Facebook Ads: O Guia Definitivo

Conquiste resultados incríveis com o Facebook Ads

Se você está lendo este guia, é porque ao menos conhece a importância do Facebook para os anúncios na web.

É simples, estatísticas estimam que, até o fim de 2016 a mídia social já possuía 1,86 bilhões de usuários ativos. Isso é um pouco mais do que um quarto de todos os seres humanos da terra. Somente na plataforma Facebook Ads, são mais de 3 milhões de empresas anunciantes.

Esses dados comprovam o crescente volume de usuários, bem como o aumento de empresas anunciantes.

Pensando nisso, caso esteja interessado em entender como estruturar uma estratégia de Facebook Advertisements — o sistema de anúncios pagos da rede — é preciso saber como aprofundar a influência nesse universo.

Neste Guia Definitivo sobre Facebook Ads, vamos priorizar o conhecimento básico e o planejamento estratégico. Por isso, caso tenha pouca ou nenhuma experiência com Ads, esperamos que você possa encerrar a leitura sentindo seguro para executar as suas campanhas.

No começo, é importante testar, experimentar e analisar todos os erros e acertos de modo a aprender. Contudo, os anúncios são pagos, e esses testes podem custar muito caro. Então, vamos nos concentrar em tirar o máximo de lições em cada falha, para investir em algo que não possa dar errado.

Por isso, queremos tornar essa experiência o mais intuitiva possível. Continue a leitura e comece a aprender já!

Facebook Ads
O que é Facebook Ads
Parte 1

O que é Facebook Ads?

Facebook Ads (ou Advertisements) é o sistema de Outbound Marketing do Facebook. Em outras palavras, é o mecanismo que exibe anúncios nas páginas dentro da mídia social. Rastreando o comportamento do usuário dentro da rede, é possível estimar quais são as suas preferências de consumo, facilitando as atividades das empresas que anunciam.
Vale lembrar, que são milhões de pessoas e empresas que passam o dia navegando pelo Facebook.

Como também sabemos, o Facebook possui uma interface que disponibiliza anúncios em diversos tamanhos e localizações da tela. Muitas vezes nossos olhos estão escaneando anúncios na rede sem sequer notarmos.

E nós, que seremos os anunciantes, podemos fazer isso manualmente no painel de controle do Facebook Ads ou usando um framework, como o Power Editor.

Quer saber mais sobre o que é o Facebook Ads? Temos algumas referências que vão te impressionar!

O que é possível fazer com o Facebook Ads
Parte 2

O que é possível fazer com o Facebook Ads?

Já entendemos que um anúncio no Facebook é uma caixa contendo texto, imagem e links posicionada dentro da mídia social. E por trás desse posicionamento, há um sólido algoritmo que possui muitos dados sobre o comportamento do consumidor.

Esse será o meio para alcançar objetivos importantes, como a geração de:

  • tráfego e conversões;
  • leads e vendas;
  • autoridade na web;
  • downloads de um aplicativo;
  • visitas à sua loja física ou evento.

Evidentemente, existem táticas e hacks para criar anúncios eficazes de acordo com cada um desses objetivos. É o que veremos a seguir.

Mas antes, conheça alguns conteúdos que vão te deixar ainda mais seguro para prosseguir a leitura!

Porque usar o Facebook Ads?
Parte 3

Porque usar o Facebook Ads?

Apesar de todas as evidências, precisamos comprovar com dados o porquê do Facebook Advertisements ser uma boa opção entre outras possíveis.

Mesmo com o fato de existirem bilhões de usuários, que passam em média 50 minutos navegando em redes sociais todos os dias (acredite, isso é muita coisa), existem algumas desvantagens.

Você já notou como no Facebook aparecem coisas que você não gostaria de estar vendo, e até mesmo de pessoas que nem estão entre seus contatos? Como anunciante, essa lógica também se aplica.

É normal que, muitas vezes o seu anúncio seja exibido para pessoas que não são relevantes para o seu funil de vendas. As limitações do algoritmo, somadas ao comportamento do usuário e ao tamanho da rede geram uma ineficiência nesse aspecto.

Além disso, o próprio Facebook demonstra um aumento na dificuldade em gerar tráfego orgânico na rede social. Assim, ele gera um incentivo para que as empresas gastem mais com advertising.

Entretanto, isso não exclui o fato de que resultados incríveis podem ser alcançados usando Facebook Ads. A sua capacidade de segmentação de marketing é extremamente versátil e precisa, já que possui filtros em relação à idade, gênero, preferências, curtidas, localização, entre dezenas de outras opções.

Então, a maior lição que podemos tirar disso é que, com a possibilidade de levar o seu negócio até a lua, a habilidade em lidar com Facebook Ads é cada vez mais necessária.

Quer entender melhor o porquê de usar Facebook Ads? Temos algumas leituras que vão te ajudar muito. Confira:

Tipos de anúncios
Parte 4

Tipos de anúncios

Geração de tráfego e conversões

  • Anúncios de domínio: é o tipo de anúncio mais simples e barato, posicionado com um cartão na coluna direita do Facebook. Não é exibido na versão móvel, e tem, em média, uma taxa de cliques mais baixa.
  • Anúncios de post de página: é um anúncio de uma publicação da sua company page, onde é possível colocar um link para o seu site, post ou landing page. Geralmente, aparece no feed de notícias ou na barra lateral, à escolha do usuário.

Geração de leads e vendas

  • Carrossel de produtos: é um catálogo de produtos deslizantes, onde o usuário pode navegar por até cinco diferentes chamadas, com link para a página de compra. Suporta anúncios em dispositivos móveis.
  • Anúncio dinâmico: utilizando um pixel rastreador em seu site, blog ou ecommerce, é possível rastrear e mapear as preferências dos usuários que navegam no seu site. Assim, a rede pode automatizar a exibição de anúncios com base nesses dados.
  • Lead Ads: com o Lead Ads você pode criar formulários de conversão diretamente no anúncio. Assim os leads são gerados em poucos cliques, sem sair do Facebook.
  • Canvas: tipo de anúncio interativo, direcionado exclusivamente para dispositivos móveis. O anunciante pode inserir até dez imagens que podem ser exploradas pelos usuários. Contudo, essa versão não permite a inserção de links.

Geração de autoridade

  • Anúncio de curtida na página: anúncio típico do facebook, em que o botão de curtida fica posicionado dentro da postagem. Este tipo de anúncio só é útil para estratégias que priorizam o aumento de likes na página.
  • Anúncio de foto do Facebook: anúncio para gerar engajamento através da imagem do post. O foco, aqui, deve ser no impacto visual da figura.
  • Anúncio de vídeo do Facebook: usando anúncios com vídeos, você pode aproveitar o poder de engajamento dos vídeos para atrair tráfego para o seu blog. Vale lembrar que a maior interação com vídeos vem de dispositivos móveis.
  • Anúncio de texto: um anúncio exclusivamente em linguagem verbal. A ideia é dialogar com o público, mas essa tática tem perdido espaço diante do conteúdo audiovisual.

Download de aplicativos

  • Anúncio de instalação de aplicativo móvel: esse anúncio oferta o download do seu aplicativo direto na postagem, através de um call-to-action. Atenção: ele é exclusivo para mobile.
  • Anúncio de instalação de aplicativo para desktop: Esta é a versão desktop do anúncio de download de aplicativo. Invisível para mobile, você pode permitir o download direto no botão do anúncio.

Atração de visitantes para a sua loja ou evento

  • Anúncio de evento: você também pode patrocinar um evento no Facebook, segmentando por demografia, preferências do público e distância do local.
  • Anúncio de oferta: um anúncio em que, ao clicar no call-to-action, o usuário receberá um email com as instruções para retirar a oferta em sua loja ou espaço físico.

Agora que você já conhece os diferentes tipos de anúncio, aprofunde os seus conhecimentos com os links a seguir:

Como criar uma campanha, conjunto de anúncios ou anúncio usando o Power Editor
Parte 5

Como criar uma campanha, conjunto de anúncios ou anúncio usando o Power Editor

O Facebook Power Editor é a ferramenta de gerenciamento de múltiplos anúncios na plataforma. Criado com o intuito de acelerar a gestão de campanhas, anúncios e conjuntos de anúncios, o aplicativo permite estruturá-los rapidamente e tomar várias ações simultâneas.

Ao acessar o Editor, clique no botão superior esquerdo e mude a função do Power Editor. Substitua o seu ID de cliente e escolha o seu nome de usuário. Ao fazer isso, abrirá uma página com uma barra lateral à esquerda. Agora, selecione a opção correspondente ao que você deseja criar:

Campanha: campanhas são focadas em alcançar objetivos finais, como aumento de alcance da marca, aumento de tráfego para o seu blog ou canal no YouTube, por exemplo. Elas contém conjuntos de anúncios que vão realizar o serviço tático de alcance desses objetivos.

Conjunto de anúncios: Ao criar um conjunto de anúncios você decidirá qual é a sua audiência, onde seus anúncios estarão posicionados e quanto você pretende gastar com eles. Ao criar vários anúncios em um mesmo conjunto, o Facebook tenderá a exibir aqueles que tiverem a melhor performance.

Anúncio: Por fim, esta será a postagem a ser criada. Aqui, são determinados o texto, as imagens e os links que aparecerão para o público.

E, para começar, clique em “criar campanha” no botão da região superior esquerda da sua tela no Power Editor.
Automaticamente, você será levado a preencher campos que definirão o seu objetivo com aquela campanha, como descrito acima.

Após a criação da campanha, você deverá criar o seu primeiro conjunto de anúncios. E, nesse momento, você terá a oportunidade de segmentar o seu público.

O Power Editor é uma ferramenta que vai te acompanhar em todas as suas campanhas de Facebook Ads. Então, por que não estudar mais um pouco? Confira alguns links interessantes sobre o assunto:

Segmentando o seu público no Power Editor
Parte 6

Segmentando o seu público no Power Editor

Ao criar um conjunto de anúncios, um dos campos que deve ser definido é a audiência. É aqui que você poderá inserir dados relevantes de quem você deseja alcançar: idade, região, idioma, gênero e, por fim, o direcionamento detalhado e as conexões.

Muitos desses campos são triviais, ao ter uma persona documentada para o seu negócio, facilmente você saberá preenchê-los.

Entretanto, as variáveis “direcionamento detalhado” e “conexões” são as mais determinantes para uma boa segmentação. Sendo assim, é possível selecionar preferências que as pessoas manifestaram em páginas da mídia social. Veja:

  • Direcionamento detalhado: você pode escolher pessoas que deram curtidas ou engajaram em páginas segundo dados demográficos, como renda, formação, geração. Ou também interesses, como entretenimento, esportes, compras. Também pode ser determinada por comportamento, como classificações dadas a páginas, datas comemorativas, afinidades culturais.
  • Conexões: Aqui é possível alvejar prospects que já interagiram com a sua página através de curtidas e downloads. Também é possível atingir quem se conectou com alguma outra página do Facebook, como páginas de influenciadores e fontes de autoridade, tudo isso através da opção “combinações avançadas”.

Segmentar corretamente o seu público é importante para uma campanha efetiva (e também para o seu bolso!). Hora de aprender um pouco mais com essas referências incríveis:

Métricas e Estratégia
Parte 7

Métricas e Estratégia

O Facebook tem excelentes mecanismos internos de Analytics. E, agora que você é capaz de começar as suas campanhas sozinho, prepare-se para poder analisar os dados e medir os resultados.

Mesmo depois de tanto trabalho até aqui, pense que esta é uma das etapas mais difíceis. Sabe por que? Porque existem dezenas de métricas diferentes a serem analisadas e fazer isso errado pode levar a conclusões imprecisas. Consequentemente, tomadas de decisões igualmente imprecisas no futuro. Sem contar no mal aproveitamento do gasto com publicidade.

Por isso, aí vão algumas dicas sobre as métricas mais relevantes e outras não tanto no Facebook Ads.

Métricas relevantes
Parte 8

Métricas relevantes

Impressões: o número de vezes que o seu anúncio foi exibido.
Custo por mil impressões (CPM): A exibição de um anúncio apenas não explica muito em termos de custos. Contudo, o custo a cada mil impressões pode gerar uma perspectiva muito mais relevante em relação ao preço da campanha. E, como as preferências das pessoas está sempre mudando, não espere um comportamento diferente dessa métrica.
Frequência: o número de vezes que um usuário específico visualizou o seu anúncio.
Gastos: representam o quanto você gastou ao exibir os seus anúncios ao longo do tempo.
Click-through Rate (CTR): a porcentagem de pessoas que visualizaram e clicaram nos links do seu anúncio.
Cliques no link: O número absoluto de pessoas que visualizaram e clicaram nos links do seu anúncio.
Custo por clique (CPC): É o custo médio, em relação ao seus gastos, de cada clique em seu link do anúncio.
Leads: o número de pessoas que converteram em sua landing page após serem direcionadas até lá pelo seu anúncio.
Custo por lead: Com base no seu gasto, ele calcula quanto cada conversão tem custado.
Checkouts: número de pessoas que se tornaram clientes através do seu anúncio. Essa métrica requer um pixel de rastreamento na página de agradecimento, depois da venda realizada.
Custo por checkout: Com base no seus gastos, o algoritmo calcula quanto cada venda realizada através de anúncios custou.

Esta é uma visão geral das métricas mais importantes para Facebook Ads. Para se aprofundar no assunto, recomendamos as seguintes leituras:

Métricas não tão relevantes
Parte 9

Métricas não tão relevantes

Métricas como curtidas, visualizações de página, visualizações de vídeo, alcance e relevância raramente são de importância para o seu negócio como um todo.

Isso acontece porque, como dissemos no início deste guia, a base de usuários do Facebook é tão grande que é simplesmente impossível não atingir pessoas que não são seus prospects.

Portanto, ter um grande número de curtidas ou alcance, por exemplo, não faz diferença se muitas dessas interações não são importantes para o seu negócio.

Não é possível saber quantas pessoas que dão curtidas na sua página realmente se encaixam dentro do seu funil de vendas. Por mais que você esteja imerso na publicidade na mídia social, é preciso lembrar do seu negócio fora dela.

Quer saber o que não fazer ao definir as suas métricas de Facebook Ads? Temos alguns artigos que podem te ajudar. Confira: