Growth Hacking: O Guia Definitivo

Cresça em ritmo acelerado

Até a primeira metade dos anos 2000, se você dissesse por aí que era um hacker ou que iria hackear alguma coisa talvez tivesse alguns problemas — ou no mínimo seria encarado meio que de rabo de olho pelas pessoas. E, não é à toa.

Durante muitas décadas tanto os noticiários quanto a cultura pop trabalharam a imagem dos hackers como se eles fossem criminosos digitais que só querem fazer mal à sociedade. No entanto, com o aumento do nosso conhecimento a respeito da internet e da informática (e até o surgimento de novas séries para a TV, como a premiada Mr. Robot), o preconceito sobre a palavra hack praticamente sumiu.

Tanto que hoje está na moda hackear praticamente tudo. Ou em outras palavras, entender por completo como alguma coisa funciona para adaptá-la e fazê-la funcionar ainda melhor. Incluindo aí nos exemplos a nossa própria vida e até as estratégias de crescimento da nossa empresa através do Growth Hacking, que é o nosso foco aqui do guia.

o-que-e-growth-hacking
Parte 1

O que é Growth Hacking?

Apesar de já ter sido head do setor de crescimento do Dropbox e colunista de importantes veículos como Forbes, Fast Company, Wired e TechCrunch, talvez o maior feito do húngaro Sean Ellis tenha sido criar o termo Growth Hacking, que, segundo ele mesmo, é o trabalho de alguém “cujo objetivo é o verdadeiro crescimento da empresa. Por isso, tudo o que é feito deve ser examinado por seu potencial de impacto sobre o crescimento escalável”.

Ou seja: assim como os tradicionais hackers examinam e procuram os pontos fortes e fracos de um sistema para aprimorá-lo através de testes, um Growth Hacker deve saber como fazer isso em seu negócio com ajuda do marketing, da tecnologia e da criatividade.

E, não faltam exemplos de pessoas que já estão lucrando com o Growth Hacking por aí! Mas antes de falar desses cases, vamos entender um pouco melhor qual é a grande diferença entre Growth Hacking e Marketing puro e simples.

Quer saber mais sobre o que é Growth Hacking? Então esses conteúdos vão te ajudar a entender melhor o assunto:

diferença entre growth hacking e marketing
Parte 2

Qual a diferença entre Growth Hacking e Marketing?

Pouco depois que o termo “Growth Hacking” começou a pipocar por aí, Andrew Chen, um investidor que já esteve por trás de nomes como o Tinder e até a já citada Dropbox, publicou um post em seu blog onde dizia que o Growth Hacker seria o novo VP de Marketing das empresas. Uma declaração que faz muito sentido, mas que também mexeu nos ânimos de daqueles que ainda estavam focados apenas no marketing tradicional.

E, o motivo é simples: se compararmos o Growth Hacking com o marketing digital, vamos encontrar poucas diferenças entre eles, afinal nos dois existe uma grande necessidade de trazer retorno para um negócio através da análise dos resultados de vários meios diferentes — como ações nas redes sociais, acessos de um blog e até campanhas de email marketing — e a realização de testes A/B em todos eles para encontrar a melhor resposta.

Agora, se colocarmos o Growth Hacking ao lado do marketing tradicional a coisa já muda de figura.

No marketing tradicional a análise de resultados costuma ser mais cara, menos precisa e bem mais lenta do que no modelo digital, e isso praticamente impede a realização de testes A/B e de mudanças de estratégia, retardando a criação de produtos e serviços mais eficazes por aquela marca.

Por fim, mesmo com as semelhanças entre o Growth Hacking e o marketing digital, ainda existem grandes diferenças entre os dois, já que, para o crescimento de uma empresa através do Growth Hacking é preciso ir além do marketing e realizar mudanças em outras áreas como a de operações, finanças e até mesmo no RH.

Quer saber mais sobre as diferenças entre Growth Hacking e Marketing? Então confira esses conteúdos:

exemplos-de-growth-hacking
Parte 3

Exemplos de Growth Hacking

Até agora falamos sobre o que é e como funciona o Growth Hacking, mas será que de fato tem alguma empresa que já lucrou com isso?

Claro que tem! E não são poucas. Para você ter uma ideia de como essa estratégia pode fazer a diferença para o seu negócio, vamos listar dois conhecidos casos:

Youtube

Quando o Youtube surgiu, em 2005, era o MySpace quem mandava no segmento de redes sociais e streaming de mídia. Porém, existia um problema: era praticamente impossível inserir uma música de lá em outro lugar. Foi aí que o Youtube fez a diferença.

Com um código bastante simples de ser achado e aplicado, qualquer usuário podia copiar e colar o player do Youtube facilmente em seu blog ou página, fazendo com que a quantidade de usuários e compartilhamentos dessa rede explodisse em pouquíssimo tempo.

Hotmail

Imagine que você tem um ótimo produto e precisa anunciar para o máximo de pessoas possível mas não tem uma verba muito grande para publicidade. Como fazer? Bem, no caso do Hotmail foi bem fácil (e inovador): colocando uma assinatura em todos os emails dos seus usuários incentivando outras pessoas a se cadastrarem no sistema de forma gratuita, algo impensável naqueles tempos de internet.

Quer ver alguns bons exemplos de Growth Hacking? Então veja alguns desses que separamos por aqui:

como-se-tornar-um-growth-hacking
Parte 4

Como se tornar um Growth Hacker?

Curtiu a ideia do Growth Hacking? Quer saber como se tornar um Growth Hacker? Então veja algumas dicas abaixo:

  • Se especialize em pelo menos uma ou duas áreas de Growth Hacking

Ao invés de tentar se transformar em um ninja do Growth Hacking da noite para o dia, que tal turbinar seus conhecimentos sobre alguma área em específico, primeiro? Tente aprender um pouco mais sobre estatística, programação, procedimentos de onboard com os clientes ou até sobre experiência do usuário.

  • Aprenda sobre Anaytics

Você já parou para observar todas as informações que vêm do Google Analytics – ou você fica de olho só na quantidade de usuários que acessam seu site por dia? Pois, aprender um pouco mais sobre todas as informações que você pode ter acesso pela ferramenta pode ser um bom início para quem deseja se tornar um Growth Hacker. Confira o curso de SEO da Universidade Rock Content!

Quer saber mais sobre como se tornar um Growth Hacker? Então saiba mais conferindo esses conteúdos:

como-se-tornar-um-growth-hacking
Parte 5

Vantagens de aplicar o Growth Hacking em seu negócio

Depois de falarmos bastante sobre como se tornar um Growth Hacker e sobre como essa técnica pode ser aplicada no seu negócio, chegou a hora de ver quais são as vantagens que ela pode trazer para a sua empresa.

Uma das principais diz respeito à forma como o Growth Hacking consegue colocar as pequenas e médias empresas competindo com negócios grandes que dominam o mercado.

Isso acontece porque quanto maior for uma marca, maior também é a quantidade de burocracia que ela tem de enfrentar para fazer alguma mudança em seu planejamento. E, é aí que as pequenas e médias empresas que estão de olho nos números e nas tendências do mercado, justamente por não sofrer com toda essa burocracia, tem mais flexibilidade para promover rupturas e aproveitar delas.

Outra vantagem do Growth Hacking é que ele depende de ferramentas digitais bastante baratas para funcionar. Ou seja, é acessível para a maioria dos empreendedores.

Por fim, vale dizer que com o Growth Hacking é possível tomar ações que retenham os clientes e que ampliem os horizontes de um negócio por conta do volume de pesquisas e testes que podem indicar uma nova oportunidade para a sua empresa.

Confira mais algumas vantagens de aplicar o Growth Hacking em seu negócio nesses conteúdos que listamos por aqui:

como colocar em prática
Parte 6

Como colocar em prática o Growth Hacking em minha empresa?

Para começar, uma das maneiras é criando um blog. Com essa ação você irá conseguir dados de usuários que entrarem em contato com a sua marca e poderá criar ações de geração de leads – algo importantíssimo para qualquer estratégia de crescimento.

Outra maneira de colocar em prática o Growth Hacking na sua empresa é analisando os resultados obtidos no analytics e também nos relatórios das redes sociais, como Facebook e Twitter. Com tudo isso em mãos é possível até mesmo cruzar alguns dados e ver onde pode estar o seu verdadeiro público ou até diferencial de mercado.

Por fim, não tenha medo de investir em sistemas e profissionais especializados na análise profunda de dados, principalmente se você tiver acesso a algum sistema de big data. Dessa forma, você terá uma visão ainda mais abrangente do cenário onde o seu negócio está inserido e não dependerá apenas das informações de quem chega até você.

Saiba mais sobre como colocar em prática o Growth Hacking em sua empresa conferindo esses conteúdos:

funil vendas com o Growth Hacking
Parte 7

Como funciona o funil vendas com o Growth Hacking

Se você ainda não sabe o que é e como desenvolver um funil de vendas, leia o nosso post. Agora, se você sabe de cor e salteado o que é isso, o que podemos dizer é que com ajuda do Growth Hacking é possível deixar esse funil de vendas ainda mais eficaz.

É assim: para cada etapa do funil é preciso criar um gatilho que faça com que a sua persona avance em direção ao fundo. Essa é a premissa básica dessa ferramenta de vendas. Porém, com a ajuda do Growth Hacking você pode aprimorar cada uma das etapas e dos processos, graças aos testes e análises que podem indicar os melhores caminhos a serem seguidos.

E, como isso pode ser visto? Por meio de testes A/B com as landing pages, de análise de posts e até da observação do comportamento dos usuários no momento da compra.

Entenda um pouco mais sobre como usar o Growth Hacking juntamente com o seu funil de vendas:

ferrramentas essenciais
Parte 8

Ferramentas essenciais

Quer saber se sua estratégia de email marketing está funcionando direito? Você pode conferir pelo o MailChimp. Gostaria de saber se os visitantes do seu site estão de fato clicando onde deveriam? Instale o Hotjar e descubra. Não tem uma conta ainda no Google Analytics? Está esperando o quê?

Com essas e outras ferramentas, pode ter certeza, a sua estratégia de Growth Hacking ficará ainda mais fácil.

Conheça mais algumas ferramentas que você pode usar em sua estratégia de Growth Hacking nessa lista que fizemos:

Métricas principais
Parte 9

Métricas principais

Como dissemos lá no começo deste guia, a ideia principal do Growth Hacking é o verdadeiro crescimento da empresa. Só que esse crescimento, como também deve ter ficado claro por aqui, ainda que seja acelerado, não acontece da noite para o dia. E, por isso, é preciso ficar de olho em alguns pontos que podem indicar, durante o processo, se as suas estratégias de negócios estão funcionando ou não.

Apesar de existirem várias métricas que podem (e devem) ser observadas, podemos listar por aqui algumas que são bastante comuns e muito importantes:


Tráfego:

É preciso ficar atento tanto ao tráfego total de uma página quanto para as fontes desse tráfego;

Taxa de conversão:
Descubra qual o número de visitantes do seu site e qual o número de usuários que de fato se tornam clientes;

Taxa de rejeição:
Descubra quais visitantes saíram do seu site após acessar uma única página do seu site;

Abandono de carrinho:
Tem um e-commerce? Então fique de olho no total de pessoas que colocam um produto no carrinho e acabam não concluindo a compra.

Entenda um pouco mais sobre as principais métricas do Growth Hacking nesses artigos:

verdades e mentiras
Parte 10

Verdades e mentiras do Growth Hacking

Apesar de todos os benefícios que listamos por aqui a respeito do Growth Hacking, é interessante perceber que também existem alguns mitos sobre ele:

Growth Hacking é mágica

Mentira: Os resultados alcançados são frutos de muito trabalho, testes e mais teste, de modo científico, para ser colocado em prática. E, só depois de um tempo que os resultados podem ser vistos. Não é algo que acontece da noite para o dia.

Não existe uma fórmula certa para ser seguida

Verdade: Por mais que existam casos de sucesso como os que citamos aqui, isso não quer dizer que existe um caminho para ser percorrido. O Growth Hacking depende muito da capacidade do profissional, da curiosidade dele e de sua atitude. Replicar métodos já utilizados não é garantia de sucesso.

É necessário saber de programação

Mentira: Não é uma habilidade necessária mas pode ajudar no dia a dia do profissional de Growth Hacking. O principal fator que suporta esse mito é a associação errônea e quase automática com a palavra hacker.

Quer saber mais sobre as diferenças entre Growth Hacking e Marketing? Então confira esses conteúdos: