Por Redator Rock Content

um de nossos especialistas.

Publicado em 15 de outubro de 2018. | Atualizado em 9 de agosto de 2019


O Business Model Canvas, ou apenas Canvas, é um modelo de estruturação de negócios eficiente, moderno e muito prático. Ele dá suporte para relacionar pontos básicos — tudo em um modelo totalmente visual.

Iniciar um novo empreendimento é um desafio e tanto! Para isso, é importante pensar em como o seu negócio vai se apresentar para o mercado e para o público.

Além disso, ele precisa ter seu funcionamento estruturado, para a gestão e a operação acontecerem adequadamente. O Canvas é a ferramenta que ajuda a dar esse pontapé inicial de forma organizada, no caminho do sucesso.

Essa metodologia tem foco na estruturação do modelo de negócio de uma empresa. Assim, ela inicia com a definição do caminho que será seguido. Sua aplicação é a próxima etapa após o estudo inicial da abertura de uma empresa, dando as definições estratégicas necessárias para o sucesso.

Neste post, você entenderá o que é o Canvas, como executá-lo e por quais etapas ele é composto!

O que é, de fato, o Canvas?

O modelo de negócios é um conceito já amplamente difundido que, basicamente, ajuda o empreendedor a definir os principais detalhes da empresa que está prestes a fundar.

Assim, a estruturação acontece de maneira mais prática. No entanto, o Canvas, ou Business Model Canvas, é a metodologia que torna todo esse processo mais intuitivo, destrinchado e, o mais importante, facilmente visualizado!

Trata-se de uma ferramenta simples, que tem a proposta de auxiliar o empreendedor a ter uma observação mais ampla da empresa, desde seus objetivos principais até o segmento em que ela está inclusa.

Na prática, o Canvas dá o suporte necessário para uma avaliação mais bem detalhada, o que ajuda o empreendedor a entender se o negócio é viável e também a organizá-lo antes de iniciar.

O surgimento

Apesar de ser amplamente utilizado e muito conceituado, a metodologia Canvas é muito mais recente do que se pode imaginar.

É, justamente, a sua objetividade e suporte, dentro de uma linha estratégica, que fez com que ela se popularizasse.

A ideia foi trazida à tona pela primeira vez em meados dos anos 2000, por Alex Osterwalder, em sua tese de Doutorado.

A aceitação foi imediata e fez grande sucesso. Ciente do resultado de um trabalho de muita pesquisa e estudos, Alex mostrou ao mundo o Business Model Canvas por meio de seu livro Business Model Generation: Inovação em Modelos de Negócios.

A partir de então, o mundo pôde conhecer a metodologia que passou a revolucionar o direcionamento estratégico de modelos de novos empreendimentos.

A estrutura do Canvas

O Canvas tem uma estrutura muito simples e que ajuda os envolvidos nos projetos a terem uma visualização muito prática e objetiva.

A proposta é trazer de forma dinâmica todos os pilares de análise da proposta da nova empresa em um quadro descentralizado.

Assim, a linearidade dessa observação é desconstruída, para possibilitar uma avaliação mais intuitiva e criativa.

Na prática, o Canvas pode ser feito de diversas formas: uma simples folha de papel, em um quadro, ou até mesmo em arquivos digitais editáveis. Por lá, existem 9 campos que precisam ser preenchidos:

  1. Parcerias chave;
  2. Atividades chave;
  3. Proposta de valor;
  4. Recursos chave;
  5. Relacionamento;
  6. Canais;
  7. Segmento de clientes;
  8. Estrutura de custo;
  9. Fonte de receita.

Template de Canvas

Receba um template para começar a planejar o seu modelo de negócio com a metodologia Canvas!


Como o Canvas deve ser preenchido em cada categoria de análise?

Esses 9 campos do Business Model Canvas devem ser preenchidos adequadamente. Isso garante que a análise e o planejamento do negócio sejam feitos com sucesso.

A seguir, saiba mais sobre esses tópicos de análise, o que deve ser pensado em cada um deles e como devem ser preenchidos.

1. Parcerias chave

Aqui, devem ser relacionadas quais as outras empresas serão parceiras do negócio. Geralmente, são serviços necessários para o funcionamento do empreendimento e os fornecedores.

Em qualquer planejamento, é fundamental pensar nessas parcerias, já que a atividade em longo prazo depende delas.

Assim, relacionar cada uma ajuda a entender de quem a sua empresa vai depender. Esse tópico tem grande importância na definição de detalhes operacionais simples, mas que devem ser devidamente relacionados.

O foco também deve ser somente naquelas parcerias mais importantes e decisivas para a empresa. Se o modelo de negócio não depender tanto dessas parcerias, não é necessário se desdobrar para encontrar possibilidades.

2. Atividades chave

Cada tipo de negócio tem atividades e demandas principais relacionadas a ele. Se você é um produtor de alimentos, por exemplo, haverá diversas etapas de trabalho para chegar até o produto final.

Essas atividades são sempre imprescindíveis para que o modelo de negócio se sustente e funcione adequadamente. Portanto, questione: quais atividades são fundamentais nessa ideia?

Nessa etapa, é preciso destrinchar o que a sua empresa faz. Se ela presta serviços de marketing digital, então, é importante avaliar e relacionar quais são as rotinas fundamentais para o negócio funcionar.

O mesmo deve ser feito por produtoras. Nesse caso, as etapas de manufatura devem ser devidamente relacionadas. As atividades gerenciais e de otimização do trabalho também devem ser relacionadas.

3. Proposta de valor

Por qual motivo você está lançando o seu novo empreendimento no mercado? Por que os clientes do seu segmento vão escolher a sua empresa? Essas são duas perguntas muito simples, porém, básicas para definir a proposta de valor.

Essa etapa do Canvas consiste em definir o que a empresa vai propor e levar de interessante ao mercado, ou seja, o objetivo principal como um negócio.

Para definir a proposta de valor de maneira adequada e certeira, responda às seguintes perguntas:

  • Qual necessidade do cliente o negócio será capaz de solucionar?
  • Qual valor esse serviço ou produto terá para essa solução?
  • Quais vantagens o negócio é capaz de entregar ao consumidor?

4. Recursos chave

Toda nova empresa necessita de recursos básicos para funcionar. Basicamente, essa etapa do Canvas vai ajudar a definir o que deve ser providenciado para que a empresa seja lançada.

O conceito, no entanto, é amplo, não se limitando apenas aos recursos físicos, como um escritório. Além disso, há os recursos intelectuais e a mão de obra de trabalho.

Se seu empreendimento é uma fábrica, precisa dispor de galpões, maquinário e ferramentas. Se presta serviços digitais, precisa de sistemas e computadores, assim como criar um site.

Avalie a sua empresa e considere esses recursos, sempre lembrando que eles se dividem em quatro categorias: físicos, intelectuais, humanos e financeiros.

5. Relacionamento

Diferentes tipos de empresas têm necessidades específicas na hora de se relacionar com o seu consumidor. Aqui, o Canvas quer que você pense como será esse contato, sempre tendo em vista o seu modelo de negócio.

Algumas atividades demandam um contato mais pessoal, especialmente, quando há negociações, enquanto outras trabalham em modelos menos ativos.

Antes de qualquer coisa, o relacionamento tem impacto direto na experiência do cliente com o seu negócio. Definir exatamente como se dará esse contato pode ajudar seu negócio a se posicionar da forma certa e ter sucesso em longo prazo.

Pense no que o consumidor do seu negócio espera em relação ao seu posicionamento e defina como deve ser essa abordagem e contato.

6. Segmento de clientes

Quem será o consumidor da sua empresa? Para qual persona você vai oferecer seus produtos ou serviços?

Toda atividade profissional tem uma segmentação de mercado específica, ou seja, há um público bem definido que vai se mostrar interessado. O seu negócio precisa definir, identificar e conhecer profundamente qual é o segmento de consumidor com o qual vai se comunicar.

Nesse processo de identificação do público-alvo, você obterá uma visualização mais clara sobre:

  • a comunicação adequada para usar com essas pessoas;
  • a capacidade econômica do público;
  • o lucro que, possivelmente, será obtido;
  • como se relaciona com o valor agregado;
  • quais são suas necessidades;
  • quais são seus hábitos de consumo.

7. Canais

Mais do que nunca, definir os principais canais de comunicação e posicionamento de uma empresa é fundamental nos dias de hoje!

Se você já conhece seus clientes e entende o que pode levar de valor para eles, os canais certos serão a plataforma ideal para transmitir essas ideias e informações.

Por elas, você poderá se comunicar, além de captar mais consumidores, fidelizá-los e, como resultado, aumentar a relevância da sua marca.

Defina quais canais vai usar: TV, rádio, internet e mídia impressa são os principais. Não esqueça que vivemos a era da transformação digital.

Nela, as redes sociais, por exemplo, tem alto poder de engajamento. No Canvas, estipule quais serão essas plataformas de relacionamento, sempre avaliando onde fará o contato, a que ponto levará a proposta de valor, em qual canal divulgará a empresa e como cada um deles vai se integrar na sua estratégia.

8. Estrutura de custo

Aqui, o Canvas dedica uma etapa somente para relacionar todos os custos que o negócio terá, desde sua implementação até o cotidiano operacional.

Nesse estágio, é importante pensar no capital social da empresa, ou seja, qual o valor inicial necessário para fundá-la.

Após isso, a estrutura de custo se dá na direção de quais serão os investimentos de manutenção do negócio:

  • custos de produção;
  • custos de operação;
  • custos fixos mensais;
  • custos variáveis;
  • economia de escala;
  • economia de escopo.

9. Fonte de receita

As fontes de receitas consistem em todas as possibilidades de entrada de capital na empresa, naturalmente, proveniente das suas atividades.

No Business Model Canvas, devem ser relacionadas as formas de se obter dinheiro de acordo com a atividade da empresa. Isso pode ser venda de produtos, serviços prestados, assinaturas e uma série de outras fontes.

Avalie o que é realmente interessante ao seu negócio, analisando o impacto positivo que essa fonte de receita traria. Não deixe de relacionar a expectativa de ganho de cada uma delas, por exemplo, entendendo por quanto um produto seria vendido.

Agora, você já sabe como fazer uso do Canvas e tem uma estrutura prática e eficiente para isso. O que talvez você ainda não saiba é que é possível implementá-lo com eficiência na sua estratégia de marketing digital.

Veja como usar o Canvas em uma estratégia de marketing digital e baixe também nosso modelo editável!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *