do Email Marketing e descubra todo o potencial que essa estratégia pode te oferecer através da automação:

ebook email marketing

Geração de leads

Parte fundamental de uma boa estratégia de Inbound Marketing, a geração de leads deve ocupar um lugar de destaque nas funcionalidades de uma boa ferramenta, contendo, por exemplo, as opções:

Criar calls-to-action

Os CTAs ou, em inglês, calls-to-action, são chamadas para a ação que te ajudam a atrair a atenção do leitor e indicar os próximos passos.

Eles podem ser em formato de botão, imagem ou texto e são utilizados para incentivar ações como:

  • convidar o usuário a visitar uma landing page e baixar um material rico;
  • assinar uma newsletter;
  • entrar em contato com sua equipe de vendas;
  • levar o leitor para uma página do seu site ou blog;
  • realizar uma chamada;
  • e muitas outras!

Criar formulários e personalizar campos

Para gerar leads é preciso capturar informações e, nesse caso, os formulários com campos personalizados são os seus melhores amigos.

Com a ajuda de uma ferramenta de automação você consegue definir quais são os dados essenciais para diferentes momentos da jornada do seu consumidor e, pouco a pouco, enriquecer o seu banco de dados.

Criar landing pages e thank-you pages

As landing pages ajudam a converter visitantes em leads por meio de ofertas como:

  • ebooks;
  • webinars;
  • planilhas;
  • checklists;
  • cursos;
  • períodos de teste;
  • descontos e etc.

Já as thank you pages são aquelas que os visitantes verão se preencherem o formulário da landing page com sucesso.

Além de criar essas páginas, uma boa ferramenta permite que você faça isso através de um editor “arraste-e-solte”, o que simplifica o processo e não deixa a sua equipe de marketing dependente de um designer ou programador.

Para maximizar os resultados dessas páginas, também é importante que a ferramenta facilite a realização de testes A/B.

Configurar fluxos de nutrição

Parte complementar do Email Marketing, os fluxos de nutrição permitem disparar uma sequência de mensagens que têm como objetivo construir ou melhorar o seu relacionamento com os contatos.

Essa prática é fundamental para educar os leads e reduzir o ciclo de vendas, por isso uma boa ferramenta ajudará a:

  • programar o envio de emails em datas e horários específicos;
  • disparar emails sempre que um contato visitar uma página relevante como, por exemplo, a página de preços ou cases de sucesso;
  • enviar conteúdos semelhantes ou complementares após o download de um material rico;
  • mandar lembretes para renovação de contrato, atualização de dados e muito mais.

Para dominar as táticas de geração de lead, não deixe de ler o material abaixo:

ebook geração de lead

Gerenciamento de leads

Cuidar de uma base de 10 contatos é fácil, mas gerenciar uma base de 100, 1.000 ou 10.000 é outra coisa! E é por isso que as ferramentas de automação são como super heroínas para a sua equipe de Marketing. Com o auxílio delas você pode:

Segmentar sua base

Mesmo que você trabalhe com uma única persona, ainda assim, é possível segmentar a sua base de inúmeras formas para criar mensagens mais personalizadas e entregar conteúdos realmente relevantes.

Boas ferramentas irão permitir que você crie múltiplas listas de segmentação com base nas informações dos seus contatos ou no comportamento que eles possuem.

Lead Scoring

Para facilitar o acompanhamento da jornada do cliente, as ferramentas de automação de marketing permitem atribuir pontos para as características e ações realizadas pelos seus contatos. Por exemplo:

  • abrir um email = 5 pontos
  • baixar um ebook = 15 pontos
  • visitar a página de preços = 150 pontos
  • empresa localizada fora do Brasil = – 1.000
  • empresa com mais de 50 funcionários = 75 pontos
  • cargo igual a gerente ou diretor = 50

Os leads que apresentarem as pontuações mais altas têm maiores chances de fechar um negócio.

Desta forma, o lead scoring ajuda sua equipe de vendas a identificar rapidamente quais são os contatos que devem ser tratados com prioridade.

Integração com o CRM

Outra característica fundamental para uma automação de sucesso é a integração com um sistema de gestão de relacionamento com o cliente (CRM). Assim, é possível fazer a passagem dos leads qualificados para vendas e ainda manter todo o histórico das interações realizadas com esses contatos.

Ter esse tipo de conexão ajuda a implementar a estratégia de Vendarketing e garantir a sinergia entre as equipes de Marketing e Vendas.

Análise e acompanhamento de métricas

Etapa fundamental de qualquer estratégia, a mensuração e avaliação dos resultados é essencial para compreender o que está funcionando (ou não) na sua estratégia e realizar melhorias.

Com a ajuda de uma boa ferramenta você será capaz de produzir relatórios com informações mais confiáveis e bem detalhadas. Além disso, muitas ferramentas produzem gráficos e comparações automaticamente, facilitando a análise geral.

Quais as principais dúvidas sobre automação de Marketing?

Para quem não está muito familiarizado com as práticas e ferramentas do Marketing Digital, é comum surgirem algumas dúvidas sobre esse assunto, por isso vamos abordar as 2 mais comuns deste caso:

Ferramenta de automação e de Email Marketing são a mesma coisa?

Não, elas não são a mesma coisa!

Embora as ferramentas de email marketing também sejam um um tipo de automação (já que permitem o envio de mensagens em grande escala), elas não oferecem a mesma gama de funcionalidades que uma ferramenta de automação completa.

Ferramenta de automação e CRM são a mesma coisa?

Novamente, a resposta é não!

As duas são ferramentas diferentes, mas complementares. Não é à toa que as boas ferramentas de automação de marketing já oferecem a possibilidade de se integrar com uma ferramenta de CRM.

Enquanto a primeira é extremamente valiosa para a equipe de marketing, a segunda facilita o dia a dia dos vendedores.

Por conta disso, recomendamos o uso das duas: a de automação de marketing para atrair, converter e nutrir leads; e o CRM para acompanhar, organizar e registrar os processos de vendas.

Como garantir o sucesso da sua automação?

Apesar de todos os benefícios que nós já citamos no começo do texto, existem empresas que investem em uma ferramenta de automação e dizem não alcançar o retorno que esperavam desse investimento.

Nesses casos, é comum que os usuários da plataforma não tenham recebido o treinamento necessário para utilizar as funcionalidades da melhor maneira.

Para que isso não ocorra com você, separamos algumas dicas que devem ser levadas em consideração.

Tenha processos e objetivos bem claros

Se você ainda não definiu qual será o processo padrão para uma determinada tarefa ou se você ainda não domina o processo manual, talvez você não esteja pronto para automatizá-lo.

Nesses casos, comece com tarefas pequenas e planeje todas elas estrategicamente. Defina os objetivos de cada uma delas, assim como os KPIs que ajudarão a avaliar o seu desempenho.

Quando você notar que está progredindo, procure por oportunidades de melhoria e automatize as tarefas mais maçantes ou trabalhosas.

Com o tempo você terá maior domínio sobre suas estratégias de Marketing, assim como das funcionalidades da sua ferramenta.

Mantenha um acompanhamento bem próximo

Um erro comum dos principiantes é acreditar que a ferramenta é mágica e cuidará de tudo sozinha. Não faça isso!

Assim como toda tecnologia, as ferramentas de automação devem ser constantemente supervisionadas e alteradas para alcançar os resultados desejados.

Além disso, erros acontecem, assim como mudanças na plataforma, portanto você e sua equipe devem estar sempre preparados para agir quando necessário.

Automatize, mas não generalize!

Embora a ferramenta te ajude a realizar ações em massa, nunca se esqueça de investir tempo na personalização.

Use e abuse das listas de segmentação e dos token de personalização — eles farão toda a diferença quando o usuário estiver interagindo com você!

Não se esqueça dos clientes atuais

Aqui no texto a gente falou muito sobre táticas de atração, conversão e nutrição, mas isso não quer dizer que você deva deixar a fidelização de lado.

Use a sua criatividade para automatizar ações que podem ajudar os seus clientes a aproveitarem seus produtos ao máximo, aumentando as chances deles se tornarem promotores da sua marca.

Enviar cupons de desconto no dia do aniversário, realizar pesquisas de satisfação e oferecer produtos complementares são apenas alguns exemplos de pequenas ações que você pode automatizar.

Faça revisões e melhorias contínuas

Não deixe a sua ferramenta atuando no piloto automático! Fique atento às atualizações de sistema e, sempre que possível, realize testes A/B em busca de oportunidades de melhoria.

As vezes o que traz um ótimo resultado hoje pode não performar da mesma forma daqui 6 meses devido a mudanças mercadológicas ou comportamentais.

Resumindo: procure inovar com certa frequência.

Mantenha sua ferramenta organizada

Hoje você pode ter uma equipe pequena e todo mundo sabe o que é e faz cada página ou fluxo da sua ferramenta, mas se tudo der certo, daqui há alguns meses você terá novos funcionários e um número muito maior de campanhas.

Por isso, seja estratégico desde o primeiro dia: crie regras de nomenclatura para suas landing pages, emails e fluxos.

Isso facilitará a compreensão do que já está na ferramenta, assim como o aprendizado dos colaboradores que se juntarem a sua equipe no futuro.

Como escolher a melhor ferramenta para a sua empresa?

Agora que você já sabe tudo isso sobre automação, deve estar ansioso para escolher sua ferramenta e vê-la funcionando na prática.

Antes de contratar a sua, pesquise quais são as melhores opções para o seu tipo de empresa e use e abuse dos períodos de teste para avaliar:

Funcionalidades

Nem sempre a sua empresa vai precisar ou utilizar todas as funcionalidades de uma ferramenta. Por isso, ao contratar a sua, basta verificar se ela oferece o que você precisa e se essas funcionalidades possuem o desempenho que você espera para facilitar o seu dia a dia.

Facilidade de uso

E por falar em facilidade, certifique-se de contratar uma ferramenta que seja prática e intuitiva. Caso contrário, você vai perder tempo e energia tentando configurar suas ações, o que é contraprodutivo!

Customização

Se você quer uma ferramenta que maximize o seu desempenho, precisa que ela te ofereça uma ampla possibilidade de customização. Isso é fundamental para que você crie processos, páginas e emails que realmente transmitam a sua marca e o seu estilo.

Personalização

Quanto mais personalização, melhor! Certifique-se de que a ferramenta possui tokens de personalização e muitas possibilidades de segmentação. Lembre-se de que este é o segredo para uma comunicação minuciosa.

Integração com outras ferramentas

Assim como é importante conseguir integrar sua ferramenta de automação com uma ferramenta de CRM, existem outros softwares que podem ser fundamentais para a sua empresa.

Antes de tomar a sua decisão, verifique se a ferramenta permite integrações com outras plataformas e como isso funciona na prática. Se o processo for muito complexo ou imperfeito, talvez você deva considerar uma outra opção.

Análise e relatórios

  • Quais números são importantes para sua empresa?
  • Como você irá acompanhá-los?
  • É possível cruzar dados de diferentes plataformas?
  • A ferramenta cria gráficos e comparações automaticamente?
  • Você consegue fazer o download dessas informações e manter um histórico dos dados?

Tudo isso deve influenciar na avaliação dessa característica. Se a ferramenta de automação não te fornece insights relevantes, fica difícil acompanhar o desempenho das ações que você realiza nela.

Treinamento e suporte técnico

Passar por um processo de onboarding e ter fácil acesso ao suporte técnico são atributos primordiais para que você tenha sucesso com sua ferramenta.

Neste caso, não deixe de examinar a duração dos treinamentos, os conhecimentos que serão compartilhados, qual o horário de atendimento da equipe técnica e o prazo limite de resposta dos tickets de suporte.

Na hora da contratação isso não parece tão relevante, mas quando houverem problemas no dia a dia, você precisa ter a certeza de que estará bem assistido.

Custos totais

Além de tudo o que já citamos, é inevitável citar os custos da ferramenta. Algumas trabalham com um preço fixo pelas funcionalidades e um valor variável em relação ao número de contatos armazenados, enquanto outras oferecem pacotes de acordo com o número de funcionários que irão utilizar a ferramenta e o número de contatos da sua base.

Ao avaliar suas opções, não deixe de fazer uma previsão do retorno do seu investimento (ROI) e levar em conta o quanto esses valores progridem com o crescimento da sua empresa e da sua base de contatos. Acredite, isso evitará problemas futuros!

Central de ferramentas de marketing, vendas e gestão

3 Exemplos de ferramentas de automação de Marketing

Como o assunto é bem complexo e cheio de possibilidades, nada melhor do que conhecer o que já está fazendo sucesso no mercado para nortear suas pesquisas e facilitar a busca pela ferramenta perfeita.

Neste tópico, vamos fazer uma breve explicação sobre o RD Station, a HubSpot e o Mautic, algumas das ferramentas de automação de Marketing mais populares do Brasil de acordo com a pesquisa TechTrends 2017.

Vamos lá?

1. RD Station

O RD Station foi desenvolvido pela empresa brasileira, Resultados Digitais, e é por isso que é uma das ferramentas de maior adesão do mercado brasileiro.

Através dela é possível realizar o disparo de email marketing, otimizar seus conteúdos para motores de busca, criar ações de automação e landing pages, gerir suas mídias sociais e sua base de contatos, configurar uma estratégia de lead scoring e acompanhar as ações realizadas pelos seus leads (lead tracking).

Eles oferecem 3 planos de contratação, cada um com um número de funcionalidades e um limite específico para a quantidade de contatos que você pode ter em sua base. O plano basic, o mais barato, começa em R$ 329 por mês.

2. Hubspot

Mundialmente famosa, a ferramenta de automação de Marketing da HubSpot é uma das mais completas do mercado. Apesar disso, ela só é utilizada por 10,4% das empresas brasileiras — principalmente porque o seu preço é em dólar e ela não possui tutoriais e nem suporte em português.

Além das funcionalidades mais populares desse tipo de ferramenta, quem contrata a HubSpot também pode se beneficiar com:

  • integração com o CRM próprio da HubSpot;
  • acompanhamento em tempo real dos resultados de email e conversão de landing pages;
  • listas de segmentação de alta especificidade;
  • dashboards e relatórios personalizados;
  • chat para atendimento dos clientes;
  • lead scoring preditivo baseado em machine learning;
  • tokens de personalização com fallback;
  • opções inteligentes de teste A/B de email marketing;
  • e muito mais!

Por conta do valor do investimento e do número de funcionalidades da ferramenta, eu pessoalmente só indicaria a HubSpot para empresas de grande porte ou de conhecimentos avançados em Marketing Digital.

3. Mautic

O Mautic é uma ferramenta de automação gratuita e de código aberto. Para aqueles que possuem conhecimentos em programação ou uma equipe de suporte para esse assuntos, ela pode se mostrar como uma excelente opção.

Dependendo das habilidades dos seus programadores é possível incrementar as funcionalidades com a ajuda de plugins e integrações com outras ferramentas.

Quem não é tão talentoso com os códigos, pode utilizar a configuração padrão e usufruir das funcionalidades de:

  • geração e nutrição de leads;
  • criação de landing pages;
  • campanhas de automação;
  • e monitoramento das mídias sociais.

Conclusão

Como você deve ter notado, automação de marketing significa interpretar e atuar de forma personalizada em grande escala.

Se você não domina seus processos e não conhece bem o seu público, a ferramenta de automação só vai te ajudar a errar com mais frequência e maior intensidade.

Por isso, seja estratégico: escolha a ferramenta de maior custo benefícios para a sua empresa, aplique nossas dicas de sucesso e fique de olhos nos resultados.

Com o tempo você ganhará mais experiência com a ferramenta e conhecimento sobre o seu público. A partir daí é só manter a fórmula do sucesso e colher os benefícios.

E se você quer conhecer mais uma oportunidade de automação para a sua empresa, não deixe de aprender sobre estratégias de Marketing para Chatbots!

CTA-chatbots-e-marketing

Automação de marketing e conteúdo

Entenda por que a automação de marketing é essencial para a sua estratégia de conteúdo

Independente do segmento ou tamanho do seu negócio, ter uma presença online e uma estratégia de marketing digital bem estruturada já não é mais uma opção.

E, quando estamos falando sobre marketing digital, é quase impossível não pensar em automação de marketing, que é ainda mais fundamental para quem pretende gerar leads e oportunidades de negócio na internet.

Mas qual é a relação disso com minha estratégia de conteúdo? Como alinhar essas duas frentes para ter mais resultados?

Continue a leitura abaixo para tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto!

Afinal, o que é automação de marketing?

Para entender de vez o que é automação de marketing, considere a seguinte analogia:

Suas páginas na internet são como pequenas lojas em um grande shopping. As pessoas entram na loja atraídas pela sua vitrine (que podem ser vistas aqui como o título da sua página e a sua meta description) e ficam lá durante um certo tempo.

Até aí, tudo bem. Mas aí surgem dois desafios: fazer com que as pessoas comprem algo e garantir com que todas elas sejam devidamente atendidas — afinal, você não pode atender os visitantes de uma página um a um, não é mesmo?

Bom, a automação de marketing nada mais é do que o conjunto de softwares e sistemas que vão te ajudar a transformar seus visitantes em leads e a trabalhá-los de forma estratégica (e automatizada) até que eles se tornem clientes de fato.

Pense na automação como uma atendente da sua loja que consegue atender a todo mundo ao mesmo tempo e de forma personalizada, otimizando (e muito!) seus esforços em marketing.

Mas o que o conteúdo tem a ver com isso?

Ainda considerando a automação de marketing como a super atendente da sua loja, tente pensar no melhor atendimento que você já teve ao comprar algo.

Na maioria das vezes, o que realmente diferencia um bom vendedor de outro qualquer é o quanto ele realmente entende suas necessidades e, mais importante, o quanto ele consegue relacioná-las ao produto que está vendendo.

No cenário digital, a automação de marketing só consegue oferecer esse tipo de atendimento com a ajuda do conteúdo, que vai servir como insumo educativo de apoio na jornada de compras de sua persona. Em linhas gerais, você pode considerar que a automação é o carro e o conteúdo é o combustível.

Como isso funciona na prática?

Essa é uma pergunta difícil pois existem inúmeros cenários e aplicações da automação de marketing. Mas, para você entender o potencial disso tudo, utilizaremos um cenário básico de uso.

O momento de conversão

A automação de marketing começa a partir do momento em que você converte um contato: antes dessa conversão, um visitante não é nada mais do que um endereço de IP no seu site ou no seu blog. E sejamos sinceros: é muito difícil conversar com alguém que você não sabe nada sobre, certo?

Bom, uma conversão é basicamente todo momento em que você pede uma informação de um visitante em troca de algo de valor para ele, e isso pode ocorrer de diversas formas.

Você pode colocar uma caixa de newsletter no seu blog, por exemplo.

Caixa para assinar newsletter no blog

Ou então colocar um pop-up com uma oferta imperdível:

Oferta por meio de Hello Bar

Com o uso de um conteúdo bem orientado para a sua persona, você também pode usar landing pages, que são páginas de conversão com formulários específicos para gerar leads qualificados:

Exemplo de Landing Pages

A parte legal de usar conteúdo e landing pages é que você pode perguntar coisas que sua empresa precisa saber sobre esses contatos para entender se seu produto ou serviço pode realmente ajudá-los.

Depois da conversão: onde a mágica acontece

Você colocou vários pontos de conversão estratégicos em seu site e blog, disponibilizou vários e-books e materiais ricos em landing pages e agora tem um monte de contatos.

E agora?

O momento pós-conversão é onde a mágica da automação de marketing realmente acontece: agora que você já tem os dados desses leads, é hora de nutri-los!

A chamada nutrição de leads é o processo no qual você vai educar ainda mais seus contatos e assim reforçar seu relacionamento com eles.

Nessa nutrição, o seu insumo (ou alimento) educativo é justamente o que? Seu conteúdo!

Uma boa ferramenta de automação permite que você utilize fluxos de nutrição automáticos para fornecer mais conteúdos para o seu contato e de forma personalizada. E digo de forma personalizada pois é possível criar um fluxo para diferentes grupos de contatos que você tiver, dependendo das informações que você possui.

Por exemplo: se você perguntou em um formulário se seu contato prefere bolos de chocolate ou de baunilha, você pode criar um fluxo diferente para cada um deles com base na resposta fornecida. O grande segredo da automação é, portanto, saber exatamente o que perguntar para seus leads e construir a partir disso uma boa segmentação.

Automação para muito mais do que nutrição de leads

Se estamos considerando automação de marketing como tudo aquilo que simplifica e automatiza sua estratégia, vale notar que as possibilidades vão muito além da segmentação, qualificação e nutrição de leads!

De email marketing a chat bots, o que não faltam são ferramentas para automatizar seu processo e ajudar você a gerar leads mais qualificados.

As possibilidades são infinitas e o desafio, portanto, é entender quais delas vão realmente simplificar seus processos.

A partir de qual momento eu preciso pensar nisso?

A resposta mais simples é depende.

Você pode começar uma estratégia de automação a qualquer momento mas, para garantir um melhor retorno do investimento, é preciso entender a maturidade e o seu momento no marketing digital.

Para quem usa a metodologia de conteúdo da Rock Content, o estágio 2 registra o momento em que você precisa começar a pensar nisso: quando seu blog já está no ar e equipado com mecanismo de capturas de email, logo logo será necessário contar com uma ferramenta para gerir melhor seus contatos e nutri-los de forma estratégica.

No estágio 3 — conhecido como máquina de leads —, a automação de marketing já é indispensável. Afinal, é aqui que você vai trabalhar com um volume de contatos e vai precisar de uma mãozinha para entender quais deles realmente estão qualificados e aptos e se tornarem clientes.

Por mais que a automação sirva para simplificar seus processos, é preciso ter em mente que montar uma boa estratégia demanda tempo e dinheiro: não adianta nada criar um fluxo de nutrição e deixá-lo para lá.

Bons resultados são provenientes de uma rotina de monitoramento, análise e otimização. Portanto, antes de embarcar nessa, tenha em mente que será preciso investir em ferramentas e ter braço para geri-las estrategicamente.

Para saber mais sobre como usar o conteúdo estrategicamente em sua automação, baixe o nosso e-book gratuito sobre o assunto.

automação de marketing e vendas

 

automação de marketing e vendas

Melhore seus resultados e aumente a produtividade com a automação de marketing e vendas

Sua equipe de marketing ainda passa muito tempo enviando e-mails e se relacionando com as leads de forma manual?

Seu time de vendas tem dificuldades em abordar as leads por não saber em que estágio da jornada de compra elas estão?

Esses são problemas muito comuns em todo tipo de empresa e que podem ser solucionados pela implantação de uma automação de marketing e vendas.

O que é automação de marketing e vendas

Automação de Marketing e Vendas refere-se a softwares que tenham a capacidade de automatizar as ações de marketing de uma empresa de forma efetiva e organizada.

Porém, a implantação de um programa de automação de marketing não significa a substituição de um bom time de marketing, pois a função dela é justamente otimizar o trabalho da equipe.

Portanto, ter uma boa estratégia de marketing é fundamental, o que a automação pode fazer é deixar esse processo mais ágil do que seria caso fosse feito manualmente.

Por exemplo: sua empresa desenvolve  uma campanha de E-mail Marketing a sua base de contato e conversão em clientes.

Por meio do software, é possível automatizar esse trabalho enviando e-mails a cada contato num só disparo, além de poder trabalhar um fluxo de nutrição, o que aumenta o engajamento dessas pessoas com a sua marca.

Ou seja, ter somente o software e saber manuseá-lo bem não é o suficiente, mas também uma boa estratégia de marketing com objetivos e metas é fundamental o sucesso.

Para isso, o programa de automação de marketing conta com várias funcionalidades que não se limitam apenas à E-mail Marketing e Redes Sociais, mas também no marketing digital como um todo.

A começar pelas redes sociais, pois, dependendo do seu público, sua empresa precisa estar presente em muitas, ter uma frequência constante de publicações e medir os resultados das ações nesses canais.

Em vez de logar e analisar uma por uma, pode-se usar uma ferramenta de automação para programar as publicações em mais de uma rede ao mesmo tempo e acessar relatórios que mostrem a performance de cada uma.

Já as ações de E-mail Marketing, por exemplo, muitas vezes exigem conhecimento de HTML e códigos que podem ser complicados de configurar, daí a importância da automação.

Para gerar leads por meio da entrega de um e-book é essencial ter um software desse tipo para criar a landing page em que seja disponibilizado o e-book que as pessoas possam baixar após preencherem um formulário e, assim, se tornarem leads da sua empresa.

A partir daí, as ações feitas com essas leads é que vão determinar as chances de conversões em clientes.

Um dos primeiros passos é fazer um fluxo de nutrição de modo a enviar e-mails com dicas e posteriormente, ofertas da sua empresa.

Pela ferramenta de automação de marketing e vendas esse trabalho pode ser feito de forma automática, sem a necessidade de uma pessoa dedicada a enviar esses e-mails manualmente.

Também é possível acompanhar o nível de engajamento de cada uma dessas leads antes de passá-las a equipe comercial que tem como finalidade convertê-las em clientes.

automação de marketing e vendas

Por que investir em automação de marketing e vendas?

Agora que você já sabe o que é automação de marketing e vendas, é hora de entender porque você precisa disso na sua empresa.

Aumento de vendas

A primeira razão é comercial; a automação de marketing pode lhe ajudar a vender mais. É comum que empresas percam vendas em situações como:

Vendedor: Olá! Tudo bem? Notei que você baixou o nosso e-book sobre dicas para e-commerce. Que tal adquirir já a nossa plataforma?

Lead: Não, obrigado.

Muitos vendedores, com certeza, já passaram por situações assim, não porque sua abordagem estava errada e sim inapropriada, pois aquela lead ainda não estava no momento de compra.

Se ela baixou um e-book sobre dicas para e-commerce, é porque certamente tem interesse em saber mais a respeito, ou seja, ela está no estágio do meio do funil.

O vendedor só deve oferecer o produto quando essa lead estiver no fundo do funil e uma maneira de conduzi-la até lá é por meio do fluxo de nutrição de E-mail Marketing provido pela ferramenta de automação.

Além do mais, leads mais preparadas podem gerar tíquetes maiores.

Afinal, imagine se essa lead do exemplo que baixou o e-book não souber nada sobre e-commerce e passar a ter um conhecimento maior por conta das dicas que passa a receber por e-mail.

Essa lead estará mais apta a comprar um produto ou serviço mais completo, que lhe atenda melhor, do que o básico justamente por não conhecer todos os benefícios que aquela solução pode lhe proporcionar.

Dessa forma, a lead chega com menos dúvidas ao vendedor que tem maiores chances de transformá-la em cliente.

Diminuição do CAC

Além de aumentar a receita por meio das vendas, outra vantagem da automação de marketing é diminuir o custo de aquisição de cliente.

Uma dessas razões é que há menos trabalho recorrente para o time de Marketing, pois a preparação das leads para a equipe de vendas passa a ser feita de forma automática. Isso diminui a necessidade de ter cada vez mais membros no marketing dedicados a fazer esse relacionamento de forma manual.

Portanto, os vendedores recebem leads mais preparadas e podem dar menos passos durante os contatos para realizar uma venda. Isso faz com que o ciclo de venda seja menor e o time comercial tenha mais produtividade.

Uma vez que a ferramenta faça esse bom trabalho, os vendedores podem observar quais são as melhores leads para conectar.

Como fazer automação de marketing e vendas?

Fazer uma automação de marketing pode variar de empresa para empresa, por isso sintetizamos aqui os quatro pontos que qualquer segmento pode seguir para ter sucesso.

O primeiro passo é criar um dashboard de acompanhamento, ou seja, um checklist das tarefas necessárias para construir os seus fluxos de automação e conteúdos de apoio.

Como em qualquer planejamento de marketing, este deve ser embasado em objetivos e as ações necessárias para alcançá-los.

Por exemplo: se o seu objetivo for nutrir toda a sua base de leads, as tarefas a serem feitas deverão envolver a criação das personas, mapeamento de conteúdo, pontos de conversão, entre outros.

Aliás, identificar os pontos de conversão é o segundo passo a ser dado. Aqui o objetivo é mapear os pontos capazes de fazer uma lead chegar até a sua empresa.

Os mais usados são as landing pages e seus formulários que podem fazer a pessoa se tornar uma lead da empresa.

E isso não é feito apenas com a entrega de um e-book, mas também por meio da inscrição de um webinário, download de planilhas e até mesmo inscrição para newsletter que, neste caso, se trata de uma lead fria.

O terceiro passo é listar todos os conteúdos que você tem — tanto artigos, quanto e-books, infográficos, etc — de acordo com a jornada de compra da sua persona. Para isso, devemos lembrar que ela é dividida por:

  • Topo do funil: estágio em que a pessoa descobre estar com algum tipo de problema.
  • Meio do funil: nesta fase, ela procura dicas que possam ajudar a resolver esse problema.
  • Fundo do funil: aqui ela descobre quem oferece a solução definitiva para esse problema.

Assim, quando uma pessoa estiver interagindo mais com os seus conteúdos que estão no topo do funil, é sinal de que ela ainda está lidando com um problema e, caso ela se torne uma lead, o vendedor precisará abordá-la a ponto de entender quais são suas maiores dores.

Aqueles que estão no meio do funil lerão mais artigos, baixarão mais materiais que tragam dicas para resolver o problema, logo, a abordagem do vendedor para uma lead assim pode ter uma outra pegada, apontando soluções que o seu produto possui (mas sem ofertá-lo ainda, pois isso só deve ser feito quando a lead estiver no fundo do funil).

Por fim, o quarto passo refere-se a definir como será feita a nutrição das leads.

O fluxo de nutrição consiste em enviar uma sequência de e-mails com conteúdos relacionados aos materiais que a lead tem baixado ou acessado nos últimos dias.

Portanto, não basta enviar qualquer conteúdo, é necessário segmentar as leads em grupos e enviar e-mails diferentes a cada um para que possam proporcionar um engajamento e interesse maior quando chegar o momento de falar com o vendedor.

Para isso, pode-se usar o Autoresponder, isto é, envio de e-mails numa sequência pré-determinada ou a própria Automação de Marketing que pode fazer com que a lead passe a receber conteúdos diferentes de acordo com as ações que fizer.

Por exemplo: a lead pode receber um e-mail que traga dicas de marketing digital, um link para saber mais sobre SEO e outro para saber mais sobre Mídias Pagas.

Dependendo do clique que a lead fizer, ela pode cair na lista dos interessados em SEO ou Mídias Pagas, essa informação é pertinente para que a equipe de vendas saiba o que oferecer.

Ferramentas de automação de marketing e vendas

Para garantir que as ações de automação de marketing gerem bons resultados, é preciso escolher a ferramenta que melhor atenda a sua empresa. Separamos 3 que atendem muito bem diversos segmentos.

Hubspot

Hubspot é a empresa norte-americana que criou o conceito de Inbound Marketing, por meio dela você pode criar landing pages, CTAs, nutrição de leads, gerenciamento de mídias sociais, campanhas de e-mail marketing, etc.

RD Station

Desenvolvido pela empresa brasileira Resultados Digitais, o RD Station permite o gerenciamento de leads de acordo com o funil de vendas, além de poder criar landing pages eficientes com rapidez.

MailChimp

O MailChimp é especializado no gerenciamento de campanhas de E-mail Marketing com o qual é possível fazer testes A/B, administração da base de contatos e agendar envio de e-mails.

Agora que você sabe o que é uma ferramenta de automação de marketing e vendas e como ela pode deixar suas leads mais preparadas para falar com um vendedor, o próximo passo é saber as técnicas para convertê-las em clientes!

Confira o artigo que escrevemos sobre isso.