Instituições de Ensino


Branding para IES

Branding para IES: entenda a importância de fazer uma gestão de marca eficiente em sua instituição

O aumento da concorrência tem feito com que o setor de educação invista mais em marketing. É compreensível, uma vez que o desafio hoje é assegurar diferenciais competitivos para a prestação de serviços nessa área.

Os projetos de branding para IES (Instituições de Ensino Superior) podem fazer muita diferença nessa estratégia.

Porém, não se engane: é necessário fazer uma imersão nos valores da instituição e ver como associá-los às demandas do seu público de interesse. Os esforços valem a pena.

Projetos de branding no setor de educação não ajudam apenas na captação de novos alunos, são importantes também para trabalhar as estratégias de retenção de estudantes. Quanto mais se consegue colocar em evidência as propostas de valor da instituição de ensino, maiores as chances de construir percepções positivas sobre a marca.

Neste post vamos apresentar o conceito, mostrar como o branding pode ser aplicado na área de ensino e indicar os principais benefícios obtidos com os investimentos nessa atividade.

Vamos lá?

Brand x Branding

Para explicar o conceito de branding, vamos começar esclarecendo que não estamos falando de brand (marca), que são os elementos que servem para identificar a instituição: nome, logotipo, cores e o design aplicado à identidade visual.

Fique atento: quando se fala de branding o foco é o processo de gestão da marca. Por isso a necessidade de se pensar em todas as suas formas de expressão. Quando bem feito, não importa onde e como as pessoas tenham contato com a instituição, vão receber uma mensagem única.

Na prática, isso quer dizer que todos os públicos que se interessam pelos serviços da instituição serão capazes de identificar os valores e os conceitos que fazem parte do estabelecimento.

É claro que identidade visual é um aspecto fundamental para o branding, porém não podemos dizer que ela é o único. Nesse tipo de projeto, as atenções se voltam para o conjunto de atividades responsável por definir a personalidade da marca.

Branding contempla a aplicação de estratégias específicas para valorizar todas as expressões da marca e, por isso, a importância do uso da comunicação, do marketing, do design etc.

Abordaremos nos próximos tópicos os benefícios de se investir em projetos dessa natureza. Mas agora vamos ver o que deve ser considerado na sua aplicação.

Branding para IES: como começar

Até pela sua importância para o negócio, não é possível imaginar um projeto de branding sem um planejamento prévio bem estruturado.

Na hora de prepará-lo, tenha em mente que a definição dos valores-chaves da instituição é prioritária, bem como o conhecimento das demandas dos diversos públicos que se relacionam com o estabelecimento.

Vamos ver como isso funciona na prática!

Propostas de valor

É comum vermos estabelecimentos de ensino fracassando em seus projetos porque os gestores não deram a devida atenção aos estudos iniciais sobre os ambientes interno e externo.

Cada organização tem as suas particularidades, porém é difícil pensar na construção de marcas fortes na área educacional sem trabalhar valores como:

  • integridade acadêmica;
  • empregabilidade;
  • experiências proporcionadas aos alunos;
  • ambiente adequado para favorecer o processo de aprendizagem.

O desafio é mapear as competências que podem diferenciar a marca. Nesse caso, considere que os diferenciais podem “surgir” de várias frentes, desde as mais simples, como a localização da instituição ou mesmo a sua história, até a escolha de determinados nichos de mercado.

Dependendo da estrutura, as propostas de valor também podem ser baseadas em aspectos mais funcionais, como instalações, cursos oferecidos, atividades extras, programas de intercâmbio etc.

Públicos prioritários

É importante ter em mente que os valores-chave da instituição precisam ser analisados levando-se em conta o interesse e os anseios do público. Na área educacional, essa tarefa é um pouco mais complexa, uma vez que essa análise precisa envolver todos os agentes que participam do processo de aprendizagem dos alunos.

Internamente precisamos considerar a visão da diretoria da instituição, mas também do corpo docente, dos funcionários e dos próprios alunos, sem falar na comunidade acadêmica. Como o objetivo é entender a percepção sobre a imagem da marca, não se pode deixar nenhum desses atores de fora.

Externamente, o primeiro passo é entender as demandas dos vestibulandos. Nas instituições de ensino superior, eles são o público prioritário. Ainda é importante considerar que, no caso desse target, a decisão deles é influenciada pelos pais e/ou responsáveis — são eles que vão arcar com os custos e dar suporte ao estudante.

Quem atua com cursos de pós-graduação tem ainda outro público para ser trabalhado: as empresas, uma vez que é comum que os empregadores participem de alguma forma desse processo.

Passo a passo do projeto de branding

Feita a lição de casa, ou seja, a análise sobre a essência da marca e as exigências dos públicos de contato, é hora de executar o projeto. É importante que ele siga essas etapas:

  1. desenvolvimento da estratégia, definindo o posicionamento e os atributos que sustentarão o seu projeto e que traduzem seus valores;
  2. elaboração da identidade visual, considerando: grafismo, cores, estilo, tipografia e linguagem;
  3. escolha e desenvolvimento das estratégias de marketing;
  4. gestão da marca, cuidando das suas diversas manifestações nas interações com o público.

Como trabalhar a comunicação

Estruturada a proposta de atuação, é importante que ela seja devidamente alinhada com as estratégias de comunicação. Considerando o perfil do público das IES, não faz sentido ignorar as possibilidades existentes no marketing digital.

A produção de conteúdos tem funcionado muito bem, ajudando a colocar em evidência a autoridade da marca naquele segmento, exibir o domínio que tem sobre o assunto.

Outra questão importante: com o marketing de conteúdo para IES é possível desenvolver estratégias adequadas para todos os públicos de interesse da marca e atender às suas demandas em cada uma das fases do funil de marketing.

Por mais que o setor tenha suas particularidades, o processo de decisão do aluno não difere do adotado em outros setores.

A jornada do estudante tem início com a descoberta de um problema (detectou a necessidade de fazer o curso), passa pela pesquisa das opções disponíveis no mercado (consideração), pela tomada de decisão e, finalmente, assinatura do contrato de matrícula.

Para cada um desses estágios temos como entregar conteúdos importantes para a orientação do público. E o desenvolvimento dessa estratégia é otimizado quando a instituição tem um processo de gestão de marca bem feito.

Ebook Branding

4 benefícios do branding para IES

No caso específico das IES, branding é essencial para assegurar que a instituição consiga contar a sua história, mostrar o valor das suas atividades e destacar os diferenciais que oferece aos seus públicos.

Em linhas gerais, podemos dizer que um projeto dessa natureza ajudará o estabelecimento de ensino em quatro frentes cruciais para o seu sucesso:

1. Reputação

Ter uma identidade própria e bem trabalhada em várias frentes facilita a comunicação e gera mais credibilidade para a marca, o que é fundamental para organizações que se comprometem com o desenvolvimento pessoal e profissional dos seus alunos.

2. Vínculo com os stakeholders

Ao estabelecer e cuidar da expressão dos valores da instituição, o estabelecimento de ensino não melhora apenas a relação com o corpo discente. Os impactos são positivos em toda a sua cadeia produtiva, ou seja, as iniciativas vão envolver todos os públicos com os quais a marca se relaciona.

3. Lealdade à marca

Quem nunca participou ativamente de um projeto de branding pode achar um pouco exagerada a afirmação de que a gestão de marca influi diretamente na lealdade em relação à marca.

Porém, isso não acontece por acaso. Pensando no caso das instituições de ensino, um posicionamento adequado e a evidenciação da proposta possibilitam uma conexão mais forte com os seus diversos públicos de interesse.

Outra questão importante é a eficiência obtida por meio do marketing. Com objetivos bem definidos, as ações nessa área tornam-se mais acertadas, uma vez que são trabalhadas em bases mais consistentes.

Blog, site, redes sociais e mídia paga serão empregados de forma a reforçar os atributos positivos da organização.

4. Aproximação com os estudantes

Uma das formas de se valorizar o branding para IES é o trabalho realizado nas instalações, garantindo que a ambientação expresse os diferenciais da marca de maneira adequada e, claro, coerente com a sua essência.

Fique atento: para que não haja falhas, é necessário trabalhar a comunicação visual do estabelecimento, bem como toda a parte de atendimento ao aluno. Lembre-se de que as estratégias precisam ser devidamente alinhadas.

Na avaliação dos resultados, tenha em mente que no caso de branding o ideal é mensurar constantemente o brand awareness da marca, que indica o nível de reconhecimento da marca. Quando esse índice aumenta, há um impacto direto na notoriedade da marca e, consequentemente, nos resultados de conversão.

Gostou do artigo? Interessado em aperfeiçoar as suas estratégias de captação de alunos? Baixe nosso e-book sobre Geração e Nutrição de Leads para Instituições de Ensino.

Geração e Nutrição de Leads para Instituições de Ensino

ferramentas de Marketing para IEs

A importância do uso de ferramentas de marketing para IEs

Não é novidade para gestores e mantenedores que a saúde de uma instituição de ensino está conectada ao equilíbrio e execução de atividades pedagógicas e estratégicas.

Da seleção e admissão de docentes até a escolha de ferramentas de marketing para IEs, tudo precisa ser minuciosamente acompanhado para atingir um alto nível de gestão.

Diante de um contexto atarefado (e, por que não, caótico?) é possível ver uma tendência dentro do cenário educacional: muitas instituições de ensino, na tentativa de facilitar os processos de administração, estão buscando automatizar e informatizar suas tarefas.

Com essa necessidade, surgem também ferramentas digitais específicas para o segmento da Educação.

Ainda não está familiarizado com o tema ou está com medo de se jogar na tecnologia? Tudo bem!

Reunimos neste post 6 benefícios para lhe ajudar a entender a necessidade de digitalizar as atividades da sua escola, realocando recursos, definindo melhor seu foco de atuação e tomando decisões baseadas em evidências.

O mercado de tecnologias para educação

Antes de falar em benefícios, vamos entender melhor este mercado. Hoje, o setor de tecnologias para a educação (EdTech) é um dos que mais cresce e, segundo o futurista do DaVinci Institute, Thomas Frey, até 2030 as maiores empresas na Internet serão negócios educacionais dos quais ainda não ouvimos falar.

Na outra ponta, já temos uma quantidade de instituições que aplicam na gestão escolar (pedagógica e estratégica) o que há de mais moderno em tecnologia.

Neste cenário de inovação, também é possível identificar o crescente número de ferramentas que prometem revolucionar o modo como as instituições de ensino fazem a captação e retenção de alunos, criando um ambiente de trabalho mais atrativo e eficiente com uso de dados e estratégias de marketing avançadas.

Se há anos os players de ensino superior já utilizam dados e ferramentas, agora a tendência chegou com tudo à educação básica.

Os benefícios de uma ferramenta de marketing para educação

1. Decisões baseadas em evidências (data driven)

O principal benefício das ferramentas tecnológicas é, sem dúvida, conseguir consolidar dados e transformá-los em insights.

A tecnologia da educação tem feito um ótimo trabalho quando o assunto é a entrega de informações inteligentes para a tomada de decisões de alto impacto.

Hoje, diversas ferramentas de marketing (como o GeoEscola) entregam análises muito precisas de dados, que podem ajudar desde a evolução pedagógica até na tomada de decisões estratégica de uma escola, com informações sobre o fluxo migratório (quais escolas roubam seus alunos?) e participação de mercado — conhecimentos indispensáveis quando o assunto é captação de novas matrículas.

2. Ganho de tempo

As plataformas digitais têm outra vantagem incalculável: o ganho de tempo. Com a digitalização de algumas atividades, que antes eram feitas manualmente e tiravam energias da equipe, é possível focar os esforços no lugar certo.

Um exemplo clássico é aquele em que o mantenedor ou gestor faz todo o trabalho de marketing, desde desenhar as estratégias até criar o conteúdo da campanha.

Hoje, com apenas alguns cliques, é possível contratar uma plataforma de gestão de conteúdo, por exemplo, que administra um blog e edita conteúdos de maneira descomplicada e objetiva. O comando dessas pequenas tarefas por uma ferramenta online ajuda a melhorar o gerenciamento de tempo da equipe escolar, que pode dedicar-se à execução de tarefas de impacto pedagógico.

3. Redução de custos

Com o combo de insights, melhoria e organização das tarefas oferecidos pelas ferramentas de marketing é possível otimizar gastos e reduzir custos.

Com um planejamento feito a longo prazo é muito mais fácil fazer investimentos assertivos, que trazem resultados superiores, aumentando o ROI (retorno sobre investimento) das suas campanhas de captação, por exemplo.

Por que fazer um anúncio publicitário em um bairro que não tem alunos em idade escolar, se é possível descobrir em quais bairros moram mais alunos na faixa etária do segmento que sua escola atende e que têm os requisitos financeiros necessários para pagar o serviço que ela oferece? As ferramentas de marketing educacional são essenciais nas respostas para essas questões.

tuneduc

4. Confiabilidade das informações

Outro aspecto favorável é a fidelidade das informações que, em geral, são obtidas por meio de dados públicos, informações geradas dentro da própria instituição com a aplicação de avaliações ou acesso ao banco de dados da escola.

As ferramentas também garantem a atualização constante das informações (financeiras, de marketing ou pedagógicas) e uma interface amigável para acesso, quase sempre online.

Os microdados do Enem são um bom exemplo desse processo.

Os dados brutos são divulgados pelo Inep e plataformas como o Módulo Enem organizam as informações em relatórios extremamente úteis para coordenadores pedagógicos e professores. Relatórios entregam em poucos cliques a prioridade de estudos, distratores que “enganaram” os alunos e fragilidades históricas no exame.

Leia mais: Teste o Módulo Enem grátis por 15 dias, com dados da sua escola.

5. Mensuração dos resultados

É possível medir tudo. Com o passar dos anos, a escola terá indicadores claros do seu desempenho pedagógico e estratégico — será possível, ano a ano, medir a “saúde da escola” e tomar as medidas necessárias.

A maior parte das ferramentas consegue mensurar desde quantos professores interagiram com a aplicação em um dia/mês/ano até quantos cliques em um post blog se transformaram em potenciais novas matrículas. Medir tudo significa conseguir identificar as melhores práticas, gerar melhores resultados e fazer análises criteriosas de retorno sobre o investimento.

6. Reconhecendo oportunidades

A mais acertada prática para qualquer negócio é sempre melhorar o que você já está sendo feito. Planeje as melhorias (estruturais, pedagógicas e estratégicas) a partir do impacto que elas terão no desempenho da escola e, consequentemente, na captação e retenção de alunos — o que também significa mais recursos para a escola.

O mercado de tecnologia da educação oferece ferramentas que conseguem detalhar precisamente os pontos fortes e fracos de uma escola, auxiliando a gestão escolar na identificação de riscos e oportunidades.

Leia mais: Guia Completo de Marketing Educacional para Captação de Matrículas.

Conclusão

Não restam dúvidas de que as ferramentas de marketing vieram para promover uma revolução na gestão e facilitar o dia a dia de quem as mais diversificadas tarefas no ambiente escolar.

Agenda eletrônica, geomarketing para captação de alunos, organização e coordenação  de projetos, combate a inadimplência: todas essas atividades já são contempladas por ferramentas que têm um único objetivo: impactar positivamente nos resultados da sua escola.

Você já usa alguma ferramenta de marketing na sua escola? Compartilhe sua experiência.

Texto escrito por Amanda Bozza, do time de marketing da Tuneduc.

Vídeos para instituições de ensino

Como instituições de ensino podem usar os vídeos para ampliar seus negócios

As instituições de ensino atuais — sejam elas de nível médio ou superior — precisam se renovar constantemente para acompanhar as necessidades e desejos de seus alunos.

Cada vez mais conectadas à tecnologia e à ferramentas educacionais, as pessoas hoje esperam que as escolas e universidades sigam essas tendências e sejam atualizadas em termos de interação, comunicação e transmissão do conhecimento.

Portanto, essas instituições precisam conhecer não apenas a realidade do mercado de educação, mas também o contexto em que seus estudantes estão inseridos. Só assim será possível conseguir seu interesse e engajamento, além de aumentar o sucesso do negócio.

Por isso, diversos locais já estão investindo em ferramentas tecnológicas, telas interativas, espaços 3D, realidade virtual e muito mais. Porém, é possível ir além do espaço físico da instituição e manter um contato mais próximo e amigável com os alunos. Sabe como? Com a ajuda da internet e dos vídeos online.

Uma pesquisa realizada pelo IBGE no final do ano passado (2016), mostrou que mais de 100 milhões de brasileiros já têm acesso à internet — o que representa 58% da nossa população.

E entre quem fica conectado, segundo um outro estudo da We Are Social (2015)  a média de tempo gasto navegando chega a até 9 horas diárias, quando somamos o período em desktops e smartphones.

Quando se trata de consumo de conteúdo, os vídeos vêm ganhando destaque. Segundo uma pesquisa feita pelo Google (2015) de todo o tempo que as pessoas passam online, 15 horas semanais já são dedicadas ao consumo de vídeo. E segundo a ComScore, a tendência é que até 2019, 80% do tráfego de internet seja gerado por vídeos.

Portanto, se uma Instituição quer se destacar e sair na frente no mercado, uma ótima ideia é aproveitar essas tendências.

É importante começar a pensar em como a internet e os vídeos podem ajudar e começar a investir neles. Para te ajudar, vamos falar de algumas estratégias que você pode adotar desde já para ter melhores resultados e ampliar seu negócio.

Vídeo Institucional

O vídeo institucional é um tipo de conteúdo extremamente indicado não só para empresas do setor educacional, mas para qualquer negócio que queira se posicionar de forma mais séria e clara diante do mercado.

No caso das Instituições de ensino, que precisam realmente ser autoridade e ter credibilidade no que ensinam, o vídeo institucional se faz ainda mais necessário.

Com ele, é possível mostrar a missão da Instituição, seus valores, o que ela preza, o que oferece em termos de estrutura e muito mais. Essa é a forma mais fácil de conquistar o público logo no primeiro contato, seja no site, em uma landing page, ou em um evento, por exemplo.

Vídeos são elementos extremamente atrativos e pesquisas já comprovam que em páginas com esse tipo de conteúdo, 60% das pessoas tende a dar play antes mesmo de ler uma palavra sequer do texto.

Portanto, se você quer mais relevância e visibilidade para a sua Instituição, aposte nesse tipo de abordagem. Pense nos pontos que vale a pena destacar em relação a sua instituição, faça um bom roteiro, pegue depoimentos de professores e alunos, capriche nas imagens e mostre seu trabalho ao mundo!

Transmissão de eventos

Instituições de Ensino normalmente realizam uma série de eventos internos — festas, apresentações culturais, rodadas de palestras, exposições e etc. — e mostrar isso à comunidade externa pode ser uma excelente maneira de atrair mais interesse para o negócio.

Afinal, esses eventos mostram que a Instituição se importa não só com o desenvolvimento acadêmico e profissional dos alunos, mas também com sua formação pessoal e social.

Então, sempre que for realizar esse tipo de acontecimento, analise se não vale a pena investir em uma transmissão em tempo real, usando o Facebook Live ou uma ferramenta mais profissional, ou faça uma gravação para distribuir depois.

Esse tipo de conteúdo pode ser postado em um canal específico ou divulgado no site ou nas redes sociais da empresa e gera bastante engajamento e curiosidade no público.

Além do mais, esses eventos fazem com que as pessoas se sintam interessadas pela instituição e pelo que ela pode oferecer e deem mais atenção a ela em seu dia a dia e na hora de procurar por um local para estudar.

Redes Sociais

O Brasil tem 97 milhões de pessoas conectadas às redes sociais hoje e é o líder da categoria na América Latina. De acordo com uma pesquisa (2016), o tempo que as pessoas passam navegando por essas redes já chega a mais de 3h diárias e é um dos maiores do mundo.

Ao mesmo tempo, não é novidade que os vídeos são o novo formato de conteúdo mais “queridinho” dessas redes e têm ganhado cada vez mais relevância. No Facebook, por exemplo, os conteúdos em vídeo são capazes de gerar muito mais compartilhamentos e likes do que apenas fotos ou textos.

Portanto, é extremamente importante que sua instituição esteja presente nessas plataformas e que invista nos vídeos como a principal forma de se comunicar com o público.

Nessas redes, mais do que o vídeo institucional e os eventos, você pode publicar conteúdo educativo, dar dicas de estudo, fazer quadros com os alunos e professores e, assim, aproximar o público da sua instituição e se firmar como autoridade em sua área de atuação.

É interessante também pensar em investir em anúncios nessas redes, uma vez que o alcance e o engajamento com os conteúdos aumenta significativamente quando há uma ação de impulsionamento.

Atividades complementares online

Saindo um pouco da parte da divulgação e atração de novos públicos, existem várias formas de utilizar os vídeos para expandir a atuação de uma instituição também para o espaço online.

Por exemplo, se um local trabalha apenas com materiais físicos e aulas no modelo tradicional — presencial — ele pode começar a disponibilizar conteúdo online exclusivo para os alunos e se fazer uma referência também no meio digital.

Quando as pessoas precisam fazer pesquisas ou estudar, na maioria das vezes recorrem à internet — e aos materiais nem tão confiáveis que ela fornece — e isso pode acabar prejudicando o desempenho acadêmico.

Portanto, pode ser muito interessante criar um portal em que os alunos possam ter acesso a materiais e atividades complementares à aula, como forma de estudar e se preparar para testes e exames.

Nesse caso, vale pensar novamente em oferecer o material em formato de vídeo, uma vez que ele é mais didático, mais fácil de consumir e é o tipo de conteúdo que mais se aproxima do presencial que conhecemos.

Cursos online

Se você quer expandir ainda mais o seu público e levar conhecimento para quem não teria acesso à sua instituição de forma presencial, você pode pensar em criar cursos online! Esses cursos podem ser para formação acadêmica, de graduação, por exemplo, ou no formato livre, como um curso de reforço para uma matéria específica ou um pré-vestibular.

Assim, você pode alcançar não só quem já estuda com sua instituição no modelo presencial, mas também outras pessoas que querem se especializar mas não têm tempo ou moram longe demais para fazer isso da forma tradicional.

Essa é uma excelente forma de expandir seu negócio e, ao mesmo tempo, levar conteúdo de qualidade a quem quer aprender!

Para fazer isso, basta analisar a realidade atual de sua instituição, o que ela já oferece em termos de ensino e, então, definir o tipo de conteúdo que pode ser oferecido online.

E, assim como no exemplo acima, é interessante que o material principal do ambiente digital seja disponibilizado em vídeo — uma vez que esse é um formato mais atrativo, rico e capaz de gerar mais engajamento no público.

Com pouco investimento, você pode, por exemplo, criar um estúdio dentro da própria instituição e aproveitar os recursos que você já tem para gravar os vídeos.

Pronto para começar?

A internet e os vídeos online oferecem infinitas possibilidades a quem quer empreender e expandir seus negócios e as instituições de ensino precisam estar atentas a isso. Afinal, os alunos esperam que elas acompanhem as evoluções tecnológicas e querem sentir que estão tendo acesso ao que há de mais novo e eficiente quando se trata de educação.

Portanto, avalie a situação atual de sua instituição, veja como ela pode melhorar sua atuação em termos de marketing e de negócios e comece a trabalhar com conteúdos e abordagens inovadoras — como os vídeos online!

E caso você precise de inspiração para começar, pode dar uma olhada neste e-book aqui, que fala sobre vídeo marketing, ou nesse, que tem foco em criar e divulgar cursos online.

Depois, é só colocar a mão na massa e se preparar para ter mais sucesso expandindo seu negócio!

Matemarketing

Criando conteúdos para Instituições de Ensino através de dados [Ebook Gratuito]

Instituições de Ensino tem um grande desafio: vencer a concorrência através da construção de autoridade.

Afinal, ao optar por uma IE, o aluno está tomando uma decisão que pode impactar diretamente ou indiretamente em seu futuro. Por isso eles geralmente fazem pesquisas, buscam mais informações, entram em contato e pedem indicações de amigos e familiares.

O que talvez você não saiba é que todas essas ações e interações por parte dos seus potenciais alunos podem ser convertidas em dados relevantes a respeito das necessidades deles.

E, portando esses dados, você conseguirá construir conteúdos que vão de encontro a essas dúvidas, aumentando as chances de que a sua IE seja a escolhida dentre tantas opções.

Ou seja: você gera conteúdos, esses conteúdos te ajudam a entender melhor a persona da sua Instituição e o que ela espera, e com isso você consegue gerar mais conteúdos para convertê-la em aluna de maneira natural, eficaz e mensurável!

Simples, não é?

Se você quer saber mais sobre como gerar conteúdos através de dados, sobre como obter ainda mais dados através de uma estratégia de conteúdos, e se munir de informações relevantes que podem impactar diretamente na sua conversão em alunos, baixe o nosso material completo sobre o assunto!

Ele foi criado em parceria com a Tuneduc, especialista em análise de dados para Instituições de Ensino, e referência no mercado educacional!

Criando conteúdos para Instituições de Ensino a partir de dados

Marketing educacional

Aprenda tudo sobre marketing educacional e como atrair mais alunos para sua IE!

Se você pensou que o marketing educacional é a aplicação dos esforços de marketing em instituições de ensino, então começou bem este texto. Esse conceito se refere à utilização de pesquisas, planejamento, monitoramento e estratégias de marketing para uma IE conquistar e reter mais alunos.

As ações de marketing educacional são importantes para faculdades, escolas, cursos de idiomas e outras instituições de ensino se destacarem nesse concorrido mercado.

Por meio do marketing, as escolas podem promover seus cursos, conteúdos, infraestrutura e demais valores que causem percepções positivas em potenciais e atuais alunos.

Mas será que instituições de ensino realmente investem em marketing e estão tendo resultados positivos com isso?

Segundo a pesquisa EduTrends 2016, feita pela Rock Content em parceria com a Resultados Digitais, 66,5% das IES investem em marketing offline e 81,3% em marketing digital.

O estudo também revelou que 69,3% das instituições consideram o ROI muito ou moderadamente positivo com o marketing offline. Com o marketing digital, o percentual subiu para 82,4%.

Se o marketing educacional está sendo bem aproveitado e tem trazido bons retornos para as instituições de ensino, então vamos entender melhor como isso acontece.

Acompanhe!

Como segmentar o público?

Estratégias de marketing que geram resultados positivos começam com uma boa definição dos perfis de alunos ideais para sua instituição.

Quando os interesses do seu público são correspondidos, há mais chances de desenvolver um bom relacionamento com ele e, dessa forma, melhorar sua geração de leads, matrículas e retenção de alunos.

Para fazer uma segmentação bem feita, separamos 4 dicas bem legais. Veja:

Entenda quem realmente é o seu público-alvo

Os públicos de uma universidade e de uma escola de ensino básico são um tanto quanto diferentes, certo?

E não estamos nos referindo a quem estuda, mas sim a quem toma as decisões de compra.

No ensino superior, os alvos são, normalmente, os próprios postulantes a universitário; já na escola, o público principal a ser convencido é formado pelos pais dos alunos.

Mas há também os grupos mais específicos.

Por exemplo, na faculdade, há os alunos que acabaram de terminar o ensino médio e dependem financeiramente dos pais, as pessoas que buscam uma requalificação no mercado, os jovens independentes interessados em entrar no ensino superior, etc.

No ensino básico, o mesmo acontece. Há os pais de crianças que se preocupam mais com a estrutura, os pais de adolescentes que se importam com um projeto pedagógico que encaminhe seus filhos para uma boa universidade, entre outros perfis.

Conhecer melhor os potenciais alunos e seus pais é o primeiro passo para uma estratégia mais bem orientada.

Considere as limitações geográficas

As instituições de ensino a distância talvez não precisem se preocupar com isso, mas para as escolas e faculdades que recebem os alunos em suas sedes, a localização é um fator que faz a diferença na segmentação.

Por exemplo, um colégio que está presente somente em uma cidade ou estado pode usar alguns regionalismos em sua comunicação para criar uma proximidade maior com o público local.

Além do mais, na hora de segmentar o público em ferramentas de mídia paga na internet, você saberá as regiões que mais interessam.

Assim, não precisará gastar para atingir uma audiência que dificilmente se matriculará em sua instituição.

Leve em conta suas ofertas

Não é difícil de imaginar que o perfil do estudante que quer fazer humanas é diferente do estudante que quer ingressar em um curso de exatas.

Da mesma forma, a pessoa que busca um curso de inglês para aperfeiçoar o que ela já aprendeu é diferente daquela que ainda não teve qualquer contato com esse idioma.

Note que são perfis de alunos que se encaixariam em diferentes ofertas em uma instituição.

Nesse caso, é legal levantar algumas características dos potenciais alunos de cada curso para saber o que pode funcionar melhor com eles.

Crie suas personas

As personas são personagens semifictícios que representam o aluno ideal para sua instituição.

Elas são criadas com base em dados reais levantados dos atuais alunos ou em pesquisas de mercado com pessoas que se enquadrariam nesse perfil.

Esses personagens carregam informações como dados demográficos, hábitos de consumo de informação e problemas, interesses e objetivos pessoais.

Quanto mais detalhes as personas tiverem, mais fácil será descobrir como sua IE poderá ajudá-las.

Lembre-se de que você pode criar uma persona por curso, por área de conhecimento ou até por fase de ensino (infantil, fundamental e médio).

Guia para criação de personas

Como captar e reter alunos?

Os objetivos destacados no título deste tópico são os principais do marketing educacional, mas atingi-los não é tão simples.

Há inúmeras maneiras de converter novas matrículas e evitar que os atuais alunos saiam da instituição.

Entretanto, resolvemos destacar 3 que costumam trazer ótimos resultados. Confira:

Produza conteúdos segmentados e relevantes

Olha o marketing de conteúdo se mostrando útil também para as instituições de ensino.

Por meio de conteúdos que eduquem, informem e entretenham os leitores, sua faculdade pode chamar a atenção de potenciais alunos que estão iniciando uma busca no Google, por exemplo.

Se você tem um conteúdo publicado no blog que ajude uma pessoa a avançar em sua jornada de compra, suas chances de ser recompensado aumentam.

Mas atenção! Evite os conteúdos muito genéricos. Use as personas como base para resolver seus problemas e falar sobre seus cursos de interesse e objetivos.

marketing de conteudo primeiros passos

Ofereça ensino, atendimento e estrutura de qualidade

Os bons conteúdos podem até ajudar a manter os alunos, mas o que fará diferença mesmo é o serviço que sua instituição entrega a eles.

Um corpo docente altamente qualificado, metodologias que tragam resultados reais, rapidez no atendimento e uma estrutura com laboratórios bem equipados, espaços de lazer e salas confortáveis são essenciais para promover uma boa experiência para os alunos.

Se o básico não for feito, não espere que as pessoas se sintam motivadas a continuar como alunas.

Invista no marketing de defensores

Como o nome sugere, esse tipo de marketing visa criar, entre os consumidores, promotores para defender uma marca em seus círculos sociais.

Essa tática é boa para conseguir novas matrículas, já que as opiniões de um estudante costumam ter um peso enorme nas decisões de outros alunos.

O marketing de defensores também funciona para reter matrículas, pois esses promotores passam a ter um relacionamento mais próximo e podendo ter mais regalias junto à instituição.

Como construir defensores para sua marca

Como usar as ferramentas de marketing digital para gerar leads?

Como já vimos, o marketing digital é mais utilizado e gera um melhor ROI para as instituições de ensino do que o marketing offline.

E uma das suas principais funções é a geração de leads.

Os leads do marketing educacional, por sua vez, são contatos que demonstraram interesse nos conteúdos e ofertas de uma escola ou faculdade.

Mas como conseguir formar uma lista com potenciais alunos? A seguir, você conhecerá 5 dicas para lhe ajudar com isso.

Utilize materiais ricos para gerar interesse

Materiais ricos são ebooks, infográficos, webinars e minicursos que possuem um valor agregado maior do que simples blog posts, por exemplo.

Pela quantidade de informações valiosas que esses conteúdos carregam, eles chamam mais a atenção do público interessado.

Dependendo do nível de profundidade do material, se você pedir apenas o nome e o email dos visitantes, as chances de eles deixarem essas informações em troca do acesso ao conteúdo são enormes.

ebook como fazer ebooks

Otimize as landing pages para melhorar as conversões

As landing pages são as principais ferramentas para converter leads no marketing digital.

São nelas que você poderá ofertar seus materiais ricos e incluir um formulário para os visitantes deixarem as informações solicitadas.

Uma landing page otimizada é aquela que destaca as principais qualidades do material ofertado, que esconde os links desnecessários, que contém um botão de Call-to-action claro e que pede apenas os dados necessários para o acesso aos conteúdos.

Exiba caixas de assinatura de newsletter

Além dos materiais ricos e das landing pages, outra forma de gerar leads é capturando os dados de contato dos visitantes do seu site ou blog.

Você pode espalhar caixas de assinatura de newsletter em forma de banner na barra lateral do site ou em pop-ups nas páginas específicas de cada curso.

Caso o visitante tenha interesse em saber mais sobre aquelas ofertas, ele provavelmente se cadastrará em sua lista.

guia newsletter

Faça email marketing para nutrir e qualificar seus leads

Com uma lista de leads formada organicamente, o próximo passo é desenvolver um relacionamento com eles por email marketing.

Essa relação deve nutrir esses contatos com mais conteúdos segmentados e aprofundados. A intenção é educar mais lead, ajudá-lo com informações importantes para o seu processo de inscrição e avançá-lo pelo funil de marketing.

A qualificação desses leads acontece quando eles deixam mais informações que ajudem a segmentar ainda mais esses relacionamentos.

Por exemplo, além do nome e email, é importante buscar dados como idade, curso de interesse, localização, entre outras informações importantes.

Use ferramentas de automação para dar escalabilidade ao processo

Por último, vale separar uma verba para investir em plataformas de automação de marketing, análise de dados, de construção de landing pages e de envio de email marketing.

Essas ferramentas reduzirão o excesso de trabalho manual e garantirão que sua estratégia tenha escalabilidade, ou seja, que ela consiga crescer de 100 para 100.000 leads sem perder a qualidade do processo.

automação de marketing e vendas

Quais são as melhores práticas de marketing educacional?

Algumas das melhores práticas você já viu ao longo deste artigo, mas, para fechar com chave de ouro, selecionamos mais 5 para serem aplicadas em sua instituição de ensino.

Descubra:

1. Interaja frequentemente com os alunos nas redes sociais

Utilizadas por 91% das instituições respondentes da pesquisa EduTrends 2016, as redes sociais são canais obrigatórios para fortalecer a relação com o público.

Em suas páginas no Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn e YouTube, as escolas ou universidades podem divulgar os conteúdos do blog, os materiais ricos, fazer atendimento aos alunos, tirar dúvidas e, o mais importante, interagir com eles.

Use as mídias sociais para se socializar e não apenas para se promover. Adote uma postura mais humanizada e uma linguagem próxima da sua persona para fluir o contato com seus seguidores.

Um bom trabalho de social media pode transformar seus alunos em verdadeiros fãs da instituição.

Kit Marketing nas Redes Sociais

2. Compartilhe histórias e depoimentos de alunos

Essa é uma estratégia legal para ajudar os alunos que estão próximos de fechar uma matrícula.

Você pode preparar um vídeo com um depoimento de um aluno satisfeito falando sobre as qualidades da escola ou de um ex-aluno que tenha conseguido uma posição privilegiada no mercado de trabalho.

Referências positivas são importantes para convencer os estudantes de que eles farão a escolha certa se fecharem com sua instituição de ensino.

3. Promova eventos com as comunidades locais

Uma universidade ou uma escola não precisam limitar suas atividades dentro de suas instalações.

A integração com as comunidades locais é importante para levar novas experiências para os seus alunos e criar uma imagem positiva com os demais setores da sociedade.

Por exemplo, o curso de educação física de uma faculdade pode promover evento esportivo em praça pública para se aproximar dos moradores daquela região.

Esse tipo de contribuição social melhora a reputação da instituição e faz ela ser mais lembrada por potenciais alunos, aumentando o brand awareness.

4. Invista em mídia paga

Campanhas de links patrocinados também não podem ser deixadas de lado no marketing educacional digital.

Você pode negociar diretamente com diversos sites e blogs ou investir em Google Adwords, Facebook Ads e outras plataformas de anúncio.

As intenções são aumentar a exposição da marca, gerar resultados mais rápidos e direcionar suas mensagens para as pessoas certas.

Aliás, a segmentação na mídia paga online é bem mais precisa do que nos veículos tradicionais. Dependendo da plataforma, você pode direcionar seus anúncios com base em palavras-chave ou no gênero, na localização e nos interesses pessoais do público.

5. Monitore os resultados de suas campanhas

O marketing que não pode ser medido dificilmente será capaz de gerar melhores resultados.

A mensuração é parte fundamental de qualquer estratégia. Afinal, ao analisar o desempenho de suas principais métricas, você saberá se seus objetivos de marketing estão sendo atingidos.

Acompanhe de perto a quantidade de leads gerados, a taxa de conversão de novos estudantes, o tempo médio de retenção de alunos, o ROI, o custo de aquisição por matrícula, entre outros indicadores relevantes.

Dessa forma, você conseguirá otimizar suas campanhas e apontar os caminhos certos para futuras ações de marketing.

O marketing educacional é indispensável para as instituições de ensino que buscam bater suas metas de matrículas semestrais, melhorar o relacionamento com seus públicos de interesse (estudantes, pais e comunidade) e fidelizar seus atuais alunos.

Para conquistar esses resultados, é preciso caprichar na segmentação do público, acompanhar de perto os indicadores de desempenho e utilizar as estratégias certas para cada objetivo.

Aliás, sugestões de táticas não faltam, mas vale olhar com mais carinho para as ações de marketing digital. Suas ferramentas podem simplificar, automatizar, economizar e trazer mais produtividade para os seus esforços de captação e retenção de alunos.

Como vimos, uma das estratégias destacadas para atrair e fidelizar alunos em uma instituição de ensino é o marketing de conteúdo.

Em nosso ebook Marketing de Conteúdo para Instituições de Ensino, você verá como a produção de conteúdos de qualidade pode ser tão eficiente no mercado educacional.

Marketing-de-conteudo-para-instituicoes-de-ensino

ferramentas e métricas para instituição de ensino

As ferramentas e métricas essenciais para melhorar os resultados da sua Instituição de Ensino

Você sabia que cerca de 98% das IEs utilizam ferramentas e métricas para melhorar seu desempenho?

Esse foi um dos dados revelados pela Tech Trends: Benchmarks de ferramentas para Instituições de Ensino.

Uma adesão assim tão expressiva ajuda a reforçar a importância que as ferramentas têm e podem desempenhar em sua instituição, caso elas ainda não sejam utilizadas.

Para analisar o desempenho de sua instituição de ensino é muito importante definir métricas e adotar ferramentas para acompanhar todo o trabalho que está sendo feito.

Seguindo esses passos, é possível descobrir o que pode ser alterado ou mantido para que melhores resultados possam ser alcançados.

E para ajudar você a escolher quais métricas mensurar e quais as melhores ferramentas adotar, elaboramos esse post.

Como definir as métricas de sua IE

Para escolher quais serão as métricas da sua instituição de ensino é preciso ter claro quais objetivos você pretende alcançar para assim, definir como mensurar esse esforço.

Além disso, é muito importante não associar esses dados a indicadores conhecidos como métricas de vaidade.

Mesmo não sendo totalmente dispensáveis, métricas como número de likes, compartilhamentos e seguidores devem ser observadas, mas não conseguirão determinar totalmente o sucesso da campanha de marketing digital de sua IE.

O que deve ser analisado são métricas que ofereçam informações sobre a atração de novos alunos, a taxa de conversão do funil de educação, o retorno sobre o investimento gasto em campanhas, entre outros.

Ebook gratuito: Geração e Nutrição de Leads para Instituições de Ensino

Descubra com esse ebook como ter uma instituição de sucesso, além de aprender como conquistar e reter alunos.


Tipos de métricas

Cada instituição tem as suas particularidades e isso reflete nos objetivos específicos que pretendem alcançar. Pensando nisso, separamos algumas métricas que podem ser interessantes para avaliar as estratégias praticadas pela sua IE.

Confira quais são e o que elas representam:

Retorno sobre investimento (ROI)

Com essa métrica é possível conhecer o retorno gerado por uma determinada campanha de sua instituição.

Por exemplo, uma universidade criou uma estratégia para divulgar o seu processo seletivo e todos os gastos envolvidos com essa ação serão analisados, comparando com o valor obtido das matrículas desses novos alunos.

Assim, será possível calcular o quanto essa estratégia gerou em relação a valores para a sua instituição.

Fórmula

ROI = Receita obtida – valor investido / valor investido

Custo de Aquisição por Aluno

Em outros negócios esse tipo de métrica é conhecida como Custo de Aquisição por Cliente. Como estamos tratando de uma instituição de ensino, o que precisamos descobrir é o quanto foi despendido para conquistar um aluno.

Para fazer esse cálculo é preciso considerar todas as despesas gastas com o Marketing e com a equipe comercial (se essa existir) de sua IE, durante um determinado espaço de tempo, e comparar com o número de novos alunos conquistados durante esse mesmo período.

Fórmula:
Custo de Aquisição por Aluno = Despesas + investimentos em marketing e vendas / Número de novos clientes em um período

Ticket médio

Caso a sua instituição seja particular, é importante descobrir o quanto cada aluno gera de receita para você. Se esse valor estiver muito baixo, pode significar que a sua mensalidade necessita de um reajuste ou que alguns gastos precisam ser diminuídos.

Fórmula

Ticket médio mensal = Receita do mês / Número de clientes do mês

Valor do tempo de vida do aluno

Essa métrica permite calcular o quanto cada aluno gerará de lucro para a sua IE, levando em conta o tempo que ele provavelmente ficará matriculado. Além de fornecer uma maior previsibilidade, esse cálculo também permite, quando comparado ao Custo de Aquisição de Aluno, indicar se a sua instituição é financeiramente sustentável, caso o valor referente ao tempo de vida do aluno seja superior.

Fórmula

Valor do tempo de vida do aluno = Ticket médio mensal x Tempo médio de retenção de cada cliente

Taxa de conversão

Chamamos de conversão quando visitante se transforma em um aluno de sua instituição. Para isso acontecer, existem algumas etapas que precisam ser concluídas dentro do funil de educação.

Visto isso, essa métrica é muito importante afinal como revelado pela pesquisa EduTrends, as instituições que investem em Marketing Digital apresentam como principal desafio a conversão de leads (56,1%).

Se essa taxa estiver baixa, é preciso fazer uma análise completa tanto do site e blog de sua instituição que podem estar apresentando dificuldades para os usuários, quanto das estratégias adotadas que correm o risco de não serem adequadas e claras para a sua persona.

Fórmula

Essa fórmula varia de acordo com o objetivo escolhido, mas se a conversão da sua instituição acontece quando um usuário clica em um CTA para realizar a matrícula você pode calculá-la da seguinte maneira:

Taxa de conversão = número de visitas em uma página / número de visitantes que de fato tomaram a ação desejada

Visitas no blog e/ou site

Essa métrica não apresenta uma fórmula para ser calculada, mas é possível descobrir o número de visitas no blog e/ou site de sua instituição por meio de ferramentas que vamos abordar mais adiante nesse post.

Conhecer quantas pessoas acessam os conteúdos de sua instituição é uma boa oportunidade para saber se esses materiais estão despertando o interesse e sendo clicados.

Tempo gasto no blog e/ou site

Para completar essa lista de métricas essenciais, é importante conhecer quanto tempo os visitantes estão gastando no blog e/ou site de sua IE. Com o uso de ferramentas você pode descobrir qual o tempo médio gasto por usuário e assim, criar mais conteúdos atrativos para que aumentar esse tempo.

Principais ferramentas

Agora que você já conhece algumas das principais métricas para avaliar o desempenho de sua IE, chegou o momento de conferir quais ferramentas podem ajudar você nessa tarefa.

De acordo com a TechTrends: Benchmark de Ferramentas para Instituições de Ensino, cerca de 87,9% declararam utilizar ao menos uma ferramenta de Marketing Digital.

Mesmo essa adoção sendo recente, mais de 40% já enxergam o quanto esse tipo de solução melhora consideravelmente os resultados.

Pensando nisso, fizemos um compilado das ferramentas mais adotadas pelas instituições de acordo com cada categoria:

Análise de marketing: Google Analytics (98%)

Construção de landing pages, gestão e monitoramento das Redes Sociais e automação de Marketing: RD Station (57,5%), (46,2%), (69,1%)

Email Marketing: Mailchimp (34,9%)

Plataforma de CMS: WordPress (78,2%)

Plataformas de conteúdo: Rock Content (55,2%)

Análise de SEO: Google Search Console (76,9%)

Teste A/B: Google Content Experiments (39,3%)

Para determinar o sucesso de uma estratégia de Marketing Digital é preciso mensurá-la e avaliar o que os resultados gerados representam para a sua instituição. Adotar métricas e ferramentas podem auxiliar você e sua equipe a fazer essa análise.

Portanto, invista um tempo estudando as especificidades de sua IE para realizar as melhores escolhas e as coloque em prática.

 

 

treinamento do time de marketing

Por que e como eu invisto no treinamento do Time de Marketing da Rock Content

Acredito que o meu motivo para investir em treinamento para minha equipe de marketing seja o mesmo que o seu.

Encontrar profissionais que estejam preparados para o mercado atual é uma dificuldade, não é mesmo?

Aqui na Rock Content, esse é um dos nossos maiores obstáculos. Quando você fala em uma empresa que começou com 3 pessoas em uma salinha e hoje conta com quase 200 funcionários, contratar é um assunto que já erramos e acertamos muito.

Meu maior aprendizado foi trazer pessoas que tenham atitude para meu time. Considero  sim a habilidade do candidato, mas levo muito mais em conta a vontade de aprender e evoluir que ele tem.

Nesse post você vai entender exatamente porque eu valorizo muito mais a experiência obtida através do treinamento  do que contratar pessoas já qualificadas.

Mas por que eu invisto em treinar a minha equipe e não em contratar profissionais prontos?

Porque não existem tantas pessoas prontas quanto a gente gostaria no mundo do marketing digital!!!

O que usamos na prática como profissionais de marketing é um bem diferente do que é ensinado dentro das salas de aulas. A faculdade não prepara os profissionais de marketing para o mundo digital e ter uma equipe qualificada acaba sendo um desafio.

Fica claro ao olhar a grade curricular de um curso de Marketing ou Publicidade da maioria das universidades. Os conceitos de Marketing Digital, Marketing de Conteúdo, SEO ou Email Marketing não são passados aos alunos e acaba sendo obrigatório partir da pessoa a vontade de aprender esses temas. No Brasil, hoje, muitos alunos formam em marketing sem saber o que é growth hacking, Google Adwords, etc. É sério.

Contratando funcionários que têm apetite para aprender, consigo preencher um pouco o espaço que o ensino formal deixa. É fundamental que os integrantes do meu time tenham uma vontade e atitude de ir atrás de conhecimento, até pelo motivo de estarmos falando de um mercado em que as mudanças são diárias.

A diferença entre a universidade e o mercado de trabalho

Vivemos em uma época em que a quantidade de conteúdo para desenvolver novos aprendizados é enorme. A velocidade das mudanças nas tecnologias de informação é mais rápida que as universidades, e o que os alunos aprendem extra sala é mais atual do que é ensinado.

De acordo com a IBM, nos últimos dois anos foram geradas mais informações do que em toda a história da humanidade. Uma velocidade de acesso ao conteúdo que é muito mais rápida do que é passado dentro das salas de aula.

Quando falamos do comportamento das novas gerações, temos que analisar também como elas se envolvem com o conhecimento. A forma como elas vão atrás da informação vai contrária à ideia das universidades e do ensino tradicional, que ainda atua em um modelo bem distinto de como os alunos aprendem.

Mas como tornar meus funcionários especialistas em marketing digital, então?

Aprendendo com especialistas!

Eu tinha a solução em casa e aproveitei disso. Incentivei a troca de conhecimento entre a minha equipe e, para os novos integrantes, a gente passava o que a já tínhamos aprendido.

Na verdade, eu apenas oficializei um ciclo e troca que já existia.

Lembra o instinto de tomar atitudes que eu falei que procuro nas contratações que faço aqui? Essa atitude também reflete na vontade de ensinar. Sempre tivemos na Rock um ambiente de muito aprendizado e ensinamento, o que facilitou para começar treinamentos internos.

O resultado disso foi fantástico, já que quem ensina também aprende.

A resposta que tive foi deixar os profissionais prontos para o mercado muito mais rápido que quando eles devem procurar sozinhos por conhecimento. Nós sempre contratamos ótimas pessoas, mas que chegavam inexperientes. Investir no treinamento fez com que elas entrassem em sintonia com a equipe e a empresa, em um tempo mais curto.

Já os profissionais que já faziam parte da equipe e tinham uma experiência no assunto, conseguiam se tornar especialistas em marketing digital, ganhando um conhecimento muito maior. O que trouxe uma eficiência e produtividade significativa para o trabalho deles.

Transformação dos treinamentos em vídeos

Percebemos que seria interessante capacitar não apenas o time de marketing, mas toda a equipe da Rock Content. Resolvemos então, gravar os treinamentos e disponibilizar para todos os funcionários.

Dessa vez conseguimos ter uma outra resposta que ainda não tinha sido reparada. Treinando os funcionários conseguimos diminuir a rotatividade na empresa, o que ia na contramão do mercado brasileiro, que de acordo com o levantamento feito pela Exame em 2014, tinha na época um turnover duas vezes maior que a média mundial, chegando a incríveis 82% das empresas.

Foi uma forma que encontramos de alinhar o crescimento pessoal dos funcionários e o da empresa, já que isso sempre foi uma preocupação nossa.

Os vídeos também ajudaram a deixar os treinamentos ainda mais ágeis e produtivos. A partir do momento que você libera o acesso para cada um aprender no seu ritmo e no momento que mais se sente à vontade, você também melhora a qualidade do aprendizado.

Se formos olhar novamente para a atual geração que ingressa no mercado de trabalho (a Rock Content é uma empresa formada basicamente por jovens, a média de idade por aqui é de 26 anos), conseguimos enxergar que a forma que eles lidam com o emprego é diferente do modelo tradicional.

Segundo uma pesquisa realizada pela Delloite nos Estados Unidos, dois a cada três jovens empregados têm um desejo de sair de onde estão até o ano de 2020.

Isso é bem relevante quando vamos falar sobre a rotatividade da equipe. Todos nós nos preocupamos com a saída daquele funcionário que nos custou algumas horas de treinamento, que já tem um conhecimento sobre a empresa e que sua partida vai resultar negativamente na produtividade do time.

Criação das duas primeiras certificações

Nessa época de abertura do treinamento para toda a empresa, decidimos criar as duas certificações gratuitas que temos hoje em dia.

A primeira, de Marketing de Conteúdo, é apresentada pelo meu sócio e especialista no assunto, Vitor Peçanha. O curso ensina tudo sobre marketing de conteúdo. Desde o significado até as métricas a serem acompanhadas, passando pelo planejamento, canais de conteúdo, automação e ferramentas.

Hoje ela é uma das exigências para os candidatos à uma vaga aqui na Rock e virou também referência para outras empresas, que enxergaram um valor em já receber currículos de candidatos qualificados em marketing.

Para nossa comunidade de redatores freelancers, a condição para se cadastrar na nossa base faz referência a outra certificação gratuita que criamos na época dos primeiros treinamentos. A Certificação de Produção de Conteúdo para Web, ensinado também por uma especialista no assunto, a Luiza Drubscky.

Os temas abordados são técnicas específicas de copywritting, escaneabilidade e criação de conteúdos de qualidade. Tudo para você deixar sua produção de conteúdo muito mais eficiente.

Abertura para o mundo

Percebemos que escalar o nosso modelo de treinamento era não só viável, como uma ótima oportunidade de ajudar empresas que poderiam passar pela mesma dificuldade que nós passamos.

Estávamos com o ouro em nossas mãos e tínhamos que levar esse projeto mais adiante. Foi quando resolvemos disponibilizar os treinamentos para pessoas de fora da Rock. Isso tinha tudo a ver com a nossa cultura, ensinar.

Atualmente, com esses cursos abertos ao público, já certificamos mais de 10.000 pessoas.

Surgimento da Universidade Rock Content

No final do ano passado, identificamos que tínhamos mais oportunidades que ainda não estavam sendo aproveitadas.

A demanda por bons conteúdos sobre marketing digital ainda existia, as pessoas ainda chegavam despreparadas nas empresas e o resultado que a gente vinha tendo internamente era muito bom.

Foi quando resolvemos reunir diversos outros assuntos de marketing em um só lugar e criamos a Universidade Rock Content. A plataforma procura reunir os assuntos mais importantes no Marketing Digital, ensinado por pessoas que vivem ele no dia a dia.

Veja só quais são as certificações ofertadas na Universidade:

Search Engine Optimization

Um curso para aprender de vez a criar uma estratégia de SEO que gera resultados. Alguns temas abordados são:

  • Conceitos essenciais da otimização de busca;
  • Tudo que você precisa saber para realizar uma boa pesquisa de palavra-chave;
  • Fatores On Page e Off Page que vão levar sua página para as primeiras posições do Google;
  • Principais métricas e ferramentas que os especialistas usam.

Inside Sales

Ele apresenta o mesmo processo de vendas que usamos aqui na Rock Content, desde a etapa de qualificação à criação de uma proposta eficaz. Passando também por:

  • Conceito desse processo moderno de vendas, para você ficar por dentro de tudo do Inside Sales;
  • A melhor e mais eficiente forma de conectar com uma lead;
  • Uma lição completa sobre como deve ser feita a conversa e qualificação de um possível cliente;
  • E para fechar seu processo do melhor jeito, aprenda a negociar e customizar sua proposta.

Gestão de Mídias Sociais

As redes sociais são os lugares onde a maioria das empresas estão, compreender como realizar um bom marketing nessas plataformas chega a ser fundamental. Um dos assuntos que acreditamos ser importante para seu aprendizado são:

  • Escolhendo o melhor canal para se comunicar com seu público;
  • Quais assuntos abordar para se tornar um influenciador no seu nicho;
  • Como criar posts perfeitos para cada tipo de rede social;
  • Quais métricas acompanhar e quais ferramentas usar para deixar sua estratégia ainda mais eficiente.

Email Marketing

Para bons resultados em vendas, além da geração de leads, é necessário também aprender a nutrir seu futuros clientes. Entregar leads qualificadas para o time de vendas aumenta a possibilidade de sucesso. Nessa certificação conseguimos abordar temas como:

  • Construindo uma estratégia de email marketing completa;
  • Qual a hora certa, e para quem mandar seus emails;
  • Tudo sobre fluxos de nutrição matadores;
  • Como acompanhar seus resultados, aprender e melhorar com eles.

Branding & Buzz

As melhores estratégias para gerar um crescimento exponencial hoje em dia são através de uma boa imagem e de pessoas que falam bem sobre sua empresa, concorda? É para isso que essa certificação foi criada. As questões abordadas são:

  • O que é e qual a importância do Branding e Buzz Marketing;
  • O que fazer para as pessoas indicarem sua empresa;
  • Como estruturar uma estratégia sobre o assunto;
  • Como criar uma identidade visual consistente e que passe emoção.

Blogs Corporativos

Entenda tudo sobre a ferramenta mais adotada em uma estratégia de Marketing de Conteúdo. Aprenda como ter um blog com conteúdos incríveis e que vão te deixar um passo à frente da concorrência. Os principais tópicos para alcançar o resultado são:

  • Como criar um blog começando do zero;
  • Definição de KPIs, personas e conhecimento do Funil de Vendas;
  • Uma produção de conteúdo completa e vencedora;
  • Como configurar seu blog para as primeiras posições do Google através das melhores técnicas de SEO.

São conteúdos atuais, diversos e focados em todos os profissionais da área de marketing, seja um estagiário iniciando sua carreira ou um analista procurando atualização e especialização.

Então, por que você deve investir em treinamento para sua equipe?

Porque os resultados são incríveis!

Qualificar a sua equipe e contribuir para o crescimento pessoal de cada um resulta positivamente na sua empresa. Você vai conseguir ter ótimas respostas em assuntos que nem imagina.

Os treinamentos normalmente trazem conteúdos muito mais atuais que as instituições de ensino. Sem falar que a atualização dos temas acontecem em um período muito menor do que nas faculdades e universidades.

Se você se preocupa também com o treinamento da sua equipe de marketing, com certeza deve dar uma olhada na Universidade Rock Content. Acredite, eu sempre procurei por isso e se tivesse isso desde o começo da empresa, o crescimento, sem dúvida, teria sido ainda mais rápido.

Abraços e até a próxima!

Custo de aquisição de inscritos

Como o Marketing de Conteúdo pode ajudar a sua instituição a conseguir novos alunos

Hoje em dia, as instituições de ensino não precisam mais esperar a realização de uma pré-matrícula para saberem se uma pessoa tem o interesse de fazer uma graduação.

O download de ebooks e a visita em posts no blog de sua IE revelam em qual etapa da jornada esse usuário se encontra e quais dúvidas ele possui.

Com esse conhecimento você consegue oferecer soluções mais adequadas para essa persona tanto em relação a um conteúdo mais relevante, o canal e o momento mais oportuno para divulgá-las.

Se você deseja ter uma instituição de sucesso, o seu maior aliado é uma boa estratégia de Marketing de Conteúdo.

Adotada por 79% das instituições participantes da pesquisa EduTrends, ela gera 2,2 vezes mais visitas para as que publicam em blog, 10 vezes mais visitas para as que divulgam conteúdo em suas redes sociais e 7 vezes mais leads para as instituições que produzem e publicam ebooks.

Pensando em aproveitar essa oportunidade que pode estar sendo desperdiçada por sua instituição, resolvemos produzir esse post para mostrar como o conteúdo pode ajudar a captar novos alunos.

Quais as vantagens de produzir conteúdo?

Você sabia que um único blog post nos ajudou a gerar R$436.000 em novos negócios em apenas 16 meses para a Rock?

Para alcançar esse resultado incrível produzimos um conteúdo interessante, a partir da identificação de algumas oportunidades focadas na palavra chave “marketing digital“.

Percebemos que criar um blog post seria a estratégia para rankear esse termo que apresentava quase 30 mil buscas mensais, trazer esse tráfego para Rock e transformá-lo em vendas.

No caso de sua instituição, o conteúdo produzido também pode atrair novos visitantes e esses serem convertidos em alunos.

Com posts otimizados de acordo com as técnicas de SEO, maiores são as chances deles alcançarem as melhores posições no Google e, consequentemente, de serem clicados. Com esse clique, os usuários que chegam até o blog de sua instituição, geram tráfego orgânico.

Se nesse mesmo blog, você oferece um ebook que requer o preenchimento de dados do visitante para o download, assim que ele deixar essas informações, ele será convertido em um lead.

O que você precisa para começar a gerar leads?

E você sabe o que é um lead? É uma pessoa que, de alguma forma, possui interesse em sua instituição e tem potencial de se tornar um aluno.

É muito importante gerar leads para melhorar a conquista de novos estudantes para a sua instituição. Essas pessoas já tem a curiosidade e você pode aproveitá-la para direcionar esses alunos em potenciais pelo funil de educação até o tão desejado momento de matrícula.

Existem alguns elementos importantes que você precisa conhecer para poder gerar leads para a sua instituição. Eles são:

Landing Pages

Nada mais é do que uma página da web, também conhecida como página de destino, na qual o visitante chega para uma finalidade específica. O principal objetivo da landing page para a geração de leads é obter informações dos usuários por meio de formulários obrigatórios em troca do download do material desejado, visando a conversão do visitante em lead.

Formulários

Presentes, principalmente, nas Landing Pages, os formulários são uma série de campos para serem preenchidos (ex: nome, email, cargo, empresa), visando coletar as informações do usuário para entregar uma oferta.

Oferta

Pode ser o conteúdo ou algum outro material de valor que a sua instituição oferece. Para acessá-la, o usuário precisa completar o formulário e clicar no CTA para download. Essa oferta precisa ser relevante para que o visitante divulgue as suas informações em troca desse material.

Call-to-Action (CTA)

Uma chamada visual ou textual atrativa para levar o visitante a realizar uma ação. O CTA pode ser uma pequena imagem, botão ou mensagem que convida para o download de um ebook, por exemplo.

O que fazer com os leads gerados?

Como falamos, gerar leads é importante para aumentar as chances de convertê-los em alunos de sua instituição. Porém, é preciso nutri-los com conteúdos – adequados a sua etapa e interesse – para levá-los adiante no funil.

Uma ótima maneira de fazer isso é ter um time comercial para entrar em contato com cada lead gerado com o objetivo de aprender mais sobre as motivações que o fizeram acessar os conteúdos e baixar materiais em seu blog.

Isso possibilita conhecer mais sobre esse aluno em potencial e aprender como você pode ajudá-lo. As dúvidas apresentadas durante a conversa podem ser transformar em novos materiais e também podem ser usadas para descobrir se esse lead realmente tem chances de vir a se tornar um estudante de sua instituição.

Você deve estar pensando como a sua equipe comercial conseguirá ligar para todas esses leads, acertei?

Por isso, é tão essencial ter um setor de Marketing. Se engana quem pensa que uma assessoria de comunicação é a mesma coisa, não é!

Enquanto a ASCOM apenas comunica notícias e não tem nenhuma ligação com o comercial, o Marketing tem como objetivo ajudar o comercial a conquistar novos alunos.

A primeira classificação dos leads gerados é feita pelo Marketing com base em um sistema de pontuação, também conhecido como lead score.

Ele identifica por meio de critérios comportamentais e demográficos, determinados por sua IE, quais leads realmente tem chances de se tornar aluno de sua instituição.

Esses serão conhecidos como leads qualificados e repassados para o comercial que entrará em contato com cada um.

Quer aprender como fazer como construir o lead score de sua instituição? Confira a aula que o Peçanha preparou sobre esse assunto:

Conclusão

Ter uma equipe de Marketing e Comercial são essenciais para o sucesso de sua instituição. Com elas além de conseguir gerar mais leads, você também aumenta as chances convertê-los em alunos.

O trabalho em conjunto desses dois setores pode ser utilizado também para a retenção dos estudantes.

Conteúdos específicos podem ser criados oferecendo atrativos, como uma promoção para recém-formados se matricularem em uma pós ou mesmo graduarem em outro curso.

Gostou do conteúdo? Deixe a sua opinião nos comentários abaixo e nos conte os resultados obtidos pela sua instituição!

captação de alunos com marketing de conteúdo

Redes sociais para instituições de ensino

Descubra quais são as redes sociais mais adequadas para o público da sua IE e como usá-las

As redes sociais são canais de grande audiência, usados por diversos tipos de empresa. E se a sua instituição ainda não utiliza, você deve começar a investir hoje mesmo.

Com elas é possível ganhar mais visibilidade online e também aumentar a interação com o seu público, como revelou a nossa pesquisa Social Media Trends 2017.

Os conteúdos que você já produz para o blog de sua IE podem alcançar mais pessoas se divulgados nas redes sociais. Porém, é preciso de uma estratégia bem elaborada, que leve em conta as especificidades de cada rede para que os resultados desejados possam ser atingidos.

E para ajudar com esse desafio, decidimos elaborar este post para explicar um pouco mais sobre o papel que esse canal tem e pode desempenhar em sua instituição.

Além disso, pensando nas diversas pessoas que tem potencial de virem a se tornar seus alunos, vamos detalhar como explorar o melhor de cada rede social para atingir o seu objetivo de conquistar novas matrículas.

As vantagens de estar presente nas redes sociais

Além de ser uma forma de divulgar o conteúdo para uma audiência maior, as redes sociais apresentam diversas vantagens para a sua IE, permitindo:

Conhecer mais sobre esses alunos em potenciais

Afinal, sabemos que as pessoas que utilizam esse canal o usam constantemente e várias horas por dia. Por isso, com as redes sociais é possível conhecer mais sobre o comportamento de seus usuários e utilizar essas informações para elaborar uma estratégia mais eficiente.

Se comunicar de forma mais rápida e próxima

Em questões de minutos uma mensagem pode ser produzida, publicada, comentada, curtida e compartilhada por milhares de pessoas. Postagens sobre acontecimentos recentes e polêmicos podem se tornar virais e se transformar em uma oportunidade para divulgar a sua instituição.

Mensurar as estratégias realizadas

Tudo o que abordamos aqui pode ser mensurado e usado para demonstrar a eficácia das redes sociais para a sua instituição. Quer saber mais sobre esse assunto? Confira o nosso infográfico.

Então se você também deseja nesse novo ano conquistar novos alunos, não deixe de executar uma estratégia de redes sociais e aproveite as oportunidades que esse canal oferece.

Alcançar o público certo, no momento perfeito

Com uma estratégia nas redes sociais, você pode encontrar o aluno ideal para a sua instituição no momento em que ele se encontra interessado por um ensino compatível com o que a sua IE oferece. Com isso, as chances de conquistá-lo aumentam consideravelmente, visto que você está oferecendo algo desejado por essa pessoa.

Porém, para que essa vantagem possa ser utilizada por sua instituição, é preciso conhecer os perfis dos alunos em potencial que você pode atender. Entenda mais sobre esses tipos de estudantes no próximo tópico.

Tipos de estudante de cada IE

Pensando nas personas dos principais tipos de instituições, descrevemos abaixo alguns detalhes a serem levados em conta para conquistar esses alunos em potencial. Afinal, para um conteúdo ser relevante e exibir o seu diferencial, é importante conhecer o que está sendo buscado e qual o real interesse dessa pessoa.

Estudante do Ensino fundamental

Os alunos dessas duas etapas tem entre 6 a 15 anos e por isso não são os responsáveis por arcar com os custos desse estudo. Visto isso, os pais dessas crianças e adolescentes são as pessoas que a sua instituição precisa alcançar. É para eles que você precisa provar o valor do seu ensino e o diferencial que pode ser oferecido aos seus filhos por sua escola.

Estudantes do Ensino Médio

Na etapa seguinte, o ensino médio, os alunos apresentam idades que variam dos 15 a 18 anos. A dependência financeira continua, mas eles já expressam mais as suas vontades em relação ao qual colégio em que querem estudar, principalmente, devido à proximidade com o vestibular e o desejo de se prepararem em um escola que tenha foco no curso desejado.

Por isso, é importante alcançar não apenas os pais ou responsáveis por esses alunos, como também os próprios estudantes.

Curso Técnico

Com foco em preparar o aluno para o mercado de trabalho, o curso técnico pode ser realizado por estudantes que concluíram o ensino fundamental e passam a cursar o ensino médio junto com o técnico para terem acesso imediato ao mercado de trabalho.

E também pode ser feito por profissionais graduados que buscam uma requalificação ou mesmo uma reinserção no mercado.

O interesse por um curso técnico pode ser despertado em uma grande gama de pessoas. Por isso, é importante entender a necessidade de cada um desses possíveis alunos para oferecer algo atrativo e relevante em relação ao momento no qual se encontram.

Estudante de Graduação

A graduação é uma etapa feita por adolescentes recém-formados do ensino médio e também por adultos que já podem ter uma formação ou precisaram esperar para se matricularem em uma instituição de ensino superior.

Ou seja, abrange uma grande parcela de pessoas com interesses diferentes e prioridades específicas. E para conquistá-las, a sua instituição precisa expor o seu diferencial que pode ser a existência de um ensino a distância, adoção da nota do Enem ou outros atrativos para cada uma dessas pessoas.

Estudante Pós-graduação

Com o requisito de já ter uma graduação, as pessoas interessadas nesse tipo de ensino procuram instituições que apresentem o curso de seu interesse, ofereça condições acessíveis  de pagamento e horários flexíveis.

Normalmente, são profissionais que já estão no mercado, mas que desejam crescer em seu trabalho e procuram esse tipo de ensino para se especializarem.

Cursos Livres

Esse tipo de instituição abrange pessoas das mais variadas idades, como:

  • Um estudante recém-formado do ensino médio que se matricula em um pré-vestibular;
  • Um médico formado que para se preparar para a residência se inscreve em um cursinho;
  • Ou mesmo, um profissional já presente no mercado que deseja aprender uma nova língua e procura um cursinho de idiomas.

Em todos esses casos é importante se atentar aos tipos de alunos que a sua instituição pode atender e suas prioridades específicas para oferecer atrativos que atendam os desejos de cada um, despertando o interesse pela sua IE.

Redes sociais para cada tipo de ensino

Agora que sabemos um pouco mais sobre as características dos alunos das instituições citadas acima, vamos abordar as especificidades das redes sociais e qual a melhor forma de aproveitá-las pensando na divulgação de sua IE para conquistar novos alunos e se comunicar de maneira mais próxima com os atuais.

Facebook

É a rede social mais popular entre as pessoas de 18 a 29 anos. Ou seja, com ela é possível conversar com estudantes das mais variadas instituições como cursos livres, técnicos, graduação e pós.

Nele você também pode:

  • Criar uma página de perfil para a sua IE;
  • Mensurar os seus resultados;
  • Criar anúncios pagos no Facebook Ads;
  • Acompanhar as atividades da concorrência;
  • Conhecer e se relacionar com o seu aluno em potencial.

Lembrando sempre da boa prática de responder o mais rápido possível a todos os comentários recebidos, sejam eles negativos ou positivos.

Além disso, é importante estudar os horários para a postagem, tentando descobrir qual é o melhor para alcançar mais pessoas.

Linkedin

Por ser focada em profissionais, o Linkedin pode ser a rede social mais adequada para atrair alunos de cursos livres, técnicos e de pós-graduação.

Ele também permite curtidas, comentários e compartilhamentos como o Facebook, mas envolve temas a respeito do mundo empresarial, como contratação, produtividade, RH e empreendedorismo.

Com o Linkedin a sua instituição pode:

  • Se conectar com outros profissionais;
  • Obter informações através de notícias e artigos sobre o mercado de educação;
  • Encontrar novos integrantes para a sua equipe;
  • Se conectar com outras instituições e observar o que a sua concorrência está produzindo;
  • Mensurar os seus resultados;
  • Utilizar a ferramenta Linkedin Pulse (ferramenta de publicações);
  • Criar anúncios no Linkedin Ads;
  • Conhecer o seu aluno em potencial.

Publique com frequência e sempre com qualidade, construa relacionamentos e faça conexões para ampliar a força do perfil de sua instituição nessa rede.

Instagram

Essa rede tem como principal público jovens de 18 a 35 anos, o que abrange a grande maioria dos estudantes em potencial para as instituições. Você pode aproveitar da própria infraestrutura de sua IE para fazer fotos e vídeos, divulgando no Instagram.

Nele você pode:

  • Ter um perfil de sua instituição;
  • Utilizar o Instagram for Business e investir na criação de anúncios e impulsionamento de publicações;
  • Postar vídeos e fotos;
  • Mensurar os seus resultados;
  • Acompanhar o seu concorrente;
  • Conhecer o seu aluno em potencial.

Lembre-se de adotar hashtags que tenham relação com o mercado de educação e que estejam em alta, além de interagir constantemente por meio de perguntas — que precisam ser sempre respondidas — ou sorteios e promoções.

Twitter

A principal característica do Twitter é a limitação de caracteres para cada post publicado. Pensando nisso, você pode aproveitar esse canal para divulgar de forma mais rápida notícias sobre a sua instituição, como um novo curso, abertura do processo seletivo, listas de alunos aprovados, entre outras informações que podem ser úteis tanto para quem deseja se matricular quanto para os alunos atuais.

Nele a sua instituição pode:

  • Ter um perfil de sua instituição — que precisa estar completo e sempre atualizado;
  • Usar o Twitter Ads;
  • Atrair seguidores, monitorar a rede e acompanhar a sua concorrência;
  • Participe de conversas sobre o mercado de educação;
  • Mensurar os seus resultados;
  • Conhecer o seu aluno em potencial

Conclusão

Para saber a melhor maneira e lugar para promover a sua instituição é preciso levar em conta a jornada do estudante e o seu perfil. Com a sua persona construída e sabendo em qual etapa ela se encontra, é possível construir conteúdos mais relevantes e também conhecer as redes sociais mais adequadas para interagir com esse público.

Gostou do conteúdo? Confira mais dicas sobre redes sociais com o nosso Kit Completo sobre essa área e confira outros conteúdos de educação no blog.

Conte para gente nos comentários abaixo dúvidas e sugestões sobre novos temas que você deseja aprender!

redes sociais para instituições de ensino

email marketing para instituição de ensino

Como o e-mail marketing pode ajudar na captação e retenção de alunos para a sua IE

Você sabia que uma estratégia de e-mail marketing pode ser usada durante todas as etapas da jornada do estudante? Ela pode ajudar a sua instituição a captar novos alunos e até mesmo a reter os que já se encontram matriculados na sua instituição

Se engana quem acha que e-mail não tem mais importância nos dias de hoje.

Já é algo comprovado que 92% dos adultos presentes no meio online utilizam e-mail, sendo que 61% deles utilizam diariamente, segunda a pesquisa realizada pela Pew Research.

Além disso, um e-mail é 40 vezes mais efetivo para aquisição de novos clientes (CampaignMonitor) e a sua mensagem é 5 vezes mais provável de ser vista (Radicati) ao compararmos com as redes sociais.

Tendo como base essas e outras estatísticas, vamos abordar neste post quais as características e vantagens que o e-mail marketing pode oferecer à sua instituição de ensino.

E-mail Marketing X Newsletter X Spam

Antes de detalhar sobre a estratégia de e-mail marketing vamos definir alguns conceitos que muitas vezes podem ser confundidos: e-mail marketing, newsletter e spam não significam a mesma coisa. Conheça as diferenças entre cada um:

Newsletter

A newsletter é um tipo de e-mail marketing produzido com uma frequência fixa e que normalmente aborda assuntos como novidades, notícias e curadorias sobre os melhores posts do blog de sua instituição, por exemplo.

Se a sua IE é uma universidade com diversos cursos e uma grande quantidade de alunos, ter uma newsletter semanal pode ser algo bem recebido devido ao volume informação que você poderia divulgar. Entretanto, se você trabalha em cursinho de inglês, por exemplo, que em geral tem um menor número de alunos, uma newsletter mensal pode atender a sua demanda.

As frequências citadas acima são apenas sugestões visto a quantidade de alunos, cursos e especificidades que cada tipo de instituição apresenta. Porém, para descobrir a periodicidade mais adequada para o seu negócio, é preciso realizar testes e comparar os resultados encontrados.

A newsletter pode ser vista como uma oportunidade a mais para que a sua IE fique cada vez mais próxima de seus alunos. Para que isso aconteça, utilize esse meio para transmitir informações relevantes que despertem o interesse e direcione o leitor a uma ação, como compartilhamentos ou comentários sobre um novo curso que será oferecido.

Levando esses detalhes em conta, é possível aumentar as chances dos seus alunos abrirem a sua newsletter e não a marcarem como spam.

Spam

Não deixe que os e-mails de sua instituição se tornem spam!

Sabe aquelas mensagens enviadas para muitas pessoas que não concederam permissão para receber esse e-mail? Esses são os chamados spam. Uma outra característica é que a maioria apresenta ofertas ou desejam vender um produto ou serviço a qualquer custo mesmo não sendo do interesse do destinatário.

Porém, mesmo os e-mails que não tem essa finalidade e são elaborados para serem relevantes podem ser identificados por alguns provedores como spam. Para que isso não aconteça com a sua instituição existem algumas dicas que você pode seguir, como:

Não compre listas de e-mails

Conheça as pessoas que vão receber os seus e-mails, dessa forma você consegue oferecer algo de valor e aumentar as chances de convertê-las em potenciais alunos para a sua instituição.

Não escreva o assunto de em Caps Lock

Primeiro, não é algo agradável e segundo, já é algo comprovado que 85% das pessoas participantes da pesquisa Email Statistics Report da Radicati preferem assuntos com letras minúsculas.

Não reenvie e-mails para usuários que deram hard bounce

Hard bounce ocorre quando um e-mail não chega a ser entregue na caixa de entrada do destinatário devido a um defeito permanente, como um endereço não existente, inválido ou bloqueado.

Ao enviar novamente um e-mail para esse usuário a sua taxa de entrega diminuirá o que pode ser resultado de uma penalização pelos provedores impedindo que você consiga enviar e-mails normalmente.

Um sinal que pode indicar esse problema é se a sua taxa de entrega apresentar uma taxa inferior a 95%. Se isso acontecer, é indicado que você exclua os e-mails sinalizados como hard bounce.

Quer conhecer outros termos sobre e-mail marketing? Acesse o nosso post com o glossário e conheça os conceitos sobre esse assunto.

E-mail Marketing

Já o e-mail marketing apresenta toda uma estratégia por trás de sua elaboração desde a construção da mensagem para que essa seja escaneável até o seu disparo segmentado para uma base específica — que sinalizou que quer receber o e-mail e esse está adequado aos seus interesses.

Produzir esse tipo de e-mail é uma ótima maneira de divulgar conteúdos e informações para as pessoas que já demonstraram interesse em sua instituição. Afinal eles acessaram o seu site ou blog e preencheram um formulário, deixando os seus dados como nome e e-mail, dando permissão para você entrar em contato por meio de e-mails.

Ou seja, você pode fazer com que a sua instituição seja lembrada, mostrar os seus diferenciais e convencer o seu leitor de realizar a tão desejada matrícula por meio do e-mail marketing.

Esse canal, além de oferecer um ótimo direcionamento sobre quem receberá a sua mensagem, também proporciona um meio direto de conversação, possibilitando que o destinatário responda e vice-versa, construindo um diálogo e um relacionamento que podem gerar resultados muito positivos.

Quais são as vantagens de adotar e-mail marketing na estratégia de sua instituição?

Agora que você já conhece as diferenças entre cada termo, vamos apresentar os motivos de utilizar esse canal para:

Atrair, nutrir e reter os alunos de sua instituição

O e-mail marketing é um canal que a sua instituição pode utilizar para criar relacionamento com os seus alunos em potencial e se aproximar daqueles que já estão matriculados.

Ele possibilita oferecer mais conteúdo, maiores oportunidades de interação, além de permitir escrever sobre assuntos variados de forma direcionada e personalizada para cada remetente.

Essas características ajudam sua instituição a conhecer com quem ela está dialogando e, assim, poder aprimorar suas estratégias, tanto para atrair novos alunos quanto para reter os que já fazem parte por meio de conteúdos relevantes.

Além disso, essa estratégia ajuda a nutrir os alunos em potencial para que eles passem por todas as etapas do funil de educação até chegarem ao momento de matrícula.

Um e-mail bem elaborado pode ser o responsável por oferecer segurança para uma pessoa que se encontra ainda com incerteza sobre que curso fazer, por exemplo. E ao ajudá-la por meio de conteúdos do seu interesse, é possível que ela consiga avançar em sua jornada até a etapa da matrícula.

Quer aprender mais sobre nutrição de leads? Confira o nosso ebook.

Obter um retorno positivo

Segundo a Campaign Monitor, os e-mails conseguem gerar um ROI de até 3.800% (a cada US$ 1 investido, é possível ter até US$ 38 de retorno!).

Esses dados comprovam como a estratégia de e-mail marketing é vantajosa quando olhamos os custos envolvidos e os retornos obtidos.

Alcançar um grande público

A projeção da Radicati para o próximo ano é que as contas de e-mails alcancem o número de 4,9 bilhões. Já as contas empresariais devem chegar a 1,1 bilhão em 2017. Todos esses números representam pessoas que podem vir a despertar interesse pela sua instituição.

Ou seja, se o desejo de sua IE é conquistar novos alunos, comece a considerar uma estratégia de e-mail marketing.

Mensurar de forma fácil

Se a sua instituição conta com uma ferramenta de automação ou de e-mail marketing, mensurar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing pode se tornar uma tarefa ainda mais simples.

Quando falamos sobre disparo de e-mail é preciso levar em conta as seguintes métricas para poder medir o sucesso de sua estratégia:

Taxa de abertura

Indica quantas pessoas abriram o seu e-mail. Essa taxa pode ser afetada, principalmente, pelo assunto escolhido e o remetente da mensagem.

Por isso, é importante testar diferentes assuntos, utilizar adjetivos e perguntas que estimulem a curiosidade do leitor para que ele desperte o interesse de abrir o e-mail de sua instituição. Utilizar o nome de uma pessoa como remetente também ajuda a transmitir mais confiança.

Taxa de cliques

Revela quantas pessoas clicaram nos links presentes no seu e-mail. Para melhorar essa taxa você pode criar CTAs mais objetivos para que fique claro qual oferta ele terá acesso e também pode realizar testes A/B para encontrar quais modelos alcançam mais cliques.

Taxa de click-through

Refere-se a quantas pessoas clicaram em algum link no e-mail, dentre todas as que abriram esse e-mail. Nesse caso, para melhorar essa taxa você precisa combinar tanto um bom assunto quanto CTAs otimizados.

Elaborar uma mensagem clara, otimizar o seu e-mail para ter um design responsivo, despertar o interesse do leitor são algumas estratégias para melhorar essa métrica.

Ter uma maior duração do que posts nas Redes Sociais

Em algumas horas os posts publicados nas Redes Sociais são esquecidos, uma vez que como os feeds apresentam muitas informações não é possível visualizar todas essas mensagens, como no caso do Facebook, por exemplo. Nele, o algoritmo classifica e exibe apenas o que é considerado como relevante de acordo com o nosso comportamento.

Em contrapartida, isso só acontece aos e-mails caso eles sejam deletados. Se isso não acontecer, eles permanecem na caixa de entrada do seu aluno em potencial e em algum  momento ele pode ser aberto.

Dicas para um e-mail marketing de sucesso

Para construir uma estratégia de e-mail marketing de sucesso existem alguns detalhes a serem levados em conta:

Nunca compre listas

De nada adianta ter um milhão de leads se nenhum deles apresenta interesse em virar aluno de sua instituição. Portanto, não perca dinheiro com essa prática, crie suas próprias listas.

Segmente suas listas

Dessa forma você terá maiores chances de conseguir um retorno positivo para a sua mensagem, já que o seu destinatário receberá um conteúdo realmente relevante de acordo com as informações, interesses e dúvidas que ele apresenta.

Siga um planejamento

Disparar e-mails é uma estratégia que precisa ser planejada para ser feita com uma certa frequência. Além disso, para que a sua instituição não se torne indesejada ao lotar a caixa de entrada de algum aluno em potencial, é fundamental registrar os e-mails enviados e para quais listas ele foi segmentado.

Personalize as suas mensagens

Todos os dias recebemos diversas mensagens e personalizá-las pode ser uma boa estratégia para despertar o interesse do remetente no conteúdo, além de ajudar a tornar a relação aluno-instituição mais próxima.

Adote uma ferramenta de automação

A produção e disparo de e-mails pode ser feita de forma mais prática por meio de uma ferramenta de automação. Com ela é possível otimizar o tempo gasto, realizar testes A/B, mensurar os resultados, auxiliar a nutrição de leads e muito mais.

Mensure os seus resultados

Uma estratégia só pode ser considerada de sucesso se ela for mensurada, sem esses resultados não dá para medir a eficácia de cada ação. Defina os KPIs que importam para a sua instituição e use essas informações para otimizar as campanhas de e-mail marketing.

Confira mais dicas no nosso ebook e-mail Marketing: Guia para Criar Campanhas de Sucesso.

Concluindo

Concluir que as pessoas não usam mais e-mails e decretar a morte do e-mail marketing não é algo certo. Vimos nesse post algumas associações erradas em relação a essa estratégia e também os principais motivos para você adotar esse canal para a sua instituição.

Feito com a segmentação correta e de forma personalizada, a sua instituição diminui os riscos de ser considerada como spam e ainda pode aproveitar esse canal para atrair o tráfego para o seu site e blog, relacionar e nutrir alunos em potencial.

Afinal, vimos nesse artigo que o e-mail marketing pode gerar resultados que vão muito além do seu tradicional uso para a divulgação de um processo seletivo. Ela é uma estratégia para ser adotada durante todo o ano.

Caso a sua instituição já invista em e-mail marketing, utilize os dados obtidos em suas próprias campanhas de e-mail para aprender mais sobre o público com quem você está dialogando.

Se você ainda não começou confira aqui outras estatísticas que revelam os benefícios desse tipo de estratégia.

Inicie ou melhore ainda mais a sua estratégia de e-mail de marketing e conte para a gente, nos comentários abaixo, os resultados obtidos pela sua instituição!

glossário de email marketing