Carreiras em Marketing

O mercado do Marketing está crescendo e abrindo portas para grandes oportunidades para quem está ingressando no mercado e para as empresas que necessitam de profissionais cada vez mais qualificados para o setor.

Nessa categoria você aprenderá:

  • Como está o mercado de Marketing e Marketing Digital
  • Como formar o time de marketing dos sonhos
  • Dicas para gerir a sua carreira e encontrar as melhores oportunidades

Como o curso marta garcia obteve 80% da receita via blog

Como o Curso Marta Garcia gera 80% da sua receita por fontes orgânicas

É realmente inspirador ver histórias como a do Curso Marta Garcia. Histórias que mostram como o marketing digital e de conteúdo podem mudar o rumo de uma empresa e impactar a vida de milhares de pessoas.

Neste case, você vai entender como as estratégias de marketing digital que o Curso Marta Garcia empregou em seu dia a dia levaram a empresa ao próximo patamar no mercado de cursos de proficiência em inglês.

Vai entender os desafios e vitórias de uma estratégia de marketing de conteúdo, e como isso reflete no ânimo de profissionais e no resultados de uma empresa. E, principalmente, vai entender como o Curso Marta Garcia já adquiri 80% de sua receita por meio de vias orgânicas.

O que é o Curso de Línguas Marta Garcia?

Com cursos de inglês voltados principalmente para pessoas que desejam se aplicar para mestrados e doutorados, o Curso de Línguas Marta Garcia surgiu da experiência e método de ensino da Professora Marta Garcia, 15 anos atrás.

Marta, que já era professora a 15 anos, decidiu reunir seus conhecimentos em um curso presencial para alunos que iriam realizar exames de proficiência em inglês instrumental.

Com uma metodologia que busca aprendizado rápido e eficiente, os alunos são capacitados para não só serem aprovados em exames para mestrado e doutorado, como também ler artigos acadêmicos com mais desenvoltura e velocidade.

Por trás do conhecimento e capacidade didática da Professora Marta, seu filho, João Garcia, cuidava da parte administrativa do negócio, buscando soluções para geração de matrículas.

Durante os primeiros 10 anos de empresa, o curso era dado presencialmente, em Fortaleza, onde ainda está a estrutura física do Curso Marta Garcia.

Mas, com o modelo de curso validado, João sabia que o online era a melhor forma de expansão do negócio. Em 2013 ele decidiu interromper seus projetos paralelos para se dedicar integralmente ao projeto de levar o curso para todo o Brasil.

Foram 6 meses de projeto até ter o curso disponibilizado em uma plataforma online e pronto para receber alunos.

E o resultado? Um número inexpressivo de cursos foi vendido. Eles tinham o produto e a plataforma, mas não conseguiam ligar a oferta com a demanda.

O desafio

João precisava de formas para gerar oportunidades para o curso online, e foi nesse momento que começou a pesquisar sobre marketing digital.

Decidiu investir em uma ferramenta que já conhecia, o Google Adwords (hoje Google Ads), para gerar novas matrículas. Com a chegada de novas oportunidades ficou claro que o Curso Marta Garcia precisava de uma estrutura melhor para gerar e trabalhar leads.

A empresa contratou o plano mais simples de uma ferramenta de automação, e começou a gerar landing pages para suas campanhas de mídia paga, além de trabalhar com email marketing para sua base.

Entrando no mundo da automação de marketing, João começou a entender o processo de aquisição de oportunidades orgânicas por meio de conteúdo. Ele se interessou cada vez mais pelo marketing digital, e decidiu que era o momento de começar uma estratégia de conteúdo.

Assim nasceu o blog do Curso Marta Garcia, focado em levar conhecimento para uma alunos que buscavam proficiência em inglês instrumental.

Com menos de 2 meses de estratégia e por volta de 6 conteúdos publicados, João abandonou a produção de novos conteúdos.

Você pode estar cansado de saber que marketing de conteúdo é uma estratégia a longo prazo, e que resultados imediatos são raros e enganadores.

Mas, naquele momento, João ainda era iniciante em marketing digital, e a necessidade de gerar resultados em vendas impactou em sua decisão de parar.

Afinal, se uma estratégia não deu resultado em dois meses, por que levar adiante?

Os conteúdos pararam, mas o interesse por marketing digital não. João continuou procurando soluções para sua empresa, consumindo conteúdos e indo a palestras. Em especial, um tema o chamou a atenção: SEO.

A Rock Content já estava em seu radar, por suas pesquisas sobre marketing e vendas, mas neste momento João destacou a importância que os conteúdos da Rock tiveram em seu aprendizado.

Após muitos blog posts, ebooks e até uma palestra do Peçanha no RD on the Road, ele resolveu que precisava insistir com seriedade em uma estratégia de conteúdo.

Só com um bom posicionamento no Google, e geração de oportunidades orgânicas, seria possível implementar um modelo de receita previsível, como ele desejava.

Entendendo que precisava de uma estratégia consolidada, o Curso Marta Garcia fechou uma parceria de conteúdo com a Rock Content.

A Parceria

João tinha um objetivo bem claro em mente:

“A ideia inicial era começarmos a produzir conteúdos de forma sistemática e estratégica trabalhando todas as etapas do funil (topo, meio e fundo) e implementar a estratégia de link building interno para fazer o lead avançar no funil através dos conteúdos.”

João Garcia, Diretor de Marketing

Ele conta que ainda no processo de entrada deles na Rock, um consultor entrou em contato por telefone, fazendo uma análise de quesitos básicos no site do Curso Marta Garcia que estavam atrapalhando seu ranqueamento.

Após corrigi-los, João percebeu uma pequena melhora em seus resultados de tráfego. Ele colocou essa como uma pequena vitória a curto prazo. E atenção: são essas vitórias que constroem o resultado final desse case.

Apesar de já possuir uma persona, insistimos que o estudo fosse refeito, levando em conta aspectos mais profundos de comportamento e interesse. A partir daí teve início a produção de conteúdos para o blog, com foco em gerar oportunidades para o Curso Marta Garcia.

Apesar da frequência de postagem, e toda a estratégia de SEO por trás, João percebia que seus resultados ainda vinham primordialmente de mídia paga.

Mesmo já tendo ampliado muito seu conhecimento sobre marketing digital, o sentimento de que os resultados orgânicos não estavam aparecendo o incomodava muito, e durante os primeiros meses de estratégia ele esteve bem perto de interromper mais uma vez sua produção de conteúdo.

Com conversas com a equipe da Rock, e também dos outros parceiros de marketing, João entendeu que abandonar a estratégia naquele ponto era desperdiçar o dinheiro investido até então, e abrir mão da estrutura de ranqueamento que ele estava construindo.

E como o tempo é o melhor amigo do marketing de conteúdo, os resultados começaram a aparecer.

Os Resultados

Mais uma vez foram pequenas vitórias que levaram o João a retomar seu ânimo na estratégia de conteúdo.

Como todo bom fã do Google Analytics, ele acompanha com frequência seus indicadores por meio de dashboards e do app da ferramenta. Um dia ele notou um aumento no tráfego fora da curva.

Ao rastrear de onde vieram as novas visitas, percebeu que um de seus artigos chegou às primeiras posições da SERP!

SERP para mestrado à distância

Isso voltou a acontecer nas semanas seguintes, e ele viu suas posições no Google subirem de mês a mês.

Por exemplo: seu artigo sobre os melhores mestrados a distância aceitos pelo MEC ganhou o featured snippet para a palavra-chave ‘mestrado a distancia’, gerando um aumento enorme das visitas em seu blog.

O post sobre os phrasal verbs mais usados na língua inglesa teve um resultado semelhante.

Com isso chegaram mais acessos, foram gerados mais leads e foram vendidos mais cursos. As pequenas vitórias diárias levantaram a moral do João e sua equipe, e ele mergulhou de cabeça no marketing de conteúdo.

Contratou o SEMrush e tomou as rédeas do planejamento de pautas. E assim os resultados apareceram:

“Quando contratamos a Rock Content tínhamos uma média de 20 mil sessões por mês.

Estamos atualmente com uma média de 120 mil sessões.”

E melhorar o topo do funil refletiu em toda a empresa, com um aumento de aproximadamente 200% no faturamento, comparando o início de 2019 e antes da parceria com a Rock Content.

E, de todo o faturamento da empresa, 80% vem de fontes orgânicas. Isso é o maior indicativo do sucesso da estratégia de Inbound Marketing e dos conteúdos divulgados no blog.

A empresa vem se destacando não só como parceira da Rock. O Curso Marta Garcia alcançou resultados e virou estudo de caso com vários de seus outros parceiros.

Com uma estrutura de geração de oportunidades orgânicas rodando, João se dedica a aprimorar a estratégia, sempre pensando em novas formas de levar valor para seu público potencial e melhorar ainda mais seus resultados.

E aqui é preciso destacar o valor que isso gera para uma estratégia de conteúdo que desenvolvemos.

Quando um cliente chega ao nível de envolvimento que o João teve, a estratégia ganha uma pessoa a mais na análise, planejamento e desenvolvimento de ações, mas com todo o conhecimento que só alguém que está dentro da empresa pode oferecer!

Ele dedicou seu tempo à rotina de marketing que geraram estes números a longo prazo.

O exercício diário de SEO on Page, checando fatores de ranqueamento com o plugin Yoast, por exemplo, não trouxe resultados da noite para o dia. Foram as pequenas vitórias, as posições conquistadas e as melhoras em taxas de conversão que construíram os resultados finais.

Este case mostra o impacto que do marketing digital para uma empresa que entendeu e investiu em uma estratégia, que sabiam que poderia os levar para o próximo nível. E como este existem outros.

Quer se tornar um case de sucesso? O primeiro passo é começar!

Agendar consultoriaPowered by Rock Convert


da aquisição a conversão

Da Aquisição a Conversão: O que eu aprendi em 2 anos de Rock Content

Você pode até já ter visto o meu nome aparecer algumas vezes no blog Saia do Lugar, aqui no Marketing de Conteúdo ou até mesmo na sua caixa de entrada de e-mail. Mas ninguém imagina a minha trajetória no marketing da Rock Content.

Faço parte desse time incrível há um pouco mais de 2 anos e de lá para cá muita coisa mudou, e não tem como falar de mudança e aprendizados sem contar história, né? E por isso resolvi escrever esse artigo contando os 11 maiores aprendizados que eu tive na minha carreira (até o momento) aqui no Growth.

Ps: (Eu juro que esse post vai ficar mais interessante, mas antes disso, eu preciso compartilhar uma linha cronológica dos fatos).

O início da era aquisição: Saia do Lugar, Letícia!

Em julho de 2016 eu comecei a fazer parte da família Rock Content e do melhor time de marketing do mundo. Entrei como estagiária para cuidar de um projeto muito importante para a empresa: o blog Saia do Lugar!

O Saia do Lugar é um blog de empreendedorismo que fazia parte da nossa estratégia de aquisição de pequenas empresas. No início eu era responsável em otimizar e agendar os nossos conteúdos.

Aos poucos eu fui me sentindo mais confortável em assumir responsabilidades dentro da estratégia do Saia do Lugar (SDL). Então, passei a cuidar do nosso calendário editorial, revisar e otimizar os nossos artigos e em seguida publicá-los no blog. Pouco tempo depois eu já tinha me tornado “mãe” desse projeto.

O início não foi nada fácil, eu não só aprendi tudo sobre uma estratégia de Marketing de Conteúdo como eu tive que aprender a lidar com um universo em que eu não fazia parte: o temido mundo empreendedor. Mas uma coisa eu afirmo, carinho e dedicação nunca faltaram e, por isso, o Saia do Lugar tornou a melhor experiência que eu tive na minha carreira.

Um upsell de responsabilidades

Chegou um certo momento em que eu me tornei uma extensão do Saia do Lugar e, com isso, era hora de me provar! Um processo de reestruturação da estratégia estava em minhas mãos. Aquela era a minha chance de me tornar analista de um dos times de marketing mais admiráveis que eu já vi na vida!

Foi um turbilhão de mudanças acontecendo de uma vez só: a identidade visual, nossas personas, tom e voz dos e-mails, frequência de publicação, abordagem de conteúdos e claro sem esquecer de cobrir todo o mercado de palavras-chaves que cabia ao Saia do Lugar.

analytics-sdl

Esse é um print do analytics do Saia do Lugar de Jul 2016 a Dez 2017

Missão dada é missão cumprida! Depois de todo o processo de mudança (posso falar mais sobre isso em outro post) eu fui contratada.

Novas mudanças, novas responsabilidades! Logo eu passei a cuidar da publicação em redes sociais do Saia do Lugar e, além disso, me tornei responsável por boa parte da estratégia de palavras-chave e conteúdos.

A melhor parte entre todas essas mudanças, foi trabalhar ao lado de uma pessoa tão incrível quando a Letícia Nonato (deixo aqui essa menção honrosa) que abraçou o projeto do SDL comigo e juntas fizemos um trabalho muito expressivo em resultados.

A era da Conversão: é hora de Sair do Lugar!

No final de 2017 eu me propus a passar pelo processo de redefinição da persona do Saia do Lugar e isso me fez aproximar mais da minha realidade atual no time. Basicamente, eu usei a nossa base de contatos ativos no e-mail para descobrir a personalidade das pessoas que estavam passando pelo nosso funil de vendas, até a conversão.

Descobrimos muitas coisas incríveis e isso fez com que a gente tivesse uma reviravolta dentro da estratégia do blog. Nesse momento eu precisava dar mais atenção para a nossa nutrição de e-mail e, por isso, eu me afastei um pouco da estratégia de blog e me aproximei do meio e fundo do funil de vendas.

O ano de 2018 começou com mais mudanças! Passei a me dedicar exclusivamente com a produção de materiais ricos e do e-mail marketing do SDL. Foi uma experiência incrível e aos poucos eu fui me apaixonando por essa área.

print taxa de abertura

Gráfico de comparação e crescimento das taxas de abertura do e-mail marketing do Saia do Lugar 2016, 2017 e 2018

Se tem uma coisa que sempre me motiva a crescer profissionalmente é sair da zona de conforto. Diante aos resultados que eu estava mostrando responsável pelo e-mail marketing e ofertas do Saia do Lugar veio o convite: assumir o e-mail marketing da Rock Content.

E cá estou, a cada dia me apaixonando e me empenhando mais para entregar o melhor conteúdo na caixa de entrada de cada contato da nossa base. Já são pouco mais do que 4 meses nessa função e incontáveis aprendizados!

guia newsletter

Os meus 11 maiores aprendizados em marketing digital

Agora sim! Chegou a hora de abrir o seu bloco de notas e anotar todas as minhas dicas sobre os maiores aprendizados que eu tive dentro do time de marketing da Rock Content. Preparado?

1. Ter uma visão macro da estratégia é um diferencial

Pode não ser fácil passar por tantas mudanças assim em tão pouco tempo, como uma profissional de marketing, eu sempre tive aberta para novos aprendizados e me joguei de cabeça a cada nova oportunidade de aprendizado aqui dentro da Rock.

E eu vejo o valor disso atualmente, dois anos depois. A visão macro que eu construí da estratégia me possibilita pensar em algo que pode envolver outros pontos do funil de vendas e potencializar os nossos resultados.

Hoje, dentro de uma estratégia de e-mail marketing, eu sei como ajudar o time de aquisição conseguir visitas em um artigo ou como usar de forma estratégica os pontos de conversão dentro dos nossos posts.

E tenho certeza que isso é um diferencial dentre outros profissionais do mercado!

2. Independente do tamanho da sua equipe, sempre vai existir limitações

Ter ideias mirabolantes é algo louvável não há como negar, mas mais importante do que ter essas ideias é saber das suas limitações para executá-las.

Durante a minha jornada, eu tive que me adaptar às situações de reestruturação de time.

Durante um bom tempo, eu fiquei rodando a estratégia do Saia do Lugar sozinha e nem por isso deixei com que ela fosse menos eficiente do que a do blog Marketing de Conteúdo, que tinha mais envolvidos nele.

A gente aprende a se adaptar, diante das nossas limitações. Acredite, mesmo com mais de 30 pessoas em um time, deparamos com momentos em que podemos ter algumas limitações. Dores do crescimento!

3. Os estrangeiros têm muito o que nos ensinar

Um dos meus grandes desafios de quando eu estava no Saia do Lugar foi entender como funcionava a cabeça de um empreendedor e tudo que ele precisava para crescer o seu negócio. E claro, eu queria algo que fosse diferente do feijão com arroz que a gente está acostumado aqui no Brasil.

Comecei a procurar referências de outros países e logo encontrei blogs de empreendedorismo que retratavam das lutas diárias de um empreendedor. Isso foi muito importante já que eu queria que o saia do Lugar fosse algo diferente do que só apelo emocional.

Anota aí esse conselho: um jeito de estar à frente dos seus concorrentes é buscar referências onde eles menos esperam. Os gringos podem ser uma fonte de ouro!

4. A planilha é a melhor amiga da sua estratégia

Quem nunca pensou em fazer publicidade para nunca mais mexer com números que atire a primeira pedra!

Quando eu escolhi seguir carreira no marketing, eu sabia que dali em diante os números andariam ao meu lado todos os dias. Ainda mais quando se trata de Inbound que tudo pode ser metrificado.

Guardar todos os dados gerados dentro de uma planilha vai não só te ajudar a entender a projeção, mas também como saber quais ações e estratégias te levaram a obter aquele resultado.

Percebi isso na prática quando começamos a mensurar o CTR de todos os disparos de e-mails feitos para a base da Rock Content. Não tínhamos dados históricos de todos os disparos feitos e nem o CTR deles.

Daquele dia em diante, passei a colocar todas as informações importantes para o futuro da estratégia de e-mail marketing aqui da Rock. Mais ou menos assim:

print estratégia

5. Entender as suas métricas é necessário

Houve alguns momentos que tantas mudanças acabaram complicando o meu processo de entendimento das métricas de cada área por onde passei.

Seja sessões em aquisição, engajamento em redes sociais ou CTR em e-mail marketing. Aprendi que entender os números faz com que eles sejam muito mais do que simples números. O que me lembra um caso recente que eu vivi ao passar a ser responsável pelo e-mail marketing da Rock Content.

Chegamos a conclusão de que medir o CTR de um e-mail seria muito mais efetivo do que a taxa de clique do mesmo, pois a gente avalia a efetividade da mensagem que passamos quando levamos em consideração quantos cliques obtivemos apenas com as pessoas que abriram o email.

Foi um grande desafio entender o que seria saudável para o nosso histórico e em relação aos nossos objetivos. O que resultou muito estudo para entender tudo que estava por trás desse resultado que eu viria acompanhar dia a dia.

Depois disso, encontrei um padrão de métrica saudável baseado no volume de disparos que fazemos por dia. E assim traçar as melhores estratégias para ter uma conversão maior cada vez mais.

6. Um olho no analytics e outro na estratégia

Um dos meus maiores aprendizados na época de aquisição de tráfego para o Saia do Lugar foi a questão de acompanhar de perto cada acontecimento e os reais impactos causados por eles dentro do blog.

O Google Analytics foi de longe o melhor termômetro de efetividade do meu trabalho. E por isso, deixo aqui a dica: o analytics deve ser uma aba fixa no seu navegador!

É importante acompanhar em tempo real quantas pessoas estão dentro do blog naquela hora, como foi a performance nas primeiras horas de um conteúdo, o crescimento de um dia para o outro ou de uma semana para outra.

Além disso, acompanhar qual canal gera mais tráfego para o seu blog e qual canal precisa ter a estratégia repensada.

Guia Completo do Google Analytics

7. Estratégia de marketing não é receita de bolo

Aprendi muitas coisas enquanto estive na linha de frente do SDL. Muito do meu conhecimento veio da prática e uma coisa eu posso te afirmar: estratégia de marketing não é receita de bolo que você copia e tem os mesmos resultados!

Durante os primeiros meses de vida do Saia do Lugar nós tentamos replicar a estratégia que já era rodado aqui no Marketing de Conteúdo. Até que funcionou por um tempo, mas aos poucos a gente foi vendo que tinha algo errado.

Foi um momento crucial, onde o SdL foi desmembrado de tudo que já era feito no marketing e passou a ter a sua própria estratégia de conteúdo, volume de publicação e um olhar mais voltado para a nossa persona da época.

Não adianta, cases servem como inspiração e não para refação! É importante ter em mente que cada negócio vive uma realidade diferente e cabe a nós adaptarmos estratégias brilhantes a nossa realidade.

8. Métricas são variáveis

Lembra de quando eu falei sobre entender os números? Isso me ajudou a entender também que as métricas são influenciadas por mil fatores que podem ou não depender do nosso trabalho diretamente.

Vamos a duas situações práticas. A primeira é em relação aos blogs. Não é fácil passar por meses como julho que tem férias (e copa do mundo como foi 2018) e por isso é legal entender a sazonalidade do seu negócio. Um blog de viagens provavelmente faz de julho um mês com resultados super expressivos.

E com isso, é legal estudar o histórico ou acompanhar o crescimento do resultado da sua estratégia de conteúdo e não se frustrar a pegar outras estratégias como referência. Por exemplo, por mais que a Rock Content seja uma referência para você, é legal entender que o tempo de estratégia, o tipo de negócio, a persona e vários outros fatores influenciam no resultado.

A segunda situação é em relação ao resultados de e-mails. Antes de cuidar da estratégia da Rock, eu era responsável apenas pelo e-mail marketing do Saia do Lugar e por conta da base de contatos serem de tamanhos diferentes faz com que números saúdaveis seja diferentes também.

Entender a diferença de engajamento entre duas bases diferentes não foi tarefa fácil, mas fundamental para projetar o nosso objetivo. A definição de uma boa taxa de cliques no Saia do Lugar, por exemplo, não era a mesma para a base da Rock Content.

9. Comunicação amigável traz resultado

Um dos meus primeiros projetos quando assumi a parte de e-mail marketing foi trazer uma comunicação mais amigável e criar um elo de confiança com a nossa base de contatos.

Desde que o Saia do Lugar passou pela mudança na estratégia e eu passei a voz do blog, comecei a trazer um pouco da minha personalidade para os meus e-mails.

Criei uma comunicação mais divertida e leve para que um elo de confiança fosse criado com a minha base de contatos e foi um sucesso! Em poucos meses nós melhoramos a taxa de abertura e clique do SDL e criamos uma marca que foi o uso de GIF’s nos nossos e-mails.

Logo quando eu passei a ser responsável pelo e-mail marketing da Rock, tratei de trazer essa característica para os nossos e-mails e revistei todos os nossos principais fluxos e deixei a comunicação mais amigável, mais leve e mais clara.

conversão fluxo de email

A nossa conversão passou de 8,60% para 12,05% em 6 semanas

E isso se aplica a qualquer e-mail que eu crio! Uma comunicação mais leve e confiável com a nossa base de contatos tem refletido em bons resultados e meses incríveis de geração de leads e de oportunidades.

10. Entregabilidade pode tirar o sono

Acredite, todo analista de e-mail marketing está passível a esse acontecimento e sim, um raio pode cair até mais que duas vezes no mesmo lugar.

Recentemente passamos novamente por uma crise de entregabilidade de e-mails, mas dessa vez o motivo foi diferente do que a que sofremos no ano passado (a Marina falou mais sobre isso aqui nesse post).

Eu aprendi três coisas que eu gostaria de compartilhar com vocês:

A primeira é que uma taxa de entregabilidade saudável é algo acima que 95%. É normal que aconteça alguns casos que impeçam o e-mail de ser entregue.

A segunda é que caso a sua entregabilidade esteja muito baixa, vale a pena revisar toda a sua estratégia e ver o que pode estar acontecendo e impedindo que as pessoas recebam o seu conteúdo.

Uma dica para essas horas é revisitar as suas listas de envio e verificar se todas as pessoas estão aptas a receberem seus e-mails (perfis fakes ou pessoas que te marcaram como spam não são consideradas aptas).

Já a terceira é em relação aos seus contatos desengajados. Uma boa prática é excluir todas essas pessoas da sua lista de envio. A Hubspot recomenda isso para garantir que a sua entregabilidade seja melhor.

Bônus: Na maioria dos casos, ao contratar um serviço de automação de e-mail marketing você acaba compartilhando um IP com outras empresas. Meu conselho é que mesmo tomando todas as medidas necessários e sua entregabilidade continuar baixa, entre em contato com a empresa que presta serviço para a sua empresa e relate o problema.

11. Entenda o comportamento da sua base de contatos

De nada adianta estruturar uma estratégia inteira sem conhecer a sua base de contatos. Entender quem são as pessoas que querem aprender mais e estar mais próximo da sua empresa é uma extensão do reconhecimento da sua persona.

Nesse caso, há algumas particularidades como o tipo de assunto que chama a atenção, qual material é mais adequado para cada lista, se abordagem precisa ser diferente entre elas, tamanho de copy, Gifs ou não, horário de envio e milhões de outros detalhes.

Saber com quem você está comunicando faz total diferença para os seus resultados, chegar na “coula perfeita” de e-mail exige muitos resultados! E eu faço cada um deles com muito entusiasmo em descobrir coisas novas para continuar crescendo a nossa geração de leads e MQLs.

O futuro ao conhecimento pertence!

Eu sempre fui apaixonada por desafios e sair da minha zona de conforto, é justamente nesses momentos em que a gente mais aprende e agrega valor a nossa carreira profissional.

Estarei sempre disposta a novos desafios aqui dentro do time, o meu próximo passo é construir uma identidade para a nossa nova newsletter que está de cara nova!

Se você ainda não assina a “Conteúdo+” deixo aqui a oportunidade:

Newsletter Conteúdo+

Preencha o seu email e receba os melhores posts do blog Marketing de Conteúdo diretamente na sua caixa de entrada:


Eu diria que se tem uma coisa que ficou como o maior aprendizado para mim nesses dois anos é NÃO ter medo de mudanças pois elas acontecem e nos fazem crescer! Ah e claro, estudar nunca é demais e te deixa preparado para situações imagináveis..

Ufa! Se você chegou até aqui espero ter agregado alguns aprendizados com a minha experiência dentro do time de marketing da maior empresa de Marketing de Conteúdo da América Latina.

Estarei no LinkedIn respondendo as eventuais dúvidas que podem surgir durante a leitura e por fim, deixo a recomendação da Universidade Rock Content para todos aqueles que querem ter um aprendizado completo de marketing digital, assim como eu.

como se tornar profissional de marketing

Saiba como se tornar o profissional de marketing digital mais desejado do mercado

O universo do marketing digital oferece uma infinidade de possibilidades para carreira de quem se interessa na área. São muitas opções de especializações para capacitar os profissionais que vão trabalhar em empresas que têm o investimento cada vez maior em digital.

Em 2013, quando eu entrei de cabeça nesse mundo fugindo do jornalismo tradicional (minha formação) a convite de um grande amigo (Obrigado, Alberto <3), a minha vida mudou.

Tudo mudou mesmo! O conteúdo não era mais só um texto. Tinha que ser otimizado para buscadores e focado em personas. O lead também não era o mesmo do jornalismo. O que antes eram partes do meu texto viraram contatos que eu precisava aprender a gerar e passar para vendas.

Resumindo, eu tive que começar do zero mesmo.

Como eu estava correndo atrás do prejuízo e contra o relógio, eu precisei me dedicar muito para começar a gerar valor. Além disso, para me sentir bem por estar fazendo um bom trabalho.

Passei por um período absurdo de evolução e aprendizado que, certamente, foram facilitados pelo mercado que resolvi me aventurar. Trabalhar com marketing digital é uma maravilha pela facilidade de aprendizado que podemos ter de forma rápida, dependendo apenas do nosso esforço.

Temos uma quantidade absurda de conteúdos gratuitos e pagos, de diferentes formatos (texto, áudio, vídeo e imagens) que acabam quase se equiparando à necessidade de uma graduação na área.

Resolvi escrever esse artigo para ajudar quem está nesse mesmo desafio que eu já estive e também para que está alguns passos além. Desenvolvimento profissional é um assunto muito importante e cada um tem sua opinião. Aqui eu vou compartilhar algumas das questões que acho relevante.

Para começar, na minha humilde opinião, o maior erro de qualquer pessoa é assumir que sabe demais.

O princípio mais importante sobre desenvolvimento profissional

Existem alguns pontos que podemos traçar para identificar o momento que você está atualmente em sua carreira.

Como bom nerd que sou, vou imaginar que estamos em um RPG e que vamos dividir o conhecimento/estágio da carreira de cada um em níveis:

  • Level 1 – Você está no início: Possivelmente ainda não tem experiência ou apenas um breve conhecimento que adquiriu por meio de estudos. Efetivamente nunca botou a mão na massa. 100% curioso e disposto a fazer o que aparecer na frente.
  • Level 2 – Você sabe uma coisa ou outra: Apesar de não ter uma vasta experiência você já gastou boas horas lendo e até mesmo botou a mão na massa para executar alguma coisa. Talvez teve uma experiência durante um estágio ou até mesmo um projeto pessoal. Aqui você tem segurança para encarar um desafio e confia mais no seu conhecimento.
  • Level 3 – Você sabe bem o que está fazendo: Nesse momento você tem segurança e tranquilidade para executar tarefas e entrar em discussões sobre seu trabalho. Seu conhecimento e experiência te permitem fazer análises relevantes e seu trabalho dificilmente é contestado.
  • Level 4 – Você é bom/foda no que faz: Aparentemente você é uma referência na sua área de atuação ou especialidade. Tem cases de sucesso de estratégia que criou e executou. Já treinou pessoas e conseguiu deixar sua marca onde trabalha ou com projetos freelancers que faz.

Para cada um desses quatro níveis é preciso um grau de comprometimento diferente para alcançar seus objetivos. Certamente alguém que está nos dois primeiros níveis precisa ralar muito mais do que quem já está um pouco mais consolidado na carreira.

Apesar disso, acredito que é nos níveis 3 e 4 que encontramos o maior número de profissionais que acreditam ter alcançado o “nirvana” de suas carreiras e que sabem muito.

Gastar algumas horas estudando, lendo e até mesmo conversando com outros profissionais da área pode parecer desnecessário. Afinal, seus conhecimentos já estão mais do que consolidados, certo?

Errado.

Os profissionais mais fantásticos que eu conheci até hoje são pessoas que, independente do nível que elas estejam, são comprometidas em sempre aprender mais.

Ponto chave: não seja arrogante ao acreditar que não existe mais nada a ser aprendido. Possivelmente você sabe muito sobre a bolha que sua área de atuação te permite ver. Lembra da infinidade de oportunidades do marketing digital? Pois é, com certeza existem novas áreas para você começar a se aventurar e se tornar um profissional mais completo!

Como identificar suas prioridades de desenvolvimento

Então, você já entendeu que vai continuar aprendendo e se desenvolvendo para sempre? Ótimo! Chegou o momento de definir por onde começar, ou quais vão ser as suas prioridades. Possivelmente essa prioridade estará ligada à sua realidade, que deve se encaixar em um dos três cenários à seguir:

  • Você já tem uma noção do que quer fazer ou qual especialidade quer seguir;
  • Você ainda não decidiu, mas já trabalha e sua rotina vai ditar seu aprendizado;
  • Você não tem ideia de nada, mas que aprender.

Se você já possui um objetivo claro de trabalhar em alguma empresa ou área de marketing, isso vai te ajudar bastante. Focar seus esforços em um canal por vez pode ser uma boa alternativa.

Na grande maioria dos casos, quem está entrando na área de marketing vai ter que fazer um pouco de tudo. Vamos nos deparar com times de marketing bem reduzidos e pouco especializados. Isso quer dizer que você vai botar a mão na massa o tempo todo e em todas as áreas de atuação do marketing. Na minha opinião, essa é a forma mais interessante de aprendizado.

Além de conseguir a oportunidade de aprender a aplicar uma estratégia completa de marketing digital, você nunca estará confortável no seu trabalho (o que garante um crescimento constante).

Agora, se você não sabe nada de marketing digital e quer aprender mesmo assim, um bom ponto de partida é o framework do T-shaped marketer

Recomendo a leitura do artigo do pessoal da Growth Tribe para entender mais sobre isso com calma.

profissionais de marketing

T-shaped Marketer Framework

Faça o download gratuito dessa planilha e avalie os seus conhecimentos em Marketing:




Esse framework define de forma bem abrangente quais são os conhecimentos necessários para um profissional de marketing de ponta. Não se desespere achando que você precisa ser especialista em tudo, mas aqui vão grandes conceitos que realmente podem fazer a diferença na sua carreira.

Como encontrar a melhor forma de aprender

Encontrar conteúdo nunca foi tão fácil. Apesar de parecer ser simples, às vezes a gente acaba se perdendo nesse ponto. Basta jogar no Google o que você precisa aprender e devorar o conteúdo que encontrar? Talvez isso realmente te ajude bastante no nível 1 e 2. Possivelmente isso não te ajudará nos níveis 3 e 4.

O conteúdo básico de quem está começando e engatinhando em alguns assuntos é bem tranquilo de encontrar.

Quanto mais avançados forem seu conhecimento e experiência (em qualquer área), mais difícil será encontrar novas referências relevantes para aprender. É nessa hora que as pessoas começam a ficar preguiçosas para buscar mais conhecimento.

Talvez você precisará gastar uma energia extra para conversar com alguém de outra empresa, gastar um dinheirinho a mais para ir num evento ou até mesmo aceitar fazer uma certificação digital/presencial.

A minha fórmula (nada secreta) para continuar aprendendo sempre é simples: invista em todos os formatos possíveis.

Existem alguns tipos de conteúdo que realmente vão te fazer enxergar as coisas de outra forma e também pegar mais informações que o comum: palestras, podcasts, entrevistas e cases de sucesso.

Já escrevi um artigo sobre as referências que eu utilizei. Caso você queira mergulhar mais nesse assunto, recomendo a leitura desse conteúdo.

A arma secreta do aprendizado

Além desses formatos, acredito que o bom e velho networking nunca falha. Aqui também vemos um erro muito comum. Expandir sua rede de contatos não está 100% ligada a conectar com as pessoas no LinkedIn ou Facebook para pedir ajuda.

Antes de pedir, ofereça ajuda.

Sou uma pessoa extremamente tímida e realmente sofro cada vez que preciso fazer uma palestra ou falar para um grande número de pessoas. Apesar disso, sempre conversei muito com pessoas de outras empresas para ajudar com estratégias de conteúdo, marketing digital ou até mesmo gestão de equipes de marketing.

Sempre ajudei sem pedir nada em troca. Sinto que vivemos numa bolha onde poucas pessoas estão realmente dispostas a ajudar umas às outras e isso é um erro na minha opinião. Apesar de nunca ter feito nada esperando algo em troca, sempre que precisei da ajuda de alguém eu fui 100% atendido.

Conecte-se, gere valor mutuamente e não espere nada em troca.

Sobre oportunidades, energia gasta e ir atrás de algo que você realmente quer

Sempre que eu converso sobre carreira e desenvolvimento me perguntam a mesma coisa: “Renato, o que você acha que foi o principal responsável por te fazer chegar tão longe em pouco tempo?”

Eu gosto de dividir essa resposta em duas partes:

1º: Nunca fiz nada esperando algo em troca. Sempre me dediquei para fazer tudo que me foi proposto e isso impactou diretamente no meu desenvolvimento. Sempre encarei os desafios que me foram propostos e os que eu mesmo me propus, da mesma forma.

Não espere nem ache que você merece receber algo em troca apenas por ter realizado uma tarefa. Faça tudo da melhor forma possível para o seu próprio bem!

Independente de ter o retorno/reconhecimento ou não, você teve a oportunidade de se desafiar além da sua zona de conforto e sempre que isso acontece nós aprendemos muito!

2º: Outro fator primordial para o meu desenvolvimento foi não acreditar que 8 horas por dia bastariam para me fazer chegar onde eu queria.

Durante minhas 40 horas semanais como qualquer CLT, eu tinha a oportunidade de botar a mão na massa, aceitar muitos desafios e realmente testar tudo que eu estava aprendendo fora das horas de trabalho.

O investimento que você faz no seu desenvolvimento está diretamente ligado ao número de horas que você gasta.

Já tive uma época de acordar às 5 da manhã para ler e escrever. Já tive época de ficar acordado até muito tarde lendo, assistindo palestra e ouvindo podcast. Já tive época de chegar muito cedo e sair muito tarde do trabalho.

Enfim, acredito que todos esses momentos devem e precisam existir caso seu objetivo não seja ser apenas mais um profissional no mercado. Meu objetivo nunca foi esse.

Se seu objetivo é grandioso, invista a energia necessária para alcançá-lo ou alguém fará isso no seu lugar.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS
👉 Kit Marketing Digital: Primeiros Passos
👉 Guia do Inbound Marketing
👉 Marketing de Conteúdo: Primeiros Passos
👉 Enciclopédia do Marketing de Conteúdo

Duas frases motivacionais para embalar seu desenvolvimento

Sim, eu sou cafona e gosto de frases motivacionais para me animar! 😀

Existem duas frases que me deixam pensando bastante sobre continuar aprendendo e crescendo na minha carreira. Apesar de ser diretor de marketing na maior empresa de Marketing de Conteúdo da América Latina eu ainda tenho muito chão e aprendizado pela minha frente.

Sem mais delongas:

  • The wolf on the hill is not as hungry as the wolf climbing the hill
  • What got you here won’t get you there

Ambas as frases possuem um tremendo significado para continuar se desenvolvendo sempre. Independente do nível que você está e do que você já alcançou, sair da sua zona de conforto permite que você alcance sempre mais.

Para nós que trabalhamos com marketing digital isso deve ser uma rotina.

Muita coisa muda o tempo todo e se você não está disposto a evoluir sempre, você ficará para trás.

Sobre como se tornar o profissional de marketing mais desejado do mercado

Ao contrário do que você pode ter pensado, o título desse conteúdo não é para me promover. De verdade mesmo!

Acredito que todos os passos que escrevi nesse artigo podem ajudar qualquer pessoa a se tornar um profissional diferenciado. Durante qualquer processo seletivo fica claro para os entrevistadores quem são as pessoas que realmente querem crescer e fazer algo maior.

Como diretor de marketing da Rock Content esse é, quase sempre, o perfil do profissional que buscamos. Queremos pessoas que estão dispostas a aprender e evoluir constantemente. Isso é realmente diferencial no mercado.

Agora eu quero saber a sua opinião

Concorda, discorda, acha que eu viajei muito ou gostaria apenas de comentar pelo artigo?

Escreve aí embaixo o que você achou e bora conversar.

especialistas-brasileiros-em-seo

15 maiores especialistas brasileiros em SEO que você precisa seguir

Independentemente se você quer ser um ou um grande gestor, funcionário ou profissional freelancer, é sempre importante se inspirar em pessoas que estão agitando o mercado e dando o que falar.

Por mais autodidata que você seja, com certeza já se inspirou em alguém e aprendeu lições valiosas, não é verdade? Graças à internet, ficou ainda mais fácil se aproximar de gente incrível.

Neste texto, preparamos uma lista com 15 especialistas brasileiros em SEO. Esperamos que esses profissionais da lista se tornem bons mentores e possam ajudá-lo a aprender tudo sobre o tema.

Então, sem mais delongas, vamos a esses nomes?

1. Vitor Peçanha

Como muitos sabem, Peçanha é um dos fundadores da Rock Content, a maior empresa de Marketing de Conteúdo da América Latina. Na cultura da empresa, existem oito valores, dentre os quais estão: aprender, ensinar e resolver.

Nesse contexto, se tem algo que o Peçanha sempre faz — a favor do mercado, da Rock e dos seus mais de 300 colaboradores — é ensinar. Entre as suas habilidades, destaca-se o conhecimento em SEO. Se você quer aprender a técnica, portanto, ele é um profissional para você ficar de olho.

Entre as suas sacadas, você entenderá que é preciso ter plena atenção não a um algoritmo, mas em conquistar o usuário. Peçanha é, definitivamente, uma das pessoas mais didáticas do mercado e você pode aprender com ele por meio de diversos materiais disponíveis na internet e fora dela.

Aqui, deixamos dicas dicas pontuais: a série de vídeos Conteúdo e Marketing, disponível em seu LinkedIn, e seu livro best-seller, Obrigado pelo Marketing. Se eu fosse você, não perderia.

2. Fabio Ricotta

Sem dúvidas, trata-se de uma das principais referências em SEO no Brasil. Afinal, Ricotta é um nome que atua com foco total em SEO — o que, diga-se de passagem, é algo pouco comum no mercado brasileiro.

Ele já trabalha com otimização de buscadores desde 2005, quando a grande maioria de nós nem fazia a menor ideia de que essa técnica existia. Ricotta fundou a Agência Mestre e também tem seu site pessoal.

No dia a dia, em sua página e nas redes sociais, ele sempre produz diversos conteúdos com dicas preciosas de SEO para seus milhares de seguidores. Com muita experiência e conhecimento de sobra, suas ideias podem ser essenciais para as suas pretensões em relação a esse tema.

Então, caso queira consumir excelentes materiais sobre SEO, já sabe que pode contar com o Ricotta — além, é claro, do marketingdeconteudo.com.

3. Cassiano Travareli

Travareli tem plena consciência de que o Google se aperfeiçoa em um ritmo impressionante e sabe que os resultados de busca passaram por mudanças drásticas nos últimos anos. Um dos fatores a serem observados, por exemplo, é a importância de o site ser responsivo ou ter uma versão mobile.

Além disso, ele alerta para o seu público que o mais importante nas técnicas de SEO é oferecer valor para os usuários. Isso significa um conteúdo diferenciado, com informações que atendam necessidades e resolvam o problema das pessoas.

Dessa forma, para Travareli, uma vez que você gera valor, as pessoas passam a tê-lo como uma referência. Entre as dicas de SEO, ele aponta três elementos como imprescindíveis:

  • velocidade de carregamento da página;
  • mobile ou responsivo;
  • conteúdo de qualidade.

4. Renato Mesquita

Renato Mesquita é atualmente o head de Marketing na Rock Content e mais uma referência em SEO do mercado. Não por acaso, é ele que comanda as aulas do curso de SEO da Universidade Rock Content.

Hank, como é mais conhecido, sempre compartilhou lições de estratégias de SEO com os colegas e com o mercado. Você pode aprender com ele, por exemplo, a arte de dar aquela espiada nos concorrentes e aprender com eles.

Para se ter uma amostra do nível de capacidade e conhecimento dele, confira este post no qual ele explica o que é verdadeiramente um conteúdo de qualidade.

Antes de se tornar head de marketing na Rock, ele era responsável pelas estratégias de SEO da empresa e foi a pessoa que treinou o atual profissional que está à frente dessa área na Rock, André Mousinho.

5. Thais Bittencourt

Thais Bittencourt é especialista em SEO e crescimento orgânico na Hotmart. Há exatos 5 anos começou a dar seus primeiros passos em direção à aprendizagem e aplicação de técnicas de otimização e de lá para cá não parou mais de aprender sobre o assunto.

Após muitos conhecimentos acumulados, tentativas e muitos acertos, Thais fala bastante sobre a importância de se fazer um planejamento detalhado e cuidadoso da estratégia, para que, de fato, possa obter os resultados desejados no ambiente online.

E não para por aí, ela esclarece ainda um mito sobre SEO, porque para ela, otimização não se trata de uma equação ou uma receita de bolo, com técnicas prontas voltadas apenas aos mecanismos de busca, mas sim de um esforço constante voltado à persona, seus desejos e, principalmente, sua experiência.

6. André Mousinho

André Mousinho é especialista em Marketing de Conteúdo e SEO na Rock Content. Formado em Publicidade e Propaganda, ele nutre uma verdadeira paixão por redação e produção de conteúdo, que podem ir da web content — como os blog posts e materiais ricos, como e-book —, à criação de roteiros e histórias.

Com um cenário de mudanças e atualizações no Google tão rápidas, Mousinho nos lembra que escrever para SEO é algo muito diferente em relação à antigamente. Neste texto, por exemplo, ele nos mostra as mudanças do Google para ficar de olho e também alerta para fazer com que o buscador entenda seu conteúdo.

7. Pedro Dias

Consultor em SEO e especialista em Usabilidade, Análise e Design de Estruturas Complexas e Tecnologias de Busca. Atualmente Pedro Dias é sócio-diretor da apis3, agência de consultoria focada em marketing digital, branding e inovação e ex-Googler.

Se destaca no mercado de Marketing Digital com sua vasta experiência em solucionar cases de SEO com o intuito de otimizar e recuperar sites em momentos negativos e de baixo rankeamento.

8. Letícia Nonato

Letícia Nonato é especialista em Marketing Digital, com foco em SEO, além de editora-chefe do marketingdeconteudo.com — o maior blog do segmento na América Latina.

Dos seus anos de experiência na área, ela destaca que o SEO é uma das grandes dificuldades para as pessoas que estão começando na área ou que acabaram de montar um negócio na internet.

Segundo Letícia, há um sentimento de que o Search Engine Optimization é algo ainda muito técnico e que a competição na SERP é muito difícil, principalmente para quem está dando os primeiros passos no universo do empreendedorismo na web.

Com isso, não é raro existir a sensação de que não vale a pena se esforçar ou investir em SEO. No entanto, para quem tem uma visão estratégica, é possível assegurar que qualquer negócio tenha resultados expressivos de tráfego orgânico. Neste artigo, vale a pena conferir o que a Letícia tem a dizer sobre estratégias básicas de SEO.

9. Alberto André

Alberto André é mais um dos profissionais para ficar de olho quando o assunto é SEO. Com ele, você pode aprender diversas técnicas de link building, por exemplo, de forma que você possa atuar para posicionar palavras-chave de seu interesse no Google.

Ele conta com mais de 7 anos de experiência em Marketing Digital e foi por diversos anos o embaixador da Majestic (antiga Majestic SEO) no Brasil. Entre as suas empreitadas, destacam-se eventos como o UAI SEO e o FiveCON — que estão entre os mais representativos do Marketing Digital no país.

10. Gustavo Bacchin

Gustavo Bacchin atua com SEO há mais de 12 anos e destaca que não apenas o SEO, mas todo o contexto do digital, tem apontado o foco para o mobile. Nesse sentido, ele aposta que as pequenas telas passarão a ser cada vez mais o centro do planejamento e comunicação das marcas no digital.

Então, trazendo esse debate para o mundo do SEO, é preciso mapear a a visibilidade do seu negócio nos resultados orgânicos, de forma a definir as melhores maneiras de melhorar as posições no Google.

Assim como outros profissionais da área que mostramos aqui, Bacchin também destaca a necessidade de um olhar especial para as práticas e técnicas voltadas para a melhor experiência possível do usuário. Nesse contexto, também é muito importante ficar de olho na parte do planejamento de conteúdo.

Deve-se conhecer a audiência de maneira cada vez mais profunda e entender quais são suas motivações, necessidades e problemas. Com isso, será possível produzir materiais cada vez mais relevantes, que serão compartilhados e gerarão valor para as pessoas.

Além disso, Bacchin também aponta algumas das melhores ferramentas de SEO. Frequentemente, as respostas indicam o Google Analytics. Afinal, o engajamento e o comportamento do usuário com o site ou blog são os melhores indicadores de sucesso da estratégia de SEO.

Vale lembrar de que não basta ter o melhor ranking se você não entrega o que o seu público busca.

O que vale de fato é um conteúdo que seja extremamente relevante para a sua audiência — e Bacchin lembra de que tudo isso pode ser medido por meio do Analytics, que é uma espécie de melhor amigo do SEO.

11. Rafaela Lemos

Atualmente como analista de SEO na Sympla, Rafaela Lemos começou sua história com a otimização lá em 2013, quando foi descobrindo aos poucos como esse universo de motores de busca, análise e foco constante na experiência do cliente é incrivelmente amplo e realmente apaixonante.

Rafa tem ganhado cada vez mais espaço e aproveita dele para mostrar que de fato entende muito e conhece as melhores técnicas de rankeamento. Uma de suas dicas é em relação ao uso e otimização de conteúdos visuais, especificamente de imagens, prática que tem se tornado essencial em estratégias de conteúdo de sucesso.

Segundo ela existem três elementos básicos para fazer essa otimização:

  • Alt text da imagem (texto descritivo)
  • Título da imagem
  • Compactação da imagem

Além disso, ela acredita na importância de mais pessoas conhecerem do que se trata o SEO, afinal, depois de tantas mudanças nos meios de comunicação, saber pelo menos um pouco mais à respeito é primordial em um mundo marketing digital e micro momentos.

12. Rafael Rez

Mais um profissional com muitos anos de experiência em SEO, Rafael Rez destaca que o Google sempre valorizou um bom conteúdo, mas que agora isso vale mais do que nunca.

Afinal, o principal buscador da web tem a capacidade de medir a interação em quaisquer conteúdos e balancear sua popularidade por meio de links, da reputação do autor, do tempo de permanência no conteúdo, comentários, taxa de rejeição, posts em redes sociais, entre várias outras questões.

Dessa maneira, conteúdos ricos, como infográficos, páginas com animações, posts ilustrados e vídeos, conquistam uma reputação cada vez mais evidente. Entre as técnicas de SEO que geram mais resultados, Rez destaca que os vídeos com transcrição têm ganhado destaque.

Quando você posta um vídeo no Youtube, por exemplo, o Google tem a capacidade de transcrever o áudio e criar legendas. No entanto, se você próprio faz essa transcrição — ou produz um conteúdo complementar — e realiza a publicação no seu blog, esse material passa a ter bastante valor.

Entre suas dicas para as pessoas aproveitarem os benefícios do SEO, ele indica a produção de materiais ricos de maneira consistente. Para Rafael, não basta somente criar um ou dois e-books. O ideal é produzir diversos deles. Da mesma forma, vale a pena produzir infográficos, posts para o blog e vídeos.

Com vários formatos, a experiência do usuário acaba gerando um alto valor para SEO, uma vez que atrai mais links orgânicos.

13. Rodrigo Nascimento

Mais um nome para ficar de olho quando o assunto é SEO, Rodrigo Nascimento indica que o conteúdo é rei, mas que o seu tamanho não necessariamente está no comando.

Ele fala isso porque, às vezes, um único parágrafo pode tirar uma dúvida ou resolver um problema — assim, é algo naturalmente de extrema qualidade.

Entre as táticas e estratégias que mais dão certo, ele lembra de que o Google está cada vez mais ligado no contexto como um todo e não apenas nos links que estão sendo apontados para as páginas. Para alguém que está começando hoje, ele indica para você estabelecer boas relações.

Caso seja uma empresa de serviços, por exemplo, o ideal é atender os clientes da melhor forma possível. Além disso, você também deve gerar conteúdos, sempre lembrando que a quantidade é diferente da qualidade.

Para Nascimento, é preciso ter uma visão geral e não se prender ao SEO. Afinal, é preciso olhar tudo que existe no escopo do marketing digital para explorar o máximo de possibilidades e, assim, conquistar oportunidades.

14. Maria Eduarda Paschoal

Aos 18, Maria Eduarda Paschoal deu início a sua trajetória profissional como analista de mídia e, atualmente, aos 23 já é gerente de Marketing na CM Tecnologia, impressionante, não?

Vale mencionar também que ela, sozinha, conseguiu aumentar o tráfegode uma empresa em mais de 400% por meio da aplicação de seus conhecimentos mais básicos de SEO. Depois disso, nem precisamos falar o quanto ela é incrível e vêm despontando no cenário de especialistas brasileiros como uma força a ser reconhecida.

Além de tudo isso, ela ainda produz conteúdos de alta qualidade sobre o tema, nos quais ela ressalta, principalmente, a importância que tem a qualidade para os materiais desenvolvidos para a web, a necessidade constante de reotimização e as inúmeras vantagens de se aplicar técnicas de SEO em sua estratégia de marketing.

15. Victor Gamarra

Último nome da nossa lista, Victor Gamarra também destaca o fato de o Google valorizar os bons conteúdos cada vez mais. Assim, sites e blogs com uma visão mais amplas e conteúdos abrangentes acabam saindo na frente.

Hoje, a preocupação deve ir muito além das palavras-chave. O foco deve estar nas intenções de buscas. Para tanto, é indispensável focar em trabalhos que agreguem diversos tipos de conteúdos, com seções e informações completas, ou seja, trabalhar em páginas realmente ricas.

Entre as dicas para quem está trabalhando com SEO, Gamarra aponta a ferramenta SEOLyze. Por meio dela, é possível realizar a mensuração da diversidade — e, dadas as proporções, até da qualidade — do conteúdo.

Além disso, também é possível promover as devidas melhorias nos conteúdos, conforme os termos trabalhados nas páginas.

Você gostou de conhecer um pouco mais sobre alguns dos principais especialistas brasileiros em SEO?

Sem dúvidas, são profissionais que estão fazendo a diferença em seus negócios e no mercado como um todo.

Por isso, é muito importante estar atento para ouvir um conselho ou aprender a mais nova técnica relacionada ao assunto e que pode ser essencial para o seu crescimento.

Esperamos que, agora, você esteja preparado para pôr em prática a sua estratégia de SEO e conquistar muito sucesso com ela. Antes, porém, recomendamos que baixe nosso Guia Completo sobre SEO, que já foi acessado por mais de 20.000 pessoas e agora está atualizado com mais dicas e informações.

CTA de download para o kit: Domine o Google

Consultor de Marketing Digital

Consultor de Marketing Digital: saiba o que é preciso para se tornar um

Os avanços na tecnologia estão influenciando, direta e indiretamente, o dia a dia das pessoas. O jeito de fazer as coisas está mudando e o mercado também. Os novos conceitos trazem ao mercado novas formas de fazer marketing e a necessidade de novos profissionais capacitados para lidar com esses desafios.

O marketing digital está cada vez mais presente na rotina das empresas. Seja pela sua presença nas redes sociais, seja por meio dos influencers, seja com marketing de conteúdo.

Se antes uma boa campanha de marketing se limitava a grandes empresas com orçamentos significativos agora está mais accessível por meio do mundo digital.

Hoje, com um bom planejamento, podemos alcançar a nossa persona com a ajuda do marketing online. Mas não deve se confundir acessibilidade com algo feito de qualquer maneira.

Uma campanha de marketing digital pode ficar muito mais barata que uma campanha de marketing tradicional, porém, só traria resultados se for feita corretamente.

Diante disso, é importante que seja feita uma análise para saber onde é preciso investir e quais são as medidas que vão trazer melhores resultados.

Qualquer um pode divulgar uma marca em uma rede social e ter curtidas, mas esse não é o objetivo. A meta sempre será aumentar as vendas, e isso só se consegue quando o profissional dedicado a tal tarefa sabe o que está fazendo.

Mas para quem posso confiar a tarefa de conduzir o marketing digital da minha empresa? Para o Consultor de Marketing Digital!

É sobre essa nova profissão que será o nosso post de hoje. Vamos lá?

O que é um Consultor de Marketing Digital?

Com o crescimento do mercado digital, os novos conceitos do marketing e o surgimento de novas tecnologias, se faz necessário um profissional que tenha uma visão ampla e conhecimentos necessários para implantar novas estratégias que tragam bons resultados. E, devido a essa carência, surge o Consultor de Marketing Digital.

O Consultor de Marketing Digital é o profissional que faz uma análise prévia da empresa para, posteriormente, fazer um diagnóstico para criar um planejamento estratégico de marketing na internet com foco nos objetivos da marca.

Esse profissional vai orientar e dar os caminhos necessários aos gestores ou a equipe responsável por executar essa tarefa, com a finalidade de obter os melhores resultados de acordo com o orçamento estipulado.

O consultor de marketing digital precisa ser um profissional observador, analítico, criativo e estar atualizando constantemente nas tendências do marketing digital.

Qual é a função de um Consultor de Marketing Digital?

A sua função principal é a de orientar os responsáveis pela execução da estratégia de marketing online, traçando as diretrizes necessárias para obter os melhores resultados. Para isso deverá:

  • entender como funciona a empresa e quais são seus objetivos;
  • fazer um estudo da concorrência;
  • determinar ou aperfeiçoar a persona;
  • aperfeiçoar a imagem da marca e definir o tom de comunicação;
  • determinar a criação ou aperfeiçoamento do site da empresa e loja virtual se for o caso;
  • definir as estratégias de conteúdo;
  • planejar a presença nas redes sociais;
  • definir a estrategia de email marketing;
  • determinar as campanhas que serão realizadas e as plataformas que serão utilizadas;
  • acompanhar a execução da estratégia;
  • acompanhar os resultados e analisar as métricas;
  • propor alterações sempre que for necessário;
  • e o que for preciso para alcançar o objetivo de forma personalizada de acordo com as necessidades da empresa.

Qual a formação que deve ter um Consultor de Marketing Digital?

Para se tornar um consultor de marketing digital não é suficiente fazer uma faculdade de marketing.

Um consultor não se faz da noite para o dia, é um processo que o profissional deve seguir, fazendo cursos de especialização associados com a experiência adquirida.

Este profissional deve ter uma formação sólida e profundos conhecimentos em todas as áreas de marketing digital como mídias sociais, marketing de conteúdo, blogs corporativos, SEO, email marketing, branding, customer success, outbound marketing e inclusive conhecer sobre a área de vendas, já que um bom trabalho de marketing está relacionado a essa área.

Aprenda tudo sobre SEO

Se a sua intenção é se tornar um consultor de marketing digital, é imprescindível escolher os cursos adequados para sua formação e, nisso, a Rock Content pode ajudar.

A Universidade Rock Content tem os cursos necessários para tornar você um especialista em Marketing digital. São 11 cursos disponíveis para você, sendo que você pode se certificar gratuitamente em 4 deles.

Aqui, você tem a oportunidade de aprender com os responsáveis por converter a Rock Content na maior empresa de marketing de conteúdo da América Latina.

Se você tem uma empresa, antes de contratar um consultor de marketing digital, certifique-se de que seja a pessoa adequada, analise sua experiência na área, os resultados alcançados em outros projetos e a capacidade que tem para se adaptar a novos desafios.

Cada projeto é uma realidade totalmente diferente e o profissional tem que entender que cada nicho tem suas peculiaridades. Verifique também a sua formação, é importante que o consultor de marketing digital seja uma pessoa preparada, que tenha os cursos adequados e de instituições confiáveis.

Mas, se no lugar de contratar um consultor de marketing digital, você quer aperfeiçoar a sua equipe de marketing e vendas, disponibilize para eles cursos in company ou convide eles para fazer os cursos da Universidade Rock Content.

Resumindo: 4 dicas para se tornar um Consultor de Marketing Digital

  1. treine o seu senso de observação;
  2. pratique para ser mais analítico;
  3. exercite sua criatividade;
  4. faça bons cursos e estude bastante.

Ficou interessado em nossos cursos? Então conheça agora mesmo a Universidade Rock Content e descubra as certificações que pode conseguir, para você ou para sua equipe. 

universidade rock content

o que é lead

Curso EAD de Marketing Digital: conheça 5 vantagens de estudar a distância

Está precisando dar um gás no seu currículo mas não tem tempo (ou dinheiro) para colar numa faculdade? Pois o EAD de Marketing Digital está aí pra isso.

Cada vez mais queridos pelos brasileiros, os cursos de Ensino a Distância tiveram um aumento de mais de 7,2% na procura nos últimos 2 anos segundo o levantamento da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED). No entanto, será que existe um bom curso de Marketing Digital por aí? Será que esse lance de estudar a distância pode ser uma boa pra você também?

Pois já vamos dar um spoiler por aqui: a resposta para as duas perguntas é sim. Mas para entender melhor, o lance é conferir o restante do post. Vamos lá?

A história do ensino a distância no Brasil

Antes de mais nada é bom ter em mente que essa história de ensino a distância no Brasil não é nada nova.

Lá em 1934, o médico, antropólogo e educador brasileiro, Edgard Roquette-Pinto, instalou a Rádio–Escola Municipal no Rio de janeiro, um projeto onde estudantes tinham acesso a folhetos e esquemas de aulas que poderiam ser acompanhadas através dos radinhos da época.

Mais de 70 anos depois, com o surgimento e a popularização de outros meios de comunicação (incluindo aí a internet), entrou em vigor o Decreto n° 5.773, de 09 de maio de 2006, que ajudou a regular o exercício dos cursos a distância no país deixando tudo ainda mais interessante para quem buscava um tipo de educação não presencial.

Porém, ainda fica a dúvida: por que tanta gente investe nesse tal de ensino a distância?

5 vantagens de se estudar a distância

Com mais de 116 milhões de brasileiros conectados à internet, é de se esperar que muitos deles busquem utilizar a rede para aumentar seus conhecimentos e, com isso, ter mais chances no mercado de trabalho.

Só que usar a web para obter conhecimento é só um detalhe perto das outras vantagens que existem no ensino a distância.

Você não perde nenhum conteúdo

Enquanto no ensino convencional você precisa fazer anotações, comprar material didático e chegar no horário exato para não perder as aulas, no EAD o conteúdo está sempre disponível na nuvem.

Graças à tecnologia de cloud computing (a tal “computação na nuvem”), além das aulas e materiais estarem armazenadas e disponíveis on-line, tudo isso também pode ser armazenado de qualquer lugar, facilitando a vida de quem não tem hora nem lugar certo para estudar.

Os horários são realmente flexíveis

Tomar um café rápido e ainda enfrentar o trânsito para não perder a hora não são coisas que combinam com a dinâmica do ensino a distância.

Como tudo está disponível on-line através da internet, os horários para conferir o conteúdo são realmente flexíveis e, no caso de chats com professores para tirar alguma dúvida, tudo isso pode ser previamente combinado e alterado de acordo com a necessidade (afinal, eles também estarão usando a internet para te ajudar).

Vale lembrar ainda que como não existe aqui uma lotação física de salas, você, no caso de aulas com outros alunos, pode optar por conferir aquela apresentação ao vivo no horário que couber em sua agenda.

curso de gestão de midias sociais

É mais barato fazer um EAD

Como o investimento em espaços físicos e infra-estrutura é menor do que nos casos de ensino presencial, as empresas que oferecem cursos EAD podem cobrar um valor mais em conta para os alunos. Simples assim.

Você pode focar melhor nos estudos

Em uma pesquisa feita em 2009 pela Fundação Getúlio Vargas, já era apontado como que a dificuldade do acesso ao estudo e pressão pela divisão de tempo entre trabalho e educação eram pontos que pressionavam os alunos a não focar ou desistir dos estudos. E não é por menos.

Só para se ter uma ideia, de acordo com uma pesquisa apresentada pelo Jornal Nexo, 31% dos deslocamentos no trânsito sofrem atrasos em horários de pico quando comparados com os horários livres, em São Paulo. E aí, para quem precisa enfrentar esse problema no dia a dia, fica realmente mais complicado focar nos estudos quando se está sempre atrasado (ou preso entre um sinal e outro).

Por isso que um modelo de ensino que seja mais flexível, como o EAD, pode também ajudar os alunos a ter um foco maior naquilo que está sendo ensinado, afinal a pessoa só irá conferir a aula quando já estiver pronta para isso.

Certificados EAD valem tanto quanto os do ensino presencial

Se você está procurando por uma graduação tradicional, você tem o apoio da Lei 9.394/96 (LDB), que oficializa o curso EAD como sendo tão válido quanto qualquer outro presencial. Porém, se o que você procura é um curso mais específico, como de marketing digital, também não tem problema: os certificados impressos pela instituição continuam sendo tão válidos quanto qualquer outro. O que vale mesmo é a qualidade de quem oferece esse curso.

Onde encontrar um bom EAD de marketing digital

Bem, já que falamos sobre a necessidade de se conferir a qualidade de quem oferece um curso EAD, agora é hora de mostrar como fazer isso na hora de buscar por um curso a distância de Marketing Digital.

Procure por quem é autoridade no assunto

Antes de mais nada é preciso olhar as credenciais de quem oferece o curso. Aquela empresa é realmente uma autoridade no assunto?

Pois no caso da Rock Content podemos dizer que sim — e não estamos falando da boca pra fora.

Além de ser pioneira no marketing de conteúdo no Brasil, a Rock Content é uma das marcas que mais crescem no país neste ramo. E não pára por aí.

Com vários resultados reais (como aqueles da campanha “Quem é Neil Patel”), a Rock está mais do que acostumada a mostrar retornos de verdade para seus clientes e comunidade de freelas, que realmente tem visto na marca uma forma de ganhar dinheiro com a internet.

Analise as credenciais da marca

Procurando por credenciais da marca? Então prepare os dedos para rolar bastante o scroll do mouse.

Na página de cases de sucesso da Rock Content é possível conferir várias marcas que viram seus números aumentarem consideravelmente com as ações de marketing digital da empresa.

Ou seja: apostar em um curso EAD de marketing digital da Rock Content é aproveitar das melhores vantagens de estudar a distância e ainda aprender com quem realmente entende daquilo que faz.

Curtiu essas dicas? Tá afim de aprender mais sobre marketing digital? Então confira os cursos da Universidade Rock Content.

universidade rock content

investir em Marketing de Conteúdo

Freelancer de Marketing Digital: saiba como se tornar um agora mesmo!

A migração do público para o mundo digital torna difícil encontrar alguém que não use, de uma forma ou outra, a tecnologia para realizar atividades do dia a dia.

Isso faz aumentar bastante a necessidade de profissionais altamente qualificados, que sejam capazes de conversar com o público nos canais digitais e suprir toda a demanda que se apresenta por produtos e serviços.

Com o dinamismo do mercado digital e a nova relação dos profissionais com o trabalho, a modalidade de trabalho freelancer tem ganhado atenção especial.

Para quem deseja ter uma renda extra, se especializar no marketing digital ou mesmo trabalhar integralmente de forma digital, essa pode ser a oportunidade certa.

Mas o mercado é exigente, e se você quer ser freelancer de marketing digital precisa se preparar. Quer saber o que é necessário para isso? Então vem que nós vamos te mostrar!

O cenário atual do mercado para profissionais freelancers

Basta pensar um pouco para ver que há grandes vantagens de trabalhar como freelancer.

Entre elas, a quantidade de oportunidades em várias áreas, a possibilidade de atuar em um segmento diferente da própria formação e as opções de evolução que isso apresenta para a carreira do profissional.

Veja alguns dos principais aspectos do cenário atual para quem quer ser freelancer de marketing digital:

Alta demanda de trabalho em várias atividades

Segundo o relatório da Rock sobre o mercado freelancer em 2017, as atividades mais comuns de marketing digital, somadas, compõem mais de 61% da atuação de freelas no Brasil.

Isso indica que o mercado digital tem muita necessidade, nas mais variadas atividades, desde produção de conteúdo até SEO e mídias sociais.

Necessidade crescente de especialização

Um dos conceitos difundidos internamente na Rock Content é de que você pode estar preparado para realizar o trabalho hoje, mas não para realizar o mesmo trabalho daqui a um ano. O que isso quer dizer?

Que é vital (sim, VITAL!) continuar aprendendo, testando, estudando e se adaptar às novidades com rapidez para acompanhar o comportamento do consumidor. Nada de comodismo.

Processos seletivos mais criteriosos

Você sabia que a maioria dos freelancers de marketing digital hoje são Millennials? O relatório da Rock, já citado, aponta que eles são hoje 79,4% dos profissionais.

Se contarmos que a chamada Geração Z (nascida a partir de 1997) está entrando no mercado de trabalho sabendo tudo sobre o digital, a concorrência entre quem entende do assunto tende a ser cada vez maior.

Por sua vez, os processos seletivos também se intensificam. Sai a busca incondicional por diplomas (empresas como o Google já não os exigem mais) e entram pontos como conhecimento e experiência prática.

curso de gestão de midias sociais

5 passos para você virar freelancer o mais rápido possível

Muitas oportunidades, mas uma concorrência feroz e a necessidade de constante adaptação fazem parte da rotina de um freela, isso você já conseguiu perceber.

Mas o principal vem agora: como se tornar freelancer de marketing digital e aproveitar os benefícios desse mercado que tende a continuar crescendo conforme a nova economia progride?

Montamos um passo a passo com 5 dicas práticas que vão ajudar você a entrar no mercado de trabalho e conseguir boas oportunidades sem demora:

1. Consuma conteúdo das fontes certas

Existe muito conteúdo sobre marketing digital na internet. Esse material sem fim está disponível nos mais variados formatos:

  • blogs;
  • vídeos;
  • cursos;
  • podcasts;
  • infográficos;
  • e assim por diante.

É muito fácil se perder em meio a tantas informações — muitas das quais se contradizem. Então, escolha boas fontes das quais aprender. Mas o que faz uma boa fonte? Basicamente, é o seguinte:

  • quem foge de promessas milagrosas e mostra casos reais, comprovados;
  • quem cita referências estatísticas e não apenas motivação barata;
  • quem ensina conceitos de marketing e não só fórmulas e hacks.

curso de gestão de midias sociais

2. Invista em certificações específicas

Essa dica serve como uma extensão da primeira dica. Certificações sobre assuntos específicos do marketing digital, criadas por empresas confiáveis e respeitadas no mercado, são ótimas fontes de aprendizado.

A Universidade Rock Content tem vários cursos que são usados para treinar profissionais em empresas que são referência em suas áreas de atuação.

Entre elas, quatro certificações gratuitas, sobre:

3. Tenha um projeto pessoal

Ter um projeto pessoal vai aumentar muito as suas chances de conseguir clientes, pois você terá algo concreto para mostrar.

O que os contratantes mais buscam em um freelancer é a capacidade de entregar resultados práticos.

Um projeto pessoal relacionado à sua área de escolha pode ser a forma certa de deixar isso claro. Criar um blog, uma marca pessoal nas redes sociais e até criar um produto digital são algumas boas ideias para executar.

4. Converse com especialistas

Os especialistas de marketing digital se colocam à disposição para tirar dúvidas e oferecer ajuda o tempo todo. Por que não aproveitar essas oportunidades?

Não se trata de fazer spam e muito menos de enviar mensagens pedindo trabalho.

É só entrar em contato e tirar alguma dúvida. Pode até ser sobre o seu projeto pessoal. Também vale fazer um elogio sincero, oferecer ajuda prática de alguma forma (sem interesse), etc.

Tudo isso pode ajudar você a aprender com os melhores, sem contar o valor imenso do networking para o futuro.

5. Não estude só marketing, mas também sobre a rotina de freelancer

A vida de freelancer vai muito além do que saber desempenhar bem sua função específica. É preciso se organizar com horários, local de trabalho e finanças pessoais.

Pesquise sobre tudo isso para não ter surpresas que atrapalhem seu desempenho e, consequentemente, a qualidade do que vai entregar para os clientes.

Trabalhar como freelancer de marketing digital é hoje uma das melhores formas de se especializar em todos os pontos-chave do mundo digital. Isso vai te dar uma experiência prática sem igual para desenvolver projetos próprios ou construir uma carreira de sucesso na área. Agora, basta seguir essas dicas!

Gostou dessas dicas para se tornar freelancer? Que tal aplicar essas dicas enquanto se junta ao time de freelas da Rock? Veja as oportunidades que te esperam!

universidade rock content

designer blog da rock content

O que aprendi ilustrando mais de 2 mil capas de posts em 2 anos

Enquanto estava em busca do que escrever para este post e o que eu poderia ensinar que seria de grande valia para quem lesse, me deparei com uma informação que me deixou até assustado.

Após fazer uma contagem de todas as ilustrações que fiz para capas de posts na Rock — contando com os blogs Comunidade, Marketing de Conteúdo, Marketing de Contenidos e Inteligência — cheguei ao gigante número de 2147 capas (e contando!).

Confesso que fui pego de surpresa, nem eu imaginava que foram feitos tantas assim. Porém, em um ar de curiosidade e nostalgia, resolvi analisar minhas ilustrações antigas e pude perceber o quanto eu me desenvolvi no trabalho e quais aprendizados ganhei com todo esse processo.

Neste post, portanto, irei compartilhar situações nas quais errei (e como resolvi), o que aprendi e, se possível, dar dicas úteis para ilustradores e designers que estejam lendo. Espero que possa ajudar!

A prática leva a “perfeição”

Coloco perfeição com aspas porque realmente não acredito que haja perfeição no Design (e se há, eu estou muito longe dela). Se pararmos para analisar alguma peça, ilustração ou produto que fizemos, sempre vamos achar um detalhe ou outro para mudar.

Mas se tem algo que eu aprendi na minha vida e comprovei desde que comecei a trabalhar na Rock Content foi de que sem prática não saímos do lugar.

Quando entrei aqui, em Setembro de 2016, acreditem ou não, eu não sabia absolutamente nada de ilustração vetorial. Me lembro até hoje de minha entrevista com o Renato “Hank” Mesquita e o Lucas “Zuk” Chagas. Eles analisaram meu currículo e meu portfólio com muita atenção e me falaram:

“Cara, a gente adorou seu portfólio. Você sabe desenhar muito bem. Mas não tem nada de ilustração vetorial e é algo que a gente precisa pra essa vaga. Você topa um teste técnico?”

Claro que eu toparia!

Tinha aberto o programa uma vez na faculdade para fazer um trabalho. Depois disso nunca mais tinha encostado nele. Na verdade, eu detestava ele por não saber mexer. Mas eu precisava dele agora, então vamos lá.

Depois de uma semana observando o estilo vigente dos blogs, resolvi arriscar com a primeira capa de post que fiz para a Rock Content:

designer blog da rock content

Tã-dã!

Não foi só essa imagem que fiz para meu teste técnico, mas foi a primeira. E, com elas, passei no teste técnico e para as próximas fases do processo.

Depois que entrei na Rock, faltou minha pressão cair quando o Zuk me passou as demandas. Eu estava lá sentado olhando para a tela do computador, sem ter nem ideia de como começar.

Nesse momento inicial, ele foi me ensinando a imensa maioria das ferramentas que eu ia utilizar para fazer as artes e foi super paciente comigo (inclusive, muito obrigado, meu amigo!).

Com esse pontapé inicial, alguns tutoriais no YouTube e muitas, mas muitas mesmo, tentativas e erros, fui aprendendo a usar o programa ao meu favor.

Não posso falar que cheguei no meu máximo — inclusive, estou muito longe disso — mas melhorei bastante desde que comecei, já que literalmente parti de uma posição que não sabia absolutamente nada.

Esse processo me fez perceber que o que me fez chegar até onde estou foi o mesmo que me fez evoluir tanto na ilustração manual: prática.

Sempre escutei minha vida toda que tinha um “dom”. Que minha habilidade no desenho era fruto de meu dom e que tenho essa facilidade por conta dele. Mas, de verdade, meu único dom foi gostar do que eu faço. Isso fez com que eu sempre praticasse um pouco, dia após dia no meu ofício, e sempre me diverti muito fazendo isso!

Hoje em dia sei que tenho capacidade de alcançar meus objetivos e crescer como artista e designer através da prática. Há uma frase que gosto bastante que é:

Se você não evoluir, acaba extinto.

Somente a prática em uma uma habilidade te leva a progredir nela. E isso também me leva a um aprendizado importantíssimo em minha vida.

Reconheça seu talento

Não acho que muita gente saiba disso aqui na Rock (na verdade, não sei se alguém saiba disso aqui). Mesmo depois de meses trabalhando, produzindo diversas imagens, reformulando o estilo das ilustrações e sendo reconhecido por isso, eu nunca acreditei em mim.

Por sempre ter sido apaixonado por criar e ilustrar, a maneira como eu me desenvolvi soava muito comum para mim. Não havia muito esforço envolvido nas tarefas, e mesmo sendo muitas vezes elogiado por isso, achava que o que eu fazia não era nada mais que o ordinário.

Foi depois de ter contato com os meus colegas de profissão e vendo todo o processo de evolução que passei (e passo) fazendo as demandas do dia a dia que percebi que, se hoje eu consigo fazer o que eu faço com rapidez e facilidade, é porque passei muito tempo praticando para isso.

Para que eu aprendesse a desenhar com praticidade, precisei passar quase 17 anos treinando (meus primeiros desenhos são de quando eu tinha uns 5 anos), e para que eu trabalhasse rapidamente e com tranquilidade com arte vetorial, precisei de quase 2 anos praticando todo dia durante meu expediente.

Por isso, não se subestime. Reconheça sua habilidade. Se você é bom em algo, assuma isso para si e se orgulhe disso. Isso é importante tanto para seu desenvolvimento profissional quanto para o pessoal.

É importante ressaltar, também, que reconhecer é diferente de se gabar. Você precisa entender que é bom no que faz, mas não seja arrogante sobre isso. Se você se considera “O mestre na sua profissão”, “O melhor do mundo”, você descarta seus defeitos e oportunidades de evolução.

Reconhecer oportunidades de melhoria faz parte da vida de todo mundo (ou deveria fazer, pelo menos). Por isso, vou ir para o próximo assunto.

Esteja disposto a mudar

Quando entrei na Rock, as ilustrações seguiam um estilo já datado para o ano e se baseavam em vetores já prontos de bancos de imagens. Como o volume de produção era bem grande, esse foi o melhor caminho para dar conta da demanda.

Com minha entrada, ficou (um pouco) mais leve e, então, recebi um desafio do Zuk:

Rafa, você topa pensar em um estilo novo pras nossas ilustrações?”

Mas é claro que eu toparia de novo!

Mesmo já acostumado com o estilo antigo, me propus a pesquisar diversos blogs, empresas e designers dos quais as artes eu gostava e fui costurando em um novo traço, mais atual e ligado à voz da empresa.

designer blog da rock contentdesigner blog da rock content

O estilo antigo | estilo de 2016.

Com isso, cheguei a algumas diretrizes para criação das imagens:

  • Para paleta de cor, seguíamos as diretrizes do Google Material;
  • Para as ilustrações, usávamos o semi-flat, que consiste em formas simples com toques de gradientes para dar volume;
  • Em capas de post, sempre usávamos cores complementares ou com um bom contraste entre elas para melhor visualização;
  • Além disso, tentávamos nos limitar a apenas 2 cores por capa.

Se quiser saber mais sobre elas, há um tempo escrevi sobre isso! No texto entro mais em detalhes sobre alguns desses pontos. Não deixe de ler!

Foi nesse estilo que eu mais me desenvolvi aqui na Rock, afinal seguimos com ele por cerca de 1 ano e meio. Dentro desse período, experimentei diversas aplicações de cores, gradientes, efeitos e sempre ia mudando uma coisinha ou outra que me incomodavam.

Em sua última versão, o estilo estava bastante versátil e definido. Haviam artes que iam desde uma representação 3D fiel à realidade a imagens que se pareciam com camadas de papel sobrepostas.

designer blog da rock contentdesigner blog da rock content

Esse tipo de ilustração me possibilitou em desenvolver na aplicação de luz e sombra, reflexos e, em um geral, como diferentes materiais e formas se comportam na vida real.

Porém, o mundo está em constante mudança. E no mundo do design, isso acontece com 10x mais frequência.

O ano de 2018 chegou e, com ele, novas influências. Era o momento oportuno para uma mudança nas artes, já que elas estavam tomando um rumo muito “infantil”, que já não iria conversar tanto com nossas personas.

Com isso, o Bruno Montiel, também designer do time, propôs uma mudança radical do design. Começar do zero, com paleta nova, formas novas e algo completamente diferente do que estava sendo feito.

Eu adorei a proposta, mas confesso que até deu calafrios de imaginar. Esse estilo era meu xodó! Mas assim como disse no primeiro tópico, quem não evolui acaba extinto. Caí de cabeça na ideia.

Passamos, novamente, por um extenso processo de pesquisas. O que as empresas referentes estavam fazendo, analisando diversos designers e ilustradores e criando uma nova paleta de cores, chegamos a um novo modelo.

designer blog da rock content

Com esse novo estilo, buscamos seguir com formas humanas mais próximas do natural. Com ele, não seriam mais formas simples e geométricas, mas sim formas orgânicas e dinâmicas.

A volumetria passou a ser demonstrada com granulação, tendência que foi observada em praticamente todas as referências que buscamos. E as artes passaram a ser definidas como planos 2D sobrepostos, de maneira que não tente representar com fidelidade o que é a realidade, mas passe a ser mais artístico e sóbrio.

Foi um desafio e tanto, mas, principalmente, foi bastante divertido! Se eu, o Bruno ou o Zuk não estivéssemos abertos a mudanças, provavelmente seguiríamos usando banco de imagens.

É saindo de nossa zona de conforto que mais crescemos. Explorar novos territórios faz com que nos adaptamos a eles, uma vez que o contrário raramente vai acontecer.

O crescimento pessoal e profissional também depende um aprendizado muito importante. Por isso, será tema do próximo capítulo.

Reconheça, também, os seus erros

Desde que eu era pequeno, tenho um certo defeito. Eu me apego muito às coisas. Me lembro de ter feito um bichinho com arame de embalagem de pão uma vez e guardado ele por um ano inteiro na carteira porque achei muito fofo e estava com dó de jogar fora.

Isso foi ano passado.

Com minhas ilustrações não poderia ser diferente. Tenho uma seleção de algumas na minha cabeça que são quase filhas para mim. Ocasionalmente dou uma revisitada nelas pra matar saudade.

Só que na vida nem sempre as pessoas vão gostar do que você gosta. E isso é ótimo! Se todo mundo gostasse da mesma coisa, não teria nada de novo para descobrir, nada pra dialogar sobre e ninguém teria acesso a outros pontos de vista.

Mas a outra implicação disso é de que muitas vezes você vai fazer algo que acha que foi o trabalho da sua vida, que fez o seu melhor ou o que era a melhor alternativa pro problema. E, bom… muitas vezes não vai ser.

No início, aceitar isso é um pouco difícil mesmo.

“Como assim o trabalho que eu gastei 3 horas fazendo tá errado?”

“Não é possível, as pessoas não estão entendendo a mensagem por trás dessa imagem”.

Quem trabalha com projetos criativos sabe que esses pensamentos aparecem ocasionalmente quando os outros apontam defeitos sobre eles. Quanta ousadia dessas pessoas, não é mesmo?

Não, não é. Eu conseguiria encher diversas pastas com imagens que tive que refazer ou alterar a pedido dos meus colegas de trabalho. E eu não guardo um pouquinho sequer de rancor deles por isso. Na verdade, agradeço muito a eles quando essa situação acontece.

Por que? Porque eles estão certos.

Eu trabalho fazendo imagens que serão divulgadas para milhares de leitores e seguidores da empresa. Se em um grupo de 30 pessoas eu sou capaz de causar qualquer desentendimento com uma imagem, imagina o que causaria para a reputação da empresa.

Não vou dizer para não se apegar ao seu trabalho. Eu estaria sendo hipócrita e me contradizendo nesse mesmo texto. Mas não fique de cabeça fechada a críticas.

Nem sempre a mensagem que você tentou passar com o projeto ficou clara. Não podemos exigir que todos enxerguem ela e a entendam. Na verdade, é nossa função garantir que ela seja entendida pelo maior número possível de pessoas.

Todos erramos, e não são poucas vezes. Não tem vergonha nenhuma nisso. Portanto, reconheça quando essas situações acontecerem, esteja aberto e disposto a refazer o seu trabalho para atender à demanda corretamente.

E se você for igual a mim que cria vínculo afetivo até com a sujeirinha do bolso da calça jeans, faça como eu faço quando houver um projeto xodó que precisa de refação: guarde em uma pasta pessoal, refaça e siga a vida com todo mundo satisfeito.

Entre outros!

Além de todos os aprendizados pessoais, não posso deixar de fora os conhecimentos técnicos. Não entrarei em detalhes, mas vou citar algumas habilidades que adquiri com a prática:

  • Ilustrar minhas ideias com as ferramentas disponíveis (seja o que for: Illustrator, After Effects, Photoshop ou o bom e velho mão e papel);
  • Executar tarefas em um tempo “curto” (varia de tarefa em tarefa, mas, no geral, com mais prática o tempo diminui significativamente);
  • Abstrair e criar imagens a partir de uma frase (às vezes, é tudo que nós recebemos);
  • Aguçar a criatividade (nem sempre ela aparece, então é bom ter algo a recorrer: café, música, podcast, white noise etc).

Essas foram alguns dos aprendizados que ganhei ao longo desses dois anos. Existe uma frase que resume bem o que pretendo passar com essas lições:

What got you here won’t get you there.Marshall Goldsmith

Mesmo que pareça, nunca aprendemos tudo. A gente pode achar que tá no ápice do conhecimento sobre uma ferramenta ou uma estratégia, mas a verdade é que ninguém está. E possivelmente nem vai estar também.

Portanto, se já aprendi muito ilustrando 2 mil posts em dois anos, mal posso esperar para ver o que o futuro me aguarda!

Espero que possa ajudar, de verdade! Às vezes sinto falta de um conteúdo sobre as lições reais que os designers aprenderam ao longo de sua carreira. Ainda estou no início da minha, mas sei que há diversas pessoas que, assim como eu estavam há 2 anos, ainda estão correndo atrás dessa chance.

Por isso, fui o mais sincero possível sobre os aprendizados que me fizeram crescer nesse tempo, e, se tudo der certo, posso ajudar os outros a crescerem também, mesmo que um pouquinho! Nos vemos em breve! E quem sabe com ensinamentos de 4 mil posts? 🙂

Tamanho de imagem nas redes sociais

Especialista em Marketing Digital: saiba agora mesmo como se tornar um

O Marketing Digital oferece um vasto leque de especializações para quem tem interesse em trabalhar na área. Porém, independentemente de qual você escolher, algumas características devem ser levadas em conta para que você se torne um bom especialista de Marketing Digital.

O mercado de Marketing Digital não para de crescer. Logo, se você está considerando entrar na área, e se tornar um especialista, precisa saber quais áreas de atuação existem, assim como as competências exigidas para o cargo.

Acompanhe nosso post e fique por dentro de todos os requisitos necessários para que você se torne um especialista em Marketing Digital.

Quais são as áreas que um especialista de Marketing Digital precisa conhecer

O primeiro passo é identificar quais são as áreas do Marketing Digital que você precisa conhecer.

Por mais que você venha, posteriormente, a se especializar em alguma delas, é essencial ter conhecimento de todas que compõem estratégias e ações digitais. Listamos aqui as principais.

Inbound Marketing

Inbound Marketing é uma estratégia digital voltada a atrair o interesse das pessoas, por isso também é chamado de “marketing de atração”.

Sua ideia principal é que possíveis clientes sejam atraídos por conteúdos relevantes que são publicados nos canais online.

Desse modo, os clientes se interessarão em adquirir o produto ou serviço ofertado pela empresa ou profissional que produziu o conteúdo.

Outbound Marketing

O processo de Outbound Marketing é o oposto do Inbound, pois em vez de atrair o público, o profissional de marketing precisa correr atrás dessas oportunidades, prospectar contatos de pessoas e empresas que possam se tornar clientes.

Portanto, realizar um trabalho de inteligência comercial para levantar esses contatos e qualificá-los para que o time de vendas possa fazer a oferta certa faz parte do trabalho de Outbound Marketing.

SEO

SEO é a sigla de Search Engine Optimization, ou seja, as técnicas aplicadas para que sites e blogs tenham melhores resultados nas respostas dos motores de busca como o Google.

Para você ter uma ideia da eficiência do SEO, a Rock Content, ao aplicá-lo da forma correta, conseguiu conquistar a primeira posição orgânica no Google para o termo “Marketing Digital” por meio de um blog post.

E o resultado disso foi a geração de oportunidades que trouxeram uma receita de 2 milhões de reais reais em menos de 3 anos!

Blogs Corporativos

Blogs Corporativos são uma forma eficiente de atrair clientes, reputação para um negócio, além de aumentar a força de uma marca.

Por isso, blogs têm sido parte integrante de uma estratégia de Marketing Digital.

Marketing de Conteúdo

Essa é uma estratégia capaz de aumentar a autoridade e credibilidade das marcas, além de captar novos clientes de forma natural a partir de conteúdos úteis e valiosos para o público que se quer atingir.

De acordo com a Content Trends, 70% das empresas investem em Marketing de Conteúdo.

marketing de conteudo primeiros passos

Branding & Buzz

Branding é o que entendemos como gestão de uma marca, enquanto Buzz refere-se a propagação, de modo que ela obtenha um alcance maior, seja compartilhada e comentada por pessoas na web.

Por isso, o Branding & Buzz é a junção adequada àqueles que querem criar uma boa imagem de marca e engajá-la com o seu público.

Gestão de Mídias Sociais

As Mídias Sociais são canais voltados para comunicação, interação, troca de informações e compartilhamento de conteúdo.

Ou seja, são canais que você pode usar para conquistar os seus fãs, seguidores e deixá-los mais próximos do momento de compra. Para isso, é preciso saber técnicas de Gestão de Mídias Sociais.

E-mail Marketing

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o e-mail não está morto. Muito pelo contrário: ele nunca esteve tão vivo!

Até porque uma lista de e-mails faz parte do patrimônio de uma empresa ou profissional de marketing.

Por isso, a forma como você se engaja com ela via E-mail Marketing pode trazer resultados incríveis a ponto de deixar as suas leads mais preparadas para comprar a oferta.

Inside Sales

Como o Marketing Digital é totalmente feito online, o mesmo pode ocorrer quando o momento de vender chega.

Inside Sales é o processo de venda de produtos ou serviços que pode ser feita por telefone, Skype ou qualquer outra forma remota.

Como especialista em marketing digital, é importante conhecer o processo de venda para saber de que maneira as ações de marketing terminam numa venda.

Customer Success

Customer Success é um conceito implantado, a princípio, em startups, SaaS e empresas que trabalham com ofertas recorrentes.

Mas, na realidade, pode ser aplicado por profissionais de marketing em qualquer empresa que tenha como prioridade a satisfação e fidelização dos clientes ao apontar o sucesso que eles poderão ter com o produto ou serviço que adquiriu.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS

👉 Mais resultados e melhores vendas? Confira como no nosso guia de Inside Sales!

👉 O que é Customer Success e como levar o seu cliente ao sucesso com a metodologia!

👉 [Ebook gratuito]: Guia Definitivo do Blog Corporativo

Quais são as competências que um profissional de Marketing Digital precisa ter

Agora que você já conhece algumas das áreas em que um especialista digital pode atuar, vejamos quais atributos esse tipo de profissional precisa ter no seu perfil para ser eficiente.

Saber produzir bons conteúdos

O conteúdo é um dos principais pilares do Marketing Digital, independentemente dos canais presentes na sua estratégia: blog, redes sociais, e-mail, anúncios de mídia paga, e afins. Todos precisam de bons conteúdos.

Por isso, é importante que você tenha habilidades de escrita, além de saber quais são as técnicas de produção de conteúdo para web.

Conhecer softwares e automação de marketing

Outra característica do especialista em marketing digital é ser habilidoso na criação de planilhas, documentos e relatórios, assim como manusear programas de automação.

RD Station e Hubspot são alguns exemplos de softwares de automação de marketing que permitem criar landing pages, montar fluxos de nutrição para leads, entre outras funções.

Mesmo que você ainda não saiba manusear essas ferramentas, estar familiarizado com elas é muito importante.

Estar atento às tendências de mercado

Para ter eficácia dentro do marketing digital, você precisa estar antenado a tudo o que acontece dentro desse segmento.

Afinal, campanhas e ações que seguem as tendências de mercado possuem mais chances de terem sucesso.

Entender o que os números querem dizer

Saber entender os dados e transformá-los em ideias também faz parte do trabalho de marketing.

As empresas tomam decisões baseadas em métricas, e o profissional de marketing é quem deve levantar quais são as mais importantes durante suas análises.

Saber gerenciar projetos

Habilidades organizacionais e para gestão de projetos são qualidades que também devem estar presentes no perfil do profissional de marketing.

Sobretudo quando há diversos projetos em andamento, o que é muito comum no dia a dia de quem trabalha no ramo. Portanto, saber como cuidar de todos de forma eficaz é essencial para quem quiser se destacar na área.

Agora que você já sabe tudo que um especialista em Marketing Digital precisa ser e ter, que tal começar a se tornar um hoje mesmo? A Universidade Rock Content possui cursos com certificações em diversas áreas digitais. Não perca tempo e faça a sua matrícula na Universidade Rock Content agora mesmo!

universidade rock content
Curso de branding Rock Content

Curso de Branding & Buzz: aprenda a trabalhar a sua marca!

Qual é o valor de uma marca? Se você não sabe responder essa pergunta, pode ser que não esteja dando o devido valor à sua própria marca. E saiba que isso faz toda a diferença entre um negócio que é referência e um que mal sobrevive em meio à forte concorrência.

A evolução da tecnologia e o mercado digital cada vez mais dinâmico só potencializam esse efeito. Diante disso, faz-se necessário desenvolver uma visão estratégica mais apurada com relação ao posicionamento de marca.

Além disso, fazer a sua empresa aparecer e gerar comentários sobre ela são aspectos que têm grande valor comercial.

Foi por isso que criamos o curso de Branding & Buzz da Universidade Rock Content. Se você ainda não tem certeza sobre o valor desse curso para a sua empresa, vamos te mostrar agora mesmo!

A imagem da sua marca nunca foi tão importante para as vendas

Pense nos seus produtos favoritos por um momento. Algum deles é de uma marca considerada confiável no mercado? Se a resposta for sim (e provavelmente é), isso não acontece sem motivo.

As empresas que investem na criação de marcas fortes se destacam na hora que os clientes precisam decidir o que comprar. Em muitos casos, produtos mais caros vendem mais que itens de qualidade similar, apenas porque são de marcas mais reconhecidas.

Com a força do mundo digital em tudo que fazemos hoje em dia, essa reputação que as grandes marcas conseguem se transportar para a internet e gera ainda mais resultados.

Por que o Branding é essencial para o seu negócio

A gestão de marca, ou Branding, é a maneira com que uma empresa se faz reconhecer pelo seu público. Em outras palavras, você tem o poder de moldar a percepção dos seus possíveis clientes e fazer com que confiem na sua mensagem.

Mais do que ter produtos bons, isso tem a ver com os valores que a marca representa e como eles se identificam com o pensamento dos clientes.

Fazer uma boa gestão de marca afeta os seguintes aspectos da sua relação com o público:

Visão da marca a longo prazo

O que você faz hoje pela gestão da sua marca não tem só um efeito imediato positivo. Tem impacto também daqui cinco ou dez anos.

Basta pensar nas marcas mais sólidas que você conhece. Elas não fizeram apenas uma campanha uma vez, mas fizeram um trabalho sólido e contínuo, que rende frutos até hoje.

Percepção de valor

Já falamos um pouco sobre marcas que têm produtos relativamente parecidos aos dos concorrentes, mas cobram mais caro por eles e conseguem um ótimo volume de vendas.

Exemplo clássico disso é a Apple: os computadores, tablets e smartphones da companhia às vezes até perdem nas especificações, mas custam o dobro ou o triplo dos concorrentes — e vendem muito mais que eles.

Possibilidade de ser “Top of mind”

“Top of mind” são aquelas marcas que aparecem primeiro na mente dos clientes assim que pensam no tipo de produto que elas oferecem.

Por exemplo, o Google é sinônimo de busca online, apesar de existirem buscadores como o Bing e o Yahoo!.

Apesar de não ter o tamanho do Google, é possível que a sua marca seja a primeira na mente dos seus possíveis clientes, graças a um bom trabalho de Branding.

Por que o Buzz é essencial para o seu negócio

A parte do Branding já ficou clara, mas o que representa o Buzz, o segundo conceito ensinado no nosso curso?

Uma coisa é fazer com que as pessoas tenham uma visão positiva da sua marca depois de a conhecerem. Outra bem diferente é fazer com que as pessoas conheçam essa marca e sintam vontade de conversar sobre ela.

Essa segunda parte é o Buzz, ou seja, a habilidade de gerar conversas sobre a sua marca, fazer com que as pessoas a conheçam e espalhem a outros o que ela faz.

Mas de que maneiras o Buzz impacta a forma como a sua empresa é conhecida por pessoas novas? Veja 3 delas:

Prova social

A prova social é um dos gatilhos mentais mais poderosos que existem, e pode ser muito explorada com o Buzz.

Todo mundo quer validação de que os produtos e serviços que consome são de qualidade, e nada melhor para isso que descobrir que outras pessoas o aprovam.

Quando um grupo de pessoas começa a falar sobre a sua marca (o Buzz), outras pessoas sentirão a validação necessária para comprar de você e falar da sua marca também. É um efeito viral.

Protagonismo

Marcas que geram Buzz se tornam protagonistas em seus respectivos mercados.

Se você sempre ouve falar da empresa X quando o assunto é determinado produto, vai presumir que ela seja a maior referência naquele mercado. Na hora de comprar, estará mais propenso a comprar dela.

2 exemplos de Branding & Buzz que você deve imitar

Separamos agora nada mais que 2 exemplos de Branding e Buzz para você imitar. Os dois são relacionados aos serviços financeiros, um nicho de certa forma impopular, por diversos motivos:

Nubank

O Nubank, Fintech de cartão de crédito e conta digital, descomplicou os serviços financeiros no Brasil. Mas, além disso, conquistou fãs leais pela sua gestão de marca.

É difícil encontrar no Brasil uma marca que seja tão querida e admirada pelos clientes. O resultado é uma fila de gente doida para usar os serviços da empresa.

Me Poupe!

O Me Poupe! é a primeira plataforma de entretenimento financeiro do mundo. O que isso significa? Que a Nathália Arcuri, fundadora da empresa, transformou o assunto finanças pessoais em algo divertido.

Tudo no canal do Me Poupe! no Youtube (e também no blog) mostra isso. Não é à toa que o canal já tem mais de 2 milhões de inscritos e um engajamento incrível a cada vídeo.

Branding e Buzz se completam de forma perfeita: enquanto um ajuda você a tornar sua marca conhecida para um número maior de pessoas, o outro faz com que a visão delas seja positiva e gere vendas de forma duradoura.

Além disso, os exemplos que vimos deixam claro o quanto essa dupla pode trazer resultados.

Quer os mesmos resultados para a sua empresa? Então não perca tempo e se inscreva no no curso de Branding e Buzz da Universidade Rock Content!

universidade rock content