Notícias


O que são os perfis yogi.mp4 e haqnii e como eles causaram tanto buzz no Instagram

O que são os perfis yogi.mp4 e haqnii e como eles causaram tanto buzz no Instagram

Veja como uma empresa da Indonésia causou buzz no Instagram por meio de dois perfis que levavam centenas de curtidas aos comentários que os mencionavam.

Nos últimos dias, usuários do Instagram perceberam uma movimentação um tanto quanto diferente e inusitada na rede social. Pessoas que comentam @yogi.mp4 e @haqnii ganham, quase que instantaneamente, centenas de curtidas nos comentários.

Os internautas especularam que tal fato podia ser um bug da rede social, uma ação de hacker ou apenas um ato intencional para causar buzz.

E foi exatamente isso que aconteceu. Entenda, a seguir, como o lançamento de uma agência de marketing digital na Indonésia deu o que falar no Instagram.

Perfis desconhecidos

Bastava mencionar os perfis @yogi.mp4 e @haqnii para que centenas de curtidas aparececem nos comentários que as mencionava.

buzz  Go Socialid

As contas em questão pareciam ser até mesmo fantasmas. Com poucas informações e fotos, mas com muitos seguidores, começaram a especular se tratavam de contas que vendem seguidores e curtidas.

O perfil @yogi.mp4 conta com mais de 81 mil seguidores e apenas duas publicações, sendo uma delas uma foto em branco.

buzz  Go Socialid

Já a página de @haqnii conta com 100 mil seguidores e 2 publicações. Em sua bio — parte do perfil na qual é possível escrever algo sobre você — existe uma menção a página Go Socialid.

buzz  Go Socialid

Página mencionada

A página em questão é de uma empresa de marketing, localizada na Indonésia, que se lançará no mercado em abril.

buzz  Go Socialid buzz  Go Socialid

Apesar de as páginas que fazem o buzz para a empresa arrecadarem uma quantidade significante de seguidores, a empresa conta, por enquanto, com pouco mais de 9 mil seguidores e diversas postagens que explicam quais serão seus serviços.

O site da Go Socialid descreve a empresa como uma revolução em social media, marketing e gestão. Ainda (em tradução literal do Indonésio), a companhia promete entregar uma boa experiência para aqueles que já tiveram dificuldades com agências de marketing tradicional.

Dentre os serviços oferecidos estão:

  • serviços para aumentar o engajamento (curtidas, seguidores e visualizações);
  • gerenciamento de campanhas publicitárias;
  • criação de conteúdo digital;
  • gerenciamento de redes sociais.

Buzz causado

O buzz causado pela empresa indonésia é notável. Fóruns em redes sociais americanas, páginas brasileiras e outras tantas tentaram descobrir o que se passava com tamanha repercussão dos perfis @yogi.mp4 e @haqnii.

A busca por uma explicação dos perfis, levava diretamente a página da empresa que explica detalhadamente quais os serviços oferecidos.

Ainda, por terem em sua cartela de opções um trabalho de engajamento, a quantidade de curtidas se mostrou eficaz para mostrar a repercussão que eles podem — e querem — alcançar.

O reconhecimento que tal empresa alcançou chegou a ser em escala mundial, conforme mapa do Google Trends.

buzz  Go Socialid buzz go socialid

Estratégias de lançamento como essa podem fazer o nome da empresa. No entanto, é necessário planejamento para alcançar o sucesso.

Se você quer entender como fazer ações de buzz certeiras com a sua empresa, não deixe de ler nosso conteúdo de buzz marketing.

Curso Branding & Buzz

Atualização do assistente do Google: conheça as novas funções e melhorias do dispositivo

Google Assistant lança função que torna a navegação ainda mais intuitiva

Buscas por voz, botão próprio e novos idiomas: entenda as atualizações anunciadas para o Google Assistant.

O Google está em uma constante busca por novas ferramentas que permitam a empresa fazer mais parte do nosso cotidiano. E, uma dessas ferramentas, é o Google Assistant.

Essa inteligência artificial funciona como uma secretária particular em que você pode deixar sua lista de tarefas, redigir e-mails, programar lembretes e, caso você se sinta sozinho, conversar com ele.

Você pode imaginar que, apesar de todas essas funções, a ferramenta de conversa se tornou a mais popular entre os usuários, certo? Por isso, em sua última atualização, ela ganhou um botão próprio.

Para entender mais sobre a novidade do Google Assistant, siga conosco!

Novo botão do Google Assistant

Não foi em vão que a empresa aproveitou o MWC Barcelona — o evento mais elegante da tecnologia — para anunciar a novidade.

O novo botão do Google Assistant poupa o usuário de ter que usar a barra de navegação ou ter que pressionar o botão de “início” para iniciar a ferramenta. Com um botão físico o dispositivo fica muito mais claro e o uso passa a ser mais intuitivo.

Com um toque você abre o assistente. Com dois, abre as funções visuais com a sua localização, a rota que deve seguir, sua agenda etc. Com um toque pressionando o botão por mais tempo, você pode dar comandos de voz maiores, inclusive, pode ditar textos.

Busca por voz em dispositivos Go e KaiOS

A ideia é que o botão facilite tudo o que for relacionado aos comandos de voz. E, para que essa modalidade seja a mais eficiente possível, o Google anunciou que vai ativar essa possibilidade nos sistemas de operação Android Go e KaiOS.

Tanto o KaiOS como o Go são vistos como sistemas operativos de dispositivos de baixa gama, porque conseguem operar em aparelhos de pouca memória.

No entanto, isso é, precisamente, o que os fazem tão interessantes. Eles buscam se popularizar nos chamados mercados emergentes, principalmente na Índia.

Dessa forma, o acesso dessa função em aparelhos mais baratos se torna mais democrática, ao mesmo tempo que elimina a barreira de dificuldade de escrever em dispositivos não tão bons.

Novos idiomas no aplicativo

Na verdade, o assistente não é uma invenção do Google, mas uma inspiração em algo que já existia — o próprio botão do assistente da Samsung. Mas, por que não funcionava para esse dispositivo?

Porque a Samsung não tem o mesmo conhecimento do usuário que o Google e o assistente não funciona em espanhol.

Graças ao sistema KaiOS você pode alterar o idioma das conversas e traduzir. E o foco não é, unicamente, que você pode falar em mais de 30 idiomas, mas sim que ele tem a capacidade de compreender dois idiomas ao mesmo tempo.

E pensando no gigantesco mercado da Índia, o assistente também fala outros idiomas locais, como:

  • Marathi;
  • Bengalí;
  • Tamil;
  • Telugu;
  • Gujarati;
  • Kannada;
  • Malayalam;
  • Urdu.

Pelo que pudemos ver no MWC Barcelona, ter um assistente é a tendência — e o Google não deixa de avançar nesse rumo.

Sendo assim, aproveite as oportunidades da tecnologia e se converta em um especialista no tema! Baixe nosso e-book e domine o Google.

Kit Domine o Google
Scroll to text: atualização do Google Chrome promete mudar forma de fazer link building

Scroll to text: atualização do Google Chrome promete mudar forma de fazer link building

Novo recurso do Google Chrome permitirá link para trecho específico de uma página. Entenda como isso pode impactar na forma de fazer link building.

Um dos principais pontos dentro de uma estratégia de Marketing de Conteúdo é o link building. Essa técnica, que influencia diretamente o rankeamento no Google, pode medir a relevância e popularidade de um domínio na internet.

Hoje, os links são feitos em palavras ou frases de um texto e direcionam o leitor até outra página que discorra sobre o assunto.

Em um futuro próximo, o link building ganhará novas permissões.

O Google Chrome está trabalhando em um novo recurso que permitirá ao usuário fazer um link direto para um trecho específico de uma página.

Será como o Youtube, que já permite criar links com o ponto específico que você quer o vídeo começando.

Por exemplo, se você quer compartilhar um vídeo, para que as pessoas vejam o que acontece a partir do minuto 3, consegue criar um link que leva o vídeo a abrir exatamente neste ponto.

Agora, isso será possível também em textos.

Continue a leitura e entenda mais sobre essa nova função.

Função scroll to text

A nova função do Chrome, chamada de Scroll to Text, permitirá que sejam criados links direcionando a trechos e parágrafos de outras páginas

Essa configuração aparecerá em um fragmento da URL, que permitirá aos usuários encontrar rapidamente o trecho do conteúdo que merece destaque.

A função, inicialmente pensada para o GitHub, está passando por modificações para atender aos usuários do Chrome.

No entanto, a própria página do GitHub oferece diversas explicações de como será o funcionamento da nova ferramenta.

Ao fazer referência para um trecho específico de uma página, é desejável ser capaz de linkar diretamente para o trecho. E, hoje, esse tipo de ação não é permitido.

Os usuários, para contornar esse problema, compartilham capturas de tela com trechos mais relevantes do conteúdo ou dão instruções de qual parte do texto a leitura deve começar.

Além de diminuir o engajamento do público com a página de referência, essa barreira dificulta ainda mais a navegação via celular, em que fica mais difícil rolar a página até certos trechos.

O GitHub, propõe, então, que os usuários sejam capazes de linkar um trecho direto ao conteúdo, permitindo que os leitores engajem diretamente com a publicação original

Essa alteração — que aparecerá como uma nova flag no Google Chrome — deve ficar disponível para os usuários do Chrome Canary nas próximas semanas.

Scroll to text nos mecanismos de busca

Nos mecanismos de busca, essa função poderia facilitar ainda mais a procura dos usuários.

Conforme exemplo do GitHub, ao fazer uma busca no Google, será possível encontrar um link para “pular” direto para a página que se procura.

No exemplo dado pela plataforma de hospedagem ao fazer uma busca pelo discurso “Gettysburg Address”, do ex-presidente americano Abraham Lincoln, para saber quais foram as fontes de inspiração de sua fala, é possível encontrar um link da Wikipédia com a opção de seguir direto para o intertítulo que explica a intenção da busca.

Busca por "Lincoln Gettysburg Address source" no Google Intertítulo com busca feita no Google

Como o scroll to text funcionará

Para que esse mecanismo funcione, o GitHub propõe que se codifique um texto snippet no fragmento de URL, prefixado com o “targetText=”.

Considerando que o texto pode ter caracteres inválidos na URL, como espaços, o texto precisa estar codificado com percentual.

Por exemplo: “#targetText=My%20Heading” indicaria que a primeira ocorrência da expressão “My Heading” na página estaria selecionada para ser um link.

Em casos em que o trecho a ser linkado seja muito longo, existirá uma forma de reduzir a URL, para que ela não fique muito longa e interfira diretamente na estratégia de SEO. Isso acontecerá por meio de um código de início e fim — startPiece.*endPiece.

Para especificar o texto snippet dessa forma, basta colocar dois trechos ao targetText, separados por vírgula. Veja este exemplo:

www.example.com#targetText=the%20lazy%20dog,brown%20fox

Esse link levaria ao trecho “The lazy dog jumped over the quick brown fox”.

Como o scroll to text pode mudar a forma de fazer link building

A mudança é excelente para a experiência dos usuários, otimizando a forma como eles encontram certa informação de forma mais prática e direta.

Mas essa mudança não promete mudar apenas os usuários. Ela pode ser um fator de grande mudança para SEOs em todo o mundo.

Afinal, agora um conteúdo específico seu pode receber diversos backlinks externos para um trecho específico, aumentando o número de textos âncora que apontam para aquele texto e o número de palavras-chave que aquele mesmo conteúdo pode rankear.

Por exemplo, dentro do nosso guia completo de SEO, temos uma parte que explica sobre a importância de URLs amigáveis.

Dificilmente qualquer pessoa linkaria para esse texto apenas para que o leitor encontrasse esse parágrafo. O que limitava bastante os textos âncora que apontavam para aquela página.

Com a mudança esse conteúdo pode receber links apontando para diversos tópicos:

Trecho do guia completo de SEO, sobre URLs amigáveis.

Aumentando o volume de backlinks para as suas páginas, mostrando ao buscador como o seu conteúdo pode responder diversas dúvidas dos leitores e aumentando a autoridade da página.

A mudança promete incentivar ainda mais a produção de conteúdos cada vez mais completos e que destrincham um tema de forma completa.

Vale lembrar que com a mudança acontecendo o próprio Google já pode responder suas buscas destacando apenas esses trechos específicos direto na SERP.

Otimizar os seus guias para long tails nunca se tornou tão importante.

Acha que a mudança vai realmente impactar as estratégias de Link Building? Compartilhe os seus pensamentos nos comentários.

Conteúdo baseado em Chrome Story.

o que é seo
Como o curso marta garcia obteve 80% da receita via blog

Como o Curso Marta Garcia gera 80% da sua receita por fontes orgânicas

É realmente inspirador ver histórias como a do Curso Marta Garcia. Histórias que mostram como o marketing digital e de conteúdo podem mudar o rumo de uma empresa e impactar a vida de milhares de pessoas.

Neste case, você vai entender como as estratégias de marketing digital que o Curso Marta Garcia empregou em seu dia a dia levaram a empresa ao próximo patamar no mercado de cursos de proficiência em inglês.

Vai entender os desafios e vitórias de uma estratégia de marketing de conteúdo, e como isso reflete no ânimo de profissionais e no resultados de uma empresa. E, principalmente, vai entender como o Curso Marta Garcia já adquiri 80% de sua receita por meio de vias orgânicas.

O que é o Curso de Línguas Marta Garcia?

Com cursos de inglês voltados principalmente para pessoas que desejam se aplicar para mestrados e doutorados, o Curso de Línguas Marta Garcia surgiu da experiência e método de ensino da Professora Marta Garcia, 15 anos atrás.

Marta, que já era professora a 15 anos, decidiu reunir seus conhecimentos em um curso presencial para alunos que iriam realizar exames de proficiência em inglês instrumental.

Com uma metodologia que busca aprendizado rápido e eficiente, os alunos são capacitados para não só serem aprovados em exames para mestrado e doutorado, como também ler artigos acadêmicos com mais desenvoltura e velocidade.

Por trás do conhecimento e capacidade didática da Professora Marta, seu filho, João Garcia, cuidava da parte administrativa do negócio, buscando soluções para geração de matrículas.

Durante os primeiros 10 anos de empresa, o curso era dado presencialmente, em Fortaleza, onde ainda está a estrutura física do Curso Marta Garcia.

Mas, com o modelo de curso validado, João sabia que o online era a melhor forma de expansão do negócio. Em 2013 ele decidiu interromper seus projetos paralelos para se dedicar integralmente ao projeto de levar o curso para todo o Brasil.

Foram 6 meses de projeto até ter o curso disponibilizado em uma plataforma online e pronto para receber alunos.

E o resultado? Um número inexpressivo de cursos foi vendido. Eles tinham o produto e a plataforma, mas não conseguiam ligar a oferta com a demanda.

O desafio

João precisava de formas para gerar oportunidades para o curso online, e foi nesse momento que começou a pesquisar sobre marketing digital.

Decidiu investir em uma ferramenta que já conhecia, o Google Adwords (hoje Google Ads), para gerar novas matrículas. Com a chegada de novas oportunidades ficou claro que o Curso Marta Garcia precisava de uma estrutura melhor para gerar e trabalhar leads.

A empresa contratou o plano mais simples de uma ferramenta de automação, e começou a gerar landing pages para suas campanhas de mídia paga, além de trabalhar com email marketing para sua base.

Entrando no mundo da automação de marketing, João começou a entender o processo de aquisição de oportunidades orgânicas por meio de conteúdo. Ele se interessou cada vez mais pelo marketing digital, e decidiu que era o momento de começar uma estratégia de conteúdo.

Assim nasceu o blog do Curso Marta Garcia, focado em levar conhecimento para uma alunos que buscavam proficiência em inglês instrumental.

Com menos de 2 meses de estratégia e por volta de 6 conteúdos publicados, João abandonou a produção de novos conteúdos.

Você pode estar cansado de saber que marketing de conteúdo é uma estratégia a longo prazo, e que resultados imediatos são raros e enganadores.

Mas, naquele momento, João ainda era iniciante em marketing digital, e a necessidade de gerar resultados em vendas impactou em sua decisão de parar.

Afinal, se uma estratégia não deu resultado em dois meses, por que levar adiante?

Os conteúdos pararam, mas o interesse por marketing digital não. João continuou procurando soluções para sua empresa, consumindo conteúdos e indo a palestras. Em especial, um tema o chamou a atenção: SEO.

A Rock Content já estava em seu radar, por suas pesquisas sobre marketing e vendas, mas neste momento João destacou a importância que os conteúdos da Rock tiveram em seu aprendizado.

Após muitos blog posts, ebooks e até uma palestra do Peçanha no RD on the Road, ele resolveu que precisava insistir com seriedade em uma estratégia de conteúdo.

Só com um bom posicionamento no Google, e geração de oportunidades orgânicas, seria possível implementar um modelo de receita previsível, como ele desejava.

Entendendo que precisava de uma estratégia consolidada, o Curso Marta Garcia fechou uma parceria de conteúdo com a Rock Content.

A Parceria

João tinha um objetivo bem claro em mente:

“A ideia inicial era começarmos a produzir conteúdos de forma sistemática e estratégica trabalhando todas as etapas do funil (topo, meio e fundo) e implementar a estratégia de link building interno para fazer o lead avançar no funil através dos conteúdos.”

João Garcia, Diretor de Marketing

Ele conta que ainda no processo de entrada deles na Rock, um consultor entrou em contato por telefone, fazendo uma análise de quesitos básicos no site do Curso Marta Garcia que estavam atrapalhando seu ranqueamento.

Após corrigi-los, João percebeu uma pequena melhora em seus resultados de tráfego. Ele colocou essa como uma pequena vitória a curto prazo. E atenção: são essas vitórias que constroem o resultado final desse case.

Apesar de já possuir uma persona, insistimos que o estudo fosse refeito, levando em conta aspectos mais profundos de comportamento e interesse. A partir daí teve início a produção de conteúdos para o blog, com foco em gerar oportunidades para o Curso Marta Garcia.

Apesar da frequência de postagem, e toda a estratégia de SEO por trás, João percebia que seus resultados ainda vinham primordialmente de mídia paga.

Mesmo já tendo ampliado muito seu conhecimento sobre marketing digital, o sentimento de que os resultados orgânicos não estavam aparecendo o incomodava muito, e durante os primeiros meses de estratégia ele esteve bem perto de interromper mais uma vez sua produção de conteúdo.

Com conversas com a equipe da Rock, e também dos outros parceiros de marketing, João entendeu que abandonar a estratégia naquele ponto era desperdiçar o dinheiro investido até então, e abrir mão da estrutura de ranqueamento que ele estava construindo.

E como o tempo é o melhor amigo do marketing de conteúdo, os resultados começaram a aparecer.

Os Resultados

Mais uma vez foram pequenas vitórias que levaram o João a retomar seu ânimo na estratégia de conteúdo.

Como todo bom fã do Google Analytics, ele acompanha com frequência seus indicadores por meio de dashboards e do app da ferramenta. Um dia ele notou um aumento no tráfego fora da curva.

Ao rastrear de onde vieram as novas visitas, percebeu que um de seus artigos chegou às primeiras posições da SERP!

SERP para mestrado à distância

Isso voltou a acontecer nas semanas seguintes, e ele viu suas posições no Google subirem de mês a mês.

Por exemplo: seu artigo sobre os melhores mestrados a distância aceitos pelo MEC ganhou o featured snippet para a palavra-chave ‘mestrado a distancia’, gerando um aumento enorme das visitas em seu blog.

O post sobre os phrasal verbs mais usados na língua inglesa teve um resultado semelhante.

Com isso chegaram mais acessos, foram gerados mais leads e foram vendidos mais cursos. As pequenas vitórias diárias levantaram a moral do João e sua equipe, e ele mergulhou de cabeça no marketing de conteúdo.

Contratou o SEMrush e tomou as rédeas do planejamento de pautas. E assim os resultados apareceram:

“Quando contratamos a Rock Content tínhamos uma média de 20 mil sessões por mês.

Estamos atualmente com uma média de 120 mil sessões.”

E melhorar o topo do funil refletiu em toda a empresa, com um aumento de aproximadamente 200% no faturamento, comparando o início de 2019 e antes da parceria com a Rock Content.

E, de todo o faturamento da empresa, 80% vem de fontes orgânicas. Isso é o maior indicativo do sucesso da estratégia de Inbound Marketing e dos conteúdos divulgados no blog.

A empresa vem se destacando não só como parceira da Rock. O Curso Marta Garcia alcançou resultados e virou estudo de caso com vários de seus outros parceiros.

Com uma estrutura de geração de oportunidades orgânicas rodando, João se dedica a aprimorar a estratégia, sempre pensando em novas formas de levar valor para seu público potencial e melhorar ainda mais seus resultados.

E aqui é preciso destacar o valor que isso gera para uma estratégia de conteúdo que desenvolvemos.

Quando um cliente chega ao nível de envolvimento que o João teve, a estratégia ganha uma pessoa a mais na análise, planejamento e desenvolvimento de ações, mas com todo o conhecimento que só alguém que está dentro da empresa pode oferecer!

Ele dedicou seu tempo à rotina de marketing que geraram estes números a longo prazo.

O exercício diário de SEO on Page, checando fatores de ranqueamento com o plugin Yoast, por exemplo, não trouxe resultados da noite para o dia. Foram as pequenas vitórias, as posições conquistadas e as melhoras em taxas de conversão que construíram os resultados finais.

Este case mostra o impacto que do marketing digital para uma empresa que entendeu e investiu em uma estratégia, que sabiam que poderia os levar para o próximo nível. E como este existem outros.

Quer se tornar um case de sucesso? O primeiro passo é começar!

Agendar consultoriaPowered by Rock Convert


Facebook planeja integrar Messenger, Instagram e Whatsapp para troca de mensagens

Facebook planeja integrar Messenger, Instagram e WhatsApp para troca de mensagens

O Facebook planeja integrar os aplicativos Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp para troca de mensagens entre si — segundo informação do jornal The New York Times.

A força-tarefa, criada para integrar as três redes, trabalha para unificar a infraestrutura base de envio de mensagens, permitindo que os usuários cruzem informações pelos aplicativos. Essa integração não afetará a funcionalidade de cada um dos apps, que continuarão trabalhando paralelamente.

No futuro, um usuário do Facebook poderá mandar uma mensagem criptografada diretamente para alguém que tenha conta apenas no WhatsApp, por exemplo.

Hoje, apenas o WhatsApp conta com a criptografia de ponta a ponta, que garante o sigilo dos conteúdos enviados. No entanto, Mark Zuckerberg exige que isso seja replicado em todas as redes, como medida de segurança.

Segundo o jornal norte-americano, essa mudança ainda não tem data fixa, mas a expectativa de lançamento é entre o final deste ano e princípio de 2020.

O objetivo, ao permitir esse cruzamento de mensagens, é aumentar o engajamento do público. Segundo pesquisas do portal Statista, o Facebook é a rede social com maior quantidade de usuários. WhatsApp, Facebook Messenger e Instagram ocupam a terceira, quarta e sexta posições respectivamente.

Redes sociais mais usadas no mundo

Retirado de Statista

Com a integração, certamente Zuckerberg está pensando em manter todos esses usuários dentro de seus aplicativos, usando deles como principal serviço de troca de mensagens.

Dessa forma, será possível abrir grande vantagem em relação aos concorrentes, como o Imessage, da Apple, e os aplicativos de troca de mensagem do Google.

O maior engajamento do público pode resultar no aumento do leque de propagandas e de formas de ganhar dinheiro com as redes sociais.

Segundo o The New York Times, a empresa ainda não definiu quais serão as novas ofertas, mas entende que, pela combinação das plataformas, uma possibilidade será cobrar uma taxa dos usuários que queiram fazer dali um espaço de publicidade.

Entenda como a integração pode impactar no seu negócio

A integração das redes sociais pode facilitar — e muito — a vida de quem aposta nas estratégias de marketing digital. Isso porque não será mais necessário iniciar a conversa com um consumidor em potencial em uma rede e ter de trocá-la para outro meio.

Todas as informações poderão ser repassadas, independentemente do aplicativo, garantindo agilidade e uma menor ocorrência de perda de informações no processo.

E se você ainda tem dúvidas de como fazer marketing nas redes sociais, não deixe de conferir nosso guia completo sobre o assunto!

ebook marketing nas redes sociais

Instagram Creator Accounts

Instagram tem nova atualização: Contas especiais para produtores de conteúdo e celebridades

Nos últimos dias, o Instagram lançou um novo tipo de conta, chamada Creator Accounts, destinada a melhorar a experiência na plataforma de influenciadores digitais, celebridades e criadores de conteúdo.

Essa nova modalidade de conta permite aos usuários high profile filtrar mensagens diretas (directs) e obter análises mais detalhadas sobre seus seguidores.

Por enquanto, a atualização está sendo testada com um grupo pequeno de usuários e será lançada no ano que vem, de acordo com o The Hollywood Reporter (THR).

Segundo entrevista do gerente de produto do Instagram ao THR, “cada vez mais, os criadores de conteúdo confiam no Instagram para se conectar com seguidores e aumentar suas marcas pessoais.

No entanto, as ferramentas disponíveis atualmente para as empresas dificultam o acompanhamento do crescimento e engajamento delas ao longo do tempo.

Estamos criando a nova Creator Account que ajudará a resolver alguns desses desafios e tornar mais fácil aos criadores crescerem suas marcas pessoais no Instagram”.

A verdade é a que essa atualização veio em boa hora!

Com as ferramentas que a plataforma disponibiliza atualmente, se tornou um desafio para influenciadores e celebridades estabelecer conexões com potenciais patrocinadores e outros contatos comerciais.

De fato, o Instagram não oferecia a esse público uma experiência personalizada.

CONTEÚDOS RECOMENDADOS
👉 Instagram vai eliminar curtidas, comentários e usuários fakes da plataforma!
👉 7 ferramentas para fazer um relatório de Instagram impecável
👉 17 ferramentas para Instagram que todo profissional de marketing precisa conhecer

Quais são os novos recursos que essa nova modalidade de conta oferece?

  • Filtros de qualidade para mensagens diretas (directs), o que significa que os criadores de conteúdo podem limitar quem tem a capacidade de contatá-los.
  • Insights de crescimento, como dados diários e semanais sobre a contagem de follows e unfollows.
  • Rótulos flexíveis que permitem aos usuários designar como desejam ser contatados.
  • Classificação das solicitações pendentes por relevância ou tempo para garantir que solicitações importantes não sejam perdidas.
  • Filtros para mensagens diretas (directs), permitindo que os criadores classifiquem suas mensagens em lidas, não lidas e sinalizadas.
  • Análise dos Stories e IGTV, permitindo que os criadores vejam o conteúdo que eles criaram e possam entender o que pode ter levado a um aumento ou redução na contagem de novos seguidores.

Guia do IGTV para Empresas

Atualmente, o Instagram fornece algumas análises para contas de negócios, mas não com os detalhes que estariam disponíveis para usuários Creater Account.

E análises detalhadas são importante! Não apenas porque permitem que os titulares de contas avaliem o efeito de seus conteúdos com mais precisão, mas especialmente porque a falta de análises sofisticadas tornou indiretamente algumas contas mais vulneráveis a serem invadidas.

Diversas ferramentas de terceiros surgiram oferecendo os tipos de análises detalhadas que o Instagram não oferecia.

Contudo, hackers passaram a falsificar muitos desses sites. Assim, ao oferecer análises mais detalhadas, o Instagram será capaz de fornecer uma alternativa para esses serviços às vezes duvidosos.

Com essa atualização, o objetivo da nova ferramenta é dar aos influenciadores e celebridades mais controle sobre sua experiênciano aplicativo, da mesma forma que o Twitter fez com os usuários verificados. Isso demonstra que agora o foco da plataforma está voltado para esse público.

E esse esforço deve fazer com que o Instagram se torne uma plataforma mais atraente para esse público, além de armá-lo para competir com o Snapchat.

Ashley Yuki, gerente de produto do Instagram observa que os criadores são “uma parte importante de nossa comunidade”.

E continua: “Queremos ter certeza de que o Instagram é o melhor lugar e o lugar mais fácil para construir comunidades de fãs e também construir marcas pessoais de criadores”.

Se você quer saber mais sobre o Instagram e sobre como ele poder ser útil em sua estratégia de marketing digital, baixa nosso Ebook Marketing no Instagram e esteja um passo à frente dos demais.

site kit by google

Google anuncia plugin com integração com Analytics, Search Console e muito mais

O Google anunciou um novo plugin para WordPress que fornece insights das ferramentas da empresa para usuários da plataforma.

A novidade promete facilitar a experiência dos usuários da marca. Confira mais sobre a ferramenta abaixo.

Chamado de Site Kit by Google, o recurso permite que o acesso a informações como Buscador do Google, Analytics, AdSense e PageSpeed Insights (que identifica possibilidades de otimização para seu site), tudo isso pelo painel de administrador do WordPress.

Como funciona o Site Kit by Google?

A empresa apresentou a novidade por meio deste comunicado:

“Com o Site Kit instalado, os usuários do WordPress podem acessar, de maneira unificada, insights, possibilidades e produtos do Google diretamente por meio do painel de administrador do WordPress. O Site Kit também fornece links para os produtos do Google para relatórios avançados e configuração de uso.”

O Google vai lançar a funcionalidade para testes beta no início de 2019. Usuários interessados em instalar o plugin pode se inscrever para uma versão teste aqui.

Esse recurso não adiciona novos insights aos que já estão disponíveis nas ferramentas do Google, mas ele torna muito mais fácil o acesso a estes recursos.

Por exemplo, os usuários podem navegar para uma página em seu website e clicar no botão Site Kit no painel do administrador para ver informações daquele domínio, em específico.

plugin do google 1

O plugin ainda notifica o usuário quando atingir marcos de publicação e mostra algumas estatísticas para os posts recém-publicados.

plugin do google 2

Os planos do Google para expandir as possibilidades e integrações do Site Kit no futuro vão se basear no feedback dos usuários da versão beta.

Gostou da novidade? Então aproveite também para já ir melhorando os seus conhecimentos sobre as plataformas da empresa, como é o caso do Google Analytics!

Guia Completo do Google Analytics

Conteúdo traduzido e adaptado de artigo do Search Engine Journal.

falha de segurança do quora

100 milhões de usuários têm seus dados vazados por falha de segurança do Quora

O Quora é uma rede social de perguntas e respostas, em que usuários se ajudam resolvendo questões dos mais diversos assuntos.

Essa plataforma estreou sua versão em português em 2018, apesar de já ter 8 anos de existência.

Mas nosso objetivo aqui não é falar sobre a sua estreia no país, mas sim sobre como nem ela escapou da onda de vazamentos de dados que afetou as maiores redes sociais neste ano.

Por isso, continue com a gente e saiba mais sobre a quebra de segurança que afetou mais de 100 milhões de usuários.

Como ocorreu o vazamento de dados do Quora?

Em um comunicado oficial, o Quora anunciou que a falha que ocasionou o vazamento das informações dos usuários foi causado por um acesso externo não autorizado ao sistema da empresa.

O anúncio foi feito pelo CEO da plataforma, Adam D’Angelo, em um email enviado aos usuários da plataforma e também por meio do blog do Quora.

Ele afirmou que os times de segurança interna e uma empresa líder em perícia digital e segurança online estão investigando o caso. As autoridades oficiais responsáveis também foram notificadas.

A companhia acredita ter identificado a origem do vazamento e está tomando providências para resolver o problema, e enquanto a investigação está em andamento, continuará fazendo melhorias de segurança.

O Quora ainda explicou que perguntas e respostas feitas de maneira anônima não foram afetadas pelo vazamento, uma vez que o site não registra dados de pessoas que realizam postagens não identificadas.

A companhia está, no momento, notificando usuários que tiveram dados comprometidos e desconectando todos os perfis que possam ter sido afetados como medida de precaução.

Além de invalidar as senhas de tentativas de acesso posteriores aos vazamentos (para impedir acessos indevidos às contas). Um FAQ sobre as medidas sobre o vazamento está disponível aqui.

Quais foram as informações afetadas?

De acordo com a empresa, os dados que podem ter sido capturados são:

  • Informações do usuário e conta, nome, email, IP, identidade do usuário, senha, configurações da conta, dados personalizados
  • Ações públicas e conteúdos incluindo rascunhos, perguntas, respostas, comentários, blog posts, e upvotes (recurso semelhante ao “curtir”).
  • Dados importados de outras redes sociais autorizadas por usuários, contatos, informações demográficas, interesses, tokens de acesso (já invalidados)
  • Ações não públicas, solicitações de resposta, downvotes (reação negativa)
  • Conteúdo não público, mensagens diretas, sugestões de edição

Dados financeiros foram afetados?

Em outro artigo na página de ajuda da empresa eles disseram que estão confiantes que nenhuma informação de natureza financeira dos parceiros foi comprometida.

Alguns tokens associados ao processo de pagamento de serviços fornecidos pela companhia foram “temporariamente comprometidos”, mas o Quora confirmou que nenhum dos tokens desta categoria foi usado desde o incidente e nenhuma informação financeira foi alcançada.

Todos os usuários com contas a pagar também tiveram seus tokens de acesso resetados. Nenhuma informação financeira pessoal está, no momento, vulnerável.

Será que o vazamento de dados vai continuar sendo um dos grandes vilões no ano de 2019?

Comente abaixo qual sua opinião sobre a segurança de dados online! E acompanhe nosso blog para ficar por dentro das notícias sobre redes sociais.

Conteúdo traduzido e adaptado de artigo no TechCrunch

Instagram vai eliminar fakes

Instagram vai eliminar curtidas, comentários e usuários fakes da plataforma!

A possibilidade de comprar fama e resultados de Marketing Digital no Instagram pode estar com os dias contados! O aplicativo está lançando uma atualização com o objetivo de eliminar seguidores e likes de perfis falsos.

Uma grande parte das curtidas e followers estavam sendo adquiridos por meio de ferramentas externas, que prometem promover sua presença na plataforma.

Essa ação segue uma tendência em curso das redes sociais que estão, cada dia mais, preocupadas em minimizar os efeitos causados pelos perfis falsos nas plataformas.

No pronunciamento dado pela empresa eles explicam:

“Nos últimos tempos, todos vimos casos de usuários que utilizam aplicativos para crescer a audiência no Instagram de maneira artificial. Todos os dias as pessoas vem ao Instagram para ter experiências reais, incluindo interações genuínas.

É nossa responsabilidade assegurar que essas experiências não sejam interrompidas por atividade não autêntica. Começando hoje, nós vamos começar a remover likes, seguidores e comentários de contas falsas que usam aplicativos externos para potencializar sua popularidade.

Nós desenvolvemos ferramentas de machine learning para ajudar a identificar contar que utilizam esses serviços e remover essa atividade inautêntica.

Esse tipo de comportamento é ruim para a comunidade, e aplicativos externos que geram curtidas, comentários e seguidores falsos violam as Diretrizes da Comunidade e Termos de Uso.”

Isso deixa claro a importância de aprender a ganhar seguidores no Instagram, pela qualidade das suas postagens.

Ebook Instagram Stories

Quais as consequências para os usuários?

Isso pode significar um problema para alguns usuários. Por meio de investigações, a empresa descobriu que os serviços aquisição de seguidores e likes são amplamente utilizados pelas plataformas sociais.

O que agrava essa situação é o fato de que número de seguidores é  usado como um status simbólico na plataforma.

Afinal, a popularidade da rede é medida, em grande parte pelo número de followers.

Pensando nisso, profissionais que trabalham com redes sociais obviamente querem que seus clientes tenham mais seguidores do que a concorrência.

Assim, dá para entender como funciona a lógica da compra de seguidores e curtidas.

Alguns segmentos, como as agências de modelos, recusam-se trabalhar com clientes que não alcancem um número mínimo de seguidores nos perfis pessoais do Instagram.

Isso tudo intensifica a  atividade dos perfis fake — e quando você inclui Marketing de Influência nessa conta, é fácil perceber porque esses serviços “milagrosos” se tornaram tão populares. Afinal, o Instagram permite gerar receita com base no tamanho da sua audiência!

E o acesso a tudo isso é muito simples — uma busca rápida no google por “comprar seguidores no Instagram” resulta no surgimento de algumas das ferramentas “autênticas”.

O Instagram também percebeu que muitos desses apps usavam as contas dos usuários para alimentar atividades futuras — como curtir e seguir outras contas na plataforma. A empresa também planeja reverter esse quadro, eliminando esse tipo de atividade.

Todos esses são movimentos importantes para o Instagram, particularmente dado à crescente do marketing com influencers.

O Facebook, por exemplo, está trabalhando para tornar o trabalho com influenciadores mais transparente com ferramentas como Anúncios de Conteúdo de Marca  e seu Gerenciador de Colaboradores da Marca, que têm a proposta de conectar empresas à pessoas relevantes na plataforma para divulgação.

Dado à facilidade de adquirir serviços de influencers, Facebook e Instagram sabem que eles precisam fazer mais para assegurar que o serviço oferecido por eles está gerando resultados reais para fazer valer o investimento.

Do contrário eles perdem credibilidade e dinheiro investido, o que, claramente, é ruim para os negócios de uma maneira geral.

Todas as redes sociais estão trabalhando mais nesse esforço de resolver este problema – o Twitter está removendo contas falsas com uma precisão maior do que nunca e o LinkedIn está aprimorando seu processo para remover conteúdos spam.

Mas o Instagram, que demonstra ser a plataforma com o maior possibilidade de investimento em marketing, é um dos locais que apresenta uma demanda mais urgente.

Enquanto é trabalho das marcas se aprimorar para identificar os usuários com influência genuína sob o público buscado, qualquer participação que as plataformas puderem ter nesse processo já é um facilitador.

O Instagram ainda informa que outros updates virão nas próximas semanas como parte das medidas adicionais que estão sendo tomadas para diminuir a atividade inautêntica na plataforma.

E aí, essa mudança vai impactar seu perfil?

Qualquer que seja a resposta, fica bem claro que o melhor caminho é conquistar seguidores de verdade, por isso, não deixe de conferir o nosso material completo sobre como melhorar os seus resultados orgânico no Instagram:

Como melhorar seus resultados orgânicos no Instagram ebook

erros métricas de videos do facebook

Erros nas métricas de vídeos é a nova acusação contra o Facebook

Definitivamente o ano de 2018 já ficou marcado na história do Facebook, e não foi de maneira gloriosa.

Com histórico de vazamento de dados, fotos do fundador Mark Zuckerberg com príncipe saudita polêmico, suspeita de uso indevido da rede social para interferências em eleições ao redor do mundo e milhares de processos se acumulando tomaram as manchetes de portais de notícias.

A pauta da vez agora é um erro no cálculo das visualizações de vídeos publicitários que, segundo o processo, não comunicado à época da descoberta.

A medição que exagerava erroneamente a contabilização de visualizações de vídeos na plataforma teria sido identificada por seus funcionários em janeiro de 2015, mas só noticiada aos seus usuários e corrigida em 2016.

O Facebook nega que tenha identificado a falha no ano anterior ao seu anúncio oficial, e diz não haver mérito no processo que foi aberto e é movido por um grupo de anunciantes intitulados como LLE One.

Facebook declarou que a sugestão de que haviam tentado esconder a falha era falsa, e que uma vez identificada, a mesma foi noticiada aos seus usuários corporativos, atualizando também seu Guia de Ajuda com a explicação do ocorrido.

Entenda como funciona a métrica de visualização de vídeos

Os usuários corporativos do Facebook usam os recursos de vídeos para promover seus anúncios com o objetivo de conquistar maiores alcances, envolvimento e conversões de seu público-alvo.

O processo de publicação é simples, intuitivo e muito semelhante ao de impulsionamento de imagens.

Uma audiência é definida para determinar quem serão os usuários que receberão o vídeo em sua timeline e o orçamento estipula como o valor total do investimento será distribuído as visualizações durante o período de divulgação.

Na otimização da campanha é possível determinar que a cobrança somente será feita se o usuário assistir mais de 3 ou 10 segundos do vídeo ou 97% de sua duração total, dependendo de seu tamanho.

Essa é a maneira de cobrança recomendada pelo próprio Facebook, inclusive. Assim, se um usuário interrompe a visualização do vídeo de um minuto nos primeiros 5 segundos, esse evento não será abatido no orçamento estipulado pela empresa.

A cobrança e contabilização das visualizações, no entanto, é realizada a partir de uma média que seria o equivalente ao tempo total gasto assistido dos vídeos dividido pelo número total de pessoas que reproduziram o conteúdo pelo tempo mínimo estipulado.

Como esse cálculo foi inflado?

E é exatamente nesse ponto que a métrica foi inflada. Segundo o próprio Mark Zuckerberg, em 2016 foi constatado que a programação da rede social superestimava a medição das visualizações dos vídeos em 60% e 80%.

Uma medida foi tomada na época para excluir as medições inferiores a 3 segundos, mas ainda assim, a métrica continuava a ser aumentada.

Segundo a acusação, o problema é que, em vez de considerar apenas as visualizações individuais que atingiam o tempo mínimo para ser cobrado, o cálculo incluía todo e qualquer evento, e que por isso, em alguns casos, a falha alcançou o patamar de 900% de inconsistência.

Saiba quais as consequências dos fatos das acusações para os anunciantes

Um dos agravantes da acusação é de que a rede social já conhecia o fato a mais de um ano, mas não o relatou antes para evitar que boa parte de seus anunciantes deixassem a plataforma.

Além disso, muitos críticos apontam que a omissão do Facebook se deve também ao fato de seus vídeos serem pouco visualizados, e que o problema colocaria em cheque sua eficiência como plataforma para anúncios e conversões se comparado ao Youtube, LinkedIn e Twitter.

Fato é que, com o erro de cálculo, o orçamento aplicado nos anúncios era mais rapidamente consumido sem necessariamente refletir o alcance esperado.

Em outras palavras, o valor pago referia-se a uma quantidade muito menor de potenciais compradores efetivamente sendo sensibilizados pelo conteúdo.

Marketing no Facebook

Números que explicam a importância dos vídeos nas redes sociais

Investir em anúncios de vídeo é uma aposta quem tem se mostrado relevante no mundo business, e por esse motivo, as empresas estão expandindo também nos formatos de seus conteúdos.

Estudos como o relatório anual Visual Networking Index Forecast (VNI) produzido pela Cisco apontam que até 2020, 75% do tráfego total dos vídeos estarão nos dispositivos móveis.

Já o relatório do quarto trimestre e anual do Facebook de 2017 comunicou que ajustes foram realizados para diminuir a oferta de vídeos virais na timeline de seus usuários para aumentar a qualidade de seus conteúdos e maior engajamento do público.

Com essa medida, o Facebook reduziu para 50 milhões de horas e tempo gasto pelo seu total de usuários na rede, o que segundo os executivos da maior rede social do mundo, proporcionou relações mais significativas entre a comunidade e as empresas que atuam dentro dela.

Então, sejam estimativas, sejam históricos, os dados mostram que as visualizações de vídeos no Facebook e demais redes sociais ainda serão uma importante fonte de renda para elas.

Falando mais especificamente sobre a acusação enfrentada pela rede social sob o comando de Mark Zuckerberg, se for julgada como procedente, o Facebook terá cometido uma fraude grave contra seus usuários e poderá ser duramente penalizado.

Seria mais uma consequência difícil de amargar. Nos últimos meses, a rede social relatou que um ataque hacker conseguiu acessar os dados de 29 milhões de usuários.

Além disso, viu os fundadores de ferramentas que incorporou como o Instagram e o Whatsapp deixarem em definitivo seu quadro de funcionários relatando preocupação com a segurança de dados de seus usuários.

Kit Marketing nas Redes Sociais