Manual de identidade
Guia de Estilo

Introdução

Há algum tempo sentimos uma grande necessidade de definir a identidade editorial da Rock Content. Então, inspirados no incrível guia de estilo da MailChimp, decidimos criar o nosso próprio guia de estilo! Mostrar nossa cara e as coisas que valorizamos, para exibi-las em cada pedacinho de conteúdo que publicamos.

Estudamos dezenas de referências antes de criar nosso guia de estilo — inclusive, se você quer criar um para sua empresa ou busca referências para um cliente, sugerimos que também dê uma olhada no guia do Buffer. Se quiser aprender mais sobre o assunto vale também dar uma lida neste artigo.

Este guia de estilo é seu novo melhor amigo para entender como nos comportamos em cada canal — não olhe para ele como um conjunto de regras sólidas que nunca devem ser quebradas, mas sim como algo que pode te ajudar a desvendar essa figura chamada Rock Content!

Tom e voz: quem é a Rock Content?

Quem queremos ser

Queremos ser autoridade e referência quando se fala de Marketing de Conteúdo no Brasil. Buscamos a objetividade e simplicidade, sempre com muito conteúdo de qualidade. Valorizamos muito nosso senso de humor e a liberdade que temos com nossos leitores, redatores, clientes e time. Somos divertidos, mas não forçamos piadas (ninguém quer ler um texto escrito pelo tio do pavê!), deixamos que elas apareçam naturalmente. Aprendemos bem com vocês, MailChimp!

Tom e voz

Nossa voz é empolgada, amigável, informal e objetiva. Nós somos:

  • Informais sem perder a autoridade;

  • Divertidos sem perder a objetividade e seriedade;

  • Confiantes, mas não arrogantes;

  • Amigáveis sem ultrapassar os limites do bom senso;

  • Provocativos, querendo levar o leitor a tomar um próximo passo;

  • Claros como a água (David Allen estaria orgulhoso);

  • Sempre abertos a novas sugestões!

Há uma grande diferença entre voz e tom (novamente citando o Mailchimp):

Pense da seguinte maneira: você tem sempre a mesma voz, mas seu tom é algo que está sempre mudando, dependendo do contexto e da pessoa com a qual você está falando.

Então, sempre se lembre disso ao escrever algo para a Rock Content: o contexto, a pessoa e seus sentimentos e a situação devem sempre ser considerados e tidos como guia para o tom de voz que você vai usar, independente do conteúdo que você está produzindo.

Escrevendo e produzindo conteúdo para a Rock Content

Agora que você já sabe como abordamos nossos leitores e clientes, vamos explicar como fazemos isso nos nossos principais canais de comunicação.

Antes de escrever qualquer coisa, se pergunte:

  • Para quem estamos escrevendo isso? Para qual das nossas personas estamos escrevendo este artigo?

  • Qual nosso objetivo com esse conteúdo? Qual a ação que queremos provocar no leitor?

Tendo essas respostas em mente, fica bem mais fácil adaptar seu conteúdo e escrevê-lo de acordo com a nossa voz.

Redes sociais

Temos contas em quase todas as redes sociais, mas somos mais ativos no Facebook, no LinkedIn e no Twitter.

Procuramos ao máximo manter nossa objetividade nas redes sociais — preferimos ser breves e trazer o leitor para mais perto (nosso site).

  • Nós provocamos, mas não entregamos o ouro;

  • Nós perguntamos e ouvimos para entender o leitor;

  • Nós interagimos nas redes, mas trazemos as pessoas para nossa casa (nosso site e nosso blog);

  • Nós convertemos. Nossos perfis levam o leitor a tomar uma ação, dar um próximo passo na sua jornada rumo a uma estratégia de conteúdo de sucesso.

Procuramos manter a descontração e o bom humor. Respondemos comentários e sugestões com calma, receptividade e sempre procurando resolver qualquer crítica, problema e sugestão que um de nossos seguidores tenha apontado em alguma publicação. Não descartamos dúvidas, opiniões diferentes da nossa e elogios: todos são respondidos com simpatia.

Nosso site

Nosso site (se ele ainda não segue este guia, possivelmente o projeto está um pouco atrasado) fala com a nossa voz e conta nossa história. Sempre que possível, deixamos nossos clientes contarem os motivos de trabalharem conosco. Quando não são os clientes, são nossos números, nossas pesquisas e materiais educativos que saltam à vista do nosso visitante.

Vídeos

Nossa equipe sempre que possível mostra a cara em nosso canal do YouTube, não é mesmo, @pecanha?

A linguagem nesse canal também segue exatamente tudo aquilo que pregamos: educar o mercado de maneira simples e objetiva, sem enrolação e com muita vontade de ensinar. Nossos vídeos são uma conversa franca com nosso público. Didática, direta e prática.

Cases

Nossos cases de sucesso contam uma história simples:

  • Qual o desafio enfrentado pelo nosso cliente;

  • Como conseguimos superar este desafio e obter resultados positivos em conjunto.

A linguagem dos nossos cases é objetiva. Por meio de tópicos mostramos os problemas, soluções e resultados que encontramos para cada caso. Não queremos textos enormes e cheios de elogios ao nosso trabalho — isso vai contra o que acreditamos. Mostramos de maneira simples como nossos esforços foram essenciais para o sucesso de nossos clientes. Mostramos mais números que opiniões.

E-mails

Se a pessoa recebe nossos e-mails é porque ela nos deu permissão explícita para isso. É um amigo da Rock Content que pode ter nos conhecido por causa de um post de blog, um ebook ou uma peça de conteúdo que ela achou relevante. Nós segmentamos as interações:

  • Por tópico, para garantir a relevância da mensagem — os principais são:

    • Blog corporativo;

    • Marketing nas redes sociais;

    • Geração de leads;

    • Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing;

  • Por persona e atividade, para garantir que temos objetivos alinhados aos do indivíduo — as principais segmentações são:

    • Profissionais de marketing em pequenas e médias empresas;

    • Proprietários de pequenas empresas;

    • Executivos de marketing de grandes empresas;

    • Profissionais do mercado publicitário;

    • Estudantes e pessoas interessadas em aprender sobre Marketing Digital.

Nossos e-mails são:

  • Instigantes. Queremos chamar a atenção no assunto e garantir que o leitor abra nosso e-mail;

  • Curtos;

  • Focados no benefício. Exemplo: ao invés de "Lançamos um ebook fantástico de SEO com 50 páginas", usamos "Lançamos um ebook que vai ajudar o seu site a chegar na primeira página do Google!".

  • Focados em performance. Fazemos testes A/B para sempre garantir que estamos entregando o e-mail mais incrível para nossos assinantes;

  • Cumprimentamos o leitor de uma maneira divertida. Exemplo: "Hey ho, Liz!".

Aqui embaixo você consegue ver um exemplo bacana de um dos nosso e-mails:

Exemplo

Lançamento do ebook de SEO - Disparo para base segmentada de agências

Resultados
Disparado: 7.717
Entregue: 7.666
Taxa de abertura:31.9%
Taxa de Clique: 7%

Assunto: [EBOOK GRATUITO] Sua agência está na 1ª página do Google?


Rock Content

Olá (NOME DO CONTATO),

Você sabe o que é SEO?

A otimização de páginas para motores de busca é de extrema importância para quem trabalha com Marketing Digital, Marketing de conteúdo e inbound marketing.

Sem essa série de técnicas é praticamente impossível aumentar o tráfego orgânico de um blog ou site, bem como seu rankeamento nos motores de busca.

Você quer aprender o que é necessário para alcançar a primeira página do google e aumentar o tráfego de sua agência e clientes de maneira surpreendente?

Baixe agora o Guia definitivo de SEO da Rock Content, aprenda o que é SEO e como obter mais oportunidades de negócio!

Ps: foram estas técnicas que nós utilizamos na Rock Content para aumentar nosso tráfego orgânico em 615% em apenas 6 meses!

Um abraço,
Vitor Peçanha


Nossos ebooks

Ebooks e whitepapers são uma das peças chave da nossa estratégia de Marketing Digital. Nossos guias ajudam a entender e aplicar os conceitos principais de Marketing de Conteúdo.

Nossos ebooks são:

  • Práticos. Eles ensinam algo útil e implementável;

  • Lindos;

  • Organizados pela complexidade. Temos 3 níveis de complexidade: introdutório, intermediário e avançado. Todos os ebooks produzidos a partir de julho de 2015 seguem esta regra. Estamos revisitando e atualizando cada um dos ebooks já produzidos anteriormente para garantir sua adequação.

  • Simplesmente um dos melhores conteúdos já produzidos sobre aquele assunto no Brasil. Se não está entre os melhores, fale conosco o motivo e vamos melhorá-lo!

Landing pages

Fazemos uma landing page para cada oferta que produzimos. Lançamos um novo ebook? Ele terá sua própria landing page e viverá nela. Elas são feitas com o objetivo de tornar nossas ofertas ainda mais atraentes e converter (e reconverter) nossos visitantes em leads.

Sua linguagem é um pouco mais certeira: explicamos em poucos tópicos o que o leitor encontrará naquele conteúdo e como ele vai se beneficiar dele.

Aqui, as palavras-chave são objetividade e conversão.

Conversando com os clientes

Nós adoramos conversar com nossos clientes. Nossa linguagem segue o mesmo padrão deste documento, porém:

  • Preferimos conversas a e-mails (telefone & chat > e-mail);

  • Acreditamos na proatividade: buscamos responder possíveis dúvidas dos nossos clientes antes que eles iniciem o contato conosco;

  • Vamos direto ao ponto, mas nunca agimos como robôs;

  • Sempre nos colocamos na situação do cliente;

  • Sabemos dar um puxão de orelha quando necessário;

  • Somos personal trainers de Marketing de Conteúdo: motivar e cobrar faz parte da nossa missão.

  • Se não existe um conteúdo publicado sobre a dúvida do cliente, nós criamos um e enviamos para ele de volta!

Nosso blog: escrevendo para o Marketing de Conteúdo

Nosso blog é nosso maior xodó. Nós vivemos com o olho pregado no Analytics dele e estamos sempre interagindo com nossos leitores por lá. Seu principal objetivo é ser referência quando alguém quer aprender sobre Marketing Digital e Marketing de Conteúdo.

A linguagem do nosso blog é informal e procuramos explicar os assuntos da maneira mais direta possível em nossos conteúdos. Já imaginou um post sobre SEO para iniciantes cheio de complicações e uma linguagem extremamente técnica? Nós também não!

Nossos posts são planejados sempre levando em conta:

  • Nossas personas;

  • A jornada do nosso cliente.

Queremos que nossos leitores compreendam facilmente tudo que estamos tentando ensinar.

Eles podem ser produzidos:

Tipos de conteúdo

Posts educativos

São os posts mais comuns do nosso blog. Eles são, em sua maioria, explicações de conceitos e uma forma de esclarecer dúvidas e resolver problemas dos nossos leitores.

Guias

São posts completos, extensos (eles possuem mais de 2000 palavras, no geral), que buscam explicar com passos detalhados o funcionamento de algo para nossos leitores. Sua linguagem é didática e objetiva, sempre com imagens que facilitem a visualização de tudo que estamos explicando.

Alguns bons exemplos que temos desse formato de post são nossos artigos sobre o Google Analytics e o Google Search Console.

Fala, CMO

Série de entrevistas com diversos profissionais do mercado sobre estratégias, desafios e a rotina de suas empresas.

Infográficos

Conteúdo visual produzido pelo nosso time de design, com temas variados. A linguagem aqui é a mais simples possível: textos muito longos ou complicados dificultam a sua visualização.  Um bom exemplo para visualizar esse tipo de post é nosso infográfico sobre o ROI das mídias sociais.

Promoção de materiais ricos

Este tipo de post existe para a divulgação de algum material rico que produzimos, como ebooks, whitepapers ou webinars.

Esse formato de post deve ser objetivo. Ele fala em poucas palavras o assunto do material rico, como ele vai ajudar seu leitor e dá exemplos de alguns conteúdos que ele encontrará dentro do ebook.

Confira um exemplo desse formato de post aqui.

O que fazer e não fazer

Ao escrever para o Marketing de Conteúdo, tenha em mente alguns requisitos essenciais:

  • Nossos posts não são frios e formais. Escreva pensando no seu texto como uma conversa franca com o leitor.

  • Gírias são permitidas, contanto que elas sejam de conhecimento geral do público brasileiro. Evite regionalismos e tenha bom senso.

  • Evite frases e parágrafos longos. Leia seu texto em voz alta. Precisa parar para respirar? Se a resposta for sim, sua frase está longa demais.

  • Você não é a Wikipedia. Seja explicativo, mas não seja robótico.

  • Está usando um termo técnico, siglas ou palavras estrangeiras? Explique seu significado.

  • Releia, revise, reescreva. Não aceitamos erros de ortografia. E quando eles ocorrem, corrigimos na velocidade da luz.

  • Sempre use “Nós, da Rock Content, fazemos assim (...)”.

  • Faça uma referência direta ao seu leitor durante o texto. Use “você” e pense que a pessoa com quem você quer conversar está sentada à sua frente. Não se distancie do seu leitor.

  • Religião, política e assuntos polêmicos: nós realmente precisamos te dizer para não falar sobre isso no seu texto?

Gramática e ortografia

Use o bom senso e sempre revise seu texto. Ainda melhor: use o bom senso e as boas ferramentas que a internet proporciona.

Nós somos uma empresa que produz conteúdo — ainda assim, sabemos que eventualmente vamos cometer erros gramaticais e/ou ortográficos.

Nós trabalhamos duro para evitá-los e revisamos cada artigo à exaustão. Algumas ferramentas úteis para isso são:

  • Dicionários on-line gratuitos — aqui na Rock Content nós usamos o Priberam e o Aulete.

Porém, quando os erros acontecem, temos que:

  • Ser rápidos e corrigir;

  • Nos desculpar com quem apontou o problema.

Uso de imagens e referências

As imagens do nosso blog vêm de bancos de imagens pagos que assinamos e possuem autorização para uso editorial. Se você está usando outra imagem, não se esqueça de dizer onde a encontrou. Dê preferência a imagens Creative Commons e sempre faça a atribuição necessária.

SEO

Utilizamos o princípio de escaneabilidade para nossos posts. Ou seja: sabemos que a maioria dos usuários apenas “escaneiam” o texto, lendo os títulos, subtítulos, imagens e palavras destacadas. Por isso otimizamos nossos textos para facilitar a leitura da seguinte maneira:

  • Use parágrafos curtos. Blocos grandes de texto são cansativos;

  • Use subtítulos: dessa maneira o leitor sabe exatamente do que se trata aquela seção e pode escolher facilmente qual parte do texto o interessa;

  • Destaque palavras-chave e fatos importantes em negrito, para que elas chamem a atenção dos leitores;

  • Se o conteúdo permitir, escreva-o em forma de lista: elas são muito mais fáceis de ler e são facilmente compreendidas pelo leitor;

  • Sempre que possível use imagens: elas quebram a monotonia do texto e chamam a atenção do leitor.

Fatores on page que consideramos

Os fatores on page são aqueles que podem ser trabalhados dentro do próprio site ou página, e que são fundamentais para que os mecanismos de busca percebam que seu conteúdo está relacionado aos termos buscados pelos usuários.

Usamos o próprio Wordpress para essa tarefa: selecionamos as palavras-chave do post (que idealmente deverão aparecer no título principal — H1 —, na URL, no título para SEO e na metadescrição).

Título da página

O título da página (ou title) é a propriedade do código HTML, que identifica aquela frase que aparece na página de resultados dos mecanismos de busca ou na parte de cima do navegador. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, esse title não é exatamente o título do artigo.

Esse fator é um dos mais importantes quando pensamos em SEO. Por isso, é preciso descrever de forma precisa os assuntos que serão abordados naquela página. Muitas empresas caem no erro de colocar algum slogan ou frases pouco descritivas do negócio — esse tipo de prática influencia diretamente no rankeamento do seu site ou blog.

É fundamental trabalhar com um máximo de 63 caracteres, além de se atentar à ordem em que as palavras vão aparecer: as primeiras têm mais relevância para os mecanismos de busca.

Por isso, lembre-se sempre de:

  • não colocar termos separados por vírgula;

  • relacionar o título ao conteúdo da página;

  • trabalhar com um título único por página.

Meta description ou metadescrição

Apesar de não ser um fator que influencia diretamente no rankeamento daquela página, a meta description é um código que tem como função explicar para o usuário qual é o conteúdo abordado naquela página e, com isso, atraí-lo para a leitura do conteúdo. Pensando em meta description, esse é um fator que influencia consideravelmente na taxa de cliques do seu site — por isso é fundamental que ela siga algumas particularidades recomendadas para atingir bons resultados para nossas páginas. São eles:

  • Ter, no máximo, 160 caracteres;

  • Ser chamativa e ter grande poder persuasivo. Lembre-se de que esse texto pode definir de forma brusca a quantidade de cliques que sua página vai receber!

Nome e alt text das imagens

O Google não consegue enxergar a imagem da mesma forma que o usuário. Ele precisa de elementos textuais para entender do que se trata e apresentá-la como resultado em alguma busca. Por isso é preciso que, ao subir uma imagem para nosso blog ou site, você se atente a três elementos:

  • o nome do arquivo;

  • o texto alternativo;

  • o contexto.

É fundamental que o recurso textual das imagens contenha informação capaz de descrevê-las. Evite salvar imagens como “794743.jpg”. Sempre defina o assunto da imagem no título — exemplo: “flores-amarelas.jpg” —, para facilitar a leitura.

A imagem deve ser inserida junto ao conteúdo com o qual ela se relaciona. Não inclua uma imagem utilizando um Javascript ou CSS, pois os mecanismos de busca utilizam o seu HTML para identificar o assunto do texto, a imagem e a relação entre esses dois elementos.

URL da página

O endereço da página também é um dos elementos primordiais on page que influenciam no rankeamento do seu site: o Google identifica palavras-chave também na URL. Por isso, assim como nas imagens, é fundamental que ela seja descritiva e apresente o conteúdo daquela página.

Quanto mais amigável a URL, melhor!

Headings ou subtítulos

Os headings são fundamentais para identificar a prioridade dos conteúdos existentes na página. No código, é possível observar até seis headings, apresentando o conteúdo mais importante (h1) e seus subtítulos (h2 a h6).

Em geral, o título de um post é o H1, identificado no código por <h1> título do blog post </h1>. Se estiver editando um post para nosso blog tenha bastante cuidado com esse detalhe.

Conclusão

Esperamos que esse guia de estilo tenha ajudado você a entender melhor quem é a Rock Content e o que queremos atingir com o conteúdo que produzimos.

Esse não é um guia estático, que nunca irá sofrer alterações: acreditamos no poder da mudança e da constante evolução.

Consulte esse guia sempre que alguma dúvida sobre nossa linguagem surgir.

Bom trabalho e até a próxima!